Ir para conteúdo

Bolívia - Peru - 27/12/2011 a 12/01/2012 - Com fotos e valores


Posts Recomendados

  • Membros

Boa noite

 

Hj lendo alguns relatos de viagem aqui, me deparei com muitos que foram abandonados pela metade, deixando a galera na mão em busca de informações. Pensando nisso, resolvi, mais de 1 ano depois, relatar pra vcs aqui a minha trip por esses dois fantásticos países. Os preços aqui publicados se referem à data da viagem. Creio que não houve mudanças significativas nos valores. Viajamos com a intenção de conhecer o máximo de lugares possíveis e aproveitar a noite o máximo possível. Sendo assim, vamos lá.

 

Compra das passagens

 

Compramos as passagens ainda no mês de junho/2011, ou seja, 6 meses de antecedência. Pesquisando sobre as aéreas que faziam o trecho SP x La Paz, nos animamos com o preço da hj extinta Aerosur. A passagem do trecho SP x La Paz (com conexão em Santa Cruz de La Sierra) saiu por inacreditáveis R$ 550,00 ida e volta, já com a taxa de embarque do Brasil inclusa. Compramos pela submarino viagens pela facilidade em parcelar a compra. O trecho de BH x SP saiu por R$ 120,00, ida e volta, pela TAM, sendo comprado diretamente no site da TAM. Não tivemos problemas algum em comprar pela submarino e em 10 minutos ou vouchers já estavam em nosso email.

 

Dia 1 - 27/12/2012

 

Nosso voo de BH para SP estava marcada para 6:00 da manhã. Chegamos em SP Exatamente as 07:05 e 20 minutos depois estávamos com nossas mochilas em mãos. O problema é que nosso voo de SP para Bolívia estava marcado para 17:00. Muita gente me perguntou na época o pq de ir tão cedo pra SP. Eu explico: na época, falava-se em greve dos aeroportuários, e, por ser final de ano, ficamos com medo de acontecer algo de errado com o voo e por isso não arriscamos a sair de BH na parte da tarde. Além do mais, dormir algumas horas no chão do aeroporto não faz mal a ninguém e, tinha muita gnt fazendo isso. Rodamos o aeroporto inteiro e por volta de 10:00, fomos ao ultimo piso do aeroporto e deitamos um pouco num jornal que compramos justamente pra não deitarmos diretamente no chão. Ficamos ali até por volta de 14 hrs, qdo abriu o check in. Despachamos as mochilas e fomos almoçar (Mc Donalds).

 

O voo saiu sem atraso e 3hrs depois estávamos em Santa Cruz de la Sierra e seu calor sufocante. Trocamos alguns doláres por Bolivianos ali mesmo no aeroporto, já que não haveria tempo de ir até a cidade e ficamos com medo de não encontrar casa de cambio aberta em La Paz qdo chegarmos, já q precisaríamos de grana para pagar taxi e a primeira noite do hostel. Conexão de 1 hora em Santa Cruz e o voo novamente saiu sem atraso. 1 hora depois estávamos na gélida El Alto, ontem fica o Aeroporto. É uma cidade vizinha de La Paz. Quando desembarcamos, o piloto avisou sobre a temperatura local, 6º graus. Nada mal pra quem tinha saido de Santa Cruz e seus 30º e tantos graus. A minha sorte é que estava com um moleton na mochila de ataque e não tive maiores problemas. Tb não senti o famoso Soroche, ou mal de altitude. Mas isso varia de pessoa pra pessoa. Dois dos meus amigos (éramos 4) tiveram problemas, um deles chegou a vomitar muito. Por precaução, tomei 2 chás de coca no avião, no trajeto Santa Cruz x La Paz. Ajuda e muito.

 

Chegando em alto, pegamos um taxi até o LOKI HOSTEL (calle Loyaza, 420). Indico para todos. Quartos limpos, banheiros idem, café da manhã justo e tem um pub que rola umas festinhas até umas 2 da matina. O som não incomoda nos quartos. Ah, possui computadores para uso do pessoal e wi-fi. Possui lockers tb, o que eu acho imprescindível, mesmo estando nós em um quarto privado. Como chegamos em La Paz cansados, tomamos banho e resolvemos ficar no pub do Loki msm, haja visto que já eram mais de 9 da noite. Tomamos umas Paceñas por lá e jogando conversa fora, até a hora de dormir

 

Taxi - Aeroporto (El Alto) x Loki Hostel = BOL $60 (15 bolivianos para cada)

Paceña no pub do Loki = BOL $15 cada

Diária no Loki = BOL $ 57 por pessoa (quarto 4 pessoas, com banheiro privado)

Cambio = R$ 1 = BOL $ 3.30

US$ 1 = BOL $ 6.92

 

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130115002252.JPG 500 375 Legenda da Foto]Aeroporto Viru Viru - Santa Cruz de la Sierra[/picturethis]

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130115002505.JPG 375 500 Legenda da Foto]Loki Hostel La Paz[/picturethis]

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130115002750.jpg 500 332.089552239 Legenda da Foto]Pub Do Loki[/picturethis]

 

 

dia 2 - 28/12/2011

 

Acordamos cedo, tomamos um café da manhã bom e com bastante chá de coca. O Loki te dá a opção de comprar um café da manhã mais completo, se não me engano, eles chamam de café da manhã continental. Vem a mais ovo, bacon e torradas. Pelo preço valia a pena. Saímos para fechar os passeios do dia seguinte e conhecer La Paz. Rodamos no centro (Plaza Murillo, onde fica o Palacio del Gobierno, Congresso Nacional) Iglesia de San Francisco, Mercado de las Brujas, Avenida Illampu. Uma coisa bizarra que vi lá foi um senhor, vendendo pipoca doce um um carrinho de mão. Isso msm. Ele coloca as pipocas num grande saco e depois coloca esse saco num carrinho de mão e sai vendendo. Achei massa. Compramos Soroche pills e trocamos mais dinheiro em uma das inúmeras casas de cambio da calle Sagarnaga. Em uma dessas casas, perguntei sobre os Mercado de las Brujas. Na verdade, o mercado é umas rua estreita que corta a calle Sagarnaga. Vale muito a pena. Vende-se de tudo em artesanato, folhas de coca, e é claro os famosos fetos de lhama. Utensílios de prata são muito baratos na Bolívia, pra quem gosta, vale a pena comprar, assim como jaquetas de couro. Comprei apenas um pacote de "Hojas de Coca" para usar no Chacaltaya no dia seguinte. Nessas andanças pelo Mercado, encontramos com um artesão uruguaio, chamado Edgard, que logos nos reconheceu como brasileiros e mineiros, por causa de um cigarro de palha (isso nos deus problema, vou relatar mais adiante) que um amigo nosso estava fumando. Conversa vai, conversa vem, descobrimos que o Edgard estava aguardando a embaixada uruguaia providenciar seus documentos para que ele pudesse voltar ao Uruguai. E, o mais incrível: Ele conhecia nossa cidade aqui em MG. Qual a possibilidade de alguém, em La Paz, conhecer uma cidade do interior de MG? (Somos de Timóteo, vale do aço mineiro, do lado de Ipatinga). Ele contou que conheceu o leste mineiro depois de participar de um encontro em BH e depois saiu conhecendo o estado até chegar na Bahia. Enfim, conhecemos o resto do mercado, as ruas em volta e voltamos para perto do Loki onde almoçamos numa espécie de KFC Boliviano, chamado Pollos Copacabana. Comemos coxa de frango com papas fritas e refrigerante. Em seguida, fechamos os passeios do dia seguinte para o Chacaltaya e Valle de la Luna. Fechamos o pacote na Budget Platinum Tours que fica do lado do Loki Hostel. Voltamos para o Loki, tomamos banho e fomos degustar umas Paceñas (caliente :D ) no pub do Loki

