Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Entre para seguir isso  
wyse03br

29 dias de um gaijin no Japao: dicas e custos

Posts Recomendados

Gostaria de compartilhar algumas experiências e dicas de viagem nessa fantástica Terra do Sol Nascente. Não sou descendente de japoneses, só conheco 3 palavras no idioma, não curto comida japonesa, já não tenho paciencia (e nem idade?) para hostel, o orçamento para viagens é apertado, viajo a maior parte do tempo sozinho, não fico super-planejando o roteiro (as cidades a visitar são decididas durante a viagem), mas com as devidas informacões é extremamente tranquilo viajar no Japão. Me atrevo a dizer que foi um dos lugares mais fáceis que já viajei (a Russia ocupa o extremo oposto no ranking, mas isso é outra estória...).

 

O segredo da viagem tranquila por lá é entender alguns conceitos:

 

1) sorria, fale baixo, seja cortês, siga as regras: o pessoal por lá é incrivelmente respeitoso e tolerante (com os não-orientais, pelo menos). Nao se buzina no transito, não se fala ao celular em lugares fechados, conversa-se aos sussurros. As pessoas usam uma máscara cirurgica sobre a boca não porque eles sejam paranóicas com os germes do mundo, mas porque elas não querem contaminar VOCÊ. Se eu faço algo errado (exemplo, entrei num vagão de metrô em Nagoya sem saber que era reservado para mulheres) sou alertado de um jeito tão envergonhado que parece até que são eles que estão transgredindo... Como gentileza gera gentileza, a gente vai aos poucos entrando no esquema

 

2) olhe ao redor: tudo lá é meticulosamente sinalizado. Nos pontos de onibus tem roteiros e horarios das linhas, nas estacoes de metro tem mapas pra todo lado, nas estacoes de trem tem marcas no chao de onde vao estar as portas e qual o será o número do vagao que vai parar lá, nas trilhas tem indicacoes de distancia e direcoes, nos museus tem placas indicando quais peças voce pode fotografar e quais não, etc

 

3) imagem e ação: você não conhece o idioma (sequer o alfabeto) e não vai encontrar muitos que falam um inglês compreensível então se liberte e faça desta limitação uma limonada: para pedir informação vale gestos, caretas, números mostrados com os dedos das mão, apontar o nome da cidade no guia, etc. Como o pessoal lá está totalmente a fim de te ajudar, alguma comunicação vai se estabelecer (ofertas de carona, inclusive)

 

Dados objetivos:

 

O roteiro foi Tokyo -> Sapporo -> Hiroshima -> Myiajima -> Himeji -> Kyoto -> Nara -> Takayama -> Nagoya -> Hakone -> Yokohama -> Kamakura -> Tokyo. 100% transporte coletivo e alguma bicicleta. Tokyo->Sapporo e Sapporo->Hiroshima foi feito pela All Nippon Airways (ANA), muito boa, US$ 100 / trecho. O trecho Takayama->Nagoya de ônibus. Myiajima de ferry. O resto de trem, que é BEEM caro (uns R$ 1 / km nos trens mais balas, 1/3 disso nos mais simples). Decidi não comprar o JR Pass por falta de tempo (ele tem que ser comprado no Brasil) e para ter a liberdade de escolher outros meios de transporte. E para evitar a tentação de querer aproveitar as viagens de graça dentro do período e acabar ficando poucos dias em cada cidade. As passagens aéreas da ANA fizeram o custo do transporte sair mais ou menos o mesmo se tivesse comprado o JR Pass, um pouco mais caro talvez, mas ainda valendo a pena.

 

O custo por dia de viagem, incluindo absolutamente tudo exceto as passagens Brasil-Japao foi de US$ 115, ou E$ 100, mais ou menos o que se gasta no circuito Elizabeth Arden (Roma, Paris, Londres, Washington). Hospedagem não foi em hostel e sempre em lugares bem localizados nas cidades. Alimentação foi bem frugal, apelando a fast-food mais do que seria desejável...

 

Hospedagem é bem cara, principalmente em Tokyo (US$ 80 / noite) e cidades grandes. Para manter o orçamento sob controle, algumas sugestões:

 

1) hotel-cápsula: é uma matriz de sarcófagos onde voce entra para dormir e tem que desocupar no dia seguinte. Como sua bagagem fica num locker à parte, ter que sair da cama às 10:00h e só poder voltar às 17:00h não é assim tão ruim. Além de ser em conta, US$ 40 / noite em Ginza (o metro quadrado mais caro do mundo) e organizadíssimo (os banheiros estão sempre impecáveis, como conseguem?), é uma atração turística por si. E é uma visão de como vai ser a vida nas naves espaciais num futuro qualquer

 

2) cibercafé: tem uns cafés 24 horas com computadores em cabines fechadas. Basicamente um hotel cápsula com mais espaço e barulho, e menos mordomias. Visitei alguns, mas não ousei.

