Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Moto Bros 150cc 2004 12 mil KMs - Norte de Minas, Bahia, Goias, Maranhão, Litoral Nordestino e Chap Diamantina


Posts Recomendados

  • Membros

Saudações a todos.

 

Período 21-3-16 a 8-5-16, total 49 dias, percorri 12 mil quilometros. Saída de BH rumo ao BRASIL CENTRAL (CERRADO e um pouco do LITORAL).

FOTOS E VIDEOS NO FINAL DO POST tem os link para ver, separados por períodos, ÁLBUM VIRTUAL

Eu, tenho uma Bros 150cc 2004, motor OHC, original de fabrica, não tenho noção de mecânica, apenas uma leve compreensão do básico do básico em moto, que é, manter lubrificado a corrente e cabos, e a limpeza do filtro e carburador.

Meu nome é Marcos Vinícius, atualmente desempregado, peguei minhas economias e fiz a viagem, pretendo arrumar um emprego, melhor se for para ser CAMINHONEIRO, o qual já tenho cursos e a carteira é A/E, caso alguém saiba, ou qualquer outro emprego se possível trabalhar em campo, pois cansei de escritório ou ver as mesmas paisagens.

 

Primeiramente, antes do meu relato, quero deixar claro, DEIXO A MINHA EXPERIÊNCIA, NÃO INCENTIVO NINGUÉM OU SOU RESPONSÁVEL POR QUALQUER ATO QUE A PESSOA OU GRUPO que lerem o meu RELATO, venham a FAZER, motivo, foi a minha viagem e a MINHA EXPERIÊNCIA, não vou colocar como dica, pois estaria me comprometendo, o que não é meu objetivo.

Qualquer pessoa, pode deixar sua opinião apenas, peço que seja sincero e coloque a sua experiência e não o ACHISMO, pois, o que eu passei, sozinho ou acompanhado, não quer dizer que com você vai acontecer a mesma coisa.

Deixo aqui também uma leitura que espero que seja agradável. Aproveito para agradecer a todos que me ajudaram, diretamente ou não. Minha namorada, esta guerreira que andou quase 2 mil KMS. Minha mãe, meus irmãos, CHUCHU, MARCILIO E MARCILEIA, meu CUNHADO, MEUS AMIGOS, COKIM, INDIO, Gerson e CESAR, entre outros, como os CAMINHONEIROS, Valdivino, Giovanni, Fernando, Soldado, Saracura, entre outros que agora me fugiu o nome, também a família do GIBÃO, NICE, TONHO E EDU, também a família de Ibicoara - BA JUBA E A MARIA, dos POLICIAIS Denis e ROCO, peço desculpas, pois também recebi outras ajudas, não de maneira nenhuma foi pequena, mas acabou que esqueci os nomes, mas foram muitas mesmo.

 

Observação, MEU RELATO, terá erros de português e concordância, façam o possível para compreender o que estou tentando passa de experiência.

Outra coisa, haverá algumas palavras fortes no relato, mas eu lhe digo, não gosto de farofeiros, ou pessoas que sujam os lugares, por isso que não DAREI DICAS, pois isto é ensinar o PULO DO GATO, mas deixarei para vocês os lugares que conheci, o que eu fiz, onde fiquei e o que aconteceu.

 

Boa leitura.

 

O que é preciso? De cara lhe digo, responda sim a esta duas perguntas que você vai fazer tudo que fiz ou a sua viagem do jeito que você quer. Você tem coragem? Você tem vontade? Não adianta coragem sem vontade e vontade sem coragem.

 

O que é uma viagem de 12 mil KMS em uma Bros 150cc, andando a 85km por hora no máximo?

O que é dormir sozinho no MATO ou em BEIRA DE RIO?

O que é ser revistado pela POLÍCIA NO MEIO DA NOITE?

O que fazer quando a moto da um problema?

O que fazer quando cai e a moto fica em cima de você sem ninguém por perto?

Qual é o melhor horário para viajar de moto?

Quando parar, o que levar, onde dormir, o que comer?

 

Primeiro e segundo dia, BUENÓPOLIS, ÁGUAS DE SANTA BARBARA, JOAQUIM FELÍCIO, CURIMATAÍ, POVOADO DO

BARRO:

 

Acordei as 5:30, e as 6hs da manhã, sai de BH, com 44 mil kms, rumo ao PARQUE SERRA DO CABRAL, as 9:30 estava em AUGUSTO DE LIMA.

Eu, sempre calculei as minhas distâncias da seguinte forma, 60 km e igual a uma hora pilotando, então se eu tiver que andar somente a 60 km por hora eu, gastarei 1 hora para rodar 60 km, e na estrada de terra 30 km, sendo a mesma ruim péssima, andando a 30 km por hora gasto em media uma hora.

O parque não esta implantado, mas é uma região que vale a pena conhecer, as cidades citadas, tem cachoeiras acesso fácil a moderado, não paguei nenhuma cachoeira, mas também EU SEMPRE PEDIA ANTES INFORMAÇÃO E SE PAGAVA.

Eu não fiz as veredas, pois o meu celular não funcionava direito o GPS. Como havia muita plantação de eucalipto, e quem já rodou em eucalipto sabe que é fácil se perder, não quis arriscar, mas TINHA UM VISUAL LINDO.

Mas, adorei conhecer as cidades, e na minha primeira noite fora da pousada a ROSA DA CACHOEIRA QUE FICA EM JOAQUIM FELÍCIO, ME OFERECEU POUSO, mas acabei por ficar no posto de gasolina POSTO DA RAMPA, eu pedi primeiro ao frentista e depois aos caminhoneiros. O qual também agradeço ao GEOVANI E O FERNANDO, caminhoneiros que me deram comida e café da manhã. Agradeço também ao motorista da TRANSPES que me deixou armar a barraca entre a prancha e um caminhão baú.

 

Terceiro dia: Saída de Joaquim Felício, após dois dias dormindo entre os caminhoneiros, no posto da RAMPA,

 

segui para JANAÚBA, no caminho parada para fazer a comida, demorava em média 1:30 para fazer a comida, lavar e guardar tudo para depois seguir viagem, a janta geralmente era feita, com fogão improvisado, já o almoço no fogareiro.

Se eu tivesse conhecido o CUSCUZ, teria economizado tempo, peso e dinheiro.

Faltando pouco mais de 100km para JANAÚBA, após um caminhoneiro fazer uma ultrapassagem forçada, TIVE QUE SAIR PARA O ACOSTAMENTO, e a estrada logo depois da saída de MONTES CLAROS, 25 km de estrada RUIM, o meu suporte DO BAÚ deu o primeiro problema, após duas HORAS PROCURANDO COMO CONSERTAR OU OUTRO NOVO, no caso foi um novo suporte, tiver que dormir em JANAÚBA, no posto ROTA DO SOL.

Em Janaúba conheci a praia COPO SUJO, eu podia ter dormido lá, mas não quis arriscar, motivo, existe um posto em Janaúba que não é muito confiável, e sozinho não é bom arriscar.

 

No quarto e quinto dias, CONHECER SERRANÓPOLIS DE MINAS E CACHOEIRA DO CERRADO:

 

Após a compreensão dos caminhoneiros, em JANAÚBA, segui KM para CONHECER A CACHOEIRA DO CERRADO,

Porteirinha, não recomendo Porteirinha, CIDADE ESTA PERIGOSA, mas, SERRANOPÓLIS DE MINAS, me surpreendeu.

A BARRAGEM de Serranópolis de Minas é proibida a entrada, POR QUE AS PESSOAS, SUJAM OS LOCAIS, conseguem levar peso mas não conseguem trazer o LIXO DE VOLTA, ou seja o único lixo que trazem é elas mesmas, me desculpa, MAS ODEIO FAROFEIROS E PESSOAS QUE SUJAM OS LOCAIS.

Na Seca de 2014 e 2015 as cidades próximas e até Guanambi veio buscar agua na barragem de Serranópolis de Minas.

Além da BARRAGEM, conheci o TALHADO E AS 7 QUEDAS, esta ultima é aproximadamente 7 KM de distância, não recomendado para quem não esta acostumado a andar no sol.

PASSEI 2 dias no local, sendo meio, depois duas noites e um dia.

A cachoeira 7 quedas fica há 3 horas ou 3:30 horas andando media de de 5 a 6km por hora, caminhada normal, se forçar, eu gastei em torno de 2:40, mas já sou um pouco acostumado, eu também sempre calculei o meu tempo da seguinte forma, quando tenho que ir a pé, no plano sem arreião, 15 minutos é igual há um 1 km ou mil metros, já no mato, coloco entre 20 a 23 minutos que gasto 1 km ou mil metros, lembrando que faço paradas de 5 a 7 minutos a cada 1 km.

A paisagem e linda hora mata fechada hora campo aberto, fica no parque serra negra.

Após chegar da cachoeira DAS SETE QUEDAS, descansei, no outro dia fui conhecer a cachoeira do CERRADO, peguei informação indo pelo caminho de terra, para economizar QUILÔMETROS, mas, lhe digo, somente fiz pela estrada de terra por que de Porteirinha até a cachoeira do CERRADO era 20 km DE ESTRADA DE TERRA, e de SERRANÓPOLIS DE MINAS até a cachoeira era 40 km de terra, no final eu iria gasta o mesmo tanto, de horas indo pelo as falto, seria pelo asfalto, 1 hora e 15 minutos e depois mais 40 minutos na terra, e já pela terra direto foi 1:20 minutos.

Linda a Cachoeira do CERRADO, não paga, mas cuidado, lá roubam muito, como disse, PORTEIRINHA, BOCAIÚVA E MONTES CLAROS, tomar cuidado.

Final do dia voltei para JANAÚBA, novamente no posto Rota do Sol. Observação paga para tomar banho no posto ok, ou então vai para a praia do copo sujo e tome banho de rio a noite, muito indicado, mas tem muita muriçoca, mutum, pernilongo etc.... em JANAÚBA.

 

Sexto e sétimo, Rumo Januária: conhecer o PARQUE PERUAÇU, MIRAVÂNIA foi a supresa.

 

Não conheci o PARQUE PERUAÇU, além de pagar GUIA e outras despesas, resolvi fazer pouso em Januária, pois já tinha mais de 4 dias dormindo em barraca e rede, e precisava carregar as baterias do corpo do celular.

Cuidado para quem for fazer meu trajeto embora bonito, mas perigo deste VERDELÂNDIA ATÉ MOCAMBINHO.

O projeto Jaíba, muito dinheiro corre na cidade, mas tem muita apreensão de armas e drogas, e infelizmente não consegui tirar foto do SOL ENCONTRANDO O RIO SÃO FRANCISCO, me disseram que em todo o RIO SÃO FRANCISCO EM MOCAMBINHO, o por do sol é único, mas o risco de tomar TIRO OU SER ASSALTADO É GRANDE, para minha sorte, eu passei os 8 KM, até chegar em ITACARAMBI, onde tem a balsa, eu passei era as 15:30hs, e os assaltas e roubos é a partir das 17hs até o amanhecer.

Já no início da noite cheguei em Januária, terra linda, e pessoas maravilhosas. Aqui minha viagem toma um rumo inesperado de maravilhas.

Gastei 25 reais, na pousada era um sábado e no domingo em Bonito de Minas, tinha concurso público, recuperei o dinheiro da pousada e novamente um problema no suporte do baú que era novo e quebrou, cobrei 50 reais para levar e buscar um concurseiro, Bonito de Minas fica há 50 KM de Januária. Observação os MOTO TAXI ESTAVAM COBRANDO 80 REAIS para levar as pessoas, eu conversando com ele disse qual foi o menor preço que você conseguiu, ele disse 60 reais, eu ofereci fazer por 50 reais, e ainda conheci O RIO CATULÉ.

Conheci uma família que roda todo o Brasil em um FIAT 147 amarelo, o Sr. Milton de 75 anos, me ensino que a vontade de viajar esta no sangue e disposição. Ele dorme em rede e faz comida em posto de gasolina ou beira de estrada. Então compreendi, não é o carro, mas sim, é a VONTADE E A CORAGEM.

