Ir para conteúdo
Mochileiros.com
alinebarreto

San Andrés com gastos e fotos + 1 dia no Panamá

Posts Recomendados

Passagem aérea: R$1670 pela COPA (comprada 26 dias antes da viagem, não achei tão cara), com escala na cidade do Panamá tanto na ida quanto na volta. Na volta escolhi uma escala de quase 1 dia porque a ideia era sair do aeroporto para conhecer um pouquinho da cidade.

Hospedagem na Ilha: 7 diárias em quarto compartilhado e banheiro privativo no El Viajero Hostel por 426300 COPs.

Dinheiro: levei 500 dólares (R$ 1715) para pagar tudo (inclusive o hostel). A cotação quando estive na ilha foi de 1 dólar = 2700 COPs. Troquei 420 dólares e os outros 80 usei na escala no Panamá.

 

Sobre o vôo com a COPA: só levei bagagem de mão, fiz checkin antes pela internet e apesar do vôo sair de madrugada, a fila no aeroporto de Guarulhos estava absurda. Levei uma hora para passar no balcão e pegar o ticket de embarque e comprar o boleto turístico para entrada na ilha (R$125). No vôo foi servido um pequeno lanche (salgadinho de banana frita + bebidas) e um "pequeno almoço", como eles chamaram, com opção de omelete ou crepe de nozes. No vôo para San Andres teve um pequeno lanche (pão com frios). Na volta de San Andrés um lanche quente de queijo com carne e para Guarulhos, o jantar era massa de espaguete à bolonhesa ou arroz com frango + um lanchinho de batata (salgadinho) com bebidas. Não tive do que reclamar sobre o serviço e atendimento que recebi nesses vôos, mas também não despachei bagagem (pelo que vi na internet muitas são extraviadas ou arrombadas e tem produtos furtados).

 

Sobre o hostel: a localização é excelente, fica a uns 5 minutos caminhando da praia, além de ter café da manhã incluído, o que não é comum na ilha. Tem atendimento 24h, tem balcão de turismo onde você pode comprar os passeios com preços iguais ou menores aos praticados pelas agências e é super animado. Tem festas ou aulas de dança todos os dias a partir das 22h, o que pode ser um problema se você quiser dormir, porque a música é ouvida de qualquer lugar no hostel. Levei uma máscara de olhos e tampões para o ouvido e quando dormi cedo, usando esses dois itens não tive problema algum. O quarto era limpo todos os dias (pedem para deixar o quarto livre entre 11 e 14h), mas achei que a limpeza do banheiro deixou a desejar. Tem depósito de bagagens e computadores disponíveis. O wifi é muito instável, principalmente nos horários onde a maior parte dos hóspedes está no hostel (pela manhã, durante o café e no final da tarde e começo da noite, quando praticamente todos voltam da praia para o banho).

 

Para mulheres: o assédio é uma coisa que me incomoda muito. Os nativos não chegam a encostar em você, mas estão sempre mexendo, sempre olhando e chamando você querendo conversa. Não dei bola e sempre continuei andando. Sugiro que você faça o mesmo.

 

1º dia - 06/02

Cheguei em San Andrés por volta das 11h e logo de cara, vi porque todos chamam o aeroporto de rodoviária! rs Ele é super pequeno e no atendimento da imigração tinham apenas dois atendentes, o que gerou uma fila absurda com todos saindo do avião. Fui trocar uma parte do meu dinheiro na casa de câmbio dali, mas estava sem sistema e o taxista que me pegou disse que seriam 7 dólares a corrida. Aceitei, mas quando chegou no hostel, ele não tinha troco, então me levou na frente do bancolombia para trocar o dinheiro e me levou de volta ao hostel. Paguei 15000 pela corrida (sendo o aeroporto a menos de 1,5km do hostel).

