Roteiros de Viagem no Brasil
#745153 por dangeo
06 Ago 2012, 09:26
Pessoal, antes de fazer essa viagem percebi que havia muito pouco sobre esses destinos. Agora, de volta, resolvi escrever pra poder ajudar aos próximos que irão.
Primeiramente, um conselho: nenhum dos 3 destinos citados acima é pra viajantes principiantes. Os três envolvem uma certa dose de tensão e aventura (muitas vezes no mal sentido). Vamos lá:
Eu saí do Rio de Janeiro no dia 12 de julho de avião até Boa Vista (RR) numa mega ultra promoção da Tam que só paguei R$200 (juro!). Boa Vista foi a cidade-base para toda a viagem. Lá usei pra fazer as conexões entre os destinos, pois o Monte Roraima é pra um lado e a Guiana e Suriname pro outro. Aqui já vale destacar que existe uma outra opção de roteiro pra quem tem mais tempo e dinheiro: começar por Macapá (AP), ir pra Guiana Francesa e de lá pro Suriname e Guiana. Depois voltar para o Brasil via Boa Vista e ir pra fronteira com a Venezuela e visitar o Monte Roraima. Quem decidir fazer isso, ficar atento a duas coisas: 1) a Guiana Francesa é extremamente cara e precisa de visto para entrar (necessita que providencie pelo menos 15 dias úteis antes da viagem - por isso não fiz); 2) O Monte Roraima é muuuito cansativo, então prefiro deixa-lo primeiro pq senao não aguentaria depois de tanto perrengue nos 3 países (por mais que a Francesa não seja um país, vou me referir a ela como sendo) anteriores.
Chegando em Boa Vista numa madrugada de quinta para sexta, eu precisava esperar um amigo que chegaria apenas no domingo. A principio seria um saco ficar em Boa Vista tanto tempo (cidade mt pequena pra mim, em torno de 350 mil habitantes), mas acabou se revelando importante. Enquanto esperava meu amigo chegar, fui ajeitando as questões sobre a subida ao Monte Roraima e entendendo como ir a Guiana (não via muitos relatos sobre esses destinos). Então, seguem as dicas:
- É obrigatório a carteira de vacinação contra febre amarela!
- Em Boa Vista existe uma empresa de turismo que faz o pacote. Lembrando que a subida ao Monte Roraima só é feita pelo lado venezuelano. Eu não recomendaria pagar esse pacote, pois é muito mais caro do que se for por empresas que estão já em Santa Helena de Uiarén (Venezuela). Em Boa Vista o pacote saia em torno de R$ 1100 pra 6 dias de passeio. Eu paguei R$830 no lado venezuelano. Fiquei num "hotel" chamado Lua Nova - muuuito barato, mas bem caído. Paguei R$30 individual, com banheiro e ventilador. Mas, para casal seria R$40 e quarto com ar e mais conforto seria R$50. Quem quer economizar pra gastar mais a frente, é uma boa opção. Principalmente, pq a dona é um amooooor de pessoa (dona Magali) e te dá dicas, conversa, bebe com vc. Ótimo ser! É importante vc ter uma pessoa confiavel, pois, eu deixei muita coisa lá que nao levaria para o Monte Roraima pra pegar depois na segunda parte da viagem (guiana e suriname). Assim vc evita excesso de peso!!!!
- De Boa Vista até Sta Elena existem duas opções: onibus que saem da rodoviária internacional da cidade, com horario especifico e tempo maior - em torno de 4 horas de duração até a fronteira (Pacaraima - RR). Ou em táxis que fazem lotação, ou seja, vc divide com outros passageiros, tem duração de 2h30 e custa R$25. Nem sei o preço do onibus pq eu fui de táxi, mas deve ser mt mais barato. Mas, o táxi foi muuuito bom pq acabei conhecendo pessoas mt diferentes dentro do carro e fui conversando e conhecendo mais sobre o local (entrou um chefe indigena, uma professora da aldeia, um militar).
- Depois que chegar em Pacaraima (fronteira com a Venezuela), vc tem que trocar de táxi, pegar um venezuelano. Existe uma agência do BB na fronteira. Vc vai pagar em torno de R$4 pro taxista te levar da fronteira até o centro de Sta Elena de Uiarén (os taxis ficam já parados na fronteira, não tem erro). PAra brasileiro que só vai até Sta Helena não precisa nem carimbar passaporte. Mas se vc ja vai pro Monte, precisa.