 

Folhas de Coca - BOL $ 5

Pollo com papas fritas - BOL $ 20

Passeio ao Chacaltaya e Valle de la Luna - BOL $ 60

 

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130115010742.JPG 500 375 Legenda da Foto]Edgard[/picturethis]

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130115010953.JPG 500 375 Legenda da Foto]Plaza Murillo[/picturethis]

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130115011152.JPG 500 375 Legenda da Foto]Fetos de lhama[/picturethis]

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130115011306.JPG 500 375 Legenda da Foto]Vai uma pipoquinha ai?? r[/picturethis]

 

 

Dia 3 - 29/12/2012

 

Acordamos cedo, tomamos o café da manhã, pra variar com bastante chá de coca e, pontualmente as 8:30 uma Van estava nos buscando para a subida ao Chacaltaya. Com exceção dos guias (bolivianos, obvio) e de uma simpática senhora colombiana, eramos todos brasileiros na Van . A subida até aos seus 5300 m de altitude demorou em torno de 1:30 h. No caminho, param numa vendinha para que possamos comprar água e algum alimento. É muito importante levar, já que do Chacaltaya, o passeio vai direto para o Valle de la Luna, então nem pense em almuerzo, porque nao vai rolar. Compramos agua, banana e alguns biscoitos e não esqueci, é claro, das folhas de coca. No caminho para a montanha, passa-se pela periferia de El Alto, que é muito pobre e feia. No inicio da subida para a montanha, paramos para tirar algumas fotos e apreciar a paisagem por alguns poucos minutos. Até então não tinha sentido os efeitos da altitude, até chegar no ponto máximo onde se vai de carro no Chacaltaya, ou seja, aos 5200 m. Quando desci, senti tudo rodar e a cabeça estava ponto de explodir. Tomei um chá de coca oferecido pelo guia e coloquei um monte de folhas de coca no canto da boca e fiquei mascando. Impressionante como melhora e muito rápido. Em seguida, comecei a subir os 100 metros restantes, a pé, onde, depois de 45 minutos (isso msm, 45 minutos pra percorrer 100 metros) consegui chegar até onde era possível. Recordo que eu e um amigo (Fred) conseguimos chegar até lá, os outros 2 ficaram pelo caminho. Recomendo mto a subida, o visual é fantástico. Mas nao esqueçam de óculos escuro, muita roupa e luvas. Fazia muito frio e o vento baixava a sensação térmica ainda mais, fora a nevasca que pegamos. Descemos os 100 metros, entramos na van e ai que o pior estava por vir. A neve tinha tomado dos primeiros metros da descida. Corria sério risco da van cair penhasco abaixo (ou como dizemos aqui em MG, barranco abaixo). A solução foi um guia, com uma pá, tirando a neve e a gnt descendo a pé. Mas foi tranquilo, até onde chegamos no ponto que nao tinha mais perigo. Em seguida, fomos para o Valle de La Luna. Na descida, um de nossos amigos se sentiu muito mal e começou a vomitar. Preferi ficar pelo caminho e voltei ao Loki com ele, portanto nao fui ao Valle. Os outros 2 amigos que foram gostaram mto. A noite, pra variar, pub do loki, paceñas e sinuca.

 

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130115013749.JPG 500 375 Legenda da Foto]Refugio do Chacaltaya. Ai já estava a caminho dos 100 metros finais[/picturethis]

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130115013928.JPG 500 375 Legenda da Foto]Aposto que vão falar: uai, mas vc é mineiro e corinthiano?? ::hahaha:: .[/picturethis]

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130115014126.JPG 375 500 Legenda da Foto]Topo do Chacaltaya[/picturethis]

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130115014521.jpg 500 332.089552239 Legenda da Foto]Final do dia, uma sinuquinha pra relaxar.[/picturethis]

 

dia 4 - 30/12/2011

 

Acordamos cedo, tomamos o café mais reforçado do Loki, compramos agua e partimos rumo a região do Cemitério em La Paz. As 10:00, pegamos uma espécie de microonibus com destino a Copacabana, nas margens do lago Titicaca. Saímos de La Paz 10:30. Em San Pedro de Tiquina, temos que atravessar o lago. Os passageiros vão em um barco e o onibus numa espécie de Balsa. Como o onibus entra numa fila pra atravessar, dá pra aproveitar o visual do lago. É coisa de outro mundo, sem lógica. E venta frio tb! Chegamos em Copacabana por volta de 15:00 e o onibus que saia com destino a Puno já tinha saído. Segundo um policial, o próximo seria somente as 18:00. Mas msm saindo as 18:00, não chegaríamos a tempo em Puno de pegar o onibus das 22:00 com destino a Cusco. Nessa hora me bateu um desespero. Mas o msm policial me deu uma ideia boa, mas um tanto quanto perigosa. Ele me orientou a pegar um taxi de Copacabana até a fronteira peruana. Ele falou que até ai era tranquilo, mas que depois poderíamos ter problema. No desespero, pegamos um taxi até a fronteira e 20 minutos depois estávamos lá carimbando nossa saída da Bolívia e nossa entrada no Peru. Cambiamos alguns dólares por Soles (SOL) e perguntamos para um policial do exército peruano como fazer pra chegar até Puno. Ele nos orientou a pegar um taxi até a cidade de Yunguyo e de lá pegar uma van até Puno. E assim fizemos. Pegamos um taxi e em poucos minutos estávamos em Yunguyo. Foi o lugar onde mais senti medo em toda a viagem. Era meio deserto, não vi um policial na rua. Todos encaravam a gnt, sabiam que eram turistas. Ali fiquei com medo de ser assaltado. Na cidade tinha somente algumas vans e uns comercios. Compramos água e fechamos a ida até Puno com uma Van que tinha ar condicionado. 2 Horas depois estávamos em Puno. A cidade fedia, o lago nessa parte nao estava muito limpo. Caminhamos até o terminal rodoviário e procuramos por uma empresa para irmos, as 22:00 para Cusco. Fechamos com a Inka Express. Procurei um lugar para tomar banho na rodoviária, mas o banheiro mal mal dava pra entrar. Desisti do banho e parti para um restaurante na rodoviária msm. Chovia mto nessa hora e nao tinha como sair. Resolvemos comer ali uma truta do lago, com arroz e papas, além da tradicional (e ruim) Inka Kola, vendo um episódio de El Chavo Del Ocho. As 22:00 embarcamos num onibus novo, mas eles exageravam na calefação, a ponto de suarmos mto, parecendo sauna. Não consegui dormir 1 minuto da viagem.

