Ir para conteúdo

Pesquisar na Comunidade

Mostrando resultados para as tags ''ilha de itaparica''.



Mais opções de pesquisa

  • Pesquisar por Tags

    Digite tags separadas por vírgulas
  • Pesquisar por Autor

Tipo de Conteúdo


Mochileiros.com

  • Perguntas e Respostas
    • Perguntas e Respostas
    • Destinos - Perguntas e Respostas
  • Relatos de Viagem
    • Relatos de Viagem
  • Companhia para Viajar
  • Equipamentos
  • Trilhas e Travessias
  • Nomadismo e Mochilão roots
  • Outras Formas de Viajar
  • Outros Fóruns

Encontrar resultados em...

Encontrar resultados que...


Data de Criação

  • Início

    FIM


Data de Atualização

  • Início

    FIM


Filtrar pelo número de...

Data de Registro

  • Início

    FIM


Grupo


Sobre mim


Ocupação

Encontrado 4 registros

  1. SALVADOR + ITAPARICA + MORRO DE SÃO PAULO EM 1 SEMANA CHEGADA: Chegamos a Salvador numa Segunda à noite e ficamos hospedados na POUSADA ESTRELA DO MAR, na Barra. A localização da pousada é ótima, perto de bares, restaurantes, bancos, farmácias, etc. Da pousada até o famoso FAROL DA BARRA eram menos de 3 minutos a pé. Como chegamos bem tarde, a salvação para jantar foi um Bob’s que fica 24h aberto, bem pertinho da pousada. :'> DIA 1: No dia seguinte, acordamos cedo já que estávamos perto do Farol da Barra, tornou-se a primeira parada. Vale a pena entrar no Farol, conhecer o Museu Náutico que fica dentro (R$ 5,00 para entrar) e subir até o topo para tirar algumas fotos. Depois, andamos até a Rua Marques de Caravelas e pegamos um ônibus em direção à RIBEIRA (Lá eles não costumam dizer o número do ônibus, apenas o nome). Fomos até o ponto final (que eles chamam de “fim de linha”). A Ribeira é um bairro bem simples, mas tem uma orla bonitinha. Andando pela orla uns 40 minutos você chega à Igreja do Bonfim. Se não quiser ir até o ponto final, nesse mesmo ônibus você pode descer uns pontos antes e ir direto para a igreja. Essa linha passa por vários bairros da cidade. É interessante, pois acabamos conhecendo. Mas perdemos cerca 1 h nesse percurso. Chegando à Igreja o Bonfim, não deixe de fazer seus pedidos, amarrar as fitinhas na grade e conhecer a Sala De Milagres. Descendo a pracinha onde fica a igreja, pegamos um ônibus para o COMÉRCIO e descemos em frente ao MERCADO MODELO. Almoçamos no restaurante Camafeu de Oxossi. A comida é uma delícia! Pedimos Carne de Sol com pimenta doce branca que é simplesmente bárbara! Após o almoço, vale percorrer os corredores do Mercado e fazer algumas comprinhas (lá vende de tudo: lembrancinhas, pimentas, doces, etc). Atrás do Mercado Modelo existe um terminal de ônibus. Basta pegar qualquer ônibus que vá para a Barra (mas fique atento, tem que ser a linha que passa pelo Farol, pois tem outras que só vão até o Shopping e não fica perto). Já era noite e aproveitamos para dar uma volta pela Orla do Farol. Dia 2: No segundo dia fizemos um TOUR COMPLETO pelo ESTÁDIO ARENA FONTE NOVA. O tour com guia custa R$ 20 (estudante para meia-entrada) e é feito por um guia que também fala Inglês e Espanhol. Esse tour tem que ser agendado com antecedência pelo e-mail: [email protected] No site do Arena é possível encontrar mais informações: http://www.itaipavaarenafontenova.com.br/tour-100/ Para chegar ao Arena, também usamos ônibus que pegamos na parada quase em frente à Pousada (Rua Afonso Celso). Chegando lá, basta se identificar e aproveitar. Conhecemos toda parte externa e interna do Estádio, incluindo vestiários, camarotes, sala de imprensa, gramado, banco dos jogadores reservas e muito mais. É um passeio bem legal! Saindo do Estádio, você vai estar em frente ao DIQUE DO TORORÓ, famoso lago onde se encontram as oito esculturas dos orixás. Vale dar uma parada e tirar algumas fotos. Na avenida, em frente ao Dique, pegamos outro ônibus, novamente em direção ao COMÉRCIO; descemos em frente ao Elevador Lacerda e subimos rumo ao PELOURINHO. A dica aqui é primeiramente se desviar das pessoas que vão te oferecer mil passeios e guias. Dá pra fazer tudo sozinho, de boa. Saindo de Elevador, aproveite a vista lá de cima para tirar algumas fotos e depois vá caminhando para o lado Esquerdo. Logo adiante