Ir para conteúdo
eduardo.camardelli

Relato de Viagem - Peru (Lima, Cusco e Machu Pichu)

Posts Recomendados

Relato de Viagem – PERU (Lima, Cusco e Machu Pichu)

 

Contexto:

Fiz essa viagem na companhia de minha mae onde nosso principal objetivo era conhecer Machu Pichu, Cusco e o Vale Sagrado dos Incas. O plano inicial seria ainda percorrer, apos visitarmos os lugares acima mencionados, o lago Titicaca pelo lado Boliviano, fazer a travessia do Salar de Uyuni comecando na Bolivia e finalizando em San Pedro de Atacama no Chile e dai sim voltar ao Brasil. Tivemos um problema familiar que nos impediu de prosseguir com a viagem, por isso o itinerario foi encurtado e acabamos apenas conhecendo o Peru. Estou escrevendo num teclado que nao possui acentos ou sinais graficos, entao ja peco desculpas pela falta deles.

 

Initinerario:

 

01/11/2010 – Sao Paulo / Lima

02/11/2010 – Cusco

03/11/2010 – Cusco e Vale Sagrado dos Incas

04/11/2010 – Machu Pichu e Aguas Calientes

05/11/2010 – Cusco

06/11/2010 – Cusco / Lima / Sao Paulo

 

 

Dia 1 – Sao Paulo / Lima

 

O voo, que partira pela manha, teve duracao aproximada de 5 horas. Chegamos em Lima por volta das 11 da manha. Por sinal, o reformado aeroporto da capital Peruana e’ otimo. Novo, limpo, grande e com funcionarios simpaticos, e’ realmente um exemplo aos demais grandes aeroportos sul americanos como, por exemplo, Ezeiza (Buenos Aires) e Guarulhos (Sao Paulo). Tinhamos o transfer ja organizado pelo pessoal do hotel, onde chegamos ao meio-dia. La nos esperava o motorista com a famosa plaquinha. No caminho do aeroporto ao hotel, o simpatico motorista foi nos dando uma introducao turistica bem informativa sobre a cidade, sua historia, sua cultura, gastronomia, dentre outros topicos. Sempre simpatico, com um sorriso no rosto e com um espanhol falado numa velocidade compassada. Comecara bem nossa estadia em territorio Peruano. Chegamos ao hotel no famoso bairro de Miraflores, considerado um dos melhores da cidade e de la, 1 hora depois, partimos para um city tour que duraria algo entre 3 e 4 horas, na mesma tarde. Visitamos os bairros de Miraflores, San Isidro, Barranco e a regiao central. Paramos para uma caminhada na praca principal e para conhecer a Basilica e Convento de Sao Francisco, onde aprendemos bastante sobre a historia da cidade. Era feriado em Lima e muitas pessoas tinham ido visitar a Igreja. Os Peruanos, assim como os Brasileiros, sao bastante religiosos. Ao final do city tour, desembarcamos no hotel e descansamos a noite para pegar o voo cedo rumo a Cusco na manha seguinte.

 

20110111213030.JPG

 

20110111213404.JPG

 

Dia 2 – Cusco

 

O voo de Lima pra Cusco pode ser classificado como cenico. Mesmo sobrevoando os Andes Peruanos na altitude normal cruzeiro de um voo comercial podiamos ver as imponentes montanhas e lagos no caminho entre as 2 cidades, inclusive o lago Titicaca. Chegamos em Cusco no inicio da manha e nos haviam recomendando descansar algo entre 2 ou 3 horas apos a chegada, para facilitar na aclimatacao dos corpos com a altitude. Cusco fica, aproximadamente, acima dos 3.300m em relacao ao nivel do mar. As pessoas que nao estao acostumadas com esse tipo de altitude sofrem os sintomas dessa diferenca drastica de altitude, como dor-de-cabeca, nausea, vomitos, falta de ar, dentre outros. O famoso cha da folha de coca, bastante agua e tambem o recomendado descanso na chegada, ajudam bastante para minimizar os efeitos da mudanca. Chegamos ao nosso hotel, uma pousada pequena, simples mas confortavel e simpatica e fomos logo recebidos pela dona, uma simpatica senhora Peruana chamada Mercedez que nos recebera com o cha de coca pronto. Ela reforcou a informacao de que era recomendado descansar algumas horas antes de caminhar ou ja fazer algum passeio. Seguimos a dica e ficamos no quarto do hotel por umas 3 horas. Tinhamos comprado o city tour de Cusco, passeio de duracao de ½ dia, com o proprio pessoal do hotel e sairiamos as 13:30 de uma praca central. Descansamos e tinhamos ainda tempo para almocar antes da saida do primeiro passeio. Provamos uma comida tipica, file de Alpaca grelhado com molho, batatas fritas e salada. Estilo comida caseira e bem gostosa por sinal. A carne lembra um pouco do gosto da carne de porco. Era chegado entao o momento do nosso city tour, que alem de visitar pontos especificos da cidade de Cusco, passaria por algumas ruinas Incas na regiao, num raio aproximado de 30km. Dentre alguns pontos turisticos da cidade mesmo, como a Plaza de Armas e alguns predios do governo, visitamos o Qorikancha ou Templo del Sol, que atualmente é a igreja e Convento de Santo Domingo, que serviu de local de devocao dos Incas ao Deus Sol. A visita continuou nas quatro Ruínas que limitam a cidade: Fortaleza de Sacsayhuamn, Quemqo, Puca-Pucara e Tambomachay, todas com pequenos vestigios arquitetonicos da antiga civilazao Inca, que muito nos oferece em termos historicos. Ao final da tarde, terminamos o passeio na Plaza de Armas, ponto de encontro e referencia para turistas, locais, estudantes, etc. Jantamos em mais um restaurante tipico e fomos descansar no hotel. E’ importante levar sempre agua consigo, pois bebe-se muito mais do que o normal para manter-se hidratado numa altitude elevada. O cansaco tambem pega com firmeza entao e’ importante caminhar sem “correr” e fazer paradas estrategicas a cada 10-15 minutos para recuperar o oxigenio. Parece simples, mas faz uma grande diferenca nas condicoes climaticas dos Andes Peruanos. Voltamos ao hotel e finalizava-se entao o nosso primeiro dia na terra dos Incas. Minha mae, mesmo apesar das precaucoes tomadas, nao passou bem a primeira noite. Sinal de que realmente os efeitos da altitude podem ter consequencia mesmo quando achavamos que estavamos precavidos.