Fiz o checkin, paguei o hostel, mas teria que esperar até 14h para entrar no quarto, então me troquei e fui para a praia do centro, Sprat Bright, maravilhosa de bonita. Almocei no Subway (única coisa que eu conhecia e era barata) umas 15h e paguei 13000COPs pelo lanche do dia + batata + Coca de 600ml. Na volta da praia fui andando por umas lojinhas para ver os souvenirs e comprei um globo de neve por 25000COPs. Parei no mercado (Supertodo) na rua do hostel mesmo e comprei um sacão de 5L de água por 2150COPs. Também na rua, comprei a sapatilha para usar nas praias e proteger os pés dos corais por 12000COPs.

Minha janta foi bolacha clube social com o restante da Coca que eu não consegui tomar de uma vez e fui dormir cedo porque tava podre de cansada.

lopo7.jpg.9e6a75e820140870e832db14b94a31fc.jpgIMG-20170207-WA0004.jpg[/attachment]

598d9e0594c41_resultadoeleicoes.jpg.f57f66faf5e90aa14477a594ce69b121.jpgDSC03852.JPG[/attachment]

598d9e058a53b_lavaanoite.jpg.4533eff3ae833e77004bf75d58828c63.jpgel acuario.png[/attachment]

fer.jpg.52d6c96fbba4cfdd0658b7e91e770622.jpgNÃO TENHO FOTOS DESSE DIA PORQUE FOI QUANDO MEU CELULAR MOLHOU E AINDA NÃO TINHA MANDADO NENHUMA PARA A FAMÍLIA[/i] :cry:

 

8º dia - 13/02

Acordei cedo para levar o celular na assistência técnica, onde paguei 25000COPs só para avaliação e 1h30min depois, o cara me disse que tinha dado PT, pois queimou tela, memória interna, bateria, processador, além de outras coisas que eu nem sabia o que era. Bateu um desespero, porque eu estava indo para o Panamá, não saberia como me localizar lá sem o GPS e ainda corria o risco de perder todas as minhas fotos. Fiquei bem mal por causa disso, mas decidi aproveitar e tentar esquecer. Peguei celulares emprestados, usei o computador do hostel e fui dando notícias pelo facebook pra família.

Nosso dia (meu e do Igor e Felipe, primo dele e meus companheiros nos últimos 3 dias) foi praticamente para arrumar as malas, fazer checkout do hostel e andar para comprar lembrancinhas.

Comprei um imã de geladeira de cerâmica por 5000COPs, um globo de neve pequenininho por 7000COPs, um imã de geladeira de goma e dois chaveiros por 33000COPs (loja centro artesanal, na rua do hostel. Mais cara, porém tinham lembrancinhas que outras lojas não tinham, como imãs de geladeira de goma/borracha). Numa lojinha na frente, comprei um chiclete americano por 5000COPs e um lenço demaquilante também por 5000Cops.

A convite do Igor, fomos almoçar no La Regatta (terceira vez deles e a minha primeira), como forma de despedida da ilha. Como tenho alergia a frutos do mar e essa é a especialidade do restaurante, pedi um spaghetti com molho branco e frango, que estava divino! O preço desse prato (um dos mais baratos) é de 33900 COPs.

Fui para o hostel e fiquei esperando até as 16h, quando dividi o táxi para o aeroporto (7500COPs para cada) com a Isa, uma carioca que pegaria o mesmo vôo que eu para o Panamá. Na chegada ao aeroporto, abri um pouquinho a minha porta e um doido que vinha super próximo do carro, pegou a porta do táxi. Fez o maior barulho, aquele clima tenso e eu já pensando no quanto teria que pagar pro táxista arrumar a porta que não estava abrindo por fora, apenas por dentro... Foram minutos estressantes. Sorte que a maioria dos carros na ilha são bem antigos e aparentemente eles não ligam muito para a conservação dos mesmos. O taxista percebeu que teria que desencaixar a porta e não tinha sido nada sério, então abriu o porta malas e nos deixou ir embora. Na entrada do aeroporto alguns vieram perguntar se estava tudo bem e se tivemos que pagar pelo prejuízo. Depois da perda do meu celular, meu estado de espírito não era dos melhores e essa foi mais uma prova que eu passei! rs

O vôo para o Panamá foi super tranquilo (1h de duração) e cheguei no Panamá às 20h.

