Ir para conteúdo

Inglaterra : Londres e algumas outras cidades


Posts Recomendados

  • Colaboradores

Inglaterra : Londres : Natural History Museum e o Terremoto!

 

No mesmo dia que fomos na Harrods, antes tínhamos ido no no Natural History Museum, um dos maios famosos museus de Londres. E o bom é que é de graça!

 

O museu é dividido em categorias e possui mais de 70 milhões de itens em exibição! Além de um museu, é um dos mais renomados institutos de pesquisa e conhecimentos de taxonomia. Mas um dos pontos altos do acervo são os esqueletos de dinossauros. Existe uma galeria especial para eles! Eu infelizmente já sabia que esta galeria estava fechada para reformas e, infelizmente, só pude ver o grande Diplodocus que preenche todo o hall central. É realmente GIGANTE.

 

Sem esta galeria, o museu acaba perdendo um pouco a graça. De maneira geral, achei as peças meio velhas, muito desgastadas, parecendo com aquelas dos laboratórios de colégio, que só tem uma cobra e um rato dentro daqueles vidros com formol. Se bem que os bichos dentro dos vidros lá eram bem mais interessantes!

 

O que salvou a tarde foi a sessão dos animais empalhados. Tem bicho ali que eu nem sabia que existia! Sem falar naqueles que você sabe que existe mas que dificilmente viu algum na sua frente! Viu no máximo no Discovery Channel. É interessante vê-los, mesmo que com aquele ar plastificado.

 

Uma das galerias que mais me chamou a atenção foi a Earth (Terra). A entrada dela é bem bonita, você pega uma escada rolante e entra literalmente no centro da Terra.

 

Além de possuir ares de ser a mais nova, possui algumas salas bem interessantes, incluindo a do terremoto, que simula um em um supermercado cenográfico. Mas acho que o terremoto é bem fraco, pois nem parecia que estávamos nos movendo. Se bobear as arquibancadas do Maracanã balançam mais. Dá uma olhada no vídeo que o HC fez no blog dele: AQUI.

 

No museu existem também outras exposições, mas estas já são pagas e eu não me animei de conhecer.

 

Mas mesmo que não existisse nada dentro do edifício que abriga o museu, a visita valeria a pena. A arquitetura do prédio é magnífica. O que não poderia deixar de ser, já que foi construída no ostentoso período victoriano. Tanto a fachada quanto o hall de entrada são ornados em diferentes tons de terra cota, representando o passado e o presente da diversidade da natureza.

 

Quem estiver planejando visitar o Natural History Museum, seguem algumas informações importantes:

 

.Site Oficial: http://www.nhm.ac.uk/

 

.Horário: de segunda a sexta-feira, das 10am as 5.50pm

 

.Valor: Grátis

 

.Endereço: Cromwell Road - London SW7 5BD, UK.

 

.Estação de Metrô próxima: South Kensington

 

.Outras atrações próximas: Science Museum e Victoria & Albert Museum.

 

Veja o post com fotos em:

http://www.digoabordo.com/2011/09/inglaterra-londres-natural-history.html

 

[Continua]

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Respostas 27
  • Criado
  • Última resposta

Mais Ativos no Tópico

  • Colaboradores

Inglaterra : Londres : Pubs & Clubs

 

Ninguém vive só de museu né? Quer dizer, os bibliotecários, museólogos, arquivologistas e afins provavelmente devem viver, mas eu não! (Que estes profissionais não me ouçam, só estou brincando!)

 

Seja num pub ou num club, o que não falta são boas opções para tomar um famoso pint londrino.

 

Mas que diabos é um pint?

 

Um pint, para a surpresa de muitos (inclusive a minha), é nada mais que um sistema de medidas, tal como o sistema métrico decimal, que tem como unidade básica o METRO. Mas neste caso, o PINT é esta unidade básica. Seria mais ou menos como dizer que você foi para o boteco e bebeu 2km de chopp!

