Troca de informações e relatos de trilhas e travessias na região sudeste do Brasil. Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo.
#1180016 por thais_valeska
14 Abr 2016, 13:28
Kun Yu e Juliana!
Obrigada pelas respostas!

Estou conversando com o Geovane, estou aguardando umas coisas antes de fechar.

Só estou receosa porque não aparece a opção de alugar barraca no site do PARNASO (deve ter acabado...) e não sei se aguento mais 2kg pra esse fim haha, mas vamo que vamo.

#1182473 por Renato37
24 Abr 2016, 12:32
Travessia sem perrengues não é travessia. O corpo cansa, mas a mente descança. Quem vai para a montanha e natureza, não pode querer o conforto de casa num lugar desses. Para ver as paisagens e curtir o ar da montanha, tem que encarar a pernada hardcore da trilha.

Se um dia vcs fizerem a travessia da Serra fina ou Marins x Itaguaré, ai vai ver o que é carregar peso.....são travessias classicas, mas bem mais puxadas que a Petrô x Terê, mas com a vantagem de não ser parque e nem ter que pagar taxas ou se sujeitar as frescuras e burocracias de parque nacional. A Serra fina é 4 dias, bem mais alto e bem mais bonito também.

O Guia e o transporte seria o unico custo para ambas as travessias, embora possa fazê-las sem guia mesmo, indo apenas com alguém que já fez e conhece bem. Eu por exemplo, procuro me encaixar em algum grupo que está organizando essas trilhas e assim, me livro do custo do guia, que é mais voltado para iniciantes.

Qto maior o perrengue, maior será a resistencia fisica e psicológica que ganhará....

Já fiz essa travessia 2 vezes, uma em um grupo e outra solo. E foi um ótimo treinamento para a Serra fina, essa sim, foi dureza mesmo, hehee
#1182580 por Marcus Martins
24 Abr 2016, 21:43
Sem querer entrar em polêmica com vc Renato, mas cada um curti a trilha de uma forma única. Para alguns (muitos) basta as dificuldades que o local apresenta e o que puder fazer para amenizar o "sofrimento" é válido. Já para vc e muitos outros, quanto mais dificuldades melhor.