tem uma praça, onde se encontra a Basílica (para entrar precisa pagar R$ 3). Seguindo em frente à Praça você não pode deixar de ir à Igreja de São Francisco – toda construída em ouro, umas das mais belas que já vi! Ainda nesta praça existem boas opções de restaurantes para o almoço. Terminamos o passeio, descendo a ladeira Gregório de Matos onde é possível ver várias lojinhas, passamos pela Associação Filhos de Gandhy e ao final chegamos à Casa de Jorge Amado (vale a visitação; as quartas-feiras a entrada é grátis). Na volta, como ainda tinha sol, foi possível um banho de mar na Praia do Farol para repor as energias. Ali perto da praia rola uma sorveteria chamada Os Paleteros com aqueles sorvetes mexicanos deliciosos. Antes do pôr do sol, vale uma caminhada subindo a orla até o MONTE CRISTO DA BARRA, um monumento alto de onde é possível ter umas das mais belas vistas de Salvador. À noite, demos uma passada no Botequim São Jorge, no Rio Vermelho. Fica, cerca de 15 minutos de táxi a partir do Farol. O Rio Vermelho é um bar boêmio, com muitas opções de bares e boates. Vale a pena a visita, principalmente se você estiver por lá entre sexta e sábado, quando o movimento é maior e as ruas ficam mais agitadas. ITAPARICA Estando em Salvador, vale a pena aproveitar um dia para conhecer a ilha de Itaparica. Para ir, basta pegar uma lancha que sai a cada 30 minutos do Terminal Marítimo que fica em frente ao Mercado Modelo. Para quem estiver na barra, qualquer ônibus que vá para o COMÉRCIO, passa perto do terminal. A viagem é tranquila já que não é mar aberto. Porém, são 40 minutos e, dependendo da maré, o balanço pode enjoar. Então, para os mais sensíveis sugiro tomar um remedinho antes. A lancha vai te deixar em Mar Grande, onde você será abordado por vários guias. Você pode fechar com eles ou combinar com algum taxista para te levar até Itaparica (foi o que fizemos e saiu bem baratinho R$ 20 a corrida). O taxista nos deixou na PRAIA PONTA DE AREIA, umas das principais da Ilha. Lá você aproveita o mar calmo de águas quentes e ainda pode se deliciar com os quitutes das barracas que servem peixes, moquecas e diversos outros petiscos. Combinamos um horário com o mesmo taxista e ele passou lá para nos buscar. A última lancha sai da ilha às 18h. Então, fiquem atentos ao horário. MORRO DE SÃO PAULO Existem duas formas de ir para Morro: marítimo e semi-terreste. Conheço algumas pessoas que não tiveram sorte com o marítimo, pois pegaram dias de mar agitado ou chuva e aí a viagem não foi nada confortável devido ao balanço do barco. Como são 2h de viagem, quem enjoa muito fica mal. Eu sou do tipo de fica enjoada, mas decidi arriscar. Felizmente minhas preces para os orixás deram certo e foi uma viagem beeemm tranquila. Até dormi em alguns trechos. Pegamos o catamarã da BioTur no Terminal Marítimo (que fica em frente ao Mercado Modelo). Eu havia comprado as passagens pelo site da BioTur com alguns dias de antecedência, mas rola de comprar lá na hora também. Ainda no barco, já é possível ter uma pequena visão do paraíso. Sem dúvida, um dos lugares mais lindos que já vi. Ao desembarcar, alguns locais vão te abordar para levar suas malas, o que eu aconselho que você aceite, pois as subidas e descidas na ilha são cansativas. Antes de entrar na ilha, você passa no Guichê para pagar a Taxa de Conservação Ambiental de R$ 15,00. A ilha é pequena e tem uma pracinha principal onde você acessa tudo (praias, mirantes, lojas, restaurantes). Não tem como se perder por lá. Então, para ser objetiva, segue abaixo o que não se pode deixar de fazer: 1 - Passeio em volta da ilha – as pousadas oferecem e algumas agências locais também. Esse passeio é feito de lancha (muita emoção) e dura o dia todo. Você vai conhecer as praias, a famosa ilha de Boipeba e fará o mergulho nas Piscinas Naturais. Esse é o tipo de passeio que tem que fazer. É bom demais. 2 - Mirante do Farol – Assistir o pôr do sol no mirante também é obrigatório. A subida é cansativa, mas vale a pena, pois o visual é deslubrante. 