Ir para conteúdo

Colômbia!!! 16 dias entre Bogotá, Santa Marta, Cartagena e San Andrés


Posts Recomendados

  • Membros

Vou fazer um relato das 2 semanas que passei na Colômbia, entre Bogotá, Santa Marta, Cartagena e San Andrés, graças em grande parte às informações obtidas por aqui. As fotos, vou fazendo upload aos poucos...

 

O roteiro foi:

06/04 - Rio/Bogotá

06 a 09/04 – Bogotá

09 a 13/04 – Santa Marta

13 a 16/04 – Cartagena

16 a 20/04 – San Andrés

21/04 – Bogotá/Rio

 

Para fins de simplificação, 1.000 Pesos Colombianos (COP) = R$1 e vou dividir todos os valores por 1.000, que aí é como se fosse em real. (Na realidade, sacando dinheiro nos ATMs de lá ficou COP 1000 = R$ 1,09)

 

06/04 – Rio/Bogotá (sex)

Viajei de Tam, peguei a passagem com milhas e saí as 7h40 do Rio, com escala de 4h+1h de atraso (terrível!) em SP e cheguei em Bogotá as 17h30. No aeroporto saquei $$ e aproveitei pra comer. Fui no Crepes & Waffles (que super recomendo!) e peguei um taxi no stand oficial do aeroporto (na saída, andar do lado de fora a esquerda) pro Cranky Croc, que fica na Candelária. Gostei desse albergue, recomendo! Melhor cama que dormi na Colombia e melhor chuveiro tb!! Como estava mega cansada por ter acordado cedo e ter mofado no aeroporto, além de ser 6a feira Santa e não haver nenhuma programaçao no albergue, fiquei um pouquinho socializando na área comum e fui dormir cedo.

 

Passagem: 15.000 milhas + R$114,44

Almoço: COP 25

Taxi para Candelaria: COP 23

Albergue: 3 diárias COP 66 (reservei pelo Hostelworld)

 

07/04 – Bogotá (sab)

Dia de caminhar por La Candelária. Início de dia no Café Juan Valdez (delícia!) do Centro Cultural Gabriel G. Marquez. Adorei o Museo Botero, Plaza Bolivar. Museo del Oro não fez muito meu tipo, mas é baratinho e como tinha começado a chover, acabei visitando. Almocei no Shawarma Khalifa que fica no caminho pro Cerro Montserrat. Subi de bonde e desci de teleférico e dei muita sorte porque o tempo abriu e o dia ficou lindo. Na volta, passamos no Bogota Beer Company que fica do lado do hostel e fizemos um aquecimento pra noitada no Andrés Carne de Res organizada pelo albergue. Eles fabricam a própria cerveja, que é muito boa por sinal! Li por aqui que existe um tour do BBC, que visita uma fábrica e dá direito a umas cervas e uns brindezinhos, mas não cheguei a fazê-lo. Caso alguém se interesse, sugiro que peça pro albergue ligar e tentar agendar (704-8999). Fomos pro Andrés de Chia com uma van (com rum e cola liberados), um grupo de umas 30 pessoas do albergue. Fica a 1h de Bogotá. ADOREI a noitada, mega divertida, toca de tudo mesmo! Mas pros padroes colombianos a comida e a bebida são beeem carinhos!

 

Desayuno: COP 7

Museo del Oro COP 3

Almoço: COP 16

Cerro Montserrat: COP 15,4

Cervas no BBC: COP 17,5

Tour p/ Andrés C. R: COP 50 + 2 Cervas: COP 22 (facadinha! considerando que a mesma cerva cheguei a pagar COP 1,8 na praia em Taganga)

 

Dia 08/04: Bogotá-Zipaquirá (dom)

