Ir para conteúdo
  • Cadastre-se
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Peça ajuda, compartilhe informações, ajude outros viajantes e encontre companheiros de viagem!
    Faça parte da nossa comunidade! 

Entre para seguir isso  
nnaomi

21 dias em SE e AL - Parte 2: Maceió

Posts Recomendados

• Hibiscus, Praia de Ipioca. Fechou para reforma, abriu nesse verão cobrando entrada, mas parece que fechou de novo. O local é bem estruturado e perfeito se estiver com poucas pessoas. Pedimos frango grelhado e cocada de forno de sobremesa com sorvete de tapioca, mas não avisaram que não tinha sorvete. A comida estava boa, porção de tamanho médio. Os preços dos petiscos, pratos e bebidas não são exorbitantes, são equivalentes às barracas de outras praias, porém como cobra entrada, a relação custo-benefício fica ruim

• Quiosque da Jaraguá, Praia de Paripueira. Ao lado do bem estruturado Rest. Mar e Cia, ele fica apagadinho, mas achei uma ótima opção por ser sossegado e não ter música ao vivo. O atendimento estava ótimo e a comida também

• D'Aldeia Village Hotel, Ilha da Crôa. O local é bem agradável e, como é um hotel, tem boa infraestrutura, inclusive piscina que pode ser usada pelos visitantes, mas o sistema deles é problemático, conversei com outros turistas que também tiveram problemas na hora de fechar a conta, apesar de ter poucos turistas no local. Sempre vale a dica de conferir a comanda/conta. Almoçamos peixe grelhado que estava bom, porção de tamanho médio, no geral o atendimento é razoável, relação custo-benefício razoável

• Dom Pero, Praia do Gunga. Ambiente simples, rústico, quiosque de praia. Pedimos carne de sol que veio bem gordurosa, tamanho médio, preço de praia, caro. Achei o atendimento ruim e tinha muitas moscas, mas elas são presença constante em praticamente toda praia. Relação custo-benefício ruim

 

Outras opções:

• Mar e Cia, R. Projetada 23A, s/n, Zona da Praia, Paripueira, 3293-2031, http://www.piscinasnaturais.com Bem estruturada, com música ao vivo, opera passeios, tem lojas de artesanato, etc

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

• A capital conta com muitas opções para todos os bolsos e gostos, de culinária regional a internacional e desde barracas a bistrôs renomados

• Retire num dos CITs de Maceió o guia da Abrasel, é mto bom. A maior parte do guia se destina a informações sobre os restaurantes da região, mas também engloba um mapa detalhado e informações sobre os roteiros turísticos do estado. Os restaurantes do guia costumam ser mais turísticos, mas achei o guia bem fiel à realidade, em questão de preço, qualidade, etc. Experimentei alguns e todos foram muito bons. Porém há boas opções e mais em conta que não constam no guia como, por exemplo, o Parmegianno

• Alguns restaurantes oferecem traslado hotel/restaurante/hotel gratuito. Informe-se

• Na praia e/ou locais turísticos, os preços costumam ser maiores. Se quiser economizar, pergunte aos locais aonde eles vão, procure opções nos centros das cidades, mais afastados das praias

• Sempre vale a dica de conferir a comanda/conta, principalmente na praia, pois podem ser incluídos itens que não foram consumidos

• Os Bairros Jatiúca e Stella Maris são famosos pelos restaurantes e barzinhos, onde o movimento prossegue até mais tarde

• Em Marechal Deodoro, o bairro de Massagueira é famoso pela gastronomia com várias opções de restaurantes às margens da lagoa Mundaú

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Contatos úteis:

• Prefeitura Municipal de Maceió, R. Sá e Albuquerque, 534, Bairro de Jaraguá, [email protected]

• Secretaria Municipal de Promoção do Turismo de Maceió, Av. da Paz, 1422, Centro, 3336-4409 / 3650, [email protected]

• Secretaria de Estado do Turismo SETUR/ Informações Turísticas de Maceió, R. Boa Vista, 453, Centro, 3315-5700, [email protected]

• Secretaria de Turismo e Meio Ambiente de Paripueira, 3293-2007

• Secretaria de Turismo da Barra de Santo Antônio, 3291-1140, [email protected]

• Prefeitura Municipal de Piranhas, Av. Rio São Francisco, 01, B. Xingó, 3686-3078, [email protected]

• Prefeitura Municipal de Piaçabuçu, Praça São Francisco de Borja, s/n, Centro, 3552-1125 / 1427 / Fax: 1155

• Prefeitura Municipal de Penedo, Praça Barão de Penedo, s/n, Centro, 3551-2727 / 3870, [email protected]

 

Postos de Informações Turísticas

• Tem CIT no Terminal Rodoviário e no Aeroporto, mas o horário de funcionamento não é 24h/dia, aliás, na baixa temporada fica bem restrito, mas eles deixam mapas e folders em cima do balcão. Parece que há outros CITs também, no centro

 

Links úteis:

Secretaria de Estado do Turismo

Alagoas em Dados e Informações

Secretaria de Estado da Cultura - SECULT

Prefeitura Municipal de Maceió

 

Receptivos Turísticos:

 

Em Maceió:

• Jaraguá Turismo, Av. Dr. Messias de Gusmão, 188, Pajuçara, 3337-2780 / 2781 / 3316-7812 / 9931-2323 / 9992-9111, [email protected], http://www.jaraguaturismo.com Só o ônibus é que tem motorista e guia, demais veículos como vans e micro-ônibus seguem apenas com um funcionário que trabalha como motorista, guia e cobrador. Fiz vários passeios com essa agência, bom atendimento, pontual e gostei de todos os guias. Teve um único passeio que fizemos de ônibus, mas a agência fez um micro-ônibus circular pela cidade pegando parte dos turistas para depois encontrar com o ônibus que já tinha percorrido outra parte do "hotel tour", achei inteligente a ideia, assim a saída da cidade foi mais rápida

• Maceio Turismo, R. Sen. Firmino de Vasconcelos, 685, Pajuçara, 3327-7711 / Fax 3231-6609 / 9974-2335 (Geron) / 9981-9608 (Ulysses), [email protected] No dia que fiz o passeio, o micro-ônibus tinha 2 funcionários: um motorista e um guia

 

Em Piranhas:

Outras opções:

• Angico Tur, 3686-1782 / 9965-1104 / 8823-3973, [email protected]

• GilTur Turismo e navegação, 8823-2038 / 3686-1237 / (79) 8819-3082, [email protected]

• Xingó Turismo, 3686-1955 /9961-1138, [email protected]

• Canistur - (79) 9967-9792, [email protected], [email protected], [email protected], [email protected]

 

Em Piaçabuçu:

Outras opções:

• Farol da Foz Ecoturismo, Av. Conselheiro Ulisses Guedes, 228, 3552-1298 / 9975-1975, [email protected]

 

Dicas:

• Dizem as más-línguas que as praias de Alagoas são todas iguais... Bem, espere ver lindas composições de extensos coqueirais e mar de incrível cor azul/verde pontilhado por recifes e bancos de areias que formam piscinas naturais. Dessa forma, poder-se-ia dizer que as praias são maravilhosamente iguais, mas isso também não seria justo, pois há belos rios, lagoas, manguezais, falésias e outras peculiaridades dando um toque especial aqui e acolá

• Maceió recebe muitos turistas, mas fora da alta temporada fica mais tranquila. Por exemplo, no período pós-carnaval, havia movimento, mas quiosques/restaurantes/praias não ficavam lotados e era possível escolher onde ficar. Passeios das agências tinham saídas regulares de vans ou micro-ônibus

• Venta bastante, o tempo todo, mas tem moscas turbinadas. Principalmente na praia, é necessário brigar com as moscas na hora da comida

• Sobraram poucas opções de locais para dançar, principalmente um forró pé de serra. Vários locais da cidade foram fechados após fiscalização realizada depois do ocorrido em Santa Maria. Uma das opções atualmente é o Maikai com programação eclética

• Vimos grandes extensões de plantação de cana no interior do estado e plantação de coqueiro no litoral

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Para quem quer ficar hospedado apenas em Maceió. Cada roteiro é para 1 dia de passeio, mas é possível combinar dois ou mais roteiros por dia, se o objetivo for apenas visitar as praias e não ficar relaxando à beira-mar.

• Roteiro 1: Pajuçara, Ponta Verde e Jatiúca: aproveite o dia da chegada ou saída, para dar uma volta nessa orla que é bem "urbana", mas muito bonita e agradável. Tem a Feirinha de Artesanato e o Pavilhão do Artesanato para compras

• Roteiro 2: Praia do Gunga: vale a pena pela vista panorâmica e as falésias

• Roteiro 3: Foz do Rio São Francisco é um passeio interessante que oferece uma paisagem diferente, foge do tradicional praia com coqueiros e piscinas naturais (dia todo)

• Roteiro 4: Pontal do Coruripe: disseram que é uma praia muito bela do litoral sul

• Roteiro 5: Ilha da Crôa: passeio de buggy para Carro Quebrado

• Roteiro 6: Praia Paripueira: tranquila para passar o dia

• Roteiro 7: Praia Ipioca: tem a famosa Hibiscus, boa para relaxar

• Roteiro 8: Praia do Francês: boa para quem gosta de agito

• Roteiro 9: Duas Barras: o Complexo Dunas de Marapé oferece a estrutura local

• Roteiro 10: Centro Histórico e Jaraguá: Mercado Municipal, para quem gosta de compras, aliado a casario histórico para visitar

 

Roteiro com pernoite em Piranhas: como o Cânion do Xingó é bem longe e é cansativo fazer o bate e volta, há a opção de dormir em Piranhas.

• Roteiro 1: Cânion de Xingó + Museu Arqueológico + Usina Hidrelétrica

• Roteiro 2: Trilha do Cangaço + city tour em Piranhas (AL)

• Roteiro 3: Hidrelétrica de Paulo Afonso

 

Roteiro com pernoite em Penedo: quem faz o passeio pela Foz do Rio São Francisco, a partir de Piaçabuçu, pode seguir para Penedo.

