Ir para conteúdo

FERNANDO DE NORONHA - 7 DIAS - AGO/2013 - COM FOTOS


mauricioabrao

Posts Recomendados

  • Membros

Amigos Mochileiros,

 

Começo a escrever este relato já no vôo de volta a São Paulo e a intenção é dar a minha contribuição já que este site me ajudou demais nesta e em várias outras viagens.

 

Bom... Fui com minha noiva e ficamos 7 noites em Noronha, tempo que eu considero mais do que suficiente para conhecer as atrações da Ilha, sem pressa. A viagem ocorreu em Agosto de 2013 e o que posso dizer é que volto pra casa muito satisfeito e que valeu demais investir a grana nessa trip.

 

Parece clichê mas vale sempre lembrar: Faça o planejamento da viagem, compre as passagens e reserve a pousada com o máximo de antecedência que puder.

 

Passagens: São duas as Companhias que voam para a ilha: Gol e Trip, voando de Recife e Natal. Comprei as minhas com milhas / dinheiro. Tínhamos algumas milhas acumuladas, mas não eram suficientes. A Gol oferece a possibilidade de comprar as milhas faltantes e assim a passagem de ida e volta partindo de SP ficou em torno de R$700,00 por pessoa.

 

Hospedagem: Em relação a hospedagem, dei um vacilo, devia ter reservado logo que comprei a passagem, mas no fim deu tudo certo. Não consegui me hospedar na Casa da Iris, tão bem comentada em outros relatos aqui no site, mas segui a recomendação de outros amigos e me hospedei na pousada Solar das Andorinhas. A diária saiu a R$200,00 com café da manhã. A pousada é muito bem localizada, na Vila dos Remédios, que é o principal bairro da Ilha. A pousada é simples, limpa, com bom café da manhã e a hospitalidade é maravilhosa. A funcionária Beth ou Betinha, é muito atenciosa. Recomendo a hospedagem a quem procura por pousadas neste padrão. Não cheguei a entrar em outras pousadas, mas outras que cheguei a pesquisar e também ficam muito bem localizadas são: Solymar e Golfinho.

 

Procure planejar os passeios logo na chegada a Ilha. Boa parte deles tem grande procura (isso que fui na média temporada, imagine na alta!) e alguns tem limitação de visita (comento mais abaixo sobre eles). Há diferentes opções de alimentação, sendo que a maior parte dos restaurantes / lanchonetes se concentram na Praça Flamboyant e entorno. Recomendo o Restaurante Ginga (Escondidinho de Carne Seca muito bom) e o Restaurante Ousadia. O Restaurante Flamboyant é uma ótima opção sendo Self Service no almoço (kg a R$49,90) e a La Carte no jantar (Só fui no almoço). Há um restaurante bem simples, próximo a Pizzaria São Miguel, uma espécie de lanchonete com anúncios de caldos e tapiocas (Uma espécie de trailler) fuja de lá! Fui uma única vez, o atendimento é ruim e os lanches são feitos de qualquer jeito. Outra dica relacionada a consumo: SEMPRE confira os itens cobrados na conta. Em vários lugares foram cobrados itens a mais do que os consumidos... difícil julgar se é por má fé ou não, mas enfim, fiquem atentos!!!

 

Equipamentos de Mergulho: A Máscara e o Snorkel serão usados praticamente todos os dias. Se não os tiver, é possível alugá-los por R$10 a diária. O Colete só é obrigatório na Praia do Sueste e sinceramente não vejo necessidade nos outros locais, assim como Pé de Pato.

 

A seguir relato as atividades de cada um dois dias:

 

A CHEGADA

 

O vôo da gol chega por volta das 16:00. A ansiedade em avistar a ilha nos minutos que antecedem o pouso é enorme. No check in procure reservar a poltrona do lado esquerdo do avião. Logo na chegada é possível avistar o Morro Dois Irmãos pela primeira vez. Logo no desembarque há necessidade de pagar a Taxa de preservação ambiental. É possível adiantar o pagamento através da Internet no link http://noronha.mixtecnologia.com.br/siteAdministracao.do?method=exibirTelaPagamentoTaxaPreservacaoAmbiental Na chegada no aeroporto as pessoas lhe perguntam em qual pousada irá se hospedar. Ao contrário da maioria dos lugares, pode responder sem medo. As agências de turismo fazem o transfer gratuitamente, e é óbvio que a intenção é apresentar e tentar vender as opções de passeio. A empresa q nos levou até a pousada foi a Costa Azul (ou Costa Blue como vem sendo chamada atualmente). Eles juntaram umas 10 pessoas num micro ônibus e logo de cara já deram uma passadinha na Praia do Sueste para um primeiro contato. Foram oferecidas algumas possibilidades de passeio mas de cara deixei fechado o Ilha Tour, que foi oferecido por R$100,00 mas no dinheiro acabou saindo por R$90. Essa é uma outra dica importante. Tudo que for comprar na ilha (com exceção de alimentação/bebida) fica mais barato se der uma choradinha e pagar no cash. Há só uma agência bancária em Noronha (Santander) e há caixa eletrônico do Itaú e Bradesco no Aeroporto.

