Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

felipe.araujo

Chapada Diamantina : 7 dias por toda Chapada.

Posts Recomendados

Olá mochileiros! 

Segue relato da minha viagem de sete dias pela Chapada Diamantina : Capão , Lençóis , Andaraí , Igatu , Mucugê e Ibicoara.

Mas Felipe, vi que tem vários lugares que as pessoas vão que você não foi, pq? Na minha opinião, estes são os melhores pontos para conhecer a Chapada, para quem não conhece nada ainda acrescentaria apenas o Morro do Pai Inácio, não recomendaria por exemplo Gruta da Lapa Doce e Poço Encantado, mas vai do que você pretende com a viagem. 

Dia 01 - Chegando ao Capão

Para quem vem de carro de Salvador a melhor opção é pegar a BR-324 até Feira de Santana, de lá segue-se pela BA-052 até a Cidade de Ipirá.

Chegando em Ipirá pega-se a BA-233 em direção a Itaberaba, pegando-se então a BA-242 até a Chapada.

Para chegar no Capão é preciso passar pela cidade de Palmeiras e então pegar uma estradinha de chão, a estrada é tranquila para chegar. 

Estrada Palmeiras - Capão

(estrada Palmeiras x Capão)

IMG_4577.thumb.JPG.4c53fab8756907dbca7a4615056ef41d.JPG

(rua principal do capão)

Dica: No trajeto para Palmeiras , você passa por duas atrações que são o Rio Mucugezinho/Poço do Diabo e Morro do pai Inácio. Caso saiam bem cedinho dá tempo conhecer já uma dessas atrações.

Como já conhecia, passei direto para o Capão, deixei as coisas no hotel (fiquei hospedado no Savi Hotel, recomendo) e parti para almoçar e fazer alguma trilha.

Tudo no capão é muito simples e tranquilo, esqueça celular (lá não funciona), televisão dificilmente se vê, e se jogue no clima da cidade. O clima de esoterismo, paz e tranquilidade ainda está presente na comunidade e a cada dia gente do mundo todo vem para o capão em busca de de autoconhecimento.

Após o almoço fui conhecer as Cachoeiras da Angélica e Purificação, a trilha leva em torno de uma hora de caminhada, é uma trilha de esforço moderado. O acesso se dá através do povoado do Bomba (do dentro da Vila até lá é um pouco distante,cerca de 8 km,  muita gente vai a pé, mas se tiver de carro recomendo ir até lá).

Ao final da trilha, pra recuperar as energias,  não deixe de provar o tradicional Pastel de Jaca (iguaria do Capão) com caldo de cana.

IMG_4446.thumb.JPG.f98348604ce0db6148f0426290e00bee.JPG

IMG_4450.thumb.JPG.4db2a2f57b9b104b7a234a18ddffe45c.JPG
 

IMG_4472.thumb.JPG.d0b930c6a8f0e13fa4d5c0eb3fc2d436.JPG

imageproxy.php?img=&key=eaf2ee9296aa936cA noite no capão, há inúmeras opções pra comer e tomar uma gelada. Quase todos se localizam ao redor da pracinha principal, lá vai ter aluns barzinhos que rola som ao vivo e muita opção de comida. No primeiro dia conheci a famosa Pizzaria Capão Grande, não deixe de ir, só há duas opções de pizza: a doce e a salgada. Mas não se engane , será uma das melhores pizzas que você já comeu. Depois fui tomar um chop e uns licores num PUB chamado A Taverna , o chopp é de uma cervejaria dos proprios donos chamada Cavalo do Cão, há também uns licores maravilhosos e musica de primeira qualidade.

 IMG_4477.thumb.JPG.32f31f2bd1c751d11f39632b10fe467c.JPG

 

Dia 02 : Cachoeira da Fumaça

Dia de acordar cedo, afinal a cachoeira da fumaça é um destino super procurado e não compensa (pelo menos em épocas de grande movimento) deixar para subir tarde pois inúmeros grupos chegam e acaba não dando para curtir o passeio, etão chegue logo cedo.

Não é obrigatório pagar nenhuma taxa, apenas deixar o nome na lista avisando que subiu, caso queira pode contratar lá mesmo algum guia e subir, caso não conheça o caminho recomendo muito ir com um guia. 

São duas horas de caminhada, uma hora de subida que recomendo subir devagar pois cansa e outra hora de caminhada na parte plana, que não é cansativa. Como não tem vegetação, abuse do filtro solar e leve água e algum lanche. O ponto onde todos vão não cachoeira não é o melhor para vê-la, há um caminho que você fica de frente para ela (por isso recomendo o Guia).

São 400 metros de queda , com o vento forte, a água quase não chega ao solo, pois é empurrada de volta, criando essa cortina de fumaça que dá nome a cachoeira, do alto se tem visão do enorme vale formado, uma vista deslumbrante.

IMG_4534.thumb.JPG.88c467d69566eb1e86aec5203347a9b0.JPG

Na volta , almocei num restaurante chamado Pico do Açaí, comida boa e super barata e o importante: tem Wi-Fi de qualidade, rs.