• Roteiro 1: Foz do Rio São Francisco

• Roteiro 2: City tour em Penedo (AL)

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Sábado, 23/02/2013 - madrugada chuvosa, amanheceu nublado, mas logo apareceu sol entre muitas nuvens, mormaço só aliviado pelos ventos. Dá para perceber que sempre tem mais nuvens para o lado do interior

Orla de Atalaia, Terminal Rodoviário José Rollemberg Leite, Terminal Rodoviário de Maceió, Ritz Coralli Boutique Hotel

Depois de arrumarmos a mala, resolvemos dar uma voltinha pela Orla de Atalaia, nas proximidades do Oceanário, que conhecíamos só de noite. Perto do Oceanário há um jardim bonito e bem cuidado com uma ponte em meio às plantas. Há dois lagos maiores, um com pedalinho e outro com uma pequena ilha com casinhas brancas (moradia dos patos?). Nos arredores, há mais algumas lagoas pequenas todas com muitos patos, alguns gansos e pombos. Passamos na pista de kart e vimos alguns treinando. Hotel, check-out. O Terminal Rodoviário José Rollemberg Leite fica bem mais longe do que o aeroporto, o táxi levou de 15 a 20min, mas chegamos cedo, com folga. O ônibus encostou logo na plataforma, novo bom, com AC e wireless. Seguimos a maior parte do tempo pelo interior e vimos propriedades com casinhas e muitas pastagens secas. Passamos por Propriá, onde vimos pastagens secas começando a brotar, e a caatinga seca começando a verdejar e açudes com água. Provavelmente choveu há pouco tempo na região. Passamos pelo Rio São Francisco e, nesta região, estão arrumando a estrada, parece que está sendo ampliada. O trânsito flui no esquema pare e siga. A estrada é boa, mas não é duplicada. Passamos por Junqueiro, onde as terras inda estão secas, mas há plantações verdinhas. Paramos no Terminal Rodoviário Abelardo Lopes de São Miguel dos Campos, onde subiu uma vendedora de tapiocas no ônibus. Vimos grandes extensões de plantação de cana. Vimos plantações de coqueiros também. Alagoas é conhecida como o estado dos coqueiros, em algum lugar eu li que se o governador der 1 coqueiro para cada habitante ainda sobra muito coqueiro. Porém me disseram que não é mais assim, pois houve muita derrubada de coqueiros. Passamos pela Praia do Francês, onde vimos um rio e mangue. Por um curto espaço de tempo seguimos à beira da praia, vendo o mar de linda cor azul/verde. Logo deixamos a orla e seguimos pelos bairros. Desembarcamos no Terminal Rodoviário de Maceió, onde aproveitamos para deixar compradas as passagens para Maragogi. Aproveitei para passar no CIT e, embora não tivesse nenhum funcionário, deu para pegar alguns folhetos que estavam disponíveis em cima do balcão. Táxi para o Ritz Coralli Boutique Hotel. A decoração segue uma linha meio estilosa, mas estranhei aquele corredor escuro. Saímos cortando caminho pelo Pavilhão do Artesanato. Gostamos da localização do hotel, perto da Feirinha de Artesanato de Pajuçara e com vários restaurantes nas proximidades. O calçadão estava bem movimentado e parecia bem agradável. Jantamos no Rest. Imperador dos Camarões, camarões de bom tamanho e limpos, sem cabeça, prato muito bem servido. Demos uma voltinha curta por ali e voltamos ao hotel para dormir cedo.

 

Domingo, 24/02/2013 - dia ensolarado entre nuvens

Praia de Pajuçara, Praia de Ponta Verde, Terminal Rodoviário de Maceió, Pousada Portal do Maragogi

 

Continua no relato de Maragogi...

 

Quinta, 28/02/2013 - dia ensolarado

Ritz Coralli Boutique Hotel, Praia de Pajuçara, Praia de Ponta Verde

O Otávio ia sair de bicicleta para fazer uma trilha e nos convidou, mas já estávamos de partida para a capital. Se soubesse que Maragogi era tão agradável, teria trocado 1 dia da capital por mais 1 dia lá, mas com hotel reservado, o passeio estava mais engessado. Saímos de táxi lotação às 8h50. A estrada é razoavelmente boa. A manutenção deve ser constante, pois passa muito caminhão carregado de cana. O taxista nos deixou na porta do Ritz Coralli Boutique Hotel às 11h depois de pouco mais de 2h de viagem, mas o check-in era apenas às 14h. Pedimos para guardar a bagagem junto com as malas que já estavam guardadas. Fomos almoçar no Rest. Alecrim Verde, seguimos pela orla, curtindo a paisagem e o vento. Achei o kg meio caro, mas o restaurante é muito bom e a comida tem qualidade. Resolvemos ir à agência Jaraguá, mas tinha mudado de endereço. Perguntamos na padaria ao lado e a moça nos explicou onde era, não ficava muito longe. Combinamos passeio para o próximo dia. Passamos no caixa eletrônico ao lado da feirinha, mas não funcionava. Seguimos para o outro caixa que fica no meio da Av. Silvio Carlos Viana, mas estava abastecendo e foi muito demorado. Foi o dia da fila, pois pegamos uma fila enorme e só tinha dois caixas abertos, foi uns 30min de espera, no supermercado muito quente, pois não tinha AC. Resolvemos jantar no Rest. Parmegianno. Estava lotado, tinha fila de espera, mas foi muito rápido, foi deixar o nome para ser chamado logo em seguida. A comida (file à parmegiana) chegou rápido também, muito bem servida, num preço bom.