Apesar de ter um desayuno super recomendado no albergue, preferi provar algum da rua. Encarei um café no Pan Pa' Ya, com um pan de yuca, igual ao nosso pão de queijo. Aqui destaco o que já tinha percebido: as pessoas na Colombia são muitooo simpáticas! Quando se fala que é brasileiro, então, meu Deus! Fui super bem atendidas em todos os lugares (exceção do El Viajero Cartagena, mas não foi privilegio meu, cenas dos próximos capítulos). Nesse dia descobri o Transmilenio, onibus esquema de Curitiba. Peguei um na Estaçao Museo del Oro, troquei pra outra linha na estaçao seguinte e fui até o Portal del Norte. Dica: fique atento porque existem os onibus expressos e os paradores. Descobri isso da pior maneira, que foi parando em todos os pontos com o B1, então prestem atenção nos mapinhas das estações pra poupar um pouco de tempo. Chegando no Portal del Norte se pega uma buseta (com S!) pra Zipaquirá que te deixa na entrada da cidade e de lá até a Catedral é uns 10min de caminhada mais um pouco pra subida (chatinha e piorada com o fator altitude) até a catedral. Existe a possibilidade do trem turístico, mas além de mais caro é beem mais lento (se não me engano, 3h dobro do tempo do busao). A Catedral vale muito a pena, é muito diferente de tudo o que já vi! Na volta, comi num mexicano de Zipaquira mesmo e peguei uma buseta (lotada, diga-se de passagem) de volta. Desci no ponto antes do Portal del Norte, (porque me disseram que se parasse no Portal teria que pagar outra passagem pra sair...) e peguei um onibus comum pra Usaquen. Adorei essa parte da cidade, tem o tal mercado de Pulgas que é uma feirinha bem fofa até as 18h, além de ser a chamada Zona Gastronomica, com vários restaurantes bonitinhos (pena que tinha acabado de comer...). Tem também o Hacienda Sta Barbara, um shopping com um layout bem legal, com um Crepes & Waffles que serviu pro lanchinho da noite. Voltei pro albergue, e acabamos a noite vendo um filme por lá mesmo, já que domingo de Pascoa estava tudo bem morto pela cidade.

 

Desayuno: COP 5,5

Transmilenio: COP 1,75

Buseta p/ Zipa (2): COP 7,8

Catedral de Sal: COP 20

Onibus comum (2) : COP 3

Almoço: COP 9

Lanche: COP 7,5

 

Dia 09/04 – Bogotá/Santa Marta (seg)

Bem que eu tava achando Bogotá bem tranquilo pra uma cidade enorme nos 3 dias que estive por lá. Até que chegou 2a feira, dia normal e pude ver quao caótico é o transito! A parte boa de ter ficado la no feriado é que tudo estava bem mais tranquilo. O bom é que não tinha muita pressa porque eu já tinha visto o principal. Tomei o café do hostel (que é bem demorado, mas gostoso!) e fui conhecer o Parque Simón Bolivar (maior de Bogotá) e passei também pelo estádio El Campin, mas se não der pra ir nos dois, ninguém está perdendo nada. O pior ainda estava por vir: no hostel, tinha um folheto com pontos turisticos e falava de San Andresito, uma regiao “tipo Duty Free”, bem perto de onde estavamos. Como não tinha o que fazer, fui ver qual era e em uma palavra: BIZARRO! Uma mistura de Uruguaiana (RJ) com Ciudad del Este (Paraguay) só com gente mal encarada e produto falsificado.... Conheci um brasileiro em St Marta que, quando eu disse que tinha ido nesse lugar, me chamou de maluca e falou que eu tive sorte de não ter tido problema porque parece que é uma regiao bem barra pesada.... hahahahahah Resumo: não se arrisquem como eu! Não vale a pena! Almocei muito bem no Dos Gatos y Simone (também no caminho do Cerro Montserrat, onde descobri a ótima cerveja Apóstol, artesanal do tipo Eisenbahn/Colorado), voltei pro albergue pra pegar minhas coisas e ir pro aeroporto. Sorte que saí cedo porque o transito estava caótico e demorei 1h30, o dobro do normal. No aero, do lado do embarque internacional, tem um Juan Valdez e nesse dia provei o brownie de la... MeuDeusdoCeu! Que perdiçao.... Viagem tranquila e pontual de Lan para St Marta, 1h de voo. Aeroporto micro e bem afastado da cidade e acho que nem rola busao. Como cheguei as 22h, nem arrisquei e peguei um taxi pro Hostel Dreamer, que fica em Mamatoco, fora do centro mas que depois, achei a melhor localizacao pra cidade. Recomendo muito esse albergue, ótimo ambiente pra conhecer outros viajantes, café da manhã BBB e quarto simples mas agradável! O único problema mesmo foi a água fria no chuveiro....(que no começo a gente estranha mas dps acostuma porque em Cartagena e San Andrés é a mesma coisa!)

