Ir para conteúdo
rkoerich

Expedição fotográfica - Bolívia

Posts Recomendados

Bom, do dia 09 ao dia 18 de junho de 2006, foi promovido pelo fotografo e alpinista Tacio Phillip Sansonoviski, uma expedição fotográfica para a Bolívia. Eu e meu amigo Daniel Pará resolvemos embarcar nesta aventura.

 

Tentarei passar um pouco do que vi na Bolívia para que fique aqui, um registro da beleza do país e, convido também o Daniel a expor seu brilhante trabalho também neste tópico.

 

Foto oficial da viagem:

Bolivia062006855.jpg

 

Este é o grupo de fotógrafos que participou do safári.

 

A viagem foi toda organizada, visando a fotografia, por isso o nome de safári fotográfico, pois os roteiros e passeios foram desenvolvidos para tal.

 

Irei separar por dias para facilitar a visualização das imagens.

 

Dia 09:

 

Eu e Daniel partimos de Florianópolis no dia 09 pelas 07 da manhã e aguardamos os demais para checkin no aeroporto de guarulhos as 14 horas. Nosso vôo partiu as 16 horas através da Cia Aerosur com escala em Sta. Cruz de la Sierra, Cochabamba e por fim chegando ao destino, La Paz. Chegamos por volta da meia noite e fomos direto para o hotel.

 

Dia 10:

 

Segundo Tacio, este dia era livre. Para nos acostumarmos com a altitude, afinal são 3.800 metros de altitude e a cidade parece com ouro preto, é ladeira em cima de ladeira. Neste dia, 10 de junho, acontecia uma das maiores festas da Bolívia, a celebração da Festa de Gran Poder. Uma festa Pagã, onde várias religiões, desfilam vestidas tipicamente, com músicas tradicionais por toda a cidade. A festa foi das 8 da manha até as 11 da noite, e acreditem, não consegui uma foto decente sequer

 

Dia 11:

 

Juntamente com um transporte particular e um guia altamente qualificado, partimos todos juntos para conhecer o Vale de la luna.

 

Antes paramos em um mirante. Depois, foto da cerveja mais bebida na Bolívia.

bolivia_04.jpg

 

_MG_8416.jpg

 

 

O vale de la luna, é formado por um relevo excêntrico e arenoso, uma espécie de desfiladeiro. Enquanto passávamos pelo local, éramos agraciado com musica local tocada pela flauta de um índio.

_MG_8419.jpg

 

_MG_8425.jpg

 

_MG_8424.jpg

 

 

Na volta, paramos em vários mirantes, para podermos observar a peculiaridade das contruções de La Paz, onde a maioria de suas casas não tem reboco ou pintura.

 

_MG_8518.jpg

 

bolivia_02.jpg

 

_MG_8536.jpg

 

Huayna Potosi, montanha que fica aos arredores de La Paz.

_MG_8539.jpg

 

Lua cheia em La Paz. Fundo, monte Illimani.

_MG_8548.jpg

 

Dia 12:

 

Juntamente com nosso guia Juan, pegamos um microônibus e nos deslocamos para Tiwanacu. Um sitio arqueológico que fica aproximadamente a 1 hora e meia de La Paz. Acredita-se que lá foi o início da civilização, que de lá surgiu a humaniadade. Muitas evidências comprovam a evolução da espécie, uma verdadeira aula de história.

 

Este tipo de fotografia não é meu forte, então não tenho muitas fotos de lá.

 

_MG_8581.jpg

 

Essas cabeças, representam reis. Neste local, estudiosos sentavam e estudavam a astronomia.

_MG_8593.jpg

 

_MG_8596.jpg

 

Templo que é proibido fotografar.

_MG_8637.jpg

 

Daniel fotografando a base de propina

daniel.jpg

 

Após o passeio, fomos almoçar e o cardápio foi claro, carne de lhama.

 

Dia 13:

 

Este era o dia mais esperado por nós. O dia que iríamos subir o Chacaltaya, montanha com 5.410 metros, onde ficava situada a pista de sky mais alta do mundo, agora desativada. Se nos 3.800 metros de La Paz já era complicado caminhar o que dirá a mais de 5000 metros. Para um melhor desempenho, deixamos para escalar após o almoço, claro que teria que ser bem leve, então pela manha fomos fazer um passeio na cidade.