Chegando na pousada nos acomodamos e seguindo a dica de Betinha, descemos a pé até o forte de Nossa Sra dos Remédios para apreciar o visual e assistir o por do sol. O Forte fica ao lado da praia do cachorro, e é bem perto da vila. Depois do espetáculo, descemos até a praia e em seguida tomamos uma cervejinha no Bar do Cachorro. Em seguida subimos, demos uma voltinha pela praça e voltamos a pousada para descansar.

 

SAM_2308.JPG.1fca62f025a7266c04d05450eda62673.JPG

 

1º DIA – ILHA TOUR

 

Essencial para conhecer os principais pontos da ilha e definir quais os pontos vai querer rever. Antes do passeio é necessário fazer uma carteirinha para entrada no Parque Nacional, o que inclui as principais praias como Sancho, Baia dos Porcos, Sueste, Trilha do Atalaia etc... o valor é de R$75 para brasileiros e R$150 para gringos. É possível adiantar a carteirinha na Vila dos Remédios, atrás do restaurante Flamboyant ou na entrada da trilha para o Sancho. Em Outubro/2012 foi construído um ponto de apoio e uma passarela até o mirante do Sancho e Dois Irmãos. Ao descer a passarela, se tem uma das melhores sensações de toda a viagem: Avistar a Praia do Sancho e a Baía dos Porcos pela primeira vez. O visual é lindíssimo e é impossível não querer tirar um montão de fotos. Depois dos mirantes se desce através de uma fenda entre as rochas até a praia e é possível fazer o primeiro mergulho livre. Em seguida fomos para Cacimba do Padre - o paraiso dos surfistas, mas que tem boas ondas só no começo do ano, caminhamos até a Baia dos Porcos e fizemos mais um mergulho.

Depois disso pausa para o almoço e em seguida conhecemos o Porto, a Baía dos Tubarões (a maré estava baixa não avistei nenhum), buraco da Raquel e o museu do Tubarão. Em seguida passamos pela praia do Leão, que já fica no mar de fora. A praia é lindíssima, mas segundo o guia é um tanto perigosa para banho devido as correntes. Depois fomos para Baía do Sueste, onde rolou mais um mergulho livre. Como disse anteriormente, nessa praia é obrigatório o uso de colete, pois há um grande trecho de corais em recuperação. A expectativa de ver tartarugas não se confirmou, mas foi muito bem recompensada com a vista de um Tubarão Lixa e de uma Barracuda enorme. O dia se encerrou com o por do sol no Forte São Pedro do Boldró, que fica no alto entre as Praias do Boldró e Americano.

 

SAM_2910.JPG.c87e1f062f2d5ff6e50f8a6827271580.JPG

 

2º DIA – PASSEIO DE BARCO

 

Fizemos alguns amigos durante o Ilha Tour e alguns deles fecharam o pacote oferecido pela Costa Blue e acabamos fechando também. Além do Ilha Tour incluía passeio de barco + entardecer vip (aquasub + comida). Decidimos fazer o passeio de barco num dia e o entardecer vip em outro, para não ficar muito cansativo. O pacote saiu por R$ 320,00. Uma dica pra quem for fazer o passeio de barco com a Costa Blue, se o barco for o Happy Days, procure ficar entre os seis primeiros que embarcam, pois há um deck na parte de cima do barco que é limitado a apenas 6 pessoas. Seguindo o passeio, um guia vai dando os detalhes sobre as praias. Próximo a saída já uma agradável surpresa. Diversos golfinhos apareceram e foram acompanhando o barco por vários minutos. O passeio segue pelas praias do mar de dentro e dá uma parada no Sancho para um mergulho. Depois passa pela Baía dos golfinhos e volta, seguindo até as ilhas secundárias, onde novamente os golfinhos deram um show. Fim do passeio, resolvemos curtir a tarde na Praia do Cachorro, junto com os novos amigos. Ficamos tomando uma cervejinha na Tenda do Pipoka e ao entardecer fomos andando até a praia da Conceição que também tem um visual lindo.

