Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Jay Silva

Maragogi, Tamandaré, Porto de Galinhas, Recife e Olinda - 14 dias - fev/17

Posts Recomendados

Galera que tem interesse em fazer essa trip pelo Nordeste, primeiramente quero dizer que é altamente recomendável, vocês irão conhecer praias maravilhosas, comidas deliciosas, e vão se encantar com a cultura nordestina.

Abaixo vou detalhar todas as dicas para vocês, e falar como foi a nossa viagem.

 

Participantes: Jay e Andréia (minha namorada) ::love::

 

Total de Dias: 14 (Incluindo as datas das viagens)

 

Destinos: Maragogi, Tamandaré, Porto de Galinhas, Recife e Olinda.

 

Principais dicas:

 

Tábua das marés: Já ouviu falar nela? Pois é, antes de qualquer coisa você vai precisar consultá-la, não compre sua passagem nem reserve nada sem saber antes como estará a maré nos dias de sua viagem. Para consultar a tábua da maré, existe um site da marinha, você deve escolher o porto da cidade mais próxima do seu destino, para Maragogi indico consultar diretamente o site (http://www.maragogionline.com.br/tabuamare.php), certifique-se que o horário da maré mais baixa será em um horário apropriado pra você fazer seu passeio, a maré mais baixa é de 0.0 e para fazer o passeio das piscinas naturais de Maragogi bem aproveitado, a maré deve estar no máximo a 0.5, em dias que ela está mais alta os passeios pras priscinas naturais não são realizados, então fique esperto com isso.

Para Porto de Galinhas, não interfere tanto, pois as piscinas ficam mais próximas da praia, mas é em Maragogi que está a maior barreira de corais do Brasil.

Mas em Porto de Galinhas, também certifique-se de como estará a maré nos dias que estiver por lá, pois a maré pode estar mais baixa durante a tarde por exemplo, então você pode programar um mergulho, ou passeio de jangada nesse horário e não pela manhã.

 

Celular: Mantenha SEMPRE na capinha a prova d’água, o meu quebrou e logo mais adiante vão entender o porquê.

 

Transporte/Transfers: Eu optei por não alugar um carro, mas pra quem preferir, eu recomendo bastante, pois será de grande valia para se locomover por lá, a estrutura de táxis, e transporte público é bem precária.

 

Passeios: Recomendo fechar os passeios por lá, onde é possível ter uma melhor negociação e pessoalmente pode pegar mais explicações, eles não costumam ser tão claros quando mandam os e-mails com as opções de passeios, mas se por exemplo você já tiver passeio no dia seguinte de sua chegada ou no mesmo dia, é possível também fazer a reserva antes para garantir.

 

Snorkel: Leve um snorkel/óculos de mergulho, é totalmente diferente a visão com eles, não vale a pena ficar sem, e o aluguel em todos os passeios que for pode ter um custo alto, pode valer mais a pena ter o seu próprio equipamento, que inclusive seria mais higiênico. Pode ser apenas 1 pra revezar com quem estiver com vc tb.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Dia 1: São Paulo GRU - Recife - Maragogi

Pra quem está em São Paulo, a primeira dica é ir de Uber pro Aeroporto, se tiver com mais uma pessoa já fica mais barato do que se for com o Airport Bus Service, lembrando que também tem a opção do ônibus que sai do metrô Tatuapé até o aeroporto de Guarulhos por R$ 5,50.

Devido à tábua de marés, optamos por iniciar a viagem em Maragogi, porém descendo no Aeroporto de Recife, que tem opções de vôos mais baratos do que descendo em Maceió. Ao desembarcar, pretendia ir de transporte público até Maragogi (lembra que falei que recomendava alugar um carro?) mas como cheguei após 18h, eu perdi o último ônibus que faria esse trajeto (seriam 2 ônibus no caso). Os taxis cobravam R$ 200,00 pelo trajeto, e de acordo com o Uber eu pagaria R$ 170,00 pelo aplicativo, porém quando o motorista chegou ele disse que não valeria a pena esse trajeto, pois ele viria de Maragogi sem ninguém, então ele cancelou a corrida, tentei novamente e o outro motorista aceitou, um dica seria o seguinte, combine com o motorista do Uber dele cancelar a corrida e você fazer o pagamento por fora em dinheiro, assim não seria ruim pra ele, mas se fizer isso você não estará coberto pelo Uber, só em caso de emergência. No final deu certo, e chegamos na noite de sábado na pousada.