E descobri que SE VOCÊ NÃO FOR UMA PESSOA QUE SUJA O LUGAR, será sempre bem vindo, eu podia dormir na BEIRA DO RIO CATULÉ, sem pagar nada, fazer minha comida tranquilamente. Outra pessoa que conheci que também chamava Milton, me deu a dica de outros lugares para conhecer, como o PANDEIROS.

No MESMO DIA, conheci também um senhor na pousada, ELE COMPREENDEU O QUE EU QUERIA, pena não lembrar do nome DELE, mas minha viagem tomou um rumo inesperado, MARAVILHOSO, CHEIO DE AVENTURAS de MINAS ATÉ A BAHIA.

No Sétimo dia, consertei o Alforge, e fui conhecer LUGARES E PESSOAS do NORTE DE MINAS, tenho muita gratidão.

Rumo a MIRAVÂNIA, apenas 30 km de ESTRADA DE TERRA SOBRE A RESERVA DOS ÍNDIOS, o resto asfalto ou CHÃO PRETO boa a qualidade, conheci, o rio PERUAÇU e depois o RIO e a NASCENTE do rio GIPORÉ.

Minha primeira noite no mato foi, em MIRAVÂNIA, um banho delicioso no rio A NOITE, um nativo me deu a dica onde pousar, e fui, escondi a moto no mato e fiz acampamento.

NOVAMENTE DIGO, eu ODEIO FAROFEIRO ou pessoas que sujam o lugar.

Tive que queimar muita garrafa e plástico no rio GIPORÉ, que é cristalino. A primeira noite no mato é tenebroso, mas ao mesmo tempo você se renova, noite foi tranquila.

Ao amanhecer, guardei tudo e fui na fazenda o qual ganhei as fotos da nascente do rio GIPORÉ, agradeço ao fazendeiro por esta experiência.

Então após a primeira noite da viagem no mato, segui no oitavo dia para o Gibão.

 

Oitavo e nono dia, MIRAVÂNIA E ATÉ GIBÃO

 

Apenas 90 km de estrada de terra, pelos meus cálculos eu gastaria 4 horas para chegar, visto que 90 km em chão preto(asfalto), EU GASTO 1:30 E MEIA, mas me ferrei na estrada ou melhor, GANHEI UMAS EXPERIÊNCIAS DE DAR MEDO E PRAZER.

Aqui já quero agradecer a família que me acolheu, Dú, Tonho e Nice, que sorte eu tive, tenho grande gratidão a esta família do GIBÃO.

Comecei o caminho para o GIBÃO as 11:30hs, já nos primeiros KM, o primeiro tombo.

Após 3 horas ou quase as 15hs, com o corpo doido, e o sétimo ou oitavo tombo, custei encontrar alguém aqueles areião para pedir informação.

Quando consegui informação e água, já era umas 17hs, eu estava apenas 15 ou 20 kms do GIBÃO.

Após conseguir água, não andei mais do que 10 km, e QUEIMEI OS DISCO DE EMBREAGENS, FALTANDO POUCO MAIS DE 5 OU 7 km, para o GIBÃO, as 18:30 horas.

Arrumei acampamento no local Chamado POSSO, que é o ponto de ônibus do local, feito de madeira e palha de buritizeiro.

Quando foi as 23:40, acordei ouvindo um barulho de carro, peguei a lanterna e sinalizei, desesperado, quando a D20 do Tião parou, ele me deu a coordenada do ônibus que sairia as 4:30 ou 5hs da manhã.

Sorte foi a minha pois imagina, num areião, alguém sinalizando para você, você pararia?

O ônibus somente rodava na segundas, quartas e sextas, minha moto estraga as 18:30 de uma Terça-feira.

Despertador para as 3:30 da manha para desmontar alforje e baú.

Faltando apertar o ultimo parafuso do banco da moto, o ônibus aparece as 4:15.

A moto foi colocada no ônibus e fomos para Montalvânia, onde consertei a moto e também deixei ela, voltei de ônibus para o GIBÃO; TONHO, me convenceu a voltar de ônibus e conhecer o GIBÃO.

Agradecido novamente, GIBÃO É LINDO, tive pouso e comida por um dia e meio.

Dentro do ÔNIBUS, o famoso carrega tudo, eu comecei também a entender que o Brasil não é o da TV ou das revista, tem que viajar para entender ou, colocarem seus relatos.

Hoje compreendo UM POUQUINHO, o sofrimento e alegria do povo que fazem a feira em MONTALVÂNIA E LEVAM PARA O POVOADO DO GIBAO.

O ônibus gastou das 13hs até as 17hs ou seja 4 horas para andar 70 km, quanto sofrimento, ainda no mesmo dia conheci a cachoeira do GIBÃO, singela mas limpa.

No dia seguinte o nono dia, o EDU, CONHECIDO COMO DU, me apresento o GIBÃO segundo a visão dos moradores, não o GIBÃO PARA OS TURISTAS.

O rio Carinhanha, é lindo, maravilhoso, preservado, que continue assim.

A noite, mais um pouso na casa da família e comida, quanta SORTE EU TIVE.

No outro dia as 3:30hs da manhã saímos rumo a MONTALVÂNIA.

 

No Décimo até o Décimo terceiro dia, RUMO PITARANA até CORRENTINA.

 

Graças ao SR. que conheci em Januária e a família do GIBÃO, fiz este trajeto que é a CEREJA DO BOLO DA VIAGEM.

Fui de Pitarana até Correntina, sem precisar pagar pousadas e RIOS DE LINDOS, PRESERVADOS e fiquei maravilhado.

NOVAMENTE ODEIO FAROFEIROS E PESSOAS QUE SUJAM OS LUGARES, levam coisas pesadas e não conseguem trazer o lixo que é leve, mas as trazem de volta para continuarem sujando as cidades e os lugares.

Então, o trajeto de JANUÁRIA ATÉ CORRENTINA, dorme em pousada quem quer, pois beira rio você tem vários, mas lembrando, somente para quem é bem vindo, pois se não será um tormento, pois é terra sem poder da lei dos homens de colarinhos, mas de pessoas de bem, mas se você for da paz, se não.....

Então conheci os rios, Carinhanha, Formoso, Itaguari, Corrente.

Conheci as MARAVILHOSAS CIDADES Pitarana, Cocos, Coribe, Jaborandi, Gatos, até chegar em Correntina.

Eu, fiz, pouso em JABORANDI, na Bahia. Um Balneário lindo, as pessoas do local, OS POLICIAIS, ROCO E DENIS, o qual me trataram bem, e ainda me deram comida, uma BUCHADA DE BODE MARAVILHOSA.

O melhor da viagem foi aqui, de Pitarana até Correntina.

Uma sugestão, PEGAR INFORMAÇÃO para evitar, BOM JESUS DA LAPA, E AS AGROVILAS.

As agrovilas, são assentamentos do MST, que o governo deu TUDO A ELES, MAS ELES SE VENDERAM PARA O PCC, se venderam depois que a população parou de comprar o QUASE NADA QUE PRODUZIAM, pois vivem do dinheiro do GOVERNO.

As agrovilas são violentas ok. Bom Jesus da Lapa, embora seja cidade de Turismo Religioso é perigosa também, CUIDADO.

Em Cocos eu fui, parado e Revistado pela POLICIA DO CERRADO, eu sempre gostei destas abordagem, não devo nada a ninguém, e é mais segurança para mim.

 

Décimo quarto dia: Voltei para Januária.

Após a volta a Januária o qual passei a noite, novamente no mesmo HOTEL e os mesmos elogios as pessoas e o local.

 

Décimo Quinto dia: De Januária até Pandeiros.

 

Não paguei para fazer o PANTANAL DE PANDEIROS, mas conheci as cachoeiras e a nascente do rio Pandeiros.

Acampei na beira do rio.

Apenas uma curiosidade, durante meus dois dias em PANDEIROS, eu catei muito lixo, plástico que os FAROFEIROS E AS PESSOAS QUE SUJAM OS LUGARES, aprendi, que além dos farofeiros e das pessoas que sujam os lugares, tinha pessoas do IEF que são pagos para limpar o lugar e não faziam isto, ou seja, ganhavam dinheiro para ficar o dia todo atoá.

Infelizmente, pessoas que depois reclamam que o estado corta as regalias, ganhar para ficar o dia todo a atoa, e foda.

 

Décimo sexto dia, de Pandeiros até CHAPADA GAÚCHA.

 

Após conhecer mais uma nascente, que foi a do rio PANDEIROS, no caminho conheci o RIO PARDO e o seu SUMIDOURO.

Interessante a ponte natural que o rio fez, ele passa debaixo da estrada, não é ponte feita por homens, mas sim uma ponte natural.

Somente é possível ver se os nativos lhe disserem onde fica e como ver. Deixo para você pesquisar.

Lembrando que é estrada de terra de Pandeiros até Chapada Gaúcha.

Após rodar mais de 140 km em estrada de terra, sendo que saí de Pandeiros as 7hs quando foi as 18hs cheguei na Chapada Gaúcha, eu andei há 30 km por hora na estrada de terra, meu SUPORTE DO BAÚ, E DO ALFORJE EU PROBLEMA NO CAMINHO.

Além do Rio Pardo, Sumidouro e Buranquinhos(lindo), não conheci o Vão do Buracos.

Dormir em um POSTO maravilho em CHAPADA GAÚCHA. No dia seguinte fui conhecer o parque, mas não tinha dinheiro para os guias da Região, então o que eu conheci foi o que deu e de graça. Mas é uma região muito bonita.

 

Décimo Sétimo dia, de Chapada Gaúcha até Buritis em MINAS GERAIS.

 

Após sair da Chapada Gaúcha, fui até Buritis.

Comecei a adotar a estratégia de acordar as 5hs e sair no máximo as 7hs e parar de rodar das 16 horas, o que dava para rodar muito e descansar mais cedo.

Em Buritis, eu dormir na BEIRA DO RIO URUCUIA, que ficava há 30 km de estrada de terra de Buritis.

No caminho além de tomar mais um tombo com a moto, todos me falavam para tomar cuidado por causa de ONÇA, mas é onça pintada e não onça preta ou parda.

Por volta das 20hs os POLICIAIS DO MEIO AMBIENTE ESTADUAL, foram no meu acampamento, enquanto um policial conversava comigo, o outro com sua lanterna, procurava ARMADILHAS OU ARMAS DE CAÇA OU PESCA.

Após 20 minutos de interrogatório e revista, começamos a prosear uma prosa que durou quase 1 hora ou 1 hora e meia, por volta das 22 horas que fui dormir.

Como eu tinha feito 3 fogueiras, motivo lenha o que eu mais tinha, novamente fui alertado por causa de onça., então ajeitei a lenha para dar fogo alto.

Bom quando foi, por volta das 00 horas, novamente fui acordado por duas pessoas, elas estavam a paisana, fiquei com medo novamente, e mais uma vez, um fazia o interrogatório e o outro com a lanterna iluminava em volta.

Mas como estes não estava com farda, eu fiquei com muito medo, o facão estava cravado na arvore a mais de 1 metro e meio de distância.

Mas graças a Deus, depois de também 20 minutos de apreensão, a conversa fluiu, eles queria era saber se eu era um MST ou foragido, mas como eu era um viajante, aventureiro, depois de 1 hora de conversa me deixaram dormir, a conversa também ficou agradável.

Novamente fiz a fogueira ter fogo alto.

Na manhã seguinte, após o susto, e nada de onça, mas o pior animal que você pode encontrar no MATO, que é o HOMEM, SEGUI PARA Formoso em MINAS GERAIS.

 

Décimo Oitavo dia: Formoso - MG

 

Sobre Formoso de Minas, não achei nada de interessante, mas tem um RIO PRÓXIMO, mas tem que pedir para o dono da fazenda para conhecer, mas lhe digo, nada de extraordinário, e tem que andar mais de 10 km na fazenda dele.

