Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Jay Silva

Boliva e Chile 22 dias( Sucre, Oruro, Uyuni,Atacama, Iquique, Arica, La paz, Isla del sol, Santa Cruz)

Posts Recomendados

Retribuindo um pouco do que me foi passado aqui, seguem as principais dicas para a Bolivia e o Chile de acordo com a minha trip.

 

Confira o vídeo com as fotos do mochilão:

 

 

Primeiramente, algumas dicas gerais importante:

 

Moeda:

 

Depois de muita dúvida, muitos relatos, muitas opiniões diferentes, optei por levar dólar (cartão de débito, de crédito e R$ tb, mas só para emergências, não precisei utilizar) e na Bolivia eu sei que realmente compensou, no Chile eu não fiz a conta, pq é mais complicada rs, mas fato é que o dólar é mais forte que o R$ para a troca.

 

Saúde/ alimentação:

 

Fiz um seguro Saúde da Mondial, que peguei a dica nesse blog

http://www.umviajante.com.br/guia-viajante/3654-cupom-desconto-mondial-seguro-viagem

 

Eu já no terceiro dia de viagem tive uma diarréia foda, fui pro hospital em Sucre, a consulta custou apenas 15 bols, em um hospital particular, acreditem se puder, e depois gastei 40 bols com remédio, será reembolsado pelo seguro.

Provavelmente foi por algo que eu comi, isso estragou um pouco da viagem, pois depois fiquei com medo de comer tudo, a dica na Bolivia é, tudo que é industrializado é melhor que o caseiro, as condições lá são precárias, evite sucos, pois não sabemos a procedência da água, assim como não peça gelo em suas bebidas. Para lanches rápidos prefira bolachas e salgadinhos ao invés de empanadas vendidas na rua, e para comer, procure locais que pelo menos aparentam ser mais limpos.

 

Sobre a altitude, caso tenha a oportunidade de falar com um médico antes de viajar, e tenha um exame de sangue, por ali você já tem uma ideia se terá problemas com altitude, isso se pode medir pela sua taxa de hemócrito que se for baixa é pior pra vc, tem também um remédio chamado Combiron, ele acelera a produção de glóbulos vermelhos, e se vc começar a tomar antes de viajar, ele já prepara o seu organismo, converse com um médico antes ok.

 

Eu não senti nada com a altitude, apesar de que a diarréia tb é um efeito, mas acho que foi comida mesmo, pois não senti mais nada depois. Mas eu vi muuuuita gente passando mal, até me assustei, gente que tava bem e do nada tava mal, foda, tomem cuidado, sem exageros com bebida no dia anterior de fazer um tour, muita coca (folha e mate, tem bala tb mas não sei se é tão bom quanto a folha)

 

Agências:

 

Para mim, a ordem de importância é Grupo > Guia> Agência

Pro Uyuni, vc vai conviver 24 hs por dia literalmente durante 3 dias com o grupo, pois comemos juntos, viajamos juntos e dormimos no mesmo quarto, então o grupo acho que é o mais importante, eu viajei sozinho, mas ao longo da chegada em Uyuni fui conhecendo outras pessoas, e assim já chegamos com o grupo formado na agência, mas tente saber quem está no grupo antes de fechar, veja as nacionalidades, imagina que só tem vc e 5 alemães, e eles falando alemão entre eles o tempo todo, não deve ser tão legal, ou se vai vc e mais 3 casais, ou uma família com criança, é difícil mas eu vi lá tb, então procure saber antes quem está no grupo antes de fechar.

Depois o guia é muito importante, antes de fechar também pergunte sobre o guia, se ele topa parar pra tirar fotos, essas coisas, o nosso guia era um senhor bonzinho, mas ao chegar no Salar, tínhamos tirado meia dúzia de fotos e ele já tava buzinando pra ir embora, depois tivemos que pedir pra ele parar em outro lugar, ele não tava muito a fim mas aceitou, às vezes por conta de atraso, ou de algum compromisso dele. E então a agência pra mim fica em terceiro lugar, já que os carros são todos muito parecidos, e o roteiro é o mesmo também. Veja a média de preço pra saber que vc não está pagando caro, e antes de fechar pegue toda a explicação do que está incluindo e do que constitui o pacote.