 

Sobre a pousada: Coco Verde

Preços ótimos, atendimento ótimo, café da manhã ótimo e quartos que atendiam nossas expectativas, exceto pelo colchão da cama um pouco mole e um frigobar um pouco barulhento. É uma pousada simples, caso sua viagem exija uma sofisticação maior, não é o caso de lá.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Dia 2 - Domingo - Maragogi – Passeio de buggy – Praias do Litoral Norte

Valor: R$ 170,00 p/ casal (é possível dividir com mais pessoas)

Duração: Aproximadamente 4 horas

Esse passeio eu já havia reservado antes, com um bugueiro que peguei a recomendação pela internet conhecido como Comandante Amilton Whatsapp (82) 98808-6176 (82) 99341 6015, Insta: @comandanteamilton01.

Optei por fazer de manhã, pois a maré estaria baixa e seria possível aproveitar melhor as praias, mas vc pode combinar com o bugueiro o melhor horário pra você.

A praia do centro de Maragogi não é muito atrativa, é nesse passeio que você vai nas praias mais lindas de lá, então recomendo fazer esse passeio assim que chegar.

Um das praias mais legais é o banco de areias de Barra Grande, aqui que eu perdi meu celular e vou explicar como para que não aconteça com vocês, deixei minhas coisas em um banco de areia, pois vi muita gente fazer o mesmo, mas quando fui dar um mergulho a maré subiu de repente e molhou as minhas coisas, meu celular deu perda total nesse momento devido ao contato com a água do mar, ele estava em um bolso lateral totalmente exposto, tentei consertar em vários lugares mas sem sucesso.

Nessa praia tem um banco de areia que divide o mar, tem diversas barracas de comes e bebes por lá, é um local bem gostoso pra ficar bastante tempo caso a maré esteja baixa, pra quem vem de lancha( passeio que conto depois) é uma ótima parada também.

A próxima parada é a praia de Antunes, talvez a que tenha o mar mais bonito e azul.

Depois paramos na praia de Xaréu, também conhecida como praia da Bruna, na verdade tem uma boa parte de lá que eles chamam de praia da Bruna, não sei se é confuso mesmo, ou se fazem isso pra enrolar os turistas. Essa foi minha preferida, a maré estava bem baixa em um vasto território para se caminhar dentro das aguas.

Ao final do passeio o nosso comandante Amilton no indicou um restaurante pra almoçar, e depois nos levou de volta até a pousada.

Indicamos o nosso bugueiro, pois foi bem atencioso, tirou diversas fotos, e nos levou em locais que nem todos os guias levam, incluindo algumas pousadas locais com animais silvestres.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Dia 3 –Segunda-feira - Maragogi – Piscinas naturais e Passeio de Orla

Valor: R$ 100 p/ pessoa - Piscinas Naturais

Duração: Aproximadamente 2 horas

Valor: R$ 50,00 p/pessoa - Passeio de Orla

Duração: Aproximadamente 1h30

O dia mais esperado por mim, o passeio pras piscinas naturais de Maragogi.

Lembrando que já havia consultado a tábua de marés, e estaria a 0.3, por volta das 11h da manhã, uma ótima maré.

Primeira dica: procure um passeio que vá de lancha, é melhor do que ir de catamarã.

Segunda dica: Contrate os fotógrafos lá, o preço é em média R$ 50,00 pro casal, e o rapaz tira mais de 50 fotos, e ajuda bastante a sairem umas fotos bem legais, ele fica dando ração pro peixe então suas fotos saem sempre bem bonitas. E ele ajuda bastante a produzir as fotos, vale muito a pena, mesmo se você já tiver a sua câmera a prova de água. O rapaz entrega depois o CD com as fotos em sua pousada com hora marcada, eu fiz com o fotógrafo Lucas, ele fica na água mesmo esperando os barcos pra oferecer o serviço.