 

Desayuno: COP 6,7

Onibus Comum (3): COP 4,9

Almoço: COP 25

Taxi Bogotá: COP 23

Café: COP 5

Voo Lan: COP 182

Taxi em St Marta: COP 25

Hostel Dreamer (4 diárias): COP 112 (reservei pelo site deles)

Club Colombia (das populares achei a melhor cerveja) no hostel (2): COP 6

 

Dia 10/4 – Parque Tayrona (ter)

Tomamos café e saímos do hostel as 8h15. O ponto da vanzinha é mt perto, uns 3 min andando e ficando nesse hostel você já tá no caminho do parque, diferente de quem fica na cidade, que tem que enfrentar todo o caos das ruazinhas de la. 45 min depois chegamos na entrada do parque. Primeira dica, pegue a van que custa COP 2 te poupa 1h de caminhada. Não sabiamos disso e fomos andando pela estrada, e nada de chegar no inicio da trilha... Mais 1 hora e pouca de caminhada e chegamos na primeira praia Arrecifes, que é só pra tirar foto porque não é indicada ao banho. Mais outra hora e chegamos nas praias Arenilla, La Piscinita (a que mais gostei pro banho) e Cabo San Juan (a mais fotogenica) 30 minutos depois. Tem um povo que dorme no parque, eu não tava no clima mas as peruanas encararam uma barraca de camping e falaram que passaram um frio absurdo a noite e não tiveram pique de ir até Pueblito (que é o maior objetivo de dormir la!). Eu voltei no mesmo dia sem problemas, e fui de Cabo San Juan até onde saem as vans em 1h30 e aí não cometi o mesmo erro da ida e peguei uma pra ir até a entrada do parque. Comecei o retorno as 4h e sai do parque ainda claro, pra não correr o risco de me perder sozinha no mato. Achei que o Parque vale muito a pena!!! É lindo!!!! Peguei uma vanzinha de volta pra Mamatoco e fui no shopping que fica em frente ao hostel, que é uma mão na roda! Tem um Exito, mercado mais comum da Colombia, e uma praça de alimentaçao otima! Depois de comer uma paella show de bola no Sarten Dorada voltei pro albergue e depois de tomar uma cerveja só restava dormir, acabada da andança.

 

Desayuno: COP 6,5

todos os (3) transportes pro Parque: COP 15

Entrada Parque: COP 35

almojanta: COP 15

 

11/04 – Taganga/Playa Grande/El Rodadero (qua)