 

Praça da igreja

_MG_8687.jpg

 

Viaduto principal:

_MG_8682.jpg

 

No centro de La Paz, apenas circulam táxis e vans, dificilmente se encontra carros, e o transito é caótico.

_MG_8689.jpg

 

Palácio do governo:

_MG_8704.jpg

 

_MG_8727.jpg

 

Após o almoço, pegamos nosso transporte e começamos a subida para a base do chacaltaya. Antes, uma parada para caçar umas lhamas....

_MG_8754.jpg

 

Vou retirar um trecho que acho muito legal do guia viagem sobre o Chacaltaya. “Programaço. Uma Van velha leva você até a base da montanha, serpenteando os abismos da estrada da morte, onde em algumas curvas o motorista grita o lado para os passageiros ficarem para fazer contra-peso e o ônibus não tombar na curva”. Quano li isso dei risada né, mas acreditem é verdade.... Nunca vi nada parecido com aquilo, chegamos enfim a base da montanha meio desesperados, mas aí a recompensa foi imediata...

 

Huayna Potosi

_MG_8762.jpg

 

_MG_8766.jpg

 

_MG_8773.jpg

 

A venda…

_MG_8785.jpg

 

Visual durante a subida

_MG_8788.jpg

 

_MG_8797.jpg

 

No topo...

_MG_8800.jpg

 

Potosi ao cair a luz da tarde

_MG_8801.jpg

 

_MG_8811.jpg

 

Na volta sobrou tempo pra fazer uma noturnica em la paz....

_MG_8819.jpg

 

Dia 14:

 

Na noite do dia 13 passei muito mal por causa do esforço feito na altitude e da má alimentação. Tínhamos uma viagem para a praia de copacabana nesta manhã bem cedo. Viajei a base de dramim + buscopam + tylenol. 4 horas de viagem até chegar ao lago titicaca e mais precisamente a praia de copacabana.

 

_MG_8830.jpg

 

A bolívia tem como explicação de sua miséria, o fato de com sua guerra contra o Chile, terem perdido a saída para o mar, não podendo assim exportar via mar. Em todos os lugares ouvimos isto, inclusive esta na placa do estreito de tikina.

_MG_8845.jpg

 

Praia de Copacabana

_MG_8849.jpg

 

_MG_8851.jpg

 

_MG_8853.jpg

 

Nosso café da manhã, eta chazinho que ajuda....

_MG_8865.jpg

 

Bom, passeamos pela cidade de copacabana e no cair do sol, eu o daniel para e mais um amigo que fizemos na viagem inventamos de subir um morro com uns 400 metros de altura, chamado de calvário, para pegarmos o por do sol. O pior não foi isso, tive que subir duas vezes, pois fui surpeendido por um problema estomacal. Enfim, algumas fotos lá de cima:

 

_MG_8907.jpg

 

_MG_8908.jpg

 

_MG_0358.jpg

 

_MG_8911.jpg

 

_MG_8917.jpg

 

_MG_8927.jpg

 

Dia 15:

Acordamos cedo para fazer um passeio pelo lago titicaca. Conhecer Isla del Sol e Isla del Luna. Fomos surpeendidos pelo frio que fez de madrugada e que fazia durante a manhã. Mas enfim encaramos o passeio.

 

_MG_8934.jpg

 

_MG_8957.jpg

 

_MG_8980.jpg

 

_MG_8986copy.jpg

 

_MG_9031.jpg

 

_MG_9032.jpg

 

_MG_9079.jpg

 

Na volta, pegamos o ônibus e voltamos pelo estreito de tikina, na balsa, tempo para uma parada para fazer um por do sol....

 

IMG_1048.jpg

 

Dia 16 e 17: Estes dois dias ficou como livre a programação. Qualquer um faria o q quisesse. Os mais lights, foram de táxi visitar vilarejos mais afastados, os mais hard core tentaram escalar a Huayna Potosi, montanha muito difícil que precisa de muita técnica de alpinismo (por causa do frio e cansaço, acabaram não conseguindo). Bom, fomos até a agência de turismo que estava fazendo o passeio conosco e queríamos algo legal mas não muito pesado. O guia nos indicou um passeio a base da montanha condoriri, partindo do vilarejo de Tuni, em uma caminhada leve de duas horas ate a base da montanha, onde ficaríamos acampados e voltaríamos no outro dia. Pareceu perfeito.... apenas pareceu....