Passei a noite no posto de gasolina, e na manhã seguinte segui para a DIVISA DE GOIÁS.

Eu aprendi que, A DIVISA DE MINAS, BAHIA E GOIÁS, são conhecidos como PAGODE, a mistura das pessoas e da culturas.

Como eu estava apenas degustando, as maravilhas Brasileiras, acabei que não conheci direito as cidades da divisa, o qual eu recomendo a divisa de MINAS COM GOIÁS, de Formoso até Mambaí.

Conheci umas cachoeiras o qual já esqueci o nome, já tem um tempo que passei lá, mas pelas fotos que vou colocar na sequencia vocês vão vê-lá. Damianópolis, mas tem uma cidade antes, que tem CACHOEIRAS, e não é divulgado, perto da divisa de Minas e Goiás.

Sobre Mambaí, bom, eu não tinha o dinheiro que eles queriam para conhecer os atrativos que são muitos na região. Mas para quem quer economizar, deste já indico o RANCHO, aberto ao PUBLICO, UM RIACHO MARAVILHOSO. Eu ganhei até comida da Dona, infelizmente esqueci o nome dela, mas foi um amor de pessoa comigo.

No mesmo dia segui para Formosa-GO, mas acabou que dormir em um CIDADE entre ALVORADA DO NORTE e caminho de FORMOSA-GO.

 

Décimo Nono dia: Formosa - GO.

 

Infelizmente, não conheci o POÇO A AZUL, pois era domingo e a POLÍCIA E O DONO ESTAVA NO LOCAL, então não quis enfrentar um processo, voltei para FORMOSA-GO, eu, também desanimei em ir conhecer o BURACO das ARARAS que também existe em GOIÁS e ficava há 42 km de estrada de terra. Lembro que em CHAPADA GAÚCHA, também há o BURACO DAS ARARAS.

Mas, eu conheci onde nasce o rio TOCANTIZINHO e a MAIOR CACHOEIRA DE FÁCIL ACESSO E DE QUEDA LIVRE, com seus 168 metros, uma maravilha, pena que tive que pagar, 10 reais, mais por que eu fiquei apenas 45 minutos, mas vale a pena conhecer pessoal. A cachoeira fica apenas 40 km a partir do centro de FORMOSA, e de chão preto bom, e depois andar menos de 500 metros para chegar até ela.

 

Vigésimo dia:

 

Eu coloquei vigésimo dia, mas ainda no mesmo dia, eu atravessei DE FORMOSA ATÉ ÁGUAS LINDAS DE GOIÁS.

Não indico ninguém, se possível passar longe de BRASÍLIA E AS CIDADES SATÉLITES.

Acabou que depois de pegar uma BR 070 que é lixo de estrada de TERRA, em Águas Lindas de Goiás, e outras cidades satélites que poderia dar acesso as cachoeiras perto de Brasília, são muito violentas.

Já era umas 19hs quando consegui um HOTEL em conta, que na verdade era um MOTEL, mas tive que pagar 35 reais e uma vez lá dentro, não pode sair para procurar comida, pois eu tive a sorte de chegar sem ser ROUBADO NO HOTEL, e fui indicado a pedir comida por telefone.

Após a noite, ao sons de gemidos e gritos dos vizinhos dos andares de baixo, logo cedo fui para COCALZINHO DE GOIÁS, antes tivesse mais forma para andar 1 hora a 1:30 para chegar no posto SERRA DOS PIRINEUS, teria economizado dinheiro e uma noite agradável.

Em Cocalzinho de Goiás, indico conhecerem o PARQUE serra dos PIRINEUS, é de GRAÇA, tem cachoeiras, mas tem que andar, uns dos pontos mais altos de GOIÁS.

Agradeço ao GUARDA DO PARQUE, que além de ser uma pessoa ímpar, deixou eu usar o fogão para fazer minha comida, e ainda proseamos em quando víamos os turistas passarem direto, sem nus dar atenção.

De lá segui para PIRENÓPOLIS.

Nossa a continuação pela BR 070 e outro LIXO no local, não recomendo passarem pelo PARQUE SERRA DOS PIRINEUS, até Pirenópolis, salvo se desejar fortes emoções e UM VISUAL MARAVILHOSO, mas estrada e caminho ruim. Melhor ir pela estrada de asfalto.

Antes de falar de PIRENÓPOLIS, pelo asfalto você pode economizar 35 reais, e somente observar o SALTO DE CORUMBÁ, cachoeira imponente, mas 35 reais para conhecer acho que é muito, mas há bolso para todos os gosto.

Cheguei no final da tarde em PERINÓPOLIS.

 

Vigésimo primeiro dia: PIRENÓPOLIS até Niquelândia.

 

Já aproximando de Pirenópolis, se avistas várias placas de CACHOEIRAS, em menos de 10 km eu vi mais de 6 placas de cachoeiras, mas todas são pagas, e pagar 20 a 30 reais por cachoeiras não iria fazer isto. Eu não conheci nenhuma cachoeira, ok.

Eu penso o seguinte daqui um tempo, estas cachoeiras que são pagas, apenas uma ou duas serão mais frequentadas, pois será as mais bonitas e as demais terão que fazer um preço mais camarada para tirar os clientes das cachoeiras mais bonitas, resumo, melhor cobrar um preço justo e distribuir para todos do que fazerem isto de tabelar o preço, esta é minha opinião.

Mas, em PIRENÓPOLIS, eu tive uma sorte, no posto que eu iria passar a noite, acabei por conhecer dois irmãos, que acabei tendo confiança neles, e eles me ofereceram um quarto para dormir, já que lá fazia frio. Então deixei de dormir na REDE para dormir em um quarto.

Fiz a comida no quintal deles, pois eles tinham acabado de se mudar e não tinham fogão, geladeira etc...

Após uma noite boa e tranquila, segui de Pirenópolis até NIQUELÂNDIA.

Então fui convencido a não ir PELA BR 153, mas voltar até Cocalzinho de Goiás ate Niquelândia.

Minha impressão sobre Pirenópolis e a seguinte, ainda tem um pouco de cidade pequena, mas já é uma cidade grande, as pessoas do local, são preocupadas sobre o que você pensa da cidade, e desejam que você conheça a cidade, mas lhe digo, é uma cidade que tem que ter dinheiro assim como MAMBAÍ.

Apenas uma cálculo rápido, de sexta até domingo, se não ficar esperto você vai gastar 500 reais por pessoa, sem vê.

A caminho de Niquelândia, parei para ajudar um caminhoneiro que estava com o caminhão parado e precisava de um socorro, e por infelicidade, foi numa subida então os caminhoneiros que passavam carregados, não podiam parar pois se não, não conseguiriam arrancar a carreta pesada.

Um pouco mais a frente, a moto deu problema não foi no SUPORTE OU NO ALFORJE. Mas no coletor do escapamento, foi na parte da frente, paguei 15 reais para trocar, e fiz uma revisão básica nela.

Já no caminho de Niquelândia, uma coisa me chamou a atenção, na BEIRA DA ESTRADA QUASE CAMUFLADO, os MST, invadiram as TERRAS DA UNIÃO, não pode tirar foto, fui surpreendido por uma pessoa que saiu do mato quando eu iria tirar fotos. Fui questionado, por que estava tirando foto. Fui embora.

Niquelândia, é terra para quem gosta de pescar.

Passei por estrada de terra em lugares bonitos, chama-se SERRA DAS MESAS, não confundir com CHAPADA DAS MESAS. Além de quem quiser dormir na beira do rio pode-se dormir nas cidades que são relativamente tranquilas.

No final da tarde já estava em COLINAS DO SUL EM GOIÁS, fiz a comida e dormir na praça com a rede armada.

Colinas do Sul, conheci o reservatório ou represa, embora seca, mas muito imponente.

Lá conheci o RIO TOCANTINS, ainda tomando sua forma, vários locais que podia dormir na beira do rio, mas eu quis dormir na cidade de Colinas do Sul.

 

Vigésimo Segundo dia: de Colinas do Sul para São Jorge

 

Apenas 40 km de estrada de terra, e 40 chão preto.

Novamente no caminho da estrada de terra em frente as ÁGUAS TERMAIS na CHAPADA DOS VEADEIROS, o suporte deu problema, demorei a chegar em SÃO JORGE, mas fui para Alto Paraíso que ficava uns 50 km aproximadamente de lá.

Lá consertei o suporte novamente com o SERRALHEIRO CHAMADO BEGUÉ, atencioso e solicito, queria até ceder lugar para eu dormir, agradeci ele, a ajuda e o conserto do baú e fui para o posto Vale da Lua.

Em Alto Paraíso fiz pouso no posto de Gasolina Vale da Lua, também tranquilo, lá armei a barraca, e próximo da borracharia, o BAIANO, me deixou fazer a comida sem problemas.

Lá passei duas noites, conheci o PARQUE CHAPADA DOS VEADEIROS, não paguei nenhuma cachoeira, pois já sabem minha opinião, quase que pago somente para conhecer a cachoeira de SANTA BARBARA, MAS DESISTI.

Sobre SÃO JORGE, na chapada, Alto Paraíso e mais hospitaleira que São Jorge. O Parque é bonito, mas tem que andar andei 16 KM no PARQUE e depois mas 5 km, para voltar a saída do parque, mas consegui, das 8hs até as 16hs.

Mais uma noite no posto vale da lua, e depois rumo a terra ronca.

 

Vigésimo terceiro dia: De Alto Paraíso até Terra Ronca.

 

Sai cedo de ALTO PARAÍSO, rumo a São Domingos.

Entre dormir em SÃO DOMINGOS ou Divinópolis de Goiás, me falaram que Divinópolis era mais tranquila, mas São Domingos também foi Tranquila.

Agradeço ao dono do posto que fiz pouso e comida, SEU RAMIRO e o dono da FAZENDO QUE com um sorriso, me acolheu.

Conheci a CAVERNA TERRA RONCA E A ANGELICA.

Não sei o que me encantou mais, se é o JEITO DOS GOIANOS OU LUGAR.

Apenas vou dizer, que é de PAZ, e que gosta primeiro das pessoas que o recebem na cidade e depois os atrativos, SÃO DOMINGOS É A CIDADE, e o SEU RAMIRO, embora não foi meu GUIA, no meio do caminho para TERRA RONCA, trocamos buzinas de moto, e no final da tarde eu o conheci, o qual me deu dicas sobre a CAVERNA ANGÉLICA, e ainda me ofereceu pouso.

Bom no caminho para a CAVERNA ANGÉLICA, eu cai de moto, foi 10 MINUTOS PARA TENTAR LEVANTAR ELA, e acabei quebrando a lanterna da seta.

 

Vigésimo Quarto dia de São Domingos até São Desidério.

 

Sai cedo de São Domingos rumo a São Desidério, ainda errei o caminho, depois de 30 KM acertei.

Ao errar o caminho, passei por um andarilho, quando voltei, resolvi ajudar ele.

A ficha caiu para mim, depois de um tempo sozinho e difícil você aceitar ajuda, e você se vira sozinho que acaba desconfiando, mais para frente você entenderão isto.

A bicicleta dele furou a câmara de ar, eu emprestei a ele as chaves e um corda para amarrar as coisas, não pode ajudar mais por que ele, não quis, se não teria levado ele e a roda estragada até a borracharia.

Depois de 25 minutos de para segui caminho até SÃO DESIDÉRIO.

Uma sugestão se você fizer o caminho meu do Décimo até o Décimo terceiro dia, e melhor segui de Correntina até São DESIDÉRIO.

Novamente tomar cuidado com as Agrovilas, que é do MST e do PCC, ambulância parar você para pedir informação, cuidado risco serio de ser roubado.

Para conhecer o parque LAGOA AZUL, você tem que pedir autorização a prefeitura, que não funciona de sexta até domingo, ou pagar para as agências de turismo.

O parque fica a caminho de Correntina, mas entra-se a direita em momento na pista.

Vale a visita sim, além da Lagoa AZUL puxando para um verde, você tem uma Gruta, chamada de CATÃO.