A ideia era pegar o transporte público (US$1,25), descer no multicentro e caminhar até o hostel, mas sem celular com mapa e GPS, sozinha e à noite, eu desisti, porque sabia que não seria muito fácil. Peguei um táxi, tabelado em ABSURDOS US$30, que em menos de 20min me deixou no hostel Lemmon Inn, onde fiz o checkin num quarto feminino compartilhado de 4 camas com café da manhã por US$13. Gostei do atendimento, das instalações e do quarto. Sei que tinham duas redes de wifi disponíveis porque fui avisada no checkin, mas como não tinha celular pra usar, não posso dizer se eram boas.

Tomei banho e fui dormir num quarto delicioso, bonitinho, com ar condicionado, SOZINHA (depois de 8 noites na bagunça do El Viajero eu até fiquei feliz por isso! rsrs).

DSC03857.JPG.fe0dcdd56b1b2f3a198381b7a9daea29.JPG

 

9º dia - 14/02

Acordei umas 7:30, tomei banho, arrumei a mala e desci para tomar café, que era bem simples, mas no mesmo nível de todos os hostels que eu já fiquei. Fiz o checkout e perguntei se tinha mapa da cidade para comprar no hostel. Obviamente e para minha tristeza, não tinha. A moça que estava na recepção me deu algumas dicas do que fazer e eu decidi ir até o Casco Viejo andando (uns 6,5km), já que não tinha o bilhete do ônibus e eles não aceitam dinheiro. Saí sentido multicentro (menos de 5min do meu hostel) e lá achei um posto do Hip on Hip off, onde consegui uma revista com uma mapinha bem mais ou menos da cidade. Fui perguntando e caminhando e cheguei na Cinta Costera, um "parque"/calçadão na beira do Pacífico, muito tranquilo e bem conservado. Quando cheguei próximo ao Casco Viejo, tive uma vista deslumbrante dos prédios enormes do outro lado. Comprei uma garrada de 625ml de água por US$1.

A melhor impressão que tive da cidade do Panamá, além das pessoas muito solícitas, foi o tamanho dos edíficios (mesmo os residenciais - cheguei a contar mais de 40 andares!) e a limpeza das ruas. Fiquei apaixonada e queria ter tido mais tempo para visitar outros lugares, como o Panamá Viejo e o Canal do Panamá, além de querer ir para outras províncias.

O Casco Viejo ou Casco Antiguo é hoje o bairro mais seguro da cidade do Panamá, graças ao policiamento e obras de restauração que estão sendo feitas por lá desde 2004. Antes disso, era o mais perigoso, pois era todo invadido pela população de baixa renda e onde o tráfico de drogas rolava. O Casco Viejo é uma cidade amuralhada, construída após a queima do Panamá Viejo, quando o governante da época preferiu ver a cidade queimar do que ser invadida pelos piratas. Ela também foi invadida algumas vezes, com intuito de se roubar tudo de valor dali, como o altar de ouro, só que um padre muito inteligente, ao saber da ameaça dos piratas, pintou o altar todo de preto e quando o Morgan chegou lá para roubá-lo, não desconfiou de nada e assim o altar foi salvo. Essa região é riquíssima em história, muito bonita e cheia de restaurantes fofos e lojas de lembranças.

Comprei um globo de neve por US$10, dois imãs de geladeira por US$5 e 3 chaveiros por US$10. Ainda dei a sorte de ir tirar foto num cantinho meio escondido e achei uma sacolinha cheia de lembrancinhas que alguém esqueceu. Como ninguém estava por perto, peguei para mim.

Saí de lá e fui caminhando até a 5 de Mayo, onde me disseram que eu conseguiria comprar a tarjeta do metrobus para voltar ao hostel. Custou US$2 e coloquei mais US$2 de recarga. Peguei o Metrobus e desci no Multicentro, onde almocei no Mc Donalds (US$ 5,65, paguei com cartão) e depois fui buscar minha mochila no hostel. Comprei uma capinha para o meu passaporte por US$3 dólares.