3 - Toca do Morcego – também dá pra assistir o pôr do sol da Toca (um bar que fica no caminho da subida para o Mirante). A entrada é R$ 5 mas o ambiente é gostoso que só vendo! Visual lindo, música legal, bons drinks e comidinhas e gente bonita. Vale a pena ir pelo menos uma vez. À noite, após as 23h rolam as baladas na Toca, que também são bem legais. Tocam muito eletrônico mas o clima é bom (não sei se é pela época que fui que era baixa temporada, talvez perto do Carnaval role mais Axé). Gente bonita, paquera e curtição. Para os solteiros acho que é uma boa pedida... 4 - Tirolesa – Em morro existe uma tirolesa de 70 m. Dá um medinho, pois é bem alto, mas vale a pena. O visual mais a adrenalina no salto são de tirar o fôlego. Custa R$ 40 por pessoa. 5 - Praia da Gamboa – Para chegar à Gamboa é necessário pegar uma trilha por dentro do Portão da Fonte (uns 40 minutos andando). No caminho existem outras praias também, como a Ponta de Cima, que é deserta e bonita. Infelizmente a maré estava alta e não conseguimos chegar à Gamboa, por isso, vale a pena ir quando a maré estiver bem baixa por volta das 14h, 15h... 6 - Restaurantes – Existem ótimas opções, mas os que eu mais gostei foram: Chex Max (Pizzaria), Balanço (Crepes), Marilyn (Comidas regionais). Eu fiquei 4 dias em morro e achei pouco, pois o lugar é tão lindo e tem uma energia tão gostosa que dá vontade pra ficar mais tempo. Consegui fazer todos os principais passeios e conhecer os pontos mais legais, mas fiquei com gostinho de quero-mais.
  2. Oioii, to aqui para compartilhar com vocês um pouquinho sobre minha viagem/experiência durante esses seis dias na primeira Capital do nosso Brasil, a Bahia/bahêaaa, como vocês quiserem! Confesso que foi um destino muito aleatório, ou melhor, inesperado. Foi aquela coisa: ''Olha que passagem baratinha''. Vamos? VAMOS! Pois então, as passagens foram compradas em novembro de 2016 para viajar em Março/2017 e custaram R$ 625,00 ida e volta com as taxas Como toda pessoa que curte viajar - gastando pouco - a minha primeira ''preocupação'' foi pesquisar por uma hospedagem com bom custo x benefício. Essa pesquisa toda foi feita pelo site do Booking e lá reservei 7 diárias no B hotel, um bom lugar pra quem deseja ficar entre os dois melhores pontos da Cidade (CENTRO HISTÓRICO X RIO VERMELHO). Ele fica localizado na Av. Amaralina (uma avenida enooooorme e com um orla maravilhosa), segundo o rapaz do Hotel, o primeiro Bairro de Salvador . A quem interessar: 7 diárias R$ 651,00 para duas pessoas + café da manhã. Sobre a locomoção do Aeroporto ao Hotel: Uma boa dica aqui é tentar conseguir um transporte alternativo, não é difícil, mas se complicar terá que pagar aquele valorzinho absurdo do táxi. No meu caso como cheguei tarde no Aeroporto e não queria pagar táxi chamei um Uber que custou R$ 40,00, enquanto o táxi custava R$ 140 e o transfer R$ 89,00. Chegamos no Hotel muito bem recepcionadas e logo de cara com aquela vista exuberante! 2º DIA: Esse dia foi escolhido para conhecer o Centro histórico e os principais ptos turísticos. Como se deslocar? Da Av. Amaralina ao Centro pegue um ônibus que indique ''Praça da Sé''. Obs.: O transporte público em Salvador custa R$ 3,60 por pessoa de segunda-feira a sábado, aos domingos é a metade do preço. Obs.: Passagem isenta para idoso. 1ª parada: Pelourinho x Mercado Modelo (Bom para comprar lembrancinhas. Algumas lojinhas aceitam cartão de crédito outras somente $) x Elevador Lacerda (Para descer ou subir no elevador terá que pagar 0,15) x Almoço por R$ 14,00 no Restaurante Tempero de Mãe - esse restaurante é ótimo, mas simples e fica localizado na Rua Portugal bem próximo ao Mercado Modelo Praça da Sé x Praça Castro Alves x Solar do Unhão (não deixe de ir ao MAM - Centenário de Jorge Amado) Como o próximo ponto a ser visitado era a Igreja do Bonfim e por ser um pouco afastado do MAM resolvemos pegar um Uber (a corrida custou R$ 17,00), já que por ali não havia nenhuma parada de ônibus por perto, mas se você estiver entre o Mercado Modelo e o Elevador Lacerda, basta ir até aquela parada enorme que tem entre os dois pontos e tomar um ônibus que indique: IGREJA DO BONFIM. O restante dá para fazer tudo a pé, pois a distância de um ponto ao outro é de 500m Igreja do Bonfim x Sorveteria da Ribeira: Como? Desce a ladeira