Dica: é possível ainda, dependendo do horário que volte e da sua disposição ir para o Riachinho, pegar o por do sol.

A noite, fui para um barzinho ao redor da praça chamado 400iVinte, gostei bastante. Antes , como bom viciado em pizza que sou comi uma pizza que abriu ali de frente a praça (ao lado do Taverna) , custa apenas 3 reais a fatia, e estava maravilhosa.

Outra indicação para comer é o Cachorro-Quente vegano, não torça o nariz, simplesmente experimente, é maravilhoso. Chama-se Guepa's Dog, baratinho, vá lá!

 

Dia 03: Pratinha , Poço Azul e Lençóis 

Acordei cedo, tomei café e saí em direção a Iraquaara. São 36 quilometros de Palmeiras até a Gruta da Pratinha. Como fica numa propriedade particular, tudo acaba sendo pago.

Logo na entrada, o visitante paga a taxa de 30 reais isso dá direito a aproveitar o dia na fazenda, mas caso queira fazer a flutuação na gruta ( que para mim é um dos pontos fortes da viagem) é cobrado o valor de 40 reais, isso inclui o equipamento e o guia. Concordo que sai um pouco caro, mas não deixe de fazer, não tem como descrever o mergulho na pratinha, dura em torno de 30 minutos e é super tranquilo até para quem não sabe nadar.

Após o mergulho, você pode atravessar para a outra margem e tomar banho a vontade, há estrutura de barzinhos pra tomar uma gelada e refrescar. Há também , logo próximo a entrada um restaurante self-service, então a dica é : almoce nele e desça para o outro lado para tomar banho.

Por volta das 12:30 as 14:00, é o horário em que os rais de sol refletem na Gruta Azul, esse é o horário indicado para visitar.

IMG_4584.thumb.JPG.3619f6eafa84edd11eefce07b0ec4015.JPG

(gruta da pratinha, onde inicia o mergulho)

IMG_4692.thumb.JPG.99c9df480eff9544188458cbb24b5da1.JPG

(banho na outra margem)

Após a visita a Gruta Azul (neste não é possível mergulhar) foi hora de ir para Lençóis, há uma estrada de chão bem cuidada (os produtores da região que cuidam para escoar seus produtos) até a BA-242, de lá é só seguir para Lençóis.

Chegando em Lançóis , hora de fechar os passeios,  recomendo muito o guia Estevão Machado, super educado, adora tirar foto dos clientes além de fazer o possível para enturmar todos (IG :@estevaomachado)

A noite, parada oficial na pizza que considero a melhor de todas: Pizzaria do Marcos, conhecida como Pizza da Gente, é uma casinha amarela ao lado do bar do reggae. E depois a parada 02 para uma cervejinha no Lampião.

IMG_4725.thumb.JPG.e67cf62bbd2a7520f43f98bf78ecda3e.JPG

(pizzaria Pizza da Gente)

IMG_4733.thumb.JPG.5a62b469fcc563b0a5ad7c4ea590458a.JPG

(isca de Salmão do O Lampião)

Dia 04: Lençóis

Como já conhecia algumas atrações, tirei o dia para ficar em Lençóis mesmo, descansar durante a manhã , mas caso não conheça ainda pode-se encaixar o Morro do Pai Inácio , Poço do Diabo ou Cachoeira do Mosquito.

A tarde curti o Rio Serrano, fica apenas alguns minutos do centro de Lençóis super fácil de chegar, ótimo para tomar banho tem vários poços espalhados pelo leito do rio.

Dica: Pode-se fazer no mesmo passeio o Serrano , Salões de Areia, Poço Halley , Cachoeirinha e Cachoeira da Primavera

IMG_4958.thumb.JPG.882a76193d08b27d8b7eac3c83e2f892.JPG

 

Dia 04: Cachoeira do Sossego e Ribeirão do Meio

Dia de acordar cedo para encarar a trilha para a cachoeira do sossego, são 16km de caminhada, seis horas no total e o que posso dizer: compensa! Na chapada, acabamos aprendendo que o destino não é o importante, são seis horas apreciando o caminho. 

Pelo fato de ter chovido muito, a trilha ficou bastante complicada, pois boa parte dela é feita caminhando sobre o leito do rio,  vários grupos desistiram mas meu grupo conseguiu concluir.

No retorno, os guias sempre param no Ribeirão do Meio

O que posso dizer: É cansativa? Com certeza, mas compensa!

IMG_4972.thumb.JPG.bae316484b8183d55addfb25b39affe4.JPG

IMG_5036.thumb.JPG.2117d14c6f14adfb1b5dbb5c1a90805c.JPG

( a chegada no Sossego)

IMG_5055.thumb.JPG.2546009c121b789fb2d7267113920c3f.JPG

(Ribeirão do meio, tobogã natural)

Dia 05: Poço Azul, Andaraí , Igatu e Mucugê

Dia de acordar cedo e cair na na estrada, são 98 km de Lençóis até o Poço Encantado, mas considerando que já estava indo para Mucugê, estaria então no caminho.