Do multicentro, peguei o ônibus Tocumen Corredor Sur que custa US$ 1,25 e demorou 20min até o aeroporto (no hostel me disseram que esse percurso demorava 1hora. Não sei se foi o horário tranquilo, por volta das 14h, mas imagino que no horário de pico demore muito mais).

A imigração do Panamá é mais rígida do que eu pensava e mesmo de Havaianas, tive que tirar o chinelo para passar no raio-X. Não carimbam o passaporte na volta, mas perguntei para 2 oficiais e me disseram que é assim mesmo.

Peguei o vôo para São Paulo às 18:22 e assim acabou a viagem. :cry:

canastra.zipDica 2[/b]: Faça backup das suas fotos em nuvem ou outro cartão de memória e JAMAIS confie em capinhas à prova d'água. Aprendi do pior jeito.

 

GASTOS TOTAIS:

R$1670 - passagens

R$125 - boleto turístico de San Andrés

R$1715 ou 500 dólares - pagaram hospedagens e todo o resto

R$50 - coisas pequenas que acabei passando no cartão de crédito

598ddf45942ae_spratbright.png.d5b9081d8693cd234cc43ef6afda91e2.png

IMG-20170207-WA0004.jpg.e067411deaeada1b56cc0e897019ce67.jpg

IMG-20170206-WA0003.jpg.a52e477e2683fc9129695fd5cd194db7.jpg

DSC03843.JPG.a242284edbce1799ae57d53989658c60.JPG

DSC03852.JPG.769732ee1d7c0eaf8378b94d80367de6.JPG

IMG-20170208-WA0010.jpg.dc1c7e8e6e1ba906a903908409f76465.jpg

IMG-20170210-WA0010.jpg.2b197ecfe21b43008d96522391ab23d2.jpg

IMG-20170210-WA0004.jpg.9284df04f87f9549edd43ca500b8122e.jpg

IMG_4303.JPG.cecf4aae4d12629f8ddd9be3f0a442ea.JPG

IMG_4327.JPG.83aa6e8181cf73fffba5442613853f7d.JPG

598ddf47eed7d_elacuario.png.881c30d551302a5e6c9fcb36ea53aec6.png

IMG-20170211-WA0004.jpg.e1046902770550fc49ac11bbde0dfd3c.jpg

DSC03868.JPG.dd7587efe5980c0175fa8364e7969b7a.JPG

DSC03878.JPG.6e8e7fea08be5d0126403b2857a0018e.JPG

DSC03922.JPG.1274eba93b8fca0be66b186916b711d6.JPG

DSC03939.JPG.d640693fc3fb50a0773f6e19d3225bc3.JPG

DSC03942.JPG.cf0ebefc34b682a5b7f21ffdf4dbbd3a.JPG

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
diogomarxx    0

Belo relato! Uma dúvida: postaram há pouco tempo que o El Viajero teve uma infestação de bedbugs, tá normal por lá?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Belo relato! Uma dúvida: postaram há pouco tempo que o El Viajero teve uma infestação de bedbugs, tá normal por lá?

 

Oi Diogo! Pelo que eu vi, essa infestação aconteceu no meio do ano passado.

Fui agora em fevereiro e tá tudo maravilhosamente bem por lá!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Valeu!

Devo ir pra Colômbia em outubro e acho que vou ficar no Viajero mesmo.

O hostel é super animado, gostei muito de lá! Tirando o wifi que não é dos melhores e a água fria do chuveiro (comum na ilha), recomendo mesmo, principalmente para quem vai viajar sozinho.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Samer Alves    0

Oi Aline, muito obrigado pelas informações.

Estou indo agora em março e como decidi de ultima hora, tenho uma semana pra organizar tudo e suas informações foram muito boas.

::otemo::

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora


×