Ir para conteúdo
Ferlui

RELATO DE VIAGEM - BALI com fotos

Posts Recomendados

BALI

Chegamos em Bali eu e minha mulher Luiza vindos da Tailândia à tempo para pegarmos a festa de ano novo. Chegamos dia 31 de dezembro com o dia meio nublado mas com um calor sufocante. Bali faz parte da Indonésia, o maior arquipélago do mundo com um conjunto de mais de 17000 ilhas e com cinco ilhas principais; Sumatra, Kalemantan, Sulawesi e Java. Ao primeiro contato visual com a ilha visto do avião percebemos que estaríamos chegando no paraíso, mas um paraíso muito bem guardado ao vermos já no aeroporto, uma placa gigante alertando que se você estivesse portando qualquer tipo de droga estaria sujeito à pena de morte. Aquilo soou mal, não que estivéssemos com drogas, longe disso, mas sempre ouvimos falar muito bem da receptividade do povo de Bali.

Ao chegar, nosso guia Dean já nos esperava e nos levou direto ao hotel em Legian/Kuta. Vale muito a perna alugar um carro em Bali. 20120328210358.JPG Por uns U$20 você consegue um carro, mas por U$40 contratamos um motorista com carro sem se preocupar com as minúsculas ruas da ilha, o infernal trânsito de motocicletas e a mão inglesa. Para ser sincero, acho que foi o guia o principal fator de termos gostado tanto de Bali, ele fez a diferença pois éramos tratados como rei e rainha e não media esforços para nos agradar em tudo.

A princípio queríamos fazer um tour ao redor da a ilha, dormindo cada dia em uma cidade mas fomos desaconselhados por nosso guia pois perderíamos tempo com check ins de hotéis e com o arruma/desarruma de malas. Como a ilha é pequena (140km x 80km), escolhendo apenas dois pontos fixos, um no litoral e outro no interior, daria para desbravar toda a ilha em passeios indo e voltando no mesmo dia. Resolvemos então ficar 5 dias na região de Legian, próximo a movimentada Kuta no litoral e 5 dias em Ubud no interior.

 

Nos hospedamos no Kumala Pantai (http://www.kumalapantai.com/" onclick="window.open(this.href);return false; ), um excelente hotel de frente para a praia, sossegado com uma enorme piscina. Queríamos um certo conforto e sossego mas que também fosse próximo à badalação do centro. Passamos o Reveillon em uma festa que não precisamos pagar em nosso hotel com música e show balines bem de frente para a praia, onde tomaríamos o café da manhã no dia seguinte. No primeiro dia de passeio, esperávamos pelo nosso guia um pouco receosos, pois uma forte tempestade tropical estava acontecendo. Ele chegou atrasado devido à chuva e ao tentarmos passear fomos impedidos pelo transito e pelo forte temporal. Tivemos que nos abrigar dentro de um shopping em frente à praia que ficou inundado com as águas descendo pelo teto e com as ondas do mar quase atingindo a porta da frente. Seria aquilo o paraíso ?! Acho que sim mas na hora errada. Esperamos acalmar um pouco as coisas e acabamos passeando pelo shopping e voltando mais tarde para o hotel, mas qual a nossa surpresa quando no dia seguinte o sol brilhava e parecia que nada tinha acontecido. Demos muita sorte, mas dizem que nessa época as chuvas acontecem sempre no final da tarde e que depois passam.

 

Começamos então conhecendo o litoral próximo a Kuta e Legian. 20120328212134.JPG Partimos para Tanah Lot, um templo a noroeste de Kuta sobre uma formação rochosa a beira mar. Ao chegarmos, vimos uma família em pleno batismo de seu filho mais novo, então pedimos permissão para assistirmos a cerimônia, cena de uma beleza simples mas atrativa. Os pais, com suas mais bonitas e melhores roupas, assim como as crianças, participavam de um ritual envolvendo comidas, incensos e flores sob um cântico suave que eles mesmos cantavam. Segundo a religião de Bali a criança não deve tocar o solo ou animal durante 210 dias até ser batizada. Bali possui o Hinduísmo como religião, mas mesclado um pouco com o Budismo, cultuam o espírito da natureza incluindo montanhas e grandes arvores e acreditam na reencarnação do espírito.

