Ir para conteúdo

Santa Catarina - Guia de Informações


Júnia Pimenta

Posts Recomendados

  • Membros de Honra

[info]Este tópico é um Guia que está sendo construido com informações de viagens realizadas pela equipe do site e também com informações de usuários que foram postadas nos fóruns relacionados ao tema aqui no Mochileiros.com.

Este guia é atualizado periodicamente.[/info]

 

[t1]Dicas de Santa Catarina[/t1]

 

[t3]Localização:[/t3]

 

Santa Catarina fica no Sul do Brasil, bem no centro geográfico das regiões de maior desempenho econômico do país, Sul e Sudeste, e em uma posição estratégica no Mercosul. O Estado faz fronteira com a Argentina na região Oeste. Florianópolis, a Capital, está a 1.850 km de Buenos Aires, 705 km de São Paulo, 1.144 do Rio de Janeiro e 1.673 de Brasília. Sua posição no mapa situa-se entre os paralelos 25º57'41" e 29º23'55" de latitude Sul e entre os meridianos 48º19'37" e 53º50'00" de longitude Oeste.

 

[t3]Clima:[/t3]

 

O clima mesotérmico predominante em Santa Catarina proporciona temperaturas agradáveis, variando de 13 a 25° C, com chuvas distribuídas durante todo o ano.

Ao contrário da maior parte do território brasileiro, aqui as quatro estações são bem definidas. Os verões são quentes, ensolarados. E a região do Planalto Serrano, com altitudes que atingem 1.820 metros, é onde há a maior ocorrência de neve no inverno no Brasil.

 

[t3]

Regiões:[/t3]

 

1. Litoral

Os 500 quilômetros de litoral são um paraíso para quem busca belas praias e o contato com a natureza. Esta região, colonizada por açorianos no século XVIII, tem um relevo recortado, com baías, enseadas, manguezais, lagunas e mais de 500 praias. É, ainda, uma das mais importantes áreas de biodiversidade marinha do Brasil.

As principais cidades são Florianópolis, São José, Laguna, Imbituba, Itajaí, Balneário Camboriú e São Francisco do Sul. A pesca e o turismo são atividades econômicas marcantes.

 

Florianópolis, capital e centro administrativo do Estado, é uma cidade privilegiada: situa-se em uma bela ilha oceânica com 523 quilômetros quadrados. Ela é a capital brasileira que oferece melhor qualidade de vida e o terceiro município brasileiro mais visitado por turistas estrangeiros, atrás apenas de Rio de Janeiro e São Paulo. A área do município também inclui uma porção continental, ligada à parte insular por três pontes. Seus 280 mil habitantes convivem com o ritmo ágil de um centro urbano cosmopolita e com a tranqüilidade dos vilarejos construídos pelos colonizadores açorianos. As 100 praias da cidade são em sua maioria limpas e próprias para banho.

2. Nordeste

Com forte tradição germânica, o Nordeste do estado concilia uma economia dinâmica com o respeito à natureza exuberante. Indústrias do ramo eletro-metal-mecânico dividem espaço com as densas florestas da Serra do Mar e as águas da Baía de Babitonga. A região tem alto poder aquisitivo e excelente qualidade de vida. Suas principais cidades são Joinville (a maior de Santa Catarina, com 500 mil habitantes) e Jaraguá do Sul.

3. Vale do Itajaí

Um "pedacinho da Alemanha" encravado em Santa Catarina. Assim é o Vale do Itajaí, situado entre a Capital e o Nordeste do estado. A herança dos pioneiros germânicos deixou marcas na arquitetura em estilo enxaimel, na culinária e nas festas típicas, nos jardins bem cuidados e na força da indústria têxtil. Sua paisagem de morros, matas, rios e cachoeiras é um forte atrativo para os ecoturistas. Os principais municípios são Blumenau, Gaspar, Pomerode, Indaial, Brusque e Rio do Sul.

 

4. Planalto Norte

Nesta região, rica em florestas nativas e provenientes de reflorestamento, concentra-se o pólo florestal catarinense - o mais expressivo da América Latina, abrangendo indústrias madeireiras, moveleiras, de papel e papelão. Os principais municípios são Rio Negrinho, São Bento do Sul, Canoinhas, Corupá, Mafra, Três Barras e Porto União.