 

Roupas:

 

Eu fui em julho, então estava bem preocupado com o frio, e não queria gastar muito com coisas especias pra isso, peguei um cachecol da minha mãe que foi muito útil rs, fui na Decathlon e comprei uma camisa segunda pele, uma calça segunda pele, luvas touch, um tênis da Quechua cano alto e impermeável que esquenta bem tb, umas meias cara pra porra, que me arrependi, pois lá vendia meias de lã barato, mas enfim, e além disso usei um monte de roupa em cima da outra, lá na Bolivia vc pode comprar muita coisa tb, cachecol, luva, meia, blusas, então não se preocupe tanto. A dica é usar roupas por camadas, se for esquentando vc vai tirando as que tão por cima. Óculos de sol tb é útil.

 

Transportes domésticos, terrestre e aéreo

 

As duas companhias áereas são

 

http://www.boa.bo (normalmente mais barata) e

 

http://www.amaszonas.com/

 

Os busões são tristes, só peguei um bom, de La paz até Santa Cruz, mas pq era leito e tal, então paguei mais caro mesmo, mas normalmente vc nem tem essa opção de comprar um busão melhor, tem só os cacarecos mesmo. Sem banheiro, fedido, e sem paradas em locais decentes no caminho. Eu até tinhas umas indicações de companhia, mas chegando lá achei tudo a mesma coisa, negocie o preço, pois quando estiver mais próximo da saída do busão, se tiver sobrando lugar pode ser mais barato, caso vc chegue em cima da hora, não que isso seja indicado, masss, e não acredite nos vendedores, eles dizem que é semi-cama, que tem calefação, e não tem porra nenhuma.

Os terminais de ônibus tem uma taxa de uso do terminal, tipo de 3 bolivianos, vc compra no terminal o ticket, ou tem fiscal no ônibus que vende tb.

 

Segurança

 

Eu me senti seguro todos os dias da viagem, mas soube de dois casos de furtos, o casal que conheci teve a sua mala menor furtada no terminal em um momento de distração, contendo máquina, passaporte etc, e um grupo em um restaurante teve sua máquina furtada, que estava pendurada na alça da cadeira. No ônibus eu ficava um pouco tenso, pois nem todas empresas tinham um controle da bagagem, então eu tinha medo de pegarem a minha, mas deu td certo. Mas então, seus pertences não devem ficar apenas perto de vc, devem ficar junto à vc, qualquer distração pode ser uma brecha. Como disse, comigo foi tranquilo, mas acho que ter presenciado dois furtos em tão pouco tempo é um índice alto.

 

Papel higiênico:

 

Tenha sempre o seu rs

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Bom vamos ao relato!

 

Cheguei dia 09/07 em Santa Cruz de la Sierra, e pra minha surpresa o Papa também estava lá, eu pretendia comprar um vôo pra Sucre na hora, normalmente é possível, eu e muitos outros brasileiros ficamos na mão rs, no meu vôo, na minha fileira, eu conheci o Elias e a Marina, um casal que acabou me acompanhando em boa parte da viagem como vcs vão ver, eu, eles e um outro casal que conhecemos no aeroporto, resolvemos dividir um taxi pra rodoviária e ir de busão pra Sucre, a partir de agora é só aventura.

 

No terminal muitos vendedores, gritando, mentindo, e oferecendo seus ônibus, tinha muita opção e parecia ser um pior que o outro, fomos no mais barato então, pagamos 60 bols por uma viagem até Sucre, 14 horas, em um busão fedido, sem banheiro, sem paradas em local decente, mas por esse preço nem podíamos reclamar. Chegamos em Sucre pela manhã do dia seguinte.

 

Sucre

 

Pra minha surpresa, foi a cidade que eu mais gostei na Bolivia, bem cuidada, tranquila, sem trânsito, restaurantes bons e baratos, opções pra sair à noite, bem legal. Mas pequena, dois dias é suficiente pra conhecer tudo, então não fique mais que isso, a não ser que queira ficar de boa um pouco, aí sim recomendo ficar mais.

