Polícia de Cusco faz buscas por turistas que não querem ficar em quarentena


O Departamento de Seguridad del Estado e a Comissaria de Turismo em Cusco realizam busca por turistas nos hotéis, hostels, pousadas e hospedarias de Cusco – sobretudo àqueles provenientes da Itália, China, Espanha e França – para que cumpram a determinação de passar por um período de quarentena devido ao coronavírus. As informações são o peruano Diario Correo.
De acordo com a publicação, as autoridades seguem orientando os administradores dos meios de hospedagem da cidade na prevenção e controle do contágio do coronavírus.
O país declarou ontem (15) estado de emergência e fechou suas fronteiras por 15 dias para tentar conter o avanço do COVID-19. A publicação cita que o trabalho policial se dá dentro dos dispositivos legais sobretudo respeitando irrestritamente os direitos humanos dos visitantes.

buscascusco diariocorreo
Foto: Reprodução.

Turista foge para não fazer o teste e outros desobedecem a ordem de isolamento

O Diario Correo lembrou do caso ocorrido no último sábado (14) quando uma turista chilena fugiu de uma clínica ao saber que seria submetida ao teste para saber se tinha COVID-19. Segundo a publicação ela foi conduzida pela PNP (Polícia Nacional de Peru) e Ministério Público e está em isolamento no hospital de contingência Antonio Lorena, em Cusco.
Uma turista espanhola chegou a ameaçar não voltar ao país e dar más referências do Peru, se o governo peruano reportasse à Espanha sua desobediência ao isolamento imposto pelo país à todas as pessoas que chegassem de Espanha, Itália, França e China.

A reportagem do 24horas (vídeo abaixo) mostrou e falou com alguns turistas passeando pela capital peruana, Lima e portanto desobedecendo a ordem de isolamento imposta pelo país.
A turista espanhola falou à reportagem e minimizou a pandemia dizendo que o coronavírus era “um pouco pior que uma gripe”.
“É um coronavírus que se propaga muito rápido, mas que não deixa de ser um pouco pior que a gripe, e que disso [gripe] se morre muita gente por muitos anos. Não é um Ebola para que haja tanto exagero, nem uma Malária.”, fala acrescentando que estava passeando por conta própria, já que o hotel em que estava hospedada havia cancelado todas as excursões. “Nos disseram que seríamos obrigados a ficar no hotel”. (Tradução livre dos principais pontos da fala).

Mensagens em Quechua

Em meio às buscas por turistas desobedientes a polícia peruana passa informações à comunidade sobre como evitar o contágio do Coronavírus. Abaixo o suboficial da Policía Nacional del Peru, Jopeter Chocca Inga transmite a mensagem em Quechua (importante língua indígena da América do Sul, falada por diversos grupos na Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, Peru e ao longo dos Andes) uma das línguas oficiais do Peru, Bolívia e Equador.


Deixe um comentário