Ir para conteúdo

Pelas ruas de Recife - Relato


Visitante edmilson vieiras

Posts Recomendados

  • Membros de Honra

PELAS RUAS DO RECIFE

 

Edmilson Vieira

 

Um sábado pela manhã estava dividido entre ir ao centro da cidade ou seguir pela avenida á frente. Decidi caminhá-la até o final. Bairro de Boa Viagem, Recife, palco diferente do que costumava percorrer. Era a Avenida Conselheiro Aguiar, seis mil metros de calçada, às dez horas da manhã.

Já passando do número mil e um, chamou a atenção uma loja de roupas (Product). Disponibilizaram quadros da artista plástica Guita Charifker. Rendeu uma boa olhada, fato que me deixou atento para os detalhes das aquarelas.

 

Voltei à calçada e no trajeto, um conjunto de lojas chamado, Galeria Trade Center. Não se restituiu ali o 11 de setembro e sem me expor à fragilidade e ao medo, encontrei lá dentro, uma casa de café chamada Quituteria. Estava com vontade de saborear um expresso e não ficou só nisso. No local, as pessoas se queixam de saudades, tem fotos antigas nas paredes. Deve ter sido um ambiente idealizado para lembrar a nostalgia de Buenos Aires.

 

Nessa mesma galeria ainda foi possível conhecer uma casa de cds chamada Le Disque. É uma escola de grandes obras da música: blues, jazz, mpb e eruditos. A loja tem um quê de músicas pra quem pretende radicalizar em qualidade.

 

Vou danado pra Catende, ou melhor, Canindé, não, não, pra calçada. Encontro uma exposição já em outra loja, na boutique "People", número 1212. Estava indicando logo na entrada, obras do artista Ferreira, pratos em cerâmica.

 

Em seguida vi um acidente de trânsito. Os transeuntes pararam e fizeram uma reflexão sobre a guerra do Iraque nas ruas do Brasil.

 

À hora tardia, o sol forte, mas estava motivado pelo espírito de caminhada. A maneira que encontrei naquele dia foi conhecer o novo, revezando as avenidas da capital pernambucana. Um itinerário fora do roteiro tradicional do turismo, lugares distintos que nem imaginava existir.

 

A caminhada contribuiu para gostar mais e odiar menos essa cidade. Provavelmente voltarei pra não ficar apenas em um passeio pela manhã de dezembro.

 

Edmilson Vieira é artista plástico e escreve crônicas

Email: [email protected]

Link para o comentário

Recife, uma cidade que embasa todas as minhas raizes... como aquela lá distante, Basten Goref Anton de Diekirch que complementa minha alma..

 

Ah! dnv01, você me fez voltar em 1844. Ano que meu trisavô nasceu e muito jovem ainda, 1869, encontrou em Recife seu refúgio e fez nascer toda nossa história.

Link para o comentário

Participe da conversa

Você pode postar agora e se cadastrar mais tarde. Se você tem uma conta, faça o login para postar com sua conta.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

×
×
  • Criar Novo...