Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Arquivado

Este Post foi arquivado e está fechado para novas respostas.

Fábio Borges

Treino de speed é bom para mountain biking e vice-versa?

Posts Recomendados

Fala galera amantes de bike, sejam eles voltados para o cicloturismo, MTB ou speed. Lendo alguns artigos no site da pedal.com encontrei esse e achei muito interessante... vamos ver o que a galera aqui pensa a respeito... abraços

 

A fisiologia do ciclismo em prol do mountain biking

O Pedal solicitou ao nosso colunista e treinador, Hugo Prado Neto, que falasse sobre um assunto que todos os ciclistas e mountain bikers debatem constantemente: uso da bike de speed para treinos de MTB.

 

Mas o mestre Hugo se superou mais uma vez. Ele elaborou um artigo – digno de "enciclopédia" – relacionando não só o uso da primeira opção, mas o oposto: MTB para treinos de Speed.

 

Com uma explicação, simples, dinâmica e descontraída, Hugo mostra porque é considerado um dos maiores treinadores de bicicletas do país. Confiram:

 

“Os atletas de MTB me perguntam: é interessante ter uma bicicleta de “speed” para eu treinar? Na verdade os ciclistas nunca me perguntam o oposto, mas também para o ciclista é interessante efetuar treinos de MTB? Do ponto de vista da fisiologia do exercício, a resposta para as duas perguntas é um afirmativo SIM. Existe ainda o fator psicológico que também conta muito na hora: dar uma mudada de ares.

 

:: Treinos de Speed para o Mountain Bike

 

Vamos começar pelo uso do ciclismo (bike de speed) a favor do mountain bike. A base como todos devem saber é o primeiro componente de um treinamento metódico e bem feito. Esta fase envolve uma intensidade baixa para estimular o uso da gordura como primeira fonte de energia (isso ensina o corpo a economizar glicogênio), com um volume alto para estimular as células e enzimas responsáveis pelo sistema aeróbico. É muito mais correto efetuar a maioria dos treinos de base em outras fases na bike de speed, porquê:

 

1 - O estímulo aeróbico é bem maior uma vez que, o treino na speed o ritmo é constante e melhor para monitorar – o pedal sai redondo. Se você treina de MTB, a cadência, a velocidade e a potência não serão constantes. É claro que por questões financeiras o atleta pode “tunar” sua MTB para ser utilizada no asfalto. Melhora sim, mas não substitui totalmente pela bike de speed. Tendo falado isso, na fase de base é importante que o atleta ande pelo menos 2 vezes por semana em sua MTB, considerando que um treinamento deve conter no mínimo 4 dias de treinos por semana.

 

2 - Vários intervalos específicos devem ser efetuados na speed para ter uma maior repetibilidade e também para que o atleta não desfoque dos intervalos por causa de pedras, obstáculos que exigem técnica e terreno variado de MTB; o que obviamente vai atrapalhar por completo o objetivo específico de cada intervalo.

 

3 - O medidor de potência é a melhor ferramenta para um treinamento ideal, mas seu alto custo impede até mesmo os atletas – com condições – de terem um desses na speed e na MTB. Eu, por exemplo, só tenho na minha speed e TODOS os meus intervalos específicos são feitos na bike de speed. Divido meus treinos em 50% de ciclismo e 50% de MTB.

 

4 - Por fim, porque vocês acham que um atleta especialista em provas de maratona não tende a ir bem nas provas de XC? Na minha opinião, o principal culpado se chama sistema neuromuscular. Os atletas de maratona tendem a girar mais e manter um ritmo constante, assim o sistema neuromuscular desses bikers foram ensinados durante anos a manter uma velocidade de perna alta (cadência), sem alterar muito o ritmo de pedal, igual acontece nas provas de XC. Torna-se evidente que o treinamento com uma bike de ciclismo na estrada vai ajudar muito esses atletas ou os iniciantes que querem andar bem de maratona.

 

:: E os ciclistas? O que eles ganham nessa troca?

 

Quem acha que ciclismo não exige técnica e habilidade sobre duas rodas esta ligeiramente enganado. Lance já nos provou isso no Tour uma vez lembram? Aquela cena foi clássica e histórica. O mountain bike pode ajudar os ciclistas a evoluirem no ciclismo nas seguintes hipóteses:

 

1 - Como comentando o uso esporádico de uma mountain bike para um ciclista pode ajudá-lo a adquirir técnica, fazendo com que esse atleta tenha mais sucesso. Podendo evitar colisões desviando corretamente de carros em treinamentos e caminhoneiros que insistem em manter a ignorância de não nos respeitar, e simples obstáculos como um buraco ou um “bump” em uma estrada.