 

Partimos de van de La Paz com um guia e com mantimentos, saco de dormir, barracas, etc. 2 horas de viagem por uma estrada terrível de chão batido terrível. Chegamos meio dia em ponto em Tuni. Imaginem a menor cidade onde já foram. Agora pense em uma cidade sem ruas.... Ainda assim não vão imaginar Tuni....

 

_MG_9091.jpg

 

Lá as crianças, tem queimaduras de segundo grau por causa da altitude (5.000 metros) e por causa da baixa temperatura, quase sempre abaixo de 0. A pobreza é impressionante, mas as crianças são extremamente carinhosas.

 

_MG_9089.jpg

 

As pessoas que vivem lá, ganham sua vida apenas alugando mulas para os turistas. Então vamos a caminhada.

_MG_9090.jpg

 

Quando começamos a caminhar, percebemos que não ia ser bem como falaram.... Grandes subidas entre os vales e o guia acelerando demais, o que na altitude, não é nada agradável.

_MG_9110.jpg

 

Passamos por diversos lagos, que são tanques particulares de trutas, propriedades privada, resumindo, o presidente da Bolívia estatiza a Petrobrás mas permite que usem a paisagem natural boliviana para ganhar dinheiro, sem pagar impostos e prejudicar o meio ambiente.

_MG_9100.jpg

 

Quase 4 horas se passaram e nada de chegar a base do acampamento. O frio e o mal estar estão presentes desde a primeira subida, as mulheres não agüentam mais (estávamos em 6 pessoas) e, o Daniel mostra sinal de cansaço e indisposição.

 

Enfim avistamos o acampamento, pena não termos força suficiente para poder admirar tamanha beleza....

 

_MG_9131.jpg

 

_MG_9134.jpg

 

_MG_9136.jpg

 

Esta altura, a temperatura já beirava os -10 graus e ainda eram 5 da tarde. Bom, erguemos o acampamento, a dor de cabeça estourando e ficamos conversando na barraca maior onde acendemos o fogo para nos esquentarmos para depois irmos dormir na barraca e nos sacos de dormir. O frio era tão intenso que o corpo adormecia e não tinha como conseguir dormir. No outro dia demanhã, muitos quiseram ainda ficar no acampamento, e eu e o guia junto com mais duas pessoas saímos para fazer uma busca. Incrível, os lagos haviam congelados, e deu tempo de fazer mais uma foto, a última da viagem:

_MG_9146.jpg

 

 

A volta foi mais tranqüila e, chegamos em La Paz próximo das 16 horas

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Parabéns, Rkoerich!

 

Excelentes fotos! ME deixou com muito mais vontade do que já tinha de conhecer a Bolívia. Parabéns, muito boas mesmo!!

 

O que indica para principiantes evoluírem na Fotografia?

 

Abraço!

Leo

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

AMEI suas fotos.

Parabéns pelo trabalho.. ficaram lindas as cores e a composição.

 

Vem cá, qual a possibilidade de eu ter essas cores sem usar um filtro? =( Vou pra lá em julho de 2009, mas.... minha pobre s5100 não comporta tanta sofisticação rs. (até lá eu espero estar com um srl) 8)

 

Alguma dica pra os fotografos amadores quando forem fotografar as paisagens da bolivia? :mrgreen:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Bom, eu uso equipamento slr, então dificilmente com compactas voce terá condições de trabalhar em situacoes de baixa luz e abordar a profundidade de campo que é possivel em uma slr.

 

Eu praticamente estudei fotografia pela internet atraves de foruns. Quando senti a necessidade comecei a fazer cursos de fotografia basica, iluminacao, manipulacao de imagem, etc....

 

Aconselho sempre uma boa leitura em alguns foruns, lá alem de trocar ideias, existem salas com tutoriais e dicas de varios assuntos relacionados a fotografia. Eu participo sempre de:

 

www.digiforum.com.br

www.brfoto.com.br

www.mundofotografico.com.br

 

Mariana, em relacao ao ceu azul, na bolivia, voce nao precisa se preocupar. Eu nao usei filtro, isso mesmo, o ceu é assim absurdamente azul. Voce vai apavorar....