 

 

 

Hostel: Kultur Berlin

É um excelente party hostel, caso vc goste de festa, tem sempre algo rolando, a área de convivência à noite vira uma pista de dança, mas além das festas tb tem uma ótima estrutura, com um bar aberto ao público, quarto espaçoso, noites temáticas, e um ótimo café da manhã. Staff bacana, me ajudaram no dia que fiquei doente, me deram chá e frutas. Eles tb oferecem um city tour por 10 bols, vale a pena.

 

O que fazer:

No meu hostel era oferecido um city tour, não sei se tb é fácil de encontrar nos outros hostels e agências, mas vale a pena fazer, é uma cidade de muita história. No mercadão de lá, recomendo os sanduíches que são feitos no térreo, bons e recomendados pelo nosso guia, tem uma casa de Saltenas que não lembro o nome, mas é uma bem bonita com um pátio a céu aberto, não é caro e são muito boas as empanadas, peça a com caldo, que te dão uma colher pra vc comer junto o caldinho dentro. Recomendo o restaurante vegetariano Condor, pratos muito bons e acessíveis, em um local bacana. Na cidade, visite o cemitério, é o cemitério mais bem cuidado que já vi, e os formatos dos túmulos são interessantes, com objetos dos falecidos. Durante o dia, ou à noite fique um pouco na praça principal, é bem movimentada. Tem um parque de Dinossauros mais ou menos perto do centro, vale a pena ir se vc for antes do meio dia, pois ao meio dia eles fazem um passeio pra ver pegadas dos dinossauros reais, mas é só nesse horário, se informe antes ok, dá pra ir por conta, ou com um busão turístico. Para sair à noite tem alguns bares legais que esqueci o nome, as baladas indicadas são a Mithos e a Stigma.

 

20150711_160655.jpg.1b9b9a90da1f23de3c7881bb3ac99546.jpg

Agora vai ter mais aventura...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Minha ideia inicial era ir de Sucre pra Uyuni, ou passar uma tarde em Potosí antes, mas ficamos sabendo de uma manifestação, um protesto de mineiros em Potosí, estrada que daria nosso acesso pra Uyuni, começou a confusão, era um tal de turistas no fim da viagem voltando pro país porque não conseguiu ir pra lá, outras pessoas pagando taxi até lá ( tipo 8 horas), gente comprando vôo caríssimo, gente que ia e conseguia, gente que ia e voltava, agência que vendia mas não dava certeza, agência que nem vendia mais, enfim tive que fazer um caminho alternativo pra garantir, perdi um dia de viagem andando de ônibus, o caminho escolhido foi, busão de Sucre pra Cochabamba, de Cochabamba pra Oruro, e de Oruro pra Uyuni, demos uma volta na Bolivia mas foi a melhor maneira, chegamos em Oruro meio-dia e o ônibus só sairia à noite, não tinha a opção do trem nesse dia, então ficamos à tarde lá, segue o relato desse dia.

 

Oruro

 

Nesse momento, eu já não estava mais viajando sozinho, estava com o Elias e a Marina tb de São Paulo que conheci no avião, o Melki de Itu, que conheci no terminal comprando o bus pra Cochabamba, e o Kousuke, um japonês xarope que conheci no meu hostel, fomos juntos fazer essa jornada até Uyuni.

 

A cidade em si não tem tantos atrativos, sugeriram umas águas termais, mas como tínhamos apenas uma tarde optamos por fazer uma caminhada até o mirador onde tinha uma Santa no alto da montanha, foi mais punk do que imaginávamos, chegamos super cansados lá em cima, e descansamos bastante antes de descer.

 

Para comer, tem um restaurante que acho que tem outros na Bolivia tb, é um restaurante indiano chamado Gondiva, boa comida e barata tb.

 

Jantamos tb na cidade, e ao anoitecer mais fomos pro terminal rumo à Uyuni, de manhãzinha estaríamos lá...haja coração.