 

SAM_2662.JPG.f152266dec3df5690ac97fc2926888f2.JPG

 

3º DIA – ENTARDECER VIP

 

Aproveitamos a manhã livre para curtir a praia que havíamos conhecido no final da tarde anterior, a Conceição, que é bastante agradável e dá pra chegar a pé, partindo da Vila dos Remédios. Há um bar entre a Praia do Meio e Conceição, onde os garçons são muito atenciosos. Além de ser muito boa para banho de mar, a praia também é muito boa um mergulho livre com máscara e snorkel, sendo possível avistar uma grande quantidade de peixes e outros animais marinhos. Voltando para a Pousada, fizemos uma pausa no Restaurante do Jacaré, que fica no caminho (na estradinha para Conceição). O almoço é bem caseiro e gostoso, mas achei um pouco caro... R$20 por pessoa, come a vontade, porém é perfeitamente possível almoçar a este preço no Flamboyant, que é por quilo e possui uma variedade muito maior de pratos.

O Passeio da Tarde foi bem legal e tivemos sorte pois não tinham muitas pessoas. O barco também era o Happy Days e após algumas instruções, fomos colocados na água para o Aquasub, onde o barco vai puxando as pessoas por uma corda e elas vão visualizando o fundo do mar. O tempo estava um pouco nublado, o que influencia diretamente na visibilidade, mas ainda assim valeu a pena. Foi possível visualizar tartarugas, arraias e muitos peixes, além dos destroços do Navio Grego que naufragou próximo ao porto. Depois disso, o barco ancorou na praia da Conceição, deixando as pessoas livres para mergulharem enquanto uma churrasqueira foi acesa no barco. Foi servida uma ótima refeição, com Anchova, Picanha, etc... enquanto víamos o Pôr do Sol. Tinham em por volta de 8 pessoas no passeio, o que o tornou muito mais proveitoso.

 

SAM_2885.JPG.39c3c36b8183ae6038f6111162849d4c.JPG

 

4º DIA - LIVRE

 

Tínhamos o dia livre e decidimos ir até o Porto... o dia amanheceu bem nublado e com um pouco de chuva, aliás foi o único dia nessas condições. Há um ônibus coletivo que cruza toda a ilha (Sueste – Porto) ao preço de R$3,00 e passa de meia em meia hora. Pegamos o ônibus e descemos no Porto. Aproveitamos para subir novamente até a Capela de São Pedro e conferir mais uma vez a vista do mar de fora. A maré estava um pouco mais cheia, mas ainda assim não conseguimos avistar tubarões na baía dos tubarões. Descemos até a praia do Porto, encontramos um casal de amigos numa das barraquinhas que ficam encostadas ao píer. Ficamos tomando uma cervejinha e batendo um papo enquanto isso o tempo foi abrindo. Aproveitei para fazer um mergulho livre pela praia. Dentre as praias que fiz isso, sem dúvida foi o melhor mergulho. Foi o lugar onde vi mais tartarugas, é muito legal acompanhá-las durante o nado. Também é possível ir nadando até o barco naufragado para observá-lo com mais calma. É preciso um pouco de atenção com os Barcos que entram e saem do porto, mas o movimento não é tão grande assim. Depois mais um dos casais de amigos que fizemos por lá também apareceram e a conversa foi longe. Comemos um peixe frito na barraca da Graça por R$30 (Simples mas bem feito) fomos embora de ônibus no final da tarde. Pela noite, resolvemos fazer um jantar um pouco mais ‘sofisticado’. Fomos até o Restaurante Varanda, indicado por um amigo. Pegamos um taxi, partindo da Vila dos Remédios ao custo de R$15,00. O restaurante fica perto, na Vila do Trinta, mas é preciso encarar uma bela subida até lá. A comida é muito boa e um tanto quanto cara, pratos na faixa dos R$100 para duas pessoas, mas acredito que tenha valido a pena. O restaurante tem uma vista muito bela e por isso acredito que valha mais a pena conhecê-lo no almoço. Para voltar, descemos a pé (pra descer todo santo ajuda) numa rápida caminhada de 15 minutos.