Em, MORRINHOS OU MORRÃO perto de SÃO DESIDÉRIO, tem um rio de ÁGUAS CRISTALINAS, que pode fazer pouso, mas fiquem com um pouco desconfiados ok, pois já esta perto de BARREIRAS NA BAHIA.

Aqui, deixo um fato que aconteceu, quase chegando em São Desidério, faltando pouco mais de 25 km, eu resolvi parar e descansar por alguns minutos.

Não deu 5 minutos de descanso, foi abordado por um motociclista, que me perguntou se precisava de ajuda e para onde estava indo.

Até aí, e normal, mas o problema é, quando você não pede ajuda, a pessoa para, faz 2 ou 3 perguntas, normalmente, mas quando começa a perguntar demais, ai que esta o problema, pois eu já começo a desconfiar, eu acabei sendo CARA FECHADO COM ELE, pois responder mais de 3 perguntas e a principal, não precisava de ajuda.

E ainda na mesma estrada poucos minutos ou km depois, percebi uma moto VERMELHA BROS ANDANDO, devagar, sabe a intuição, você tem um pensamento, por que aquela moto não corre mais que a minha, que estou há 70 KM. Enfim você fica desconfiado.

Enfim, segui caminho, conheci primeiro Morrinhos ou Morrão, não lembro, tomei meu refrigerante, antes de procurar o LAGO AZUL/VERDE. Quando o mesmo motociclista chegou no bar, eu o cumprimentei e conversamos melhor, até tinha dito a ele, cara não chega como você chegou.

Veja eu, estava apenas conversando, não estava pedindo ajuda, mas o principal, você começou a fazer muitas perguntas, por isso que fiquei desconfiado, pois quem te ABORDA OU É POLÍCIA OU LADRÃO.

Ele compreendeu, aceitou minhas desculpas, e até me deu ideia dos atrativos da região e como conhece-los.

 

Vigésimo Quinto dia: De São Desidério Até Aurora do Tocantins.

 

Acordei CEDO, guardei a rede e fiz um café da manhã rápido, há se eu tivesse conhecido o CUSCUZ.

A moto começou a dar uns estalos, na corrente, então já vi que depois que RODEI MAIS DE 1500 KM DE ESTRADAS DE TERRA, era hora de trocar a relação.

Em Barreiras troquei a RELAÇÃO e o FILTRO DE AR. Samurai motos, pessoas simpáticas e solicitas, gostei.

Era umas 10HS, quando comecei a ir rumo há Aurora do Tocantins.

Sugestão evitar parar em LUIS EDUARDO MAGALHÃES.

Após andar uns 50 ou 60 km de estrada de terra, eis que chego em TOCANTINS, ou melhor EM AURORA DO TOCANTINS.

Cidade tranquila também, Aurora do Tocantins, você vai poder dormir em Balneário ou perto do RIO AZUIS.

Novamente FAROFEIROS OU PESSOAS QUE SUJAM OS LUGARES, EU ODEIO.

É uma coisa de louco, muito lindo o rio AZUIS, OU SE DORMIR NO BALNEÁRIO, o rio PALMAS E O RIO SOMBRA.

Foi uma outra surpresa da minha viagem, Aurora do Tocantins.

 

Vigésimo Sexto dia: Aurora do Tocantins rumo AO JALAPÃO, mas parei em PANAMBI.

 

Após um café da manhã e ter desarmado a rede, segui para o JALAPÃO CIDADE DE MATEIROS.

Então vale a pena conhecer Aurora do Tocantins.

Para ir ao Jalapão eu, resolvi passar por DIANÓPOLIS. O trajeto que fiz, não é feito pelos turistas do Jalapão, mas tem um visual lindo as GARGANTAS.

Eu, FUI DE DIANÓPOLIS até PANAMBI. Você não vai encontrar no mapa PANAMBI OU GARGANTA, apenas Galhão.

Foi o dia todo, em estrada de terra, exceto os 80 km de Dianópolis até Gargantas.

O Cerrado, este esta acabando, o CERRADO NAS DIVISAS DE ESTADO DE MINAS, BAHIA, TOCANTINS, GOIÁS, PIAUÍ, MARANHÃO, esta acabando.

Vi muita plantação de soja queimada, queimada é pelo sol. Imagine andar das 7hs até as 20hs somente em estrada de terra e somente plantação?

Quando deu 20hs, consegui chegar em PANAMBI, nossa morto de cansado, vários tombos, eu não tive coragem de dormir na parada dos caminhoneiros de soja não, eu tive receio de lá. Mais foi intuição, por isso não quis dormir lá.

Achei a única pousada no local.

Paguei 35 reais, e mais 15 reais por 3 litros de gasolina.

 

Vigésimo Oitavo, NONO e TRIGÉSIMO DIA: De Panambi até Mateiros(Mateiros).

 

Novamente as 7hs da manhã, partir de PANAMBI até Mateiros, era apenas 80kms de terra, QUANDO FOI AS 11HS CHEGAVA EM MATEIROS JALAPÃO.

Antes, comprei gasolina na POUSADA 3 LITROS AO CUSTO DE 5 REAIS O LITRO. Eu tinha mais 80km até ver um posto de gasolina, tive que pagar.

Galhão, gostei de conhecer o rio GALHÃO.

Assim que cheguei a MATEIROS, sem nenhum tombo, descobri que o pior caminho foi o que eu fiz para MATEIROS que já é O JALAPAO, não confundir, os ATRATIVOS DO JALAPÃO, com a estrada para o JALAPÃO.

Gasolina custava 5,00 no posto de MATEIROS, tive que pagar.

Consegui informação, de onde pousar e fazer rango de graça, não vou dizer onde, pois é o local dos moradores.

Fui procurar informação dos atrativos, Mateiros, é a cidade onde esta a maior parte dos atrativos do JALAPÃO.

Bom, fiz o rango e tirei o dia para descansar, no local, que é um vale tudo para os moradores.

A noite fui a cidade, para conhecer os caminhos a fazer e o que conhecer de graça ou mais barato possível.

Sugestão o FERVEDOURO, procura o que original que BOIA MESMO, pois paguei 10 REAIS, é BONITO, MAS AFUNDAVA.

Agora sim, o JALAPÃO SE MOSTROU, AOS POUCOS PARA MIM, AMOR E ÓDIO. MAIS AMOR DO QUE ÓDIO, talvez por que minha expectativa foi grande, em um dia tentei fazer 3 atrativos.

Fervedouro, interessante mesmo, primeiro te puxa depois de cospe. Mas procurem saber o que realmente não afunda.

Cachoeira da formiga, como eu não conheci a cachoeira de Santa Bárbara, na CHAPADA DOS VEADEIROS, mas deslumbrei com a cachoeira da formiga, que também é azul/verde, tive que pagar 20 reais, mas valeu a pena. Não consegui fazer as dunas no mesmo dia.

Veja ainda no mesmo dia eu tentei, chegar nas Dunas, agora sim, os tais PANELÕES DE AREIAS, AS DIFICULDADES DAS AREAIS, foi difícil, mas cheguei NA ENTRADA DAS DUNAS.

Não agüentei aquelas areias, muitas mesmo, peguei areias, para ir no FERVEDOURO E NA CACHOEIRA DA FORMIGA, mas das dunas é forte.

Andei apenas 2 km na estrada da areia e voltei para a cidade. Desapontado.

Vários tombos até chegar na cidade e já era de noite.

Resolvi dormir, numa CASA ABANDONADA NA CIDADE, onde os "HIPPIES" COSTUMAM FAZER POUSO.

Na pracinha, fiquei lá para conseguir acesso a internet, até que os nativos vieram conversar comigo.

As perguntas de sempre, de onde venho, para onde vou, o que eu faço etc....

Mas foi ali, que tive medo de verdade em questão de roubo. Não que eu fosse ser roubado, cidade pequena e turística, evita esta fama. Mas quando dois nativos chegaram e começaram a comentar do motor OHC, se era original dela, e se ainda era 150cc, pois o NORTE E NORDESTE ADORAM UMA CRF, e já sabem do meu motor OHC. Quando o nativo disse: que em MEIA HORA, TROCAVA O MOTOR DELA POR UMA DE 125CC, eu tive medo, na primeira oportunidade fui dormir em frente a delegacia da cidade, conversei com os policiais, e disse podem me revistar, ficassem a vontade, mas eu ia dormir na frete da delegacia, e contei o que havia acontecido.

Na manhã seguinte, disposto fui pegar mais informações, a fim de conhecer o que fosse possível de graça e fazer as DUNAS.

Fiquei então a manhã todo esperando, chegar as14hs para ir às dunas.

33 km, até chegar de nova as dunas, antes tentei informações no parque, na parte de apoio, mas os guardas não estavam, talvez estivessem combatendo incêndios, não consegui muita coisa, fui até as dunas, cheguei por volta das 16:30, realmente terra e muita areia faz 33km demorar umas 2 horas de moto e andando devagar.

Resolvi ir A PÉ, pois 4 km, daria para chegar as 18hs nas dunas.

Andei quase 1,5km até que recebi carona, grato pela família, que me deu carona, pois até então carrões e mais carrões e nada de carona.

Chegamos já havia começado o por do sol, e ainda tínhamos 600 metros, de areião vermelho para subir.

Quando finalmente cheguei ao topo, o sol já tinha saído da linha do horizonte, mas ainda tinha luminosidade.

Meio triste, mas conformado, pois tinha recebido carona, uma família agradável, e conseguido conhecer uma PARTE DO JALAPÃO.

Perdi o por do sol, mas ganhei a LUA CHEIA, maravilhosa, que começava a nascer enquanto as pessoas iam embora, ficamos até umas 19hs, quando fomos obrigados a sair do local.

Bom, chegamos a saída do parque das dunas, já de noite rumo a cidade.

Não andei nem 5 km,, por volta das 19:15 horas já nos bancos de terras e areias, a moto cai sobre mim, NÃO CONSEGUI SAIR DE CIMA DELA.

Foram 10 minutos de desespero, o peso no meu joelho e começou a queimar. Eu gritava, buzinava, várias coisas passaram pela minha cabeça. Havia um grupo que, ficaram em um bar em frente a entrada das Dunas, se eles pegassem o caminho oposto, eu ficaria SOZINHO.

Graças a DEUS, depois dez minutos, o socorro chegou, tiraram a moto de cima de mim, tinha uma medica no grupo, disse que iria ficar apenas inchado e queimadura leve.

A manete da embreagem quebrou, imagina conseguir colocar primeira, com dor na perna e no joelho, e ainda andar no máximo há 30km já quase sem força, demorei a chegar na CIDADE quase 22horas que cheguei no local, graças a DEUS, sem nenhum tombo.

Quando cheguei a cidade, percebi, o quanto é perigoso andar sozinho, e que temos que ter muita coragem e sorte.

Chegando a cidade, lembram dos nativos, foram conversar de novo comigo, eu tinha tirado tudo da moto para tentar consertar ela, eles me ajudaram, e ainda me disseram que tinha um posto 24 horas, em uma cidade de 3 mil habitantes, não acreditei, fui conferir.

Minha sorte, foi realmente existir um atendimento 24 horas, o qual descobri, que naquele dia, uma pessoa teve o dedo costurado no lugar, e quanto ao meu problema, fizeram uma limpeza e aplicaram uma pasta para queimadura, e ainda no dia seguinte pode refazer o curativo.

Então, voltei para a praça com dificuldade, e novamente passei a noite na casa abandonada dos "HIPPIES".

O JALAPÃO DEIXA SUAS MARCAS, é bonito mesmo, mas muito cuidado.

No dia seguinte, fiz o curativo, logo cedo, as 8 horas, já estava na porta de uma oficina de moto, e comprei um manete da embreagem, que não é a própria mas funciona.

Com isto, atrasaram minha saída do JALAPÃO cidade MATEIROS. Eu ainda lavei a moto e a lubrifiquei.

Quando foi quase às 11 horas comecei a sair de MATEIROS, rumo ao PIAUÍ, pois lá eu economizaria 1 dia e meio até o Lençóis Maranhenses.