 

2 - Além da técnica, o ciclista pode também ter uma MTB para aliviar um pouco mais os impactos diários dos treinos de ciclismo. Um ciclista acima de 50 anos com hérnia de disco, por exemplo, por mais que tenha a melhor bicicleta de speed, vai encontrar em uma boa mountain bike maior conforto e alívio para as suas costas e seu corpo em geral.

 

3 - O mountain bike para o ciclista pode também ajudá-lo a trabalhar alguns membros superiores com mais afinco, ajudando o mesmo a obter um melhor equilíbrio muscular.

 

4 - Na OFF SEASON, fase da periodização, caracterizada por um descanso ativo através de outras atividades físicas, o ciclista pode encontrar no mountain bike uma segunda alternativa para se manter ativo depois de uma cansativa temporada na magrela, fazendo assim uma manutenção da forma física junto a natureza, envolvendo outro esporte de pedalar.

 

5 - Por fim, parece bobagem, mas o mountain bike é uma atividade longe de grandes cidades urbanas que são bastante poluídas. Dizem que morar na poluição da grande São Paulo equivale a um ser humano fumar dois cigarros por dia. Como tenho certeza que todos nos temos NOJO dessa droga, praticar o mountain bike pode dar uma aliviada até nos seus pulmões.

 

Bom, se você pedala mountain bike ou ciclismo já está de bom tamanho, mas espero que essa artigo abra ainda mais o horizonte de todos vocês sobre os benefícios dos dois esportes em prol do outro. Boa sorte aos ciclistas e mountain bikers, acho que deu para perceber que somos de um só planeta: o planeta da saúde, do esporte, do desafio, da conquista e da disciplina em cima de 2 rodas! Viva nosso esporte, longe de nós Ronaldinho

 

Artigo escrito por: Hugo Prado Neto

Diretor da OCE (Tetra Campeã Brasileira de MTB) atleta profissional patrocinado pela Specialized/Keico/Tripp/BWA e trabalha para a conceituada Carmichael Training Systems. Publicado no site www.pedal.com.br

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Antes mesmo de ler esse artigo eu já acreditava que andar de speed era muito bom para treinar para os meus roles de finais de semana com minha MTB, seja ele trilha ou cicloviagens.

Apesar de muitos amigos meus MTBs falarem que speed é coisa de velho, sempre achei que intensidade da pedalada na speed é muito mais intenso, pois na MTB tem hora, diga-se descida, você não pedala tanto, já com a outra mesmo na descida vc está mantendo o ritmo da pedalada e dependendo do ritmo que vc pedalou vc sai arrebentado do treino.

Sei que para nós, esportistas amadores, as vezes é meio inviável ter duas bikes, mas tive a sorte de poder ressucitar a speed do meu pai e sempre que posso saio durante a semana para pedalar com a estradeira e nos finais de semanas encaro uma trilha.

Além disso, esse artigo serve para acabar com o apartheid que alguns ciclistas fazem em relação aos dois estilos de pedal, pois na verdade somos um só mundo.

 

abraços e espero que seja útil esse artigo.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Fábio

 

Parabéns Pelo post.

 

É mais encrenca pra minha cabeça, digo meu bolso. Hj tó tenho uma MB e tô de paquera nas Speed.....com um post desse vou acelerar a compra... ::otemo::

 

Abraços

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Obrigado Piacitelli,

 

Compra mesmo uma speed, vale a pena.. não precisa ser uma top, pois a manutenção dela é muito baixa. Para você ter uma idéia a minha, ou melhor a do meu pai, tem mais de 25 anos. A única coisa que ele fez foi trocar o quadro por um mais leve mas isso a uns 10 anos atrás. A mecânica dela é toda original...

 

Quando voltei a andar de bike tive vontade de adquirir uma mais moderna ou "dar tunada", mas pesando melhor vou deixar ela como está ou quando quebrar alguma coisa nela, pois não possível uma hora o câmbio quebra...

 

abraços.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Pois é Fábio

 

Eu tive Speed. Andava muito. Até um carro entrar na minha frente e eu ir parar no hospital todo quebrado. ::bruuu::

 

Tenho andado só de MB. Mas no asfalto é dificil acompanhar as Speed. Sem falar que é coisa de conceito....Adoro essas bikes

 

Tive vendo a Sprint e a Strada. Mas ainda to na paquera. Pegando dicas. etc. Faz tempo que to fora do meio de Speed e sem noção do que tem de bom em mecânica.

 

O Ogum me deu umas dicas legais. Ainda Estou na dúvida se monto uma ou se compro...mas que vai va...

 

abração

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

speed como coisa de velho? hahahaha

 

speed é coisa de quem sabe pedalar. o problema é que houve um tempo aqui no brasil que só se falava de MTB, e nós temos toda uma gerção que nunca andou de pneu fino, nem sabe desviar de buraco, e acha que lombada é pra dar salto.

