Ir para conteúdo

Pesquisar na Comunidade

Mostrando resultados para as tags ''joanópolis''.



Mais opções de pesquisa

  • Pesquisar por Tags

    Digite tags separadas por vírgulas
  • Pesquisar por Autor

Tipo de Conteúdo


Mochileiros.com

  • Perguntas e Respostas
    • Perguntas Rápidas
    • Perguntas e Respostas & Roteiros
    • Cupons de Desconto
  • Relatos de Viagem
    • Relatos de Viagem
  • Companhia para Viajar
  • Equipamentos
  • Trilhas e Travessias
  • Nomadismo e Mochilão roots
  • Outras Formas de Viajar
  • Outros Fóruns

Encontrar resultados em...

Encontrar resultados que...


Data de Criação

  • Início

    FIM


Data de Atualização

  • Início

    FIM


Filtrar pelo número de...

Data de Registro

  • Início

    FIM


Grupo


Sobre mim


Ocupação


Próximo Destino

Encontrado 3 registros

  1. Aproveitando o final do mês de outubro, nós decidimos realizar a famosa travessia entre Extrema-MG e Joanópolis-SP. Seria o batismo da Patrícia no mundo das trilhas e eu estava encarregado de guiá-la sã e salva por entre os perigos da floresta. Antes de mais nada somente recomendo esse percurso pra quem já tem experiência com trilhas já que não há placas indicando o caminho e é muito fácil se perder por lá. Além disso o clima é bastante instável e o que é aparentemente um lindo dia ensolarado pode virar uma poderosa tempestade. Nós chegamos em Extrema-MG de carro às 10h da manhã. Estacionamos perto da rodoviária e deixamos o carro por lá. Após conseguirmos algumas informações do começo dela com os locais, colocamos o pé na estrada, ou melhor, na trilha. Da rodoviária até o começo dela são apenas 15 minutos. Basta perguntar onde é a trilha da pedra do sapo e as pessoas te indicarão o caminho. A única placa da trilha está justamente no começo dela e depois não há mais nada. Mais 20 minutos de caminhada e vocês devem chegar na biquinha, um pocinho com um cano no fundo por onde a água sai. Na verdade nós chegamos a um terreno cercado e então seguimos pela direita beirando a cerca e logo adiante foi possível ver a trilha principal. Ao descermos 30 segundos de volta pela trilha achamos a tal biquinha. Então voltamos e subimos em frente. Mais 15 minutos e nós chegamos ao que aparentemente era um reservatório de água, talvez fosse o bicão, talvez não. Não havia água por lá, apenas canos e caixas d’água quebradas. Seguimos então morro acima por uma trilha que aparece à direita desse “bicão”. A subida é bem íngrime e a Paty patinou um pouco hehe. A trilha vai fechando e não é a principal, mas nós seguimos por ela e em mais 20 minutos chegamos a um cruzamento de trilhas. Pela direita, uma trilha bem batida que era provavelmente a principal, pela esquerda talvez uma continuação de trilha, porém mais fechada e em frente a trilha que vai dar na torre da Embratel e no morro dos Cabritos. Se você veio pela principal, então deve subir à direita nesse cruzamento, e se pegou a alternativa, é só subir em frente. Nós ficamos em dúvida se estávamos certos, porém após minutos de indecisão, seguimos em frente. Em 20 minutos, chegamos a uma clareira com uma pedra enorme na frente. Traços de acampamentos recentes e fogueiras nos indicaram que aquele era o caminho certo. Subimos à direita e continuamos a trilha. Andamos por 20 minutos até nos depararmos com um regato de água entre duas pedras. Se você seguir em frente, irá em direção ao morro dos cabritos. Ao invés de seguir em frente, nós pegamos à