 

O que aconselho é, pensar em um meio de backup, é importante... Eu fui com 12GB em cartao memoria e um HD 60GB wolverine. Assim ia descarregando as imagens no HD para poder utilizar os cartoes, pq minha camera gera um arquivo de 12mb.

 

Outra coisa importante sao as baterias. Lá, por ser muito frio, elas descarregam extremamente rápido. Tente colocar a bateria dentro de calca, cueca, etc... quanto mais aquecida mais ela dura e, nao esqueca das baterias reservas....

 

PS: quero muito voltar lá em 2010. Vale a pena, excelente custo-beneficio.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Mariana, em relacao ao ceu azul, na bolivia, voce nao precisa se preocupar. Eu nao usei filtro, isso mesmo, o ceu é assim absurdamente azul. Voce vai apavorar....

 

:o Já fiquei! Jura? Sem filtro? Cara, agora fiquei boba... :shock:

Posso perguntar qual seu equipo?

 

Ai ai uma srl na minha vida... rs.

 

O que aconselho é, pensar em um meio de backup, é importante... Eu fui com 12GB em cartao memoria e um HD 60GB wolverine. Assim ia descarregando as imagens no HD para poder utilizar os cartoes, pq minha camera gera um arquivo de 12mb.

 

Eu pensei nisso, mas... não estou querendo levar laptop... você levou ou usou pcs locais? Fácil de achar lans por lá?

 

Outra coisa importante sao as baterias. Lá, por ser muito frio, elas descarregam extremamente rápido. Tente colocar a bateria dentro de calca, cueca, etc... quanto mais aquecida mais ela dura e, nao esqueca das baterias reservas....

 

É, eu aprendi isso da pior maneira, chegando na hora H e a maquina morrendo. Ainda bem que eu ando sempre com 12 pilhas em viagem (minha máquina usa 4).

 

Valeu pelas dicas! :mrgreen:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Mariana, basicamente tenho este set de equipamentos:

 

- Cameras:

Canon EOS 5D

Canon EOS 1D Mark II

 

- Lentes:

15mm fisheye 2.8

24-70 L 2.8

70-200 2.8 L IS

300mm L f/4

17-40 L f/4

85mm 1.8

50mm 1.4

 

Mais flashes, tripes, etc...

 

Na bolivia, principalmente em La Paz, voce encontra varias cabines telefonicas com computadores ligados a internet, mas nao cheguei a parceber se dava pra backupear dvds. O meu wolverine com os cartoes deram para o gasto. Ainda tinha um ipod 60Gb caso precisasse de outro dispositivo para armazenar as fotos.

 

Jesieltrevisam, poxa que bacana. De todos os foruns que participo, o mundofotografico é o que menos sou ativo, nao sei porque, mas acabei tendo mais amizades nos outros foruns. Mas vou postar lá sim as fotos da bolivia e da áfrica tambem que fui este ano, que tem um link aqui no mochileiros no topico de relatos de viagens.

 

Eu moderador do digiforum ja faz um tempinho! ::cool:::'>

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Nossa, você tem uma Canon 5D.. Show de bola!

 

Eu estou pra comprar uma, estou entre a sony a200 ou a Nikon D50...

 

A canon 5D tá fora das minhas possibilidades, rs. :mrgreen:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

rkoerich parabéns pelas fotos, to entrando no mundo das slr agora e estou colhendo varias dicas, as suas com certeza vão me ajudar!!!

 

mariana estava com o mesmo problema seu, estava entra sony a200, a nikon d60 e a canon XS, comprei hj a Canon XS aqui em sp, optei por ela após alguns amigos fotografos dizerem que ela é mais fácil para achar lentes e acessórios. A sony me disseram que como está lançando agora suas slr's elas não são muito confiáveis.

 

qq coisa posso te passar o contato da loja, comprei em boas condições e preço!!!

 

Agora posso ir para Torres del Paine sussegado!!!!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

eu quero sim... mas em termos de custos a XS é quase o dobro dessas que eu vou comprar.

