Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

zervelis

DINAMARCA NORUEGA SUECIA FINLANDIA E RUSSIA - 18DIAS - MAIO 2012 - EU E MINHA MÃE

Posts Recomendados

Dia 11 de maio,sexta – 10º DIA

Estocolmo (Suécia)

 

O dia começava com chuva e frio. Droga !

 

Começamos nossa peregrinação a pé rumo a (adivinhem) Prefeitura (Stadhuset). A cidade é fantástica, muito bonita e muito maior que todas as outras que tínhamos passado até então.

 

Sempre lembrava da Joyce aqui do fórum porque tudo que ela sempre falava estava lá na nossa frente.

 

No caminho, vimos vários canais (a cidade é toda formada por pequenas ilhas) então, absolutamente do nada, você nota que passou por uma ponte e já ta do outro lado.

 

E, pra variar, muitos jardins lindos e bem cuidados pelo caminho.

 

20120602115349.JPG

 

1- Ah sim,... A prefeitura, pelo menos em Estocolmo, vale à pena subir. É uma torre linda, um passeio bem divertido e diferente e é a melhor opção para ver a cidade (ok existe também o Sky View, mas nós nem fomos lá subir naquele elevador moderno). Só tem um porém. Tem horário e lotação. Se não me engano, a cada 45 minutos, X pessoas podem subir. Vocês vão entender quando forem lá, os corredores são apertadíssimos e é tudo feito a pé (existe um elevador até a metade para os mais idosos). Então compramos para o horário mais tarde e voltamos na hora marcada porque não rolava de ficar lá mais de 1 hr esperando e naquela hora também chovia bem, estávamos na esperança de o tempo abrir depois pra gente poder enxergar melhor a vista. (essas fotos foram tiradas durante o dia e durante o passeio)

 

upload/galeria/fotos/20120602121314.JPG

upload/galeria/fotos/20120602121423.JPG

upload/galeria/fotos/20120602121654.JPG

upload/galeria/fotos/20120602121913.JPG

 

20120602121805.JPG

 

Do alto da torre, recheada de estátuas e histórias, dá para ter uma ótima visão da cidade. Existem também visitas guiadas ao interior da prefeitura com destaque para o Blue Room onde são entregues os prêmios Nobel (menos o da Paz que é entregue em Oslo, Noruega).

 

O mais legal da prefeitura é a torre. Depois de subir 360 degraus você tem vistas maravilhosas da cidade. Tem um elevador até um pedaço, mas mesmo o esforço da escada vale a pena”

 

2- Atravessando a ponte principal (impossível não enxergar, tem placa inclusive) você entra na parte antiga da cidade. GAMLA STAN !

 

Significa Centro/Cidade Antigo(a). São casas construídas em meio a ruazinhas estreitas. A boa ai é se perder. Deixar as pernas te levarem.

 

(na verdade o nome da ilha é Stadsholmen) é – o antigo centro da cidade de Estocolmo, estabelecida no seculo 13 pelos Vikings.

 

As ruas estreitas, as casinhas coloridas, as ruas de paralelepípedos e as pontes que conectam a ilha a outras ilhas da Estocolmo. E é lá que você vai se sentir na Escandinávia mesmo!

 

Entre as ruelas não perca a praça Stortorget, é sinonimo de Suecia! (onde tem o Museu do Nobel, vale a pena)”

 

20120602120706.JPG

 

PS: Em Gamla Stan, troquei reais por coroas suecas !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! valia a pena ! 250 reais = 757 SEKS

 

upload/galeria/fotos/20120602120804.JPG

 

Refeição Opinião: “Foi aqui no bairro antigo que fiz a minha refeição sueca típica. Bife com fritas... do jeito deles... sem arroz e com um complemento não muito convidativo... aquele ovo cru em cima do prato. Tirando isso, foi uma bela experiência!”

 

Eu não segui a dica ai e comi almoçamos depois de olhar GAMLA (um prato para 2) num italiano que fica logo no início de Gamla Stan. Caro mas bem servido. (SEK 239)

Como paguei em SEKS, me deram 100 SEKS a menos de troco e eu OBVIAMENTE vi e reclamei. O cara pediu desculpas ! ninguém mais me enrola nessa cidade !

 

Essa região toda da Gamla Stan é linda. E ATENÇÃO, parece que é o único lugar que vende suvenires da cidade. Se quiser comprar algo compre lá ou então ficará sem, como a gente :P

 

As ruas são apertadinhas. Muito legal de andar e tirar zilhões de fotos. É um lugar realmente muito bonito e ficamos boa parte do dia ali zanzando.

 

Antes de mais nada vou dar a dica que não quer calar. DO NOT GAMBLE ON THE STREETS.

 

Tinha um carinha tirando dinheiro de trouxas na rua que, como eu, caiam no conto da sereia. Ele tinha uns 3 copinhos emborcados e uma bolinha e ficava com o copinho pra lá e pra cá cobrindo a bolinha e as pessoas davam dinheiro pra ele e apostavam porque as vezes era fácil ver onde a bolinha tava. Só que ele só aceitava notas altas. Resumo da história: perdi 100 dólares. Fiquei mal, ele notou, ficou com pena, me chamou pra jogar de novo e ainda me deixou ver de longe (minha mãe tava perto) e apostei ! Tcharam,... perdi mais 100 ! ENOUGH. Isso acabou com a minha manhã ! Como pude ser tão burro? (ok, não to pedindo pra ninguém aqui concordar com isso). ::putz::::putz::::putz::::putz::::putz::::putz::::putz::::putz::::putz::::toma::::toma::::toma::::toma::

 

upload/galeria/fotos/20120602115443.JPG

 

De qualquer forma a vida nos conforta de alguma forma. ::dãã2::ãã2::'>

 

Sai de lá bufando direto pra uma igreja (linda por sinal) e PAGA ! Só que a atendente da entrada tava trocando a bobina do cartão de crédito e disse que a gente podia entrar de graça. Meu humor melhorou ligeiramente, mas o valor não era alto não. Acho que era algo em torno de 4 euros por pessoa. Além disso, o sol tinha aparecido a pouco.