Depois do café peguei uma vanzinha a Taganga. Já tinham me dito que a praia era ruim, principalmente depois do Tayrona mas depois de 1h de transito, vi que realmente era muito ruim! Feia, suja e fedorenta. Procurei algum barquinho que estivesse saindo de la, pra qualquer lugar, e só achei um pra Playa Grande, que sendo um pouco mais afastada, deveria ser um pouco menos pior. Realmente é um pouco melhor, pelo menos dá vontade de entrar na água, mas não é imperdivel. A situação só melhorou quando vi que existia uma trilha sabe-se la pra onde... Depois de 30 min de caminhada passei por praias lindas, isoladas, só com alguns pescadores perdidos em cada uma delas, mas com um mar transparente e uma paz que dificilmente se encontra nas praias mais acessiveis da Colombia. Isso sim valeu a pena! As 3h, conforme tinha combinado com o barqueiro, voltei a Taganga e de la peguei 2 vanzinhas pra conhecer El Rodadero, a parte mais moderna de Santa Marta. Realmente, os grandes hotéis ficam por la, é bem mais bonito que o centro de St Marta, mas eu ainda preferi ficar em Mamatoco! Depois de ver o por do sol em Rodadero, passada pra almojanta no El Corral do shopping, que o pessoal recomendou por aqui mas sinceramente não achei que vale a pena pois é possível comer muito melhor e gastando menos em outros lugares. Noite de quiz no hostel.

 

Desayuno: COP 6,5

3 bus: COP 4,8

barco a Playa Grande (ida e volta): COP 6

Almojanta: COP 23

Club Colombias: COP 9 (3x)

 

Dia 12/04 – Bahía Concha (qui)

Hoje pegamos o passeio do hostel pra Bahía Concha. As peruanas disseram que indo sozinha, de barco que pegaram em Taganga, pagaram o dobro do albergue, então achei melhor não arriscar. Fomos num grupo de 7 e ficamos o dia inteiro relax na praia. Dica de localizacao na praia: no canto direito, quando chega na praia, tem muita arvore pra se proteger do sol, menos vendedor enchendo o saco e menos vento. Não comentei, mas não sou a maior fã de peixe frito na praia então sempre levava umas frutinhas, biscoitinhos e agua pros passeios e deixava pra comer melhor, com mais garantia de higiene e gastando menos quando voltasse pra cidade. Voltei pra Sarten Dorada que achei otimo custo beneficio, provei o sorvete Popsy (que é bem gostoso mas perdeu pro Paradiso de Cartagena) e até estava animada pra conhecer a vida noturna de St Marta, que disseram que melhora a partir de 5a, mas uns meninos do hostel tentaram ir no tal de La Puerta, que falam que é o point de lá, e disseram que tinha apenas 1 alma. Pra quem quer ir pra noitada em Sta Marta, tento pelo menos a partir de 6a, sabado parece que rola a chiva rumbera igual a de Cartagena.

 

Desayuno: COP 6,5

Tour Bahia Concha: COP 18 + Entrada Bahia Concha: COP 5

Jantar: COP 20

Sorvete: COP 4

 

Dia 13/04 – Sta Marta/Cartagena (sex)

Depois do café, tinha pedido o transfer porta a porta pra Cartagena. Todos os albergues tem esse esquema, é uma vanzinha da Marsol que na minha opiniao vale mais a pena que o busao regular, pois custa uns COP 10 a mais mas te poupa o taxi pros terminais rodoviários de ambas as cidades pois te busca e te deixa nos albergues. O único problema disso tudo foi que eu programei minha chegada pro inicio da Cupula das Americas, ou seja, cidade tomada por policiais e exército e um milhao de blitz até conseguirmos chegar, quase 5h depois. Pensei que a Cupula atrapalharia toda a minha estadia em Cartagena mas acho que no final das contas o saldo foi positivo: com o evento, não passavam carros dentro das muralhas o que era otimo pra caminhar, segurança quadruplicada e passeios rolando normalmente. Pontos negativos: de noite não tava rolando nada, no máximo umas aulas de salsa ou musiquinha no albergue! Ou seja, não conheci a tal da chiva rumbera e nem a duvidosa noite de Cartagena (que me disseram que a prostituiçao rola solta.... então no fim das contas nem fiquei mt chateada com isso!)

