Ir para conteúdo

Argentina e Chile com crianças


Posts Recomendados

  • Membros

Prezados companheiros,

 

Com ajuda de vocês, fiz uma viagem de 15 dias pela Argentina (Buenos Aires) e Chile (Santiago/Pucón/Puerto Varas).

Os trajetos de ida e volta e entre os países foram aéreos.

Como já conhecia bem Santiago e Buenos Aires e estava com duas crianças de diferentes idades (16 e 5), procurei ficar em Aparts e Cabanas, onde dispusesse de recursos para cozinhar e ficar mais a vontade.

Permaneci quatro dias em Buenos Aires, tendo ficado hospedado no Cordoba 860. O Apart é bem localizado e os flats são bem dispostos e com custo razoável. Os únicos inconvenientes são a inexistência de hall de entrada no térreo (a recepção fica no 1o. andar) e elevadores diminutos. Para quem vem com pouca bagagem (o que não foi meu caso), não se trata de problema algum, porém como vim com uma quantidade de bagagem anormal tive muita dificuldade para transporte. O tranporte normal com um Remis pela Tienda de León que sairia por cerca de 90 pesos, acabou saindo por 150 pesos, pois tive que reservar um automóvel tipo Berlingo, diante da quantidade de malas. Em função disso, há enorme dificuldade no transporte das bagagens até os flats, diante da inexistência de pessoal de suporte. Tive inclusive um furto de uma mochila no meu desembarque do hotel e tomada de táxi para o aeroporto. Como a maioria já sabe, o centro de Buenos Aires é tomado por quadrilhas de bandidos que ajem em grupos, aproveitando-se de momentos de distração. Não se trata de ações a mão armada, apenas batedores de carteiras e furtadores de bagagens. Quanto mais bagagens tiver e mais coisas portar, maior é o risco. Todo cuidado é pouco. Na ida para o aeroporto, tomei um táxi comum tipo Berlingo e paguei na volta somente 78 pesos (lembrar que um dólar valia 3 pesos).

Chegando no Chile, já tinha decidido e reservado um carro pela Transbetel (dica daqui). O Jaco é meio enrolado, mas seu preço é o melhor mesmo. O automóvel foi entregue no hotel no meu terceiro dia no Chile conforme minha solicitação. O Jacó prometeu renovar sua frota em setembro, pois seus carros já estão um pouco rodados. De qualquer forma, não tive problema algum em rodar no Chile, percorri mais de 3000 quilômetros em uma semana sem problema algum. Aconselho já reservar no aeroporto e dispensar tranfers, táxi e passeios com agências, pois os custos são elevados. Como idéia, paguei algo como 40 dólares diários e só um city tour de 3 horas em Santiago custa o equivalente a 37 dólares. As estradas chilenas são excelentes e o custo do pedágio (cerca de 3 dólares e meio) é compatível com o pago no Brasil. Para se ter uma idéia, para percorrer a distância entre Puerto Varas e Santiago (aproximadamente 1.100 quilômetros), pagam-se 11 pedágios, sendo 6 de 1.800 pesos e 5 de 1.700 pesos. Quanto ao câmbio, aconselho não cambiar no aeroporto. Pague o automóvel em dólares e só precisará cambiar em Santiago mesmo. No aeroporto estavam pagando 470 pesos por dólar e no centro pagavam 485 pesos. Eu praticamente não utilizei dólares, retirando dinheiro da minha conta do Santander no Brasil. O valor pago pelas transações era único, daí ser mais vantajoso fazer o mínimo de retiradas possível. O valor é descontado da conta utilizando o câmbio oficial (cotado em 1,58 reais o dólar).

Para crianças, sugiro o Museu del Niño, no Shopping Abasto em Buenos Aires (estação Carlos Gardel do Metrô) e ou o zoológico de Buenos Aires ou de Santiago. Fui no de Santiago num dia de feriado e o zoológico estava lotado, porém foi um dos locais que mais agradou minha filha pequena. Várias espécies são inexistentes nos zoológicos brasileiros. No shopping Abasto, citado acima, tem ótimos contadores de estória e minha filha brincou normalmente com as crianças portenhas.

Voltando a falar em Santiago, fiquei hospedado no Time Suites, em Las Condes. Em verdade, as reservas que fiz nos aparts de Buenos Aires e Santiago foram feitas por agências, acabando reservando instalações bastante superiores às minhas necessidades, e com isso o custo foi altíssimo. Em Santiago, paguei mais de 200 dólares, e buscando na net você encontraria aparts na região de Providencia ou Las Condes por cerca de 120. De qualquer forma, foi um excelente local.

Em Pucón fiquei na cabana Los Tronkitos (dica daqui), e salto a falta do café da manhã e um aquecimento de água deficiente, atendeu nossas expectativas. O Jaime Valderrama, proprietário do local, não chegou a oferecer qualquer tipo de passeio, o que não me fez falta, pois fiz tudo com meu carro alugado, inclusive ido a Termas e Estação de esqui, mesmo com neve, sem qualquer problema. O carro é realmente um diferencial, que traz uma série de facilidades. Os locais são bem sinalizados e fáceis de serem acessados. Sugiro que se peça assim que se chegue aos aeroportos um mapa rodoviários dos países, gratuitos e disponíveis nas agências de turismo oficiais.

Em Puerto Varas, fiquei no hotel Los Alerces. Tinha acertado pela Net um quarto triplo no hotel por 59.000 pesos diários, porém chegando lá troquei por uma cabana de 3 quartos pagando 50.000 pesos. Outra coisa que me facilitou bastante foi ter levado um notebook com o Skype instalado. É importante verficar que o hotel ou cabana possui Wi Fi, de preferência gratuito. Das quatro hospedagens que fiz, em Santiago era cobrado e em Puerto Varas não atingia as cabanas, tendo que me dirigir para o hotel em si para fazer as conexões.

Pessoal, desculpe o texto meio confuso, porém procurei contar o máximo de informações e tentando ajudar os colegas quanto fui ajudado pelo site. Como última dica, informo que tenham muito cuidado com produtos de origem animal ou vegetal ao ingressarem no Chile. Estava com alguns medicamentos a base de mel e não mencionei no formulário de entrada. Além de ter tido meu medicamento retido, acabei pagando uma multa de cerca de 80 dólares.

E, como última mensagem, estimulo os pais a viajarem com seus filhos, mesmo para o extrangeiro. Fazendo um planejamento adequado, o custo não sai tão caro assim e as crianças acabam aproveitando e aprendendo muito. Há diversões e atrações para todos. Bons museus, bons passeios, cenários deslumbrantes, paisagens, aventuras e emoções que ficarão presentes na mente de cada um por muito tempo. Contem comigo para maiores esclarecimentos.l

  • Amei! 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • 2 semanas depois...
  • 9 anos depois...
  • Membros

@carlos-eduardo43

Eu e meu marido decidimos mostrar para nosso bebê o país onde ele foi "encomendado", afinal, pelas nossas contas, engravidei em nossa viagem para lá.

Conhecemos Santiago e o Deserto do Atacama naquela oportunidade, contudo, não acho que seja um programa para um bebê tão pequeno

Por enquanto só compramos as passagens aéreas para Santiago para poder ter uma flexibilidade para montar um roteiro legal.

O que me aconselha? 

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa

Você pode postar agora e se cadastrar mais tarde. Se você tem uma conta, faça o login para postar com sua conta.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

×
×
  • Criar Novo...