Viver fora: um casal mochileiro (brasileiro) no Butão


Mochileiros no Butão? Talvez essa seja a primeira vez que tenham ouvido essas palavras escritas juntas. Já faz quase um ano que nós do Mochilão a Dois decidimos largar nossa vida no Brasil e embarcar nessa aventura na “Terra da Felicidade”!

Mochileiros no Butão

Ser mochileiro no Butão, para quem não mora aqui, não é a coisa mais fácil do mundo. Primeiramente, o custo antes de vir já é bastante alto e, segundo, é burocrático. (Mas continuem lendo! Existe esperança!)

Mochileiros no Butão

Mas vir para o Butão também é uma das únicas chances que mochileiros tem para se sentirem um pouco como “desbravadores”, ir para um lugar onde muitas pessoas ainda nem sabem localizar em um mapa.

Custos de Uma Viagem Para o Butão

Vir para o Butão requer desembolsar um dinheiro bom:

  • Existe um custo diário de US$250(alta temporada)-US$200(baixa temporada)/noite para visitar o país;
  • Tudo precisa ser feito através de uma agência de turismo local;
  • Você não consegue ir no skyscanner ou expedia e comprar uma passagem para o Butão;

São apenas três pontos importantes, mas que carregam um baita peso na organização de uma viagem.

O Que Está Incluso Na Taxa Diária?

Essa taxa diária é cobrada por todos os turistas internacionais, exceto Indianos. Nela inclui:

  • Imposto para conservação do meio ambiente e educação de US$65/noite;
  • Todas as acomodações em hotel 3 estrelas/homestays/guesthouses;
  • Refeições;
  • Um motorista;
  • Um guia (post).

Mochileiros no Butão

Infelizmente, ter guia não é negociável. Sei que isso não faz o estilo de 90% dos mochileiros do mundo, mas nem tudo é ruim. Através de negociações e boa convivência, guias dão uma certa liberdade para os turistas explorarem alguns lugares sozinhos. Nem tudo é ruim! Ser legal é essencial!

Vale a Pena Vir Como Mochileiros para o Butão

Em uma palavra: Vale! Em duas palavras: Vale MUITO!

O Butão recebe por volta de 150mil turistas por ano. É um país ainda bastante desconhecido pelo resto do mundo e ainda muito inexplorado. Antes de vir pra cá, já tinha visitado 45 países e, em todos, encontrei turistas por todos os cantos. Aqui no Butão, mesmo em alta temporada, você sente que tem o país só para você!

Como disse antes, é um dos únicos e últimos países onde um mochileiro terá essa sensação durante a estadia inteira. Alguns destinos oferecem esse mesmo sentimento, mas nunca dura tanto, pois sempre tem que retornar pra alguma cidade grande no meio. Aqui, mesmo em cidades grandes, é muito difícil trombar com alguem falando alto na sua língua materna, seja ela qual for!

Já fui para Tailândia e Camboja, lugares onde o budismo é uma religião muito forte, mas sempre tive a impressão (talvez bastante verdadeira) de que os templos mais importantes viraram atrações turísticas. No Butão, até o templo mais visitado do país, o Ninho do Tigre (Taktsang), é um templo onde a religião é extremamente levada a sério. Quando mais remoto o lugar onde visitar, mais seriamente a religião é levada. Se decidir ficar ou visitar um monastério, terá que seguir a rotina deles. Nada será feito para acomodar o turista. Tudo é feito para eles. Você será apenas um espectador.

Mochileiros no Butão

O maior festival religioso do Butão, o Paro Tshechu, é um exemplo perfeito. Temos muitos amigos Butaneses que fizeram questão de ir ao festival para serem abençoados pelos rituais e danças de lá. Nada é feito para turistas. O que acontece lá sempre aconteceu desde muito antes do Butão abrir as portas para o turismo, em 1973.

Trilhas no Butão

Butão está, cada vez mais, se tornando um destino para aventureiros e turistas que adoram fazer trilhas e acampar. Trilhas aqui ainda são, em grande parte, quase intocadas. Visitá-las realmente faz com que você se sinta em contato com a natureza, sem lojinhas de conveniência, vendedores te oferecendo água a cada km. Você pode passar dias e mais dias sem contato com ninguém além de quem está no seu grupo. Passar dias sem contato com tecnologia, sem ouvir música, apenas se perder pela natureza e apreciar as paisagens oferecidas pelos Himalaias.

Mochileiros no Butão

Desde quando chegamos aqui, fizemos algumas trilhas, a principal foi a The Owl Trek (Trilha da Coruja). O que vimos mais próximo de civilização foram vilas de pastores de yaks. Vilas itinerantes, sempre a procura de pastos para alimentar seus animais. Isso está se tornando cada vez mais raro, pois pastores estão trocando a vida do campo para tentar a vida na cidade. Será que isso já aconteceu em algum lugar no mundo?

Seu camping pode incluir acampar num monastério, até ficar em um. Acreditem, a experiência é fantástica!

Trilhas no Butão estão inclusas na taxa diária, o que faz essa taxa não ser tão cara assim (ainda sendo cara).

Mochileiros no Butão

São apenas resumos do que mochileiros no Butão podem fazer em uma estadia aqui.

Como Vocês Foram Parar no Butão?

Ótima pergunta! Como disse no começo, visitar o Butão não é a coisa mais fácil de se fazer no mundo. O que fazer quando a oportunidade de morar no país aparece? Temos que abraçá-la, não acham?

Uma coisa que fiz muito na vida, além de viajar, foi estudar. Fiz bacharelado, mestrado, doutorado e licenciatura tudo seguido um do outro. Na minha licenciatura, tive uma co-supervisora que tem laços com escolas de vários lugares do mundo, como Serra Leoa, Papua Nova Guiné, Kênia e o dito cujo: Butão. Sempre fiz muitas perguntas sobre as experiências que ela teve como professora nesses lugares e as histórias sempr eme fascinaram. Terminei a licenciatura, voltei para o Brasil depois de 16 anos morando fora para dar aula em uma das melhores escolas internacionais da América Latina.

Mochileiros no Butão

A vida estava bem tranquila, tudo indo bem e o Butão já não estava mais na minha mente. Até que um dia recebi um email com o final .bt e o li. Estava sendo convidado para uma entrevista para dar aula próximo a Paro. O que fazer agora?

Depois de muitas conversas com a minha esposa, a Liany, que aconteciam depois de toda entrevista (8 entrevistas no total), finalmente me ofereceram o emprego e decidimos tentar! Vale mais a pena se arrepender de fazer do que de não fazer, concordam?

Loucura?

Largamos os nossos empregos. Eu de professor e ela de monitora de pesquisa clínica e para cá viemos. Em breve, completará um ano desde que chegamos aqui. Muitas experiências foram vividas, muitas dificuldades enfrentadas diariamente. Viemos para cá sem sabermos nada sobre o país, sem saber se ia conseguir viver com o salário, sem saber onde iamos morar… foi um baita tiro no escuro, mas fazer o que?

Mochileiros no Butão

Quem já morou fora ou fez intercâmbio sabe como é difícil… podem imaginar como é ir morar num lugar onde nem a sua passagem você pode comprar?


Deixe um comentário

Log in

Esqueceu a senha?

Forgot your password?

Enter your account data and we will send you a link to reset your password.

Your password reset link appears to be invalid or expired.

Log in

Privacy Policy

Fechar
de

Enviando Arquivo…