 

5. Planalto Serrano

O frio e o turismo rural são os grandes atrativos desta região, que tem como atividades econômicas a pecuária e a indústria florestal. Por conta das paisagens bucólicas e da neve que se precipita em algumas cidades, todos os anos o Planalto recebe milhares de visitantes no inverno. A estrada da Serra do Rio do Rastro, que desce em curvas sinuosas de uma altitude de 1.467 metros até o nível do mar, é uma atração à parte. Os principais municípios são Lages, São Joaquim, Urubici e Bom Jardim da Serra.

 

6. Sul

O jeito simples de viver dos descendentes de imigrantes italianos é uma característica marcante da região. Quem a visita pode conhecer de perto as vinícolas e apreciar a cultura italiana em festas típicas. Extrativismo mineral e indústria cerâmica são as principais atividades econômicas. O Sul do Estado tem estações hidrotermais e cânions ricos em biodiversidade. Suas principais cidades são Criciúma, Tubarão, Gravatal, Araranguá e Urussanga.

 

7. Meio-Oeste

Nesta região de morros ondulados localizada no centro do Estado situam-se comunidades de pequeno e médio porte, colonizadas por imigrantes italianos, alemães, austríacos e japoneses. Sua atividade econômica está baseada na agroindústria, criação de bovinos e produção de maçã. Também há indústrias expressivas do pólo metal-mecânico. As principais cidades são Joaçaba, Videira, Caçador, Treze Tílias, Curitibanos, Fraiburgo e Campos Novos.

 

8. Oeste

Os campos do Oeste são o "celeiro" de Santa Catarina, de onde sai boa parte da produção brasileira de grãos, aves e suínos. Frigoríficos de grande e médio porte estão associados aos produtores rurais em um modelo bem-sucedido de integração: as empresas fornecem insumos e tecnologia e compram a produção de animais. A região também começa a explorar o potencial turístico de suas fontes hidrotermais. Os principais municípios são Chapecó, Xanxerê, Concórdia e São Miguel do Oeste.

 

Fonte:http://www.sc.gov.br/conteudo/santacatarina/geografia/paginas/mapas.htm

Link para o comentário
  • Membros de Honra

Rodovias de Acesso:

 

mapa03.jpg

 

Link do mapa:http://www.belasantacatarina.com.br/mapa03.jpg

 

Distâncias até Florianópolis:

 

Curitiba 300

São Paulo 705

Rio de Janeiro 1144

Porto Alegre 476

Foz do Iguaçu 942

Belo Horizonte 1301

Campo Grande 1298

Brasília 1673

Goiânia 1493

Cuiabá 1986

Buenos Aires 1539

Montevidéu 1360

Assunção 1290

Santiago 2885

 

Dicas para turistas:

 

Melhor época do ano para praia

Dezembro a fevereiro - São os meses mais quentes, porém com maior número de turistas.

Outono e primavera - excelente para aproveitar a praia - preços reduzidos de hotéis e pousadas - imóveis para alugar com preços bastante baixos.

 

Reservas antecipadas

Antes de você visitar as praias de Santa Catarina no verão, deve reservar sua hospedagem com antecedência, pois corre o risco de não encontrar vagas em hotéis, pousadas e imóveis para locação devido à alta procura nesta época.

Cuidados com o sol

No verão a incidência de raios solares é maior, portanto, verifique os horários para pegar sol. O ideal é das 8 às 10 hrs (manhã) e das 16 hrs em diante (tarde).

É sempre bom adquirir um protetor solar, para sua maior comodidade e proteção.

Atenção na hora do banho de mar Verifique se há alguma bandeira indicando as condições do mar no local que você optou, bem como a presença de salva vidas.(vermelha: mar perigoso, verde: mar tranquilo).

 

Estradas São Paulo - Florianópolis

Dos 700 km que ligam São Paulo à Florianópolis, 90% já estão duplicados e em excelentes condições. Nos trechos de pista única da BR-116, no estado de São Paulo, alguns pontos merecem muita atenção.