 

Taxi Loki x Cemitério La Paz = BOL $ 10 (dividido pra 4)

Onibus La Paz x Copacabana - BOL $ 50 (pra cada)

Travessia lago em San Pedro de Tiquina - BOL $ 1,50

Taxi Copacabana x Fronteira Peru = BOL $ 15 (dividido pra 4)

Taxi Fronteira Peru x Yunguyo = SOL $ 1

Van Yunguyo x Puno = SOL $ 20

Onibus Puno x Cusco = SOL $ 50

Truta com arroz, papas e inka kola = SOL $ 15

 

Cambio = R$ 1 = SOL $ 1.30 (Em cusco, pq em puno pagava-se 1 x 1)

US$ 1 = SOL $ 2.67

 

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130115021441.jpg 373.456790123 500 Legenda da Foto]A caminho de Copacabana[/picturethis]

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130115021814.jpg 500 332.089552239 Legenda da Foto]Titicaca sensacional.[/picturethis]

 

 

Dias 5 e 6- 31/12/2011 e 01/01/2012

 

Chegamos em Cusco 5 da manhã, num frio de matar. E como tava quente pra caramba dentro do onibus, eu viajei de bermuda e chinelo. Mas deixei o moletom na mochila de ataque. Pegamos um taxi da rodoviária até a Plaza de Armas. Sentamos lá para pensarmos o que iamos fazer, haja visto que nossa reserva no PIRWA COLONIAL HOSTEL era a partir do dia 01/01/2012. Compramos umas hamburguesas com queso no Mc Donalds e ficamos ali sentados na praça, comendo e rindo dos gringos saindo loucos da balada. Por volta de 6 hrs, fomos até o Pirwa, na esperança de ter vagas pra gnt naquele dia. Nao tinha :( O recepcionista, sabendo que tinhamos reserva para o dia seguinte, nos deixou usar o banheiro para tomar banho, guardou nossas mochilas num quarto seguro e permitiu ainda usar os puffs da area de convivência para dormimos um poucos, afinal estávamos mortos da viagem. Dormimos até umas 11 da manhã e saímos em busca de um hotel para passar a noite. Achamos um na Calle Cruz Verde, mas não me recordo o nome. O dono é muito gente boa, nos presenteou com algumas doses de Pisco. O hotel é muito bem localizado, ficando apenas 10 minutos a pé da Plaza de armas (onde tudo aconteceu) e a 5 minutos da avenida el Sol. Dormimos mais um pouco e fomos para a plaza, ver as opções para a virada e comer alguma coisa. Acabei achando uma loja da North Face com preços bem melhores dos que vejo aqui no Brasil. Comprei uma jaquela impermeável por um preço que jamais compraria aqui no Brasil. Na hora de comer, decidimos pelo no Mc Donalds msm. Conhecemos um grupo de peruanas que nos falaram que a virada era ali msm, na praça. Foi o melhor reveilon da minha vida. Gente do mundo inteiro se abraçando, tentando desejar feliz año nuevo para todos e por ai vai. É uma loucura só. E, quando percebiam que éramos brasileiros, só queriam cantar "Ai se eu te pego" ::lol4:: Viramos a noite na Plaza, conhecendo gente do mundo inteiro, conversando com as peruanas que fizemos amizade e quando assustamos, já eram 9 da manhã. E, por incrível que pareça, a Plaza já estava limpa. Nem parecia que havia tido uma festa ali na noite anterior. Voltamos para o hotel e dormimos até meio dia, quando fomos para o Pirwa. Chegando lá, dormimos o resto do dia e acordamos ja a noite, por volta de 8, afinal não dormirmos nada na noite do dia 30 para 31 e viramos a noite do dia 31 na rua. Comemos um BBQ no hostel mesmo e fomos conhecer a noite Cusqueña. As boates em Cusco se concentram todas na Plaza de Armas. Indico a Mama Africa, Inka Team e a Mithology. Não se paga nada pra entrar, pelo contrário, as pessoas ficam na porta, quase que te agarrando pelo braço para que vc entre na boate. E, ainda te dão um drink grátis ::cool:::'> que normalmente é uma Cuba ou um Pisco Sour. A gnt entrava em todas as boates, bebia o drink grátis e depois íamos para aquela que achamos melhor. Normalmente ficavamos entre a Mithology e a Inka Team, que são uma do lado da outra. A Mama Africa é muito famosa entre os turistas, mas nao achei grandes coisas assim não. As bebidas no PEru são mais caras que na Bolívia (aliás, é dificil achar algo mais barato que a bolívia). Ficamos na boate até o dia amanhecer, qdo voltamos para o Pirwa, dormir.

 

Taxi rodoviária x Plaza de Armas = SOL $ 5

Xburger (hamburguesa com queso) Mc Donalds com refri SOL $ 3

Jaqueta impermeável North Face = SOL $ 600

Hotel Calle Cruz Verde = SOL $ 35 (por pessoa)

Pirwa Colonial Hostel = SOL $ 24 (quarto compartilhado - 6 pessoas - com banheiro compartilhado)

BBQ no Pirwa = SOL $ 10

Cusqueña (cerveja mais famosa por lá) = SOL $ 10

Pisco Sour = SOL $ 12

 

 

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130115025704.jpg 500 373.456790123 Legenda da Foto]Expectativa para a virada[/picturethis]

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130115030015.jpg 500 373.456790123 Legenda da Foto]Peruanas[/picturethis]

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130115030229.jpg 500 373.456790123 Legenda da Foto]Plaza de Armas lotada[/picturethis]

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130115030601.jpg 500 332.089552239 Legenda da Foto]Pirwa Colonial Hostel - Mais do que recomendado[/picturethis]

 

 

Dia 7 - 02/01/2012

 

Acordamos tarde já, por volta de 11 hrs e assustados, já que teríamos que ir até Ollantaytambo pegar o trem para Machu Picchu. O trem já estava pago desde o Brasil, consegui comprar no site, via chat. Não consegui comprar sem auxilio do chat por causa do "famoso" Verified By Visa". Comprei o trem Vistadome, da PeruRail. A ida sairiamos de Ollantaytambo e a volta seria até Cusco. No Brasil msm, tentei pagar o ingresso para Machu Picchu com Wayna Picchu através da agencia El Dorado (http://www.machupicchu.com.br). Esqueci agora aqui o nome do proprietário, mas é altamente confiável. NO dia 27/12, quando estava embarcando e ainda nao havia liberado a compra das entradas, liguei pra ele, falando que nao precisava mais e que compraria qdo chegasse em Cusco. Na mesma hora ele transferiu o dinheiro para minha conta, devolvendo todos os centavos ::cool:::'> Comprei as entradas para Machu Picchu na agencia anexa do Pirwa. Me foi cobrado o mesmo valor do site, porém já nao tinha mais entradas para Wayna Picchu ::bad:: Voltando ao dia 2, peguei os ingressos e a gerente do Pirwa (carinhosamente chamada de Mama Violeta) nos disse que, se fossemos de Van, nao chegaríamos a tempos de pegar o trem em Ollantaytambo. A Van custava SOL $ 15 por pessoa. A solução foi ela chamar um taxi que nós levou até Ollantaytambo por SOL $ 22,5 cada. No final, valeu a pena, já que foi mais confortável, rápido e rimos mto do taxista cantando Michel Teló e Banda Dejavu. Chegamos em Ollantaytambo e ainda deu tempo de comprarmos agua e comida para fazer uns sanduiches para comer em Machu Picchu. Levamos somente mochila de ataque, deixando as mochilas maiores em Cusco, no Pirwa. Saímos de Ollantaytambo e 4 horas depois estávamos em Aguas Calientes. Uma cidade pequena, mas linda. Lá já tínhamos reservado o Pirwa Machu Picchu. Chegando na estação de trem, pedimos informação a um policial de como chegar até o hostel. Para a surpresa de todos, o policial não explicou, mas sim nos levou até o hostel. Show de bola ::cool:::'> Fizemos o check in, tomamos banho e saimos para conhecer o pequeno distrito. Procuramos, entre os inúmeros restaurantes, algo para comer e acabamos comendo uma truta com fritas e um filé com um molho apimentado e, pra variar, papas fritas. Tudo muito bom. Voltamos para o hostel e fomos dormir, já que no dia seguinte tinhamos que acordar cedo, a vontade de conhecer Machu Picchu era imensa.