 

3- Storkyrkan (Catedral de Estocolmo) – “A Igreja de São Nicolas, também fica em Gamla Stan no centro de Estocolmo, bem do lado do Palácio Real e é a construção (e Igreja) mais antiga de Estocolmo – considerada um exemplo autentico de construção Sueca-Gotica.

 

A Igreja fica meio apartadinha, mas impossível não ver sua torre no alto de todas as vielas da cidade.

 

upload/galeria/fotos/20120602115759.JPG

upload/galeria/fotos/20120602115913.JPG

upload/galeria/fotos/20120602120024.JPG

 

A igreja é onde o príncipe Gustaf se casou com a rainha Silvia, filha de mãe brasileira. No fundo, ao lado do altar, você pode conferir São Jorge matando o dragão de cima de seu cavalo. Uma bela escultura do século XV que simboliza a vitória dos suecos diante da invasão dinamarquesa.”

 

4- Kungliga Slottet (Palacio Real)

 

“Do século XVII, renascentista com interior barroco e rococó.

 

A Suécia não tem das famílias reais mais conhecidas do mundo não, mas os 3 príncipes e princesas volta e meia povoam os tablóides com escândalos e seu lifestyle real.

 

Carl Philip e Madeleine encabeçam a lista dos solteiros mais cobiçados da Europa, enquanto que a herdeira da coroa, Princesa Victoria causou polemica recentemente por casar com seu namorado plebeu professor de educação física.

 

E também a Rainha Silvia, filha de pai Alemão e mãe Brasileira (e descendente da família real Portuguesa) volta e meia aparece na mídia como “a rainha Brasileira”…

 

Com um bilhete geral é possível visitar os dormitórios reais, o tesouro, uma exposição de estátuas e um museu que conta a história do castelo

 

Por volta das 10:15 entrar no Palácio. Visitar os salões, a capela ... Ver a troca de guarda que acontece pontualmente ao meio dia e quinze (ou meio dia), com direito a banda montada sobre cavalos e engraçados passinhos laterais que os guardas dão ao se enfileirar (ponto forte).

 

Subir na base de uma das colunas para ter uma visão de camarote.”

 

Falavam muito dessa troca de guarda, por isso corremos para não perder. Mas não começava as 12 hrs e sim as 12:15. Aproveitamos esse meio tempo para comprar entradas para ir ao Palácio já que provavelmente aquela multidão toda iria correr pra bilheteria depois da troca de guarda. Nós 2 conseguimos pagar meia entrada, ufa (75 SEK cada)

 

Olha. É bonita e tal mas naaaaaaaaaaada d+. De qualquer forma foi a melhor que tínhamos visto até agora.

 

Agora o Palácio, é aquilo. Muitos tapetes. Jóias da Coroa (ohhhhh). A parte chata: NADA de fotos, nem sem flash, de absolutamente NADA ! acho isso revoltante mas tudo bem.

 

upload/galeria/fotos/20120602120114.JPG

 

20120602120235.JPG

 

upload/galeria/fotos/20120602120339.JPG

 

Fica tudo pertinho, a Igreja, o Palácio Real e a Stortorget (ponto forte de Gamla Stan, onde fica o museu do Nobel).

 

20120602120952.JPG STORTORGET

 

É isso. Rodamos muito em Gamla Stan e depois voltamos correndo para ver o nosso último horário da Prefeitura.

 

upload/galeria/fotos/20120602121112.JPG

 

Olha, eu nunca nunca vi algo parecido. 5 minutos sol, cinco minutos chuva. Acho que a gente deve ter aberto o guarda chuva no mínimo umas 10 vezes. Surreal esse tempo. A sorte é que a chuva não era em grande quantidade.

 

DEPOIS CONTINUO ESCREVENDO !!!! ::tchann::

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Dia 12 de maio,sábado – 11º DIA

Estocolmo (Suécia)

 

O resumo do dia foi basicamente esse:

 

1-Vasaa Museum (Vasamuseet) (inicio do dia) ::otemo::::otemo::::otemo::::otemo::

 

20120603132153.JPG

 

“Dentro, o navio Vasa, retirado do fundo do mar após 333 anos. O rei da Suécia, achou que entendia do assunto e meteu o bedelho no projeto, alterando o original. Resultado: o navio emborcou na viagem inaugural, matando muita gente. Dá pra ver o navio em detalhes por fora e acompanhar a reconstituição das cores originais utilizadas na sua pintura. Impressiona pelo tamanho e pelo estado de conservação.

 

Trata-se de um museu criado especialmente para abrigar um barco viking de 1620, construído a mando de um rei megalomaníaco, o Gustav II, ou Gustavo Adolfo. Foi redescoberto semi-intacto na década de 50, passou décadas sendo restaurando e agora esta em exposição – sendo o museu mais visitado da Escandinávia!

O interessante dessa história é que apesar de ter sido construído para lutar com os vikings na guerra dos 30 anos, a embarcação é totalmente zero km. O barcão afundou ali na frente do Rei e sua Corte quando partia para sua batalha “inaugural” contra os católicos do sul da Europa. Vexame total!

 

Os técnicos afirmam que o Vasaa afundou porque a madeira utilizada era sólida demais, mas eu acho mesmo que era o ego que estava pesando além da conta na embarcação. O barco é espetacular, totalmente decorado com trabalhos enaltecendo o Guto Adolfo e sua supremacia sobre os plebeus escandinavos. Mesmo depois de 300 anos embaixo de água, quase tudo foi recuperado.”