 

Estradas Porto Alegre - Florianópolis

No trecho Porto Alegre - Torres, ao chegar em Osório siga pela Estrada do Mar até Torres. A BR-101 no trecho Osório - Torres tem pista única e é muito perigosa. De Torres à Palhoça, na grande Florianópolis, a pista da BR-101 é única e possui muitos pontos de má conservação, requerendo muito cuidado.

 

Segurança

Embora Santa Catarina seja um dos estados mais seguros do Brasil, é sempre bom ter cuidados com seu carro, objetos pessoais e casa se estiver hospedado em uma residência. Você não está na Suíça, por exemplo.

 

Dicas para um verão seguro

Confira as dicas em:

http://www.belasantacatarina.com.br/dicas/veraoseguro.htm

 

 

Fonte:http://www.belasantacatarina.com.br/

Link para o comentário
  • Membros de Honra

Balneabilidade em Santa Catarina ( Monitoramento da água do mar para o banho).

 

Boletins de Balneabilidade.

Link:http://www.fatma.sc.gov.br/servico/2006_monitoramento.htm

 

Balneabilidade

 

Os turistas que freqüentam as praias do litoral de Santa Catarina contam com uma vantagem que poucos Estados no Brasil oferecem. Além da diversidade de suas paisagens - que misturam baías, enseadas, costões e muitas ilhas - e da exuberante beleza natural, o Estado garante a seus freqüentadores um serviço de utilidade pública essencial no verão: o monitoramento da qualidade da água do mar para o banho humano.

 

É a Pesquisa de Balneabilidade, que analisa as águas de cada balneário e determina se estão Próprias ou Impróprias para o banho. Isto é, se estão contaminadas ou não por esgotos domésticos. A existência de esgoto é verificada através da contagem da bactéria Escherichia colia presente nas fezes de animais de sangue quente, que podem colocar em risco a saúde dos turistas e da população local.

 

Pesquisa

A pesquisa de Balneabilidade é um trabalho realizado sistematicamente pela FATMA (Fundação do Meio Ambiente de Santa Catarina) desde 1976, seguindo as normas da Resolução Conama (Conselho Nacional do Meio Ambiente). Ele começa com a coleta de amostras da água do mar em mais de 180 pontos dos 500 quilômetros da costa catarinense. A FATMA seleciona esses pontos de tal forma que todo o litoral seja avaliado, concentrando as coletas justamente nos locais mais suscetíveis de poluição - os de maior fluxo de banhistas. As coletas são feitas mensalmente de março a novembro e semanalmente de dezembro a fevereiro - o pico da temporada de Verão.

 

Coleta de Amostras

Os técnicos fazem as coletas da água do mar a 1 (um) metro de profundidade, na quantidade de 250 mililitros em cada ponto. O material coletado é submetido a exames bacteriológicos durante 24 horas. São necessárias 5 (cinco) semanas consecutivas de coleta para se obter um resultado tecnicamente confiável.

 

O ponto é considerado Impróprio para banho quando em 60% dos últimos 5 (cinco) resultados o volume de Escherichia coli (presente nas fezes de animais de sangue quente, incluindo o homem) - for superior a 800 NMP (Número Mais Provável) por 100 mililitros de água, nas amostras coletadas ou quando, na última amostragem, o valor obtido for superior a 2.000 NMP (Número Mais Provável) por 100 mililitros de água. Quando o resultado obtido é Impróprio, indica que há o risco de contaminação naquele local, e não necessariamente a contaminação. A Fatma, como órgão público, tem a responsabilidade e a determinação legal de divulgar que existe esse risco. A água contaminada pode causar doenças como gastroenterite, verminoses, doenças de pele e até doenças mais graves, de veiculação hídrica como hepatite, cólera e febre tifóide.

 

É por isso que durante a temporada de Verão a FATMA encaminha todas semanas um Boletim de Balneabilidade atualizado às prefeituras do litoral e também aos principais veículos de comunicação (jornais, TVs e rádios) do Estado.