- Cuidado com a Venezuela: apesar de ser um país próximo ao nosso, com fortes relações, até hoje, não são muito amigáveis. Seus militares são extremamente corruptos e querem, a todo custo, arrancar dinheiro da gente. Confesso que dá certo medo. Da fronteira até o centro da cidade venezuelana (cerca de 20 minutos) há, pelos menos, duas blitz. Eles vão revistar sua mochila, olhar um milhão de vezes seu passaporte buscando merda, pra ganhar dinheiro. Vc não vai preso nunca se tiver dinheiro ou, até mesmo, uma caixa de chocolate Garoto (o pior de tudo é que não estou de deboche).
- Chegando a Sta Elena, procure a agência Backpackers, que faz o roteiro. Existem outras, mas escolhi essa por ser a melhor e, apesar de ser um pouquinho mais cara, não queria arriscar. Afinal, é uma trilha de 6 dias num lugar totalmente desconhecido. Esse passeio custa R$830. Parece caro, mas vc não vai gastar mais um centavo durante 6 dias de viagem - deve ser a mesma quantia que gastaria com hotel, comida, etc, durante tanto tempo... Existem tours de 6 e 9 dias. Escolhi o de 6 e não me arrependo. Não aguentaria mais 3 dias naquelas condições.
- Um problema: eles não avisam o que seria legal vc ter pra levar. Isso aumentou meus problemas. Primeiramente vc tem que ter um saco de dormir e um isolante (são as unicas coisas que não estão incluidas no pacote). Se vc nao tiver, pode alugar com eles pagando um pouco mais (nao sei qt, pq eu tinha). O que seria fundamental vcs levarem que eles não avisam: protetor solar, repelente, chinelo, outro tênis se puder, NEM PENSAR SUBIR O MONTE COM TÊNIS NORMAL, compre um especializado em trilhas IMPERMEÁVEL; lanterna; jogos pra passar o tempo; se conseguir, vá a casal pq ai o sexo por ser usado com o mesmo fim (apesar de dias sem tomar banho não propiciar muito essa prática, hahaha); roupas de frio (lá em cima chega a 5ºC facilmente) capa de chuva que cubra vc e a mochila; uns biscoitinhos e doces (apesar deles sempre te darem o que comer, sempre é bom).
- Agora preparem-se pra perrengue e sufuco: são 3 dias de subida até chegar ao topo. No primeiro dia são 12km em 4 horas. No segundo, 10 km em 4 horas e no último são 3,5km em tb 4horas. Reparem que o tempo é o mesmo, o que muda é a dificuldade. O último é extremamente íngreme. Eles dirão que é uma "rampa". De rampa não tem nada: é subida em alguns pontos quase na vertical, segurando em rochas pra não cair e com mochila nas costas. Ao final do primeiro dia vcs pensarão que já estão mortos, mas não sabem o que virá pela frente ainda. O primeiro dia é pinto. Aconselho pessoas que já caminhem, tenham certa experiência em exercicio fisico. Eles (e outros guias por ai) vão dizer que a trilha é muito fácil, que eles já tiveram pessoas com 9 até 81 anos fazendo. Pode até ser verdade, mas essas pessoas são, sem duvida, fortes exceções. Um casal alemão desistiu na metade (eram jovens de 29 anos). NÃO É TÃO FÁCIL ASSIM NÃO. Terminei com 7 bolhas no pé, uma unha a menos, sujeira que não acabava mais (6 dias sem tomar banho direito), comendo coisas que não comeria normalmente (os guias cozinham em condições higienicas duvidosas e vc não tem outra alternativa, pois está morrendo de fome). Mas, apesar de tudo isso, foi uma das experiências mais fodas da minha vida (fodas no sentindo bom e ruim também). A paisagem lá em cima e em todo o caminho é inexplicável. Se puder ir em época que não chove tanto (entre outubro e fevereiro), melhor. Eu fui na época de chuva (maio - outubro). Piora consideravelmente tudo. Apesar de ter mais água e, por isso, mais cachoeiras e tal. Depois de tanto perrengue nos dois primeiros dias, eles dirão, em tom sarcástico, que lá em cima tem um hotel a nossa espera. Juro que, por estar tão cansado e desesperado, sonhei com banho quente e toalhas felpudas hahahah. Mas, o "hotel" é uma caverna úmida que eles colocam nossas barracas. Ficarão dois dias (se escolherem o tour de 6 dias ao total) lá em cima, e depois descerão mais dois dias. O que fizeram em 3, farão em 2 na descida. Mas, vc deve estar pensando "ah, pra descer todo santo ajuda!". Eu tb pensei assim. Dica: não pense. O esforço na coxa e joelhos é tão grande que vc fica sentindo a perna durante uns 5 dias depois do tour ainda. Mas, se já aguentou a subida, aguenta descer.
Enfim, acho que é isso do primeiro destino. O Monte Roraima (do filme "Up! Altas Aventuras") será uma das maiores loucuras que vc vai fazer. É insano, mas, por isso, inesquecível.