 

Existe uma variação entre os países que o adotam, mas, para resumir, um PINT equivale a 500ml, ou seja, beber um pint significa que você bebeu 500ml de chopp! Simples assim…

 

Voltando aos pubs e clubs:

 

Eu fui em alguns muitos pubs durante estas duas semanas em Londres, mas sinceramente, nenhum que valha a pena indicar. Não porque sejam ruins, mas porque basicamente todos eles são praticamente iguais: servem as mesmas bebidas, oferecem as mesmas comidas (não deixe de comer um Fish & Chips, que nada mais é que filé de peixe com batata frita) e possuem o mesmo esquema: peça no balcão e pague antes de consumir.

 

Mas se, mesmo assim, você quiser conhecer alguns pubs mais tradicionais, veja a lista que o site Visit London fez com os 10+!

 

Quanto aos clubs, fui a uns 3 ou 4 e, mesmo esquema: mesmas músicas, mesmas bebidas e mesmo esquema: peça no balcão e pague antes de consumir.

 

Ministry of Sound:

 

Um dos clubs mais conhecidos de Londres. Ficou em quarto colocado no ranking 2010 dos melhores clubs da DJ Magazine. Ambiente agradável, música boa, bebida cara e público infanto-juvenil. Se seu público é esse, não deixe de ir! Fica em, uns 10 minutos da estação Elephant & Castle, um pouco longe do centro mais movimentado.

 

 

Já na região do West End é onde ficam os principais teatros, muitos pubs, restaurantes e clubs. Naquela região fica a Leicester Square, uma praça que fica muito próxima as conhecidas Trafalgar Square, Piccadilly Circus, Covent Garden e Cambridge Circus. Quando não sabíamos pra onde ir a noite, era pra lá que íamos. E lá fomos para 2 clubs:

 

Metra Club

 

Muito próxima da estação Leicester Square, é um club sem muito o que falar. A música foi boa e a bebida era mais barata que nos outros lugares. Estava bem vazia, mas nos divertimos bastante.

 

Bar Rumba

 

Esse bar foi indicação de um nigga que conhecemos na rua. Queríamos ir numa night hip hop e nos disseram que lá era o lugar. Assim que chegamos, nos assustamos. O lugar parecia meio pesado, quase o Brooklin americano. Percebemos que era o ponto de encontro dos guetos, tanto dos negros, quanto dos asiáticos, quanto dos malucos. Não somos negros nem somos asiáticos. Então nos juntamos ao grupo dos malucos e a noite se tornou mais um club que todas as mesmas músicas, tem as mesmas bebidas e blá blá blá.

 

 

Ah, uma dica. Uma das minhas amigas tinha remédios na bolsa, tipo dorflex ou engov, e ficou quase 20 minutos barrada em um dos clubs. Os seguranças chamaram o médico de plantão para ele identificar os remédios, mas como estavam em Português, demorou um pouquinho pra liberar (no Brasil só vejo médico na balada ou em grandes eventos ou mais bêbados que eu!).

 

 

Sinceramente não achei a night londrina tão boa quanto eu imaginei que fosse. Os lugares são sempre muito parecidos, com pouca criatividade na decoração, mesmas bebidas e tudo mais. A sorte é que eu fui com um grupo de amigos bem animado, então qualquer lugar que fôssemos se tornava divertido.

 

Para quem está indo se jogar na night londrina, um bom site para acompanhar as boas é o Lost in London. Eles cobrem as festas por lá, no mesmo esquema do Brasil, com direito a fotógrafo e foto no site depois!

 

Veja o post com fotos em:

http://www.digoabordo.com/2011/09/inglaterra-londres-pubs-clubs.html

 

[Continua]

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Colaboradores

Inglaterra : Londres : O Palácio de Buckingham e a Troca da Guarda!

 

Ir a Londres e não ver a troca da guarda é igual a ir ao puteiro e pedir um abraço! Na minha opinião, é uma das paradas mais sem graças que existe. Mas TEM que fazer! Tudo bem, é legal ver os guardinhas com aquele chapéu estilo Marge Simpson, mas só isso!

 

A troca acontece em dos palácios, no de Windsor, que eu também fui e no de Buckingham. Pra quem está em Londres, a troca da guarda acontece em frente ao Palácio de Buckingham, residência oficial do monarca britânico, posto atualmente da Rainha Elizabeth II. Ai você imagina que vai ser um palácio saído de um conto de fadas. Não, o Palácio de Buckingham é tão sem graça quanto a própria troca. Chega a ser feio. Foi eleito uns dos prédios mais feios de Londres em uma pesquisa realizada em 2005. Mas também TEM que conhecer, né?