Ainda no Verão, mantém em frente à sua sede, na principal rua da capital do estado, no saguão do Aeroporto Internacional Hercílio Luz e no saguão do Terminal Rodoviário Rita Maria, em Florianópolis, no portal turístico de Laguna e em Barra Velha painéis com o Mapa da Balneabilidade. Eles contêm as mesmas informações dos Boletins, com a diferença de que as reproduzem através de um desenho do litoral catarinense, que situa geograficamente todos os pontos monitorados nos balneários e especifica se estão Próprios ou Impróprios. O objetivo é garantir o acesso à informação da população fixa e dos turistas que freqüentam as praias do estado. As mesmas informações podem ser obtidas através do PARE (Plantão de Acidentes e Reclamações Ecológicas) pelo telefone 08006441523, serviço mantido pela FATMA e que atende 24 horas por dia, inclusive domingos e feriados.

Fonte:http://www.fatma.sc.gov.br/servico/balneabilidade.htm

Link para o comentário
  • Membros de Honra
  • 1 ano depois...
  • Membros de Honra

[info]Troca de informações sobre turismo religioso em Santa Catarina.[/info]

 

Santuário Santa Paulina - Nova Trento

Localizado em Nova Trento, a 75 Km de Florianópolis, no Vale Europeu.

 

Informações:

Congregação das Irmazinhas da Imaculada Conceição.

Fone: (47) 3267-3030

Site: http://www.santuariosantapaulina.org.br

 

Segunda maior Estância Turístico Religiosa do Brasil, Nova Trento destaca-se por possuir dois santuários: o Santuário Santa Paulina e o Santuário Nossa Senhora do Bom Socorro.

Nova Trento é a melhor opção para quem procura o turismo religioso.

Mas foi a canonização de Santa Paulina que tornou Nova Trento mundialmente famosa – por ser a primeira Santa do Brasil e a primeira de sua cidade de origem, Vígolo Vattaro, na Itália. Ela veio na primeira leva de imigrantes e viveu praticamente toda a sua vida na cidade, na localidade batizada de Vígolo, a 6 quilômetros do centro. Todos os meses, mais de 30.000 visitantes vão a Nova Trento, e especialmente a Vígolo, para rezar a Santa Paulina e agradecer por graças alcançadas.

 

Santuário Nossa Senhora do Bom Socorro - Nova Trento

 

Informações:

Santuário do Bom Socorro

Fone: (47) 3267-0127

 

Santuário de Nossa Senhora do Bom Socorro, construído entre 1899 e 1912.

O Santuário está localizado no Morro da Cruz, a 525 metros de altura. Lá, uma exuberante estátua em bronze de Nossa Senhora do Bom Socorro, doada pela Família Imperial da França e carregada pelos colonizadores até o alto do morro, recepciona os visitantes. Em cima da igreja um mirante possibilita uma visão panorâmica de todo o Vale do Rio Tijucas até seu encontro com o mar. Vale a pena também visitar a Igreja Matriz no centro da cidade, o Calvário no bairro de Trinta Réis e a Capela Santa Ágata, primeira igreja construída no município. Espalhada pelos bairros, Nova Trento conta ainda com mais de 40 oratórios de capelinhas.

 

Santuário Nossa Senhora do Caravaggio - Brusque

Localizado a 3 Km de Brusque no Vale Europeu.Brusque

 

Informações:

Paróquia de Azambuja

Fone: (47) 3351-0066

Santuário de Azambuja

Fone: (47) 3351-0066

Museu Arquidiocesano Dom Joaquim

 

O santuário de Nossa Senhora de Caravaggio, situado no Vale de Azambuja, em Brusque, é ponto de parada obrigatória de turistas de todo o Brasil, que pagam promessas e fazem pedidos à Santa ou apenas querem conhecer o local.

Azambuja se tornou um centro de peregrinações a partir de abril de 1887 quando a capela recebeu a bênção do Padre Marcello Rocchi. crescendo o número de romeiros e vendo a importância espiritual que alcançava o Padre Antônio Eising inicia a construção de uma nova igreja, no mesmo ano em que chega a Brusque, 1982. Ali não se invoca Nossa Senhora de Caravaggio, mas Nossa Senhora de "Azambuja" devido ao Vale de Azambuja, onde está localizado o Santuário.

 

 

Procissão do Senhor dos Passos - Florianópolis

 

Informações:

Irmandade do Senhor Jesus dos Passos e Hospital de Caridade de Florianópolis.