Boas trilhas e travessias.
#1182779 por Juliana C. Tavares
25 Abr 2016, 16:36
Renato, rapaz, bora lá!
Bom, assim que li o que você escreveu senti a necessidade de ler novamente porque a princípio achei que teve um certo tom arrogante...hehehee :shock: ! Fui procurar as coisas que você já havia escrito aqui nesse tópico e devo ter relido esse seu último umas quatro vezes (e não, não sou assim tão ruim de interpretação de texto, é porque quis ler cada vez com mais boa vontade e tentando ser prudente), daí vi que realmente você talvez não tenha tido a intenção de parecer rude (e não, não concordo que a primeira impressão é a que deve ficar...rs). É sério, eu não estou sendo irônica. Vi sim que você gosta de exaltar seu ritmo de caminhada, o quanto consegue fazer bem as trilhas, mas depois de ler tantas vezes e com tanto cuidado não acho que houve intenção de passar uma imagem desagradável. Mas mesmo assim acho bacana a gente falar sobre os pontos que você colocou.
Bom, primeiro é sobre o conforto na caminhada. Ninguém falou sobre conforto, e sim sobre achar que carregar mais peso vai comprometer seu andamento. Veja bem, as pessoas fazem trilhas por diferentes motivos, mas acho que o que há de comum não só entre trilheiros, mas entre qualquer pessoa que faça alguma atividade outdoor é justamente o contato com a natureza. E isso é lindo e ótimo, quanto mais pessoas gostando de estar em meio à natureza significa que há mais pessoas para protegê-la. Condicionamento físico é importante sim para aguentar "o tranco", mas condicionamento excelente só é imprescindível mesmo para atletas...concordo com você que é legal a gente se desafiar, e quando vamos fazendo mais trilhas vamos tendo mais vontade de desafiar o corpo, os medos, os limites...sim, isso é muito gostoso! Mas nem todas as pessoas têm as mesmas vontades ou não as têm ao mesmo tempo, na mesma velocidade. Por isso até os perrengues dos quais você fala podem ser diferentes de pessoa pra pessoa...pra um é vencer um desnível de uns 1000m no menor tempo possível, pra outro é subir o mesmo desnível parando pouco pra descansar e com bolhas nos pés e pra outro é simplesmente subir o desnível todo com o peso da mochila, descansando de tempo em tempo, mas sem pensar em desistir. E acredite, por mais que o nível de complexidade de se fazer uma trilha sem companhia seja indiscutivelmente bem maior, fazê-la em grupo e com guia pra quem não está tão acostumado também vai requerer esforço, físico e mental. Por isso, a mente, assim como o corpo, nunca vai estar tão descansada não... e outra, assim como na vida inteira, é bacana ser humilde e prudente pra reconhecer os limites do próprio corpo e dos seus conhecimentos. Tem relato direto de gente que se perde feio e acaba se dando mal...além de deixar os parentes e quem gosta tudo arrancando os cabelos, ainda tem que mobilizar Deus e o mundo às vezes por um resgate toooooooootalmente desnecessário, por pura imprudência. Tem que saber ser humilde e reconhecer que "se não pode com o pote, não pegue na rodilha"...heheheh.
Fazer trilhas sem guia é algo que quero também, sempre que for possível, mas é algo pra se fazer apenas se souber que pode "peitar" e dar conta....se não dá ainda, paciência, mas nem por isso alguém precisa deixar de fazer algo que lhe faz bem só porque não é "O(A) FODÃO(ONA) DAS TRILHAS".
Daí veio uma dica bacana que você deu, a de tentar se encaixar num grupo com pessoas experientes. Já deu certo pra mim algumas vezes, mas em outras não...hehehhe. Nem sempre é possível conciliar tempo, dinheiro e destinos...rs. Então, quando não dá pra juntar grupo, é o único período que se pode ir, não tem certeza se dá conta só e deu pra juntar algum (pesquisando exaustivamente os preços, assim faz gente lisa como eu), contrata um guia e vai ser feliz assim mesmo...kkk ::tchann::
Sobre a Serra Fina, ela já está na minha lista faz tempo e já é uma velha amiga, dez mil relatos foram lidos sobre, a logística começando a ser preparada e etc...mas terá que esperar outras duas que tenho em mente e aí também dependo de juntar o money e do tempo que terei disponível pra ir - vida adulta não perdoa, os compromissos são mil e um assim como as trilhas. ::essa:: Aí não é questão de SE, é questão de QUANDO! ::otemo::
Mas olhe, concordo com você quando diz que é com os perrengues que se aprende. Aí é como na vida mesmo, é tropeçando, perdendo o fôlego, tendo medo, errando e caindo que se aprende, que vai tomando gosto pela coisa e aprendendo como é gostoso trilhar a vida!
E caramba, desculpe pelo texto enorme, tá parecendo é um relato ::putz:: ! Mas é que não quis deixar de colocar nada, mas quis também ter o cuidado de colocar tudo com jeitinho, aí deu nisso....rsrsrs!
Abraço, Renato! E boas trilhas pra todos nós! :D
#1182960 por Excel Yu
26 Abr 2016, 10:07
Cada trilha tem seu sabor e encanto ..... Fiz a serra fina ano passado com amigos, sem guia e navegando com GPS. Farei de novo no fim de maio agora nas mesmas condições e acredito que a travessia de Petrópolis será tão bom ou melhor que a serra fina ... tudo dependerá da companhia, mas neste caso tenho certeza será o melhor possível ... Não vejo a hora de começar a travessia .... ::hahaha::
#1186417 por Denis Paulo Costa Reis
09 Mai 2016, 11:13
Faço parte de um grupo de Trekking que explora as trilhas da Chapada Diamantina há algum tempo, mas queremos conhecer outros lugares, a exemplo da Travessia Petropolis-Teresopolis. Quem já foi e puder dar umas dicas fico grato.

Quem quiser conhecer um pouco de nossas trips ou quiser dicas da Chapada Diamantina pode curtir nossa página:

https://www.facebook.com/pegadatrekking/?fref=ts
#1186577 por Renata Araujo
09 Mai 2016, 21:59
Juliana C. Tavares escreveu:Olá, gente! Olha, o guia é o Geovane Rento e a guiagem da travessia fica por R$ 290,00, conosco cozinhando. Ele tb falou que tem duas bem bacanas de um dia, pra quem quiser: Cobiçado-Ventania, por R$ 100,00 e Uricanal, por R$ 80,00. Abraço!