 

Trens Ollantaytambo x Aguas Calientes x Cusco = 89 dólares (para cada)

ingresso para Machu Picchu = SOL $ 128

Taxi Cusco x Ollantaytambo = SOL $ 22,5 (para cada)

Jantar em Aguas Calientes = SOL $ 32 (para cada)

 

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130115033715.jpg 500 332.089552239 Legenda da Foto]Estação de trem de ollantaytambo[/picturethis]

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130115033919.jpg 500 332.089552239 Legenda da Foto]Estação de trem de ollantaytambo[/picturethis]

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130115034328.JPG 500 375 Legenda da Foto] Aguas Calientes[/picturethis]

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130115034449.JPG 500 375 Legenda da Foto]Aguas Calientes[/picturethis]

 

Dia 8 - 03/01/2012

 

Acordamos por volta de 6 da manhã, tomamos café e descemos a rua, cerca de 200 metros, onde ficam os onibus que levam até a entrada de Machu Picchu. A fila não estava grande e a oferta de onibus era grande. Tinha a opção de subir a pé, mas optamos pelo onibus msm. Embarcamos e 20, 30 minutos depois estávamos na entrada do parque. Apresentamos o boleto e entramos. Sobre Machu Picchu, não tem como descrever muita coisa, só mesmo indo e vendo aquilo pessoalmente pra saber a sensação de estar ali. Choveu, fez frio, fez calor, o tempo abriu, fechou de novo, enfim, um lugar mágico. Acho que é proibido, mas conseguimos comer normalmente dentro do parque. Levamos alguns sanduiches e agua. Algumas pessoas informaram que não podia comer por ali. Enfim, não tivemos problema com isso. Fumar por lá, sem chance. Eu não fumo, mas um dos meus amigos sim, e ele não pôde. Saímos do parque por volta de 13 horas, já que tinhamos o trem de volta pra Cusco marcado para 16:00. Carimbamos nossos passaportes com a entrada de Machu Picchu e fomos numa loja de souvenirs ali msm. Foi quando um vendedor chegou perto de mim e disse: Corinthiano?? Ladrone Ladrone...e caiu na gargalhada...eu estava com a camisa do Corinthians e depois ficamos um tempo ainda conversando sobre futebol. Mas nao comprei nada, tudo absurdamente caro. Optamos por descer até Aguas Calientes a pé, por meio de uma trilha na floresta. É tranquila, bem sinalizada e nao há como perder. 1:30, depois de caminhada e um temporal, chegamos ao hostel. Tomamos banho e fomos pra estação de trem de Aguas Calientes. A volta, nossa passagem era até Cusco. Porém, a estação de lá (Poroy) estava em reforma e tivemos que descer em Ollantaytambo mesmo. De lá, a PeruRail disponibilizou onibus até Cusco. Não vi maiores problemas nisso, já que não atrasou em nada. Chegamos em Cusco e fomos comer no Bembos, que é uma espécie de Mc Donalds peruano. Pedi una hamburguesa com queso e tocino, papas medianas e gaseosa personal. O preço não é muito diferente do Mc Donalds não. O engraçado é que na Bembos, vc faz o pedido e eles anotam seu nome. Ai qdo seu pedido fica pronto, eles chama num sistema de alto falante pelo seu nome. Tem que ficar esperto pra entender a pronuncia. Comemos, voltamos pra o Pirwa e depois e fomos para as boates em torno da plaza de armas.

 

Lanche na Bembos = SOL $ 19

Subida busão até Machu Picchu = US$ 9

 

 

20130115164333.JPG

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130115164551.JPG 500 375 Legenda da Foto]Entrada do parque[/picturethis]

20130115165122.jpg

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130115165416.JPG 375 500 Legenda da Foto]Trilha na descida de MP para Aguas Calientes[/picturethis]

 

Dia 9 - 04/01/2012

 

Como ficávamos a noite inteira nas boates em Cusco, voltávamos pro hostel por volta de 7, 8 da manhã. Mas fomos com a intenção de aproveitar o máximo a noite, nos dois países. Se bem que a vida noturna em La Paz não é lá grandes coisas. Por isso, acordávamos sempre tarde, depois de 13:00. Nesse dia, resolvemos experimentar um prato típico peruano: o famoso Cuy. Fomos a um restaurante que fica próximo a Plaza de Armas, nao recordo o nome. Foi indicação da Violeta, do Pirwa. Como éramos 4, pedimos 2 Cuys. O engraçado é que vem primeiro o Cuy assado e inteiro, para que possamos fotografar. Depois eles recolhem e ai fatiam o bichinho. Eu não como carne de porco e nem frango (aprendi a comer na viagem), mas o sabor do cuy em nada me agradou. Uma mistura de carne de porco, só que um pouco mais forte. Juntando com o forte tempero peruano, fica mto forte. Desisti de comer e pedi um bife de lhama. Acho que é desnecessário eu dizer aqui que todos os pratos vem acompanhados com papas fritas né? Esse restaurante fica numa ruela, no final da calle Garcilaso, chegando na plaza de armas. Depois de comermos, ficamos ali na plaza, conversando com gente do mundo inteiro. A noite, comemos o tradicional BBQ do Pirwa, que consiste em um pão com um molho, bem gostoso, papas fritas e um bifão de bisteca. Conhecemos um grupo de 16 brasileiros que estavam viajando juntos, além de 3 paulistanas (Flavia, Mariana e Camila) e uma carioca (Vivi). Pessoas incríveis, companheiras msm. Fomos todos para la noche cusqueña e aproveitamos até o dia amanhecer na Mithology Club e Inka Team

 

Cuy = SOL $50 (cada cuy)

Bife de Lhama = SOL $30

BBQ = SOL $10

 

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130115175122.jpg 500 373.456790123 Legenda da Foto]O famoso Cuy[/picturethis]

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130115175236.jpg 500 373.456790123 Legenda da Foto]Noite de Cusco.[/picturethis]