Terceira dica: Não recomendo ir de Chinelo ou Crocs como algumas pessas falam, dizem que tem que ter cuidado pra não pisar em nada, mas esses chinelos atrapalham a nadar, apenas mantenha distância dos corais.

O bugueiro comandante Amilton pode ajudar a indicar os barqueiros de lancha, eu contratei esse passeio também antecipado, pois queria garantir o meu passeio mais esperado rs. Normalmente o pessoal de lancha fica oferecendo o passeio em frente a pousada Olho d’água, pois eles saem de lá, você pode contratar esse passeio por lá. Eu contratei com o Welllington (82 8842-3880 / 8832-7458 –[email protected]) ele pede depósito antecipado, não tive problemas nesse passeio, mas o segundo que conto mais a frente ficou a desejar.

Atenção, existe um polêmica sobre as Piscinas naturais, a maior é a Galés, porém existem outras, segundo o Amilton eles são obrigados a fazer um rodízio, então nem sempre você irá na Galés que é a maior, na minha lancha tinham umas meninas que falaram que foram em uma outra que era um porcaria. Então pesquise o melhor horário da maré, e pergunte antes pra qual você irá, o ideal é ter um outro dia de reserva pra caso não dê certo nesse primeiro dia.

 

Ao final, eu fiz um outro passeio que já havia pago também, chamado Passeio de Orla, peguei a indicação do Ricardo Freire do Blog Viaje na Viagem, só que a lancha fez apenas duas paradas no trajeto, inclusive dua praias que eu já havia ido de buggy, então achei que não valeu a pena, se for fazer esse passeio, pergunte antes quantas paradas eles fazem, a única vantagem desse passeio é pra quem não conseguir ir em um dia com a maré baixa pras piscinas naturais, aí essa fica uma das opções de passeios por lá de lancha, mas mesmo assim é melhor ir de buggy.

 

16711614_1260127677408822_101891349244962848_n.jpg?oh=dcaff5999121e138c16a23319db82f9f&oe=59342B52

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Dia 4 – Terça-feira - Maragogi – São Miguel dos Milagres

Valor: R$ 55,00 p/ pessoa

Duração: Aproximadamente 7h

Esse foi um passeio que fechei por lá, ainda teria esse dia livre e achei que seria uma boa opção, uma van te busca no hotel e te deixa nessa praia durante uma manhã até umas 15h30, o passeio foi com a agência Costa Azul, que executaram muito bem o serviço. Lá é uma praia semi-deserta, apenas para relaxar mesmo.

Nesse passeio também tem a opção do Santuário do Peixe Boi, onde é possível ver o animal ameaçado de extinção, custa R$ 50,00 por pessoa, no meu caso optamos por não fazer . Eles dizem que tem que reservar antes, mas ofereceram na hora também, caso queiram deixar pra decidir lá na hora.

 

Indicação de restaurantes em Maragogi:

Taocas

Tapioca da Martha

Maragaço 2 (tem um outro menor)

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Dia 5 – quarta-feira - Maragogi - Tamandaré

Essa foi uma das melhores decisões e maiores surpresas da viagem, resolvemos no hospedar em Tamandaré, e adoramos! Reservamos 2 noites em uma pousada lá.

O transfer novamente foi um pouco complicado, pegamos duas vans super lotadas, andamos com as malas nas costas e no sol pra achar a pousada, mas deu td certo.

 

Sobre a pousada: Doce vida

Pousada bem simples, não possuem café da manhã, a localização é boa, tem um bom atendimento da parte do proprietário, eles mesmo nos ajudaram a reservar nosso passeio com desconto pra hóspedes, porém são muito rígidos com o check-out, não nos deram oportunidade para um late check-out, mesmo a pousada aparentar estar meio vazia.