Praticamente não ha trilha para se fazer, apenas descer algumas escada, pois estaciona o carro muito próximo. É preciso pagar uma taxa de R$ 30,00 na portaria, isso dá direito a flutuação, são de 20 a 30 minutos, a água é cristalina, uma experiência incrível.

IMG_5077.thumb.JPG.76ee2612399462ccfc91466acd57ed0f.JPG

Após a flutuação, parti rumo a cidade Andaraí, almocei e fui conhecer a cidadezinha de Igatu. No tempo áureo da mineração, Igatu (antiga Xique Xique do Igatu) era uma das maiores cidades, com cerca de dez mil habitantes e foi grande produtora de diamante e carbonato. Hoje apenas algumas famílias vivem lá, dando um ar de cidade fantasma.

IMG_5087.thumb.JPG.90d221f2cbc85f579cc244e65d97b7af.JPG

(estrada que liga Andaraí a Igatu, parte dela foi construída por garimpeiros para pagar promessas)

IMG_5112.thumb.JPG.8c50d1b65433eb4e6ef283185d0b541b.JPG

Ao lado da Igrejinha existe um cemitério bizantino, logo mais descendo a rua tem um lugar maravilhoso para tomar um café/sorvete que se chama Galeria Arte e Memória, mantido pelo artista Marcos Zacaríades, não deixem de conhecer.

Saí da galeria e fui conhecer uma mina abandonada, lá o Seu Gerson nos recebeu e mostrou o que entre os anos de 1700 até 1930 foi um garimpo clandestino mantido pelos coronéis, que usavam escravos e até mesmo escravizavam colonos europeus que eram enganados com falsas promessas de emprego. Foi uma experiencia boa, pois estava na chapada diamantina, queria conhecer um pouco a historia do garimpo, o passeio inclui a entrada na antiga gruta.

Dica: Para quem quer pernoitar em Igatu, recomendo a pousada flor de Açucena.

Para encerrar, a pedida é o por do sol na toca do Morcego (fica na cabeceira da ponte sobre o rio Paraguassu, o que você passa indo de Andaraí para Igatu)é possivel ter acesso até o leito do rio também.

Enfim , hora de ir rumo a Mucugê ( fiquei hospedado no Hotel Mucugê, recomendo).E mais uma vez o que jantei? Pizza! Mas falando sério, lá sai uma pizza maravilhosa na Pizzaria da Garagem.

IMG_5159.thumb.JPG.38ea377d7c40ad2ef081c55594a8377e.JPG

(alguns pertences dos garimperos ainda guardados)

IMG_5155.thumb.JPG.07afd8ae25496226b5e7c7a96c600b5b.JPG

(todo material foi retirado no garimpo, estima-se que cerca de 600 escravos trabalhavam retirando diamante e carbonato)

IMG_5114.thumb.JPG.7f16608d85d767ca5906fcffd0eef679.JPG

IMG_5176.thumb.JPG.9ee0c730e91d731889f0f280894b0ec1.JPG

IMG_5186.thumb.JPG.6feb87abe568fa464c417e1a4ef811ca.JPG

Dia 06 : Cachoeira do Buracão

Para mim, sem sombra de dúvidas a melhor coisa que fiz na viagem, é a mais imponente de todas 85 metros de queda, um cânion para ter acesso, a trilha é uma trilha leve (uma hora de caminhada), várias cachoeiras no cmainho e sinceramente depois de visitar o Buracão, todas as outras cachoeiras perdem a graça.

Para a visita, é obrigatório Guia. Em geral vão cobrar na faixa de 120 a 150 para duas pessoas. Recomendo o Guia Clayton, ele mora próximo você pode encontrá-lo lá ou pedir para ele encontrar com você na cidade de ibicoara. O caminho até o Buracão é por estrada de chão, são 30km da cidade de Ibicoara até lá (cuidado que há uma bifurcação com placa "Cachoeiras", vá na outra direção.

Na entrada, paga-se uma taxa de R$ 6,00 por pessoa na portaria. Lá não vende nada, então leve água, os guias oferecem também lanche (20 reais a mais) , e o Clayton se quiser prepara um almoço em casa. Como fui bastante cedo, voltei a tempo de almoçar em Mucugê, no restaurante da Dona Nena, comida caseira maravilhosa, para mim, a melhor opção de almoço em Mucugê.

IMG_5265.thumb.JPG.d3460cc08c1a528d011ce6a023a0e84a.JPG

(acesso se dá pelo cânion, mas pode-se também ir por cima)

IMG_5327.thumb.JPG.002018bfdb8c428a8c00da40df60de2e.JPG

IMG_5354.thumb.JPG.015229407cf371d46526efb765b8ce69.JPG

Dia 07: Hora de voltar pra casa!

Hora de acordar cedo , lutar contra a vontade de ficar e cair na estrada.

Foi cansativo? Foi , as trilhas cansam bastante, a estrada cansa também, mas sem dúvidas é um dos lugares mais lindos que se pode conhecer, as fotos enganam bastante , lá é muito, mas muito melhor do que se pode imaginar.

Galera, qualquer dúvida, pode entrar em contato, mandar mensagem, sempre um prazer colaborar para o mochileiros..

  • Gostei! 3

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora



×
×
  • Criar Novo...