Tiramos muitas fotos do templo e foi ai que nosso guia nos perguntou se queríamos receber uma bênção também. Acreditamos que todas as religiões levem a um só Deus, então aceitamos e fomos em direção ao templo passando descalços pela água até uma caverna bem abaixo do templo. Religiosos pediam que lavássemos bem as mãos, as têmporas e a nuca em uma água doce que escorria das pedras, daí éramos submetidos a rezas e cânticos e sobre os chacras em nossas faces era colocado arroz e uma flor sobre a orelha. Estávamos benzidos e fortalecidos para o resto de nossa viagem!!20120328211536.jpg

 

Bali é o local onde tudo se comemora, do nascimento passando pelo batismo até a morte. Há a comemoração dos infindáveis Deuses e celebração de aniversário dos milhares de templos na ilha, ou seja, vai ser difícil você passar um período em Bali sem ver uma procissão, celebração, batismo, casamento ou cremação. Ao sairmos de Tanah Lot passamos por vários templos todos enfeitados para as celebrações que aconteceriam à noite. 20120328210843.JPG São enfeitados com tecidos vermelhos, amarelos, pretos e todas as grandes árvores do templo enroladas em seu tronco com tecidos quadriculados de preto e branco em sinal de respeito. Você pode ver nas procissões, e vimos muitas durante nossa estadia em Bali, mulheres levando em suas cabeças cestarias enfeitadas com frutas, flores, ovos que são depositadas nos templos para serem consumidos durante a festa à noite.20120328211639.JPG20120328211844.jpg

 

Partimos para a região de Nusa Dua ao sul da ilha onde fica localizado Uluwatu, um templo em homenagem aos macacos na margem de um penhasco no litoral. 20120328211400.JPG Os macacos são considerados sagrados pois reza a lenda que salvaram Rama e Sita (uma espécie de Romeu & Julieta) das agruras do perverso rei. Lá nos deparamos com centenas destes a espera de algum tipo de comida e fomos alertados a tirar qualquer coisa que brilhe do corpo pois os bichanos não se encabulam em furtar brincos, anéis e até máquinas fotográficas. Curtimos uma paisagem deslumbrante onde podemos observar do penhasco as perfeitas ondas que atraem surfistas do mundo inteiro. Ao voltar para o carro minha mulher percebeu que a aliança que tinha tirado do dedo e guardado no bolso não se encontrava mais. A esperteza dos macacos havia feito mais uma vítima!! Não esperamos até o final da tarde para ver a dança Kecak que conta a história de Rama e Sita, e também o pôr do sol, pois o dia ficou meio nublado. Rodamos toda a região de Nusa Dua e paramos em Jimbaram Bay para saborear os tradicionais frutos do mar em um dos vários restaurantes a beira mar da região. A maioria são grelhados então não espere muita coisa, você vai comer muito melhor em qualquer outro restaurante da ilha.

 

Resolvemos curtir um dia de praia e mergulho então nos dirigimos para a região de Amed e Tulambem passando pelo vulcão Gunung Agung . Em Tulambem existe um navio japonês naufragado somente a 20 metros da praia, então pegue seu cilindro e corra para mergulhos incríveis por entre o naufrágio e outros picos na região, e aproveite também em Amed para andar nos tradicionais barcos indonésios. Na volta paramos em Blue Rangoon próximo a Padang Bay para fazer snorkel, uma baia de águas cristalinas que nosso guia disse ser seu “secret point”. Mais ao sul, já quase chegando em Kuta, passamos por Sanur uma região cheia de resorts 5 estrelas de frente para uma praia calma e muito bonita. Quem quiser mais tranqüilidade vale a pena se hospedar nesta área.

 

Passamos um dia inteiro conhecendo Kuta e suas movimentadas ruas. 20120328210530.JPG O comércio ferve em toda a região, mas aconselhados por nosso guia não fizemos muitas compras, pois tudo seria infinitamente mais barato no interior. Vimos no início da manhã vendedores fazendo oferendas por um bom dia de negócios em frente as suas lojas. As oferendas são feitas em pequenas cestas trançadas de palha de coqueiro com flores, incenso e as vezes até comida, tudo em perfeita harmonia e beleza que se espalham pelas calçadas em frente a quase todas as lojas da cidade, ou seja, muito cuidado ao andar pela manhã para não sair pisoteando as delicadas oferendas.20120328212907.JPG

Aproveitamos o dia e visitamos o monumento aos mortos do atentado terrorista em Bali em 2002 onde muitos australianos morreram pois dava para ver seus nomes na enorme escultura no centro da cidade. Fiquei imaginando como um local tão pacato e com um povo tão amigável poderia ser alvo de tanta crueldade ?!