 

Ah, uma curiosidade! Eu me perguntava: por que o marido da Rainha Elizabeth II se chama Príncipe Philip e não Rei Philip? Vamos lá: na linha de poder, o Rei é mais importante que a Rainha. Se o Philip, que não faz parte da linha de sucessão do trono britânico , ganhasse o título de Rei, ele seria mais importante que a Rainha. Portanto, ele só pode ser príncipe, ou duque, ou qualquer outro título inferior ao de Rei. Parece óbvio agora, né? Mas tive que pesquisar pra me ligar. Detalhe: o cara fez 90 anos este ano e está inteiraço!

 

Bom, voltando a chatice da troca da guarda e a feiura do Palácio de Buckingham…

 

Então a minha dica é essa: enfrente a multidão que se acotovela para ver a troca e mate dois coelhos com uma cajadada só! A primeira coisa que vão te perguntar quando você voltar de Londres é: "viu a troca da guarda? E foi no Palácio?" Pra evitar que você responda NÃO as duas perguntas e que as pessoas pensem: "Mas que que ele fez em Londres então?", vá!

 

E agora vocês pensam: acho que ele está de mau-humor hoje. Só tá metendo o pau!

 

Mas nos arredores do Palácio existem coisas interessantes para se fazer, para que você não perca totalmente o dia! Uma delas é o St. James Park, um parque relativamente pequeno, comparado com o famoso Hyde Park, mas que tem todo um charme. É o mais antigo parque real em Londres e é um bom lugar para sentar na grama, abrir uma toalha e fazer aquele picnic. Atrás do palácio, existe o Green Park, outra opção para quem gosta de verde. É naqueles arredores também que estão dois outros edifícios reais: o St. James Palace, o mais antigo palácio real e o Horse Guards, onde se pode visitar e conhecer os cavalos reais.

 

Vale lembrar que também existem algumas alas do complexo do Palácio de Buckingham que podem ser visitadas (pagando bem, que mal tem?), incluindo alguns quartos reais, o estábulo e as carruagens reais e uma galeria da Rainha. Mas atenção, a visitação é liberada somente em alguns períodos do ano. No mês que eu fui estava fechada! Talvez lá dentro o prédio seja bem mais bonito e valha a pena a visita!

 

Informações importantes da Troca da Guarda

 

Horário: 11:30 am.

 

Dias: depende. Consulte no site oficial da troca, já que há mês que é todo dia, há mês que é dia par e outros dia ímpar.

 

Veja o post com fotos em:

http://www.digoabordo.com/2011/10/inglaterra-londres-o-palacio-de.html

 

[Continua]

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Colaboradores

Inglaterra : Londres : London Eye!

 

Na primeira vez que fui a Londres, eu mal tinha dinheiro para pagar hotel, que dirá me dar ao luxo de andar em uma roda gigante! Mas desde aquela época eu tinha vontade, até fiz um vídeo fingindo que eu tinha ido pra mostrar pra galera! Então dessa vez eu nem pensei duas vezes: já comprei o ticket pela Internet e reservei uma data para ela!

 

A London Eye possui 135 metros de altura e foi inaugurada em 1999, numa das margens do Rio Tâmisa. Na altura, era a maior roda gigante do mundo! Hoje em dia já foi superada pela Singapore Flyer, que possui 165m. Mas com certeza nenhuma outra possui uma vista tão bonita, de uma cidade tão encantadora!

 

Seus mais de 3,5 milhões de visitantes anuais a tornam a atração turística paga mais famosa do Reino Unido!

 

Vamos repetir:

 

Seus mais de 3,5 milhões de visitantes anuais a tornam a atração turística paga mais famosa do Reino Unido!

 

Agora calcula: um ingresso da London Eye custa em média 18 pounds. Melhor nem calcular né? O que essa roda gigante rende em um dia deve ser toda a renda de todas as rodas gigantes de todos os parques de diversões do Brasil. Incluindo os clandestinos!