direita antes desse córrego e logo em seguida à esquerda. A trilha é bem batida e é só continuar por ela. Ela vai subindo, porém tem uma leve descida já no final. Após quase 30 minutos avistamos à famosa torre da Embratel. Comemoramos e comemos alguns morangos silvestres que nasciam por lá. Então contornarmos a torre e saímos na estrada das pousadas. Dali basta seguir pela estrada até o trevo e de lá subir por 30 min em direção à rampa de Voo Livre e Pedra do Cume ou Pico do Lopo. Porém uma tempestade estava se formando e nos pegou no meio da estrada. De repente um carro apareceu no meio da chuva e nos ofereceu carona até o topo. Nós fomos no porta-malas do corsinha, já que havia cinco pessoas dentro dele. Foi bem divertido. Em cinco minutos chegamos ao topo e a chuva gelada congelava a gente. Nos abrigamos atrás de uma pedra, porém a tempestade não passou. Eram 17h e tínhamos que procurar um lugar para acampar. 30 segundos antes do Pico do Lopo, uma entradinha do mesmo lado dele nos levou até uma clareira na qual colocamos a barraca. Já dentro da barraca ou do barraco hehe, nos secamos. Cozinhamos um macarrão integral com azeitonas, cenouras e tomates e dormimos. Estávamos super cansados e o dia seguinte seria longo. O som da chuva e da mata é maravilhoso e relaxa até os mortais mais estressados. Dormimos 12 horas seguidas e acordamos com um lindo sol e uma vista encantadora. Após fotos, meditações, deslumbres, arrumamos as coisas e voltamos até o trevo. De lá seguimos em direção à Joanópolis. A estrada passa por várias pousadas. Após quase uma hora chegamos a uma bifurcação. Pegamos à direita seguindo uma seta azul e logo chegamos a uma casa. Não havia ninguém, apenas três cães e uma família de porcos com dois bebês lindos. Nós fomos até a lavanderia para pegar água e eles nos encurralaram lá dentro. A mãe e o pai não estavam muito felizes com a nossa presença e nós tivemos que espantá-los senão eles nos atacariam hehe. Saimos do terreno e seguimos pela trilha imediatamente à esquerda dela. Mais a frente a trilha vai afinando até chegar a um terreno pedregoso. Dessa vez um bode e uma cabra estavam protegendo o lugar. Era a entrada de outra pousada. A Paty pensou em voltar, mas eu conferi no GPS e para cortar caminho, nós teríamos que cruzar essa pousada e pegar a estrada do outro lado dela para seguir em frente. Porém o bode também não estava feliz com a nossa presença e veio em nossa direção para desespero da Paty. Nós pegamos os bastões de caminhada e ensaiamos uma possível luta. Eu recuei um pouco e eles pararam. Então nós os atraímos para fora da entrada da pousada para então conseguir cruzá-la. Porém eles não desistiram tão fácil e começaram a nos perseguir estrada abaixo. Nós batíamos os bastões nas pedras e gritávamos para tentar afugentá-los, a cena era bizarra hehe. Finalmente a cabra recuou, após alguns gritos de apavoro da Paty e logo em seguida o bode também. Chegamos então à entrada principal da pousada. Não havia ninguém nem mesmo cachorros para nossa alegria. Depois de porcos e bodes, nós estávamos preparados para tudo hehe. Chegamos até a outra entrada e de lá a uma estrada larga que seguia em frente. Após uma hora e meia de caminhada passando por diversas pousadas e uma tempestade chegamos até a rodovia. Missão quase cumprida, pegamos então uma carona e dois ônibus de volta à Extrema. Comemoramos o sucesso da trilha e o batismo da Paty na padaria do Gordo bebendo um delicioso café com leite e comendo um pãozinho de alho fantástico. Existem diversos caminhos do Pico do Lopo até Joanópolis, nós levamos apenas duas horas e meia até a rodovia e saímos a 7 kms da cidade. Pela estrada principal, leva-se mais tempo, porém não é preciso enfrentar animais pelo caminho. Lucas Ramalho