 

O VASAA CUSTOU SEK 190 (EU PAGUEI ESTUDANTE, SEK 80) É muito maneiro e vale ficar pelo menos umas 2hrs e meia lá se deliciando. Ao chegar, vá logo guardar as coisas no locker gratuito, ficando só com a câmera (precisa de uma moedinha, que no final, o locker te devolve). Depois, va ao cineminha de lá ouvir um pouco da história pra você não ficar boiando. Os filmes tem duração de 25 minutos e 5 min de intervalo até a próxima sessão. ::tchann::

A reconstrução facial de algumas pessoas que foram encontradas chega a IMPRESSIONAR... veja as fotos !

 

upload/galeria/fotos/20120603131911.JPG

upload/galeria/fotos/20120603132029.JPG

 

2- Skansen Park / Djurgarden(zoo) ::otemo::::otemo::::otemo::::otemo::

“Fica numa outra ilha (Slussen, que também abriga o Vasaa e o Djurgarden) e é um open air museum, mostrando a vida das pessoas antigamente na Suécia antigamente, a história social do país vista por meio de 150 prédios antigos. Apesar de ser uma “remontagem”, parece que vale a pena.

Opinião: O parque é uma mistura de museu a céu aberto de cultura escandinava (ou seja, tudo a ver com eles) com zoológico de animais da região. A área que mais gostei (lógico) é aquela onde em cada casa você pode experimentar um prato ou guloseima viking. Delicioso! Há também artesanato local feito ali na sua frente. Num dia de sol daqueles, foi um prazer caminhar tudo aquilo até o ferry de Djurgarden que me levaria à Gamla Stan.”

 

20120603132341.JPG

 

20120603132507.JPG

 

upload/galeria/fotos/20120603132603.JPG

upload/galeria/fotos/20120603132747.JPG

 

PROGRAMA ALTAMENTE RECOMENDADO !!!! FICA BEM PERTO DO VASAA E CUSTOU SEK 100 PARA CADA UM !!!! Perto tbm do Nordiska Museet

É simplesmente incrível. Apesar de ser meio falso (já que tudo que tem lá foi colocado lá propositalmente), você pode ver retratos de uma Suécia antiga... Escola, casa dos professores, fazendas. O lugar conta ainda com pessoas caracterizadas da época que te explicam (se você quiser) um pouco sobre elas... Foi o ponto alto da viagem ! Esse dia foi fantástico !

 

Almoçamos (tava mais pra janta né) no Café Subito. Ao lado do Fridays. Cada um pegou um prato de Pasta e um suco (SEK 75 para cada). Comemos bem, pagamos pouco e fomos super bem atendidos pela chilena, dona do pequeno lugar. Ela ainda nos deu dicas. Se não me engano, isso fica perto de Stureplan, na Birger Jarlsgatan.

 

Saindo de lá fomos nos perder nas lojas... claro, de leve. Na rua Drottninggatan e suas adjacentes,,, Muitas pessoas, muito comércio e muitas coisas caras. Ahhhaah. Olha, tem uma H&M em cada esquina. Por sinal, foi no tal restaurante com a chilena que descobrimos que a H&M é daqui da Suécia. Comprei uma blusa basicona na Zara por SEK 129 (só pra terem noção de preço).

 

Tudo feito hoje foi feito a pé,... perto não é, mas é plenamente possível ! ::dãã2::ãã2::'> ::dãã2::ãã2::'> ::dãã2::ãã2::'>

 

Dicas retiradas daqui:

http://giramundo.wordpress.com/2007/08/12/banho-de-cultura-escandinava/

e do site do Breno (altamente recomendado)

http://brenob.wordpress.com/2007/07/25/estocolmo-uppsala/

Além é claro, da usuária JOYCE aqui do forum,... fonte de glamour e sabedoria !!!!!!!!!!!!!! =))) (não to puxando saco, eh a verdade)

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Dia 13 de maio,domingo – 12º DIA

Saindo de Estocolmo (Suécia) e Chegada a Helsinque (Finlândia)

 

Fácil fácil. Pegamos ônibus flygbussar no cityterminalem com destino ao Aeroporto de Arlanda que fica a uns 40 km da cidade. Chegamos lá e o ônibus tava saindo. É bem melhor que pagar mais de 200 SEK por pessoa pra ir de trem ou UMA fortuninha pra ir de taxi. Pagamos cada um SEK 99 e mais fácil impossível. ::lol4::

A dica foi do próprio hotel. O ônibus demora de 35 a 40 minutos pra chegar e pode ser pago no cartão !

 

Chegando a Helsinque, onde tem fuso de 1 hr a mais (o fuso total virou de 6 hrs) saímos do aeroporto de Vantaa também de ônibus. Já tinha pego a dica com o pessoal do hotel então também foi muito fácil. Pegamos o 615T (o 615 também pode) e é só seguir as placas ao sair do aeroporto. Compramos o ticket no próprio ponto de espera, numa daquelas maquininhas automáticas (em euro). O aeroporto também fica bem afastado do centro. Quase 40 minutos. Mas deu só EUR 4,50 para cada.

 

Deixamos as coisas no hotel e fomos pegar as dicas. Mas era domingo E feriado... grrrrr !

Almoçamos num restaurante italiano (novidade) chamado Dennis que fica quase ao lado do hotel. 2 pratos, LINDOS e muito bem servidos deram EUR 29, pagos com prazer !

 

Falando um pouco do hotel, bem, super lindo. Um dos melhores que já fiquei. Tivemos que ficar nesse porque não tinha nada barato e/ou bem localizado. (conferir preço e nome no primeiro post do depoimento) O café da manha foi um dos melhores que já tomei na vida.

 

Um pouco de Helsinque ...

