Ir para conteúdo

Pesquisar na Comunidade

Mostrando resultados para as tags ''circuito q''.

  • Pesquisar por Tags

    Digite tags separadas por vírgulas
  • Pesquisar por Autor

Tipo de Conteúdo


Fóruns

  • Faça perguntas
    • Perguntas Rápidas
    • Perguntas e Respostas & Roteiros
  • Encontre Companhia para Viajar
    • Companhia para Viajar
  • Envie e leia Relatos de Viagem
    • Relatos de Viagem
  • Planejar e relatar experiências em Trilhas e Travessias
    • Trilhas e Travessias
  • Tire dúvidas e avalie Equipamentos
    • Equipamentos
  • Outros Fóruns
    • Demais Fóruns

Encontrar resultados em...

Encontrar resultados que contenham...


Data de Criação

  • Início

    FIM


Data de Atualização

  • Início

    FIM


Filtrar pelo número de...

Data de Registro

  • Início

    FIM


Grupo


Sobre mim


Ocupação


Próximo Destino

Encontrado 1 registro

  1. Salve Salve Pessoal! Gostaria de compartilhar com vocês o dia a dia de um dos trekkings mais incríveis que se pode fazer pela América do Sul! O circuito Q do Parque Torres Del Paine, na Patagônia Chilena! Até porque me sinto moralmente obrigado a ajudar o mínimo que seja no planejamento da viagem dos próximos aventureiros (que fique registrado, 99% das informações, dicas e sugestões para essa trip eu colhi desse site, daqueles que de forma tão gratuita dispuseram de seu tempo para compartilhar experiências conosco e auxiliar novos desbravadores! Valeu senhores! ). O ROTEIRO Muita gente fala sobre o circuito W ou comenta sobre o circuito O do Parque... Mas o que pouca gente sabe é que o circuito original do Parque é o Q! Ele começa na ponta sul de Torres del Paine e segue para o norte, ignorando o trek' W ' por exemplo. Na verdade ele incorpora o 'W' e o “O”, permitindo que se caminhe não só pelo lado sul do Parque como circunde o lado norte. E digo para os senhores... É lá que você experimenta a verdadeira beleza, paz e a serenidade que a natureza indescritível daquele lugar oferece . Com muito menos trekkers e nenhum “caminhantes de apenas um dia” ao redor, é possível ter uma experiência genuína com o seu “eu interior” rsrsrs. Acampar é uma obrigação nos refúgios mais isolados e o tempo de fato se mostra um fator decisivo nessa aventura! Nesse circuito o viajante encontrará falésias, muuitas fontes de água, ventos fortíssimos, bosques encantadores, pradarias exuberantes, montes nevados... Sem contar na experiência mágica de subir o íngreme John Gardner Pass. Enfim, tudo isso contribuiu e muito para que esse trekking se tornasse tão desafiador e gratificante. Espero que gostem e como eu falei no início... Que de alguma forma esse relato auxilie algum mochileiro que esteja navegando pelo fórum em busca de aventura pelas terras encantadas da região de Magallanes. Segue o detalhamento dos dias: 16/03 - Vitória X São Paulo X Santiago 17/03 - Santiago X Punta Arenas X Puerto Natales 18/03 - 1º dia: Sede Administrativa X Acamp. Paine Grande ((PÁGINA 01)) 19/03 - 2º dia: Acamp. Paine Grande X Acamp. Italiano ((PÁGINA 02)) 20/03 - 3º dia: Acamp. Italiano X Acamp. Torres ((PÁGINA 02)) 21/03 - 4º dia: Acamp. Torres X Acamp. Serón ((PÁGINA 02)) 22/03 - 5º dia: Acamp. Serón X Acamp. Dickson ((PÁGINA 02)) 23/03 - 6º dia: Acamp. Dickson X Refúgio Los Perros ((PÁGINA 03)) 24/03 - 7º dia: Refúgio Los Perros X Refúgio Grey ((PÁGINA 02)) ãã2::'> 25/03 - 8º dia: Refúgio Grey X Acamp. Paine Grande 26/03 - Puerto Natales X Punta Arenas X Santiago 27/03 - Santiago 28/03 - Santiago 29/03 - Santiago X São Paulo 30/03 - São Paulo X Vitória EQUIPAMENTOS 1 Casaco 3 em 1 da Decathlon; 1 Fleece da Decathlon; 1 conjunto de segunda pele da Wed’ze (comprada também na Decathlon); 1 capa de chuva do tipo “poncho”(comprada advinha aonde? ) ; 3 camisas (recomendo as do tipo dry fit); 2 calças de trekking (uma repelente à água e outra impermeável) 2 pares de meia de lã (evite as de algodão); 3 pares de meia para Trekking; 2 pares de