Mais plantação, mas muitas queimadas pelo sol, e o CERRADO DEVASTADO, de MATEIROS ATÉ COACERAL NA BAHIA.

Rodei até às 17h30min, na divisa da BAHIA COM PIAUÍ.

Novamente digo não estou dando DICAS, pois as coisas que passei, foram forte, prazerosas e penosas também.

O trajeto de MATEIROS ATÉ COACERAL, tomar cuidado, mais de 30% dos moradores são PISTOLEIROS, ladrões, terra de ninguém, pois é terra e divisa da BAHIA COM TOCANTINS e PIAUÍ, mas se você chegar na PAZ E DEIXA PAZ, pode ter a sorte que tive.

Depois então de sofrer no sol e nas estradas de terra e BURACOS, até chegar em COACERAL-BA, cheguei na BR 135, virei a direita rumo a divisa com PIAUÍ.

Após parar no ultimo posto da BAHIA, resolvi lubrificar a moto, regular a corrente e encher o tanque que já estava na reserva.

Não deu 20 minutos, mexendo na moto e ou descansando, quando A POLÍCIA CHEGOU PARA REVISTAR.

Após 20 minutos de revista e perguntas, fui informado que estava sendo revistado e era um suspeito, pois no dia anterior, HOUVE UM ASSALTO GRANDE EM BARREIRAS, e o CERRADO (polícia) ESTAVA NO MATO. E como eu estava todo sujo, cheguei ao posto sem eles terem informações sobre mim, pela BR 135 ou outra..

Aqui eu digo: Eu agradeço ao JALAPÃO o acidente, pois imaginem se eu saio cedo, e ainda LOGO CEDO, estava já na BAHIA, IMAGINA SE A POLICIA DO CERRADO, estivesse no mato ainda de manhã, possivelmente eu teria tomado um tiro, pois sozinho, com comida para 3 a 4 dias, todo sujo, perto da divisa e rota de fuga.

Então agradeci aos policiais, arrumei tudo de novo, segui para atravessar a divisa, ainda perguntei, que era melhor eu ir para CORRENTE NO PIAUÍ, ou passar a noite em FORMOSA DO RIO PRETO, eles me mandaram sair da BAHIA.

Então, ao cruzar a fronteira, resolvi agradecer mais uma vez, mas me parece que o que menos se valia do cargo, me deu uma TIRADA, DISSE, SOME DAQUI, VOCÊ JÁ ESTA QUASE NA SUA CIDADE, SE NÃO VOU TE PRENDER.

Pedi desculpas, e atravessei para PIAUÍ, que estava apenas uns100 metros.

Perguntei ao guarda do PIAUÍ, se tinha que parar, o guarda me disse para seguir em frente, sem problema. Passei a noite em CORRENTE, cidade relativamente calma.

 

Trigésimo Primeiro dia, de Corrente Rumo ao MARANHÃO.

 

Dormi em um posto de GASOLINA, pois 50 reais, achei caro, novamente fui bem recebido pelos caminhoneiros, dormi entre as carretas armando a rede.

Amanhecendo, tomei café no posto, e fazer troca do óleo, nesta altura já esta com 6 mil KMS rodados.

Após fazer a troca do ÓLEO DE 6 MIL KMs, lavei a moto, lubrificação e calibrar os pneus.

Atenção cuidado quanto a calibragem, tenham certeza que esta marcando certo.

Saí de Corrente do PIAUÍ, rumo ao ALTO PARNAÍBA, após descer a serra, já perto de GILBUÉS, um acidente.

Eu estava aproximadamente 60km por hora quando a CÂMARA DE AR ESTOURA, a moto perdeu o controle, conseguindo eu segurar sem cair.

Graças a Deus, nenhum acidente, e ainda tive uma sorte, eu estava apenas 3 km de uma borracharia, e era somente descida, pois eu tinha passado pela borracharia e estava subindo.

Depois de 1 hora, tudo arrumado, já chegando a hora do almoço, continuei rumo ao MARANHÃO.

Eu já tinha desistido, DA NASCENDO DO PARNAÍBA, mas por felicidade minha, eu acabei vendo um dos braços da nascente, que fica na beira de uma estrada.

Rodei o dia todo de Corrente até a divisa com o MARANHÃO, sendo que muitos BURACOS E TERRA.

Até ajudei um outro caminhoneiro, a amarrar sua CARGA, ele também dormiu em TARSO FRAGOSO, mas não no mesmo posto que eu.

Quando foi por volta das 18hs eu chegava em TARSO FRAGOSO, CIDADE TRANQUILA, e tive uma boa recepção dos caminhoneiros, SARACURA, SOLDADO E do Sr, ESQUECI O NOME DELE.

Além de tomar um banho no posto, FUI APRESENTADO AO CUSCUZ.

Amor a primeira vista, SE EU SOUBE DO CUSCUZ E A CUSCUZEIRA.

 

Trigésimo Segundo dia: De Tarso Fragoso até Balsa, e desistir da CHAPADA DAS MESAS.

 

Acordamos cedo os caminhoneiros e eu, pois calor lá e normal, VOCÊ FECHA A TORNEIRA DO BANHEIRO ANTES DE CHEGAR NA PORTA JÁ ESTA SECO.

Novamente comi cuscuz. Maravilha de conhecimento. Comi o famoso CUSCUZ COM OVO.

Sugestão quem gosta de acampar, aprenda a fazer cuscuz, rápido, forte e prático.

As estradas do MARANHÃO SÃO TERRÍVEIS, DE TARSO FRAGOSO ATÉ BALSAS, novamente somente BURACO E JEGUE E MOTORISTAS QUE SOMENTE TE ULTRAPASSAM NAS CURVAS.

Quando cheguei em BALSAS eu desisti da CHAPADA DA MESAS, JÁ ESTAVA CANSADO DE TERRA, e queria conhecer mais era a CACHOEIRA DE SANTA BARBARA, e meu tempo esta acabando de viagem.

Então com um certo arrependimento e ao mesmo tempo determinação, apenas 3 horas de CAROLINA, seguir para barreirinhas.

Consegui chegar em COLINAS NO MARANHÃO, UMA DAS POUCAS CIDADES NO MARANHÃO QUE NÃO É VIOLENTA.

Dormir lá em Colinas, a rede foi armada em uma varanda, e minha sorte, estava fresco a noite, mas foi somente o sol sair, que o calor voltou.

 

Trigésimo Quarto dia: De Colinas até NÃO LEMBRO A CIDADE QUE DORMIR.

 

Então depois de sair de COLINAS, deixar chapada das mesas para trás, eu tive novamente problema com o SUPORTE DO BAÚ, depois de quase 2 mil kms, quebrou todo de novo.

Em PRESIDENTE DUTRA, tive que sacar dinheiro, e comprar um novo suporte e mandar reforçar.

Gastei mais 110 reais, entre o suporte e o reforço. Ficou fino desta vez, acho que acertei, mas....

Depois de quase três dias atravessando o MARANHÃO até chegar em BARREIRINHAS, FOI SOFRIDO MAS COMPENSADOR.

Eu dormir em uma cidade faltando menos de 300 km para LENÇÓIS MARANHENSES, tanto que quando foi por volta das 15hs eu já estava NOS LENÇÓIS MARANHENSES.

Antes de chegar na cidade LENÇÓIS MARANHENSES, eu parei em uma beira de RIO, e qual foi a minha surpresa.

Fiz amizade com os nativos lá, que me apresentaram a TIQUIRA, e ainda me ajudaram a fazer fogueira para o CUSCUZ.

O legal desta situação foi a seguinte. Todos que vão para o lençóis, como vão de agência, perdem a oportunidade de conversar com os nativos. Eu fiquei encantado, com o povo que os turista não vem são solícitos. Primeiro me deram a lenha e depois apostaram se eu iria fazer ou não o CUSCUZ.

Além de me ajudarem, ainda me ofereceram pouso e a noite iriam pescar se eu quisesse estava convidado.

Agradeci, e segui para Barreirinhas.

Sobre a cidade BARREIRINHAS, primeiro, se prepara, vão te pedir dinheiro, infelizmente para que defende o uso de drogas, vai lá dar dinheiro aos pedintes.

Segunda coisa, você vai ser abordado logo na entrada da cidade, cuidado para não pagar caro, segundo, veja bem os passeios.

Eu, fiz, a opção por ATINS, é um passeio de um dia, relativamente novo, vale a pena.

Os preços fica em torno de 50 a 100 reais, depende do passeio e da agência.

Eu, desta vez paguei, pelo seguinte motivo, não queria areia na moto e tinha que fazer uma revisão geral na moto, custo de 110 reais, peças inclusas.

Minha noite foi feita no posto de gasolina, entre os caminhões, e tive que pagar 2 reais para o banho.

Após tudo combinado, agência e a oficina para verificar a moto, fui dormir.

 

Trigésimo Quinto dia: LENÇÓIS MARANHENSE

 

Realmente é bonito, o passeio de ATINS, foi compensador, as lagoas, e os 100 reais, realmente, o motorista tem que ter braço para andar nas dunas, há braços.

Sem palavras, vale a pena o passeio ok.

Se tiverem dinheiro façam também o de barco, que dizem ser também bonito.

Conheci, vários turistas, ou seja, me senti um turistas mesmo, e fui bem recebido, mesmo fedendo e sujo.

Agradeço aos mineiros que conheci, e as CARIOCAS, que conheci.

Final do dia, voltei e peguei a moto, veja profissional de cidades turísticas, são uns PREGUIÇOSOS, mas fazer o que né, não fizeram a troca do óleo da bengala, que eu pedi, não trocaram o fluido do freio dianteiro, enfim, preguiçosos.

Mas de resto, nada a reclamar do MARANHÃO E PRINCIPALMENTE dos REALMENTES NATIVOS de LENÇÓIS que me acolheram.

 

Trigésimo Sexto dia: De Lençóis até Camocim no Ceará.

 

Então, na noite anterior, conversando com algumas pessoas, todas me deram a orientação para passar pela estrada nova, para seguir até JERI.

Aprendi, que existe o DELTA DAS AMÉRICAS E O DELTA DO PARNAÍBA FICOU COM A FAMA.

Em um DIA SAI DO MARANHÃO, ATRAVESSEI PIAUÍ E DORMI NO CEARÁ.

Sugestão quer economizar no passeio as dunas de LENÇÓIS? Mas antes cuidado, pois infelizmente tem LADRÕES, mas se você fizer amizade, e por que não deixar um agrado para seu carro o moto ficar mais seguro.

Em Paulinho Neves, você tem apenas 50km de Barreirinhas, entrada de RUIM PARA RAZOÁVEL, você chega ao DELTA DAS AMÉRICAS.

Você terá DUNAS, LAGOA, AZUL OU VERDE, e ao fundo o encontro do RIO PAULINHO NEVES COM O MAR, mas bem ao fundo. Tudo isto é de graça, mas tem que andar quase 30 minutos, embora seja menos de 1,5 km mas areia pesa.

Ainda no final da manhã, conheci outro rio, mas não lembro o nome, em TUTÓIA, já vou avisando, quem estiver de moto, se alguém oferecer TRAVESSIA PARA JERI através de BARCO OU BALSA, perto de um posto de combustível eu até tirei fotos, tem uma placa MARROM QUE INDICA ATRAÇÕES NO LOCAL.

Cuidado, vão te roubar, pois não esta opção, e ainda a pessoa vai colocar pilha em você falando que tem perigo de roubar a moto, mas o perigo é a noite na divisa do MARANHÃO COM PIAUÍ.

Já no início da tarde eu esta no DELTA PARNAÍBA, infelizmente tudo caro, PASSEIO DE 200 REAIS, mas depois descobri que por 60 reais, poderia conhecer e ainda com alimentação.

Mas vai ficar para uma outra oportunidade.

Eu acho que o de 60 reais vale apena, opinião mas sem muita certeza.