Fone: (48) 3221-7500

 

Há 24O anos a Procissão do Senhor Jesus dos Passos mantém-se como uma das maiores festas de fé e de religiosidade popular de Santa Catarina

Um dos momentos emocionantes da Procissão acontece ao sopé da colina do Hospital, quando a imagem do

Senhor Jesus dos Passos faz um giro de 360 graus sobre si mesma, com se despedindo por mais um ano na cidade.

Ao término da procissão as imagens retornam à capela do Menino Deus do Hospital de Caridade onde no decorrer do ano recebem as visitas, as orações e os pedidos de seus devotos.

 

A Beata Albertina Berkenbrock - São Luiz, município de Imaruí

 

Informações:

Paróquia de Imaruí

Fone: (48) 3643-0108

 

Lugar que vem atraindo fiéis, principalmente jovens, é São Luiz, pequena comunidade em Imaruí, sul do Estado, onde nasceu em 11 de abril de 1919, Albertina Berkenbrock, filha de imigrantes alemães, a jovem foi assassinada aos doze anos de idade ao resistir uma tentativa de estupro. O primeiro sinal de santidade de Albertina ocorreu já no dia de sua morte. Segundo consta, o sangue jorrava de seu pescoço sempre que o agressor, ex-empregado do seu pai, aproximava-se do caixão.

A cerimônia de beatificação foi realizada na Catedral Diocesana de Tubarão no dia 20 de outubro de 2007, porque foi reconhecida pela igreja católica como jovem mártir.

Ela pode vir a ser a primeira Santa genuinamente brasileira, isto é, nascida em território nacional.

 

Santo Antônio dos Anjos da Laguna - Laguna

 

Informações:

Secretaria Municipal de Turismo (manhã)

Fone:(48) 3646-0533

Canônica (48) 3644-2214 das 08:00 as 11:30 horas e das 14:00 as 17:30 horas

 

São 16 mil casamentos registrados, mais de 50 bilhetes encontrados por semana pedindo um novo amor, missas para achar objetos perdidos todas as terças feiras com igreja cheia. A fé da população de Laguna ao Santo Antônio dos Anjos transformou-se numa das maiores características da cidade, todos os anos a partir do dia 1º de junho até o dia 13 (data festiva para o santo padroeiro) a cidade vive o carinho pelo santo padroeiro. "É a festa mais tradicional do Sul do Estado".

No dia da festa a população teve acesso ao pedaço da pele do santo, uma das relíquias pertencentes á igreja.

 

Romaria Penitencial Frei Bruno - Joaçaba

 

Informações:

Site: http://www.freibruno.com.br

http://www.joacaba.sc.gov.br

Email: [email protected]

Fone:

 

Romaria Penitencial à Frei Bruno: Acontece todos os anos no último sábado do mês de fevereiro. O percursso é realizado a pé pela multidão que vai da Catedral Santa Terezinha ao Cemitério Frei Edgar, onde está sepultado Frei Bruno; na chegada é realizada uma missa.

 

Locais a serem visitados pelos devotos à Frei Bruno:

Catedral Santa Terezinha

Busto de Frei Bruno (localizado ao lado da Catedral);

Museu Frei Bruno: atende sob agendamento (localiza-se na paróquia da catedral Santa Terezinha);

Túmulo de Frei Bruno – localizado no cemitério Frei Edgar.

Construção do Monumento Frei Bruno. O monumento Frei Bruno foi iniciado em janeiro de 2004 e será o terceiro maior do mundo em altura. Localizado num ponto de alto relevo da cidade, futuramente a estrutura terá o museu num andar, um restaurante panorâmico com vista para a cidade e um mirante. No último andar será fixado uma escultura da imagem de Frei Bruno, que está sendo feita pelo artista Cláudio da Silva, da cidade de Joaçaba.

 

Santuário Mariano - Angelina

 

Informações:

Fone: (48) 3274-1185

Site: http://www.angelina.sc.cnm.org.br

A linda Gruta de Angelina foi um presente de Frei Zeno Wallbroehl O.F.M..

Frei Zeno (1866-1925) Missionário Franciscano, em suas andanças pelo sul do país, certa vez foi acometido de uma doença grave que o levou à beira da morte. Com muita fé bebia água da gruta de Lourdes (França), o maior Santuário Mariano do mundo, que visitara. Fizera promessa de construir uma gruta a Nossa Senhora se ela lhe devolvesse a saúde.