Chegando no El Viajero Cartagena, albergue dentro da cidade amurallada mais bem recomendado no hostelworld, conheci o pior tratamento da Colombia. Staff cheio de má vontade, grosso, que não faz a menor questão de ajudar em nada! De resto, o albergue é bonzinho: café da manha muito simples, quartos bons mas pra quem tem dificuldade de dormir, tem que levar tapa-ouvido potente porque a música fica alta no pátio, em frente aos quartos, até 2am. Na rua de trás fica o Makako Hostel, que algumas pessoas de Santa Marta recomendaram, mas realmente não sei como é. O outro que fica dentro das muralhas é o The Chill Out Hostel que eu não gostei da cara e as meninas do meu hostel falaram que passaram em frente as 8am e saia uma marola absurda....

Quando cheguei, fui dar uma rodada na cidade que é foférrima! Dá vontade de tirar foto de todas as casinhas lindas e no 3o dia eu já tava mais que familiarizada com tudo!

 

Desayuno: COP 6,5

Transfer: COP 42

El Viajero Cartagena (3x): COP 84

almoço Pizza e Pasta: COP 19

jantar La Sanduicheria (recomendo!!!!): COP 18

 

Dia 14/04 – Cartagena (sab)

Dia amanheceu nublado e matou os planos de ir pra Playa Blanca, então fui no porto comprar logo o passeio pro dia seguinte e segui pra Bocagrande, que é onde ficam os maiores hotéis, mas a praia em si é bem ruim! A agua é quentinha mas a areia é escura e tem muito vendedor pentelho, querendo fazer massagem e vender até a mãe. De la fui a pé (longe mas tranquilo) ao Castillo San Felipe de Barajas, que achei mt legal e tinham me recomendado o audio guide, que também achei que valeu a pena pra conhecer mais da historia do lugar. Com a visão panoramica assisti de camarote as manifestacoes genericas que estavam rolando por causa da Cupula: Guantanamo, não convite de Cuba à Cupula, mineiros do Peru, CUTs de todos os países... Mas nenhuma insegurança, mt policiamento! Na saída tentei ir a Getsemaní, mas com a Cúpula, tava muito difícil de circular pois muitas ruas estavam fechadas então voltei a circular dentro das muralhas e o bom é que sempre se descobre uma ruazinha nova, com um restaurante lindinho. Almocei no El Bistro uma das melhores refeiçoes da viagem, tomei o melhor sorvete da Colombia na minha opiniao no El Paradiso, com uns sabores diferentes e deliciosos como lulo, limonada de coco, corozo e a noite o jantar foi mais uam vez no Crepes & Waffles, que não tem erro, é muito bom a qualquer hora do dia!

 

Castillo + audio guide: COP 27

almoço El Bistro: COP 24

gelato Paradiso: COP 6

jantar Crepes & Waffles: COP 20

 

Dia 15/04 – Playa Blanca (Isla Baru) (dom)

Já tinha comprado o passeio a Playa Blanca com a empresa Lizamar no porto no dia anterior. Segui as dicas de várias pessoas de St Marta que disseram que não valia a pena ir a Islas del Rosario, mas sim pegar o passeio direto a Baru, pra poder aproveitar bem a praia. Saímos as 9h30 e com a lancha voando chegamos em 45 min na praia que é lindaaa!!! Leve seu snorkel e caminhe a esquerda (direçao do Decameron) quando chegar na praia pra ficar longe dos vendedores, nas partes que tem mais paz e peixinhos. O almoço já estava incluido no preço, foi o clássico arroz de coco com pescado, patacones e ensalada que realmente não é o meu forte.... Muita gente dorme nessa praia, nas redes/barracas de camping/quartinhos que alugam por la, pra aproveitar a praia bem cedinho, quando não tem ninguém. Mas eu também não tava nessa vibe, não só porque estava indo pra San Andrés no dia seguinte, mas porque esse esquema não tem infra (leia-se banheiro/chuveiro) nenhuma. Detalhe: é possível chegar em Playa Blanca de busao também, mas no albergue estava mais caro que o barco e é mais demorado também. O brasileiro que tava no barco, que foi a ilha particular (teoricamente o passeios mais vip) antes de chegar a Baru me falou que não valia a pena, porque era tipo um pier de um hotelzinho mais arrumadinho.... Pelo o que me falaram, Islas de Rosario é o mesmo esquema. A volta de barco, foi tensa! Depois que o brasileiro quase quebrou as costas e eu machuquei o dedo com uma batida da lancha, o piloto deu uma maneirada e chegamos vivos! Os relatos de fortes emocoes são recorrentes nesse trajeto...... De noite, jantamos no Cocina de Carmela, comida justa pelo preço que pagamos, devo ter pedido mal pq as argentinas que foram comigo gostaram bem mais do que eu....