  2. Joanópolis é uma simpática e adorável cidade limítrofe entre SP e MG, aproximadamente uns 115 Km da capital. Conheci a "Estância Turística" em 2010, no feriado de 7 de setembro. Berço da Cachoeira dos Pretos, uma das maiores do ESTADO DE SÃO PAULO. A cidade parece não gostar muito ou não estar nem aí para o posto de ESTÃNCIA TURÍSTICA. O posto de informações ao turista está sendo "construido" faz quase 3 anos. No centro você não encontrada nada, informação alguma, exceto uma placa indicando o caminho para a cachoeira. Só. Quando fui em 2010 a 'empresa' de ônibus atendia a linha até a cachoeira diariamente. Mesmo que o horário não colaborasse (eles partiam somente às 16 horas, você passava a tarde toda moscando pela cidade) pelo menos era um apoio pro turista que não tem ou não quer ir dirigindo até lá. Numa segunda vez, fui informado que as linhas estavam atendendo somente 2 dias da semana: às sextas e terças. Neste caso eu fiquei no camping o final de semana todo e tive que matar a segunda feira. E acreditem, o ônibus da terça-feira NÃO PASSOU. Consegui uma carona e me safei. Quando voltei pra SP postei uma denûncia enorme no mural da página do Facebook da Cidade e até me responderam, dizendo que estava estudando os horários, demanda etc e que tudo se resolveira. Legal! Em dezembro decidi ir pra lá passar meu aniversário acampando. Liguei para a prefeitura e pedi informações sobre as linhas, a garota pelo telefone me deu os horários. Saí na fé. Esperei até mais ou menos a hora da saída e quando cheguei no ponto, um senhor pasteleiro que já me conhecia de tanto ir pra lá veio me dizendo "tu vai pra onde? "vou pra cachoeira" - "mas hoje não tem onibus". Então fiquei pensando - o pasteleiro deve estar enganado. PIOR QUE NÃO! Esperei até a hora marcada e não existia o tal ônibus! Fui pessoalmente na prefeitura e fui atendido por alguém que me disse que tinha o "papel errado" e ligou pra "empresa" de õnibus perguntando da tal linha. O tal atendente da empresa "trollou" a menina da prefeitura falando que tinha, mas quando eu voltei pro ponto e esperei mais meia hora, liguei EU MESMO pra empresa e o atendente, um homem extremamente rude e sem educação me disse "Hoje não tem onibus não, vai de a pé". (SIC). Voltei na prefeitura, contei o ocorrido e então com cara de tacho, a garota me disse "Sabe o que é, a gente não controla isso, o ônibus não é nosso, a gente sõ faz propaganda". É pra rir! Duas casa abaixo, uma delegacia. Entrei e conversei com o delegado que me deu um puta apoio, criatura educada, prestastiva e mesmo estando perto do horário de ir embora me ajudou e fez meu B.O. e ainda me explicou como podia fazer pra voltar pra SP ainda aquele dia pois eu perdi tanto tempo indo pra cima e pra baixo que não tinha mais onibus pra SP. Agora, caros amigos viajantes, como uma cidade que se diz "ESTÂNCIA TURÍSTICA" não tem dinheiro pra manter UMA BENDITA LINHA DE ÔNIBUS? E a tal conversinha de "sustentabilidade"? Pra viajar eu sou obrigado a ir de carro? O turista "POBRE" ou que não gosta de dirigir ou simplesmente NÃO QUER, NAO CONSEGUE VISITAR UMA DAS MAIORES CACHOEIRAS DO ESTADO MAIS RICO