Guias e troca de informações sobre destinos do estado de Santa Catarina
#353925 por Maneca
13 Mar 2009, 01:20
Esse tópico tem a intenção de informar as pessoas sobre quando e onde ver neve em Santa Catarina, ou na ausência dela, curtir um frio intenso - que esse seja o mais breve possível. Vale a pena lembrar que por se tratar de um fenômeno cuja ocorrência necessita de condições bem específicas aqui no Brasil, nem todas as previsões se concretizam, e em grau menor elas podem ocorrer fora dos padrões previstos. (O tópico encontra-se em constante atualização.)

A seguir, um breve histórico da neve pelo Brasil e mundo.

Bom, se você entrou nesse tópico provavelmente é alguém que nunca viu neve e pretende se aventurar pela Serra Gaúcha e Catarinense atrás dela ou como eu, adora esse fenômeno que, infelizmente, pela posição geográfica de nosso país e pelo próprio relevo é raramente admirado. Mas não tão raro assim...

Pra começar a neve é um fenômeno que consiste na queda de cristais de gelo, mas toda vez que me referir a palavra "neve", lê-se também glaciares que nada mais é que uma grande e espessa massa de gelo formadas em camadas sucessivas de neve compactada.

A NEVE PELO MUNDO

Antes de tudo vamos analisar esse fenômeno pelo mundo. Pra começar ele ocorre em todos os continentes com exceção da América Central, apesar de essa contar com montanhas com mais de 3000m.

O continente Africano é salvo pelo complexo do MONTE KILIMANJARO na Tanzânia ao sul, no Marrocos em suas montanhas com mais de 3000m ao norte e no Lesoto - pequeno país encravado no interior da África do Sul. Lesoto caracteriza-se geograficamente por ser o único país do mundo a ter toda sua área acima dos 1000m, sendo que 80% do seu território está acima dos 1800m. O seu ponto mais elevado é o monte THABANA NTLENYANA, com cerca de 3482m.
Curiosamente, tanto em Marrocos como em Lesoto há pistas de ski.

Na América do Norte, assim como na Europa, a neve pode ser observada em todos os países além de ser um símbolo do natal.

Na América do Sul, ela aparece em todos os países cortados pela Cordilheira dos Andes (Argentina, Chile, Bolívia, Peru, Colômbia), incluindo até a Venezuela, como no PICO BOLIVAR, com seus 4980 metros e o Equador que possui um dos vulcões mais altos do mundo: o COTOPAXI, com seus 5897 metros. A Ásia é agraciada por vários países como China e Rússia, além de contar com a cordilheira do Himaláia onde encontra-se as montanhas mais altas do planeta. Austrália e Nova Zelândia na Oceania completam o quadro.

Imagem
Monte Kilimanjaro no norte da Tanzânia - África

Imagem
Pista de Ski em Lesoto no coração da África do Sul

Imagem
Inverno no hemisfério Norte - Canadá, EUA e norte do México ficam cobertos de neve todos os anos

Imagem
Pico Bolivar na Venezuela

Imagem
Vulcão Cotopaxi no Equador

E já que estamos falando de frio, a nível de curiosidade, a menor temperatura já registrada na Terra foi de -89,2ºC, na Estação Científica Vostok, na Antártida. O registro foi feito em 21 de julho de 1983, quando a estação ainda pertencia à URSS.

A NEVE NO BRASIL

Tudo que sei e como vou relatar mais a frente é que no passado esse fenômeno era mais comum. O fato é que a ocorrência de neve no Brasil vem diminuindo muito ano após ano. Aquecimento global, interferência do homem ou apenas um ciclo... As justificativas são muitas mas isso é papo pra outro tópico.