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130115175526.jpg 500 332.089552239 Legenda da Foto]BBQ Today[/picturethis]

 

Dia 10 - 05/01/2012

 

Acordamos e resolvemos utilizar a ótima estrutura do Pirwa para fazer o almoço. Além do mais, sairia mais barato. Fomos a um supermercado perto e compramos macarrão, bacon, queijo e carne de boi moida, além de coca cola. Fizemos uma bela de uma macarronada no Pirwa. Deu tanto macarrão que convidamos os gringos para comerem com a gnt. Pessoal aprovou o macarrão ::cool:::'> Comemos, andamos um pouco por perto da Plaza e do hostel e sentamos na plaza de armas. O interessante é que a gnt sentava e ficava ali conversando. Quando a gnt assustava, tinha gente de tudo quanto é canto do mundo sentado em volta, conversando. Era, depois das baladas, nosso programa preferido em Cusco. Ficávamos uma grande parte do dia ali, conversando atoa, rindo, fazendo amizade. Acho que essa é, sem duvida, a melhor parte da viagem. Saímos da plaza, fomos ao albergue e depois comemos uma pizza, na mesma rua do restaurante que comemos o Cuy. Afirmo, sem medo de errar: Foi a melhor pizza que comi em minha vida. Pena que tb nao recordo o nome da pizzaria. De lá, pra variar, fomos para a noitada. Nessa altura do campeonato, já tinhamos feito amizade com os Djs da boate, que sempre tocavam musicas brasileiras, com os seguranças, enfim, todo mundo já nos conhecia. Presenteamos o DJ Kevin da boate Mithology com umas musicas brasileiras que ele tinha pedido (sertanejo universitário e funk). Copiamos as musicas que estavam no mp3 de um amigo e gravamos em cd e o presenteamos. Os europeus iam a loucura com Michel Teló. Já os brasileiros não aguentavam mais :D

 

Compras no supermercado para o almoço = SOL $ 12 (pra cada um)

2 Pizzas com 4 gaseosa personal = SOL $ 100

 

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130115181506.jpg 500 332.089552239 Legenda da Foto]Plaza de Armas.[/picturethis]

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130115181915.jpg 500 332.089552239 Legenda da Foto]Plaza de armas com gente do mundo inteiro[/picturethis]

 

 

 

Dia 11 - 06/01/2012

 

Acordamos e repetimos o esquema do macarrão para o almoço. Logo em seguida, saímos para comprar algumas lembranças, numa feira de artesanato que fica do lado da Plaza de Armas. Compramos algumas camisas, uns gorros típicos, xale de alpaca, chaveiros. Em seguida, deixamos os presentes no Pirwa e conhecemos um Curitibano que tinha acabado de chegar. Os companheiros de viagem dele só chegariam no dia seguinte. Sendo assim, saímos para dar uma volta, sem rumo, por Cusco. A esquerda da plaza de armas, subimos pela calle Suecia, depois pela calle Don Bosco, até chegar na plaza San Cristobal, onde tava rolando uma feira com comidas e bebidas típicas, além de danças. Ficamos ali um pouco vendo e descansando e subimos mais a ladeira, onde paramos num bar para tomar algumas Cusqueñas e Cristal. O bar é muito legal e se tem uma visão massa da cidade. Depois de umas e outras, descemos e paramos na Plaza de armas. Tava rolando uma espécie de desfile. Tudo muito bonito e organizado. Pela data, imagino que seja em comemoração do dia de Reis, mas nao tenho certeza. Ficamos um bom tempo ali apreciando e voltamos ao Pirwa. Comemos pizza na mesma pizzaria que comemos no dia anterior. De lá, fizemos um esquenta antes de ir pra balada no próprio Pirwa e em seguida, descemos à Plaza rumo a noitada.

 

Chaveiros de Machu Picchu = SOL $ 12

Camisas = SOL $ 30

Gorros = SOL $ 10

xale de alpaca = SOL $ 40

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130116010034.jpg 500 373.456790123 Legenda da Foto]Bar nas alturas. Ao fundo, a cidade de Cusco[/picturethis]

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130116010207.jpg 500 332.089552239 Legenda da Foto]Feira de artesanatos[/picturethis]

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130116010351.jpg 500 332.089552239 Legenda da Foto]Apresentação na plaza de armas[/picturethis]

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130116010707.jpg 500 332.089552239 Legenda da Foto]Plaza de Armas[/picturethis]

 

Dia 12 - 07/01/2012

 

Dia de despedidas. Saímos para comprar passagens pra aquela noite msm, para Puno. Poucos metros do Pirwa, compramos em uma agencia o bus cama, também pela Inka Express. Voltamos ao hostel e a gerente, Violeta, nos informou que o DJ da boate Mithology, Kevin, estava nos esperando, para convidar para um almoço. Mais uma prova da cordialidade do povo peruano. Saimos caminhando pela cidade, ouvindo as histórias do Kevin. Ele nos levou num restaurante mto bom, chamado El Paisa. Fica na Avenida Micaela Bastidas, 647, junto a avenida El Sol. Comemos o famoso Ceviche (ou Cebiche) e alguns frutos do mar. Tudo muito barato e farto. Ele nos explicou que aquele restaurante, por não ser perto da Plaza de Armas, quase nao ia turistas, somente os locais, por isso o preço baixo. Ficamos apreciando a boa comida, as danças típicas que eram apresentadas e ainda fomos saudados pelo "locutor" da "festa" no restaurante. Voltamos para a Plaza de Armas e nos despedimos do Kevin. Fomos presenteados com um cd do seu setlist e com os melhores hits do Reggaeton. Voltamos para o Pirwa e fomos despedir da Violeta, que foi muito solícita durante toda nossa estadia. Como é de costume lá, sempre se deixa uma camisa de futebol na parede do hostel. Eu resolvi deixar a do meu time de pelada aqui da minha cidade, o Los Locos. Já levei a camisa pensando nisso, em deixar por lá. Não deixei a do Corinthians pq já tinha por lá. Antes de ir, tivemos uma grata surpresa. A Vivi, que conhecemos por lá e a peruana Marcela, que é de Lima, decidiram seguir viagem com a gente. Fomos, pela 3 vez (gostamos muito) na pizzaria que fica perto do hostel, comemos e as 22:00 já estávamos sentido Puno. Uma coisa engraçada que aconteceu logo na saída de Cusco foi que, o onibus, ainda devagar, parou. A gente estava na parte de baixo, que é onde fica as poltronas que inclinam 180 graus e transforma em cama. Tinha uma porta que nos separava do banheiro da parte de baixo e da escada que dava acesso ao segundo andar do onibus, onde ficam as poltronas normais. Assim que o onibus parou, entraram uns 7 peruanos e ficaram ali, nesse espacinho entre o banheiro e escada de acesso ao segundo andar. E, para minha surpresa, nao é que eles foram ali, alguns em pé, outros sentados e 1 dentro do banheiro, até Puno?? Sobre o onibus, em Cusco ele foi mais barato que em Puno, já que pagamos 50 soles por um bus normal no trajeto Puno x Cusco e no retorno, pagamos os mesmos 50 soles, porém por bus cama. Recomendo demais o bus cama. Muito confortável, nao estava quente e quando assustei, já estávamos em Puno.