da igreja e logo em seguida vai ter uma parada de ônibus - vá ao lado esquerdo da rua e pegue a linha da ''RIBEIRA''. Por ser um lugar turístico de Salvador, o sorvete é caro, mas vale a pena eu AMEEEEEEI!!! Sorvete com duas bolas custa R$ 15,00 À noite a janta foi no Rio vermelho (bairro boêmio de Salvador) - Não tive boas experiências com restaurantes por lá em termos de culinária embora o lugar seja maravilhoso, principalmente, para apreciar o pôr do sol no final de tarde. Depois de rodar alguns restaurantes famosos (Marina e São Jorge ãã2::'> ), a janta foi na Pizzaria Cheiro de Pizza, o ambiente é bem agradável e o prato de massa estava razoável. 3º DIA: Dia de conhecer a Praia do Forte - um dos destinos mais badalados do Brasil que pertencia ao Município da Mata de São João. Inicialmente, a ideia era ir à Praia do Forte com os ônibus da EXPRESSO Linha verde, pois havia lido que era mais seguro e confortável, porém um pouquinho mais caro e além de que os horários de saída são mais restritos (6h/ 6:30/ 9:45/ 10:30/ 14:30/ 18:30), diferentemente da LINHA BRANCA que possui saídas de 20 em 20min Para fazer esse trajeto tivemos que pegar a linha de ônibus Sussuarana e descer na frente do Shopping da Bahia (peça para o cobrador avisar quando chegar no Shopping da Bahia). Passando o shopping da Bahia vá até o Centro Empresarial Iguatemi e em frente a esse prédio estarão as vans DA LINHA BRANCA. O trajeto SSA X PF pela linha branca custa R$ 8,00 por pessoa e até a Praia demora cerca de 1h30min - vá cedo, o ideal é chegar umas 09h00min em Praia do Forte, devido a maré baixa. Por lá existem diversas opções de restaurantes, para todos os gostos e bolsos! A caminho dessa prainha, você pode conhecer a capela de São Francisco de Assis que fica antes do PROJEITO TAMAR - Entrada gratuita até às 09h00min, após R$ 22,00 (ESTUDANTES E IDOSOS PAGAM MEIA ENTRADA) A praia do forte é linda e muito bem estruturada, a visita provoca sensações e paisagens maravilhosas. Essa praia fica entre diversos resorts que viraram pontos turísticos da região. 4º DIA: Como acordamos tarde e não tínhamos nada ''em mente'' resolvemos conhecer a Barra, um dos bairros mais populares de Salvador com uma grande quantidade de turistas, seja para conhecer a praia ou suas atrações históricas. A primeira parada foi no famoso Farol da Barra, também conhecido como Farol de Santo Antônio da Barra abrigando o Museu Náutico da Bahia (entrada custa R$ 15,00). Aqui vale o esquema de meia entrada para estudantes e idosos . A única parte chata desse passeio é a abordagem dos ambulantes, assim como ocorre no Bonfim e Mercado Modelo, pois eles atacam os turistas oferecendo colares, artesanatos, etc. É preciso dizer não (caso não queira) e sair, ou seja, não dê papo! O passeio continuou com uma caminhada pelo calçadão da Orla em busca de um restaurante para almoçar. Na caminhada pelo calçadão você encontra várias barraquinhas vendendo comidas e bebidas. O restaurante indicado foi o Casa Amarela em que almoçamos - R$ 43,00 em duas pessoas - na cia da Gaia, uma gaúcha que está morando em SSA . A segunda parte do dia foi uma ida a Praia de Itapuã, imortalizada por Caetano e Vinicius de Moraes - Itapuã teve recentemente sua orla revitalizada com mirante e ciclofaixas, cercada de bares e restaurantes. O movimento, tanto de turistas como de soteropolitanos, é grande. Nos finais de semana a praia é lotada e para quem gosta de um samba baiano não irá se arrepender. 5º DIA: Pela manhã a visita foi no Mercado do Rio Vermelho - CEASINHA- um atrativo para Baianos e turistas, sendo uma espécie de Mercado Público, com aspecto de Shopping Center possuindo uma gama de temperos, comida, bebidas, produtos naturais, especiarias, verduras e artesanato. Fica a dica pelos amantes da música e gastronomia O deslocamento até o Mercado foi feito de ônibus pela linha ''Sta Cruz''. Após isso seguimos ao famoso Corredor da Vitória, pois eu queria ir ao Museu Costa Pinto que, infelizmente, estava fechando Apesar de ser um bairro residencial, com o metro quadrado mais caro de Salvador por seus grandes e luxuosos prédios é uma boa alternativa para aqueles que desejam fazer um turismo diferenciado e cultural, pois a Vitória tornou-se um dos points de intelectuais e artistas! 