No Brasil, a neve está mais familiarizada com a região sul, principalmente nas Serras Gaúcha e Catarinense. Mas não é exclusividade delas. Há pouco tempo era comum também no Paraná, São Paulo e Minas Gerais, este último apenas nos municípios de Camanducaia, Itamonte e Pedralva. Existe também relatos de neve no Pico da Bandeira no Espírito Santo. Agora essa é pra cair da cadeira. Acreditem se quiser, mas neva no Rio de Janeiro e isso é mais comum do que se imagina. Tudo bem que não é em Copacabana, mas no Parque Nacional de Itatiaia. Em 1985, por exemplo, chegou a acumular um metro no Pico das Agulhas Negras. Há apenas três relatos de acumulo de neve igual ou superior a 1 metro no Brasil, o que faz esse fato ser ainda mais impressionante como o de 7 de Agosto de 1879, em Vacaria, Rio Grande do Sul, com 2 metros de neve e outra em 20 de Julho de 1957, em São Joaquim, Santa Catarina, com 1,30 metro de neve, considerada, às vezes, como a mais abundante precipitação de neve do país, dado o tempo bastante remoto da nevada de Vacaria.

Vale a pena ressaltar que São Joaquim foi fundada apenas em 1887, ou seja, 8 anos após a nevasca de Vacaria e que por estar num patamar mais alto do que a cidade visinha gaúcha é bem provável que tenha nevado mais onde hoje é a cidade de São Joaquim.

Nevascas como de Vacarias, São Joaquim e Itatiaia são comuns apenas em países como Rússia e Canadá. Mesmo havendo montanhas com mais de 2000 metros de altura na região de Itatiaia o fenômeno é extremamente raro devido a sua latitude. Os últimos registros de neve em Itatiaia foram em 1972, 1976, 1977, 1978,1979, 1981, 1982, 1983, 1984, 1985, 1988, 1999, 2000, 2001, 2004 e 2006.

Imagem
Neve no Pico das Agulhas Negras em Itatiaia - 1985

Imagem
Neve no Pico das Agulhas Negras em Itatiaia - 1985

Imagem
Raridade: Em 1975, no dia 17 de Julho, o jogo entre Juventude e Internacional de Santa Maria em Caxias do Sul quase foi transferido devido ao frio e à neve. Quatro anos depois em 1º de Junho de 1979, Chapecoense e Criciúma, também fariam uma partida em baixo de neve.

A NEVE EM SANTA CATARINA

A área de maior recorrência do fenômeno no Brasil foi chamada de “Planalto da Neve”, subdividida em dois setores: I, acima de 900m e II, entre 600m e 900m. O referido Planalto possui 95.242 km² distribuídos no RS e SC, localizando-se no seu interior 90 cidades gaúchas e 101 catarinenses. A análise da variação inter-anual (com dados de São Joaquim, SC) indicou que, de toda a série estudada, apenas os anos de 1961, 1963, 1971, 1973, 1982 e 1986 não apresentam registro de neve. As nevadas mais relevantes ocorreram nos anos de 1957, 1965, 1975, 1979, 1988, 1990, 1996 e 2010. Os intervalos entre períodos de ausência de neve e de nevadas mais importantes indica um ciclo decadal na dinâmica do fenômeno. Apesar dos picos de precipitação em 1988 e 1990, não existe uma tendência de aumento da precipitação de neve naquela cidade.

Porém é em Santa Catarina que a neve ocorre com mais frequência e com mais intensidade. Algumas pessoas podem se perguntar porque não no Rio Grande do Sul, já que a latitude é maior... é que a Serra Catarinense é mais alta que a Serra Gaúcha, normalmente situada entre 900 e 1800 metros.

Em Santa Catarina, os municípios de São Joaquim, Urupema, Urubici, Bom Jardim da Serra são presenteados com o fenômeno da neve em praticamente todos os anos. Entretanto, são numerosos os municípios localizados nos planaltos catarinenses, em que o fenômeno da precipitação de neve ocorre com uma freqüência apreciável, embora não chegando a ocorrer em todos os anos, como Lages, Otacílio Costa, Curitibanos, Ponte Alta do Norte, Ponte Alta, Santa Cecília, Fraiburgo, Caçador, Monte Castelo, e com uma freqüência um pouco menor, Porto União, São Bento do Sul, Mafra, entre outros.