 

“Helsinki (ou Helsinque) é uma cidade diferente. Não carrega o glamour das tradicionais cidades européias, estampado em construções suntuosas de arquitetura medieval. Apesar das disputas pelo seu território, nunca fora tratada de fato como uma capital até o século XX, o que a difere completamente das vizinhas Tallinn, São Petersburgo e Estocolmo, veja o porque:

 

No século XVI, quando a Finlândia era ainda uma província da Suécia, os países escandinavos disputavam com o leste europeu o controle da rota comercial que entremeava a região do Báltico e a Rússia. Na tentativa de criar um ponto concorrente à estoniana Tallinn - uma das cidades pertencentes à Liga Hanseática (bloco comercial e econômico formado por países do leste europeu do qual estavam excluídos os países escandinavos) - foi fundada a cidade de Helsinki, na época chamada de Helsingfors.

 

Com a soberania econômica da Liga Hanseática, Helsinki não conseguiu deixar de ser uma cidade pequena e sem muita expressividade, tornando-se cada vez mais pobre e atingindo sua decadência máxima em 1710, quando a peste negra matou grande parte da sua população.

 

Tempos depois, quando a Finlândia passou a ser província da Rússia, o Czar Pedro O Grande transferiu a capital para a cidade de Turku, numa tentativa de extinguir a influência Sueca sobre Helsinki. A Finlândia só foi conquistar sua independência em 1917, após a revolução russa que acabou com a monarquia e assim, Helsinki renascia das trevas para ser a capital de um novo país.

 

Depois de tantas idas e vindas, Helsinki é hoje uma cidade cosmopolita, que abriga um povo peculiar e bastante heterogêneo, descendente de mais de 130 nacionalidades! Helsinki é um mix de raças, explícito a todo o momento pelas ruas e isso a deixa com um astral bem diferente da vizinhança.

A Finlândia é um dos países mais sub-povoados do mundo: as estatísticas confirmam uma media de 17 pessoas por km2! E logicamente, a grande maioria da população esta no sul do pais, longe do Circulo Polar Ártico, dividida entre suas principais cidades: Helsinque, a capital. Turku, a antiga capital Sueca, e Tampere, pólo industrial e tecnológico.

Mas isso não impede que os Finlandeses se sentem no gramado dos jardins, mesas nas calçadas dos cafés e restaurantes, velejando o mar Báltico… Essa é uma das coisas mais interessantes de Helsinki! O estilo de vida laid back que eles levam, o contato com a natureza, os jardins floridos e imaculados, os barquinhos na marina e na baia, a arte e a cultura, mas sem perder o ar provinciano!

Se orientar na cidade é fácil! Os 500 mil habitantes da capital se distribuem por uma área bem grande, e o centro histórico/turístico é bem concentrado e pode (e deve) ser todo explorado a pé!

Comece na Promenade, um boulevard com jardins e um belo gramado, onde os finlandeses aproveitam qualquer raiozinho de sol possível. Logo em frente, atravessando a rua, fica o chafariz e a sereia da Estátua de Havis Amanda, desenhada pelo artista Ville Vallgren em 1908 e considerada símbolo de Helsinque. Um pouco mais à frente da estátua fica o marco inaugural da cidade, de frente para a baía. Se você olhar para trás, vê o prédio onde o primeiro-ministro trabalha.”

 

Ah, antes que me perguntem. Não, não fomos conhecer nenhuma sauna finlandesa :)

 

20120603135312.JPG

 

20120603135404.JPG

 

1- Kauppatori (Mercado de Peixes)

“Assim como Bergen na Noruega, Helsinque também tem seu mercado de peixes, chamado Kauppatori. Ali são vendidos de souvenirs a peles de animais. É também uma opção barata – leia menos abusiva – de café da manhã e almoço. Apesar de bem simples, é considerado uma das principais atrações da cidade, com suas inúmeras barraquinhas vendendo todo tipo de produtos e comidas típicas: de frutos do mar extremamente frescos, a carne de rena.”

 

upload/galeria/fotos/20120603133744.JPG

 

2- Praça do Parlamento (Senate Square - Senaatintori)

"O prédio é um belíssimo exemplo da arquitetura neoclássica de Helsinque. A escadaria está sempre cheia de jovens matando o tempo e funcionários de empresas próximas aproveitando o almoço." ao fundo a e Catedral Tuomiokirkko

 

20120603133930.JPG

 

3- Catedral Uspenski e Catedral Tuomiokirkko

“Do mercado, que fica literalmente na beira da água, não da pra ignorar as duas principais atrações da cidade: de um lado a Catedral Uspenski, e do outro a Catedral Tuomiokirkko.

A Catedral Uspenski, foi construída pelos Russos, durante seu domínio no pais, e foi todo construída no estilo Russo Ortodoxo, porem bem simples pelo lado de fora, e extremamente trabalhada por dentro. A catedral tem 13 torres, representando Jesus Cristo e os 12 apóstolos. É a maior igreja ortodoxa da Europa ocidental. Construída entre 1862 e 1868, é uma marco da influência russa com seus tijolos vermelhos e cúpulas douradas. O interior é decorado com pinturas e altares típicos ortodoxos (permite fotos dentro o que é incomum para uma igreja russa).

Do lado oposto esta a outra catedral, ou simplesmente “catedral” (Tuomiokirkko significa catedral em Finlandês) já que foi consagrada a catedral oficial da cidade, depois que a Igreja Luterana foi instituída como religião oficial do país após a queda da dominação russa. Por dentro a igreja é uma grande decepção. Construída em 1830, possui paredes brancas, grandes arcos, sem imagem, só pinturas. Porem, sua principal intenção era realmente ser imponente por fora, no centro da cidade, com uma imponente escadaria! Não por acaso, é a construção mais fotografada da cidade, pois funciona como ponto de encontro dos ônibus em excursão.”

 

20120603134228.JPG

 

Essa bendita Catedral Uspenski resolveu fechar cedo porque era domingo e feriado... E segunda ela não abre. Não teve jeito. Rodei a igreja toda, tentando abrir cada uma das portas e nadaaaaa .....