 

De lá de cima, você tem uma visão privilegiada de grande parte da cidade. Logo ali está o Parlamento e o famoso Big Ben e a Abadia de Westminster, palco de grandes acontecimentos da coroa britânica! Do outro lado, a London Bridge e a Torre de Londres. Tudo ali a sua vista, parecendo miniatura. Aproveite cada segundo, pois por mais lento que a roda gire, os 30 minutos da volta completa acabam mais rápido do que você possa imaginar. Quem não queria passar uma tarde toda ali em cima?

 

Agora fica a dica: MIND THE GAP. A roda não para e o momento da saída pode acabar em um belo tombo e algumas boas risadas.

 

Já em terras firmes, partimos para desbravar tudo aquilo que vimos lá de cima, e a primeira parada seria no Houses Of Parliament, onde fica o tão conhecido Big Ben.

 

Mas isso fico para o próximo post!

 

Dica: Acesse o site da London Eye para comprar seu ticket com antecedência. Vocês leram lá em cima, né? A London Eye é a atração paga mais famosa de Londres, portanto, as filas podem ser intermináveis! Além disso, no site você pode comprar ingressos combinados com algumas outras atrações de Londres, o que te faz economizar alguns pounds valiosos!

 

Veja o post com fotos em:

http://www.digoabordo.com/2011/10/inglaterra-londres-london-eye.html

 

[Continua]

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Colaboradores

Inglaterra : Londres : Palácio de Westminster, Big Ben e Abadia de Westminster!

 

Após observar tudo de cima da London Eye, descemos e fomos conhecer um dos mais importantes pontos turísticos de Londres: o Big Ben. Mas infelizmente não vimos. E muita gente que diz que viu, é mentira! Por quê?

 

Porque na verdade o Big Ben não é o belo e gigante relógio de 4 faces todo decorado, e sim o sino que badala de hora em hora mas que ninguém vê. Como diria o Jack Estripador (que por sinal vai ser assunto de algum próximo post!), vamos por partes:

 

O Big Ben é o sino principal que fica no topo da Torre do Relógio que faz parte do Palácio de Westminster, também conhecido como Houses of Parliament.

 

Entendido ou quer uma foto? Ok, uma foto!

 

VEJA NO BLOG: http://www.digoabordo.com/2011/10/inglaterra-londres-palacio-de.html

 

Confusões e brincadeiras a parte, todo o complexo é muito bonito. O palácio é composto pela Câmara dos Comuns e Câmara dos Lordes, que juntos formam o Parlamento Britânico. Nem muitos sabem, mas é ali dentro que são feitas as leis e tomadas as decisões que afetarão o destino do país! E pouquíssimos sabem que, SIM, se pode visitar e assistir a uma das sessões. Os residentes tem alguns privilégios, mas os turistas também tem sua vez! Acesse o site oficial para verificar os dias disponíveis!

 

A arquitetura do complexo é lindíssima. Construída no inegável estilo gótico, os detalhes lhes saltam as vistas e parece que o edifício quer tocar o céu!

 

A Torre do Relógio possui quase 100 metros de altura e abriga a parte visível do relógio. As vezes você pode não se dar conta, mas é realmente muito grande! Para você ter uma ideia, o ponteiro das horas possui 2,7 metros e o dos minutos 4,3m!

 

Dica: caminhando em direção oposta ao relógio, existe um parquezinho dentro do complexo que se pode entrar sem pagar nada. Não tem nada demais, mas é um bom lugar pra se tirar uma bela foto!

 

Então já sabe: quando alguém falar que viu o Big Ben, tire onda e diga: não, você não viu. Você ouviu.

 

De lá, partimos rumo a Abadia de Westminster. Fica a pouco menos de 5 minutos caminhando e é outro dos grandes pontos turísticos de Londres. A abadia, fundada em 960, foi e ainda é palco de muitos dos casamentos reais, inclusive o do Príncipe William, e muitas coroações. Desde a coroação de Guilherme o Conquistador, neste local, em 1066, a Abadia tem sido a igreja da Coroação da nação. É também o local de sepultura e de memorial para muitas figuras históricas dos últimos mil anos da História britânica.

 

Possui o mesmo estilo arquitetônico que o Palácio de Westminster, o gótico. Neste caso, um dos detalhes mais famosos deste estilo, os arcos, estão bem evidentes. Também se pode visitar, acesse o site oficial da abadia (em português!) para saber os horários, já que a mesma ainda funciona como um local religioso e possui programação de missas.