6º DIA: Último dia de viagem Ilha dos Frades + Praia de Itaparica: Esse passeio foi o único que não fizemos por conta, pois como a ilha fica situada no centro da Baía de Todos os Santos tivemos que contratar o passeio guiado (pode ser de escuna ou ferryboat) teve um custo de R$ 50,00 por pessoa com música ao vivo durante a viagem + 1 rodada de frutas. Esse passeio sai quase todos os dias às 09h00min e volta às 17h30min, o bilhete você compra pelo site ''Passeio as ilhas'' ou pode falar com o Cleber +55 071 99167-2247 Para pegar a escuna basta tomar um ônibus que indique: Terminal da França ou qualquer outro que vá até o Elevador Lacerda/Mercado Modelo e descer no Centro Náutico da Bahia (na Av. França). No passeio está incluso apenas a IDA+VOLTA+RODADA DE FRUTAS! Coisas que eles não avisaram quando comprei o bilhete : Para entrar na Ilha dos Frades você deverá pagar uma taxa de turismo que custa R$ 6,00 e o almoço - que não está incluso - é feito na Praia de Itaparica, sendo um buffet livre por R$ 40,00. Ou seja, economizando beem nessa brincadeira é gasto uns R$ 150,00 (VALEU A PENA SIM!) A Praia de Itaparica não tem tanta estrutura como a Ilha dos Frades, mas é tão linda quanto. Contudo, por lá só tem 1 restaurante, o Manguezal no valor que falei acima, então se você quiser economizar ou comer outra comida que não seja aquela leve uns snacks na bolsa. Chegando na Ilha será oferecido um passeio guiado a cidadezinha de Itaparica. DICA: NÃO VÁ! Vale muuiito mais a pena ficar tomando banho de mar por ali e apreciando a paisagem da ilha, nós achamos essa parte do passeio uma furada, pois não tem nada de interessante na Cidade de Itaparica e para atravessar você deve passar por um rio cheio de Manguezais, um esgoto a céu aberto nada agradável. Se soubesse teria ficado na beira, mas deixo essa experiência aqui com vcs! Espero que gostem!
  3. Chegamos em Salvador na noite de 15 de abril. Em plena assembleia da policia militar, onde eles decretaram greve uma hora depois de nossa chegada. Parece má sorte falar que a viagem começou assim né? Então conto de outro jeito... Navegando pelas ondas digitais das promoções das empresas aéreas no mês de novembro de 2013, consegui comprar a passagem de ida e volta para Salvador, no inicio e fim de feriado prolongado, pelo irrisório valor de 220 reais ( com taxas inclusas). Por isso adoro fuçar site de gol tam e cia nas madrugadas de sexta e sábado. Pelo menos essas caçadas me rendem umas 4 viagens por ano. Minha mãe sabendo do valor, logo pediu pra comprar um par de passagens pra ela e meu pai. Fiquei feliz, meu pai nunca viaja e dessa vez aceitou o convite sem reclamar. E acredito que não se arrependeu. Com passagens e datas de viagem em mãos, comecei a saga a procura de pouso no meu roteiro: Salvador Itaparica e Morro de São Paulo. Sempre sapeio no Booking, Trip Advisor, Mochileiros, Alugue Temporada e outros sites que não me recordo, mas que vivem favoritados no pc. Dia 15 de abril de 2014 Como chegamos a noite e o clima de histeria das pessoas sobre a greve dos militares era grande, optamos por irmos dormir cedo e curtir o dia andando na cidade sem carregar nada... afinal, turista pobre sem bolsa não tem o que ser roubado. Fiquei surpresa com o que vi. As lojas fechadas, sim, mas nenhum tumulto como o que as pessoas espalhavam nas redes sociais e whats fofocas por ai. Dormimos na casa de uma prima, mas eu tinha reservado uma pousada chamada Barroco na Bahia , no centro do Pelourinho, pelo valor de $130 diaria com café e mimos http://www.barroconabahia.com.br/ Super indico a pousada, porque mesmo em cima da hora eu não comparecendo, devolveram minha reserva sem problemas e foram muito atenciosos. Preço do estacionamento do aeroporto era de $ 9 a primeira hora e demais $3 por hora. Compramos algo para fazermos lanchinho antes de dormir $25 No dia 16 de abril de 2014 Andamos pela cidade. Deu tempo de visitarmos o Farol Itapuã, seguirmos a beira Mar pela av, Oceânica e Otavio Mangabeira, demos uma volta no Farol da Barra (pena que o Museu estava fechado... estive lá