Olá Juliana, gostaria de me juntar ao grupo.
Estou querendo fazer essa travessia ja tem um tempo.
Se tiver algum grupo de whatsapp vcs podem me add? 21 970108914

Obrigada ::otemo::
#1186642 por Juliana C. Tavares
10 Mai 2016, 01:27
Oi, Renata! Ah, não temos grupo no whats, quem tá formando mesmo o grupo pra trilha é o Geovane (eu comecei desde o ano passado a combinar com ele e agora já somos um lindo grupo pra travessia !! ). Pode entrar em contato com ele e fazer a reserva no parque que dá certo! :D
Tô a disposição se vc tiver qq dúvida e eu puder ajudar, certo? Abraço e vamos sim! :D
#1194401 por billythekid
09 Jun 2016, 20:12
Salve, estarei a partir do inicio de agosto com tempo pra perambular um pouco, decidir conhecer Petrô X Terê, não conheço nada por lá e a principio penso em ir com alguma agência, na verdade entrei em contato com uma e estou inclinado a ir com eles, não tenho problemas com peso, mais desconhecendo o local não arrisco ir sozinho, então, se tiver parceiros interessado e conhecer a região, podemos estudar um pouco, marcar uma data e irmos na boa, alguém??
#1194433 por Ronaldopxo
09 Jun 2016, 22:47
Juliana,
concordo plenamente com tudo o que você disse antes um pouco. Cada um na sua, trilhando do jeito que gosta.
Eu, particularmente, gosto muito de andar sozinho, no meu rítmo, sem conversar. Até porque acho que em grupos grandes a gente acaba conversando demais e acaba não aproveitando tanto o contato com a natureza.
Mas sempre é bom encontrar com alguém de vez em quando.

O esquema do Parnaso é meio copiado de Torres del Paine. E é bom que seja assim. Você pode caminhar o dia inteiro sozinho e à noite, nos locais definidos para acampamento, encontrar outras pessoas, trocar idéias, fazer amizades.

Quanto ao guia que escolheram, não poderia ser outro melhor. Conheci ele em 2013 e nos tornamos amigos. Hoje, inclusive é aniversário do cara. Explora ele ao máximo, faz ele contar histórias de travessias. Faz ele levar vocês na gruta do Presidente, véu de noiva e cachoeira das andorinhas.
Faz ele mostrar a baía de Guanabara do alto do Cruzeiro, o sol nascendo no Açu, no Sino. E enche muito o saco para levar vocês nos Portais de Hércules. Se ficar mais caro pague, que vale a pena.
Pede para ele contar sobre as Jungle Marathons que ele participou Da ida para o Aconcágua de Bike. Só as histórias já valem a grana da travessia.

Abraços, boa travessia e depois conta prá gente como foi.

Outra coisa. Ele é bom de cozinha também.
#1194451 por Juliana C. Tavares
10 Jun 2016, 00:16
Eitaa, quanto dica legal, Ronaldo! Vou tentar lembrar disso tudo sim! Vi no face agora que é aniversário dele...rsrs. Pretendo fazer Torres sozinha o próximo ano, se as coisas correrem conforme os planos...fiquei contente porque vejo em todo canto falarem que é tranquilo de fazer só e vc foi mais um a dizer (ou escrever, né? Kkkk :P ). Abraço e obrigada pelas dicas!
#1194461 por vit.avs
10 Jun 2016, 02:01
Juliana C. Tavares escreveu:Eitaa, quanto dica legal, Ronaldo! Vou tentar lembrar disso tudo sim! Vi no face agora que é aniversário dele...rsrs. Pretendo fazer Torres sozinha o próximo ano, se as coisas correrem conforme os planos...fiquei contente porque vejo em todo canto falarem que é tranquilo de fazer só e vc foi mais um a dizer (ou escrever, né? Kkkk :P ). Abraço e obrigada pelas dicas!

Juliana, vc por acaso sabe sobre o tempo que estará na travessia?Risco de chuvas, frio...Tem alguma previsão que você tenha olhado?Estou receoso por causa disso hahaha.

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 2 visitantes