Imagem
Várias - São Joaquim e Urubici.

Imagem
Famosa estrada da Serra do Rio do Rastro - Bom Jardim da Serra - SC

Imagem
Nevasca de 20 de Julho de 1990 - Anitápolis a 89km de Florianópolis. Foto João Carlos

Imagem
Nevasca de 20 de Julho de 1990 - Morro do 50 - Anitápolis. Foto Evandro Meireles

Imagem
Os Chapecoenses esperam pela neve como está desde 1965.

MORRO DA IGREJA - URUBICI

Se tiver que nevar e se você quiser ser o primeiro a ver neve no Brasil tem que estar no Morro da Igreja. Com aproximadamente 1826 metros, é o ponto mais alto habitado do sul do Brasil e considerado o ponto mais frio do Brasil, sendo acessível de carro até o seu topo. É o segundo pico mais alto de SC e o quarto mais elevado da região sul, ficando atrás do Pico Paraná com 1877m, seguido do Pico Caratuva com 1860m, ambos no Estado do Paraná, além do Morro da Boa Vista com 1827m, este último o ponto mais alto de SC, sendo possível chegar ao seu pico apenas após 3 dias de caminhada - uma boa opção de trekking por um lugar ainda pouco explorado. Disputa com o Morro da Igreja com o segundo ponto mais alto do estado, ainda o Morro da Bela Vista do Ghizoni ou Morro do Chapéu, com 1823,49m.

É no Morro da Igreja onde geralmente registra-se as temperaturas mais baixas no Brasil. Na década de 60 registrou-se -19°C e sensação térmica de aproximadamente -46ºC quando não havia ainda medidores oficiais no local. Porém, em 1987 a Aeronáutica construiu, no alto do Morro da Igreja, o CINDACTA II (Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle do Tráfego Aéreo), base de monitoramento aéreo dos Estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Sua obra começou em 28 de novembro de 1985 e só terminou completamente em 07 de Julho de 1988, porém em 06 de Novembro de 1987 deu-se o início das operações e passou a monitorar também a temperatura, onde registrou em 1996 a temperatura de -17,8ºC, que viria a ser um recorde no país. A sensação térmica era de -46ºC, resultado do frio e das rajadas de vento de até 180 quilômetros por hora, que foram medidas por um anemômetro. Um frio digno de regiões polares. Alguns especialistas acreditam que se o Morro da Igreja tivesse mais mil metros de altura, teriamos neve permanente por pelo menos seis meses no ano.

Matéria do Fantástico a respeito da nevasca de 1996 no Morro da Igreja.
http://fantastico.globo.com/Jornalismo/Fantastico/0,,AA1219033-4005-0-0-18062006,00.html

Imagem
Nevasca de 1996. Morro da Igreja - Urubici

Imagem
Nevasca de 07 de Julho de 1998. Morro da Igreja - Urubici. Foto de Evandro Meireles

Imagem
Nevasca de 07 de Julho de 1998. Morro da Igreja - Urubici. Foto de Evandro Meireles