 

Sexta, 01/03/2013 - dia ensolarado com pouquíssimas nuvens. Céu muito limpo em Praia de Duas Barras, nuvens para o lado do interior

Praia de Duas Barras - complexo Dunas de Marapé, Praia de Jacarecica do Sul

Saímos do hotel no horário previsto e fizemos o hotel tur. Foi o único passeio que fizemos de ônibus. Vimos muitas plantações de cana e coqueiros. Andamos de ônibus na direção sul até Jequiá da Praia. A agência já vende o pacote completo: translado + travessia + almoço. Pegamos um barco para atravessar o Rio Jequiá, travessia para lá de rápida, pelo menos na maré baixa. Depois da travessia, pegamos uma passarela sobre o mangue, vendo os caranguejos. Andamos até o restaurante. O local é cercado por coqueiros, onde pequenos saguis ficam circulando. Uma moça levou frutas e atraiu os bichinhos que comiam na sua mão. Embaixo da passarela mais uma atração, uma iguana. Os bichos são bem acostumados com pessoas, mas disseram que não é sempre que é possível avistá-los, pois a oferta de comida na região é grande, ainda mais no verão. Acho que a Praia Duas Barras é particular, ou pelo menos administrada pelo complexo Dunas de Marapé, que fornece a travessia e são donos do restaurante, da barraca de praia e da lojinha de lembranças. Eles também vendem passeios opcionais: aluguel de quadriciclos, Trilha dos Caetés (barco pelo rio beirando o manguezal, trilha no manguezal, banho de lama, banho de rio), Circuito Pau de Arara de Aventura (segue de pau de arara até a Praia de Jacarecica do Sul). Tinha dunas? Não vi, talvez tivesse que ter feito um dos passeios opcionais. O local é bonitinho, ajeitado, mas acho que poderia ser melhor pelo preço cobrado. Pouco antes de chegar à praia, num local que chamam de mirante, dão um coquetel de frutas de boas-vindas. A paisagem é bonita, a praia tem aquele tom azul/verde, mas o diferencial está no rio que deságua no mar e nas tonalidades diferentes quando a água do rio encontra o mar. Andamos um pouquinho na direção sul até o rio. Depois seguimos na direção norte. Nesse trecho de praia tem faixa de areia lisa. À frente, começam a aparecer os recifes que formam várias composições diferentes. A água represada nos recifes mostram como a água é muito transparente e aparecem pequenos peixes. Seguimos até onde começam as falésias da Praia de Jacarecica do Sul, no alto dos paredões há coqueiros. Foi uma bela caminhada. Retornamos por volta das 14h e aproveitamos para tirar algumas fotos na laje do quiosque que fica na praia, não é muito alto, não dá aquela visão panorâmica, mas é legal. Seguimos para o almoço. Restaurante não estava cheio, tinha uma quantidade razoável de funcionários, mas acredito que deve ficar meio caótico na alta. A comida não é ruim, mas é produção em massa. Tinha moscas. Passeio médio, é bonito, mas não tem nenhum atrativo em especial/diferente, é um pouco longe e um pouco caro. Acho que existem passeios que ficam mais perto e mais barato. Jantar no Rest. Parmegianno de novo. Pedimos dessa vez salada simples que veio muito grande e filé com brócolis P que veio num prato tipo individual, mas bem servido. O pedido deu bem para 2 pessoas e estava muito bom. Local cheio, mas atendimento bom e rápido. Aproveitamos para passar pela feirinha e pelo pavilhão de artesanato. Trocentas barraquinhas vendendo artigos semelhantes, preços são quase tabelados na maioria das barracas, mas há algumas mais caras e outras mais baratas que a média. Disseram que os preços são melhores no mercado, porém a área central requer atenção. Entretanto como não tinha uma lista de compras, não fui até lá. Só comprei castanhas e me virei por ali mesmo na orla de Pajuçara.

 

Sábado, 02/03/2013 - dia ensolarado; na foz ficou nublado, ventava forte e chovia em alguns lugares, mas a chuva foi para outros cantos e logo o sol voltou a brilhar