 

Já na Catedral Tuomiokirkko, que fica na Praça do Senado (falado anteriormente), também não podia entrar, MAS ENTRAMOS ! tava tendo um festivalzinho lá pago com um coral de crianças cantando vaaaaaaaaaaaaaaarias musiquinhas em finlandês. Ficamos quase meia hr lá dentro ouvindo mas não podia tirar fotos. Acho que nem notaram que eramos turistas porque realmente tava fechada pra visitação e lotada de pais e familiares vendo suas crianças cantando em alto e bom som.

 

4- Temppeliaukion Kirkko (Igreja de Pedra)

“Para acabar nossa peregrinação católica, uma das atrações mais procuradas da cidade, fomos a pé até a Temppeliaukion Kirkko, também conhecida como Igreja de Pedra. Um templo luterano, subterrâneo, desenhado pelos irmãos arquitetos Timo e Tuomo Suomalainen, construída em um ano e meio e inaugurada no bairro de Töölö, em 1969.

A igreja foi construída na década de 60 e é subterrânea. Foi toda foi escavada numa enorme pedra e, se por fora não é lá grande coisa, por dentro possui uma interessante arquitetura moderna que mistura muita madeira, vidro e, claro, pedra. Tudo iluminado pela luz natural que penetra pelo teto que é feito de cobre. Vale a peregrinação. No altar, a pedra natural ganha destaque e aparece sem retoques, da maneira como o glacial que retrocedeu a deixou.

Mais do que um local de culto cristão, a Temppeliaukio é usada também como sala de concertos de música clássica. A acústica é excelente.

A entrada na igreja é de graça. Se você agendar guia com atecedência pelo email [email protected] ou pelo telefone +358 9 2340 5900, o tour também é de graça, nas línguas inglês, finlandês e sueco. O horário de abertura pode variar por causa dos cultos e concertos, mas geralmente está aberta de 10h às 17h – certifique-se antes de ir.”

 

20120603134411.JPG

 

É linda e ainda demos a sorte de pegar um concerto acontecendo lá dentro, mas vimos de fora do salão pra não pagar ... ahahhaha. Acho que ninguém entrou. ::lol3::

 

5- Estádio + Torre - lago Töölönlahti

“Depois da igreja, uma caminhada às margens do lago Töölönlahti nos leva até o Estádio Olímpico onde foi realizada a Olimpíada de 1952. Esse estádio é considerado um dos mais belos do mundo, exibindo uma arquitetura de linhas agradáveis e funcionais. Apesar de muito bonito, não sei se concordo com o título. Do alto dos 72 metros da torre – graças a Deus com elevador – é possível ver quase toda a cidade.”

 

Nós não vimos o Estádio e essa torre mas andamos no parte que é lindo. Tiramos fotos também alí perto, onde aparece escrito FINLANDIA, BEM GRANDE ... ::mmm: uhuuuuuuuuuuu... Ali perto da Finlandia Hall, quase ao lado do The National Museum of Finland. Encontramos 2 meninas brasileiras aqui também tirando foto no mesmo local. Depois encontramos em elas de novo na Praça Vermelha (Rússia).

 

upload/galeria/fotos/20120603134737.JPG

 

20120603134901.JPG

 

20120603135002.JPG

 

20120603135059.JPG

 

20120603135157.JPG

 

Em resumo, a cidade é linda como podem ver e o patriotismo chega a doer nos olhos. É BANDEIRA DA FINLANDIA PRA TUDO QUANTO É LADO !!!!!!!!!!!!!!!! todas as ruas, todos os prédios...

 

upload/galeria/fotos/20120603135535.JPG

 

Mais gastos do dia

Mc Donalds EUR 3

Suvenir EUR 16

Pizza EUR 14,5

 

Dia 14 de maio,segunda – 13º DIA

Helsinque (Finlândia) e saída para St. Petersburg (Rússia)

 

6- Suommelina

“Pega-se um ferry, você pode comprar os bilhetes e embarcar na Praça do Mercado, no centro da capital, bem perto do Promenade, para visitar a ilha de Suommelina, que é uma ilha/fortaleza/museu declarada patrimônio da humanidade, que foi construída pelos Suecos, como base militar para se protegerem das invasões Russas. Transformada numa fortificação pelo rei sueco Gustaf III, acreditava-se ser impenetrável. Isso até o dia em que os russos chegaram, invadiram e anexaram tudo. História à parte, a ilha é uma mistura única de beleza natural com intervenção humana. Os robustos canhões que protegiam a entrada da capital contra invasões ainda estão por lá, em cima das muralhas. Mas hoje o único inimigo é o vento gelado que sopra forte. Vale a visita pela paisagem e pela história, mas não se esqueça do casaco.

Hoje em dia é habitada por apenas 900 pessoas, uns 3 restaurantes (fechados no domingo) e muitos parques.”

 

Nosso barco para Suomelina foi EUR 6,50 pra cada. Pagos no próprio mercado do peixe. É lá que você pega ! O passeio é legal e rende vários cliques, apenas fique atento pra não perder o barco e ter que ficar mais tempo na ilha.

 

upload/galeria/fotos/20120603135856.JPG

 

20120603135749.JPG

 

20120603140007.JPG

 

Nesse dia fomos ver lojas lá no centro de Helsinque, na esperança de encontrar algo barato num lugar que se pague em EURO,... em vão ! As lojas se concentravam na Rua Aleksanterinkatu.

 

Depois corremos pra pegar nossas malas e ir direto para o NAVIO PRINCESS MARIA que iria nos levar a St. Petersburg. Apesar de acertarmos o caminho do cais, foi uma mini peregrinação andar com aquelas malas todas mais de 2km numa área de obras e ainda ter que passar por todo aquele processo alfandegário com aqueles russos estranhos, AINDA NA FINLÂNDIA, te olhando com cara de ããã ...