Imagem
Morro da Igreja - Urubici -1996 - FOTO ANDRE FREYESLEBEN

Imagem
Pedra Furada - Morro da Igreja - Urubici

A ERA DA NEVE EM SANTA CATARINA

Foi na década de 50 e 60 a época que mais nevou em Santa Catarina, onde era comum grandes precipitações quase todos os anos. Depois dessas duas décadas, houve poucos registros próximo do que ocorria no passado, como as nevascas de 1975, 1979, 1988, 1990, 1996, 2000, 2010 e outras de menor intensidade em 2001 e 2006. Desde então, os registros são cada vez mais raros e de menor intensidade, tendo sua ausência completa em 1961, 1963, 1971, 1973, 1982 e 1986. Hoje tem nevado em média duas a três vezes por ano em SC. São Joaquim é a cidade brasileira com a maior média de dias com neve por ano, cerca de 2,7. O ano de 1999 também foi um ano especial para a neve no Brasil, pois registrou-se a precipitação mais precoce e mais tardia de que se tem notícias: 17 de Abril em São Joaquim e 03 de Outubro em São Francisco de Paula-RS. Em 2000, o inverno foi especialmente diferente devido a grande área atingida por ela, onde nevou em 70 municípios do sul do país naquele ano. Em alguns pontos da Serra Catarinense, o frio abaixo de zero persistiu por 57h seguidas quando o normal é entre 10 e 15 horas.

Pois bem, a última grande nevasca (1996) ocorreu há mais de dez anos, deixando uma camada de 21 centímetros em 7h de precipitação ininterrupta, além do recorde de temperatura negativa (-17,8ºC). Entre outras grandes tempestades que já ocorreram no Brasil estão a de 1979 com meio metro de neve acumulada ao longo de 15h de tempestade. Os dados dessas últimas são extra-oficiais mas se sabe que São Joaquim ficou isolado por vários dias e precisou ser abastecida por avião. Há relatos menos oficiais ainda de um acumulo recorde de 1,5 metro de neve ao longo de 24 horas em 1910.

Imagem
Igreja de São Joaquim em 20 de Julho de 1957. Foto símbolo do que é considerada a maior nevasca do Brasil

Imagem
São Joaquim em 20 de Julho de 1957.

Imagem
Urubici - Morro da Igreja 26/05/2007

QUAL A CIDADE MAIS FRIA DO BRASIL?

O assunto é polêmico principalmente porque não há um critério bem definido que determine esse panorama. Geralmente usa-se duas variáveis: temperatura negativa absoluta e a média de temperatura mais baixa. Independente disso a cidade mais fria do Brasil é nacionalmente conhecida por São Joaquim que tem uma temperatura média anual de aproximadamente 13ºC.

Vejamos:

se estamos falando da cidade mais fria do Brasil temos que destacar alguns pontos importantes e um deles é considerar apenas a cidade em si e desconsiderar alguns pontos isolados que caracterizam-se as vezes por uma elevação abrupta e que naturalmente vem a fazer mais frio.

Oficialmente a temperatura mais baixa no Brasil é de 14,1ºC negativos, registrada em Caçador-SC, em Junho de 1952. De fato Caçador, que está a 920m de altitude, é uma cidade fria, mas o que aconteceu em 1952 podemos considerar como um caso isolado até porque com seus 16,6ºC de temperatura média a cidade não figura entre as mais frias. Entretando, muitas fontes citam o que ocorreu no Morro da Igreja em Urubici, que em 1996 registrou os impressionantes -17,8ºC e sensação térmica próxima de -40ºC. Esse registro só não é oficial porque na época a cidade não contava com medidores no padrão internacional da organização meteorológica mundial. Mesmo assim, o morro da Igreja é com certeza o ponto (não cidade) mais frio do Brasil, com uma temperatura média anual de aproximadamente 11ºC. Porém, o Morro da Igreja, com seus 1826m, fica a 30km do centro da cidade de Urubici que está a 915m acima do nível do mar. Normalmente a temperatura no cume do Morro da Igreja é 5ºC mais baixa do que na cidade de Urubici, Isso porque a cada 180m de altitude, em média, temos uma diminuição da ordem de 1ºC. Portanto Urubici, que tem uma temperatura média anual de 16ºC, também não pode figurar como a cidade mais fria do Brasil.

