Ir para conteúdo
ana-carolina.de-pádua

LA PAZ E TOUR DE TRÊS DIAS PELO SALAR DE UYUNI

Posts Recomendados

Pessoal, há menos de um mês iniciei o meu curto mochilão pela Bolívia e, como muito precisei das informações dos fóruns deste site e sei como é difícil ter o esclarecimento preciso sobre o que se procura (já que cada um tem uma visão diferente), resolvi fazer um post para tentar auxiliar em possíveis dúvidas para quem estiver afim de ir por agora. Porque como são várias percepções (principalmente de um lugar desses), quanto mais informações, melhor! E me disponho pra qualquer dúvida. O blog ainda não está com toda a matéria exposta, mas já dá pra ter alguma base. O endereço é https://andandodecantoemcanto.wordpress.com/ para quem quiser ter mais detalhes, mas por aqui ressalto informações básicas.

 

Saímos no dia 14/10 de Guarulhos (pela Gol), pela manhã, paramos em Santa Cruz

De lá pegamos vôo interno para La Paz (com a BoA) e chegamos no fim da tarde na cidade

Ficamos hospedados por 4 dias no hostel Wild Rover (que está recomendadíssimo, por sinal)

Fizemos um tour geral pela cidade durante um dia, o passeio de bike pela estrada da morte, Chacaltaya e Valle de la luna

Depois fomos de ônibus cama (duração 13 horas) para Uyuni

Chegamos às 07:30, até as 08:30 fechamos o tour com a Blue Line com uma turma em duas 4x4 e já compramos passagem de volta para Sucre antecipadamente

Retornamos no terceiro dia às 17:30, fizemos uma hora em um restaurante e partimos às 22:00 para Sucre, onde chegamos às 07:00

Em Sucre, ficamos no hostel Kultur Berlim por um dia apenas

No dia 23/10 saímos pela manhã de Sucre para Santa Cruz (com a cia aérea Amaszonas)

E, de lá, pegamos vôo de volta para Guarulhos (com a gol novamente)

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Oi td bem? Vc poderia dispor dos preços dos passeios que fez? A empresas em UYUNI foi bem avaliada em sua opinião? Por qual empresa de bus fez Lá Paz UYUNI e UYUNI Sucre? Quanto foi a diária no Wilde Rover? Qual agência fechou o Downwill e Chacaltaya, gostou do atendimento? E os preços de corrida de táxi qual é o preço em média? O hotel em Sucre é bom, quanto foi a diária e o endereço? Valeu um abraço pela ajuda.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Marcelo, tudo bem, e com você? Claro! A empresa que eu fiz foi a Blue Line, tinha conversado com uma mochileira que fez com eles e me disse que era tudo ok, porque eu estava pensando em fechar com a Cordillera, que parecia ter algo de melhor, mas não fizemos questão de mais do que a Blue Line tinha para dispor. Os carros eram dos próprios motoristas, estavam ok, nunca tinha lido algum relato de algum problema relacionado à direção de motoristas associados a essa empresa, e em termos de comida e hospedagens, foi ok também, simples, mas ok. Acho que eu não pagaria muito mais porque você vai pra um passeio desses sabendo que vai ser tudo de fato limitado, né? Com a Blue Line, estávamos em 5, e conseguimos chorar e fechar o tour de 3 dias por 700 bolivianos; um casal de brasileiros pagou 750. Enquanto que na Cordillera estava 950 e no máximo flexibilizaram para 900 por estarmos em 5. Digo, tem empresas com um pouco mais de luxo, tipo a Red Planet, mas não fizemos questão, apenas segurança mesmo. E o nosso passeio, apesar da pressa do guia, correu tudo bem.

De ônibus de La Paz - Uyuni peguei com a Trans Omar, que parecia ser a melhor da rodoviária, paguei 150 bolivianos pelo bus cama que fez o trajeto em 13 horas porque passa só por estrada asfaltada (tem outros ônibus que fazem em 11, sendo que se passa a metade do trajeto em estrada de terra); o ônibus é ok também, tinha banheiro funcionando, mas o wifi não funcionava ( se bem que nem precisei).

Já Uyuni - Sucre, fui com a 6 de Octubre, que, ao que me pareceu, era a única companhia que fazia o trajeto direto para Sucre; comprei a minha passagem no dia que cheguei em Uyuni para não correr o risco de ficar sem, mas nesse momento só tinham disponíveis passagens para o bus semi cama, por 80 bolivianos. Foram 7 horas de viagem, saindo às 22 horas, com uma única parada (no meio da estrada para ir 'ao banheiro'), uma vez que o ônibus não tinha banheiro. Talvez o bus cama tenha, e deve ser em torno de 100/110 bolivianos.