 

upload/galeria/fotos/20120603140208.JPG

 

Fomos ao nosso quartinho, sem janela mas bem legal. Com banheiro e tudo. E depois subimos para ver o quase Titanic saindo da Escandinavia rumo a Rússia,... E o vento soprava forte... Assim como o medo de entrar em território russo...

Claro que tínhamos que perder uns EUR 10 numas maquininhas do Cassino do Navio hahaahah... ::hahaha::::hahaha::::hahaha::

 

Dicas conquistadas com Breno mais uma vez ... No “VEM COMIGO”

http://brenob.wordpress.com/2007/08/28/enfim-helsinque/

 

 

RUSSIA SERÁ POSTADA NO DECORRER DA SEMANA ! ::putz::

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Isso aí ta muito bom o relato continue assim..

uma dúvida... nesses voos low cost vc passa pela immigração..????? pois pensei em chegar em barcelona em um deles caso não passe...

abc

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

pode deixar leandro... vlw pelo elogio

 

olha, vc só passa na imigração quando entra e sai da EUROPA...

por la, vc passa batido. fica tranquilo com isso.... tem q focar simplesmente na ENTRADA da europa !

 

abraço

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Dia 15 de maio,terça – 14º DIA

St. Petersburg (Rússia)

 

Chegando na Rússia, nem preciso falar que TUDO complica mais. Saímos do navio e o movimento era todo no mesmo sentido -> dificuldade praquele mundo de gente sair por apenas DUAS PORTAS e dai direto para muita fila na peregrinação para alfandega. Eta coisa mais chata. Teve até gritaria, nem fila preferencia tinha. É a vida, não tem jeito. Passando pela alfandega, onde nos olharam meio torto, TUDO CERTO. É preciso ter em maos dados de onde você ficara hospedado e quantos dias ! Eles vão te dar um papelzinho (o outro lado da guia que você preencher) e, quando for sair do pais, deve-se entregar isso (só que pra gente ninguém pediu nada).

 

ENFIM, WELCOME TO ST. PETERSBURG ! Ei, você fala russo? Não, nem eu… Mas eu tive muita sorte. Sei o alfabeto grego (por ser descendente) e isso me ajudou E MUITO. O alfabeto cirilico lembra muito o grego, então rolava um certo improviso por mais que não soubesse o que tava lendo. E não esqueça, na RUSSIA não se bebe água da torneira.

 

Lá na própria estação, no porto, fui trocar o dinheiro. Troquei logo US$ 200. Dólar não parava de subir e decidi que dai por diante iria só trocar, chega de cartão. Obviamente a mulher fez mimica por que lá NINGUÉM lada inglês. E nem tenha alguma esperança que as pessoas façam muita questão de te entender, não em St. Petersburg.

 

Mas, de repente, aparece um cara da St.Peter Line perguntando (em inglês claro) quem iria pro centro! Pegamos a van com um motorista SUPER mal humorado que não dava um ai nem em russo ! Tcharam ! Ele deu a volta em alguns quarteirões e parou em um hotel, fazendo um sinal de que dali não sairia mais ! Legal ne? ::lol3::::lol3::::lol3::

 

Simpleslmente perguntamos para ele e APONTAMOS NUM MAPA escrito tanto em inglês como em russo, a famosa Neviski Prospekt, a famosa rua de St. Peterburg que era perto do nosso hostel (o primeiro da viagem). Ele apenas apontou pra um lado e foi fumar. FDP ! A única coisa que sabiamos era que NEM no mapa estávamos ! ::essa::

Mas sério, que lugar dificil. Ninguém fala, ninguém te responde. Algumas pessoas tinham medo, outras viravam a cara e outras jovens simplesmente RIAM ! SIM, RIAM de turistas cheio de malas só porque perguntamos: “ENGLISH?” “NEVISKI PROSPEKT”? É mais ou menos o mesmo que vir ao RJ e perguntar por Copacabana, mas nada dava certo. Pode ser o sotaque ? Talvez ! Um ou outro gato pingado balbuciava algo do tipo METRO, mas se vendo as ruas já tava difícil, imagina no metro. As ruas são altas, a maior parte de pedrinhas e não tem acesso algum com rampas e etc. INCLUSIVE nas passagens subterrâneas das ruas principais,.... eh segurar a mala e BEIJO ! ::sos::

 

Resumo da opera, rodamos uns 4km com as malas e enfim chegamos no bendito hostel passando pela desgraça da Neviski Prospekt. Pegar taxi? To fora... Fui pra Rússia já sabendo que ia passar perrengue e não queria deixar dinheiro com aquele povo não !

 

Ponto positivo: nenhum lugar me senti ameaçado. Sempre com minha máquina a mostra e dando pinta de turista com mapa na mão !

 

Largamos as malas no hostel, muito simples mas bem arrumadinho. E, mesmo faltando muito para o check in (a esse ponto ainda eram 12 hrs, NO MÁXIMO), fomos andar. Dica: tenha um mapa em russo e outro em inglês (se for o mesmo mapa com as duas línguas, ótimo), caso contrário, sente e chore ! Aqui nada é obvio ! E os números nas ruas não são iguais ao nossos, seguindo aquela numeração que a gente já conhece (deixa isso pra lá...)

A surpresa foi, adivinha,... o próprio hostel. Nadja, a moça que trabalha lá, fala um inglês perfeito e nos deu várias dicas, por sinal, foi REALMENTE o único momento em St. Petersburg que nós gastamos o inglês (ainda vou tentar me lembrar de outro, tirando o cara da St. Peter Line que nos colocou naquela van).

 

Vou ser muito criticado por essa minha opinião, mas St. Petersburg pode ser a estrela dos olhos de muitas pessoas, mas foi a decepção da minha viagem. Tudo bem que eu não goste de museu, mas todos os outros lugares me agradaram tanto que simplesmente não consegui me encantar pela cidade.