Segundo o site do governo de Santa Catarina, Urupema está 1425 metros de altitude, o que dava a cidade, o status da mais alta do Sul do país e uma das mais fria. Porém uma das referências usadas para determinar a altura de uma cidade é a sede do governo municipal que nesse caso rebaixa a cidade ao patamar de 1335m. Assim como São Joaquim, Urupema também tem uma temperatura média anual de aproximadamente 13ºC. A distância entre a sede das duas cidades é de apenas 70km, porém, Urupema vem registrando as temperaturas mais baixas ano após ano e poderia sim ser considerada a cidade mais fria do Brasil, título que teria sido tirada por São Joaquim. Acontece que em Urupema, localiza-se o Morro das Torres ou Morro das Antenas com 1733m, alvo dos registros negativos da cidade. Assim como no Morro da Igreja em Urubici, naturalmente neste morro faz mais frio. Mesmo que sua distância seja de apenas 7km da cidade não podemos considerar a cidade de Urupema como a mais fria do país. Mas Urupema perde por muito pouco...

No patamar de 1353 metros, e por uma diferença de apenas 18m em relação a Urupema, São Joaquim é portanto, a cidade com a sede mais alta do Sul do país e por estar localizada numa latitude de 28º17'38 contra 27º57'25'' de Urupema, diferença essa menor a 1º, da-se a cidade de São Joaquim o status de cidade mais fria do país. Tanto Urupema quanto Urubici já foram distritos de São Joaquim antes de se emanciparem o que em boa parte explica essa confusão.

Outras cidades poderiam figurar entre as mais frias do país. Seriam elas: Palmas no PR, Campos do Jordão em SP, Vacaria e São José dos Ausentes no RS. Contudo, nenhuma dessas cidades, em condições iguais, faria mais frio do que São Joaquim. Deve-se a isso a sua latitude e relevo, pois São Joaquim é a cidade mais alta e mais ao Sul em relação aos seus concorrentes e é a que sofre com mais intensidade a entrada de uma massa de ar polar. Só para dar um exemplo: Campos do Jordão está a 1628m de altura, sendo o mais alto município brasileiro. Como sabemos, a altitude é um dos principais fatores que influencia no clima. Entretanto Campos do Jordão está a uma latitude de 22º enquanto outras cidades como São Joaquim, Urubici, Urupema e São José dos Ausentes estão a uma latitude de 28º aproximadamente, e como também sabemos, a latitude é outro fator determinante, o que explica nesse caso o porquê de Campos do Jordão não poder ser a região mais fria do país. Mesmo que haja uma relação altitude/latitude, especificamente no caso de Campos do Jordão sua altitude não compensa a latitude. Tomemos como exemplo o Canadá e o Equador. Os dois países registram neve mas por motivos opostos. Enquanto o Canadá dispensa montanhas por estar numa latitude muito alta, próximo ao pólo norte, no Equador que está em laitude zero, a neve só acontece por que lá há montanhas com mais de 5 mil metros de altura.

São Joaquim pode ser considerada a cidade mais fria do Brasil!

Veja o recorde histórico de temperaturas mínimas registradas em algumas cidades de Santa Catarina

Caçador: -14,1ºC em junho de 1952
Videira: -9,3ºC em 21 de julho de 1975
São Joaquim: -8,2ºC em 6 de agosto de 1963
Matos Costa: -8ºC em 15 de agosto de 1999
*Urupema: -7,8ºC em 14 de julho de 2010
Lages: -7,4ºC em julho de 1926
Major Vieira: -7ºC em 3 de agosto de 1991
Ponte Serrada: -6,2ºC em 25 de julho de 2009
Rio Negrinho: -6ºC em 3 de agosto de 1991
Campos Novos: -5,6ºC em 14 de julho de 2000
Rio do Campo: -5,4ºC em 14 de julho de 2000
Campo Erê: -5ºC em 13 de julho de 2000
Ituporanga: -4,6ºC em 3 de agosto de 1991
Urussanga: -4,6ºC em 1º de agosto de 1955
Chapecó: -4,5ºC em 14 de julho de 2000
Itapiranga: -3,4ºC em 12 de julho de 1988
São Miguel do Oeste: -3ºC em 14 de julho de 2000
Indaial: -0,2ºC em 14 de julho de 2000
Itajaí: -0,5ºC em 3 de agosto de 1991
Florianópolis: 0ºC em 14 de julho de 2000
Blumenau: 0,6ºC em 14 de julho de 2000
Joinvile: 0,6ºC em 6 de setembro de 2006
São José: 1,3ºC em 26 de agosto de 1984