 

20150713_154427.jpg.8f0401eb97beb297851a90c4d2153a8d.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Compramos a passagem pra Uyuni de Oruro, chegaríamos às 5 da matina, algo bem preocupante, mas a empresa salvou nossas vidas, e ao chegar ficaríamos no bus até as 7 da manhã, começou aí a vida de passar frio, chegando em Uyuni fui abrir a janela, e a janela estava com gelo, e pro lado de dentro, fui descer pra fazer um pipis na rua (é a única opção pra homens e mulheres), e aí eu vi o que é sentir frio de verdade. Estava tipo -5, meu recorde de frio até então.

 

Às 7 da manhã tivemos que sair, fomos procurar um café aberto, o primeiro que vimos ao entrar mal cabíamos lá dentro de tão cheio que tava, não conseguimos mesa pra comer, arrumamos um canto apenas pra nos esquentar, aguardamos um pouco até as agências abrirem, o Elias e a Marina já haviam escolhido a agência, então fomos com eles direto lá.

 

Lembra que falei que já não estava mais sozinho, agora éramos eu, o Elias, a Marina, o Melki, o Kousuke e também tinha chegado a Lily, uma canadense que estava no hostel do Elias e Marina, erámos 6 pessoas, tínhamos um grupo formado pra fechar o nosso tour já, mas ao tomar café da manhã em outro local, surgiu o 7º elemento, ou melhor a 7ª elementa rs, a Elena, uma italiana que mora no Rio se juntou à nós e veio no nosso grupo, apesar do recomendado ser 6 pessoas.

 

Como disse, o mais importante pra mim seria o grupo, tinha que ser uma turma legal, e conseguimos isso, foram 3 dias incríveis com essa galera.

 

Fechamos o tour de 3 dias por 700 bolivianos, os que retornariam pro Uyuni e 750 bolivianos os que iriam pro Atacama depois (eu, a Lily, e a Elena) além da entrada no parque de 150 bols.

 

Sairíamos por volta de 10h.

 

O tour começando pela Bolivia tem a vantagem de ser pago em bolivianos, o que pode ser mais barato, e tb vc já vê o Salar no primeiro dia, tem gente que prefere deixar o melhor por último, quando se vem pelo Chile é assim, mas eu curti ter começado por lá.

 

Primeira parada: Cemitério dos trens, depois fomos pra uma feirinha de artesanato, ventava muito, nem dava pra ficar passeando lá, e entramos em uma espécie de casa pra almoçar, era tipo um quartinho na verdade.

 

Depois do almoço, Salar de Uyuni, Ilha del pescado, que tem um visu demais, paga-se algo pra entrar, mas vale muito a pena, não deixe de subir.

 

Treine as fotos engraçadas antes, éramos 7 pessoas e não sabíamos como fazer as perspectivas kkk, basicamente tem que posicionar o objeto na frente da câmera pra dar a ideia de projeção, mas tivemos que fazer várias tentativas antes rs, e o nosso guia querendo ir embora.

 

À noite chegava, iríamos nos hospedar no hotel de sal, bem legal, o quarto matrimonial que tem como opção nesse dia, tem o chão de sal tb, como se fosse areia, mas é sal, lá tinha um café da tarde nos esperando, o que foi uma grata surpresa, e depois um bom jantar, o banho quente pagava 5 ou 10 bols, mas tomei assim que liberaram a água quente e foi um dos melhores banhos da viagem.

 

 

20150714_164513.jpg.fd5606fcb3f5941db63c30dc0fe56ee0.jpg

 

No outro dia, visita às lagoas, mais montanhas, os flamingos que são muito bonitos, almoçamos ao ar livre, e ao anoitecer ainda procuraríamos um hostel pra ficar, ficamos meio preocupados mas deu certo, chá da tarde tb, jantar bom, com vinho, uma boa calefação, haviam lhamas no quintal, céu estrelado, rolou mais bagunça nesse dia, pq chegou mais brasileiros por lá hehe.

 

S1920x1080_GOPR0313.jpg.87304542bd0e5d56e0fba47eb4bef892.jpg

 

No terceiro dia era o dia mais frio, -15, iríamos visitar os Geiseres, muito legal, e depois o banho termal, que estávamos meio com medo do frio, mas a água era bem quente, e não resistimos, foi bem legal, vc sai com o corpo bem quente ainda da água, dá tempo se secar sem passar muito frio.