 

piacitelli, repetindo os que tava nas MPs:

 

1. grupos de speed, os mais básicos, são equivalentes, em qualidade, aos medianos de MTB. grupos tops de MTB equivalem aos grupos médios de speed. e grupos top de speed são aponta da tecnologia. exemplo: dura ace eletrônico, e campagnolo com 11 marchas atrás. faz quase 10 anos que a campagnolo faz câmbios em fibra de carbono...

 

2. mtb é jipe, speed é carro esportivo.

 

3. manutenção de speed é baba, basta saber desviar de buraco. lubrificar tb. e esolher os pneus certos pro tipo de psio. ficar brincando dumlado pro outro com roda de competição vai dar manutenção. mas rodas motnadas com bons cubos, bons aros e raição cruzada, não serão as mais leve,s mas durarão uma eternidade.

 

4. numa descida longa numa estrada, ver o coleguinha de MTB esbaforido pra te acompanhar e vc ainda nem começou a pedalar, olhar pro lado e sacanamente dizer: "agora eu vou dar uma pedalada" e sair soltando marchas... , ah, isso não tem preço! ::lol4::::lol4::::lol4::

 

5. o segredo é só não entrar na neura dos que competem por equipo. uma speed simples garante muita, mas muita diversão na estrada pra quem não compete. ::hãã2::

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Fala Agum,

 

também acho que tem pessoas que criticam sem nunca ter andado... é claro que andar de MTB trás bem mais emoção, mas como vc muito bem colocou, pedalar de speed é para quem sabe pedalar...

 

realmente, as peças de speed custam muito... andei pesquisando, uma pinça de freio da shimano estava 350 reais o par e nem era da top...

 

quando vou na bicicletaria perto de casa, cujo o dono foi campeão sulamericano de ciclismo, passo até mal com as speed que ele tem lá kkkk

vale mais que meu carro rsrs

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Fala Agum,

 

também acho que tem pessoas que criticam sem nunca ter andado... é claro que andar de MTB trás bem mais emoção, mas como vc muito bem colocou, pedalar de speed é para quem sabe pedalar...

 

realmente, as peças de speed custam muito... andei pesquisando, uma pinça de freio da shimano estava 350 reais o par e nem era da top...

 

quando vou na bicicletaria perto de casa, cujo o dono foi campeão sulamericano de ciclismo, passo até mal com as speed que ele tem lá kkkk

vale mais que meu carro rsrs

 

não é agum , é ogum mesmo, como o o orixá, embora eu não seja ele, é claro.

 

sobre essas pinças da shimano, vc pode usar umas da tektro tão eficientes quanto, cerca de 10 gramas mais leves e que custam 50 pilas. bem menso que 350, né?

 

speed é bom pq h´pa peças de outros fabricantes com excelente qualidade, umas mais caras, outras mais baratas. quem usa campagnolo pode usar mix de peças miceh, por exemplo. tem freio a 45 pilas. câmbios são mais fáceis de intercambiar.

 

cassetes, sogre quem usa campgnolo que usa sistema próprio (no máxio compatível com miche), e tem que suar cubo miche ou campagnolo. mas quem usa padrão shimano tem uma oferta ainda maior.

 

tem tb sram, tem microshift e sunrace quebrando um galho.

 

[]s

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Agum foi osso heim? foi Mal Ogum ::lol4::::lol4:: de onde eu tirei essa kkk

 

eu não entendo muito sobre marcas alternativas... mas vou dar uma olhada... a speed que uso ainda tem cassete de 6 marchas para vc ter uma idéia de quanto ela é antiga... vou olhar o conjunto de cambio e depois mando por mp para vc... abraços

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Agum foi osso heim? foi Mal Ogum ::lol4::::lol4:: de onde eu tirei essa kkk

 

eu não entendo muito sobre marcas alternativas... mas vou dar uma olhada... a speed que uso ainda tem cassete de 6 marchas para vc ter uma idéia de quanto ela é antiga... vou olhar o conjunto de cambio e depois mando por mp para vc... abraços

 

não precisa colocar por mp, coloca aqui que depois outrso lêem.

 

se é de seis marchas, deve ser catraca de rosca. no máximo vai achar de 7. o sistema de cassete permite o cassete deslizar sobre trilos, e se rosqeia na ponta. tem mais infos, com ilustrações, aqui:

http://sheldonbrown.com/k7.html

tá em inglês, mas dá pra ver a difernça na priemira ilustração: na esquerda, o sistema que deve ter na tua bike, na direita, o sistema de cassetes.

 

vê que peças usa, faz uma lista: câmbio traseiro, dianteiro, tamanho do pedivela, trocar, e etc. deve ser alavanca de quadro, né?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites




×
×
  • Criar Novo...