Urubici, ainda não entra na contagem de temperaturas históricas porque a estação é muito recente, com menos de três anos, e semi-profissional, não está no padrão internacional da Organização Meteorológica Mundial.

* dados referentes a 2010

Todos os anos vou pra Serra Catarinense em busca de neve e sempre converso com as pessoas da região, principalmente com os funcionários do centro de informações turísticas de Urubici a respeito da neve. Me informaram que a próxima nevasca depois de 1996 ainda está por vir, atrasada, diga-se de passagem. Segundo o histórico de incidências na região, grandes tempestades de neve costumam ocorrer em ciclos de 3 a 5 anos.

*Quando escrevi essa matéria ainda aguardavamos pela "próxima" nevasca que estava por vir mas que finalmente veio em 04/08/2010. A partir de agora ela faz parte da história.

Posso dizer que já vi muita neve quando fiz intercâmbio nos EUA, mas confesso que é muito mais prazeroso e frio aqui! Para aqueles que querem se aventurar pela Serra Catarinense em busca de neve, a melhor época do ano é de maio até setembro. O mês de julho, entretanto, concentra a maioria dos eventos, com mais de 40% dos dias de neve. As maiores precipitações do ano costumam ocorrer mais precisamente com a entrada da primeira onda intensa de frio.

Por fim gostaria de esclarecer que não sou nenhum profissional da área muito menos meteorologista. Todas essas informações são frutos de pesquisa, curiosidade e vivência, e estão sujeitas a erros. Minha única intenção é compartilhar com vcs esse pedacinho da Sibéria Catarinense e ajudar aqueles que pretendem visitar SC no inverno. Além do que, muitas pessoas têm me ajudado com outras viagens


Contribuições
Koroly
Editado pela última vez por Maneca em 07 Jan 2011, 14:58, em um total de 55 vezes.

#354804 por junior/ floripa/sc
17 Mar 2009, 15:31
Ola colega, vale muito a pena ir a S. Joaquim. Indico ficar de ollho no site da previsão do tempo do Sergio Coutinho ele é quem mais acerta na previsão de neve pois tem um centro em SJ. Mas não espere muita neve, é pouca mais o suficiente para deixar a gente muito feliz. Existem muitas pousadas mas os preços são variaveis. Visite a Serra do Corvo Branco, o Morro da igreja, A Catedral, a Praça de São Joaquim, tem um ponto de informações turistica na cidade. Tenha uma boa viagem!
#365931 por Koroly
05 Mai 2009, 22:26
Apenas para constar. No caso da Africa, nao e apenas no Kilimandjaro que neva. As montanhas mais altas da regiao do Marrocos, por exemplo, que passam de 3000m, permanecem com seus topos cobertos de neve mesmo no verao. Na Africa do Sul, ocorre o fenomeno da neve ocasionalmente (nao se esquecam de que a Africa do Sul se encontra mais ou menos na mesma latitude do Rio Gde. do Sul ou so Uruguai). Existe ainda um pequeno pais africano pouco conhecido, o Lesoto, cujo territorio fica quase que totalmente acima dos 1000 m de altitude, e la o fenomeno da neve ocorre anualmente no inverno.
#366766 por Maneca
09 Mai 2009, 12:54
Galera

semana que vem (dias 15,16+-), chega uma frente fria e a previsão é de muito frio ::cool:: ::cool:: . Na serra catarinense é quase certo temperaturas negativas. Mas ainda é cedo pra falar em neve. Durante a semana mantenho vcs informados.