A diária no Wild Rover, como eu fechei um quarto privativo (com banheiro) com o meu namorado, saiu 100 bolivianos por dia pra cada. Mas esse valor dá pra flexibilizar demais pegando um compartilhado!

Então, fui até a Republica Tours (quase ao lado do Wild Rover) e fechei os dois passeios. O downhill eles tinham opções com a Xtreme e Solario, e escolhemos a Xtreme por já conhecer amigos que recomendaram, o custo foi 370 bolivianos pela bike intermediária. Fechamos o Chacaltaya através da Republica Tours também. Então, não dá pra se esperar horrores dos atendimentos, só tive um problema porque marquei em todos os meus equipamentos do downhill (no papel que a atendente me entregou) que o meu tamanho era S (calça, blusa, etc) e chegou na hora e veio tudo no M e não tinha o que fazer porque eles não levam tamanhos reservas. Então ficou levemente desconfortável no começo, mas no mais foram bem atenciosos, no limite do possível. Explicavam tudo muito bem, no blog eu até relato uns detalhes peculiares do nosso passeio de fato e tem umas fotos. Eu recomendo fazer com essa empresa! Mas como já disse, se tiver a oportunidade de pesquisar em outra que não Republica Tours pra ver se consegue um preço melhor, também é válido, mas recomendo que a operadora seja a Xtreme. O guia fala inglês e português e o passeio todo é bem interativo.

Olha, em La Paz quase não pegamos taxi porque ficamos no centro, mas taxi do Wild Rover pra rodoviária, por exemplo era 20 bolivianos e do aeroporto pro Wild Rover foi 60 bolivianos. É bem razoável! E em Sucre o valor dos taxis são calculados por pessoa, mas ainda assim é bem barato! Da rodoviária pro Kultur Berlim pagamos 4 bolivianos por pessoa (estávamos em 3) e nem era tãao do lado assim.

O hostel em Sucre é bom sim! Não tivemos muito tempo de aproveitar, mas disseram que o café da manhã é muito bom, ele é todo arborizado e é um party hostel também, embora muito mais sossegado que o Wild Rover. A diária foi a mesma coisa; fechamos quarto privativo com banheiro, e ficou em 100 bolivianos a diária por pessoa. O endereço é Avaroa 326, Sucre 0000, Bolívia, muito bem localizado e avaliado!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Marcelo, tudo bem, e com você? Claro! A empresa que eu fiz foi a Blue Line, tinha conversado com uma mochileira que fez com eles e me disse que era tudo ok, porque eu estava pensando em fechar com a Cordillera, que parecia ter algo de melhor, mas não fizemos questão de mais do que a Blue Line tinha para dispor. Os carros eram dos próprios motoristas, estavam ok, nunca tinha lido algum relato de algum problema relacionado à direção de motoristas associados a essa empresa, e em termos de comida e hospedagens, foi ok também, simples, mas ok. Acho que eu não pagaria muito mais porque você vai pra um passeio desses sabendo que vai ser tudo de fato limitado, né? Com a Blue Line, estávamos em 5, e conseguimos chorar e fechar o tour de 3 dias por 700 bolivianos; um casal de brasileiros pagou 750. Enquanto que na Cordillera estava 950 e no máximo flexibilizaram para 900 por estarmos em 5. Digo, tem empresas com um pouco mais de luxo, tipo a Red Planet, mas não fizemos questão, apenas segurança mesmo. E o nosso passeio, apesar da pressa do guia, correu tudo bem.

De ônibus de La Paz - Uyuni peguei com a Trans Omar, que parecia ser a melhor da rodoviária, paguei 150 bolivianos pelo bus cama que fez o trajeto em 13 horas porque passa só por estrada asfaltada (tem outros ônibus que fazem em 11, sendo que se passa a metade do trajeto em estrada de terra); o ônibus é ok também, tinha banheiro funcionando, mas o wifi não funcionava ( se bem que nem precisei).