O que mais nos impressionou em Bali foi seu povo, nunca vimos nada igual. Um povo pobre mas muito feliz onde o sorriso é estampado e escancarado em suas faces. Para mim, Bali é verdadeira terra do sorriso.20120328211951.JPG

 

Almoçamos com nosso guia no badalado KU DE TA ( http://www.kudeta.net/" onclick="window.open(this.href);return false; ), restaurante/lounge internacional de frente para a praia muito bem frequentado. Pra nosso guia o convite tinha sido talvez um dos melhores presentes que havia recebido, pois nunca teve pretensão de comer em um restaurante que, para ele e por questões financeiras, era considerado inviável. Tirou foto de tudo, até do cardápio para provar que havia comido ali. Foi uma grande satisfação para a gente poder retribuir todo o carinho que ele nos oferecia, e olha que a conta dos três não passou dos R$100 e era talvez, o restaurante mais caro da ilha. Em Bali tudo é muito barato, você pode viver gastando muito pouco. Almoçamos um outro dia no La Luciolla, também um excelente restaurante de frente para o mar onde experimentamos uma salada de salmão espetacular e um risoto de camarão acompanhada da clássica Bintang, a cerveja mais vendida na ilha.

 

Conseguimos aproveitar muito bem enquanto no litoral, curtindo praia, a vida noturna e a agitação da badalada Kuta mas já era hora de partirmos para o que eu considero a verdadeira Bali, o interior. Em Ubud nos hospedamos no Yullia Inn(http://www.indo.com/hotels/yulia/" onclick="window.open(this.href);return false; ), um hotel simples mas muito bem localizado no coração da principal rua da cidade, local que se encontram os melhores restaurantes e as melhores lojas de onde se podia fazer tudo a pé. A primeira coisa que fizemos foi comprar ingressos para ver os shows de dança folclórica que sempre acontecem na cidade. São 4 shows diferentes e queríamos ver todos. Os primeiro que assistimos foram as danças Barong e Legong. Ficamos encantados com os espetáculos que aconteciam em pequenos templos ao ar livre onde você fica bem próximo dos atores. Tirei muitas fotos de tão coloridas as roupas e maquiagens.

 

Fomos a floresta dos macacos(http://www.monkeyforestubud.com/" onclick="window.open(this.href);return false;) no final da rua e visitamos seus templos internos cercados é lógico, de centenas de macacos, mas já um pouco mais expertos com o que havia acontecido em Uluwatu. 20120328212705.jpg Partimos para conhecer os terraços de arroz, típicos de Bali, plantações que são feitas em platôs escavados nas encostas do morro. 20120328211119.JPG Como era temporada das águas o verde estava reluzente. No interior se planta de tudo pois a terra é muito fértil, então sempre que podíamos parávamos nas barraquinhas de madeira nas estradas para saborear as mais diferentes frutas tropicais, fresquinhas, colhidas no dia. Comíamos muito mangostins e rambutans até depararmos com um cheiro desagradável de carne podre do tão falado Durian. Tive que tapar o nariz para poder experimentar esta fruta que apesar de doce me deixou com uma sensação de mal estar durante o resto do dia, isso sem falar no odor que ficou na boca pois não tinha como escovar os dentes ali. Em muitos lugares de Bali se vêem placas proibindo a entrada de Durian no recinto tamanho mal cheiro que exala, mas é a fruta mais desejada em toda a Indonésia.