 

20110111213727.JPG

 

20110111213558.JPG

 

20110111213834.JPG

 

Dia 3 – Cusco e Vale Sagrado dos Incas

 

Novamente tinhamos comprado esse passeio com o pessoal do hotel. E’ muito comum em Cusco isso acontecer, uma vez que quase todos os hoteis tem suas proprias agencias de viagens ou links com agencias que lhes pagam entao comissoes por atrair os turistas. O preco honesto e a facilidade fez com que optassemos por essa conveniencia. Acabamos acertando as despesas com acomodacao e passeios todas num pagamento so ao hotel. Mais facil assim. Nesse dia fariamos o tour para o Vale Sagrado dos Incas. Passeio de dia inteiro, que encerrariamos em Cusco por volta das 20h.

DICA IMPORTANTE: Para quem tem tempo restrito, como era o nosso caso, pode-se fazer esse passeio e terminar em Ollantaytambo ao inves de voltar pra Cusco. Ollantaytambo fica, literalmente, no meio do caminho entre Cusco e Machu Pichu e pode-se la mesmo pegar o trem que vai pra Aguas Calientes/Machu Pichu. Sao apenas 45km separando Ollantaytambo de Machu Pichu mas o trem e’ um pouco lento e faz o percurso em 2 horas. Entre Cusco e Machu Pichu sao aproximadamente 90km de distancia e o trem faz o trajeto em mais ou menos 4 horas percorrendo o vale com bonitas paisagens. Conhecemos varios lugares sagrados dos Incas, com destaque para o parque arqueologico de Pisaq e as ruinas de Ollantaytambo. Sao realmente impressionantes e com toda certeza um otimo “aperitivo” para o que estava por vir. Ollantaytambo, particularmente, impressiona pelo tamanho e tambem pela montanha que fica imediatamente de frente para as ruinas, onde os Incas esculpiram a propria montanha com formacoes que ligavam-se com a sua historia e cultura religiosa, com foco no culto ao Sol. Apos o final do tour, mais ou menos por volta das 17h, ficamos ja em Ollantaytambo para esperar o trem. Reservamos as passagens com antecedencia pela internet. Embarcamos na mesma noite, por volta das 20h, rumo a Aguas Calientes, cidade base para quem visita Machu Pichu.

 

20110111213942.JPG

 

Dia 4 – Machu Pichu e Aguas Calientes

 

Chegamos por volta das 22h em Aguas Calientes. Fomos direto ao hotel descansar pois o objetivo era sairmos cedo na manha seguinte para aproveitar melhor o tempo em Machu Pichu, com menos turistas na cidade. Na manha seguinte, acordamos as 6 da manha e compramos os tickets de onibus (ida e volta em confortaveis micro-onibus com ar-condicionado) e os tickets de entrada na cidadela (comprados num local separado, a menos de 5 minutos caminhando da estacao de onibus). Os onibus saem da estacao em Aguas Calientes, situada na rua principal mesmo, bem embaixo, proxima aos trilhos do trem, e sobem ate a entrada de Machu Pichu (mais ou menos 20-25 minutos de subida). A estacao nao tem jeito de estacao de onibus, eles estacionam na rua mesmo e chamam de estacao. Pode ser feita a subida ou a descida a pe, mas, como a altitude ainda e’ fator determinante das condicoes fisicas do turista naquela regiao, nao cogitamos essa hipotese por um segundo sequer. Queriamos estar inteiros e descansados para explorar o apice da nossa viagem. A cidade de Aguas Calientes e’ muitissimo pequena. Realmente e’ base para Machu Pichu, apenas isso. Ha somente hoteis e pousadas, restaurantes e vendedores de souvenirs e produtos de la de alpaca numa especie de feira, localizada ao lado da estacao de trem. Estima-se a populacao local em 2 mil pessoas.