Já Uyuni - Sucre, fui com a 6 de Octubre, que, ao que me pareceu, era a única companhia que fazia o trajeto direto para Sucre; comprei a minha passagem no dia que cheguei em Uyuni para não correr o risco de ficar sem, mas nesse momento só tinham disponíveis passagens para o bus semi cama, por 80 bolivianos. Foram 7 horas de viagem, saindo às 22 horas, com uma única parada (no meio da estrada para ir 'ao banheiro'), uma vez que o ônibus não tinha banheiro. Talvez o bus cama tenha, e deve ser em torno de 100/110 bolivianos.

A diária no Wild Rover, como eu fechei um quarto privativo (com banheiro) com o meu namorado, saiu 100 bolivianos por dia pra cada. Mas esse valor dá pra flexibilizar demais pegando um compartilhado!

Então, fui até a Republica Tours (quase ao lado do Wild Rover) e fechei os dois passeios. O downhill eles tinham opções com a Xtreme e Solario, e escolhemos a Xtreme por já conhecer amigos que recomendaram, o custo foi 370 bolivianos pela bike intermediária. Fechamos o Chacaltaya através da Republica Tours também. Então, não dá pra se esperar horrores dos atendimentos, só tive um problema porque marquei em todos os meus equipamentos do downhill (no papel que a atendente me entregou) que o meu tamanho era S (calça, blusa, etc) e chegou na hora e veio tudo no M e não tinha o que fazer porque eles não levam tamanhos reservas. Então ficou levemente desconfortável no começo, mas no mais foram bem atenciosos, no limite do possível. Explicavam tudo muito bem, no blog eu até relato uns detalhes peculiares do nosso passeio de fato e tem umas fotos. Eu recomendo fazer com essa empresa! Mas como já disse, se tiver a oportunidade de pesquisar em outra que não Republica Tours pra ver se consegue um preço melhor, também é válido, mas recomendo que a operadora seja a Xtreme. O guia fala inglês e português e o passeio todo é bem interativo.

Olha, em La Paz quase não pegamos taxi porque ficamos no centro, mas taxi do Wild Rover pra rodoviária, por exemplo era 20 bolivianos e do aeroporto pro Wild Rover foi 60 bolivianos. É bem razoável! E em Sucre o valor dos taxis são calculados por pessoa, mas ainda assim é bem barato! Da rodoviária pro Kultur Berlim pagamos 4 bolivianos por pessoa (estávamos em 3) e nem era tãao do lado assim.

O hostel em Sucre é bom sim! Não tivemos muito tempo de aproveitar, mas disseram que o café da manhã é muito bom, ele é todo arborizado e é um party hostel também, embora muito mais sossegado que o Wild Rover. A diária foi a mesma coisa; fechamos quarto privativo com banheiro, e ficou em 100 bolivianos a diária por pessoa. O endereço é Avaroa 326, Sucre 0000, Bolívia, muito bem localizado e avaliado!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Oi muito obrigado pela dúvidas tiradas. Então vocês sofreram com a altitude?

Vou chegar em Santa Cruz de madrugada e saio de avião de Sucre às 10:30 chego umas 11:05 e vou ir para o centro ou para o hostel que vc indicou até a chagada de mais três colegas aqui do mochileiros. Espero que eu não sinta muito os efeitos da altitude. Um abraços.

marceloespanha ::otemo::

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olha, acredito que por você começar por Sucre, você sinta menos os efeitos porque Sucre está, se não me engano, a 2.700m, então não é tãaaao complicado. Começamos já por La Paz e já fomos atrás das tais soroche pills logo na chegada (porque recomendam que se tome providência antes que se sinta os efeitos); confesso que senti uma dor de cabeça forte no primeiro dia a noite, mas só... e continuei tomando as soroche e no segundo dia já não senti mais nada! Só o cansaço que é inevitável nas alturas, cada degrau de escada parece que corresponde a vinte, mas é normal e não há o que se tome pra evitar isso; o negócio é ir com calma. E se vocês vão primeiro para Sucre pra depois ir pra Uyuni (ou seja, começarão a 2.700 e depois passarão a 3.600), o corpo deve se aclimatar melhor. Vale dizer também que o tour de 3 dias é progressivo na altitude, no último dia se chega a 5.000m basicamente, mas já se está aclimatado.

Sim! Se possível, fiquem no hostel, pelo que eu pesquisei era o mais recomendado.

E quanto à altitude, se conseguir, compre as pílulas, algo de coca, caso esteja receoso. Beba sempre bastante água e faça tudo progressivamente conforme vá subindo.