em 2009 e queria rever). Andamos no Mercado Modelo, almoçamos no centro comercial ( o quilo bem no valor de SP mesmo, 38 reais) andamos no Dique do Itororó, passeamos pelo Bonfim. Tomamos Sorvete na careira sorveteria Ribeira (http://www.sorveteriadaribeira.com.br/o-sorvete/cardapio/) e batemos umas fotos em Ponta do Humaitá. Por mim eu ficaria e esperaria o sol se ir... mas os adultos estavam com medo de abusar no fim do dia. No meu roteiro estava programado pegarmos o Ferry e irmos pra Itaparica, pousarmos por lá e curtirmos a praia pela manhã e meus pais conhecerem a ilha. Foi o que fizemos. O ferry para pedestres sai o valor de 3,95 por pessoa. Como já estava anoitecendo quando descemos da embarcação em Itaparica, aproveitei a barganha e pegamos um taxi que andou com a gente pela cidade histórica de Itaparica enquanto eu procurava uma pousada. O cara teve paciência, e acho que saiu barato. A corrida saiu $30 ( dividido para 4 pessoas ficou $7,50 para cada). Encontrei a pousada Muito Mais (http://www.pousadamuitomais.com.br/ ) uma pousada simples, mas com pessoas mega acolhedoras, me senti em casa! Eles fabricam chocolate caseiro, plantado no quintal. O dono, um rapaz simpático e falador fechou nossa noitada por 75 reais e sua mulher ainda me deu chocolate fresco na saída! Balanço do dia: $10 almoço ( 28 o kg), $2 água, $6 cerveja ( não bebo, mas meu pai bebe então... foi pra conta), $10 sorvete de 2 bolas ( é bem servido, mas achei caro), Ferry $3,95. = total gasto por dia por pessoa: $ 31,95 Dia 17 de abril de 2014 Preço bom da pousada a 75 a diária e da padaria em frente, q tem com café delicioso e barato! Comemos MUITO BEM. lista dos gordos no café incluiu 2 cafés com leite, 2 sucos, 4 pães com manteiga, 2 pães com ovos, uma rosca doce, uma empada de bacalhau. Fomos em 4 pessoas e não gastamos nem 15 reais de café da manhã somando tudo! ( isso mesmo... 15 reais para dividir entre 4 pessoas) Passeamos pelo centro histórico de Itaparica, andamos pelo píer com lanchas lindas, fomos até a praia da ponta e almoçamos em frente ao mar no restaurante da Margarida. Simples, mas com um tempero incrível. Sou vegetariana, então acreditem, não passei fome. Os pratos variam de preço, o mais barato $10 e mais caro $35, todos servem 2 pessoas. Ao sairmos da pousada encontramos um taxista que fez a corrida de Itaparica até o Atracadouro ( onde se paga uma lancha rápida para Morro de SP). O taxi economizou pelo menos 2 horas de estrada em nosso dia, o que foi um luxo pra gente. Eu estava contando em pegar uma van para voltar ao Ferry ( $3), depois pegar um ônibus de 2 horas para Valença ( $19) e depois pegar lancha para Morro de SP ($25). O taxi saiu $120, ou seja, $30 por pessoa e não tivemos que esperar nada nem ninguém! Onde descemos, a lancha tem valor mais baixo $ 13. O que compensou a diferença no valor pago no taxi. Chegamos em Morro de SP ainda de dia, com sol no rosto. Mesmo depois de passear muito em Itaparica. Balanço do dia: Pousada $75 por casal, Café da manhã $ 4, almoço $10, Garrafa de água 1 litro 2,50, Taxi de Itaparica até Atracadouro $120, lancha rápida de Atracadouro até Morro de SP $ 13, Taxa de entrada na ilha $ 15 por pessoa, = total gasto por dia por pessoa: $ 112 Dia 18 de abril de 2014 Fechei negocio com aluguel de uma casa em Morro de SP em dezembro. Utilizei o site “www.aluguetemporada.com.br” , tem muita coisa boa por lá! É só ter paciência de procurar e negociar preços. Consegui fechar o aluguel de uma casa linda no topo do Morro por $400 por 6 dias em pleno feriado de pascoa ( de 17 a 22 de abril de 2014). A casa que aluguei em Morro de SP cabe confortavelmente 7 pessoas, alias poderia dividir o aluguel com mais 3 pessoas se quisesse.. Viajamos em 4. Lógico que consegui esse preço fazendo uma reserva com 5 meses de antecedência. A casa que fiquei, chama-se casa dos Teyus (http://www.booking.com/hotel/br/casa-dos-teyus.pt-br.html). Caso procurem, as fotos são lindas mesmo. O lugar é longe, mas tranquilo, nativos moram nas proximidades do imóvel e com isso tem mercadinho e padaria ao lado com preço mais acessível. Casa muito é bem mobiliada, decoração linda. Parece que foi