Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Perez

China e Coréia do Sul: 3 meses

Posts Recomendados

Oi gente

 

Em março de 2011 fui a China e Coréia do Sul, totalizando 3 meses de viagem. Fui sozinho, como sempre.

 

Paguei 3000 reais em um voo da Airfrance Rio-Beijing-Rio, com escala em Paris.

 

Visto: Foi bem fácil e direto. Fiz pelo consulado de São Paulo, bastou preencher o formulário, pagar a taxa, levar 2 fotos e em dois dias estava pronto. Visto para duas entradas de 30 dias cada. Parece que agora está mais complicado.

 

O aeroporto de Beijing me pareceu como um aeroporto brasileiro, com várias pessoas disputando sua atenção por um taxi. Fui pra fora do terminal e peguei um taxi na frente mesmo. Eu tinha o nome e o endereço do hostel impresso em chinês (é importante ter isso!!) e dei o papel pro motorista que me levou até lá. A corrida custou ~100 yuan.

 

Fiquei em um hostel chamado Emperor´s Guesthouse. Era um prédio histórico belíssimo. Como estava na baixa temporada, tive um quarto por 40 yuan! Altamente recomendado. Próximo a estação de metrô Qianmen, estava a uns 10 minutos de caminhada até a praça Tiananmen. Ótima localização. Na mesma rua tinham outros hosteis e guesthouses, e restaurantes e lojas de souvenirs.

Passei uns 15 dias em Beijing, cidade que precisa de no mínimo 7 para conhecer. As 5 grandes atrações imperdíveis são a Cidade Proibida (também chamado de Palace Museum), Palácio de Verão, Templo do Céu, Templo do Lama e, é claro, a Grande Muralha. Também vale a pena conhecer o museus de arquitetura, a torre do tambor e a do sino, o 798 Art Zone, uma antiga fábrica ocupada por diversas galerias de arte ou simplesmente passear pelo hutongs, ruazinhas e vielas tradicionais da cidade. Metrô e ônibus são baratos e funcionam bem.

É possível ir à Muralha por conta própria, de ônibus. Mas fui com um tour organizado pelo hostel. Foi mais caro mas valeu muito a pena. Fomos a uma parte da Muralha que eles chamavam de "secret wall". E devia ser mesmo secreto, já que nosso grupo era o único ali. Minhas fotos da Muralha não estão infestadas de outros turistas!

 

Peguei o trem noturno para Xangai. Fui na classe mais barata, chamada de "hard seat". Foi como viajar por 12 horas de metrô na hora do rush! Não foi confortável mas foi divertido, eu era o único ocidental no vagão e todos vinham falar comigo, mesmo sem entender nada! Por sorte um grupo de estudantes estava do meu lado e iam traduzindo as conversas.

Chegando lá, me hospedei no Rock & Wood Hostel, um dos melhores hostels que já vi na vida! 45 yuan em dormitório. Limpíssimo, arrumadíssimo, tudo perfeito. Perto do metrô também.

Xangai é a cidade mais rica e mais ocidentalizada da China e não fiquei muito impressionado. Mas a comida é ótima (mais sobre isso no fim) e vale a pena conhecer Nanjing Rd, o Bund, as torres de Pudong, o museu da propaganda e o impressionante Museu de Xangai. Embarquei no trem-bala para Qingdao.

 

Qindgao é uma cidade fundada/colonizada por alemães e sua arquitetura é de uma típica cidade germânica, com catedral e tudo! Fiquei em um hostel chamado Old Observatory que, como diz o nome, era um observatório astronômico, e o barzinho do hostel é na cúpula do telescópio. Bom lugar, apesar da localização distante.

A cidade é onde se fabrica a famosa cerveja Tsintao, que é outra maneira de escrever o nome da cidade. É possível conhecer a fábrica, mas não fui. A comida dos mercados é excelente. Depois de 6 dias na cidade, vi que meu visto ia expirar. Hora de sair do país...

 

* * *

 

Existe um ferry que liga Qingdao à Coréia do Sul mas, apesar de não precisarmos de visto para o país, parece que brasileiros não podem chegar lá de barco, só de avião! então tive que comprar um voo para Seul. Na capital coreana fiquei no Backpacker Friends Guest House, no bairro de Hongdae. Esse hostel fica no 4o andar de um prédio e é barato, limpo e com cozinha - parecia um apartamentinho de um amigo. Hongdae é o melhor lugar pra ficar em Seul! Passei quase um mês inteiro na cidade.

Museu Nacional da Coréia, museu da guerra, mercado de peixes Noryangjin, N-Tower, Gyeongbokgung, prisão Seodaemun, Zona desmilitarizada e JSA são imperdíveis. Também passei o aniversário de Buda lá, com festival e paradas nas ruas. A vida noturna é agitada e a comida é ótima!