 

Mas pera aí, você, que adora esbanjar conhecimento (muitos deles adquiridos na wikipedia!), não vai explicar qual a diferença de abadia para catedral?

 

Claro, isso vinha agora:

 

Uma abadia é uma comunidade religiosa, sendo um monastério ou um convento supervisionado por um abade ou uma abadessa. Uma igreja que já foi parte de um monastério ou um convento também pode ser considerada uma abadia, que é o caso da Abadia de Westminster.

 

Já uma catedral é a principal igreja de um bispo. Ou simplesmente uma grande igreja!

 

Viu? Digo a Bordo também é cultura!

 

Veja o post com fotos em:

http://www.digoabordo.com/2011/10/inglaterra-londres-palacio-de.html

 

[Continua]

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros

kkkkkk, Véio, to rindo até agora das trapalhadas...

 

Um dos melhores relatos de viagem que li aqui nessa comunidade, parabéns, textualmente muito bem explicado, esmiuçado, e detalhado.

 

Se eu tivesse lido isso antes, teria feito minhas reservas de forma diferente. Vou pra UK, mas ficarei em Manchester, e vou pela EF, e ficarei em casa de família tb., Reservei 3 dias pra Londres en hostel, mas ja esta me dando vontade de procurar um hotel, pois tenho certeza que vou me incomodar, e meu sangue é latino, igual ao teu, ferve rápido.

 

Muito bem descrito, chego nas terras da Rainha no final do mês agora, temporada de 40 dias. God Save the Queen, e eu também, pois morar com estranhos pode até ser divertido, empolgante, culturamente falando bom, mas tem lá muitos perrengues.

 

Basicamente, fiz tudo pela internet, tb, só não comprei o London Eye, mas pretendo.

 

Vou pegar umas dicas contigo ...

 

abs..

Parabens

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Colaboradores

Inglaterra : Londres : Chicago e os musicais de Londres!

 

Londres é uma cidade com inúmeras atrações noturnas, principalmente no quesito entretenimento. Na região do West End, que já foi citada aqui anteriormente com algumas dicas de clubs, ficam muitos dos principais teatros, bares, cinemas e restaurantes da cidade. Infelizmente nunca fui a Broadway americana, mas de alguma maneira aquele lugar me fez lembrar de lá! E exatamente por isso, fiquei com vontade de assistir um musical. E a escolha não poderia ser mais apropriada: CHICAGO.

 

Comprei os tickets antecipadamente no http://www.westendtheatrebookings.com/ e depois de muita pesquisa! Consegui ingressos na ala superior (que tem uma excelente visão), na segunda-fila, por 40 pounds! Existem vários sites que fazem estas vendas e a maioria deles possui preços diferentes uns dos outros! A variação pode chegar a mais de 30 pounds! Mas se você for comprar tickets, pesquise antes!

 

Chegamos com uns 20 minutos de antecedência no Cambridge Theatre, tiramos umas fotos na porta, trocamos nossos tickets e nos sentamos! O teatro é um dos mais novos daquela região. Foi inaugurado em 1930 e restaurado em 1986. É relativamente pequeno perto do que eu imagine que seja a Broadway, mas isso acaba criando um ar mais intimista a apresentação.

 

Se você já ouviu falar da pontualidade britânica, viu que ela foi contestada por mim em um outro post. Mas dessa vez, ela funcionou! As cortinas se abriram exatamente as 8pm.

 

O espetáculo é sensual (e não sexual), as músicas são muito boas e o elenco é excelente, com uma magnífica atuação das atrizes que fazem as personagens principais. A história gira em torno destas duas showgirls, Velma and Roxie, que não medem esforços para atingir a fama, nem que seja necessário matar para subir ao estrelato! As quase duas horas e meia de show, com um intervalo de 15 minutos, passaram voando!

 

Provavelmente você já viu o filme. Por incrível que pareça eu não tinha visto, mas mesmo assim, mesmo que com meu Inglês bem meia-boca, consegui entender todo o contexto.

 

Se você não curtiu a ideia de ver Chicago, relaxa! O que não faltam são boas opções, que vão de clássicos como Os Miseráveis e Fantasma da Ópera, até os infantis (infantis?), como O Rei Leão e Shrek.