 

Mas me manda ai as infos, eu ficarei feliz, rsrs.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora


  • Conteúdo Similar

    • Por silviaamorim
      Eu fiz a viagem para Barra Grande do Piauí em 2010. Até então, nunca tinha ouvido falar do litoral piauense. Foi uma deliciosa surpresa. Barra Grande foi descoberta pelos gringos há alguns anos, mas continua sendo desconhecida da maioria dos brasileiros. É hoje um dos points mundiais de kitesurfe. Ela fica a mais ou menos 5 horas de carro de Teresina. Lembra muito Jericoacoara, no Ceará, mas é menos desenvolvida para receber quem procura conforto e sofisticação. Praia longa, de areia fininha e fofa, mar calmo, sol e muito vento. A alta temporada no vilarejo é de agosto a outubro, quando as areias são invadidas por estrangeiros e o mar fica tomado por kitesurfe.
       

       
      Eu estive em Barra Grande em maio e estava tudo bastante deserto. Muito pouco movimento. Tudo é bem rústico. Não há grande infraestrutura. As pousadas estão concentradas basicamente em uma só rua, tem alguns bares e restaurantes. Definitivamente é um lugar para quem procura sossego. Não precisa de carro para se locomover no povoado. O ideal é fazer tudo a pé.
       

       
      Como a maioria das praias isoladas, chegar até Barra Grande não é simples. São cinco horas de viagem de carro a partir de Teresina. De ônibus, o caminho é ainda mais demorado. Por incrível que pareça a estrada é ótima. Asfalto e sinalização, novinhos. O problema são os animais. Eles estão por toda parte. Um convite a acidentes. Bode, vaca, cachorro, jegue, cavalo...
       

       
      O passeio que mais gostei foi a visita ao Delta do Parnaíba. Tem que ir até a cidade de Parnaíba e, de lá, pegar uma lancha que faz o passeio regular pelas ilhas do arquipélago. É uma imensidão de dunas e mangues. O que achei interessante foi a diversidade de paisagens. Minutos depois de sair das dunas, seguimos alguns igarapés e já estávamos num cenário completamente diferente, com mangues e caranguejos aos montes.
       
      http://caminhosdasilvia.blogspot.com.br/2010/06/barra-grande-do-piaui-um-paraiso-entre.html
    • Por betodbf
      Olá mochileiros! Já conheço o site há um tempo e pego muitas dicas de viagem aqui. Chegou a hora do meu primeiro relato como agradecimento a todas as informações compartilhadas pelos demais e também como incentivo àqueles que queiram conhecer esta bela região do sul do meu estado: o Parque Nacional Serra da Capivara. Área aproximada de 130 mil hectares, o parque toma parte de 4 municípios: São Raimundo Nonato (cidade base para maioria chegar à região), Coronel José Dias, Brejo do Piauí e João Costa. Fiz o passeio apenas eu e o guia Rafael Martins (89-9407-1381; 89-8115-8757). Achei a diária cobrada muito cara (R$100,00), sendo que o transporte não é incluso neste valor. Mas como já tinha me programado pra viagem, fiz o roteiro do jeito que eu quis e ainda conheci de quebra outros pontos do parque. Aí vai (ficou meio longo, então vou mandando aos poucos):
       
      Dia 01: 06/01/14
      Iniciamos nosso passeio pela manhã entrando no Parque Nacional pelo portão que tem acesso pela BR-020, entrada leste, passando pelo município de Coronel José Dias. Cada dia que você acessar o parque, deve pagar uma taxa de R$12,50 (para brasileiros; estrangeiros: R$25,00... quanto sal para os gringos, rs). Nas guaritas destaca-se os mapas de cada região. De manhã fizemos o Desfiladeiro da Capivara, que são vários sítios arqueológicos de acesso relativamente fácil. Ao entrar, percorremos a estrada principal de carro onde há vários pontos de estacionamento. Daí segue-se as setas indicando os sítios, que são chamados de tocas – um espaço sinalizado indicando até onde se vai para visualizar as pinturas rupestres. No primeiro deles, a Toca do Pajaú, vemos cerca de 5 mocós, um pequeno roedor da região, sobre as rochas, e não parecem se incomodar com nossa presença. Permitem até várias fotos! Depois de retornarmos ao veículo, seguimos para a Cerâmica da Serra da Capivara (voltamos por Cel. José Dias), onde também há um albergue de mesmo nome, para o almoço. R$15,00 à vontade com direito a 4 tipos de salada e 2 de carnes. Só não vale desperdiçar. A comida é muito boa. Lá, custa R$75,00 a diária inclusas as 3 refeições. Na Cerâmica, você pode conhecer o processo de fabricação dos utensílios que tem as imagens da serra e comprá-los também por um valor menor – quem for em Jeri pode encontrar esse material nas lojinhas, só que custando os olhos da cara!!
      Após almoço, nosso destino foi a Serra Vermelha, onde ficam os baixões do Perna e das Andorinhas. Há um portão de acesso direto a esta Serra pelo lado oeste do Parque, mas deve-se retornar a São Raimundo Nonato e pegar a PI-140. Optamos por entrar novamente no portão da BR-020 e atravessar o parque no sentido de leste a oeste, que fica no topo da serra. Uma oportunidade melhor para ver mais animais no seu habitát... Infelizmente não vimos nenhum. Só 2 árvores caídas na estrada nos atrasou um pouco (haha),
      Em breve, acrescento os outros dias do passeio...