 

Depois passamos pela laguna verde, mas ela tava congelada, então nosso guia nem parou lá, infelizmente fica corrido pra quem vai pro Atacama, então ele foi direto pra fronteira, uma pena.

 

 

 

Ao passar na imigração, rolou uma polêmica pq tavam cobrando 15 bols pra sair do país, na verdade essa taxa é indevida, é pura corrupção, mas algumas pessoas tavam pagando com medo de tomar canseira, e era meio sem critério umas pessoas tomavam canseira, outras não, eu fui com o dinheiro na mão, troquei uma ideia com o policial de uma dúvida que eu tava pq ia pra La paz depois, e ele nem me cobrou nada.

 

Não pode passar pro Chile com nada vegetal, eu tinha um pacote de folhas de Coca, procurei algum brasileiro que tava entrando na Bolivia, foi fácil achar, e dei pra eles.

 

.IMG_5727.JPG.fbf4674415fe861a6b968cb403085ede.JPGUyuni

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Atacama

 

Ao sair da fronteira da Bolivia, pegamos uma van, que já pagamos quando compramos o tour de Uyuni de 3 dias com acesso ao Atacama, chegamos depois na Imigração do Chile, fazemos os procedimentos, lembre-se de não ter nada de origem vegetal ou animal, e entramos na cidade.

 

Cheguei lá sem ter reservado hostel, eu ia fazer isso em Uyuni, mas tive wi fi só quando tava tomando café na cidade e depois nunca mais, e no Hostelworld tava apenas com opções caras, deixei pra procurar na hora mesmo, quando cheguei, descobri que e era um feriado nacional no Chile, ou seja, Santiago inteiro tava naquele lugar, rodei bastante pra achar um hostel com vaga, mas até que me dei bem no final.

 

Hostel

Juriques

8000 pesos chilenos a noite s/ café da manhã, esse é um preço razoável lá, tem poucas opções mais baratas que isso. Hostel tranquilo, wifi pegava bem, banheiro limpo, não podia fazer barulho depois da meia noite, mas como normalmente temos tour todos os dias, a galera dorme mais cedo mesmo, recomendado.

 

Agência

 

Peguei algumas indicações aqui antes, e fui direto nelas, eu tinha lido sobre a agência Ayluu, que era de uma brasileira e tal, mas meu, era quase o dobro do preço das outras agências então desencanei, fui em umas 3 agências, e algo que me surpreendeu é que a agência do meu hostel tb era a mais barata, e depois eu vi nas minhas anotações que ela tava lá e eu não tinha percebido rs...então indico agência e hostel Juriques. Só não deu pra fechar tudo com eles, pois o do Valle de la lunna eu não teria tempo hábil na hora, e o tour astronomico são outras agencias que fazem, mas com a Juriques eu fechei, Lagunas Altiplanicas e piedras rojas, Salar del Tara, e Laguna Cejar por 82.000, pra Laguna a entrada a parte é de 15.0000, os outros lugares tb tem entrada a parte, mas normalmente é 3000.

 

 

Mas vamos ao relato.

 

1º dia:

Cheguei por volta da hora do almoço, e me confundi com a porra da hora, pq no Chile é uma hora a mais, eu achei que meu cel tinha mudado a hora sozinho, e não tinha, eu já pretendia fazer um tour à tarde pra ganhar tempo, e quase não deu tempo, as agências normalmente saem às 15h, e eu quando fui ver a hora certa era 14h30, nem tinha fechado a agência ainda, mas achei uma que saía às 16h e deu tempo. Então, como falei anteriormente eu fechei os tours com a agência Juriques do meu hostel, menos esse primeiro dia, que não daria tempo eu ir com eles, nesse dia eu fui na agência cara Ayluu mesmo, era minha única opção aparentemente. Paguei 25.000 pesos pelo Tour do Valle de la luna e Valle de la muerte. O tour astronomico tb é feito com outras agências.

 

Valle de la lunna e valle de la muerte - 15h - 19h

Um dos mais legais, que tem uma paisagem diferente de quem vem da Bolivia, no tour está incluindo snacks na beira do Valle de la muerte, bem legal, passa por umas cavernas e tal, é possível ir de bike, mas não dá pra rodar tudo lá pelo que falaram, então aconselho o tour.