 

Numa noite febril viu, em sonho, um local muito lindo, apropriado para uma bela gruta à Virgem mãe de Deus. Já com a saúde restabelecida, com ardor muito grande pôs-se a procura deste lugar nas cercanias de Angelina. Penetrou na mata virgem atrás da Igreja Paroquial. Depois de árdua subida, Frei Zeno exclama entusiasmado: “É aqui! Este é o lugar que vi em sonho!”

 

À sua frente, entre paredes de rocha, estendia-se um corredor largo e longo, terminando num paredão com 12 metros de altura por onde descia rumorosa cascata.

Congresso Nacional de Missões dos Gideões Missionários da Última Hora

 

Informações:

Escritório central da entidade, à R. Joaquim Nunes, 244, Centro, Camboriú, SC, 88340-000

Site: http://www.gideoes.com.br

Fone: (47) 3261-3232

 

Evento promovido na última semana de abril de cada ano, o congresso nacional de missões já é tradição para o público evangélico de todo o país e simpatizantes em geral.

 

É realizado no ginásio municipal de esportes Sen. Irineu Bornhausen e conta com a participação de aproximadamente cento e cinqüenta mil congressistas a cada edição do evento, o que serve para divulgação do nome da cidade e atração de investimentos na forma de turismo religioso.

Gideões Missionários da Última Hora foi fundado em 1980 pelo Pr. Cesino Bernardino, seu atual presidente, tendo como vice-presidente o Pr. Reuel Bernardino. Nosso objetivo é o preparo e envio de missionários para as mais carentes localidades do Brasil e do mundo, com a finalidade única de divulgar o Evangelho de Jesus Cristo, tendo sempre em mente nosso slogan: unindo o Brasil para evangelizar o mundo!

Link para o comentário
  • 10 meses depois...
  • Membros

A NEVE EM SANTA CATARINA

 

A área de maior recorrência do fenômeno no Brasil foi chamada de “Planalto da Neve”, subdividida em dois setores: I, acima de 900m e II, entre 600m e 900m. O referido Planalto possui 95.242 km² distribuídos no RS e SC, localizando-se no seu interior 90 cidades gaúchas e 101 catarinenses. A análise da variação inter-anual (com dados de São Joaquim, SC) indicou que, de toda a série estudada, apenas os anos de 1961, 1963, 1971, 1973, 1982 e 1986 não apresentam registro de neve. As nevadas mais relevantes ocorreram nos anos de 1957, 1965, 1975, 1979, 1988, 1990, 1996 e 2010. Os intervalos entre períodos de ausência de neve e de nevadas mais importantes indica um ciclo decadal na dinâmica do fenômeno. Apesar dos picos de precipitação em 1988 e 1990, não existe uma tendência de aumento da precipitação de neve naquela cidade.

 

Porém é em Santa Catarina que a neve ocorre com mais frequência e com mais intensidade. Algumas pessoas podem se perguntar porque não no Rio Grande do Sul, já que a latitude é maior... é que a Serra Catarinense é mais alta que a Serra Gaúcha, normalmente situada entre 900 e 1800 metros.

 

Em Santa Catarina, os municípios de São Joaquim, Urupema, Urubici, Bom Jardim da Serra são presenteados com o fenômeno da neve em praticamente todos os anos. Entretanto, são numerosos os municípios localizados nos planaltos catarinenses, em que o fenômeno da precipitação de neve ocorre com uma freqüência apreciável, embora não chegando a ocorrer em todos os anos, como Lages, Otacílio Costa, Curitibanos, Ponte Alta do Norte, Ponte Alta, Santa Cecília, Fraiburgo, Caçador, Monte Castelo, e com uma freqüência um pouco menor, Porto União, São Bento do Sul, Mafra, entre outros.

 

neveshistoricas.JPG

Várias - São Joaquim e Urubici.

 

lauromuller12.jpg

Famosa estrada da Serra do Rio do Rastro - Bom Jardim da Serra - SC

 

11001969.jpg

Nevasca de 20 de Julho de 1990 - Anitápolis a 89km de Florianópolis. Foto João Carlos

 

26641307.jpg

Nevasca de 20 de Julho de 1990 - Morro do 50 - Anitápolis. Foto Evandro Meireles

 

Neve+em+Chapec%C3%B3.jpg

Os Chapecoenses esperam pela neve como está desde 1965.