DA FEDERAÇÃO? Que raio de cidade "turística" é essa que tem uma linha de ônibus que não tem fiscalização, que manda e desmanda nos horários? Pelo que sei, uma empresa só pode prestar serviços públicos se passarem por licitação e se não cumprirem certos "requisitos" podem ter seu contrato cancelado. Será que a prefeitura de Joanópolis tem TANTO trabalho que não pode fiscalizar o sistema de transporte da ENORME Joanopolis? Soube, através do pasteleiro (vejam só) que existe um disputa política, alguém que é ex-prefeito que é dono da empresa de transporte e coisa pior. Imaginem que baderna que este povo faz com o NOSSO dinheiro pelas cidades do interior pelo nosso estado e país? Agora, na vizinha Monte Verde a coisa é diferente: ônibus quase de hora em hora, mapas, placas, passeios auto-guiados......será que é falta de vontade política, safadeza ou falta alguém reclamar? Triste, pois a cidade é encantadora, a cachoeira é fabulosa e pessoal da APA são gentis assim como o povo do camping do Zé Roque e a Cris dos Chalés. NOTA ZERO pra prefeitura de Joanópolis. NOTA ZERO pra AD-TUR, a tal "empresa" de ônibus. NOTA ZERO!
  3. olá galera vou dividir com vocês um lugar que para mim é mágico um pequeno paraÍso distante apenas 140 KM de sp. uma queda de 154 M que no fim forma uma ilha com um rio de cada lado, um lugar de paz e tranquilidade o povo é simples muito simpático e prestativo no local é possivel praticar boia cross, andar a cavalos e passeio de jipe. já fui 3 veses e logo irei novamente com certeza a atração principal do lugar é a própria cachoeira dos pretos. DO CAMPING o CAMPING DO ZÉ ROQUE que é o único no local e é simplesmente perfeito tudo simples mas bem limpo e organizado. o camping conta com fogão a lenha queimando o dia todo, pois os chuveiros são a lenha também ( SERPENTINA) muito bons tipo chuveiro a gás com misturadores de agua fria e quente ( é logico) possui vários banheiros uns 10 todos limpos e organizados, no próprio camping tem para vender gelo e carvão e proximo a entrada da fazenda tem um quiosque que vende o tipico queijo mineiro ( é que estamos bem próximo a minas gerais ) um vinho artesanal muito bom, e na estrada que liga a rodovia fernão dias a joanópolis próximo ao camping tem um bar misturado com mercearia que vende o básico arroz, feijão, café,ovos (caipira),sal, bom como é de praxe sempre esquecemos algo. Conta com pontos de luz (220v acredito que não tenha 110v) e o próprio camping empresta sem custo churrasqueiras bom o local onde se lava louças é um só ás vezes tem de esperar desocupar para fazer uso do mesmo, mais coisa normal. referente a valores na ultima vez que fui foi no final de 2011 estavão cobrando R$10,00 (dez reais) por pessoa no camping bom se refletirmos este valor não paga nem a lenha que gastamos e pelo atendimento, educação e prestatividade, na minha humilde apinião muito barato. DO PROBLEMA na segunda vez que fui acampar no local era feriado prolongado de 15 de novembro até aí maravilhoso.. com o carro carregado na fernão dias sentido minas gerais era perto das 06:30 da manhã ( é lógico se é 06:30 só pode ser da manhã) bom chegando ao local montamos a barraca ao lado do rio que passa dentro do camping numa parte um pouco mais alta do solo e plana ..... Bom no final da tarde do mesmo dia choveu... choveu muuuiittoooo e ao nosso redor inundou umas 10 barracas o pessoal debaixo da chuva desmontando barracas mudando de lugar meu vizinho gritando