 

Almoço Ceviche no El Paisa = SOL $ 60

Frutos do mar no El Paisa = SOL $ 60

Passagem Cusco x Puno = SOL $ 50

 

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130116013949.jpg 500 373.456790123 Legenda da Foto]Dj Kevin, de blusa listrada. Grande amigo que fizemos por lá[/picturethis]

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130116014118.jpg 500 373.456790123 Legenda da Foto]Restaurante El Paisa[/picturethis]

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130116014440.jpg 500 332.089552239 Legenda da Foto]Restaurante El Paisa[/picturethis]

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130116014610.JPG 500 375 Legenda da Foto]Camisa do Los Locos na parede do Pirwa Hostel.[/picturethis]

 

Dia 13 - 08/01/2012

 

Chegamos em Puno por volta de 5 da manhã e fomos tomar um café da manhã. Comi um pan con queso e huevo e leche. Tava até bom. Andando pela rodoviária, vi uma coisa que não achei por aqui: Fanta Limão. Mas é igual à Sprite. Por sorte, achamos um onibus que saia de Puno e ia até Copacabana, as 7 da manhã. Graças a Deus não teríamos que fazer toda aquela baldeação da ida. Pegamos esse onibus. Tirando nos 4 e a Vivi, que estava nos acompanhando, todos os outros passageiros eram gringos. Saimos de Puno sem atraso, mas acabamos chegando em Copacabana por volta de meio dia. O que nos atrasou foi na fronteira. Já tínhamos bolivianos (BOL) que trocamos qdo chegamos em La Paz, portanto nao foi preciso cambiar. Compramos agua e biscoito, tanto para comer na hora como para viagem e as 13:00 embarcamos num barco com destino a Isla del Sol. A viagem demorou 3 horas, com uma paisagem de outro mundo. Linda. O sol estava rachando, mas nao se deixe enganar: Ventava e mto no barco e fazia um frio monstro. MEsmo assim decidimos ir na parte de cima do barco, apreciando a vista e tomando vendo frio na cara ::hahaha:: O barco para primeiro no lado sul da ilha, pelo que ouvi falar era mais "badalado", mais cheio. Realmente a grande maioria do pessoal do barco desceu nessa parte da ilha. Decidimos seguir e ficar no lado norte. É mais precário que o lado sul. Chegamos e vimos que a galera estava toda acampando na praia. Como não tinhamos barraca, essa opção era impossível para nós. Rodamos mais de uma hora até achar um hostel. A maioria do pessoal se hospeda na casa dos nativos da ilha. Porém ninguem queria receber um grupo de 6 pessoas. Achamos um hostel que estava em construção, mas por sorte, tinha 2 quartos disponíveis. Ficamos por lá mesmo. O problema foi a água fria, mas nao tínhamos opção. Deixamos nossas mochilas e voltamos para a praia. Conhecemos a ilha e comemos uma truta fresca do Titicaca (logicamente acompanhada de papas fritas e arroz). Depois fomos a um bar meio alternativo, que era iluminado por uma fogueira e uma lamparina e tocava Bob Marley o tempo todo. Ficamos ali tomando umas Paceñas e jogando conversa fora, vendo a luz da lua refletindo no lago, até o sono bater.

 

Pan com queso, huevo e leche = SOL $ 10

Fanta Limão = SOL $ 2

Passagem Puno x Copacabana = SOL $ 20

Barco Copacabana x Isla del Sol = BOL $ 30

Hostel na Isla (O hostel não tem nome, é sério) = BOL 35

Truta com papas = BOL $ 17 (cada)

 

 

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130116020753.JPG 500 375 Legenda da Foto]Fanta Limão.[/picturethis]

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130116020912.JPG 500 375 Legenda da Foto]Galera na parte de cima do barco, indo pra isla. Frio de matar[/picturethis]

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130116021124.jpg 500 332.089552239 Legenda da Foto]Pessoal acampando na praia.[/picturethis]

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130116021431.jpg 500 332.089552239 Legenda da Foto]Sem palavras[/picturethis]

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130116024330.JPG 500 375 Legenda da Foto]Trocando uma ideia no bar roots da ilha[/picturethis]

 

Dia 14 - 09/01/2012

 

Acordamos cedo, pois tinhamos comprado a passagem de volta para o barco de 08:00. Queríamos chegar em Copacabana antes de 12:00, pra chegar em La Paz a tempo de fechar o Downhill pela estrada da Morte, já que somente o dia seguinte (10) tinhamos disponível, uma vez que no dia 11 era nossa volta. Porém, quando acordamos, estava um temporal, como eu nunca tinha visto. Era impossível chegar à praia naquela tempestade e pensamos que o barco não iria sair debaixo daquele pé d'água. Por volta de 9 horas, a tempestade passou. Descemos correndo para praia e descobrimos que o barco das 08:00 tinha sim saido. E o que era pior: não tinha passagem para o barco das 10. Bateu um desespero. Foi aí que a Marcela, que estava com a gente e é Peruana, entrou em ação. Ela conversou com o dono do barco, explicou toda situação, e, com mto custo, ele nos deixou embarcar no barco das 10, mas nao sem antes nos cobrar 10 BOL de "multa". Pagamos, aliviados. Deu tempo ainda de comer um Salchipapa de café da manhã. Nada mais é que salsicha com batata frita. Embarcamos e fomos logo pra parte de cima do barco. Encontramos com um pessoal de BH e ficamos ali conversando atoa. As 13:00 estávamos em Copacabana. Não ficamos nem 10 minutos e já partimos rumo a La Paz. Chegamos em La Paz por volta de 18:00 e debaixo de um temporal. Fiquei com medo de não rolar o Downhill no dia seguinte, por causa da forte chuva. Fechamos com a mesma agencia que fechamos o Chacaltaya, a Budget, que fica do lado do Loki. Fomos pro Loki, tomamos banho e saímos pra comer algo. Acabei achando um restaurante na calle Colon com Potosi, que servia pratos típicos bolivianos. Comi um arroz com uma espécie de vinagrete muito apimentado, ovo e bife de boi fino, que cobria todo o prato. MUito gostoso. Voltamos e ficamos bebendo umas Paceñas no pub do Loki, que era a melhor pedida para a noite.