montada para ser moradia fixa pela qualidade dos móveis e enfeites. Vista muito linda para mata. O valor pago foi muito bom, levando claro em consideração o fato de Morro de SP ser um morro ^^ . O caseiro, Roque, é um anjo prestativo e atencioso. A mata está em volta da casa e o clima é totalmente privativo. Não se vê vizinhos de lado nenhum. A louça era totalmente nova. Toalhas muito boas. Limpeza muito boa tb. Faltou panelas pequenas para preparar pequenas refeições. Só tinha uma leiteira. Só tinha um espelho na casa toda (mas isso ja deve ter sido resolvido pelo caseiro). Preço da entrada na Ilha de Morro de SP aumentou consideravelmente, achei abusivo... pagamos taxa de porto, taxa de entrada e tudo mais. Porem esses valores não são repassados para a comunidade local. Não tem saneamento suficiente para numero de casas que existem no Morro e apenas “ enfeitam” onde turista passa. Isso me deixa chateada. Passamos o dia na Primeira e Segunda praia com meus pais. Choveu e abriu sol o dia todo. Eles gostam de praias “ urbanizadas”. Então deixei a surpresa para um dia mais quente... Fizemos compras para 4 refeições e 2 cafés da manha saíram por 85 reais, Almoço na praia (por 48 o kg) saiu mais ou menos $23 para cada, $ 3 latinha de chá gelado, $ 7 garrafa de cerveja = total gasto por dia por pessoa: $ 54 19 de abril de 2014 Fomos ao mirante e ao farol curtir a paisagem. Descemos no forte e passamos o dia nas piscinas naturais da praia ao lado do forte. O acesso não é muito fácil, então ela se torna bem privativa, limpa e sem muvuca. Os jantares sempre curtíamos em casa mesmo, o por do sol da casa alugada era um espetáculo a parte. Almoço saiu $48 para os 4, cerveja $ 7, água $3. total gasto por dia por pessoa: $22 20 de abril de 2014 Caminhamos pela terceira e quarta praia. Este foi o dia de maré mais baixa possível. Meus pais pareciam crianças nas piscinas naturais brincando com os peixinhos coloridos. Comemos em um restaurante simples com um tempero e preço maravilhosos, que fica na rua das pousadas Safira do Morro e Perola do Morro. ( link do mapa http://www.pousadaperoladomorro.com.br/localizacao-da-pousada/mapa-turistico.php) Preços de pratos quer servem 2 pessoas: $16, frutas e pães para café $21; total gasto por dia por pessoa: $21 21 de abril de 2014 Optamos por fazer os passeios em alto mar nesse dia. Estava sol, com previsão firme, porem com maré um pouco alta. Conseguimos o passeio de lancha por$ 80 por pessoa. Conhecemos as piscinas naturais de Guarapuá, onde ficamos 40 minutos em alto mar nadando em águas cristalinas, depois fomos para .as piscinas de Moreré, fizemos um passeio pela ilha de Boipeba onde foi o almoço com a famosa lagosta do Guido ao abacaxi por $100 ( deu para 3 pessoas comerem bem), 2 porções de mandioca a $30,fizemos a trilha em Tinharé e visitamos o rio do Inferno nas fazendas de ostras e suas pitorescas comunidades sem luz, sem estrutura, mas em paz. E caminhamos correndo na Velha Boipeba. O passeio vale o valor pago. O balanço do dia foi salgado... $ 80 passeio, ostra 2 dúzias por $40, lagosta com aperitivos e acompanhamentos: $140, Café da manhã $29 : total gasto por dia por pessoa: 150 Voltar pra casa com os olhinhos do meu pai brilhando pelo passeio, não teve preço. Isso sim. Este foi o primeiro passeio dele em pelo menos 13 anos sem férias. 22 de abril de 2014 Eu já tinha comprado as passagens de lancha rápida para retornarmos de morro para Salvador com antecedência, vale muito a pena. Preço foi 75 por pessoa, mais a taxa de 81 centavos pelo uso do porto de Morro. Compramos as passagens pela Ilha Bela, única que possui lanchas. Fui clara q eu não queria viajar de catamarã. E fiz bem. A lancha demora cerca de 2 horas de travessia, mas temos ventilação e tranquilidade. Nos despedimos do Morro e partimos para Salvador olhando o farol ficar bem pequeno em nossa vista. Onibus do porto até aeroporto não existe, tem que subir pelo elevador Lacerda e pegar o ônibus que vai até o aeroporto que sai da praça da Sé, bem no centro histórico. Custo $4,30 Ainda quero voltar lá umas 10 vezes.... é minha terceira vez na ilha e ainda volto com saudade do Morro!
  4. lilianescp