 

Comprei um voo baratíssimo para Jeju, uma ilha no sul do país, pela JejuAir. Na ilha, o transporte é meio complicado (tem que pegar ônibus caros para todo lugar) mas vale a pena conhecer. Fiquei no Hani Guesthouse, excelente hotel convertido em hostel. A ilha tem praias bonitas, e vale a pena fazer a trilha até a cratera do vulcão!

 

Voltei a Seul e depois à China.

 

* * *

 

Passei uma noite em Qingdao, uma noite em Xangai e embarquei no trem para Guilin. Dessa vez fui na classe "hard sleeper", que é o melhor custo/benefício, confortável e barato. Achei uma cama no Wada Hostel por 25 yuan. Bem razoável, perto do parque. De Guilin, fazia daytrips para Yangshuo, uma cidade belíssima, mas já bem turística. Fiz um passeio de barco e vi aquelas paisagens de filmes de kung-fu.

 

De Guilin tomei um trem para Luoyang. Dessa vez foi "soft sleeper", de cabine fechada para 4 pessoas. Custou uma fortuna!

Luoyang foi uma grata surpresa. Cidade pequena (para padrões chineses), fiquei no Yijia youth hostel. Ótimo lugar e ótimas pessoas.

Imperdível conhecer as grutas Longmen! Os Budas gigantes escavados na rocha são impressionantes! O museu da cidade e o templo do cavalo branco são indispensáveis. Próximo a Luoyang também está o famoso Templo Shaolin. Mas não fui, era caro e achei difícil de chegar.

 

De Luoyang fui a Xi´an. A cidade é fascinante! Era o final (ou início) da rota da seda e a mistura de culturas impressiona. Chineses han, uigures, mongóis, muçulmanos... tem de tudo. Xian é parada obrigatória na China, graças ao Exército de Terracota. Os hosteis oferecem tours mas fui por conta própria, mais barato e não tem mistério, o ônibus é direto.

Fiquei hospedado no Shuyuan Hostel, ao lado do Portão Sul, na parte de dentro - Xian é uma cidade murada. 55 yuan por noite e o lugar é muito bom, grande e com várias atividades + um bar com direito a uma cerveja grátis por noite.

Há muito o que fazer em Xian: dar uma volta na muralha de bicicleta, conhecer a Grande Mesquita, o mausoléu do imperador Qin Shi Huang, os dois "Wild Goose Pagoda" (o grande e o pequeno), dança, música e karaoke na praça com os locais, a torre do tambor e a do sino, vários mercados etc. Passei mais de 15 dias na cidade, foi um dos pontos altos dessa viagem.

 

Voltei para Beijing só para fazer compras no Silk Market e no Pearl Market e voei de volta para o Brasil.

 

* * *

 

Considerações finais:

 

1 - Comida: Comida chinesa não tem muito a ver com que está no menu do China in Box. De uma maneira geral era muita sopa de macarrão (noodles), fresco ou instantâneo, dumplings pela manhã (jiaozi e baozi), churrasquinhos de rua no espeto diversos (os muçulmanos fazem os melhores que já comi na vida). Tem que comer o famoso pato a Pequim. Tudo é bastante apimentado pro nosso paladar mas dá pra se acostumar. Qualquer coisa basta dizer "Bu lá" que significa 'sem pimenta'.

A comida coreana é ótima mas também é apimentada. Em Seul é mais facil achar comida ocidental, japonesa e também muitos frutos do mar.

Em caso de emergência, McDonalds está presente em quase todas as cidades e os supermercados sempre tem coisas familiares.

 

2 - Idioma: Mandarim é um desafio mas não é impenetrável! E sempre havia algum chinês que falava alguma coisa de inglês e estava disposto a ajudar. Aprendi bastante.

Coreano é completamente impenetrável e pouquíssimos coreanos falam inglês! Mímica ajuda pouco...

 

3 - Segurança: Me senti absolutamente seguro em todas as cidades que visitei. Na China tem o famoso golpe da casa de chá, onde uma linda menina te convida para tomar um chazinho e a conta sai por 1000 reais, mas tem que ser otário pra cair.

Coréia é o país mais seguro do mundo! simplesmente não existe crime.

 

4 - Ipod Touch: Indispensável. Era meu computador de bolso, especialmente útil com e-mail e os apps de idiomas, dicionários, etc.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Muito legal sua viagem Perez, parabéns!!

Tbém estive em Beijing esse ano e adorei!

 

Gostaria de aproveitar e te perguntar sobre Jeju.

Pretendo viajar pra lá e queria te perguntar qtos dias vc acha necessário para conhecer a ilha e se seria interessante alugar um carro.

Vc foi na caverna da lava? e a trilha do vulcão é tranquila?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Oi!

 

Jeju é o destino favorito dos coreanos para lua de mel!

A trilha que fiz em Hallim Park (acho!) foi muito tranquila. O caminho era muito bem marcado e tem um trilhozinho de trem seguindo todo o caminho - usado para levar suprimentos pra lojinha e refúgio que ficam no topo. Algumas partes da trilha tem até um chão de madeira e degraus. Só faltava ter corrimão!!!