 

.IMG_5803.JPG.d4e73ba93197586c6427f62e4ba2b302.JPG

 

2º dia - Lagunas altiplânicas e piedras rojas 08h - 18h

 

Esteja certo que seu tour tb vai pra Piedras Rojas, não são todos que vão pra lá, e é um dos lugares mais bonitos, no tour está incluído café da manhã e almoço, vc visita diversas lagoas nesse tour. Em julho, a lagoa estava congelada.

 

.IMG_5847.JPG.3a86f2bfe6471b82a21e8579d0de2045.JPG

 

Tour astronômico 21h - 23h

 

Esse tour a agência mais indicada é a Space, são poucas que fazem, mas como eu disse tava bombando a cidade, não tinha vaga nessa agência e fechei com outra, tava um frio do cacete, no meio do nada 23h da noite, mas lá tem um céu muito bonito então se vc curte, eu nunca tinha visto um telescópio, então foi legal pra ver Saturno e tal, as constelações pra mim eram todas iguais não vi muita graça.

 

3º dia Pukara de Quitor - Manhã

Esse é um dos poucos lugares, se não o único, que vc gasta pouco pra ir, porque é perto do centro, da pra ir a pé ou de bike, vc só paga a entrada e não paga um tour, chegando lá tem umas ruínas não tão interessantes, mas à esquerda tem uma trilha pra um mirador, e tem uma vista incrível do deserto por lá, vale muito a pena, faça pela manhã, no dia que vc tiver um tour que comece à tarde, não deixe de ir, é o único passeio bom e barato.

Se vc for de bike, fiquei sabendo que dá pra esticar pra um outro lugar chamado Garganta del diablo, eu não fui mas falaram que é bom tb.

 

.IMG_5904.JPG.ef455a3d8882398ea9e55a415f9414ec.JPG

 

Laguna Cejar 15h - 19h

 

Assim como o Valle de la luna e de la muerte, esse é um tour que começa à tarde, e tb era o que eu mais queria ir, mas tb foi o que eu mais sofri, por causa do frio, essa é a Lagoa que vc não afunda devido a concentração de sal nela, alguém me enganou e disse que a água tem uma parte quente, mas gente, não sei ser era por causa da época, mas era água de geladeira pura, e o pior, paga-se 15.000 pesos só pra entrar nela, fora o valor do tour, mas blz, eu queria ir nessa bagaça, entrei na água, fiquei lá boiando e sofrendo com o frio, mas fiquei, na hora de sair, tem um local pra tomar uma ducha, pois seu corpo fica com sal tb então tem que tomar a ducha, que é fria tb cacete, e tava uma fila dos infernos pra tomar uma ducha gelada, e eu tremendo de frio na fila, juro pra vcs, uma tiazinha viu o meu estado, e me levou pra um outro vestiário que tava fechado, eu achei que ia ter um treco lá de tanto que eu tremia, demorou pra eu voltar à temperatura do meu corpo, saí de lá correndo pra dentro do carro tentar me esquentar. Depois o tour faz uns outros passeios tb pela região.

 

4º dia Salar del Tara 08h - 17h

Esse é um dos tours mais caros mas eu curti, é um dia que vc mais se sente no deserto do Atacama, pois a van se enfia lá no meio, e passa por uns lugares legais, café da manhã e almoço incluido.

 

.IMG_6090.JPG.bd8d4f9adbdcdfb52178d1773018c465.JPG

 

Bom, esses foram os tours que eu fiz, pelos 5 tours pagos, eu gastei 127.000, além das entradas, que normalmente são tipo 3000 pesos, tirando a laguna que só pra entrar nela é 15.000 pesos.

 

Sabe converter pra real? Divide-se por 200.

 

Sobre os outros passeios, tem diversos outros tours, esses são os principais, imagina se for fazer mais o tanto que vc gasta, e os Geisers eu optei por não fazer, pois eu já tinha gostado dos que eu tinha visto no Uyuni.