 

Passeio Lizamar (almoço incluído): COP 50

taxa do porto: COP 12

jantar: COP 15

(Não comentei mas no preço das refeiçoes sempre está incluído o preco da bebida, seja uma cervejinha, um suco ou uma água, no geral custam COP 3 ou 4)

 

Dia 16/04 – Cartagena/San Andrés (seg)

Voltinha na cidade antes de ir pro aeroporto. Com o final da Cupula das Americas, a vida da cidade voltou ao normal e pude ver como foi bem mais gostoso andar pela cidadezinha sem os carros incomodando o tempo todo. Voo direto pela Copa para San Andrés foi bem tranquilo, com um atrasinho de 30 min e a dica é, sente do lado esquerdo do aviao que a chegada é muito mais bonita! Taxi pro albergue (na verdade dá pra ir a pé, mas com mochila e pelo preço não acho que valha a pena!). O El Viajero San Andrés fica bem no centro da cidade, é um prédio de 5 andares que costumava ser um hotel. O atendimento lá é um milhao de vezes melhor, todas as funcionárias nasceram na ilha e são uns amores de simpáticas, mas o padrão dos quartos e do café da manhã é igual em toda rede Viajero. Almocei uma salada bem gostosa no Qbano, uma lanchonete que já tinha visto em Bogotá e fui a Sprat Bright/Praia Peatonal, que é a que fica no centro. Parece bastante Playa del Carmen, no Mexico, não fosse pela mudança de lua bem naquela semana que fez com que o mar estivesse um pouco mais picado (segundo os colombianos, que quer dizer que estava bem mais agitado que o normal) e que chovesse todos os dias, nem que fosse apenas um chuvisquinho de final de dia para refrescar...

San Andrés é uma zona livre de impostos, então tem muita loja de perfumes, bebidas, eletronicos e roupas estilo Tommy/Lacoste, com preços beeem melhores que no Brasil mas piores que o dos EUA. Só tem que ter cuidado porque tem muita loja de produto falsificado....

O jantar foi no Oceans, um restaurante bonitinho na orla, com um custo benefício relativamente bom.... Depois descobri outros lugarem melhores na ilha...

 

taxi Cartagena: COP 12

taxa turismo para entrada em San Andres: COP 46

voo Copa: COP 308

taxi San Andres: COP 12

hostel El Viajero (4x): COP 132

almoço Qbano: COP 10,5

jantar: COP 23

 

Dia 17/04 – Volta a Ilha (ter)

Eu e as 4 argentinas que havia conhecido em St Marta resolvemos alugar um carrinho de golfe para dar a volta na ilha. Passamos pelo museu da ilha e pela Cueva de Morgan e não animamos de parar. Passamos por West View que não entramos porque escolhemos a parada seguinte, La Piscinita, que nos disseram que seria igual. Leve seu snorkel (ou alugue um por lá) e verá e poderá dar comida aos peixinhos. Na sequencia paramos no Hoyo Soplador que estava soprando muito, mas não é nada demais, e é de graça, se você conseguir despachar os vendedores que querem que você contribua com o local, consumindo alguma coisa.... Depois passamos por San Luis, que é uma praia linda mas o tempo tava fechando e não ficamos muito tempo, até chegarmos a Rocky Cay, onde tem um navio naufragado e se pode ir caminhando até uma ilhota do lado desse navio. Gostei mt desse lugar! Comemos por lá mesmo, num restaurante atrás do Decameron, muito gostoso!! De noite, depois de provar a arepa com queso (gosto de fandangos!) fizemos uma festinha no albergue e foi o único dia com algum movimento noturno por lá.