Foz do Rio São Francisco

Fomos de van, a viagem foi longa, cerca de 2h de viagem com uma parada de 15min num posto de gasolina no meio do caminho. Vimos plantações de cana e coqueiro. Estrada duplicada e um tapete até Marechal Deodoro, depois pegamos uma estrada que não tinha buracos, mas estava muito remendada e irregular, provavelmente por conta do tráfego de caminhões de cana. Seguimos até Piaçabuçu. Continuamos até o Rest. São Francisco, onde estavam presentes, além da nossa van, mais um van de agência e alguns carros particulares. As agências vendem o pacote tranfer + barco + almoço. Do pequeno cais do restaurante, partiu a embarcação que estava cheia, mas não lotada, foi possível acomodar todos sentados. Uma guia foi junto dando informações, mas ela não é funcionária da embarcação e pediu um caixinha no final do passeio. Vemos a cidade de Piaçabuçu e mais à frente, o último povoado da cidade, à esquerda da margem. A água do rio é sempre verde e cercado por coqueiros, aningas e manguezal. A paisagem fica mais linda nas proximidades da Foz do Rio São Francisco, no Pontal do Peba, quando aparecem as dunas móveis de tom alaranjado que contrastam com o verde da água. Com a maré baixa havia uma pequena lagoa formada, com a alta toda a área em volta fica alagada. Há poucos coqueiros no local, portanto quase nenhuma sombra. Subimos uma pequena duna. Lá de cima temos um panorama melhor da região: uma imensidão de areias, o mar contínuo no horizonte, o rio de águas verdes, a foz do rio ao longe, identificado pelo ponto onde se vê as ondas quebrando e a margem sergipana do outro lado onde dá para ver o Farol do Cabeço. Tem uma fileira de barraquinhas vendendo artesanato, comes e bebes. Li uma reclamação que o passeio não vai até a foz do rio, sim é verdade, paramos antes. Entretanto como o rio é bem largo, não sei como seria o visual de perto por causa da amplidão da foz, não sei se a vista seria mais interessante. De longe se tem um panorama da região e talvez o mais legal seria um voo panorâmico sobre o local. De volta ao restaurante, o almoço já estava pronto e como não tinha muita gente estava bom. Estava cheio, mas não lotado. Almoço tinha pouca variedade, mas achei mais gostosa, mais caseira e mais caprichadinha do que do dia anterior, pois foi feita em menor quantidade. O restaurante não tem muita estrutura, mas achei razoável. Também tinha moscas. À noite, resolvemos experimentar comida japonesa e fomos ao Rest. Takê, onde pedimos um combinado que estava bom.

 

Domingo, 03/03/2013 - amanheceu chovendo, mas logo depois o sol apareceu e não dava para ver nuvem nenhuma

Ilha de Crôa, Praia de Carro Quebrado

Saímos de agência de novo, 16 pessoas, mas a maior parte desceu em Paripueira. Fomos para a Ilha de Crôa, o passeio das agências deixam os turistas normalmente no D'Aldeia Village Hotel. Como é um hotel, tem estrutura boa, restaurante e piscina que pode ser usada pelos visitantes. À direita da praia, dá para ver uma vila com casinhas. Saímos de buggy, com outro casal às 10h com a maré baixando e deu para passar pela areia. Se a maré estiver muito alta não dá para passar. O passeio é muito rápido, tem que pedir para bugueiro parar se quiser tirar foto, senão ele passa reto. A Praia de Carro Quebrado é diferente por causa das falésias. No final do passeio, a praia tem muitos pedras/recifes e não é bom para banho, pois escorrega um pouco. Aí fica uma barraquinha. Tem garrafinhas de areia colorida. Retornamos ao restaurante/hotel. Começamos a caminhar na direção sul para a área mais povoada da praia, mas voltamos pois o Daniel não estava passando bem. Ficamos num quiosque coberto com palha à sombra dos coqueiros, muito fresco, muito vento e com visual da praia. O movimento estava baixo, não estava deserto/morto, mas havia várias mesas desocupadas e dava para escolher, apesar de ser domingo. Ao longe no mar, com a maré baixa, dava para ver uma faixa escura no horizonte e a espuma branca das ondas quebrando, era a barreira de corais. Almoçamos peixe grelhado que estava bom e o atendimento do Rest. do D'Aldeia Village Hotel é razoável. Fomos acertar a conta com antecedência, mas mesmo assim formou uma fila, pois pedidos estavam com erro. Tinha coisa errada anotada na minha comanda também. Achei confuso, caótico, apesar de ter poucos turistas no local. Imagine a confusão que deve ser na alta temporada. Retornamos, parando na Paripueira para pegar os turistas que ficaram lá. Depois paramos na Casa do Nordeste para compras. Tinha cachaças e doces diversos para degustação. Pegamos congestionamento próximo de Cruz das Almas, pensei que era trânsito de domingo (volta das praias), mas não, era por conta de um show. Fomos ao Rest. Parmegianno de novo que, como sempre, estava lotado e com fila de espera, mas como usual o atendimento foi muito rápido. Dessa vez pedimos um filé com legumes que estava muito bom.

 

Segunda, 04/03/2013 - chuvisco de manhã, depois ficou nublado não muito quente, parece que choveu à noite

Praia de Pajuçara, Praia de Ponta Verde, Praia de Jatiúca

Foi dia de ficar de molho (sabe o que acontece depois de comer muitos frutos do mar...). Acordamos um pouco mais tarde. Pensamos em ir ao shopping, mas desistimos, resolvemos ficar à toa, pela orla urbana de Maceió. Demos uma volta pelo calçadão do lado Ponta Verde-Jatiúca. Almoçamos no Rest. Don Sabore, não tinha muita variedade, mas a comida era boa. Depois, saímos de novo e seguimos pelo lado sul, Pajuçara. Retornamos e resolvemos conhecer o segundo andar do Pavilhão do Artesanato que tem mais lojas e um restaurante. Fomos jantar no Rest. Nirá Express, mas achei meio fraquinho, o Takê é bem melhor. Demos uma volta olhando artesanato. Agendamos passeio para o dia seguinte.