 

Ah, mais uma dica: é proibido tirar fotos dentro do Teatro, mesmo que antes ou depois do espetáculo. Ta aí a foto que não me deixa mentir. Reparem na mulher com a mãozinha do lado direito!

 

Mas nada que um celular com câmera não resolva o problema! Mas seja discreto, por favor.

 

Veja o post com fotos em:

http://www.digoabordo.com/2011/10/inglaterra-londres-chicago-e-os.html

 

[Continua]

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Colaboradores

Inglaterra : Londres : Entrando numa fria no Ice Bar!

 

Ainda no clima noturno, uma outra excelente opção de um passeio diferente é ir no Ice Bar. Sim, é um bar de gelo!

 

A ideia é que você entre em um ambiente onde as paredes, o bar, as mesmas e até mesmo seu copo é feito totalmente de gelo!

 

O Ice Bar é o único bar permanente feito de gelo em todo o Reino Unido. E olha que este gelo não é qualquer um! Ou você acha que eles fazem tudo aquilo no freezer e com forminhas de plástico? Claro que não! Todo o gelo que está lá vem de longe, de um rio congelado ao Norte da Suécia. Dizem que a pureza deste rio é única no mundo! Incrível né? Cada ano os designers e escultores de gelo constroem um cenário diferente!

 

Antes de entrar, eles te dão uma capa térmica com direito a capuz e luva para que você consiga suportar os 5 graus negativos do interior do bar! Você tem direito a ficar 40 minutos lá dentro. É pouco? Fique tranquilo, faz tanto frio que dentro de no máximo 15 minutos você já vai sentir seu nariz ficando gelado. Se for fraco pro frio, vai procurar logo a porta de saída! Detalhe: Esse bar não é para você se embebedar, já que as bebidas são bem caras. Curta o momento com seus amigos, tire bastante foto e pronto, vai se embebedar em outro!

 

Quando você faz a reserva (é muito concorrido!), terá que escolher entre um drink simples ou uma taça de champanhe! Óbvio que champanhe é mais caro e óbvio que nós escolhemos a champanhe (que metidos!). A tal taça a que me referi é um copo de gelo, que você vai quase deixar cair por várias vezes. Imagina segurar um copo de gelo, escorregadio, com uma luva? Ah, detalhe: se você quebrar seu copo, terá de pagar 4 pounds! Portanto, CUIDADO. Mas pior que segurar o copo, é tirar foto! Ai não vai ter jeito, você vai precisar ser forte e tirar a luva!

 

A ida neste bar não estava nos planos, mas valeu muito! Pena que não pude trazer um copo de souvenir! (Os motivos pelos quais não pude trazer o copo são óbvios né?)

 

Informações Úteis:

 

O Absolut Ice Bar fica em uma viela meio escondida em uma transversal a Regent St, na rua Heddon St. O metrô mais próximo é o Oxford Circus.

 

Não chegue atrasado ao horário agendado. A sessão é pontual e se você chegar 5 minutos antes de terminar seu horário, só vai poder ficar lá dentro 5 minutos! Um amigo se atrasou e não teve desculpa!

 

Do lado de fora do bar de gelo funciona um restaurante comum, chamado Below Zero, onde você pode aproveitar e jantar ou simplesmente tomar um outro drink para aquecer! Em frente ao bar, existem diversas opções de restaurantes super refinados e a um preço não tão salgado!

 

Para reservar, acesse o site http://www.belowzerolondon.com/icebar-booking.php.

 

P.s.: Não inclui a dica deste bar no post sobre os Pubs & Clubs pois o Ice Bar é praticamente um ponto turístico e não um bar, né?

 

Veja o post com fotos em:

http://www.digoabordo.com/2011/10/inglaterra-londres-entrando-numa-fria.html

[Continua]

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Colaboradores

Inglaterra : Londres : Notting Hill & Portobello Market

 

Se você tem tempo sobrando em Londres, uma boa opção de passeio é ir até o bairro chamado Notting Hill. O bairro ganhou popularidade mundial após o sucesso dos cinemas com o filme que leva seu nome, Notting Hill, estrelado pela Julia Roberts e pelo Hugh Grant. O filme foi rodado quase que em sua totalidade por lá, então é comum encontrar fãs tirando fotos nos locais de filmagens, como a tal porta azul do flat do Will, personagem do Hugh Grant, que já foi pintada de preto, ou até mesmo sua livraria, que hoje é uma loja de sapatos. Se você é uma menina apaixonada e que chorou horrores comendo uma panela de brigadeiro assistindo ao filme, a visita é imperdível. Se você é o namorado dessa menina, boa sorte!