 

A cidade é bem tranquila, porém tem algumas opções de barzinhos, quiosques na praia, é é mais estruturada que Maragogi. Tem praias bem legais, e opções de passeios de lancha pra corais e pra Praia de Carneiros.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Dia 6 – quinta-feira - Tamandaré – Praia de Carneiros

Uma das coisas boas de Tamandaré é a facilidade pra chegar na Praia de Carneiros, fizemos através de um passeio com a agência Manguezal (81) 987410144, (81) 9979108833, insta: manguezal_ecoturismo, o valor é de R$ 50,00 por pessoa (pagamos R$ 40 pela pousada), e ele passa pelo Rio Ariquindá, diferente dos catamarãs que vem de Porto de Galinhas e de Maragogi, e o catamará também é mais vazio, já que Tamandaré é menos Turística, a equipe do barco é bem animada, vale super a pena o passeio. Caso você queira ir por conta pra Praia de Carneiros, também é bem fácil, basta chamar um mototaxi, eles vão te cobrar R$ 8,00 até o Bora Bora, aliás uma dica se fizer o passeio é, ao chegar na Praia de Carneiros, não volte com o barco, combine com um mototaxi de te buscar no final da tarde, assim você aproveita mais a praia e a estrutura do Bora Bora, que é o maior restaurante de lá, com uma super estrutura, um pouco caro, mas tem algumas opções só pra beliscar que cabem no bolso tb.

 

Dicas de restaurante/bar em Tamandaré:

Restaurante Lampião e Maria Bonita – Eu moraria nesse restaurante, lugar bonito e temático, comida maravilhosa e com alguns pratos bem baratos, comida regional, além de pizzas e outros pratos.

Submarino Amarelo – Bar temático dos Beatles

Quiosque Copacabana – Praia de Tamandaré

 

16831989_10154844178555155_646732840633893844_n.jpg?oh=bae5fe2f67dc4754e1dde987d7fe992e&oe=5924EBEC

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Dia 7 – sexta-feira - Tamandaré – Porto de Galinhas

 

Nesse dia iríamos cedo de Tamandaré pra Porto de Galinhas, já que queríamos fazer um passeio em Porto ainda pela tarde, mas como gostamos da cidade, e tb conhecemos um casal de Santa Catarina no passeio do dia anterior, acabamos passando o dia com eles em Tamandaré, já que estavam de carro e iriam nos dar uma carona pra Porto de Galinhas onde só chegamos pela noite.

 

Dia 8 – sábado - Porto de Galinhas - Passeio de buggy Ponta-a-ponta

Em Porto de Galinhas, reservamos 3 noites.

Sobre a pousada: Residencial Porto de Galinhas

Pousada bem simples, com um café da manhã simples porém gostoso, o local é administrado pela Dona Glacy, uma senhora de 70 anos, que irá te tratar como seu neto rs, é bem localizada, podendo caminhar até pras piscinas naturais e a poucos metros do centro, local bem tranquilo para dormir.

Era um sábado, e nossa primeira impressão de Porto de Galinhas não havia sido tão boa, pois estávamos vindo de locais bem tranquilos, e em dias de semana, ao chegar em um fds por lá, nos assustou um pouco, não tínhamos visto tanta gente assim em nossa viagem, praia lotada de guarda-sol, valores caros pra utilizar a cadeira na praia, enfim, mas tentamos aproveitar.

Já no sábado fizemos o passeio mais indicado pra se fazer assim que chegar, o passeio de buggy Ponta-a –Ponta, vale muito a pena, nesse passeio sim pudemos aproveitar praias mais vazias e locais sem tanta lotação rs, o passeio passa primeiramente pela praia de Cupe, que foi a minha preferida, paramos em um quiosque com música ao vivo, e com corais bem pertinho da gente, depois fomos pra praia de Muro Alto, essa também é linda, foi a preferida de minha namorada, lá tem esse nome pois tem um “muro” natural de rochas na praia, e no final fomos pra Pontal do Maracaípe, que dizem ter um por do sol lindo, porém não pegamos um bom dia lá, é nesse local também que tem o opcional do passeio do Cavalo Marinho, onde você vai de jangada por um percurso e o jangadeiro pega um cavalo marinho e coloca em um pote pra vc ver, o passeio custa R$ 25,00 por pessoa, optamos por não fazer.