 

"Multa do barco" + passagem de volta da isla = BOL $ 40

Onibus Copacabana x La Paz = BOL $ 50

Downhill = BOL $ 400 (com almoço, guia, camiseta, uma cerva no final e cd com fotos)

Arroz, vinagrete, ovo e bife = BOL $ 25 (com refri)

 

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130116023735.jpg 500 332.089552239 Legenda da Foto]Mineirada no Barco[/picturethis]

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130116023933.jpg 500 332.089552239 Legenda da Foto]Trocando uma ideia com a Marcela[/picturethis]

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130116024147.jpg 500 332.089552239 Legenda da Foto]Chegando em La Paz[/picturethis]

 

dia 15 - 10/01/2012

 

 

Dia de Downhill! Acordamos cedo,tomamos o café da manhã reforçado (o continental) do Loki e as 08:30 em ponto, uma van nos buscou no hostel. No nosso grupo tinha somente nos 4 (Marcela e Vivi não foram) de brasileiro. O resto eram alemães e franceses. Andamos por 30 minutos e chegamos em no ponto de partida do downhill. O guia nos explicou como funcionava as bikes (Bikes Kona, com freio a disco), distribui os equipamentos de proteção e fomos lá, em meio a um frio de rachar, descer a mais de 50 km por hora de bike. O downhill começa a mais de 4 mil metros de altitude e termina em Coroico, com 1200 metros de altitude. Os primeiros km são tranquilos, apesar da estrada ser movimentada. Alguns arriscavam mais, outros iam mais de boa. Algumas paradas para foto e uns 20 minutos depois paramos para um lanche rápido e hidratar. Logo em seguida entramos de fato na Carretera de La Muerte. Uma estrada estreita, com um precipício imenso do lado. Confesso que bateu um pouco de medo no inicio, principalmente pela quantidade de cruzes que se via no caminho. Mas com o passar do tempo, a confiança chega e a gnt acaba até arriscando algumas manobras, mas sem exagerar. Paramos em muitos pontos para fotos e sempre havia atrás da gente, uma van de apoio. Dois alemães se enroscaram e cairam. Parei para ver se tinha machucado, qdo os vi levantando e caindo na gargalhada. Quase chegando em Coroico, paramos para um descanso e uma agua. Descemos os ultimos KM e chegamos a um clube. No total, foram umas 4 horas de Downhill e recomendo a todos. É seguro. Foi, depois de machu picchu, o melhor passeio que fiz na trip. Almoçamos no clube, a vontade e ainda sobrou um tempo para pegar uma piscina e relaxar. Bom demais. Logo após, voltamos pra La Paz e comemos uma pizza na rua abaixo do Loki (calle Juan de la Riva). Voltamos para o Loki e decidimos que íamos para alguma boate de La Paz. O taxista nos indicou a Mongo's (Av. 20 de Octubre, 2171). Gostamos, foi bom para sair um pouco do pub do Loki, mas nao tem nada de espetacular. Ficamos por lá até por volta de 3 da manhã voltamos para dormir

 

Pizza = BOL $ 50 (para 4 pessoas)

Pacenã na Mongos = BOL $ 30

Taxi ida e volta Loki x Mongos = BOL $ 20

 

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130116031110.JPG 500 375 Legenda da Foto]Início do Downhill[/picturethis]

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130116031300.jpg 500 332.089552239 Legenda da Foto]Van de apoio[/picturethis]

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130116031514.JPG 500 375 Legenda da Foto]Bom demais[/picturethis]

 

Dia 16 - 11/01/2012

 

Ultimo dia de viagem. Acordamos e fomos as compras em La Paz. Fomos no Shopping Norte, onde tem muita coisa falsificada, mas tb tem muita coisa original e com ótimos preços. Tênis Nike Air Max+ por BOL $ 1000, que na cotação sairia a R$ 300. Metade do preço aqui. Camisa Lacoste por R$ 150 (não compramos pq no duty free sairia a 130). Tem uma loja de esportes lá, como se fosse a centauro aqui do Brasil, chamada Fair Play. Comprem sem medo. Produtos originais, com garantia e nota fiscal. Acabei não comprando nada no Shopping Norte e segui para a calle Illampu. Lá comprei 2 tenis Nike Lunarfly 2, meias da rip curl. Pra quem é colecionador de camisas de futebol, assim como eu, a calle Santa Cruz e a Calla Mariano Graneros, são os paraísos das camisas. Rola mta falsificação, mas rola mta coisa original tb. É só saber procurar. Confesso que quem não conhece camisas de futebol, acaba levando gato por lebre, de tão bem feitas que são as falsificações. Desci para a calle Linares (que é o mercado das bruxas) e comprei ainda um cordão fino de prata, folhas e chá de coca para levar para o Brasil. Voltamos para o Shopping Norte, onde, em anexo, tem um Burger King e Subway. Acabei comendo um BK Duplo, com refri e batata grande, de almoço. Dali, fomos para o Loki, joguei as caixas dos tenis fora (para nao ter problema na alfandega no brasil) e organizei a mochila. Despedimos da Marcela, que iria voltar para Lima e da Vivi, que seguiu para Cochabamba. Fomos para o aeroporto de El Alto. Nosso voo de volta estava marcado para as 17:00, para Santa Cruz de la Sierra, onde faríamos uma conexão de 14 horas, antes de voltar para o Brasil. Essa conexão foi de propósito. Escolhemos esse horário na hora da compra para que pudessemos aproveitar a noite em Santa Cruz. O voo saiu as 19:30, com 2:30 de atraso. Chegamos em Santa Cruz e pegamos um taxi até o centro, para procurar um albergue. Ali foi um choque cultural e visual. Não parecia que estávamos na Bolívia. Pessoas bem vestidas, avenida movimentada e cheia de bares e restaurantes (me fez lembrar a Savassi), carrões, tudo bem diferente de La Paz. Rodamos mto por Santa Cruz e nao achamos vaga em albergue algum. A solução foi hospedarmos no Hotel Cortez (Avenida Cristóbal De Mendoza 280). Pagamos 35 dolares, cada um, por um quarto com cama de casal, tv a cabo, banheira e ar condicionado. Nesse preço estava incluso tb o transfer no dia seguinte para o aeroporto. O hotel era lindo, digno de um 4 estrelas. A piscina era perfeita, pelo menos visualmente, já que não a usufruímos. Tomamos banho e, seguindo orientação da recepção do hotel, fomos para a boate SET. Festa top, mta gente bonita e bebida barata 8) Viramos a noite por lá, apesar do nosso voo de volta para o Brasil ser as 9 da manhã.

 

Tenis Nike Lunarfly 2 - BOL $ 400 (cada)

Camisas de futebol em média de BOL $ 90

Burger King - BOL $ 40

Cordão de prata - BOL $ 70

Chá de Coca - caixa com 20 saquinhos - BOL $ 20

Folha de coca - BOL $ 5

Taxi Loki x El Alto - BOL $ 60 (dividido para 4)

Taxi Viru Viru (sta cruz) x centro de Sta Cruz - BOL $ 60 (dividido para 4)

Entrada na SET - BOL $ 50 (cada um)

Combo Absolut + 8 Red Bull na SET - BOL $ 400

 

 

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130116035115.JPG 500 375 Legenda da Foto]Mariscal Santa Cruz - La Paz[/picturethis]

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130116035434.jpg 500 332.089552239 Legenda da Foto]La Paz[/picturethis]

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130116035708.JPG 500 375 Legenda da Foto]Hotel Cortez - Santa Cruz de la Sierra.[/picturethis]

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20130116035830.JPG 375 500 Legenda da Foto]SET Club[/picturethis]

 

Dia 17 - 12/01/2012

 