Segundo trecho: Guiana e Suriname. Se vc acha que a aventura iria acabar com o Monte Roraima, vc errou. Esses dois países, especialmente o primeiro, é uma aventura à parte. De volta a Boa Vista, eu deixei tudo o que usei no Monte Roraima no hotel e peguei o resto pra passar uma semana nesses países (não vejo necessidade de mais). De Boa Vista vc vai ou de onibus ou táxi até a fronteira, cidade de Bonfim no Brasil e Lethén, na Guiana. Entretanto, pela menor demanda, o taxi aqui é mais caro - R$50, apesar da viagem ser menor - em torno de 1h30. Veja o que cabe no seu bolso. Chega na fronteira e vc tem que trocar novamente de táxi. Precisa antes carimbar o passaporte (não precisa de visto). Pega um táxi guianense (eles metem a mão!!! Cobram em torno de G$2000 - é só cortar dois zeros. R$20 pra 15 minutos!!! Muuuuuito mais caro que a Venezuela). Chegando em Lethén (uma das maiores cidades do país, hahahahah), vc terá uma pequena amostra do que te espera. Ruas não asfaltadas, esgoto à céu aberto, um inglês bem dificil a principio de entender... De Léthen até Georgetown (capital) são mais ou menos 600km. Entretanto, uma viagem que poderia durar facilmente 8horas, pode chegar a dias. Isso porque não há estrada asfaltada. Tudo é um atoleiro só. Custa em torno de R$120 uma viagem de van até lá. Que dura, no minimo, 23 horas. Eu não me aventurei nessa pq existia uma manifestação numa outra cidade no meio do caminho que impedia a estrada. (Dias depois conheci um sujeito que se aventurou e demorou, nada mais, nada menos, do que 10 dias pra chegar a Georgetown!!!!!!!). A outra alternativa é de avião - um monomotor da GuyanaAirways... Dá muuitoo medo. Mas não tem outra alternativa. A passagem custa R$250 pra 1h50 de duração - emoção, pra quem tem medo de altura como eu. Tem dois voos diários, um que sai 10h e outro 13h. Só esses! E são 12 lugares em cada voo. Geralmente lota. Aconselho chegar cedo (por isso táxi é melhor, apesar do preço).
- Chegando em Georgetown, vc pegará um táxi para seu hotel. Outro conselho: se puder, gaste um pouquinho mais com hospedagem aqui. Essa cidade é muuuuito perigosa. É bom ficar em local com segurança. Quem quiser gastar mais pode ficar no Cara Lodge Hotel (é caro mesmo!), ou quem quiser gastar um pouco menos, mas ainda ficar bem pode ser Hotel Brasil. Georgetown é uma das cidades mais diferentes que vc pode sonhar em encontrar na América do Sul. É tudo muuuuito interessante. Eu sou geógrafo, então amei. Mas, quem gosta de ver perfeição e bela natural, não vá pra lá. Lá é "rústico", bastante rústico. Não saia, nem pensar, a noite a pé!!!!! Fui assaltado com facão às 16h30 no domingo perto do principal ponto turistico da cidade (a maior igreja de madeira do mundo). O assalto foi bem bizarro, mas faz parte. Georgetown é considerada a mais violenta capital da América do Sul. Se vc for branco como eu, cuidado! O país é dividido em negros e indianos, ou seja, branco se destaca lá. SE destaca mesmo: o país é muito racista. Fomos (eu e meu amigo) apontados no meio da rua, faziam circulos ao nosso redor... Enfim, medo. Sem duvida por isso nos assaltaram. Se vc for negro, fica mais facil. Apesar de tudo isso, Georgetown é inesquecivel. Arquitetura que mistura caribe, África, Inglaterra e Amsterdã. Tudo junto. Esgoto que faz parte da vida população. A noite o som dos sapos é tão tão alto que se vc nao fechar a janela possivelmente nao dorme (por isso é necessário um bom hotel). Depois do assalto no primeiro dia, fiquei meio nervoso e "contratei" um taxista pra nos levar pra todo canto. Paguei R$20 por várias horas de passeio.
- DICA: NÃO LEVAR EM REAL!!!! Apesar da proximidade com nosso país, eles não tem quase nenhuma relação conosco. A não ser em Lethen, nenhum outro lugar vai trocar nossa moeda (apenas uns lugares meio estranhos a um cambio mt desfavorável). Levem em dólar ou euro!
- DICA: não beba água a não ser mineral engarrafada!!! O país não tem condições sanitárias e tua viagem pode acabar ai com uma forte diarreia.