Ainda perto do DELTA PARNAÍBA, conheci a PEDRA DO SAL, QUE É UMA PRAIA, também gostei de conhecer, pois já tinha anos e anos que não conhecia a PRAIA.

Saindo do PARNAÍBA, seguindo para CAMOCIM, pensei que seria rápido os 180km, POIS JÁ ERA UMAS 16hs e pensei, até as 20 horas estarei lá.

Acontece que, primeiro, TEM MUITO JEGUE E BURACO NAS ESTRADAS DO MARANHÃO, no PIAUÍ E CEARÁ, muito JEGUE. Muito cuidado, ao pilotar a noite.

Quando foi por volta das 21:30 cheguei em CAMOCIM, onde paguei pousada, 35 reais.

 

Trigésimo Sétimo dia: De CAMOCIM A JERI.

 

Acordei cedo, para ir conhecer o TÃO FALADO Vila de Jericoacoara, e acabei não conhecendo, por causa de AREIA E TER QUE PAGAR, mas tenha uma opção de transporte coletivo, que acho que era mais barato que os 120 reais dos aliciadores.

Mas não conheci, JERI, não sei explicar, mas acho que não sou muito chegado há PRAIA OU LITORAL.

Então mais uma vez perto da PRAIA e não entrei no MAR.

Mas o visual é bonito.

Segui de JERI, o qual demorei demais sair de lá, pois tinha que trocar o óleo, e ninguém queria trabalhar das 11hs até as 14hs. Então com muito custo, sai de JERI, rumo a FORTALEZA.

A moto começou a dar problema em FORTALEZA, com muito custo saí de FORTALEZA E CONSEGUI DORMIR EM PACAJUS.

Pacajus, é tranquilo para passar a noite FORTALEZA E REGIÃO DE ATÉ 30 KM, muito cuidado.

Passei a noite em um posto de gasolina, usei o fogareiro e fiz mais uma VEZ UM DELICIOSO CUSCUZ, depois da 5 experiência com o CUSCUZ, consegui aprender como deixar ele maravilhoso.

Agora meus dias estavam contados, pois tinha que chegar na CHAPADA DIAMANTINA E REVER MINHA NAMORADA DEPOIS DE pouco mais de um mês.

 

Trigésimo oitavo dia: de PACAJUS ATÉ PETROLINA, 800km em um dia.

 

Acordei ainda era 5hs da manhã, pois minha namorada já estava em salvador havia 1 dia, e eu tinha dois dias para andar quase 1300 kms até lençois.

Não recomendo, fazer o que eu fiz, foi muito arriscado, mas na falta de OPÇÃO, NÃO FICAR EM PERNAMBUCO, QUALQUER CIDADE, opinião minha particular, não gostei das PESSOAS, e olha foram diversos os lugares que passei até chegar em PETROLINA, mas o povo viu.

Então, sai era umas 5:30hs da manhã rumo a PETROLINA, ja sabia da fama de CABROBÓ, mas não sabia de PARNAMIRIM EM PE.

Depois de rodar e rodar, quando foi as 16hs eu estava em SALGUEIRO em PERNAMBUCO, de novo, dos estados que eu rodei, evitar PERNAMBUCO é uma boa pedida, é meu pessoal não gostei do tratamento que recebi das pessoas.

Então as 16hs em Salgueiro, optei por ir por PARNAMIRIM aproximadamente 100 kms até Petrolina, pois aumentava pouco kms se eu fosse por CABROBÓ. Após me abastecer de informações contraditórias e caras fechadas, moto abastecida, segui para PARNAMIRIM.

De novo, MUITO BURACOS E JEGUES, CUIDADO MUITO CUIDADO.

Após 30 kms, no meu retrovisor apareceu uma MOTO, TIVE MEDO, pois muito buraco e não tinha passado por povoada e somente JEGUES, aparece uma moto, depois de 30 kms, eu resolvi acelerar no meio dos buracos.

Após uns 10 km ou 12 km não lembro, avistei um bar e algumas casas, poucas, arrisquei para pedir informação.

Por incrível que parece, lá eu fui bem recebido, peguei as informações, que eu já sabia, mas era mais mesmo por causa da moto que vinha atrás, até que ela entrou para o povoado, fiquei mais tranquilo.

Tive a orientação de não PARAR PARA AJUDAR QUEM QUER QUE FOSSE.

Neste momento das informações que eu recebia, passou um caminhão, assim que deu seguir viagem.

Não andei mais de 5km, e o caminhão estava atravessado na PISTA, BLOQUEANDO A PASSAGEM, EU FIQUEI COM MEDO.

Parei a MOTO a um distância aproximadamente de uns 500 metros, e esperei um pouco, pensei que iria ser assaltado ou tomar um tiro.

Em menos de 2 minutos, apareceu outro caminhão no mesmo sentido meu e do caminhão, então eu pensei, vou colocar a moto no sentido contrário.

Fiquei de novo com mais medo pensei que o caminhão que se aproximava, iria fechar a ESTRADA CHEIA DE BURACOS, e colocar a moto no BAÚ.

Mas ele passou direto, parou perto do outros caminhão, fizeram um buzinaço, e seguiram, eu esperei um pouco, para eles tomarem distância, depois segui viagem.

Após uns 40 kms, o caminhão que estava na minha frente, começou a diminuir a velocidade, pois comecei a aproximar dele, mesmo estando uns 75 km por hora.

Ao aproximar deste caminhão o mesmo deu SETA, querendo que eu o ultrapassasse, pisquei farol indiquei que não conseguiria, mais um pouco a frente, ele diminuiu, fui obrigado a ultrapassar, pensei, se ele me jogar para fora da estrada eu estou perdido, pois já havia escurecido, era umas 18hs ou 18:15hs.

Eu fiz todo o RIGOR PARA ULTRAPASSAR, agradeci, e fiquei na frente dele por uns 10km, ele percebeu que não iria ultrapassa de 80 km, e a esta altura já tinha lido minha placa, e pensado que eu não seria doido ou corajoso de assaltar eles; então eles me ultrapassou.

Mais uns 20 kms, e tinha a opção seguir direto ou virar a direita, como os caminhões viraram para a direita eu segui eles, muito apagado eu li PICOS, já pensei estou indo para o PIAUÍ, andamos mais uns 15 kms até chegar NA CIDADE DE SANTA CRUZ, que é uma cidade tranquila.

Os dois caminhões pararam eu parei atrás, nisto já fui falando com um dos motoristas:

- MOÇO É VOCÊ QUE ATRAVESSOU O CAMINHÃO NA PISTA?

- Sim fui eu.

- MOÇO EU COM MEDO DE VOCÊ E VOCÊ DE MIM!

Começamos a dar risadas.

Eles me explicaram que agora esta tudo tranquilo que a cidade que eu estava era TRANQUILA.

Bom, conversei mais um pouco peguei informações, pois errei o caminho.

Os caminhoneiros me indicaram onde dormir e também uma pousada, mas infelizmente a pousada não estava com vagas.

Conversei com o casal do da POUSADA, NÃO TINHA VAGAS, acho que pensaram que eu, era mais uma dessas pessoas protegidas pelo GOVERNO E OS DIREITOS DOS MANOS.

Acabou que me deram a mesma informação dos caminhoneiros, então resolvi voltar os 15 km, até os guardas.

Passei de novo nos caminhoneiros brinquei mais um pouco e segui rumo A PETROLINA.

Foi a conta de virar para a direita, eu fui parado pelos guardas, que com PREGUIÇA, CONFERIU O DOCUMENTO E OLHOU PARA A CARGA É DISSE, agora você esta tranquilo, para onde esta indo e de onde você veio.

Mais 50kms e eu chegava em PETROLINA.

Quando foi as 21 horas cheguei em PETROLINA, demorei achar um posto para dormir, novamente o povo sem educação se puderem evitar estas pessoas, o façam.

Chegando no posto, com muito custo, o FRENTISTA deixou eu tomar banho, usar o banheiro.

Depois conversando com um caminhoneiro, o mesmo também teve problemas e teve a mesma impressão que eu, não gostou das pessoas de PERNAMBUCO.

Mas neste mesmo posto tenho uma ressalva, a dona da LANCHONETE, acho que foi com a minha cara até me ofereceu se eu quisesse podia dormir na varanda mas as 6hs eu teria que ter saído. Agradeci, mas preferir ficar em outro canto.

 

Trigésimo Nono dia: Petrolina até LENÇÓIS - BA.

 

Se eu soubesse teria mais forças para dormir em JUAZEIRO, 15 KMS de PETROLINA, outro ar de pessoas e lugar.

Ainda era umas 4 hs da manhã, MUITA MURIÇOCAS, e acordei com uma mulher PEDINDO AJUDA, E TENTANDO CONVENCER, 4 motoqueiros, não vou chamar de motociclistas não, motoqueiro mesmo, pois 4 motoqueiros e 4 mulheres, recusando ajudar a senhora.

Recusaram levar a senhora até o condomínio onde ela morava, recusaram ligar para o marido dela, enfim, para mim foram uns FDP....

Eu então levantei, passei por eles, e fui arruma as coisas, pois era quase uns 500 km até Lençóis - BA.

Tentei sair Cedo, mas a mulher que precisava de ajuda veio até a mim, reclamou dos motoqueiros e do frentista e das pessoas da terra dela. Ela me pediu o celular emprestado para ligar para o marido dela, eu neguei, por que não tinha credito sobrando, era de outra operadora e o celular mesmo estava descarregado.

Mas ofereci a ela, uma opção muito melhor, disse pega o seu celular que vamos dar uma carga nele e você liga e avisa ele.

Ela ficou incrédula, mas deu certo, pouco tempo uns 15 min, o marido dela estava buscando ela.

Novamente, não gostei das pessoas de PERNAMBUCO.

Eu sai do posto dos frentistas mau humorados e fui abastecer em outro posto, o qual novamente tive um contratempo até que a pessoa me conduziu para a saída para JUAZEIRO, observação a pessoa que me conduziu, não era PERNAMBUCANA, mas tive que conversar quase uns 5 a 10 minutos até ele poder sair e me indicar o caminho.

No meio do caminho, tive que trocar o óleo, e tive a sorte pois já era um domingo e perto do almoço, tinha oficina aberta para a troca do óleo.

Quando foi no final da tarde beirando as 16hs cheguei em LENÇÓIS, e encontrei minha namorada, não deixei ela matar saudades, pois, queria fazer isto no PAI INÁCIO, infelizmente, ela não procurou pousada barata para nós tivemos que procurar, o que atrasou ainda mais, encontramos uma pousada barata, hotel tradição 45 por pessoas, depois descobrimos que o hostel era 35 por pessoa.

Enfim, tentei chegar a tempo do por do sol, sem sucesso.

E dormimos felizes, depois deu fazer um CUSCUZ PARA ELA. ehhehehehehe. Adorei o cuscuz.

 

Quadragésimo dia: Chapada Diamantina.

 

Apresentei para ela, O RIO PRATINHA, PAI INÁCIO sem o por do SOL, e depois seguimos para NOVA REDENÇÃO, POÇO AZUL, POIS EU TINHA POUCO TEMPO COM ELA, e o tour era rápido.

Ela foi guerreira, andou na traseira sem reclamar muito.

Chegamos tarde no POÇO ENCANTADO, mas em compensação dormimos na beira do rio, na PRAIA DO PERUCA.

O primeiro banho dela no rio PARAGUASSÚ A NOITE, água quente.

Então dormimos na barraca, e novamente um cuscuz, com arroz agora.

 

Quadragésimo primeiro dia: POÇO AZUL, CACHOEIRA DA GARAPA E RIO GARAPA, Balneário do Rio Paraguassú.

 

Após um café reforçado, fomos para o poço azul, quem é os primeiros podem ficar muito tempo, depois quando começa a chegar mais pessoas, é apenas 20 minutos.

Ela ficou encantada e agradecida, ficou maravilhada com o RIO PRATINHA DE POIS COM O POÇO AZUL.

Comemos um pastelão e fomos para ANDARAÍ, 12 KMS de ESTRADA ruim para péssima, quase caímos.