 

Carrinho de golf (dividido por 5): COP 14 (total COP 70, no albergue era COP 120)

Piscinita: COP 1,5

Almoço: COP 23

arepa: COP 2

bebidas no hostel: COP 20

 

Dia 18/04 – Acuario + Johnny Cay (qua)

Fechamos o passeio às 2 ilhas pelo hostel, que tb podem ser feitos separados, mas acho que não vale a pena! Primeiro, vamos a isla Acuario: meu Deus, que cor de mar é essa?!? Lá, você pode alugar tudo: armário pra curtir o mar despreocupado, sapatilhas para evitar se machucar com os ouriços e snorkel, que é o ponto alto do passeio. Vi mt mais peixinhos diferentes lá do que na Piscinita. As argentinas viram uma mantarraya igual a do passeio específico para isso que tinham feito na tarde anterior e a chilena viu até um tubarao filhote, mas eu não tive essa sorte.. :(( De lá, depois de 1h30, ida a Johnny Cay que é uma ilhota com 1,5km de extensão super gracinha também. Lá é pra ficar morgando na praia, não tem peixinho, mas achei bem bonita! Saimos as 3h15 no último barco, almoçamos no Marguerita e Carbonara que é bem pertinho de onde o barco chega e de noite voltamos ao centro pra tomar uma cerveja. (Detalhe pra quem gosta de cerveja, em algum dia, fiz a besteira de provar a Redd's. SOCORRO!!! É horrível, parece que tacaram 1l de sprite em 100ml de itaipava.... As demais: Aguila, Costeña sao bebíveis... hehehe A Club Colombia, especialmente a roja, é a que vale a pena)

 

Passeio: COP 15 + taxa de entrada a Johnny Cay: COP 4

almoço: COP 33

cerveja: COP 2,2

 

Dia 19/04 – Dilúvio em San Andrés (qui)

Dia de descanso absoluto! Acordamos e chovia horrores, sem previsao de parar! As meninas que trabalham no hostel disseram que esse ano não tinha chovido, até 2a feira (que sorte a minha, não!? justo no dia que cheguei! Isso porque não é época de chuvas, mas culpa do clima destrambelhado do mundo). Aproveitei pra colocar o sono em dia e comer bem! Descobri o Mahi Mahi, restaurante tailandês delicia na orla que foi o local do almoço, e depois de umas comprinhas (já que não tinha mais nada pra fazer lá! hehehe) a noite fomos no La Regatta, considerado o melhor restaurante de San Andrés que tem um visual incrível, em cima do mar, onde vimos até uma moréia.

 

Almoço: COP 33

La Regatta: COP 44

 

Detalhe: em San Andrés é possível comer o menu do dia a partir de COP 7, nos restaurantes do centro. Eu não me incomodei em pagar um pouco mais (preço nos padroes Rio/SP) e comer melhor.

 

Dia 20/04 – Bike tour

Aluguei uma bike com mais 2 argentinas do albergue e a ideia era ir somente a Rocky Cay e Playa San Luis, mas acabamos dando a volta na ilha de novo. Em Rocky Cay fizemos um snorkel muito legal com uns locais. Curtimos bem mais San Luis que é ótima e tem um restaurante com um clima super legal na praia que se chama Donde Francesca, onde petiscamos os melhores patacones de toda a viagem (logo eu que não como banana....). De lá, resolvemos ir a West View, que no fim das contas achei melhor que a Piscinita, e dá pra fazer só um dos 2. Comi num mexicano perto do porto e voltei pro hostel pra me arrumar e pegar o voo de volta a Bogotá.