Suriname. Pra ir de Georgetown pra Paramaribo existem duas opções. Ou van (R$60 - 12 horas) ou R$350 de avião (1h). Dessa vez fui de van, pois não tinha mais dinheiro pra esbanjar. O trajeto é curto, o que faz ficar longo é a passagem pela fronteira. As estradas até que são boas. A fronteira demora muuuuito. Tem-se que pegar um ferry do lado guianense para o lado do Suriname. As vãs que vão pra fronteira te buscam no hotel, às 4h da manhã (é muito cedo, mas é necessario que seja por causa do horario do barco na fronteira). Procure com o cara do hotel, ou com um taxista qualquer, o telefone de alguém que fará o trajeto no dia seguinte. Ligue e marque - não vá de onde eles saem. É muito perigoso - principalmente pra brancos.
Chegando na fronteira depois de poucas horas, vc descerá carimbará o passaporte e pagará o ferry (R$20 um trecho, ou R$30 ida e volta) - esse preço não estará incluído nos R$60 que vc pagará ao dono da van. Vc receberá um papelzinho do dono da van do lado Guiana pra dar pra um sujeito no lado Suriname, pra completar a viagem. O pior é quando vc chega no lado Suriname: a fila pra carimbar o passaporte + calor + multidão + pessoas grosseiras = stress. Mas, faz parte, rs. Horas depois, vc já está em terra surinamesa. Lá eles falam holandês, ou seja, fudeu, hahahaha. Mas, não tive nenhuma dificuldade com meu ingles. Lá eles sabem que o idioma é complicado e aprendem de verdade o ingles (ao contrário da gente). Chegando em Paramaribo vc terá uma feliz surpresa: a cidade é sensacional. Com a mesma riqueza que Georgetown + segurança + limpeza + pessoas educadas. Não há preconceito da mesma maneira que na Guiana, pois há maior quantidade de brancos no país. Vc passará despercebido. Cidade cheia de cassinos, vida noturna e paz entre as diferentes etnias: cidade inesquecivel. A mesquita e a sinagoga ao lado uma da outra, simbolizam o que é o país. Eles se orgulham em dizer que nao brigam entre si (ao contrário da Guiana, que negros e indianos brigam incessantemente). Todavia, o custo de vida da cidade não é barato pra nós. É praticamente igual ao Brasil. A Venezuela das 3 é a melhor pra quem tem real.