Em Andaraí, apresentei a ela CACHOEIRA DA GARAPA e o RIO GARAPA, onde fizemos o almoço.

Desta vez, CUSCUZ COM OVO E ARROZ.

Infelizmente ou FELIZMENTE, aconteceu uma coisa, antes deu ir para o rio Garapa, deixei minha mochila consertando, a senhora fez um ótimo trabalho, se precisarem fica perto do posto Ubiraitá.

Mas então, quando já estávamos guardando as panelas, eis que surge um rapaz, que veio de Lençois a pé até Andaraí, passando pela estrada velha.

Ele somente consegui carona faltando apenas 5 km da cachoeira do Roncador até o Rio Garapa.

Conversando com ele, ofereci comida ele aceitou, eu então fiz o que tinha, arroz com sardinha.

Fizemos um suco, ele comeu, agradeceu e segui seu caminho, não pode dar carona a ele, pois já era umas 16hs e ainda tinha que tentar chegar no MARIMBUS.

Não deu para fazer o MARIMBUS, Pantanal Baiano, FICOU PARA O OUTRO DIA.

Então fomos buscar, a minha mochila e de lá procurar lugar para pousar.

Como disse fiquei encantado com o serviço da costureira.

Eu não, lembrava o caminho para o PRAIANO, e já era umas 18hs, RESOLVI IR PARA O BALNEÁRIO. Local publico, o qual podia dormir.

Conversando com o GUARDIÃO QUE TINHA, BAR NO LOCAL, deixou armar a barraca de baixo de um quiosque.

Então por volta das 22hs, tomamos um novo banho no rio PARAGUASSÚ, mas desta vez estava um pouco mais frio.

Quando foi por volta das 00:30, a polícia da CHAPADA, deu uma GERAL E QUE GERAL, revistaram TUDO, MAS TUDO MESMO, mas quem não deve não teme, mas confesso fiquei com receio, quando o POLICIAL SEPAROU MINHA PEIXEIRA.

Minha namorada ficou com receio, eu já havia comentado há ela que, talvez seriamos visitados por policia ou veríamos pessoas indo tomar banho ou namora no rio.

Depois de quase 1 hora de revista, e uns 40 minutos de conversa, eu voltei para minha namorada, onde dormimos até as 6 horas.

Aqui deixo claro, eu sou a favor da POLICIA, E TEM QUE REVISTAR E AVERIGUAR. Se fosse sempre assim o Brasil seria mais seguro.

 

Quadragésimo Segundo dia: Igatú e Mucugê

 

Saímos cedo, para conhecer IGATÚ A CIDADE DE PEDRAS. Foi sofrido, subir aquela estrada de pedras, recomendo quem estiver em ANDARAÍ, não pegar a primeira entrada, sendo a segunda de terra melhor para carro e moto.

Apresentei ela a cidade, e fomos para MUCUGÊ, acabou que chegamos em MUCUGÊ, já era quase 16hs, então não deu para mostrar a ela MAR DE ESPANHA E SIBÉRIA.

Mas resolvemos descansar pois iríamos para IBICOARA NA MANHÃ SEGUINTE.

Tirei então o resto da tarde para REVISAR A MOTO, ela descansar, e a noite fomos conhecer o cemitério BIZANTINO.

Dormimos o sonho dos justos.

 

Quadragésimo Terceiro dia: IBICOARA - CACHOEIRA DO BURACÃO.

 

Acordamos CEDO, pois tínhamos, mais de 2 horas até Ibicoara.

Tudo normal até que entramos para IBICOARA, a moto deu uns PEIDOS. Eu pensei gasolina ruim de MUCUGÊ.

Continuamos até chegar na primeira empresa de guias, olhamos o valor e eu decidi, ir olhar onde lavar a moto e olhar outra agência, mas o preço e fixo.

Bom, a moto de novo apresentou comportamento estranho.

Olhei onde lavar a moto, pois era o penúltimo na chapada depois Rio de conta e ir embora para casa.

Optamos por fazer o passei com a primeira agência.

Sabe as vezes a intuição e UMA COISA DE LOUCO, eu perguntei a minha namorada, você gostou da primeira agência, pois esta eu perguntei, não gostei muito não, achei muito capitalista, lembrando o preço é o mesmo da primeira.

Ela me disse que gostou da primeira.

Pagamos, e nosso guia uma PESSOA FINA, podem procurar ele, JUBA O APELIDO DELE, ÓTIMO GUIA. Ainda perguntou, se eu não queria passar em uma oficina de moto antes de ir para o passeio.

Eu, agradeci, descarreguei o que foi possível e deixamos na agência, e fomos, não andamos 12 km direito, e a MOTO PAROU DE VEZ. Estranhei, mexi o que pude e até onde minha EXPERIÊNCIA COMO MECÂNICO IA, e nada.

Optei então, PEDI AO JUBA, para levar MINHA NAMORADA PARA A CIDADE, e assim que eu conseguisse, iria voltar com ela.

JUBA ME AJUDOU, os AMIGOS DELE TAMBÉM, acho que ele pediu para eles me darem uma ajuda, no FINAL, não conseguimos.

Desespero e falta de preparo e foda, o problema não era na VELA ou VÁLVULA, mas no carburador, que eu tinha abri, pensei que estava tudo ok, fechei de novo, e montei errado. Mas sabem como é né, tem que ter cabeça fria mesmo.

O JUBA, voltou para rebocar a MOTO, sofremos para subir com ela, mas vencemos, deixamos a moto na oficina e em uma hora já estava pronta, o CARBURADO TINHA SIDO MONTADO ERRADO, eu até agora não entendi, andei mais de 100km e na estrada de terra que deu problema, muito estranho mesmo.

AINDA BEM, que o JUBA e a ESPOSA DELE, NOS DERAM POUSO E COMIDA.

Gratidão, respeito e admiração, logo lembrei do GIBÃO e a família de DU, NICE E TONHO.

JUBA E SUA ESPOSA MARIA, nos acolheram bem, no dia seguinte fomos conhecer a CACHOEIRA DO BURACÃO, sem palavras.

Ficamos gratos com o JUBA, e por volta das 18hs seguimos para RIO DE CONTAS, novamente erro meu, chegamos por volta das 22hs em RIO DE CONTAS.

Minha namorada é guerreira, MUITA ADMIRAÇÃO POR ELA, andamos duas hora e meia na terra, no escuro, e muitos desafios, mas chegamos em RIO DE CONTAS, que acabamos não ficando, MUITO CARO.

Fomos para LIVRAMENTO DE NOSSA SENHORA DE BRUMADO, mais barato porém mais caro, mas ficava apenas 15 km de RIO DE CONTAS.

Dormimos o sonho do JUSTOS.

 

Quadragésimo Quarto dia: De Livramento de Nossa Senhora do Brumado até Urandi.

 

Logo cedo daquele sábado, a moto deu um barulho na roda, bem que fosse rolamento, fui até uma loja de motos, e para minha surpresa, O CUBO QUEBROU.

Rodamos a noite toda, com aquele problema e nada aconteceu.

Gastei 250 reais, cubo, rolamento e pastilha de freio, mais a mão de obra.

Por volta das 10 horas, saímos de Livramento rumo a MINAS GERAIS.

Paramos para almoçar por volta das 13hs, depois veja o vídeo de MULHERES FECHANDO A RODOVIA UMA BR, perto de MALHAÇÃO DE PEDRAS entre BRUMADO E IBITINGA. Pediam dinheiro falando que é para faculdade, faculdade que é publica, e fechando uma rodovia que é federal.

Mais uma vez tivemos a sorte, era 16hs em frente a uma loja de moto aberta, e numa velocidade de 40 km, a corrente rebentou.

E mais uma vez, fomos salvos pela sorte, em 1 hora, já estávamos seguindo viagem, de PANDAÍ rumo a URANDÍ.

Custou R$ 100,00 A RELAÇÃO NOVA.

No meio do caminho, O SUPORTE DO BAÚ que já não dava problema há mais de 3 mil kms, DEU PROBLEMA.

Conseguimos chegar no POSTO FAMOSO DE URANDI, onde tem a melhor água da região.

Novamente tivemos a sorte, do CAMINHONEIRO, VALDIVINO e do DEIVISON. O Valdivino, nos ajudou a colocar uma gambiarra para segurar até encontra algum lugar para soldar, o que não precisou, ja o DEIVISON, nos ofereceu o baú para dormir, visto que estava VENTANDO MUITO E FEZ FRIO, MINHA NAMORADA SOFREU DE FRIO.

Tivemos uma prosa boa durante um bom tempo os dois caminhoneiros, dormimos e no dia seguinte, as 6 horas, partimos para BH.

 

Quadragésimo Quinto Dia: De URANDÍ ATÉ BH.

 

Era umas 7 horas quando partimos de Urandí, viagem tranquila, tirando OS FDP, DE MOTORISTAS DE CARROS PEQUENOS, os domingueiros, enquanto não saímos da BR 135, para pegar a 040, foi uma tortura.

Quando foi por volta das 19hs, paramos em um posto de combustível, na BR 040, encontramos com O DEIVISON que não pode seguir viagem pois pela empresa tinha que parar de rodar as 18hs.

Agradecemos ele mais uma vez, e seguimos viagem, até BH, cansados, chegamos já era umas 21:30hs da noite.

E assim terminou a viagem.

 

Ufa, mas quero fazer de novo.....

 

Um detalhe, viu que coloquei apenas 45 dias, pois 4 dias, se referem a problemas que tive na moto ou não aconteceu nada de interessante, e justamente estes 4 dias, que impossibilitaram deu conhecer o VELHO CHICO POR DENTRO, se não teria encontrado com minha namorada, sem arrumar a correria que fiz.

 

Resumo de tudo:

 

Você quer fazer o que eu fiz?

Pimeiro, você tem coragem? Segundo você tem vontade? Não adiante responder sim apenas para uma pergunta, tem que ser sim para as duas.

 

O que levar?

Roupas, o mínimo possível, se for viagem de 10 a 15 dias, já esta bom, um roupa dormir e uma para trocar, ou seja,

2 camisas, duas calças, cueca, 3 pares de meias, um conjunto para frio, toalha, lembrando você já terá uma roupa que é a que você vai usar durante a viagem toda. Evitar roupas NOVAS OU POUCO GASTAS.

HIGIENE, O MÁXIMO COMPACTO POSSÍVEL.

Depende do lugar, se FOR PERÍODO DE CHUVA, levar barraca, mas sinceramente aconselho levar mesmo é uma rede, e um poncho ou coberta fina, ou cobertor térmico.

Levar pelo menos dois pedaços de cordas de 4 metros cada.

Ferramentas para conserto da moto, enche rápido para câmara furada.

Comida, um pouco de arroz e açúcar, você vai comprar 1 kg de cada, macarrão achei melhor que MIOJO, mais barato e rende mais, farinha, e pacote de suco, detergente e esponja e bombril.

Recomendo um fogareiro, pois as vezes não dá para fazer fogueira.

Agora APRENDA CUSCUZ E COMPRE UM CUSCUZEIRA, terá economia de espaço, preço e peso. Apaixonei com o cuscuz.

Leve também, de reserva manete e rolamento da moto, uma vela de reserva também ajuda tá, vai que estraga com você em estrada desertas, como aconteceu comigo.

Um isolante térmico ou de borracha para dormir no chão ajuda também.

 

Onde ficar?

 

Isto é pessoal, mas uma sugestão é seguir sua intuição.

Tenha sempre em mente duas ou três cidades a frente, desconfiar de pessoas que querem saber muita coisa de você, se não sentir confiança, diga a cidade que você não esta indo.

Agora você terá estas perguntas.

De onde você é?(Belo horizonte, ou qualquer outra cidade do SUDESTE OU SUL, sempre será acompanhado, é perto de SP OU RJ)

Para onde Vai?

O que você faz?

 

GOSTA DE DROGAS?