 

Quando eu fui, a parte final, o topo mesmo, estava fechada. Devia ser baixa temporada ou devo ter chegado tarde. Mas valeu mesmo assim.

 

Ainda tem uma outra cratera na costa, mas esqueci o nome. Essa é bem fácil de chegar, tem até fila.

 

Lembro também do Museu do Sexo, um parque com várias estátuas de pedra típicas da ilha e de fazer uma longa caminhada seguindo uns marcadores (setas e fitas amarradas em postes) nas ruas.

 

Recomendo o lugar que fiquei, apesar da localização complicada. Acho que a "cidade" mesmo está no sul da ilha.

 

boa viagem!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Muito bom o seu relato! Pena que não posso viajar em um ritmo tão lento quanto gostaria - ficar contando os dias e correndo de um lugar para o outro é muito ruim! Mas infelizmente, é o que eu tenho disponível.... Imagina 15 dias em Xi'An! Seria um sonho....

 

Mas gostei muito de ler a sua experiência, e acho que também vou me hospedar no Rock&Wood, em Xangai. Estava procurando um quarto duplo em um lugar legal e não muito caro, e acho que essa vai ser uma boa opção.

 

Fiquei com vontade de conhecer Qindgao. Mas acho que vai ter que ficar para uma próxima, assim como Guillin, Hong Kong, e muitos, muitos outros lugares...

 

Quando forem aparecendo outros dúvidas, te pergunto por aqui, ok?

 

Abraços!

 

Luiz

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Muito bom Perez, obrigado pelo relato.

 

Quanto foi que voce gastou +/- diariamente (alimentaçao, transporte, etc) em beijing e seoul?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Não foi nada caro.

 

Meu hostel em Seul custava 12000 won por noite. Isso dava uns 12 dólares na época. 1000 won = 1USD

 

Em Beijing meu hostel saí por 40 yuan, a diária. Uns 10 reais. 4 yuan = 1 Real

 

Para comer, gastava muito pouco na China. Lembro de um prato de macarrão com molho de amendoim (pelo menos tinha gosto de amendoim) que custava 4 yuan, ou seja, 1 real!! Em geral pagava mais, uns 20 yuan por refeição. Eu só comia na rua, mas nunca em restaurantes finos ou para turistas. Sempre explorava os mercados e restaurantes que serviam algo tipo um "PF".

 

Em Seul era um pouco mais caro, mas lembro de um restaurante que cobrava 7000 won por 2 filés de frango, arroz e salada, com água a vontade incluída (água é sempre grátis em ambos os países). Comi um bom combinado de sushi em Jeju por 15000. Era ótimo.

A vantagem era ter uma cozinha no hostel, assim eu ia no supermercado e comprava macarrão, atum enlatado, ovos, manteiga e tudo mais que um backpacker sabe cozinhar! Ficou tudo bem em conta.

 

Pra quem precisa economizar ainda mais, 'miojo' é o prato nacional dos 2 países e a variedade de sabores não tem igual no Brasil - não vem só com um sachê de pozinho, vem com 2, vários temperos, molhos etc. Vale a pena experimentar também.

 

E só pego taxi em último caso, só se for ABSOLUTAMENTE necessário. Eu sempre usava o transporte público que, em ambas as cidades, era barato e eficiente. Uma das minhas regras para escolher um lugar para ficar é ser próximo a uma estação de metrô. Essencial.

 

Esses valores tem mais de 1 ano. Lembre-se de levar em conta a inflação e a variação cambial.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

E quanto a alugar carro Perez? da pra fazer sem? como é o transporte em Jeju?

 

O preço do metro em Beijing parece até piada de tão barato. Sem falar que pegar táxi e enfrentar o trânsito caótico pode atrasar um pouco os planos né!!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Quanto à alugar carro, não faço a menor idéia - não sei dirigir!! Mas certamente é possível. Não sei nada a respeito dos custos e burocracia...

 

Na minha opinião, transporte público sempre é a melhor opção em grandes centros urbanos. Se você é carioca, fiquei tranquilo: nada é pior do que o que temos aqui no Rio!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Obrigado pelas informações Perez, acho que vou passar por esses dois países no ano que vem, China parece um lugar bem em conta pra se passar uns dias e conhecer a regiao.

 

Tava olhando esse hostel que voce indicou na Coreia e o lugar parece muito bom e por um preço ótimo tambem, a questão de localização dele é boa?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Ok... "muito bom" não é bem como eu o descreveria!

 

É um lugar bem simples, como um apartamento e 3 quartos, 2 banheiros, cozinha, não muito grande, no 4o andar de um prédiozinho com um restaurante no térreo.

 

Mas a atmosfera é ótima, o preço bem razoável e a localização perfeita! Então eu acho que vale a pena se hospedar aí sim.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora



×
×
  • Criar Novo...