luva (um para ser usado como segunda pele e um par impermeável); 1 gorro de lã; 1 boné (muito útil para proteger do sol e do vento); 1 Bota impermeável; 1 chinelo do tipo “havaianas” 1 óculos de sol (importantíssimo!!); 1 mochila cargueira de 60litros; 1 mochila de ataque* (É MUITO importante uma mochila de ataque nesse tipo de trekking. Isso evita carregar peso desnecessário em diversos momentos); Fita nexcare 3M para os calcanhares, dedos e afins; Papel higiênico; Lenços Umedecidos; 2 Lanternas (uma de mão e outra de cabeça); Bepantol; 1 kit de remédios (p. enjoo, dores musculares, gripe, etc) Protetor solar; Toalha de secagem rápida; Canivete; Repelente; Fósforos; squeeze de água (+/- 1litro); Máquina fotográfica, cartões de memória, etc. 1 câmera do tipo “gopro”; 1 saco de dormir (5ºC); 1 isolante térmico; 1 par de bastões de caminhada (FUNDAMENTAIS!!! Não deixe de levá-los! Seus joelhos agradecerão muuuuito); 2 mini botijões de gás para camping; 1 panelinha para camping; 1 fogareiro para.... camping! Mas vamos ao relato... Nosso roteiro para os dois primeiros dias foram bem entediantes: sairíamos de Vitória (VIX) às 9h42min e chegaríamos a São Paulo (GRU) às 11h20min. De lá tomaríamos um “chá de cadeira” e partiríamos para Santiago só às 18h50min, com previsão de chegada às 23h10min. Em Santiago, pegaríamos um voo para Punta Arenas, cujo embarque estava previsto para às 02h. Já em Punta Arenas (por volta das 05h25min), embarcaríamos numa van (pode ser também num taxi) que nos levaria ao Centro da cidade. De lá pegaríamos um ônibus numa dessas empresas (http://www.busespacheco.com/rutas.htm , http://www.busesfernandez.com/ ou http://www.bussur.com/opensite/ )para Puerto Natales (+ 3h de viagem) . Fomos pela busesfernandez simplesmente por conta do horário em que o ônibus sairia (comodidade). Não vimos diferenças significantes no tipo do ônibus ou coisa assim e não tivemos problema algum durante a viagem, só sugiro estarem prontos para o embarque pelo menos 20 min antes... Chegamos em Puerto Natales por volta das 16h e já compramos as passagens para o Parque com saída prevista para às 7h do dia seguinte (sugiro que façam isso tão logo cheguem na cidade, é mais barato do que com as agencias de viagens do Centro e vocês ficam tranquilo sabendo que a ida para Torres está garantida). Fomos para o hostel que havíamos reservado pelo booking chamado Casa Cecilia (Um dos poucos que oferece um serviço de café da manhã completo e que tem parceria com empresas de ônibus que te levam de manhã para a rodoviária!) e depois resolvemos andar pela cidade em busca de suprimentos. Fora a comida liofilizada que trouxemos do Brasil (http://www.liofoods.com.br/), eis a nossa lista: 8 rações de comida liofilizadas (uma por dia, ingeridas no café da manhã... Eu sei, é estranho no começo mas depois você acostuma!) 4 pacotes de sopa instantânea 4 pacotes de miojo 8 pacotinhos contendo um mix de sementes e frutas cristalizadas que você encontra facilmente no Centro da cidade 8 sachês de carboidrato em gel 8 barrinhas de cereal 8 barrinhas de proteína Café solúvel 2 pacotes de biscoito recheados (porque ninguém é de ferro) 6 pães com queijo que ao longo dos dias foram ficando deliciosos (e duros como uma pedra) Equipamentos conferidos, mochila pronta, adrenalina a mil.... era o momento de relaxar e acumular gordura para aventura! Nossa escolha? Lomito´s (https://www.tripadvisor.com.br/Restaurant_Review-g297401-d1069980-Reviews-Lomit_s-Punta_Arenas_Magallanes_Region.html) Como não sou nenhum crítico de gastronomia me atrevo a dizer apenas que estava tudo muito bom! Na minha opinião valeu a pena! Comemos muito e nem pagamos tanto! (um prato para dois saiu por menos de 50 reais ). Alimentados, hora de dormir porque nossa jornada estava apenas começando! Haja coração! No próximo post... O início da aventura que mudaria o modo como encaramos o mundo, as pessoas e a natureza! Até lá!
×
×
  • Criar Novo...