 

Começamos nossa peregrinação passando em frente ao Russian Museum e depois na Church of Our Savior on Spilled Blood (Igreja do Sangue Derramado). Linda por dentro e por fora mas o preço, putz... 250 rublos por pessoa (e não tem desconto a não ser que esteja com a carteira da ISIC). Isso dá praticamente R$ 17 por pessoa (na nossa cotação). Parece pouco mas não é. Até porque tudo é pago. Não tem igreja gratuita ! É de impressionar como as igrejas russas ostentam. Não existe espaço branco em lugar algum. Tudo com mtas pedras preciosas, pinturas e (tumulos)... Parecem verdadeiros cemiterios mas lindissimas. Realmente vale a entrada em uma ou duas igrejas, porque por mais que sejam lindas, é tudo muito parecido.

 

20120605211840.JPG

 

20120605212230.JPG

 

upload/galeria/fotos/20120605213637.JPG

 

De lá fomos almoçar no Subway e foi uma verdadeira comedia. É incrível como ninguém fala um AI em inglês, esse subway ainda tinha escrito ao lado do nome com as letras que a gente entenda mas passado por outros que não tinham e eramos ENXOTADOS sem uma única alma viva aparecer para oferecer qualquer tipo de ajuda.

Casa de cambio tem em qualquer lugar na Nevisky Prospekt, uma vez nela, você dificilmente se perderá. A rua é gigante então fomos descendo ela em direção ao Rio Neva e ao Hermitage.

 

20120605212721.JPG

 

Lindo, poderia resumir assim. Um porte impressionante. Bem, pelo menos por fora. Não me interessava em nada fazer o tour lá dentro. Zero interesse por obras de arte, sou mais da arte grega do que da arte “quadro”... E ainda dizem que precisa-se de meses (ou até anos) pra conhecer esse museu todo.

Ele fica bem na Palace Square (Dvortsovaya Ploshchad). Então fomos tirando as zilhões de fotos e resolvemos passar por trás do Hermitage pra ver o também famoso rio Neva que me lembrou e muito a Baia de Guanabara, (brincadeira,.... tem cheiro não).

 

Mas tipo, é só isso? O charme dessa cidade são os canais, nos quais passam muitos barcos de turismo e etc. São lindos e multiplos. Talvez tenha sido mesmo por isso que a cidade recebeu o apelido de Veneza. Ok, zero interesse de conhecer Veneza a partir de agora. Claro que posso ter ficado com a impressão errada, ter dado o azar que dei de manha e ter fechado a cara e a mente por completo pra cidade, mas, depois de conhecer Moscou, mais uma vez tenho em mente que St. Petersburg pra mim foi apenas um lugar para fotos bonitas e muito gasto de pernas.

 

Pois bem, onde eu estava mesmo? Ah sim, Rio Neva (ele tem sim o seu charme, ainda mais que do outro lado é possivel ver A Fortaleza de Peter and Paul Peter and Paul Fortress (Petropavlovskaya Krepost). Linda, pelo menos vista do outro lado do Neva. Ir lá? Nem pensar. Mas apoio 100% quem quiser ver o que tem lá...

Não dá pra falar que o lugar é feio porque ai já é pegar pesado. A cidade é linda. Toda classica, você não ve uma arquitetura nova (lembrando que só vi mesmo isso bem fora do centro de Moscou e em Oslo). O sol também ajudou bastante.

 

upload/galeria/fotos/20120605213009.JPG

 

Continuamos beirando o Hermitage (só que por trás) e seguimos o mapa em direção a Catedral de Saint Isaac simplesmente porque ela estava marcada no mapa como ponto principal.

 

upload/galeria/fotos/20120605214048.JPG

 

Mais 250 rublos para cada e entramos lá. Realmente linda. Cada detalhe de impressionar. Por sinal as gifts shops que tem dentro dessas igrejas foram os lugares MAIS BARATOS para comprar lembrancinhas que nós encontramos na cidade. Por fora ela também é linda, vale a pena continuar andando e seguindo ... tirando fotos. Porque entrar nos lugares estava cada vez mais cansativo, até porque depois daquela manha...

 

20120605214446.JPG

 

Com o mapa na mão, sabendo onde eu estava e onde estava a nevisky, não nos perdemos nenhuma outra vez. Essa é a parte legal, você só se perde na hora de chegar na cidade, depois fica tudo tão fácil que você acha que já domina legal o russo.

 

Depois disso, mais andança. Demos um pulinho na Opera de lá, tirar foto e, depois de muito andar e rodar, já quase morrendo, decidimos ainda rodar mais a neviski prospekt para ver as coisas.

 

Comida e Compras:

A comida aqui é mais barata que na Escandinavia. Mas parou, comida e transporte, MAIS NADA. Shopping? Nem pensar. Eu até comprei coisas mas são caras. A própria H&M aqui é bem mais cara. Contudo, o comercio aqui foi simplesmente inesquecível. Nunca vi tanta gente comprando tanto. Pessoas loucas, estravagantes. Nisso lembrou e muito New York. Parece que no pós socialismo, os russos realmente resolveram ir atrás do tempo perdido.

 

Se quiser tentar a sorte, o melhor lugar pra se comprar é num shopping que tem EXATAMENTE atrás da estação de trem que fica +- a 1.8km do nosso albergue (lá que pegamos o trem para Moscow). É realmente inacreditavel a variedade que tem lá e é o que mais se aproxima de um shopping aqui no brasil (principalmente porque aqui sim tem banheiros gratuitos, pessoas batendo perna e etc...) Mas o preço é salgado, e nem aconselho entrar em lojas americanas. Evite as lojas e “falsos shoppings” da Neviski Prospekt. Quase em frente da rua do nosso albergue tinha um. Uma enganação. Todas as lojas são abertas uma com as outras, você só tem que ir andando e passando por elas, mas de repente o corredor acaba, você tem que sair do shopping e voltar a entrar nele pelo outro lado. Nunca vi nada parecido ! E NADA interessante de se olhar !