 

MORRO DA IGREJA - URUBICI

 

Se tiver que nevar e se você quiser ser o primeiro a ver neve no Brasil tem que estar no Morro da Igreja. Com aproximadamente 1826 metros, é o ponto mais alto habitado do sul do Brasil e considerado o ponto mais frio do Brasil, sendo acessível de carro até o seu topo. É o segundo pico mais alto de SC e o quarto mais elevado da região sul, ficando atrás do Pico Paraná com 1877m, seguido do Pico Caratuva com 1860m, ambos no Estado do Paraná, além do Morro da Boa Vista com 1827m, este último o ponto mais alto de SC, sendo possível chegar ao seu pico apenas após 3 dias de caminhada - uma boa opção de trekking por um lugar ainda pouco explorado. Disputa com o Morro da Igreja com o segundo ponto mais alto do estado, ainda o Morro da Bela Vista do Ghizoni ou Morro do Chapéu, com 1823,49m.

 

É no Morro da Igreja onde geralmente registra-se as temperaturas mais baixas no Brasil. Na década de 60 registrou-se -19°C e sensação térmica de aproximadamente -46ºC quando não havia ainda medidores oficiais no local. Porém, em 1987 a Aeronáutica construiu, no alto do Morro da Igreja, o CINDACTA II (Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle do Tráfego Aéreo), base de monitoramento aéreo dos Estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Sua obra começou em 28 de novembro de 1985 e só terminou completamente em 07 de Julho de 1988, porém em 06 de Novembro de 1987 deu-se o início das operações e passou a monitorar também a temperatura, onde registrou em 1996 a temperatura de -17,8ºC, que viria a ser um recorde no país. A sensação térmica era de -46ºC, resultado do frio e das rajadas de vento de até 180 quilômetros por hora, que foram medidas por um anemômetro. Um frio digno de regiões polares. Alguns especialistas acreditam que se o Morro da Igreja tivesse mais mil metros de altura, teriamos neve permanente por pelo menos seis meses no ano.

 

Matéria do Fantástico a respeito da nevasca de 1996 no Morro da Igreja.

http://fantastico.globo.com/Jornalismo/Fantastico/0,,AA1219033-4005-0-0-18062006,00.html

 

BRSCurubicijeepneve01W.jpg

Nevasca de 1996. Morro da Igreja - Urubici

 

28723760.jpg

Nevasca de 07 de Julho de 1998. Morro da Igreja - Urubici. Foto de Evandro Meireles

 

28516353.jpg

Nevasca de 07 de Julho de 1998. Morro da Igreja - Urubici. Foto de Evandro Meireles

 

neve-sc.jpg

Morro da Igreja - Urubici

 

sc017.jpg

Pedra Furada - Morro da Igreja - Urubici

 

A ERA DA NEVE EM SANTA CATARINA

 

Foi na década de 50 e 60 a época que mais nevou em Santa Catarina, onde era comum grandes precipitações quase todos os anos. Depois dessas duas décadas, houve poucos registros próximo do que ocorria no passado, como as nevascas de 1975, 1979, 1988, 1990, 1996, 2000, 2010 e outras de menor intensidade em 2001 e 2006. Desde então, os registros são cada vez mais raros e de menor intensidade, tendo sua ausência completa em 1961, 1963, 1971, 1973, 1982 e 1986. Hoje tem nevado em média duas a três vezes por ano em SC. São Joaquim é a cidade brasileira com a maior média de dias com neve por ano, cerca de 2,7. O ano de 1999 também foi um ano especial para a neve no Brasil, pois registrou-se a precipitação mais precoce e mais tardia de que se tem notícias: 17 de Abril em São Joaquim e 03 de Outubro em São Francisco de Paula-RS. Em 2000, o inverno foi especialmente diferente devido a grande área atingida por ela, onde nevou em 70 municípios do sul do país naquele ano. Em alguns pontos da Serra Catarinense, o frio abaixo de zero persistiu por 57h seguidas quando o normal é entre 10 e 15 horas.