 

Nesse dia, após o último tour, eu peguei o bus à noite pra Iquique.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Iquique

 

No meu roteiro inicial, após o Atacama, eu precisaria ir pra La paz, mas pensei em parar em alguma cidade antes, eu tinha escolhido Arica, pois foi a cidade que eu mais ouvi a galera comentar, mas na verdade Arica é muito escolhida, por ser um ponto de transferência pro Peru, toda a galera que eu conheci de Santiago, me disse que Iquique era mais bonita, então eu mudei os planos e passei antes em Iquique pra conhecer.

 

Peguei um busão à noite em San Pedro, até Calama, e de Calama um outro até Iquique, a moça havia me falado que eu chegaria às 05h, mas que poderia ficar no busão até às 07h, lembra que pra Uyuni a companhia fez isso? Pois é, então acreditei, mas pra minha surpresa cheguei 05 da manhã em Iquique e fui despejado do busão, me falaram que a moça só fez isso pra vender a passagem pra mim, eu não esperava que no Chile que estava tudo mais organizado iria acontecer isso, mas aconteceu, fiquei lá no relento do terminal, esperando amanhecer. A empresa se chama-se Frontera del norte, busão bom, mas sacanearam comigo. Valor da passagem 14.000.

 

Um parênteses aqui, para comprar passagem no Chile, de preferência pra comprar com antecedência, pois os valores aumentam no dia, e tb aumentam em dias de mais procura, funciona meio como preços de passagem de avião aqui, tem variações.

 

Pois bem, eu já estava sozinho de novo agora, a galera que eu conheci foi ficando pelo caminho, ou indo pra outros destinos, ao amanhecer conheci o Jaurus da França, ele iria pra Santiago à noite, e tb ficaria o dia em Iquique, eu iria pra Arica à noite, compramos cada um sua passagem quando o terminal abriu, e fomos sair pra explorar a cidade juntos.

 

Deixamos as cargueiras em um locker, que chama-se Custódia nos terminais, por 2000 pesos.

 

Realmente a cidade é bem bonita, vale a pena ir lá, fomos pro centro, que é bem bonito, entramos em um museu legal grátis no Paseo Baquedando (rua dos cafés e bares), fomos conhecer as praias, que tem um visual interessante, com prédios e montanhas áridas de fundo, fizemos tudo isso andando, para almoçar, recomendo o mercadão, comida boa e barata, no final do dia ao passar pela orla, observamos diversos pelicanos, ao aproximarmos, vimos tb lobos-marinho, tudo ali na praia tranquilo pra a gente ver.

 

À noite fui acompanhar o Jauros no terminal, o meu bus sairia mais tarde, aproveitei pra usar a internet numa lan house até as 22h, horário do meu bus pra Arica.

 

.20150720_170858.jpg.df1aebb55ef02169fa022a265528cac3.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Arica

 

Peguei o bus à noite em Iquique, cheguei em Arica pela manhã, e aguardei o terminal abrir novamente pra comprar um bus pra La paz á noite, demorou pra eu conseguir, pois só estavam abertas as empresas que fariam o trajeto pela manhã, tomei uma canseira até alguma empresa que venderia as passagens pra noite abrir, na verdade daria pra eu comprar à noite na hora, mas eu não tinha certeza e preferi garantir, deixei minha cargueira no escritório da empresa que comprei a passagem, assim economizei com locker.

 

As empresas recomendadas de Arica à La paz são a Lujan, que não chegava ninguém, aí comprei com a Continente ou Continental, foi boa tb...paguei 6000.

 

Vc deve estar se perguntando, mas indo de terminal pra terminal assim, e banho? Tem alguns terminais que tem a opção de tomar ducha tb, vc pode fazer isso, ou ficar uns dias sem tomar banho nessa viagem tb é normal pelo que eu vi a galera lá kkk, por causa do frio nessa época, mas fato é que essas histórias de chegar no terminal e as canseiras que eu tomei, quando cheguei em Arica estava muito cansado, e resolvi pagar um hostel pra descansar um pouco e tomar banho à noite antes do meu bus pra La paz, então me dei esse luxo.