 

Sim eu sou careta, não uso mais drogas, parei de fumar tem 9 meses e 14 anos que não uso mais BEBIDA ALCOÓLICAS ou DROGAS como CHÁS que eu adorava, mais que maconha ou cocaína ou raxixe.

Sabia que se a POLÍCIA TE PEGAR, sua viagem pode acabar, então, sugestão, SE VOCÊ ACHA QUE DROGAS COMBINA COM NATUREZA, cuidado, fui revistado mais de 4 vezes.

Outra coisa NATIVOS, não gosta de CACHACEIROS, se gosta é porque querem que você gaste dinheiro com eles na bebidas, ou se você tomar sua cerveja e não COMPARTILHAR, saiba o risco que corre de receber uma informação errada.

 

Mecânica de Moto, você sabe?

 

Pois é, não adianta saber alguma coisa de entrar em desespero.

O pouco que eu sabia, pus a perder em IBICOARA, pois não prestei a atenção de como era o certo de montar no carburador, eu paguei 30 reais atoa, mas 15 reais foi da vela da moto.

Mas saber um pouco de mecânica ajuda, e acredite, sempre terá alguém para te ajudar ou te ferrar, SEJA HONESTO, AJUDE QUANDO DER, pois uma hora será você que vai precisar.

 

Com quem conversar?

 

Eu sempre gostei do SIMPLES, BOTECO COPO SUJO, se você tiver que ser roubado será lá, mas te falo, LÁ TAMBÉM É ONDE OS NATIVOS SOLIDÁRIOS ESTARÃO, lógico terá uns que não presta, mas 90% SE FOREM COM A SUA CARA, não vai ficar na mão.

Ainda esta com medo, peça informação ao FRENTISTA OU EM BAR ou PADARIA, evite outros lugares, dar o seu paradeiro para muitas pessoas é um risco que você corre, somente em ultimo caso.

 

Sugestão, em MINAS, veja que sou MINEIROS, não adianta, O MINEIRO ENQUANTO ELE NÃO TE PERGUNTAR, você não terá a resposta da sua pergunta.

CUSTEI MAS APRENDI, primeiro eles olham, olham de novo, ficam pensativos, e você já fez sua pergunta, até que eles criam coragem e te pergunta, você é de onde, e para onde esta indo, e se você veio na moto com tudo que eles esta vendo.

Já outros estados que passei, eles te respondem primeiro para depois perguntarem.

 

Será que você consegue?

 

Apenas tenha pensamentos positivos.

Eu não recomendo fazer a viagem sozinho, o ideal é mais uma pessoa ou duas.

Eu corri riscos, eu fui responsável pelos meus atos, eu tive sorte e muita sorte.

 

Qual é o melhor horário para pilotar?

 

Acabei descobrindo, no meu caso que tinha que fazer comida e janta, é das 6hs até as 16hs no máximo as 17hs, mas as vezes não era possível.

 

O QUE CONHECER?

 

Abaixo tem as CIDADE QUE VISITEI, e algumas tem asteriscos, estas ou não valem apena, ou não visitei, ou é muito caro, ou outro motivo. Agora as demais valem apena conhecer.

Outra coisa para quem for fazer consegue economizar, DE BH ATÉ AURORA DO TOCANTINS sem PAGAR POUSADA SE QUISER E TIVER CORAGEM.

De Januária até São Desidério consegue dormir em beira de rio, de São Desidério até Aurora do Tocantins de beira de Rio ou Posto de combustível.

 

Montar um roteiro?

 

Eu aprendi, que não se deve misturar LITORAL, BIOMAS, então se for escolher CERRADO FAÇA CERRADO, SE FOR FLORESTA AMAZÔNICA SOMENTE ELA, se for LITORAL, somente Litoral, etc...

 

Não esqueça, de comunicar sempre com a família, meu código era, se eu passar dois dias sem mandar notícias, podem ficar preocupados, caso contrário esperar as 48 horas.

 

UGARES PARA CONHECER

 

1 - SERRA DO CABRAL - MG - Ref. Bocaiúva

(AUGUSTO DE LIMA, BUENOPOLIS, CURUMATAI, CLAROS PORÇOES, ETC.)

2 - PARQUE NACIONAL SEMPRE VIVAS - MG Ref. BOCAIÚVA

(CURIMATAI)

3 - PARQUE ESTADUAL SERRA NOVA - MG Ref. Janaúba

(Porteirinha, Serranópolis)

4 - Cachoeira do SERRADO - MG Ref Porteirinha

5 - Serranopólis de Minas

6 - Januária até correntina

7 - Parque Nacional Grandes Sertão Veredas / Serra Gaúcha - MG Ref Estiva

(Serra Das Araras, Estiva , Arinhos)

8 - Formoso - MG Ref Maravilha Sao Pedro do Passa Três - Buritis

*9 - MAMBAÍ - GO Ref Pintada/Damianopolis

10 - FORMOSA - GO Ref Alvorada do Norte/Vila Boa

(Distrito de Bezerra, Poço Azul,Cachoeiras muitas)

*11 - Poço Azul - DF Ref. DF 001 OU DF 170

(Saindo de Formosa Venha por DF 205 ou GO 430, seguir para Bom sucesso,

se quiser pegar a DF 330, INDICAÇÃO PARA AGUAS LINDAS DE GOIAS)

(Cachoeira do Tororó, Santa Maria – DF)

*12 - Águas Lindas de Goiás e Brazlândia - GO

*13 - Corumba de Goias - GO Ref. Pirenópolis

(Pirenópolis, Cocalzinho de Goiás, Perenópolis, Corumbá de Goais)

14 - NIQUELÂNDIA(CHAPADA VIADEIROS)

(Várias Atrações)

15 - Chapada dos Veadeiros - GO Ref Colinas do Sul.

(Conhecer tudo que for possível e de Graça)

16 - Terra Ronca - GO Ref GO 110 Sao Domingos

(GO 118 Raizama, GO 112 PRATA, GO 447)

17 Aurora do Tancantins - TO Ref Combinado

(LAVADEIRA, TAGUATINGA, GO 110 Porteira, depois vai para Barreirão ou Pousa Alegre, TO 110 COMBINADO)

18 - Sao Desiderio - BA Ref Barreiras - BA

(Luis Eduardo Magalhaes BA 462 OU BA 242, BR 020 Barreiras)

19 - JALAPAO E PARQUE NASCENTE DO RIO PARNAÍBA - Ref. TO

(Riacho das NEVES PI 135, Piripiri ou Batalha PI 225

*18 - CHAPADA DAS MESAS - MA Ref Carolina

(o que der para conhecer)

19 - SEM RUMO LENÇOIS ATÉ PARNAÍBA

(lençois Maranhenses ou Parnaíba)

20 - DE Lençóis até FORTALEZA, o Litoral

*21 - PETROLINA - PE

22 - CHAPADA DIAMANTINA - BA

 

Fotos:

https://goo.gl/photos/UnTS98SCRxLFBSx69

https://goo.gl/photos/6m4TMJ7MgxgEP5sWA

https://goo.gl/photos/bQKAZdqnBLpenWVw5

https://goo.gl/photos/nBvN52YW6eiGcUve9

https://goo.gl/photos/rVund5df2zf44hdR8

 

Videos:

https://goo.gl/photos/iqFH3Szuh4Tfbd3S7

https://goo.gl/photos/8rcMe8cpBTYyPVNVA

https://goo.gl/photos/Za49cTrUVrMR2uqa9

https://goo.gl/photos/YneeJXnLDXh6Uadt7

https://goo.gl/photos/yevi61XPESirQGpg8

https://goo.gl/photos/3vZV8VuDrC551uze6

https://goo.gl/photos/CBktK14w7FsbnHnBA

https://goo.gl/photos/xwZXLUsVWi9EyZPWA

Link para o post
Compartilhar em outros sites

  • Membros

Olá meu Caro A. Nascimento.

Obrigado primeiramente. Eu queria saber, ficou cansativo a leitura e chato os relatos?

Sobre publicar, bom, vou até olhar na HONDA, para eles lembrarem do MOTOR OHC de 2004, que foi um excelente motor.

Agradeço, e caso queria algumas dicas se for para algum lugar que passei ou fazer um passeio de moto de 5 dias ou mais, se eu poder ajudar lhe dou algumas orientações, não o pulo do gato ok, pois isto é pessoal mesmo.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 4 semanas depois...
  • Membros

Saudações a todos!

Salve Luiz, tudo bem com você.

Obrigado pelos dizeres, sim cara você irá fazer, como eu DISSE precisa de coragem e vontade, não adianta apenas sim para uma das perguntas ok.

Agora, cara, você podia fazer um relato de ALTER DO CHÃO, o que você acha, após que muitos vão ler seu relato, pois poucos conhecem, condição da estrada, como é pousar em beira de rio na sua região, etc... No caminho da minha viagem conheci pessoas que fizeram a TRANSAMAZÔNICA.

Quem sabe não nos agracia com esta viagem como sua experiência.

E se precisa de algumas informações para sua VIAGEM MAIS LONGA, estradas o que acho que vale ou não conhecer, pode entrar em contato, Estados que PASSEI, MARANHÃO, CEARA, PERNAMBUCO, BAHIA, GOIAS, MINAS, PARAÍBA, TOCANTINS E PIAUÍ.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 3 meses depois...
  • Membros

Saudações, tudo bem!

 

Sim, cheguei em PETROLINA, ERA quase umas 20hs. Tinha pilotado das 5hs saindo do CEARA até chegar em PETROLINA, aproximadamente 850km.

Dormir no posto que tem do lado ESQUERDO de QUEM SAI DE PETROLINA SENTIDO JUAZEIRO, que funciona 24horas, tem até um relato do que aconteceu as 4:30 ou 5hs da manhã, da senhora pedindo ajuda, e o pessoal de PETROLINA, NEM PARA LIGAR PARA O MARIDO DELA.

Enfim, APENAS DEIXA CLARO, sim, volta em PERNAMBUCO SIM, mas quis ser fiel ao que REALMENTE SENTI NA PELE. O que é viajar sozinho.

Deste ser revistado, até o pessoal olhar desconfiado para você, MAS 90% e SOMENTE AGRADECIMENTO E SURPRESAS BOAS.

 

Tudo de bom, qualquer coisa pode perguntar.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

Muito interessante sua forma de ver as coisas. Eu não me senti ameaçado em nenhum momento da minha viagem, mas talvez eu tivesse mais "cara de turista", já que me enturmar com locais também naõ foi nada fácil (apesar de que em pernambuco, ao contrário da sua experiência, fiz várias amizades!).

 

Senhor rolê de bros! Com a tenere 250 a velocidade é um tiquim mais alta, sempre ali a 90~100km/h.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

Salve, salve!

 

Pois é, 250 e um pouco melhor a média da velocidade, quem sabe mais para frente não compro uma.

Sobre Pernambuco, pois é, não descarto voltar lá. Mas o pedaço que passei, tanto o CAMINHÃO ATRAVESSAR NA PISTA, depois conversarmos, e desfazer o mau entendido, o GUARDA, me revistou, e disse agora eu poderia ir tranquilo, o frentista, não querer abrir o banheiro, se ele tivesse falado é tanto eu teria pago. Eu também conversei com outro caminhoneiro no posto, NAQUELE POSTO E AQUELE DIA, acho que não era bem o local, tanto que já AMANHECENDO, A MULHER PEDINDO AJUDA, e NENHUM PERNAMBUCANO deu.

Mas eu quis, ser o mais fiel do que aconteceu, pois o meu ESTILO, foi evitar pousadas, ser um MASCATE OU CAMINHONEIRO.

Como você leu, eu fiz, eu sou fácil de conversar, interagir.

Você leu, sobre a minha queda no JALAPÃO, as mesmas pessoas que uma hora eu disse ter medo, foram as mesmas que informaram sobre o HOSPITAL 24HS.

 

Mas é isto aí. Vida longa e muitas viagens. Adorei o seu relato, estou do lado da ESTRADA REAL e nunca fiz, depois vou fazer, mas acho que vai ser de bike.

 

Abraços.

Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora
×
×
  • Criar Novo...