Chegamos a entrada de Machu Pichu e logo ja nos deparamos com toda a sua magnitude. Relatos de guias e historiadores nos informam que Machu Pichu, a principal cidade do Imperio Inca, prosperou por aproximadamente 50 anos, na segunda metade do seculo XVI (1550 – 1600). A cidadela nao e’ pequena e levamos umas 3 horas para explora-la, sem contar a subida em Huyana Pichu, aquela montanha maior que aparece atras na foto classica de Machu Pichu, que acabamos nao fazendo. A cidade tem ainda muito bem preservadas as casas de vigia (os Incas usavam esses postos de observacao nos pontos mais altos na entrada da cidade para se precaverem de um possivel ataque Espanhol), casas de moradores comuns, praca principal, templo dedicado ao Deus Sol, casa do bispo (autoridade religiosa maxima Inca), terracos de agricultura para subsistencia, alem da ponte Inca que liga Machu Pichu as trilhas para subirem as montanhas vizinhas. Realmente e’ uma visao de tirar o folego. Muitos comentam tambem sobre a espiritualidade e energia do local. Mas o conhecimento cientifico, astronomico e arquitetonico dos Incas e’ que impressiona. Templos e residencias importantes eram construidos com rochas delicadamente esculpidas e ajustadas em angulo de 5 graus no maximo, para que quando sobrepostas e posicionadas para formarem alguma estrutura ou construcao, se encaixassem perfeitamente e resistissem aos abalos sismicos que nao sao incomuns na regiao. Muitos misterios ainda cercam a civilizacao Inca. A pergunta mais comum, que todo turista e estudioso faz automaticamente ao visitar Machu Pichu e outras ruinas Incas e’: Como eles conseguiam movimentar pedras ou rochas enormes e levar ate o alto das montanhas para construir suas magnificas estruturas? Nas construcoes mais importantes, as pedras detalhadamente trabalhadas sao pesadissimas e nunca pertenciam ao local onde a construcao fora erguida. Os Incas transportavam-nas de grandes distancias, muitas vezes de lugares distantes mais de 80km. Realmente, a engenhosidade da civilizacao e’ de impressionar e ainda alimenta muitas mentes sedentas por desvendarem esse misterio. Muitas fotos depois, era hora de voltar a Aguas Calientes. Almocamos e pegamos o trem de volta para a cidade de Cusco. Aproximadamente 4 horas depois chegavamos a estacao de trem de Poroy (cidadezinha ao lado de Cusco). Pegamos um taxi pro nosso hotel, jantamos e descansamos para o dia seguinte.

 

20110111214047.JPG

 

20110111214138.JPG

 

Dia 5 – Cusco

 

Na agenda para o dia, tinhamos como programacao, visitar mercados de artesanato local, ver melhor a Plaza de Armas e suas igrejas, caminhar pelas ruas do centro da cidade para conhecer mais um pouco. A noite pegariamos o onibus para Puno e entao, partindo de Puno, ainda no Peru, pegariamos outro onibus para Copacabana, ja’ na Bolivia, para conhecermos o lago Titicaca. Fomos em uns 3 ou 4 mercados de artesanato, estilo camelodromos do Brasil, com seu colorido unico e precos bem interessantes, tiramos mais umas fotos no centro da cidade de Cusco, que e’ bem charmosa por sinal, e almocamos nas redondezas da Plaza de Armas. Apos o almoco recebemos a noticia que fez com que nossa viagem fosse encurtada em uns 7 ou 8 dias infelizmente. Voltamos ao hotel, cancelamos voos, onibus, reservas de hoteis e fomos dormir para sair no primeiro voo partindo de Cusco e rumo a Lima.

 

Dia 6 – Cusco / Lima / Sao Paulo

 

Voamos para Lima no primeiro voo da manha (1h20min) e depois para Sao Paulo (4h30min) na mesma tarde. Terminava aqui nossa aventura no Peru.

 

Relato dedicado a memoria de Erica Maria Stoll.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Ola...

 

Obrigado por compartilhar seu relato... gostaria de saber se vc tem uma ideia de custo deste seu roteiro....

 

Otimo final de ano

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Sinto pelo transtorno familiar que fez a viagem ser encurtada, mas o importante é estar em paz com a família, afinal os lugares podem ser visitados em outra ocasião.

Quando puder poste as fotos de sua viagem!

 

Abraço.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Xandekr,

Fica dificil dar uma ideia de custos porque na minha planilha eu inclui os voos da Australia pro Brasil. Estou mochilando na Asia agora (Vietnam), mas posso te mandar mais detalhes quando eu voltar pra Australia e pegar minha planilha. Poste aqui uma resposta se tu ainda precisas desses dados.

 

pdavid,

Concordo contigo. Na minha proxima visita a America do Sul vou completar o roteiro original. Postarei as fotos quando eu voltar pra Australia.

 

Abracos,

Eduardo.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora


×