 

Enfim, o dia tava morrendo pra gente, mas vamos tentar fazer outra janta? Dessa vez mais nutritiva? Eu queria mas minha mãe não. Fui então a um italiano quando me impressionei com o preço do lugar. MEU DEUS, pelo menos deve ser bem servido né ? Que nada !!! O MENOR PRATO DE MACARRÃO QUE EU JÁ VI NA VIDA. Alguem aqui sabe a porção do Spoletto ? Divide por 3 ! EU NÃO TO DE SACANAGEM ! e olha que eu ainda tinha pedido 2 pratos vazios pra dividir a porção. UHAhahaiuAHihaHI, DIREEEEETO pro MC Donalds ! Nessa hora eu já sentia uma falta ENORME da Escandinavia viu ... (PS: evite macarrão na Rússia como um todo, foram 3 tentativas e nas 3 vieram um prato MINUSCULO, ou seja, não foi má fé do restaurante, é tradição!).

 

Back to Hostel, time to Sleep. Sono demais pra curtir as noites brancas de St. Petersburgo, mesmo sabendo que teria claridade até 23 hrs ou mais.

 

Dia 16 de maio,quarta – 15º DIA

St. Petersburg (Rússia) e saída para Moscow (Rússia)

 

O dia seguinte, nada mesmo ! O hostel tinha café da manha incluido mas só começava depois das 9 hrs. Nem adiantou madrugar ! Esse foi o dia que a gente rodou várias lojas e foi quando descobrimos que tudo era caro... Principalmente quando largamos as bagagens num locker da estação de trem (bem barato por sinal) e fomos ao shopping que eu citei no dia anterior e ao supermercado (é logico), afinal, iamos enfretar uma longa noite num trem de terceira classe.

 

upload/galeria/fotos/20120605213340.JPG

 

DICA:

PASME! Deficiente não tem vez nessa cidade e nem em Moscow. 99% das calçadas não tem rampas ou acessos para eles e para nossas malas. TUDO foi uma dificuldade. A estação de trem é cercada por escadas, idem a área dos lockers. TUDO foi uma peregrinação dos infernos. Eu já não tinha mais braços para nada. Cada vez que eu olhava uma escada na minha frente, já me batia uma depressão. Não citei anteriormente mas no albergue foi a mesma coisa. É algo tão ultrapassado você ver TODO mundo entrando e saindo da estação tendo que levantar as malas... chega a ser deprimente ! Sem contar que quem não tem mala te reboca. É o famoso “sai da minha frente”, o mesmo mesmo que existe em NY (a diferença é que aqui não se usa o seco – “excuse me”). Em Moscow chega até ser agressivo, você não pode parar pra tirar foto que “fatalmente” será rebocado ou pisoteado pela leva de gente no metro ...

 

Sei que deixei de ir e explorar muitos lugares nessa cidade que todo mundo gosta, mas vou ser sincero. Não to nem ai! Moscow desfez toda a impressão ruim que eu tive da Rússia no primeiro instante, mesmo tendo lá os seus defeitos.

 

upload/galeria/fotos/20120605214927.JPG

 

Ah, não podia deixar de contar a peregrinação noturna no trem, no vagão de terceira classe. Ahahahah. Dormir com o pés pro corredor, onde todo mundo passa, numa cabine pra 6 ou cinco pessoas. Sim roupa de cama, Sim banheiro decente. Dormi a noite inteira, também, tava acabado. Mas a coitada da minha mãe que ficou vendo “e sentido” o colega ao lado emborcar um alcool de 5 em 5 segundos, não tem preço. Eu juro que eu adorei a viagem, também, não me lembro de nada. Dormi na cama de cima sem ter espaço pra me mover mas foi excelente, experiencia única :) Acordei outra pessoa, com vontade de devorar Moscou e esquecer St. Petersburgo !

 

PROMETO UM ÓTIMO DEPOIMENTO DE MOSCOW NO FINAL DE SEMANA... ATÉ PQ MERECE ::hãã2::::hãã2::::hãã2::

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

cara estou acompanhando seu relato,muito interessante por sinal,especialmente a parte da escandinava onde farei minha proxima trip.

oque seria do preto se todos gostassem do branco,nao eh mesmo?

eu,apesar de terem batido minha carteira no metro em St Petersburg,simplesmente amei a cidade,muito mais que Moscow.me hospedei no Crowne Plaza,e no hotel todos sem excessao falavam bem ingles.e verdade que em Moscow vc encontra mais pessoas que falam ingles doque em S P,mas os russos em geral sao bem secos e nao muito amigaveis mesmo.

parabens por seu relato,continue assim,abs

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

vlw Sergio ...

É bom gostar do preto, mesmo sabendo que sim, todos gostam do branco. mas temos suas exceções neh ... heheehehhe

Poxa, que droga que te aconteceu em St. Pet hein. Mas é aquilo. ou se perde no roubo ou se perde jogando...

 

Russia tá qse qse pronto ... mas postar vai ser um saquinho,,, ahhhaha

na verdade quero que abra uma página 3. a página 2 já ta muito pesada

 

abraços e se tiver qlq duvida, pergunte

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

hola zervelis,blz?

olha ja estou quase fechando meu roteiro,ai vai;

chegada em

Dublin -11/03 as 8.00am

Copenhagen- 12/03 chegada 2.15pm

Oslo 15/03 7.20pm

Stockholm 18/03 6.00pm

Helsink 21/03 0.55am

Minsk 23/03 9.15pm

Krakow 26/03 5.35pm

Athens 30/03 2.45pm

Mykonos 03/04 nao decidi ainda barco ou aviao

Santorini 06/04 same

Dublin 10/04 6.05pm

Belfast 13/04 day trip from Dublin

15/04 BACK HOME

que vcs acham,preciso aumentar ou diminuir dias?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.




×
×
  • Criar Novo...