Ir para conteúdo

Pesquisar na Comunidade

Mostrando resultados para as tags ''bayahibe''.



Mais opções de pesquisa

  • Pesquisar por Tags

    Digite tags separadas por vírgulas
  • Pesquisar por Autor

Tipo de Conteúdo


Mochileiros.com

  • Relatos de Viagem
    • Relatos de Viagem
  • Perguntas e Respostas
    • Perguntas Rápidas
    • Perguntas e Respostas & Roteiros
  • Companhia para Viajar
  • Trilhas e Travessias
  • Equipamentos
  • Nomadismo e Mochilão roots
  • Outras Formas de Viajar
  • Outros Fóruns

Encontrar resultados em...

Encontrar resultados que...


Data de Criação

  • Início

    FIM


Data de Atualização

  • Início

    FIM


Filtrar pelo número de...

Data de Registro

  • Início

    FIM


Grupo


Sobre mim


Ocupação


Próximo Destino

Encontrado 1 registro

  1. Punta Cana é um lugar muito bonito para conhecer, mas acho que o excesso de resorts e o título de destino de “luxo” transformam a viagem para este local em uma experiência bastante superficial e “específica”. Você desfrutará da beleza local ao lado de toda a “farofa dos resorts”, além de não ter acesso à cultura local. Os dominicanos não vivem, por exemplo, em Punta Cana, pois os resorts fizeram essa região ser extremamente valorizada e cara. Há praias incríveis nesta ilha, seja em Punta Cana, Baiahibe ou em outras regiões, praias naquele tom de verde marinho caribenho ou azul-turquesa. Se você ainda não estiver satisfeito, vá à Ilha Saona. As grandes atrações dessa ilha são, obviamente, as praias, mas tenham atenção, pois algumas praias de alguns resorts são ruins (considere a grande possibilidade de encontrar boas praias nos resorts, pois praias públicas nessa região são raras). Tive a grande sorte de ficar hospedado de frente para uma praia espetacular em Baiahibe, uma praia caribenha com aquele verde-claro mesclado com azul-turquesa. Vejam, no Google Earth, a faixa de praia do hotel onde vocês se hospedarão, assim é possível ter mais noção sobre as praias. Cuidado com as fotos de sites, pois elas enganam. Valeu MUITO a pena a viagem. Saí de Punta Cana renovado e muito descansado. Recomendo muito essa viagem, há opções para todos os gostos: casais, famílias, amigos e até aqueles que querem viajar sozinhos. Viajei entre junho e julho. A viagem saiu mais em conta, pois não viajei em alta temporada. Fez sol durante toda a minha estadia. Não pensem em viajar para Punta Cana para ter uma experiência, exclusivamente, em função da rotina de resorts. Na verdade, recomendo a todos que paguem um táxi (mesmo que esse serviço seja um roubo) para passar em pelo menos duas áreas conhecidas como praia Macao em Uvero Alto, praia Bávaro... (de ônibus, esse “passeio” é complicado, em função da distância desses locais). Vale a pena também conhecer cidades como Ygues e La romana. Fiz esse percurso de ônibus e não fui assaltado. Não posso inferir se o lugar é violento ou não em função, apenas, da minha experiência, mas acredito que todo local é “perigoso” e devemos ter cuidados, como não querer chamar a atenção ou bancar “o turista”. Eu também sou aventureiro, então, o meu nível de “medo” é diferente das outras pessoas. Eu não me intimido muito em minhas viagens e já estive em lugares ditos “perigosos ou decadentes”. (Antes de escolher Punta Cana, eu havia escolhido uma ilha caribenha próxima à Venezuela, sem resorts, sem nada, mas me alertavam que o país estava tendo vários conflitos internos e que isso poderia comprometer a minha viagem. Nesse caso, fiquei realmente com medo e decidi não conhecer Los Roque, L. OBS: convenhamos que as coisas na Venezuela estão tensas). Se você não gostar muito de resorts, fique em um hotel ou mesmo em um hostel, há boas opções e preços acessíveis. Eu infelizmente não tive essa sorte quando sai dos resorts (mas vale a pena tentar). Ao final da minha viagem, eu não aguentava mais os resorts (nem a comida, nem a superficialidade, tampouco as atividades), então, depois de ficar em três resorts diferentes, fui para um hotel em El cortecito (Green Coast Deluxe - o hotel é bom pelo preço que se paga: 40 dólares, mas é BASTANTE inseguro e a água do local tem cheiro ruim), perto da praia (praia bonita, mas suja e sem estrutura ), o que foi uma experiência interessante rsrs (conheci mercadinhos, praias públicas, outros restaurantes). A comida da República dominicana é bastante variada. Sugiro que os que queiram comer a comida local de verdade, fujam dos restaurantes dos resorts, pois eles não a oferecem “de verdade”. Procurem algumas cidadezinhas como Ygues ou La romana para terem essa experiência. Também sugiro a todos que visitem o supermercado Jumbo, em Baiahibe (próximo de Baiahibe). Cuidado com os táxis na República Dominicana. Vale, realmente, a pena agendar um serviço de transfer do aeroporto para o seu hotel, pois no aeroporto, dificilmente irão cobrar menos de 40 dólares para levá-lo(a) ao seu hotel. Se escolher ficar em Uvero Alto, por exemplo, ou Baiahibe, a viagem de táxi pode custar entre 70 e 150 dólares (um roubo) do aeroporto de Punta Cana. NÃO