 

Terça, 05/03/2013 - dia ensolarado, poucas nuvens

Praia do Francês, Barra de São Miguel e Praia do Gunga

Fomos ao Pontal da Barra para pegar um casal e acabamos passando pela Rua das Rendeiras, lugar famoso pelo filé. A primeira parada foi na Praia do Francês, mas foi uma parada básica de 15min, só para dizer que conheceu. Muitas lojas de artesanato. Na praia, a faixa estreita de areia era disputada por guarda-sóis, cadeiras e vendedores, mal dava para andar, mas acho que era maré alta. Bom para quem quer ver gente, estava bem movimentado. Talvez tenha um canto mais sossegado e mais natureza, mas não tivemos tempo de explorar. A segunda parada foi na Barra de São Miguel, onde oferecem passeio de lancha para a Praia do Gunga, mas decidimos seguir de carro para a praia que era a terceira e última parada. Tem várias barracas de artesanato e de comida antes de chegar à praia. À beira da praia, restaurantes diversos, paramos no Rest. Don Pero. Achei que, no geral, a infraestrutura deixa a desejar, os quiosques não são lá essas coisas e os preços são altos. Todos os quiosques têm música ao vivo e fica aquela mistureba de sons, pois os quiosques ficam próximos. Almoçamos carne de sol que veio bem gordurosa. Às 13h, fomos de buggy para conhecer as falésias. Andamos bastante pela praia de areias claras, vendo o mar de bela cor azul/verde e extensas fileiras de coqueiros. Depois começam as falésias que são altas e lindas. Entramos numa espécie de labirinto muito lindo, mas nem dá tempo de apreciar, pois são apenas 10min de parada. Andamos mais um pouco e paramos perto de um rio, onde há mais falésias e uma barraquinha, onde pintam o rosto das pessoas com argila. Parada rápida de 10min também. Disseram que as falésias continuam até Jacarecica do Sul. O passeio é legal, mas é muito rápido, poderia ter mais paradas e/ou mais longas. Fomos e voltamos pela praia, pois a faixa de areia é larga e dá para ir na maré alta também. Tinha um flyboat na praia, que leva o piloto e um passageiro de cada vez. Dá para ver a barreira de corais bem próxima da praia e as ondas arrebentando nela. Havia pescadores à beira da praia com tarrafas. Na volta, não paramos no mirante, paramos apenas à beira da estrada. É o visual clássico da Praia do Gunga, com muitas fileiras de coqueiros. Resolvemos jantar no Rest. Picuí, comemos picanha de sol que veio muito gostosa e bem servida. É mais caro que outros restaurantes, mas a qualidade acompanha o preço e não gastamos com transporte, pois oferecem traslado ida e volta, a van foi nos buscar e nos levar, apenas nós dois.

 

Quarta, 06/03/2013 - dia ensolarado, amanheceu com muitas nuvens, mas depois limpou e o céu ficou azulzinho

Praia de Paripueira

Resolvemos curtir uma bela praia de novo no litoral norte. A Praia de Paripueira, como a maioria das praias em Alagoas, tem o tradicional mar verde/azul e muitos coqueiros. A agência nos deixou no restaurante deles. Ótima recepção e atendimento, boa infraestrutura. Como sempre, resolvemos caminhar pela praia. Seguimos pelo lado direito, mas andamos pouco, pois nos deparamos com uma espécie de manguezal e havia muitas árvores caídas bloqueando a passagem. Até daria para passar, mas decidimos voltar. Seguimos para o outro lado que tinha quiosques, mas eram menores e estavam praticamente vazios. Seguimos até um rio cercado por manguezal. À frente, a praia fazia uma curva e o visual era muito bonito com uma fileira de coqueiros acima de uma pequena falésia, onde o mar batia. Havia um grande chalé coberto de palha, mas parecia abandonado. Como estava muito deserto nesse ponto, resolvemos retornar. Almoçamos peixe grelhado com molho branco que estava bom. Ao lado, o Rest. Mar e Cia que é muito maior, com várias lojas de artesanato, mas é meio barulhento, pois tinha música ao vivo lá, estava bem cheio e o pessoal dançando forró. A banda anunciou que à noite estariam tocando no Maikai. Ótimo para quem gosta de agito, mas eu sou mais de ouvir o barulho das ondas tomando uma água de coco, achei bem mais proveitoso o meu cantinho. Tinha passeios opcionais como buggy para Carro Quebrado, lancha para Carro Quebrado e passeio às piscinas naturais. Alguns desses passeios dependem de condição das marés para sair. É uma praia boa para passar o dia à toa, só curtindo o sossego. Voltamos às 15h30min. Paramos na Casa do Nordeste de novo. Jantamos no Rest. Parmegianno de novo. Pedimos camarões acebolados que eram pequenos, mas sem cabeça e cauda, estava muito bom e veio uma travessa cheia. Passamos na Feira e no Pavilhão de Artesanato para passear.