Enfim, acho que já escrevi demais. Quem quiser mais informação especifica mande um e-mail que respondo: dan_abreudeazevedo@hotmail.com

Abraçoooos e espero ter ajudado!

#745506 por ataide junior
07 Ago 2012, 00:41
Parabéns pelo relato ,

Tres locais que ficam na América do Sul porém são muito pouco lembrados pelo menos por pessoas que vivem na parte debaixo do Brasil ( Sudeste, sul e centro Oeste do)

Saudações

Ataide
#802626 por ciadias
27 Jan 2013, 23:36
Dangeo, muito bom o seu relato. Morei um ano e meio na Guiana a trabalho e sua impressao inicial corresponde bem a realidade ali. Realmente um lugar diferente de tudo que se imagina que seja America do Sul! Mas essa dureza inicial se quebra um pouco com o tempo, o povo local apesar de ser bastante desenganado ainda guarda bastante da alegria e simpatia que dizem terem sido caracteristicas do lugar em epocas melhores! Como ainda se ve no Suriname, com toda sua receptividade e encanto :) Sempre quis fazer essa viagem ao Monte Roraima. Sabia que era dura, da subida e das condicoes de higiene, mas lendo o seu relato quase consegui me imaginar naquela situacao... apesar do frio na barriga de pensar em passar por isso acho que ainda vou encarar!
#809017 por *LiCkA*
17 Fev 2013, 19:02
Dangeo!

Não conheci a Guiana e o Suriname, mas acabo de voltar do Monte Roraima (ainda sentindo as pernas e pés pós-descida) e faço minha as suas palavras! rsrsrrsrs...

O Monte Roraima é lindo! incrível! sensacional! maaaaaaaaaaassss.... também achei muuuuitoooo perrengue!!! ainda mais por ter subido em dois dias, um lá em cima e mais dois para descer!!! E essa parte ninguém nos avisa.... pena que eu não achei esse tópico antes de ir para lá! rsrsrssr

Parabéns pelo tópico! Vou postar minhas considerações abaixo, para as pessoas desavisadas como eu! rssrsrsrrs

NÃO RECOMENDO FAZER O TREKKING EM 5 DIAS: primeiro porque é pouquíssimo tempo para curtir aquele "monumento montanhístico", e segundo porque é muitoooooooo duro subir até o topo no segundo dia saindo do acampamento Kukenán.

O primeiro dia (Paraitepui até Acampamento Kukenán): é tranquilo, apesar da mochila pesada, do sol na cabeça e dos quase 17km de caminhada, mas ainda sim é o melhor dia. Passem protetor solar mesmo que não esteja sol e levem repelente de pescador, porque os famosos "puri-puris" são ferozes!!! E deixem meias reservadas para a travessia do rio Ték e rio Kukenán.

O segundo dia: deveria ser do Acampamento Kukenán até o Acampamento Base que já é suficientemente cansativo para um dia, mas no meu caso, foi apenas uma parada de descanso pois subimos até o topo diretamente. A subida até o topo, apesar de ser só 3km, é extremamente íngreme em todos os pontos. Quando cheguei no "Paso de Lágrimas" (que é a parte mais perigosa, com um abismo aberto e tem que passar por baixo de uma queda d'água) já estava escuro e tivemos que fazer a subida de baixo de chuva e no escuro. Foi uma experiência bastante chocante para mim, pois não era o que eu esperava, sem contar o cansaço de subir 2 dias em 1. Chegamos no "hotel arenal" (caverna) às 20:30h, todos extremamente molhados e lá em cima fazia um puta frio! Foi perrengue total.