PEGUEM TÁXI no aeroporto, é um ROUBO! Se vocês forem no guichê da CVC e disserem que compraram passagens aéreas com eles (que saía mais em conta do que em grandes sites de venda de passagens na internet), eles irão levá-lo ao seu hotel por um preço mais amigável do que um táxi. Não digam, no entanto, isso aos taxistas, pois você irá se meter em uma grande confusão (como eu me meti rrsrs). Os taxistas são muito competitivos e NÃO aceitam que o valor de táxi seja “negociado”. Saibam que param ônibus nas portas dos hotéis para levar os funcionários às suas casas, então, você poderá SIM andar de ônibus no local, como foi o meu caso: saí de Punta Cana até Baiahibe de ônibus. Ignorem os taxistas e os funcionários do hotel que irão insistir em você manutencionar o acordo entre aqueles e os resorts. Na verdade, os taxistas trabalham para empresas e ainda pagam parte do percurso que os turistas fazem para o hotel. Ou seja, eles exploram, são explorados e o ciclo de exploração por lá não tem fim. Os resorts não investem no país, estão lá apenas para ganhar em cima dos dominicanos. Disseram-me que pagam bons salários, mas duvido que não tenham feito um estudo local e tenham baseado o salário dos funcionários dominicanos em um pouco mais do que a média dos salários do país e não com base no preço médio dos salários de resorts internacionais. O governo cobra imposto dos resorts, mas esse dinheiro não retorna para as comunidades onde os resorts se instalam. Na verdade, não sei se podemos afirmar que esse dinheiro realmente volta, de fato, para a população, pois há muitos lugares na República Dominicana onde, por exemplo, falta água ou onde há água apenas três vezes por semana. Evitem comprar qualquer coisa nos resorts, pois elas custarão, no mínimo, o dobro do valor original. Certifiquem-se para saber se os resorts realmente são “all inclusive”, pois muitos serviços são para clientes diferenciados, aqueles que possuem pulseiras de identificação nas colorações mais diversas. Converse com os atendentes e com o pessoal da limpeza, eles podem dar-lhes boas dicas e informações mais locais. Se você tiver um blog, como eu, ofereça ao pessoal de relações públicas ou marketing a oportunidade de escrever sobre o hotel em seu blog em troca de um upgrade ou de algum benefício do hotel. Não percam a pulseira de seu resort, pois eles irão cobrar taxas extras caso isso aconteça. As pulseiras garantem o monitoramento dos clientes, além de sua diferenciação para determinadas “áreas”. Não acho que vale a pena fazer um upgrade nesses resorts e tornar-se um cliente diferenciado. No final das contas, talvez você fique de saco cheio do sistema de resorts, mesmo que ele seja um cinco estrelas, pois todos eles possuem a mesma chatice superficial de atendimento e de atividades. No final de minha viagem, estava tão saturado desse sistema de hospedagem que decidi não ficar hospedado em um resort cinco estrelas que havia reservado, decidi sair do sistema de resorts. Digam para todos os vendedores de seu resort ou para qualquer um que lhe parar: NO, GRACIAS e curtam a sua viagem. Cuidado para não perder uma manhã inteira de sua hospedagem em reuniões de vendedores que oferecem brindes. Ofereceram-me várias lembranças nos resorts, mas nada pagaria o meu sossego. Além disso, se você quiser, compre as suas lembranças e pronto. Não vá a essas reuniões de venda para se chatear se você realmente não tiver a intenção de comprar o que eles vendem. Queriam me vender um pacote anual de acesso a uma rede de resorts em vários lugares do mundo, mas eu não tinha o menor interesse, até porque não pretendo voltar tão cedo a me hospedar em um resort. Sobre lembrancinhas e etc. negociem esses valores com os vendedores, pois os preços podem variar em até 900%. Eu paguei 20 dólares em um quadro, mas o valor inicial custava 180 dólares. As pessoas em Punta Cana esbanjam dinheiro, e, por isso, todos “metem a faca”. Se você puder comprar lembranças fora dos hotéis, poderá pagar (se souber negociar) mais barato e terá outras opções. Punta Cana não é local para compras. Se desejar fazer compras no caminho, pare no Panamá por no mínimo 10 horas. (Tenho um relato sobre esse percurso no blog). Não exagerem na comida dos resorts ou no sol, pois isso pode transformar a sua viagem em um martírio. Comi exageradamente no início rsrs e tive desinteira. Para melhorar, passei um dia sem comer tomando água de coco na beira de um mar belíssimo, o que também foi bem legal rsrs (mas...). Abusem de protetor solar. Esqueci de retocar o protetor solar e o resultado foi uma insolação terrível, o pior foi a coceira bizarra que me deu, mas comprei uns produtos que me aliviaram um pouco (solar caine) e (Calamina locion). Hidratantes com Aloe Vera (babosa) são muito eficazes, abusem deles. Algumas atividades nos resorts são legais, como caiaque, o que vale muito a pena para explorar melhora as praias. OBS: todas as fotos deste post foram tiradas em Baiahibe. Boa viagem a todos =). Mais dicas de viagem em andersonhander.wordpress.com
×
×
  • Criar Novo...