 

Quinta, 07/03/2013 - dia ensolarado com poucas nuvens

Praia de Ipioca, Barraca Hibiscus

Tentamos agendar o passeio para a Praia de Ipioca com a Jaraguá, mas ela disse que não havia saída, então combinamos o passeio com a Maceió Turismo. Na verdade, a agência ia para a Ilha da Crôa, mas parou para nos deixar na Hibiscus e depois deixaria mais um pessoal na Praia de Tabuba. Entramos pelo condomínio. Tem outros acessos à praia antes de chegar ao condomínio com placas indicando, mas disseram que a parte mais bonita da praia é ao norte, onde fica a Hibiscus. Não posso confirmar, pois não conheci o sul. Ao entrar na Hibiscus pagamos a entrada e recebemos uma pulseira de identificação. É grande, tem estrutura, é legal, mas não achei que é tudo aquilo que o povo diz. Porém tem conjuntos de mesa, cadeiras e colchão de casal suspenso à beira da praia, que te faz sentir um rei ou uma rainha. Estava ótimo, pois estava com poucas pessoas, já que tinha apenas umas 12 dessas mesas “Vips”, na alta vai faltar. Aviso na mesa diz cobrar couvert artístico, pelo jeito tem música ao vivo, mas acredito que provavelmente só na alta e nos finais de semana. O local tem jardins ajeitadinhos, muitos coqueiros, redários. Achei a praia bonita, mas normal, parecida com outras praias vizinhas, o de sempre, água muito limpa, mar bem verde/azul. Dá para ver ao fundo, uma barreira de recifes mesmo com a maré alta, identificada pela linha escura e pela espuma das ondas estourando. Local tranquilo, sem muvuca, sem vendedores para te perturbar, boa para relaxar e curtir o dia. Saímos para caminhar, primeiro seguimos à esquerda, beirando o condomínio, depois tem uma área vazia e mais um condomínio, mas não dá para passar pela praia, pois a construção de uma casa bloqueia o caminho, mas a natureza já está cuidando disso, a água está destruindo a construção. Retornamos. Seguimos para o outro lado, por uma longa extensão de área vazia, só coqueiros e manguezal ao fundo. Praia praticamente deserta, só vimos um casal com cadeira de praia próximos a vários barcos de pesca. Chegamos ao rio e ao manguezal. Dava para atravessar, vimos dois pescadores passando com água abaixo da cintura. Era uma bonita paisagem formada pela praia, rio e manguezal. Do outro lado do rio dava para ver a continuação da praia e algumas construções que pareciam casas de veraneio, mas retornamos. Almoçamos frango grelhado, estava bom. Saímos as 15h45, mas ficamos quase uma hora esperando a agência que nos pegou depois das 16h30. Deu problema no sistema do D'Aldeia Village Hotel, as contas tiveram que ser fechadas manualmente. Demorou muito e deu confusão, várias pessoas reclamaram que cobraram a mais, incluindo na comanda itens não consumidos. Entretanto esse problema foi pequeno perto dos que decidiram ir a Porto de Galinhas naquele dia ou para o litoral sul, como a Praia do Francês. O MST bloqueou a estrada para o norte, queimando pneus e os veículos tiveram que retornar, pois não tinham como passar. No sentido sul, parece que houve acidente grave. Parada na Casa do Nordeste de novo, pelo jeito é parada de todo passeio para o litoral norte de toda agência. Jantamos no Parmegianno de novo, file à parmegiana com arroz e purê. O filé era tão grande que sobrou. Caminhamos pela orla para fazer a digestão. Na volta passamos na feirinha parra comprar mais castanha de caju.

 

Sexta, 08/03/2013 - dia ensolarado com algumas nuvens

Aeroporto de Maceió, Aeroporto de Brasília, Aeroporto de Congonhas

Não deu para fazer nada nesse dia. Levantamos um pouco mais tarde, tomamos café da manhã e fizemos check-out. Pegamos táxi para o Aeroporto de Maceió que é um pouco longe. Fizemos conexão no Aeroporto de Brasilía. Aproveitei para passar no CIT e pegar mapas e folders. Embarcamos de novo com destino ao Aeroporto de Congonhas, onde chegamos no horário previsto. Fim de viagem!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

[t3]Eu amo MAPAS[/t3]

 

Decidi por os links p/ não demorar p/ carregar e tb tem o problema d direitos e tal.

Visite os sites e escolha o mapa de sua preferência.

 

Mapas de Alagoas:

http://www.turismo.al.gov.br/configuracao/imagens/MP_Geral.jpg

http://www.destinoalagoas.tur.br/roteiros/

http://4.bp.blogspot.com/-trG2W0YJx0Y/UCum-nvVHJI/AAAAAAAAEb0/CXglU7e9PbE/s1600/MAPA+DE+ALAGOAS.gif

http://www.licite.com.br/img/esp/al.JPG

http://informacao.seplande.al.gov.br/alagoasmapas

 

Mapas do Litoral:

http://infinitamentelisa.blogspot.com.br/2011/05/fotos-praia-do-nordeste-brasileiroas.html

http://maisalagoas.uol.com.br/mapas/imgs/alagoas_litorais.gif

http://hotellagunasurf.com.br/files/Mapa_Ampliado.jpg

http://www.turismodonordeste.com/images/mapa-maceio_grande.gif

http://i890.photobucket.com/albums/ac102/Urbanoprudente/ALAGOAS%20-%20Brazil/mapalitoral.jpg

http://www.riachodoce.com/mapa-de-localizacao/

http://misscheckindotcom1.files.wordpress.com/2011/06/map-smiguel-aljpeg.jpg

http://www.maragogionline.com.br/estradas.htm

http://www.vikingblue.com/info.html

http://trilhadomar.com.br/wp-content/uploads/2011/04/mapa-sul-norte-al-2005p.jpg

http://coisasdemae.wordpress.com/?attachment_id=3724#main

 