O terceiro dia: é só curtição para conhecer o topo do Roraima que é incrível!!! Vale a pena conhecer "la ventana", os "jacuzzis", "La tortuga voladora", caçar "el sapito negro", tirar fotos das plantas carnívoras, tomar banho de cachoeira, etc, quem puder vá ao "punto triple" tb.

O quarto dia: foi descer e visualizar a cena do segundo dia. E como disse nosso amigo dangeo "pra descer NEM todo santo ajuda", principalmente com chuva, pois a trilha vira leito de rio e nenhuma bota sobrevive a tanta água!!! As bolhas são inevitáveis!!! E haja tornozelos e joelhos para tanta descida!!!

O quinto dia: mochila leve, dever cumprido, deveria ser tranquilo se não fosse as dores musculares!!! Acordei no ultimo dia com os dois tornozelos muito inchados, bolhas gigantes nos pés, e o rio Kukenán com água na cintura!!! Mas deu tudo certo e muitas horas depois consegui chegar de volta em Paraitepui!!!

Foi o trekking mais sensacional que já fiz na minha vida! Recomendo muito para quem gosta de lugares únicos e incríveis, mas sejam mais cautelosos do que eu, não indico ir ao Roraima com os dias contados, pois os imprevistos sempre acontecem e os perrengues são inevitáveis. Não é uma trilha tão fácil quanto dizem, então disponibilizem em média 7 dias para subir com tranquilidade e curtir!!!!

Abraço a todos.
#821672 por dangeo
24 Mar 2013, 14:44
Obrigado, pessoal!
Achei muito necessário escrever isso aqui, pois na epoca que eu fui, nao li nada bom e me fudi. Nas empresas de turismo da Venezuela o discurso era que era muuuito fácil. Posso ser um fraco, mas não achei e preferiria saber antes. Gostei muito de ter ido e ter a experiencia, mas foi um baita sofrimento. Melhor sempre saber o que nos espera...
Quem quiser saber de algo, só mandar email para o email que coloquei lá em cima...
Abraçooos!
#825281 por Guilherme Roberto
04 Abr 2013, 01:30
Pessoal, boa noite!

Adorei os relatos! Pretendo ir pra Guiana Inglesa no final do ano, mas gostaria de ter uma ideia de quanto será necessario pra passar uns 2 meses com hospedagem!
Não tenho ideia e é dificil colher informaçoes de valores! Tem albergues ou algo do tipo e seguro ?

Abraços
Desde já agradeço
#988709 por Scissorhands
04 Ago 2014, 16:17
Oi pessoal!
No final do ano vou fazer o Monte Roraima, numa travessia de 9 dias - faz tempo que estava nos meus planos - e no início pensei em ir depois até a Venezuela - vou ter ainda uns 7 a 8 dias antes de retornar a SP - mas olhando os tópicos, pensei que seria interessante conhecer a Guiana (antiga inglesa), que me parece um lugar interessante e selvagem. Dei uma busca aqui no Mochileiros e vi vários tópicos falando disso, mas nenhum tão recente. Minha ideia é ir de Boa Vista e voltar, acho que no máximo chego ao Suriname, mesmo porque não vou pedir visto para entrar na Guiana Francesa. Alguém tem alguma informação recente da viagem? Vi que de Boa vista para Bonfim, que é a última cidade do Brasil, tem ônibus, mas fiquei na dúvida de como seria a melhor maneira de ir para o interior do país. Se puderem me dar alguma informação, ou mesmo alguma agência em Boa Vista, agradeço!
abraços
Glória

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 1 visitante