Ir para conteúdo

Mar Morto - Israel


Oswaldo Bak

Posts Recomendados

  • Membros

Um dia no Mar Morto

 

nosso blog: www.212dias.blogspot.com

 

O Mar Morto fica no ponto mais profundo do planeta, num dos lugares mais hostis para a vida humana. É uma região que fica a 415 metros abaixo do nível do mar, no deserto da Judeia, entre a Jordânia e Israel. Nós estávamos a 90 quilômetros de lá e não poderíamos deixar de conhecer a maior depressão do mundo.

 

Nós alugamos um carro e tiramos o dia para conhecer as principais praias desse enorme mar sem vida. Com salinidade 40 vezes maior que o normal é impossível haver qualquer tipo de ser vivo. O dia que escolhemos era de sol, sem nuvem no céu e da estrada já pudemos sentir o aumento de pressão e a mudança do relevo. É um lugar praticamente inabitado, com clima desértico e que vive em função do turismo, com exceção de alguns Kibutz – comunidades produtoras de itens específicos.

 

Na estrada os camelos esperam os turistas pra uma foto ou pra uma voltinha no deserto...

Ao longo da costa israelense existem várias praias com pequenas estruturas, algumas pagas, outras não. A primeira praia que paramos foi a praia de Kalya, onde a entrada custa cerca de 50 shekels ou R$ 25,00 por pessoa. Como estávamos de carro e queríamos explorar bem a região seguimos adiante para praias mais interessantes, menos montadas para o turismo. A segunda parada foi em Ein Gedi, onde curtimos boa parte do dia. O termômetro marcava 48 graus! O sol estava de rachar e a única coisa que queríamos era dar um belo mergulho, coisa quase impossível no Mar Morto. A enorme concentração de sal impede que qualquer ser humano fique totalmente submerso, como numa piscina ou mar comum. Mesmo que você faça força, vai ser difícil afundar, é como se o seu corpo estivesse o tempo todo numa boia. A experiência é bem interessante e divertida, o que não é recomendável é ficar muito tempo dentro d’água porque em poucos minutos a pele se desidrata, sem contar a sensação de mal-estar e tontura por causa do calor.

 

Lembre-se de não abrir os olhos e nem deixar a água entrar na boca, o gosto é amargo – horrível - e os olhos ardem de uma maneira indescritível. A praia é pequena e estava cheia. Turistas de vários lugares do mundo lotavam o mar, se divertiam e ao sair sem chinelo queimavam os pés nas pedras e no caminho que leva aos chuveiros de água doce...

 

O Mar Morto diminui um metro por ano, por isso corra antes que ele seque!

 

A nossa terceira e última parada foi na praia Ein Bokek, um impressionante complexo de Resorts e hotéis cinco estrelas construído no meio do deserto. Tem até Mc Donald’s... Esticamos nossa canga, mas não aguentamos ficar muito tempo no calor, mesmo debaixo do guarda-sol.



A lama do Mar Morto é conhecida mundialmente por suas propriedades terapêuticas. Na hora do mergulho, diferente da outra praia, tomamos um susto com a temperatura da água. Estava muito quente! Nessa praia, o termômetro marcava 50 graus, mas a sensação térmica era de 60. Muita gente se hospeda por lá, certamente pelo conforto oferecido pelos hotéis de luxo, mas o Mar Morto é um destino que não pede mais de um dia.

O ideal para conhecer o Mar Morto é alugar um carro para ter autonomia. Assim fica fácil explorar bem região. O legal é parar várias vezes ao longo da estrada e curtir vistas incríveis desse imenso lago salgado.

 

De onde viemos: Jerusalém ( de carro)

Para onde vamos: Jerusalém ( de carro)

  • Gostei! 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa

Você pode postar agora e se cadastrar mais tarde. Se você tem uma conta, faça o login para postar com sua conta.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

×
×
  • Criar Novo...