 

3) AirBnB e CouchSurfing: os preços de hospedagens no AirBnb estão ficando quase no nível de hotéis, mas em Tokyo ainda tem opções que valem a pena. Um studio para 2 entre Shinjuko e Shibuya saiu menos que R$ 200 / noite. Um cuidado a tomar é não "fazer o check-in" no lugar à noite pois muitas vezes voce vai ter que procurar a chave em algum lugar escondido, e se der algo errado não vai dar tempo para contactar o proprietário e/ou achar outro lugar para dormir. E encontrar o endereço não é tão fácil quanto parece pois por alguma razão misteriosa o pessoal coloca um monte de fotos do caminho que voce vai ter que seguir (tipo caça ao tesouro) em vez de simplesmente mandar um link do endereço no Google Maps. Vai entender... CouchSurfing é free mas é a proverbial caixinha de surpresas - não usado nesta viagem.

 

4) Cadeias de hotéis low-cost: no Japão tem vários hotéis simples, business-oriented (Toyoko Inn, Super Hotel and APA Hotels, etc) que oferecem uma boa relação custo-benefício (US$ 40-60) e normalmente são bem localizados . Mas percebi que tem que reservar com vários dias de antecipação, é meio difícil achar quartos baratos na véspera. Pra quem monta roteiro com antecedência é uma boa opção. Agoda, Booking, Trivago e Hotels funcionam bem por lá

 

Apesar de ter transporte e hospedagem caros, o hamburguer + fritas + refri lá é na faixa de R$ 20, mais em conta que Big Mac aqui! Museus são baratos, na faixa de R$ 10-25, e normalmente com bom conteúdo. Museus privados são um pouco mais caros. Café e cerveja caros também, de R$ 10-20 (sim, café!) mas existem uns bares/restaurantes da Kirin onde a cerveja é metade do preço na happy hour (aí sim!). Também se encontra uns esquemas de beber à vontade por um período (90min, por exemplo)

 

Em breve mais informacoes e fotos, quando aprender a attachar arquivos aqui...

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Obrigada por compartilhar!

Se puder falar sobre Okinawa e Sapporo , agradeço muito! Não fui nestas cidades e mal voltei e já fico sonhando com roteiros para uma 2a viagem pra lá...

 

Não experimentei o esquema de beber ilimitado por um tempo (nomihoudai).

Acho que existe de comida também (buffet livre - tabehoudai)

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Ola Natalia,

 

Sim, dá vontade de voltar. Okinawa eu nao fui, mas sei que tem incentivos para visitar essa região como a facilitação (ou isenção) de visto. Fica pra próxima...

 

Já Sapporo é bem diferente do resto do Japão. Até os 1800 era uma região ainda despovoada e sua colonização começou por causa das intenções da Russia czarista para ocupar a regiao. Essa colonizacao se deu na Restauração Meiji com know-how americano - vários especialistas (engenheiros, agronomos, agricultores, professores, etc) contratados deram uma cara de velho oeste para essa regiao. Um dos prédios historicos é o town hall, com torre de relógio (que ainda funciona) e tudo. Tipo "De Volta Para o Futuro 3".

 

A regiao é fria e por isso é um dos últimos lugares que em que as cerejeiras desabrocham. É bastante montanhosa, e muito procurada para esportes de inverno. As Olimpiadas de Inverno de 1972 foram lá. Em Janeiro tem o festival de inverno, com esculturas no gelo muito loucas (como o Silvio Santos costuma dizer, eu nao vi mas conheco quem foi e gostou muito).

 

O custo de vida é mais barato lá, então dá pra economizar um pouco ou fazer umas loucuras. Por exemplo, almoçar no Sky J, restaurante do Nikko Hotel no 35o andar da torre JR, excelente cozinha e uma vista fantástica da cidade. Come-se quanto puder por R$ 85 / pessoa (vinho incluso).

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Oi wyse03br!

Bacana o relato. Li que você está com dificuldades de inserir as fotos aqui né? (Estamos trabalhando para inserir uma opção que facilite isso)

Se você quiser, pode enviar as fotos que quer publicar para o e-mail [email protected] que a gente coloca ela aqui pra você :)

Caso envie, por favor coloque no assunto: "Fotos para relato" e no corpo da mensagem, o link do relato.

Abraço!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

Entre para seguir isso  



×
×
  • Criar Novo...