    Ilha de Itaparica

    Oi gente!! Na Bahia tem um passeio bem legal e barato... quem estiver passando uns dias em Salvador, pode conhecer a Ilha de Itaparica em um dia e é bem legal. Na ilha tem praias variadas e bonitas, restaurantes e pousadas bem baratas (pelo menos eu acho). Seguem algumas informações: Balneário e estância hidromineral: Distância da Capital: 279 km (pela BR-324). População: Aproximadamente 18 mil habitantes. Clima e Altitude: Tropical Úmido com altitude de 15m. Temperatura: Média de 26ºC. Fuso Horário: Fuso Oficial de Brasília e 3h a menos que o horário de Greenwich. Corrente elétrica: 220v. Prefeitura Municipal: (71) 633-5826. Informações Turísticas: (71) 633-5831. Feriados Locais: 10 / 08 – Dia de São Lourenço; 25 / 10 – Aniversário da Cidade. Festas Regionais: Mês de Janeiro: Lavagem do Beco e Abertura do Carnaval (últimos Sábado, Domingo e Segunda); Mês de Fevereiro: Procissão marítma de Iemanjá; Mês de Junho: Festa de São João; Mês de Novembro: Ritual dos Eguns. Atrações turísticas Construções Históricas: Casario: Matriz do Santo Sacramento (1715), Igreja de São Lourenço (1610), casario do século XVII, Forte de São Lourenço (1647) – Praia do Forte. Igrejas: Capela de Nossa Senhora da Piedade (1622): Praça da Piedade (Itaparica); Matriz de Vera Cruz (1560): Ruínas – Baiacu; 21 km. Passeio: De barco: Pelo "Pantanal Baiano", passando por mangues, praias desertas, Rio Jaguaripe e fontes de água doce – tel.: (71) 637-1270. Como ir Como chegar: O melhor acesso até a cidade de Itaparica é feito por barco que parte regularmente do Terminal São Joaquim, em Salvador. Existem, também linhas de ônibus que chegam até a cidade vizinha, Bom Despacho. Segue o site da Agerba, onde vocês podem consultar horarios e tarifas: http://www.agerba.ba.gov.br/ferryBoat/ferryPrincipal.htm Estradas: Acesso direto pela BR-324. Abraço a todos! Liliane
×
×
  • Criar Novo...