Mapas de Maceió:

http://www.bairrosdemaceio.net/site/index.php?Canal=Praias%20e%20Lagoas&Tipo=Praia&Id=7

http://mapasblog.blogspot.com.br/2012/04/mapas-de-maceio-al.html

http://www.turismodonordeste.com/images/mapa-maceio2_grande.gif

http://guiadolitoral.uol.com.br/maceio-2569_2008.html

http://maisalagoas.uol.com.br/mapas/imgs/maceio_maior2.gif

http://mapasblog.blogspot.com.br/2012/04/mapas-de-maceio-al.html

http://www.interhabit.com.br/interhabit/images/neutral/id_country_3/id_zone_17/mapa_maceio_g.jpg

http://www.bairrosdemaceio.net/site/fotos.php?Url=Mapa_de_Maceio.jpg&Aonde=Mapa&Largura=700&Tamanho=500

http://mapasblog.blogspot.com.br/2012/04/mapas-de-maceio-al.html

http://trilhadomar.com.br/wp-content/uploads/2011/04/mapa_praia_do_frances-2.jpg

http://www.bairrosdemaceio.net/site/fotos.php?Url=ponta_verde_mapa.gif&Aonde=Mapa&Largura=700&Tamanho=500

 

Mapa de Penedo:

http://www.pousadacolonialdepenedo.com.br/?page_id=2

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá, Naomi, tudo bem!!!

 

Nossa que relato hein, já peguei varias dicas! rs

 

Gostaria de saber se vc utilizou os "taxi lotação" em Maceió ? Saberia a media de valores? ou fez os passeios só por agencia?

Esses pontos de saída que vc indicou, ficam próximo a Pajuçara? estarei hospedada por la...

 

Obrigada!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

oi Pamm,

 

ainda falta o relato d Maragogi.

 

eu usei taxi lotacao em Maceió sim, mas foi d Maragogi p/ Maceió, pois na ida eu fui d bus, q é bem + demorado e cansativo.

o ponto q eu conheço é q o fica no Posto d gasolina Mar Azul, em Cruz das Almas. Não dá p/ ir a pé até lá d Pajuçara, mas o taxista te pega e te deixa no hotel, se vc combinar c/ ele. Os contatos q eu tenho são dos rapazes q fazem Maceio-Maragogi.

agora o ponto q fica no centro, eu desconheço, pois nao usei.

 

em Maceio msm, p/ circular p/ as praias nao sei se tem esse tipo d taxi circulando. Talvez tenha, mas o q o pessoal + comenta são os q fazem as "linhas" p/ outras cidades, seja do litoral, como do interior, por exemplo, Piranhas.

eu acabei pegando os passeios d agencia msm, pela facilidade e comodidade. Pelas agencias + conhecidas, vc paga 1 pouco +, mas tem várias ali no calçadão, na Pajuçara, q vc pode contratar. Aproveite p/ passar lá a noite, q é qdo as vans ficam paradas. A faixa d passeio era por volta d 20,00. Achei q era boa relação custo beneficio, te pega no hotel, te deixa no hotel, tem AC, nada mochileiro, mas eu já tava no final d ferias e já tinha ralado mto andando d bus por Sergipe, achei bem merecido.

P/ economizar dá p/ pegar onibus sim, passam várias linhas ali na Pajuçara, mas p/ ir ao litoral sul (frances e Dunga) precisa pegar 2 onibus, se nao me engano.

 

Se tiver companhia, rachar 1 taxi ou aluguel d carro tb é bom. Nao vai ficar caro e vai te dar mobilidade/flexibilidade.

 

se precisar d algo, é só perguntar!

eu amei Alagoas, a orla urbana d Maceió é mto bonita, tem restaurantes bons, o mar do estado inteiro tem uma cor tao linda...

boa viagem!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

É eu peguei os contatos que vc deixou no relato já, tbm já vi os ônibus que vao pros lugares que estamos pensando em ir, estamos tentando não pegar passeios de agencia, pra ter mais liberdade nos hrs de ir e voltar dos lugares, estaremos em 3 meninas, e no começo pensamos em alugar carro, mas como só eu dirijo, ficaria toda essa responsabilidade pra mim...e eu não queria passar as férias toda dirigindo rs ....ai o taxi seria uma boa opção!

 

Estou adorando tudo que estou pesquisando sobre maceio, já estamos contando os dias pra chegar logo nossas férias, qualquer outra duvida q for surgindo te pergunto sim!

Obrigada,bjs

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Pamm, todos os passeios d agencia partem das praias por volta das 15h, o q é cedo.

vc poderia alugar o carro 1 dia, por exemplo, p/ conhecer o litoral sul e deixar p/ ir d onibus ou taxi nos locais + perto/facil.

 

alugar carro p/ ir a Maragogi tb é uma boa, mas é meio longe, entao talvez vc ache meio estressante. Lá em maragogi, carro é mto util.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

Entre para seguir isso  



×
×
  • Criar Novo...