Indicamos fechar esse passeio na hora, pois tem muuuuuita gente oferecendo, até na água se vacilar rsrrs...a diferença de preços pode ser grande também...indicamos a agência Algarve, o contato foi o Lucas (81) 98655 4469. Pagamos R$ 160,00 o casal. Vc pode ir em até 4 pessoas e ratear se quiser, encontramos valores de R$ 130 a R$220,00 por esse passeio.

 

16830704_1266145033473753_5266845431732848448_n.jpg?oh=d3bee5b953f38a56f799f5326c7f0b73&oe=59300BE2

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Dia 9 – domingo - Porto de Galinhas – ONG ECOASSOCIADOS - Museu da Tartaruga Marinha e Serrambi

Era um domingo, diziam que a cidade estaria ainda mais lotada por causa das excursões, eu e minha namorada queríamos fugir rs. Sem querer, descobrimos que havia uma ONG que organizava desovas de tartarugas aberta ao público, fomos procurar nos informar, eles atendiam em uma espécie de museu da tartaruga, o valor de entrada era de R$6,00. Vale muito a penas, eles te explicam muitas coisas sobre as tartarugas marinhas, vc pode ver alguns animais em recuperação (não pode tirar foto), porém a desova é em datas específicas e não teríamos a oportunidade de ver dessa vez, eles divulgam na página deles, curta lá:

https://pt-br.facebook.com/projetoecoassociados

Depois, pensamos em ir novamente pra Cupe e Muro Alto, as praias que havíamos gostado mais no dia anterior, vimos preços com mototaxi, taxistas e bugueiros, e resolvemos fechar com um bugueiro, pois o passeio de buggy pode ser mais caro, mas é mais legal tb, e o bugueiro iria nos esperar no local, achamos mais seguro tb. Perguntamos pro bugueiro sobre a praia de Serrambi, ele disse que poderia nos levar lá se preferíssemos, então optamos por esse passeio, é uma praia próxima, que não é muito turística, não estava lotada, valeu a pena ir conhecer e recomendo também, ótimo local para banho e um bonito visual.

 

16832236_10154850430220155_8726750520613395671_n.jpg?oh=185bd6dbc9ab3c0c23548b4017c9fa8e&oe=5933393D

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Dia 10 – segunda-feira - Porto de Galinhas – Recife

Era segunda-feira e a praia do Centro ainda estava lotada em Porto de Galinhas rs, nesse dia não tinha escapatória, iríamos ficar apenas a parte da manhã, pois de tarde iríamos pra Recife, mas acabamos que gostamos bastante apesar da lotação, a água é muito limpa e mesmo em áreas com ondas ainda era possível ver alguns peixes, não vimos as piscinas naturais pois a maré só abaixaria à tarde, foi uma pena.

 

Dicas de restaurante em Porto de Galinhas:

Barcaxeira (pratos com macaxeira, deliciosos)

Peixe na Telha (meio caro, mas comida deliciosa e vista pro mar)

 

A propósito, lá tem lugares baratos pra comer sim, tem diversos restaurantes self-service, prato feito etc, mas comer na praia é caro.

 

A tarde pegamos uma bus e fomos pra Recife, o bus custa R$ 15,00 ( ou algo assim) com ar condicionado e passa de hora em hora, tem outros mais baratos sem sem ar.

Em Recife iria ficar na casa de um amigo, e ao chegar já fomos direto pra Olinda, pois iria haver uma apresentação chamada Noite dos Tambores Silenciosos, uma tradição antes do carnaval. Olinda fica em média 25 min do Marco Zero de Recife, é possível ir de transporte público, táxi e Uber.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora



×
×
  • Criar Novo...