20120328211000.jpg No caminho vimos muitas procissões até encontrarmos na beira da estrada um casal de noivos recém casados. Com roupas super coloridas e ambos muito maquiados (até o homem usava batom) se sentiram honrados quando paramos e perguntamos se poderíamos tirar fotos com eles.20120328211218.JPG A noite, jantamos no Lótus Café ( http://www.lotus-restaurants.com/locations/indonesiabali/cafe-lotus" onclick="window.open(this.href);return false; ) em um deck sobre o pequeno lago, de frente para o palco assistindo a mais um show de dança e música, o Janger Dance. Fechamos com chave de ouro nosso dia pois o jantar e o show foram perfeitos. Ah, experimentamos um menu degustação com várias comidas típicas acompanhados da clássica Bintang.20120328212304.jpg

 

 

Partimos de Ubud para conhecer as montanhas formadas pelo vulcão Batur de onde podemos ver todo o lago Bratan e também visualizar bem de frente o vulcão com suas lavas já petrificadas espalhadas por toda a área. O vulcão ainda é ativo e cientistas já prevêem uma nova erupção. Para quem quiser se aventurar um pouco mais, existem excursões que partem de madrugada até o topo do vulcão onde você pode ver o nascer do sol apreciando bananas e ovos cosidos no vapor que sai das fendas da cratera. Continuando nosso passeio pelo alto da montanha visitamos o templo Ulun Danu Batur, 900 metros acima do nível do mar em um complexo com nove templos que foi reconstruído lá depois de ter sido consumido pelas lavas do vulcão em seu antigo local. Descendo a montanha até a beira do lago, bem abaixo do vulcão, visitamos as piscinas de águas naturais e quentes de Toya Bungkah que emergem do subsolo onde se encontra o vulcão. É na beira do lago também que se encontra o templo Ulun Danu Bratan construído no séc XVII dedicado a Dewi Duna, a deusa do lago. A noite já de volta a cidade, jantamos em um excelente restaurante na rua do hotel o Three Monkeys. 20120328211736.jpg

 

Visitamos os mercados das montanhas para comprarmos artesanato, que segundo o guia, eram ainda mais baratos que o turístico mercado central de UBUD. 20120328212528.JPG Se você quiser conhecer um mercado local somente utilizado por balineses, procure pelo Gyaniar Market , onde achará de tudo desde tecidos, artigos religiosos, estátuas de deuses e tudo o mais que os balineses utilizam para suas festas e cerimônias. Falando em compras, na Vila de Sebatu se encontra a rua Tegal Lalang, enorme, com produtos de exportação onde se pode comprar todo o tipo de artesanato por preços muito baixos, ainda mais se comprados em quantidade. Lá você não precisa barganhar pois o preço é fixo e já muito barato. Na volta depois de muitas compras, lanchamos no Three Monkeys novamente e nos preparamos para uma massagem com hora marcada no Verona Spa (http://www.veronaspa.com/about-us.asp" onclick="window.open(this.href);return false;) bem ao lado do hotel. Experimentamos uma relaxante massagem de uma hora com óleo de lulur (sândalo de uma árvore e raízes do arroz), depois uma esfoliação da pele com iogurtes e um relaxante banho em uma banheira com flores, isto tudo com a visão deslumbrante dos campos de arroz (115.000 rúpias, em torno de R$25 atualmente).

 

Refeitos e relaxados partimos no dia seguinte para mais um dia de tour pela área para conhecer outros templos. Visitamos o Gunung Kawi Royal Monuments, e descendo uma escadaria ao lado dos terraços de arroz encontramos santuários esculpidos na rocha onde fomos convidados a assistir a celebração do templo realizada por religiosos locais. 20120328210642.JPG Foi uma paz de espírito muito grande. Nosso intuito neste dia era conhecer o templo de Besakih, o maior complexo de templos de Bali conhecido como “Templo Mãe”. O carro não chega na entrada do templo então se te oferecerem para ir até a entrada na garupa de uma motocicleta aceite e pague o que pedirem, pois a subida a pé é puxada, ainda mais que lá dentro você vai encontrar muitas escadarias se quiser conhecer o templo todo. No interior se deslumbre com os mais de 22 templos com seus telhados (Merus) gigantescos e imponentes.20120328211442.jpg

Voltando a Ubud, visitamos outros templos como o Kehen na região de Bangli, Meduwe Karang na região de Kubutambahan, Puseh Batuan e Taman Ayun na região de Mengwi com onze grandes merus sendo o maior em homenagem ao vulcão Gunung Batur. Chegando a cidade jantamos no Batan Waru com indicação do guia, um bom restaurante só com comidas locais, mas preferimos comer a sobremesa em outro local perto, o Café Wayan, indicado como a melhor torta de chocolate da região.

 

Nos restava conhecer a região norte de Bali, Lovina e Singaraja. No dia seguinte partimos para esta região com o intuito de ver os golfinhos, mas esquecemos de marcar o encontro com eles. Para ser sincero só valeu porque curtimos mais um dia de praia, que não é das mais bonitas, portanto voltamos mais cedo para conhecer outros lugares que ainda não tínhamos visitado.