    • Por Cinthya Anjos
      A Serra da Capivara no Piauí é espetacular!!! Os melhores meses são de Abril a Julho. Os dias são frescos e a noite agradável. No mês de junho as noites podem chegar a 10 graus.
      A pousada zabelê fica no centro da cidade, e tem preço justo. Uma estadia de três dias fica em R$180,00, por pessoa, em quarto duplo. Tem um albergue dentro do Parque com preço R$95,00 por dia (os quartos possuem ar-condicionado), com café da manhã (não lembro o valor) e refeições a RS16,00.
      No Parque somente é permitida a entrada com guia. Entrada no Parque R$12,50 (Brasileiros) R$25,50 (Estrangeiros). O Guia Rafael Martins é um dos melhores! (89) 9407-1381 e 81158757 [email protected]
      O Parque possui 100km de trilhas, incluindo para Mountain Bike e Off-Road. Trilhas para todos os nível condicionamento físico.
      A empresa Receptivo Selva Branca realiza os roteiros de Mountain Bike e Off-Road... http://www.selvabrancatur.com.br
      Sugiro alugar um carro e dividir as despesas, mas pode-se contratar um táxi por R$150,00 e ficam a sua disposição dia inteiro. Com mais R$80,00 eles estendem o passeio.
       
      Partindo de Fortaleza a Viagem de Carro dura aproximadamente 10 hs. Existem trechos esburacados, porem, não extensos ainda no Ceará, mas no Piauí as estradas ate o parque são excelentes.
      Segue o roteiro:
      Ida ( A volta segue a mesma seqüência mudando as mãos)
      BR-020 até Tauá… Continua até a BR-316… Vira a Direita no sentido de Picos (BR-316)… Na rodovia encontrar a entrada da Av. Doroteu Neres a esquerda… Entrar na Avenida… Vai sair na 407… Entrar a Esquerda e encontrar a Entrada para Itainópolis (Cidade do Frank Aguiar)… Pi-245/020… Segue para Itainópolis… Municipio de Vera Mendes… Municipio de Isaias Coelho… Segue direto até Simplicio Mendes… 020… Municipio de Bela Vista do Piaui… Municipio de Nova Santa Rita… Até São João do Piauí… Municipio de Coronel José Dias… Segue até São Raimundo Nonato.
    • Por Emanulima
      Oi galera! Fiz um passeio pela Rota das Emoções a qual inclue 3 estados: Piauí, Ceará e Maranhão. E pude apreciar muitas maravilhas durante a viagem como conhecer o rio preguiças, lagoas lindas em Jericoacoara e conhecer Barra Grande, onde pude fazer passeios inesquecíveis com a orientacao de um nativo de la o Evando que tambem e dono de uma pousada na regiao a qual fiquei hospedada por ter um preço bem acessível, entre essas aventuras fiz o passeio para conhecer o cavalo marinho, pratiquei pescaria, além de praticar muito kitesurf pois o local é bem propício para esse tipo de esporte. É um lugar muito bonito e visitado por muitos estrangeiros. Mando aqui algumas imagens que tirei durante minha passagem por Barra Grande. Abraço a todos!
      Emanuela
       
       




       

       





    • Por Emanulima
      Oi gente! Conheci Barra Grande localizada no Piauí e adorei! Fiz passeios como o do cavalo marinho e pratiquei muito kitesurf! O lugar é muito tranquilo e exótico, muito bom para relaxar. Fiz o passeio da rota das emoções e conheci locais dos três estados: piauí, ceará e maranhão. Muito bom!
      Emanuela
       
       




×