 

Obs.: não consegui fazer o tour a Cayo Bolivar, pois como comentei, o mar estava muito agitado e esse passeio sai mais aos finais de semana. As argentinas conseguiram fazê-lo no domingo depois que fui embora e pagaram COP 150, com almoço incluido e falaram que é espetacular! Pensei em ir a Providencia, depois do passeio de Johnny Cay pois já tinha feito tudo na ilha, mas tinha conseguido o voo ida e volta por COP 450 em um horário que teria menos de 1 dia pra aproveitar, aí achei que nao valeria a pena. Se tivesse me planejado antes, talvez tivesse conseguido um preço/horário melhor, mas com a chuva, foi bom mesmo não ter ido.

 

Aluguel bike: COP 10

petiscos: COP 10

West view: COP 3

almojanta: COP 26

taxi San Andres: COP 10

voo Avianca: COP 100 (promoção maluca que encontrei)- o aviao é otimo mas a Avianca estava atrasando mt por la...

taxi Bogota: COP 24

hostel Los Andes (quarto individual): COP 80

 

Dia 21/04 – Bogotá/Rio (sab)

Cheguei de madrugada no ultimo dia de viagem e escolhi o albergue Los Andes, com quarto individual na Zona Rosa, para dormir bem e curtir a zona nobre de Bogotá. O albergue é mega tranquilo, para socializar não é o lugar! Mas em termos de atendimento e localizaçao é ótimo! É como um hotel e o staff é super atencioso. Fica do lado dos shoppings Retiro, Andino e da regiao dos bares. Se eu morasse em Bogotá seria nessa área! Tava passando o jogo Barça e Real Madrid e eu me senti na Espanha! Pubs lotados, todos com as camisas dos times, telao na praça, muito divertido! Aproveitei pra torrar o dinheiro que tinha sobrado pelos shoppings e a última refeicao fiz no mesmo lugar da primeira: Crepes e Waffles (ê vício...), sendo que ainda me despedi do BBC, tomando mais umas cervejinhas... =)) Infelizmente voltei pro albergue pra pegar meu taxi pro aeroporto... Fim da viagem... Mas não sem antes passar no free shop de Bogotá, que comparando, no geral, tem melhores preços que os daqui (especialmente cosméticos, maquiagem e bebidas).

 

Almoço: COP 27

BBC: COP 15

taxi: COP 23

voo Tam: 4.000 milhas + R$ 145,85

 

Saldo final: adorei a viagem, super recomendo! Se pudesse refazer algo, deixaria um dia a menos em Bogotá, menos também em St Marta e teria deixado mais tempo em San Andrés para ir a Providencia, sendo que já sairia daqui com a passagem comprada. Além disso, o povo é muito simpático, as cidades sao baratas (comparando com o que estou acostumada no Rio) e super seguras (até me irritava ser revistada várias vezes por dia).

 

Espero que tenha sido esclarecedor!!!

 

Um abraço!

Lu.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • 5 meses depois...
  • Membros

Parabéns pelo roteiro e viagem? Ótimas Dicas.. vou fazer o percurso parecido agora em dezembro de 2012. Gostaria que relatasse alguns pontos, se possível:

1) QUESTÃO DA GRANA: NÃO ESTOU COM DÓLARES NO MOMENTO. O QUE LEVAR? REAIS, CARTÃO DE CRÉDITO, ONDE TROCAR POR PESOS COLOMBIANOS?

1) QUESTÃO DO TEMPO (CLIMA): EM DEZEMBRO É SÓ SOL? QUAL A MÉDIA DA TEMPERATURA EM BOGOTA, MEDELLIN, SAN ANDRES E CARTAGENA?

3) QUESTÃO DA NOITE: QUAIS AS RECOMENDAÇÕES?

MTO OBRIGADO!

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa

Você pode postar agora e se cadastrar mais tarde. Se você tem uma conta, faça o login para postar com sua conta.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

×
×
  • Criar Novo...