querendo um martelo e eu resolvi ser prestativo, a agua não poupou ninguém gordo, magro, pobre, rico, idoso criança é pessoal a parte de baixo é complicada um conselho aos amigos, se tem previsão de chuva monta a barraca na parte de cima não ao lado do rio na parte de baixo fora este detalhe, más achei importante destacar pois muito chato você com o pessoal e a barraca cheia de agua molhando colchão, mochila e tudo mais ..... fora este, o camping é perfeito .............................. bom vamos lá ... O PORTAL DA CIDADE... DA ESTRADA JÁ SE AVISTA A QUEDA... DESTA VEZ MONTAMOS A BARRACA AO LADO DO RIO... JÁ NESTA 3º VEZ MONTAMOS NA PARTE DE CIMA PARA EVITAR O PROBLEMA JÁ CITADO E PARA FICAR PRÓXIMO AOS BANHEIROS E PIA ( A MINHA BARACA É A MAIOR A OUTRA PARECE BARRACA PARA CACHORRO)... VISTA DO CAMPING... EU E A CORRENTEZA MUITO FORTE... SUBIMOS ATÉ O TOPO DA QUEDA MAIOR DE 154M ANTES DELA TEM OUTRA CACHOEIRA SUBIMOS PRIMEIRO A PÉ PELA ESTRADINHA DE TERRA CHEGANDO LÁ ESTAVA TRANCADO COM CADEADO POIS FICAMOS SABENDO DAS MORTES JÁ OCORRIDAS POR ACIDENTES DE PESSOAS QUE ESCORREGARÃO NAS PEDRAS E CAIRÃO DE 154M DE ALTURA E JÁ SOMAVA 18 ÓBITOS E POR ISSO FOI PROIBIDO O ACESSO SÓ PODE IR COM MONITOR AGREGADO AO PESSEIO DE JIPE COISA DE R$ 15,00 POR PESSOA... AQUI 1º QUEDA NO TOPO DA CACHOEIRA DOS PRETOS... ACIMA DA QUEDA OBSERVE AS PESSOAS LÁ EM BAIXO MUITO ALTO.. EU AS PEDRAS E A QUEDA AO FUNDO. HORA DO ALMOÇO BOM SOU APAIXONADO POR FOGÃO A LENHA A SENHORA MINHA MÃE CONTA QUE A BRASA RESULTANTE DA QUEIMA ERA COLOCADO NO FERRO DE PASSAR ROUPAS ... OO MARAVILHA PREPARANDO O CAFÉ DA MANHÃ... VAI CHEGANDO A TARDE E O SONO TMB ... PESSOAS OBSERVANDO O VOLUME DE ÁGUA QUE DESCE DA MONTANHA... CHURRASCO NO FOGÃO A LENHA ESTA É NOVA... E FAZ POSE ... COMO O CAMPING ESTÁ SITUADO DENTRO DE UMA FAZENDA ... VISITANTE NOTURNO... RESUMO pessoal é isso ... Para se chegar a joanópolis de sp, siga pela rodovia fernão dias sentido minas gerais após passar o segundo pedágio ( visto que os pedágios não passa de R$3,00) mantenha a direita observe a placa indicando a saida para joanópolis segue pela saida e siga sentido joanópolis pela serrinha por + ou- 20 km você passará por dentro da cidade segue por mais 20 km observe as placas sentido cachoeira dos pretos....... guardo um carinho imenso por este lugar e pelas pessoas do campíng e do comércio local me lembro que comprei ovos caipira no bar da estradinha e que o senhor do pequeno bar pegou um por um e disse se você colocar para chocar este nascerá uma macho este uma fêmea até terminar a dúzia de ovos, pessoas de roupa simples mas de um coração imenso pessoas que pedem carona na estrada sem conhecer o condutor do veiculo pessoas que são donas de fazendas que valem MILHÕES E QUE USÃO ROUPAS RASGADAS se fosse em sp ah é vagabundo é mendingo não te dão o minimo de crédito( desculpe o desabafo) na ilha da cachoeira existe uma praça e tem restaurantes que servem comida preparada no fogão a lenha com preço popular do lado direito sentido a cachoeira tem uma loja que vende doces caseiros, um jovem muito educado os preços são populares a geléia de goiaba é ótima e também a de morango ele é quem vende o queijo melhor e mais barato do local, queijo fresco e meia cura a loja fica ao lado da loja de artesanatos ... pessoal é isso me desculpe algum erro de digitação e agradeço o espaço para compartilharmos os lugares que fazem parte de nossas vidas.............
×
×
  • Criar Novo...