Ir para conteúdo

Busca por padre que decolou em vôo de balões é intensificada


ogum777

Posts Recomendados

  • Membros de Honra

é, tudo isso só reforça a minha opinião:

 

1. o padre era um desequilibrado.

2. os superiores fecharam os olhos a isso.

3. o padre entrou numa fase maníaca com delírios de grandeza e etc.

4. um monte de abobados o roderaram, acreditando no "milagre".

5. a tragédia aconteceu com todos os detalhes da temperatura, desorientação e etc.

6. os abobados recusaram-se a acreditar nas bobeiras (entrando no mato, pisando em cobra, pegando facão pelo fio, e sabe-se mais que tipo de besteira).

7. e deus protege os abobados, pq de todos, parece que só o padre morreu, quando a tragédia poderia ser maior, quanto tanto abobado indo sozinho pro mato sob as orientações de outro delirante que fica gritando "quente! frio!" pelo celular.

 

depois o doido sou eu pq prefiro viajar de mochila. :evil:

Link para o comentário
  • 1 mês depois...
  • Respostas 32
  • Criado
  • Última resposta
  • Membros de Honra

Agencia Estado - 4/7/2008 14:23

Achado no Rio corpo de padre que desapareceu em SC

O corpo do padre Adelir Antônio de Carli, que desapareceu em 20 de abril no Paraná tentando bater o recorde de vôo usando balões de festa, foi encontrado ontem a 100 quilômetros da costa de Maricá, no Rio de Janeiro, por um rebocador a serviço da Petrobras, informou a companhia hoje. O padre tinha saído da cidade de Paranaguá, no Paraná, com o objetivo de pousar em Dourados, no Mato Grosso do Sul. Porém, os ventos teriam desviado o padre de seu percurso, levando-o para o mar.

 

 

O rebocador Anna Gabriela encontrou o corpo por volta das 16h de ontem no mar, ainda com aparatos de vôo, e chegou de madrugada à cidade de Macaé, também no Rio, onde o corpo foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) local.

Link para o comentário
  • Membros de Honra

04/07/2008 - 16h30 - folha de são paulo

Pai de padre Carli viaja ao Rio para fazer exame de DNA

da Folha Online

 

Aurélio de Carli, 65, pai do padre Adelir Antônio de Carli, desaparecido desde o dia 20 de abril, viajará do Paraná ao Rio ainda neste fim de semana para fornecer o material que será utilizado no exame de DNA que identificará se os vestígios de um corpo encontrado em alto-mar são do pároco.

 

O Instituto Médico Legal de Macaé (RJ) informou que realizará o exame em parte de um corpo encontrado na tarde de quinta-feira (3) a 100 km da costa de Maricá. Há suspeitas de que o corpo seja do padre. Ele desapareceu enquanto tentava bater um recorde ao voar preso a balões de gás hélio.

 

Carli planejava ir de Paranaguá (litoral do Paraná) até Ponta Grossa. Os ventos e o mau tempo, no entanto, acabaram desviando Carli à costa catarinense.

 

Segundo um primo do padre, Sérgio, a família está emocionalmente abalada. Ele confirmou que o pai do pároco irá até o Rio com a finalidade de participar do exame.

 

Parte do corpo localizado ontem --do quadril para baixo-- foi resgatado por um navio rebocador que prestava serviço à Petrobras. A empresa não detalhou o tipo de roupa que a vítima usava.

 

Os restos mortais foram deixados às 3h20 desta sexta-feira no IML (Instituto Médico Legal) de Macaé, base mais próxima da empresa em terra firme, segundo a Petrobras.

 

Despojos

 

Segundo o médico Paulo Augusto Alves, chefe do IML de Macaé, o corpo passará por exame no Instituto de Genética Forense, no Rio.

 

Ele disse não ser possível identificar que tipo de roupa foi encontrada, pois ela já está em estado avançado de decomposição. "O que temos por ora são fragmentos e os pedaços de tecidos encontrados não têm relevância. O que pudemos perceber em exame preliminar é que o corpo estava há bastante tempo nas águas e se trata de um homem", afirmou.

 

A parte do corpo encontrada ficará custodiada no IML de Macaé até identificação. O exame de DNA deve ficar concluído em 30 dias, segundo Alves.

 

O caso foi registrado no 123º Distrito de Polícia Civil de Macaé. Segundo a Polícia Civil, o registro do boletim de ocorrência é de encontro de vestígios humanos, uma vez que ainda não é possível identificá-lo.

 

Repercussão

 

A notícia do encontro do vestígio e da possibilidade dele pertencer ao padre abalou religiosos de Paranaguá e de bombeiros de Penha.

 

Ernesto Lauro Klein, que participava das obras realizadas por de Carli na Pastoral do Caminhoneiro, em Paranaguá, informou que os religiosos estão abalados. Segundo disse, se confirmando que os vestígios são do padre, uma missa será realizada. 'Tínhamos sim a esperança de que ele ainda voltasse. Mas parece que é ele [padre]', disse Klein.

 

O comandante do Corpo de Bombeiros voluntários de Penha, Johny Eurico Coelho, afirmou que o clima no município é de tristeza. Os bombeiros voluntários foram os últimos a encerrar os resgates e as buscas pelo padre.

/////////////////////

agora o meu comentário. ainda acho que esse padre sofria de distúrbios mentais sérios. e o povo do "entorno" dele fechou os olhos para isso.

Link para o comentário

Arquivado

Este tópico foi arquivado e está fechado para novas respostas.

Visitante
Este tópico está impedido de receber novos posts.

×
×
  • Criar Novo...