 

SAM_2901.JPG.db579d92d79ae2bd28d11f1b84d652eb.JPG

 

5º DIA – ALUGUEL BUGUE

 

Uma dica para quem pretende alugar um Bugue: Procure fazer a reserva com uns dois dias de antecedência. Eu não tive dificuldades pra alugar com um dia de antecedência, mas conheci pessoas que tiveram que suar pra conseguir. A vantagem do aluguel (pagamos R$120,00 a diária) é a liberdade de desfrutar as praias que mais gostou do ilha tour, pelo tempo que desejar. A pessoa que alugou indicou que colocássemos 10 litros de gasolina que seria suficiente para andar tranqüilamente por um dia por toda a ilha. Dividimos a diária com um outro casal e as despesas foram rachadas. De cara fomos até o posto de gasolina. Só há um na ilha e fica próximo ao Porto. A gasolina é bem cara por razões óbvias (R$ 4,19 o litro). Depois partimos para o reencontro com a belíssima Praia do Sancho. Ficamos mais uma vez admirando-a pelo mirante, depois descemos e ficamos aproveitando por toda a manhã. Partimos para a Cacimba do Padre na hora do almoço. Há duas barracas na entrada da praia. Paramos na Barraca das Gêmeas que tem como especialidade o peixe preparado na folha de Bananeira que com acompanhamentos sai a R$60,00. Depois do almoço, curtimos um pouco a Praia e fomos caminhando até a Baía dos Porcos onde fizemos mais um mergulho. Depois demos uma passada por Sueste e Porto. Terminando o dia com um Açaí no Açaí da Ilha. Ao chegarmos no Açaí acabou a energia em toda a ilha e demorou uns 40 minutos pra voltar.

 

SAM_2427.JPG.c6ec809c81fc0931ac3a1a799930be40.JPG

 

6º DIA – MERGULHO

 

Enfim chegava a atividade mais esperada... o mergulho com cilindro. Procure agendar o passeio com uns 03 dias de antecedência e importante: Obrigatoriamente deve ser feito no mínimo 1 dia antes do retorno ao continente, por conta do avião e da pressão nos ouvidos! Há três empresas que oferecem serviços de mergulho: Atlantis, Noronha Divers e Águas Claras. A Atlantis tem a melhor estrutura e também o maior preço. Eles tem uma loja muito bonita, na Vila dos Remédios descendo para a Praia do Cachorro. O mergulho de Batismo sai a R$ 360. Já na Noronha Divers que fica um pouco mais abaixo da Atlantis, bem ao lado do Bar do Cachorro, sai a R$330 e chorando, no dinheiro, saiu a R$300. Algumas pessoas que já tinham experiência com mergulho já haviam indicado a Noronha Divers, então aliamos a indicação a economia. E valeu muito a pena!!! O mergulho ocorreu na Ilha do Meio (Ilhas Secundárias) e no caminho um dos instrutores vai dando uma ‘aula’ para os mergulhadores iniciantes. O barco chegou ao destino, vestimos a roupa de mergulho e caímos na água... Não compensei a pressão a quantidade de vezes necessárias e isso acabou me custando o passeio do dia seguinte, mas valeu muuuuuito a pena!!! Pra quem nunca mergulhou, há um certo desconforto nos primeiros minutos, até que se acostume com os equipamentos, mas a experiência é sensacional!!! Mergulhamos a 12 metros e há muitos peixes diferentes de todos que já havíamos visto... na melhor parte do mergulho... o Instrutor me apontou a superfície indicando que haviam golfinhos próximos a nós! O próprio instrutor disse que é difícil avistá-los durante o mergulho e que éramos privilegiados por isso. O mergulho dura em torno de meia hora e é acompanhando por um fotógrafo. As fotos são bem caras (R$30,00 cada uma) mas é impossível não comprar uma sequer. Demos uma chorada e no dinheiro acabamos levando 3 por R$60,00. Ao sair da água, senti um desconforto nos ouvidos sendo que o esquerdo ficou tampado. Fui dormir com ele desse jeito.