 

Bali é um local fantástico para qualquer tipo de férias. Desde grandes aventuras, como rafting, escaladas, mergulhos e surfe até ficar sem fazer nada nos grandes resorts espalhados pela ilha em locais paradisíacos. Minha mulher, que não tinha tanta vontade de conhecer Bali, saiu da ilha com os olhos marejados já prometendo voltar algum dia. Não vamos nunca esquecer daquele povo e daquele lugar. Vai ficar guardado para sempre.

 

Como viajamos :

Saímos do Brasil com a Air France fazendo escala em Paris até Bangkok. De lá pegamos um vôo na Thai Airways direto até Bali.

 

Transporte;

Contratamos um motorista/guia, Dean, que foi o diferencial em nossa viagem, pagando U$40 por uma diária com tudo incluído em um 4x4. Contato http://www.baliwithdean.blogspot.com/" onclick="window.open(this.href);return false;

 

Onde Ficar : Em Kuta/Legian nos hospedamos no Kumala Pantai (http://www.kumalapantai.com/" onclick="window.open(this.href);return false; ), um excelente hotel de frente para a praia, sossegado com uma enorme piscina e excelente café da manhã.

Em Ubud nos hospedamos no Yullia Inn(http://www.indo.com/hotels/yulia/" onclick="window.open(this.href);return false; ), um hotel simples mas muito bem localizado no coração da principal rua da cidade, local que se encontram os melhores restaurantes e as melhores lojas de onde se pode fazer tudo a pé.

 

Fernando Ramos - Rio de Janeiro

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Não sei se devo, mas em média qnt vcs gastaram nessa viagem? Eh q eu e uma amiga estamos começando a nos organizar p essa viagem no ano q vem e queremos já começar a juntar a grana... Se puder responder, claro...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Na época de passagem até lá U$2900,00, hotel na faixa de U$50,00, guia U$40 dia. Mas tudo depende do seu orçamento, se for de mochila dividimdo quarto sai mais barato.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá!

Estou indo para Austrália daqui 20 dias e pretendo de lá ir para Bali.

 

Você acha tranquilo ir sem reserva de Hotel? Chegando lá é fácil encontrar algo?

 

Abraço!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Ferlui, acabei de voltar de Bali. Estava em Kuta, meio perdida, sem saber o que fazer. Encontrei o seu relato e entrei em contato com o Dean, que felizmente estava disponível. Com certeza, também foi um grande diferencial na minha viagem, obrigada pela dica.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Oi amigo, você contratou o dean todos os dias? Também vou ficar 10 dias e estou achando pesado ter o guia todos esses dias. Até pq eu chego 18:00 no primeiro dia... Teria mudado algo na sua viagem?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Tudo lá é distante, vc vai precisar alugar algo, nem que seja uma scooter, mas o transito e as ruas são bem complicados, e ainda por cima mão inglesa. Se no inicio ficar só em Kuta até dá, mas se fosse vc economizaria em outra coisa. Com o guia vc agiliza em tudo, pois tem muito lugar legal para conhecer em Bali e sem guia vc vai acabar se perdendo e gastando tempo.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Entendi. Então vocês ficaram com ele todos os dias né? Pelo que li no seu relato, alguns dias vcs ficaram só andando em ubud, mesmo nesses dias ele estava presente? Não fica meio constrangedor uma pessoa com você toda hora, até nas refeições etc. Muito obrigado pela pronta resposta !

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Ubud não, Kuta. Ubud é distante. Ele ficava sim com a gente o dia inteiro mas não comia com a gente, apesar de insistirmos algumas vezes. Só em Kuta que vc pode andar sozinho, pois tem o centrinho e a praia.Se quer economizar tire os dois primeiros dias sozinhos em Kuta e o contrate para os outros 8 dias.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Entendi. Se eu tenho 30 dias você acha melhor 20 na Tailândia e 10 em bali ou privilegiar mais a Tailândia , diminuindo o tempo em bali?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Na primeira viagem eu fiz Tailandia em 22 dias e 10 em Bali. Na segunda fiz tialandia em 5 dias. Só o centro.Dá uma olhada no meu relato da Tailandia

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora


×