 

Arica é a cidade mais barata dessas 3 que eu visitei no Chile, lá eu almocei em um restaurante bom, por 2400 pesos, durante o dia eu fui a pé tb do terminal até o centro, fui visitar um mirador com o Cristo de Arica, depois fui andar por mais umas praias lá perto, ao final do dia como falei, resolvi descansar um pouco pq tava cansado, e parei em um hostel pra isso, paguei 6000 pesos por esse luxo, quarto individual, meu busão sairia 23h pra La paz.

 

.IMG_6224.JPG.704e4eaa313de905fd38834ed4742916.JPG

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

La paz

 

Saindo do Chile, vc irá precisar passar pela imigração novamente pra entrar na Bolivia, caso vc pegue o bus da noite, ficará um tempo esperando no bus, lembre-se da altitude e frio, caso não esteja bem, opte pelos busões diurnos, no busão eles deram uma mantinha pra a gente.

 

Hostel

Wild Rover, é o melhor hostel party de La paz, eu havia feito reserva com 2 dias de antecedência, direto pelo site, pois pelo Hostelworld já não haviam mais vagas. Além das festas, tb tem ótima estrutura de quartos, banheiros, duchas, bar , restaurante e internet. 47 bols por noite com café da manhã.

 

O que fazer

La paz é uma cidade grande, mais cheia do que eu esperava, o trânsito é caótico, então prepare-se, os principais tours são a pedalada na Death Road, a montanha Chalcataya e a escalada no Huyana Potosí. Eu optei apenas pelo Chalcataya, pois não ando de bike o Huyana seria muito pra mim.

 

Seguem algumas dicas de passeios.

 

Chalcataya e Valle de la luna 08h - 16h

Vale muuuito a pena, a vista do Chalcataya é muito linda, aqui rolou a maior pegadinha da viagem, descobri que no verão essa montanha tem mais neve, por causa da umidade, então no inverno só tem a neve que sobrou do verão, esperava ver mais neve, mas foi legal mesmo assim. Prepare-se para chegar aos 5300 m de altitude, pegamos um bus que te leva à uma parte da montanha, então não é tão punk quanto parece, fazemos um subida relativamente fácil apesar da altitude, depois de voltar de lá, pegamos o bus novamente e vamos ao Vale de la luna, é meio cansativa essa parte, mas pelo que vi todos os tour fazem junto, é um lugar com umas formações rochosas e tal, mais uns 40 min de caminhada, nada impressionante pra quem vem do Atacama mas blz. Levem snacks fácil de comer no ônibus, não houve uma parada pra pic nic.

Valor: 120 bols incluindo as entradas dos parques, foi a agência mais barata que achei, procure as agências da Calle

Sagarnaga, como sempre, haviam pessoas que pagaram mais caro e mais barato no mesmo grupo.

 

City tour

Em La paz não existe o Free walking tour, mas tem um city tour muito legal que vale a pena, sai todos os dias às 11h e às 14 da Plaza São Pedro, dura em torno de 2h30, vc anda pelo centro da cidade, e descobre muita história de lá, vale a pena, mais informações no site http://www.redcapwalkingtours.com/en/

o valor é de 20 bols mais as gorjetas

 

Teleférico

Muito legal a vista, melhor do que qualquer mirador da cidade, em julho haviam em funcionamento 3 linhas, a amarela, verde e vermelha. A amarela e verde são interligadas, então optei por ir nelas, cada viagem custa 3 bols, eu gastei 5 viagens, pois fiz as conexões e depois voltei para meu ponto inicial, mas saiu barato, pois o passeio é bem legal, aconselho essas duas linhas pelo menos, caso não tenha tempo de ir na vermelha.

 

Noite

No meu hostel já era muito agitado, então nem fui pra nenhum bar, mas fomos pra uma balada depois chamada Mithology, 100% estrangeiros, meu hostel tb tinha transfer pra outras baladinhas tb, existem pubs e baladas legais na cidade tb.

 

Pra quem está na Bolivia, La paz tb é o ponto de partida para visita à Copacabana e Isla del sol, é o que vem a seguir.

 

IMG_6277.JPG.37d6bd23abe8b594697d41e5119768fb.JPG

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora



×
×
  • Criar Novo...