 

SAM_3005.JPG.e6d7bf41e10ead7eeb87f01bf10f90c6.JPG

 

7º DIA – TRILHA LONGA DO ATALAIA E VOLTA PRA CASA

 

Tinhamos agendado a trilha longa do Atalaia com a Costa Blue. Esse é outro passeio que deve ser agendado com uns 2 ou 3 dias de antecedência, pois a entrada na trilha é controlada pelo IBAMA. Acordei ainda com o desconforto no ouvido esquerdo e acabei cancelando o passeio. Tomei o café e procurei um médico no hospital que fica atrás da praça Flamboyant. A médica me examinou e disse que tenho menor sensibilidade nos ouvidos, o que fez com que não tenha feito a descompressão o tanto de vezes necessárias. Alguns vasos acabaram se rompendo e tive que tomar anti-inflamatório por alguns dias. Perdi o passeio, mas fiquei mais tranqüilo, pois estava preocupado de ter ocorrido algum problema com o tímpano. Aproveitamos a manhã para nos despedirmos da praia do Cachorro e Meio. Ficamos na Tenda do Pipoka, comemos uma porção e demos o último mergulho. De volta para Pousada, nos arrumar para tomar o caminho de volta.

 

SAM_3014.JPG.e84e09581d82209c7f3e445905c7887f.JPG

 

É uma viagem cara, principalmente pelas taxas (R$282 Tx Ambiental por 7 dias + R$75 Carteirinha para Parque Nacional), mas vale muito a pena. Noronha é um lugar de beleza única!! Se programar com bastante antecedência a viagem sai mais em conta, pois entendo que o mais pesado é a passagem aérea.

 

Os nativos da Ilha e os habitantes em geral são muito gentis e hospitaleiros. É curioso saber que boa parte deles pretende voltar em breve ao continente, pois o custo de vida é caro e as oportunidades são restritas, já que a Ilha vive exclusivamente do Turismo, além do que é como viver em uma cidade minúscula do interior onde todo mundo conhece a vida de todo mundo, já que a Ilha possui aproximadamente 4 mil habitantes.

 

Há muitas recomendações sobre o bom uso da água, pois o acesso a água doce é escasso (A água do mar passa por um processo de dessalinização). Achei bom o estado de conservação geral da Ilha, apesar de encontrar alguma sujeira na Praia do Porto e perceber que o lixo recolhido na Ilha é todo misturado num único caminhão, mesmo que tenha sido descartado em lixeiras apropriadas para coleta seletiva.

 

Espero ter dado minha contribuição e fiquem a vontade para perguntar caso tenham alguma dúvida, ficarei feliz em ajudar.

 

Espero voltar para Noronha em breve!

 

Abraço

Maurício Abrão

Link para o comentário
  • Membros

Olá Maurício,

 

Muito bom o seu relato!! Parabéns... Seguindo o seu relato, do Arlan e Nilton.. vou aproveitar bastante!!!!

 

Dia 24/09 é minha vez. Eu e minha mulher vamos ficar 9 dias hospedado na Casa Iris. Espero Aproveitar bastante também.

 

Se aparecer alguma dúvida..te envio uma mensagem!!!

 

Abraço...

 

Dhian

Link para o comentário
  • Membros

Fala Maurício....

Estou com dúvidas referente a parte noturna! É possível ir nas praias ou mirantes e ver alguma coisa? Ou é tudo escuro e a opção mesmo são os bares/restaurantes?

Eu estou a costumado a caminhar bastante, você acha que de Bike eu ando tranquilo peça Ilha toda, ou os morros são puxados?

 

Valeu..

Link para o comentário
  • Membros

Dhian,

 

A parte noturna não é tão agitada. Na praia do Cachorro há o Bar do Cachorro, onde rola um forró (bem animado) as Quartas e Sextas. Há várias mesas e se chegar cedo consegue pegar uma. A partir das 23:00 é encerrado serviço de garçon e é preciso encerrar a conta e só consome pegando ficha no caixa. Mais uma vez segue o alerta... fiquem atentos com a conta... principalmente no Bar do Cachorro... tive problemas por lá! A outra baladinha é conhecida como 'Pizzaria' que fica descendo pro Cachorro, bem ao lado da Igreja, mas essa não cheguei a entrar.

Sobre as caminhadas e passeios de bike, as subidas são beeem puxadas... inclusive do Cachorro até a Vila é uma subida e tanto! Se estiver afim de encarar a ilha de bike vai precisar de bastante disposição! rs

 

abs

Maurício

Link para o comentário

Participe da conversa

Você pode postar agora e se cadastrar mais tarde. Se você tem uma conta, faça o login para postar com sua conta.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

×
×
  • Criar Novo...