Fabinho
#371628 por Michael Darolt
30 Mai 2009, 15:06
Com este friozinho, muitos já começam pensar na neve em SC... ::otemo::

No inverno, o cenário de neve, pinheiros e frio surpreende e torna ainda mais bela a natureza agreste do Planalto Catarinense. Pequenas cidades e povoados rurais emolduram e complementam o espetáculo natural de serras e planícies cortadas por cânions e, mesmo estando-se a menos de 100 Km do litoral, respira-se o revigorante ar gelado das montanhas.

Basta deixar a BR-101 e aventurar-se pela Serra do Rio do Rastro, ou do Corvo Branco, para maravilhar-se com os cenários que se sucedem a cada curva da sinuosa estrada. Montanhas cobertas de Mata Atlântica são lentamente substituídas por araucárias seculares e cachoeiras pontuam rios de água cristalina. No planalto, campos gramados, demarcados por rústicas taipas de pedra, abrigam rebanhos de gado e são, ocasionalmente, cobertos por fina camada de neve. Hotéis-fazenda espalham-se pela região, recuperando a vida simples do interior, o trato com os animais e as tradições que vieram do Sul.

Urubici, a 1.820 metros de altitude, é a cidade mais fria do estado, e lá a temperatura chega aos zero graus no auge do inverno. São Joaquim - segundo produtor regional de maçã - recebe maior incidência de neve e, por conseqüência, o maior número de visitantes da região. Lages, mais para o oeste, foi passagem dos tropeiros que ligavam o Rio Grande do Sul a São Paulo e ainda hoje por lá predominam a cultura campeira, o pinhão, o churrasco e o chimarrão.

#371956 por glaubercr
01 Jun 2009, 10:16
Salve galera!!

Excelente este plantão friaka que estão fazendo!!!

Se esta previsão de neve fosse pro fim de semana eu teria subido na esperança de ver neve pela primeira vez hehe

Aqui no litoral também tá dificil sair debaixo das cobertas, imagino aí ::Cold::

Aja mé pra esquentar!!!

O melhor lugar pra esperar a neve de hoje então é Urubici? Alguma dica de alguma pousadinha por lá, charmosa, mas não muito salgada, para um casal ficar esperando os flocos cairem?

Valeu!!
#371969 por Maneca
01 Jun 2009, 12:15
Bom, estou indo hj a noite para Urubici, mais precisamente no morro da igreja. É muito mais difícil nevar em Urubici, mas se tiver nevando lá, no Morro da Igreja estarei praticando snowboard hehehe. A dica é: ir para São joaquim, Morro da Igreja (Urubici), ou Morro da Antena (Urupema), o que for mais conveniente. Quando a chance de nevar é baixa, se não nevar num desses três lugares provavelmente não nevará em outro. Eu, particularmente gosto mais da vista do morro da Igreja, mas é um sonho ver neve na serra do rio do rastro (Bom Retiro), e acho q não será dessa vez.

Conforme for, colocarei as fotos.

Fabinho
#372283 por ROTA da AVENTURA
02 Jun 2009, 15:01
salve!!! ::sos::
A primeira neve do ano na Região Sul foi registrada na noite da segunda-feira (1º) em Bom Jesus (RS). Entre 22h20 e 22h30 houve neve fraca, segundo o 8º distrito do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). Durante esse período, os termômetros marcaram 1,4ºC.
Na manhã desta terça-feira (2), uma massa polar sobre a Região Sul do país provocou temperaturas negativas em Santa Catarina e no Paraná entre 6h e 7h, além de outras temperaturas próximas de 0ºC em toda a região. Em Urubici (SC) a temperatura chegou a -3ºC e em General Carneiro (PR), a mínima foi de -0,1ºC. ::Cold::

::otemo::

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 1 visitante