Espero que tenha ajudado. Boa viagem a vocês!!!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Valeu pelo relato Ana !!

tb fiz isso, de chegar direto por la paz, e foi difícil aguentar as dores de cabeça, principalmente, pra dormir, só com remédio kkkk

no mais vale muitoooo, boas viagens !!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Oi Ana... legal tuas dicas, vou acompanhar seu blog.

Um dúvida: Achei os valores dos teus passeios muito bons. Você acha que tem relação com o fato de ser baixa temporada? Estarei indo em janeiro e pelo que pesquisei os valores estão bem acima do que você passou. Exemplo: achei Downhill a 480 pela Xtreme, Sala do Uyuni numa média de 850... até fiquei mais animada com esses valores que você passou, mas imagino que janeiro por ser alta temporada tenha valores bem maiores. O que você acha?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Tatiara, então, tudo depende muito da empresa com quem você fecha e as condições do passeio. Tenho amigos que foram no começo desse ano (em janeiro também) e pagaram o mesmo preço que eu paguei pelo Downhill porque fechamos no mesmo ponto (República Tours) e pelo mesmo pacote (o intermediário), pois a bike mais top realmente era nesse patamar de preço que você citou. Como não víamos muita diferença, resolvemos fechar a mais básica mesmo. Apesar de que na hora do passeio você vê que faz diferença de fato.

E incrivelmente existem muitas pessoas mesmo nessa época, o hostel estava cheio, os passeios também, tem muita gente que vem de fora pra passar 3, 6 meses viajando, então sempre tem uma demanda, ao que me pareceu. Mas sobre a bike: onde você teve acesso aos preços? Foi através de e-mail às empresas? Porque antes de ir eu também havia achado essa faixa com a Xtreme, mas acredito que era a mais top, apesar de, como eu disse no blog, existirem agências que oferecem um tour (pela Xtreme mesmo) mais barato.

Salar de Uyuni depende muito da empresa também. Por exemplo, Cordillera era 900 (até mais cara), sendo que estávamos em 5; a Blue Line que era uma razoável que teve um preço melhor mesmo, e um pouco melhor pra nós por conta de estarmos em 5. Se você teve acesso a esses preços ao mandar e-mail para as empresas, uma coisa que eu aconselho sempre é deixar pra chegar cedo e negociar por lá mesmo, os preços são bem melhores do que pela internet ou por qualquer agência em La Paz, por conta de precisarem de gente pra fechar um carro, estar em cima da hora, etc, dá pra negociar legal, porque existem muitas, mas muitas empresas que operam. Uma pessoa que foi em julho havia me passado o mesmo preço que eu encontrei; então eu acho que dá pra ter uma margem de 100 bolivianos de acordo com a negociação. Eu acho que dá pra conseguir uns preços melhores, principalmente se você estiver com mais pessoas (isso vale pro Salar).

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Oi Ana!

Vou em junho para Bolívia e minha maior preocupação é o câmbio... Li o seu relato no blog e me assustei, pois fui há uns dois anos na Bolívia e o câmbio era 1 real: 3 bol!

Você tem uma noção de quanto ficou o valor total da sua viagem em reais? O meu roteiro está bem parecido com o seu, assim consigo uma noção de gastos...

Obrigada!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Elaine, pois é... eu havia lido vários relatos mais antigos em blogs também, mais precisamente de 2011, e o câmbio era 1 real : 4 bolivianos; depois 1:2, mas quando conversei com uma pessoa que tinha ido 2 meses antes de mim também me assustei quando ela me disse 'caso ache câmbio de 1:1,80 no Brasil, faça! Mas é que realmente a nossa moeda se desvalorizou bem.... e agora sinceramente não sei se perdeu um pouco mais! Existem uns bons aplicativos que fazem essa conversão, e lá em La Paz, nesses lugares mais informais, eles costumam cumprir com muita proximidade a conversão realizada. Agora pesquisei e estava 1:1,71, às vezes você pode encontrar até 1:1,65, na pior das hipóteses. Aconselho esses locais caso a sua primeira parada seja La Paz, porque em Sucre, por exemplo, tive dificuldade de encontrar câmbios melhores e informais.

A minha viagem ficou uns 2.400 reais os 9 dias com tudo incluso (a taxa de embarque do vôo SP - Santa Cruz, uma vez que paguei em milhas, vôos de Santa Cruz pra La Paz e Sucre pra Santa Cruz, dois trajetos de ônibus, todos os passeios, tour pelo Salar e todas as minhas despesas de viagem nesses 9 dias).

Disponha!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora


×