 

O bairro em si não tem nada demais (as meninas vão me matar!). É bonitinho, agradável, charmoso. E só. Muitos outros bairros de Londres são bem parecidos. Mas tudo bem, por ser um bairro famoso, vale a visita.

 

É na sua rua principal, a Portobello Road, que funciona o Portobello Market. Lá a rua está dividida em três seções: a primeira, é a sessão de artigos de antiguidade e colecionadores. Eu me amarrei em várias peças, que iam desde antigas placas publicitárias de cervejas e refrigerantes a miniaturas de carros antigos e tudo o mais! Deixei para comprar alguma coisa na volta!

 

A segunda seção da rua é onde estão os restaurantes. Preferi passar direto e ir para a terceira e última parte, a das lojas de roupas, tanto novas quanto de segunda mão. Não espere ir lá para comprar roupas muito comuns, normalmente você encontrará roupas mais descoladas e estilosas, muitas vezes feitas quase que de maneira exclusiva, o que é excelente! E o preço é bem convidativo! Mas se você prefere lojas mais conhecidas, também encontrará boas opções. Uma delas é a All Saints, que consegue ser transada e clássica ao mesmo tempo. Um exemplo disso é que ela usa em sua decoração um monte de máquinas de costura e já disponibiliza todo o catálogo da loja em iPads que ficam junto das roupas.

 

De todas as lojas que eu passei, uma me chamou a atenção pelo seu colorido. Entrei e fui impregnado por um cheiro maravilhoso. E pra completar, a simpatia quase que milagrosa da vendedora me conquistou. A loja, que se chama Lush, era de produtos artesanais de higiene e beleza e possui toda uma preocupação com a natureza. A vendedora me demonstrou vários produtos, testou sabonetes na minha pele e me deu de presente um potinho de creme. E olha que eu ainda não tinha comprado nada. Acabei comprando algo, não só em forma de agradecimento, mas também porque valia a pena! A moça ainda comentou que um dia já houve uma filial dessa loja no Rio, mas que havia fechado por não ter ido bem. Não consegui confirmar essa informação, mas se for verdade, é uma pena.

 

Como eu disse, deixei para comprar alguma peça dos antiquários na volta da caminhada. E para minha surpresa e tristeza, as lojas já estavam fechadas. Pois é, se você pensa que está em Londres, uma das maiores cidades do mundo, e que ela não fecha, você está enganado! Tanto as lojas, quanto os museus e atrações de Londres, sejam em Notting Hill, sejam em qualquer outro bairro, começam a fechar as 5 da tarde e as 6 já estão quase todas de portas arriadas. Salvo algumas raras exceções (uma delas é a Oxford Street, grande centro de compras, mas que ficará para um outro post).

 

Sai de lá com vontade de voltar. Confesso que não por causa do glamour do filme, mas sim por causa da plaquinha de ferro que anunciava a Coca Cola nos anos 30, que deixei ficar no Antiquário. Mas quem sabe um dia eu volte lá e compre.

 

Ah, vale lembrar que o bairro sempre foi e continua sendo um bairro das minorias: negros, indianos e afins. No filme essa realidade foi mascarada e os figurantes eram todos branquinhos e bonitinhos.

 

E agora faço uma súplica: POR FAVOR, eu sei que ninguém é obrigado a falar Inglês, mas o filme e o bairro se chamam NOTTING HILL, com dois T´s, e não NOTHING HILL. Combinado? Obrigado!

 

Veja o post com fotos em:

http://www.digoabordo.com/2011/10/inglaterra-londres-notting-hill.html

 

[Continua]

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa

Você pode postar agora e se cadastrar mais tarde. Se você tem uma conta, faça o login para postar com sua conta.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.


×
×
  • Criar Novo...