Acordamos assustados com o telefone. Era da recepção, avisando que o transfer sairia em 30 minutos. Isso era 6 da manhã. Tomamos banho correndo para não perder o transfer. Tudo certo. 07:00 estávamos no guichê fazendo check in e despachando nossas mochilas. Ali descobri que a taxa de embarque não estava inclusa na passagem, como no Brasil. A taxa era de 25 dólares ou 175 Bolivianos. Como não tinha nem meio boliviano, tive que pagar em dólar msm. Paguei a taxa, fui para a area de embarque, qdo fui avisado que o voo iria atrasar por 2 horas. Ótimo :x Como não tinha tomado café da manhã, comi um Subway, que tem no aeroporto de Santa Cruz. Depois disso, deitei um pouco e dormi por alguns minutos, num canto do aeroporto. Quando deu a hora, conseguimos entrar para a area de embarque. O voo, que estava previsto para sair as 9, tinha sido remarcado para as 11. Entramos na area de embarque. Antes disso, nossas bagagens foram revistadas por policiais. Mas era um procedimento padrão, todos passaram por isso. Eles foram até legais, brincaram quando viram minha camisa e bandeira do Corinthians. Já na sala de embarque, ficamos fazendo hora no Duty Free até vi no monitor que nosso voo havia sido remarcado para as 20:00. Isso mesmo. De 9, marcaram para as 11 e de 11 para as 20:00. Os outros 3 amigos meus tinham um voo de SP x BH as 17:00. Por isso, eles tiveram que sair e ir no guichê da Aerosur resolver esse imbróglio. Conversando com nós, que estavamos na area de embarque, um agente da Aerosur nos disponibilizou almoço e toda a estrutura da Sala Vip, com internet, biscoitos e sucos, telefone e ar condicionado ::cool:::'> Eu fiquei por lá, já que nao iria voltar para BH junto com meus amigos, ia ficar alguns dias em SP e nao precisei de resolver esse problema. Pra variar, o almoço era pollo com papas, arroz e suco. Almocei e entrei na Sala Vip e dormi, durante boa parte da tarde. Somente as 17:00 meus amigos puderam retornar à sala de embarque. Nos foi avisado que tinhamos que esperar o voo que sai do Brasil as 17:00 com destino a Santa Cruz (o mesmo da ida) chegar, pq seria a mesma aeronave que nos levaria de volta ao Brasil. O voo chegou, ai começou o procedimento de abastecimento, limpeza e por ai vai. Exatamente as 22:00 o voo saiu de Santa Cruz. Chegamos no Brasil por volta de meia noite (horário de Brasilia), ai até pegar as mochilas, passar no Duty e fazer umas comprinhas, imigração, quando chegamos no salão do aeroporto já era 3 da manhã. A Aerosur deu aos meus amigos uma carta, onde eles levaram no guichê da TAM e nao tiveram que pagar nada a mais para embarcar de volta a BH. O problema é que o primeiro voo GRU x BH só sairia as 08:00. Fomos para o Mc Donalds de GRU, comemos, batemos papo e por volta de 6 da manhã fui o meu destino. Eles ficaram por lá e tiveram que esperar até 08:00 para voltar a BH.

 

 

Algumas considerações:

 

Albergues: Indico todos que fiquei, tanto o Loki em La Paz quanto o Pirwa em Cusco. Se alguem ficar no Pirwa Colonial Cusco, por favor, tire uma foto se a camisa do Los Locos ainda estiver por lá :D Não indico o Loki de Cusco. A estrutura é parecida com o de La Paz, porém fica num morro e, com a altitude de Cusco, é complicado ficar subindo e descendo. O loki de la paz fica em frente ao quartel da policia nacional, mais seguro impossível.

 

Os preços das refeições que coloquei aqui são sem a Propina, que sempre foi opcional.

 

Não gastamos mto nas noitadas em Cusco, pelo esquema do drink grátis e, por ter feito amizade com os seguranças da Mithology e Inka Team, sempre ganhavamos vales drinks a mais. Só gastavamos dinheiro msm qdo o Pisco Sour (Ótimo) enjoava e a gnt comprava uma Cusqueña ou uma água.

 

Um dos meus amigos estava fumando cigarro de palha em La Paz. Fomos abordados por um policial que pensou ser Marijuana. Só ficou convicto que não era depois que demos um cigarro pra ele. Cuidado

 

Peça desconto, sempre. Por sermos turistas, qdo chegavamos para comprar algo o preço era sempre maior para nós do que para os locais (isso na bolivia).

 

Tanto bolivianos quanto peruanos são muito simpáticos e atenciosos.

 

Não tive problemas em trazer o Chá de Coca (industrializado) e as folhas de coca. Mas as folhas estavam no bolso da minha jaqueta

 

Ainda tenho contato com os amigos que fiz na viagem. Com algumas peruanas, tenho contato quase que diário, via chat do face ou whatsapp. Caso alguem queira saber alguma informação, estou a disposição, tanto para responder, quanto para perguntá-los.

 

Meu face é http://www.facebook.com.br/andre.ron1

meu email é [email protected]

 

tem mtas fotos no meu album do face e ele está liberado para todos. Sintam-se a vontade para add, ver as fotos, tirar dúvidas, tanto pelo face qto por email.

 

 

Abraço a todos

 

 

Valeu

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • 2 semanas depois...
  • Membros

Olá!!!!!!!!!!

Caraca esse mundo é muito pequeno. Num querdito não, rss. Que massa de encontrar por aqui. Muita coincidência mesmo. Depois de um ano das nossas viagens, nos encontramos aqui, no Mochileiros. Pow, seu relato ficou show de bola. Muito bom mesmo, cheio de detalhes e valores. Caraca, vc tem o contato da Vivi do RJ?? Só lembro que ela é Vivi Araújo, mas pensa a qtd de Vivis que tem com o mesmo sobrenome no Rio.. Se vc tiver, pf me manda. Inclusive tenho umas fotos dela de umas baladas que fiquei de passar, mas isso nunca aconteceu... Vou te add no Face pra gente não perder contato, viu?! Bom demais te encontrar por aqui. NOTA 100 pro seu relato!!!!!

Bjs,

Vania

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros
Olá!!!!!!!!!!

Caraca esse mundo é muito pequeno. Num querdito não, rss. Que massa de encontrar por aqui. Muita coincidência mesmo. Depois de um ano das nossas viagens, nos encontramos aqui, no Mochileiros. Pow, seu relato ficou show de bola. Muito bom mesmo, cheio de detalhes e valores. Caraca, vc tem o contato da Vivi do RJ?? Só lembro que ela é Vivi Araújo, mas pensa a qtd de Vivis que tem com o mesmo sobrenome no Rio.. Se vc tiver, pf me manda. Inclusive tenho umas fotos dela de umas baladas que fiquei de passar, mas isso nunca aconteceu... Vou te add no Face pra gente não perder contato, viu?! Bom demais te encontrar por aqui. NOTA 100 pro seu relato!!!!!

Bjs,

Vania

 

 

Bom demais te encontrar pro aqui Vania. Vou entrar no face e te add. Tem a Vivi no meu face e o resto do pessoal da viagem. Valeu

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • 2 semanas depois...
  • 1 ano depois...

Participe da conversa

Você pode postar agora e se cadastrar mais tarde. Se você tem uma conta, faça o login para postar com sua conta.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

×
×
  • Criar Novo...