 

Pois bem, a última grande nevasca (1996) ocorreu há mais de dez anos, deixando uma camada de 21 centímetros em 7h de precipitação ininterrupta, além do recorde de temperatura negativa (-17,8ºC). Entre outras grandes tempestades que já ocorreram no Brasil estão a de 1979 com meio metro de neve acumulada ao longo de 15h de tempestade. Os dados dessas últimas são extra-oficiais mas se sabe que São Joaquim ficou isolado por vários dias e precisou ser abastecida por avião. Há relatos menos oficiais ainda de um acumulo recorde de 1,5 metro de neve ao longo de 24 horas em 1910.

 

SJoaquimpostal.jpg

Igreja de São Joaquim em 20 de Julho de 1957. Foto símbolo do que é considerada a maior nevasca do Brasil

 

1957a.jpg

São Joaquim em 20 de Julho de 1957.

 

2928835.jpg

Urubici - Morro da Igreja 26/05/2007

 

QUAL A CIDADE MAIS FRIA DO BRASIL?

 

O assunto é polêmico principalmente porque não há um critério bem definido que determine esse panorama. Geralmente usa-se duas variáveis: temperatura negativa absoluta e a média de temperatura mais baixa. Independente disso a cidade mais fria do Brasil é nacionalmente conhecida por São Joaquim que tem uma temperatura média anual de aproximadamente 13ºC.

 

Vejamos:

 

se estamos falando da cidade mais fria do Brasil temos que destacar alguns pontos importantes e um deles é considerar apenas a cidade em si e desconsiderar alguns pontos isolados que caracterizam-se as vezes por uma elevação abrupta e que naturalmente vem a fazer mais frio.

 

Oficialmente a temperatura mais baixa no Brasil é de 14,1ºC negativos, registrada em Caçador-SC, em Junho de 1952. De fato Caçador, que está a 920m de altitude, é uma cidade fria, mas o que aconteceu em 1952 podemos considerar como um caso isolado até porque com seus 16,6ºC de temperatura média a cidade não figura entre as mais frias. Entretando, muitas fontes citam o que ocorreu no Morro da Igreja em Urubici, que em 1996 registrou os impressionantes -17,8ºC e sensação térmica próxima de -40ºC. Esse registro só não é oficial porque na época a cidade não contava com medidores no padrão internacional da organização meteorológica mundial. Mesmo assim, o morro da Igreja é com certeza o ponto (não cidade) mais frio do Brasil, com uma temperatura média anual de aproximadamente 11ºC. Porém, o Morro da Igreja, com seus 1826m, fica a 30km do centro da cidade de Urubici que está a 915m acima do nível do mar. Normalmente a temperatura no cume do Morro da Igreja é 5ºC mais baixa do que na cidade de Urubici, Isso porque a cada 180m de altitude, em média, temos uma diminuição da ordem de 1ºC. Portanto Urubici, que tem uma temperatura média anual de 16ºC, também não pode figurar como a cidade mais fria do Brasil.

 

Segundo o site do governo de Santa Catarina, Urupema está 1425 metros de altitude, o que dava a cidade, o status da mais alta do Sul do país e uma das mais fria. Porém uma das referências usadas para determinar a altura de uma cidade é a sede do governo municipal que nesse caso rebaixa a cidade ao patamar de 1335m. Assim como São Joaquim, Urupema também tem uma temperatura média anual de aproximadamente 13ºC. A distância entre a sede das duas cidades é de apenas 70km, porém, Urupema vem registrando as temperaturas mais baixas ano após ano e poderia sim ser considerada a cidade mais fria do Brasil, título que teria sido tirada por São Joaquim. Acontece que em Urupema, localiza-se o Morro das Torres ou Morro das Antenas com 1733m, alvo dos registros negativos da cidade. Assim como no Morro da Igreja em Urubici, naturalmente neste morro faz mais frio. Mesmo que sua distância seja de apenas 7km da cidade não podemos considerar a cidade de Urupema como a mais fria do país. Mas Urupema perde por muito pouco...

 

No patamar de 1353 metros, e por uma diferença de apenas 18m em relação a Urupema, São Joaquim é portanto, a cidade com a sede mais alta do Sul do país e por estar localizada numa latitude de 28º17'38 contra 27º57'25'' de Urupema, diferença essa menor a 1º, da-se a cidade de São Joaquim o status de cidade mais fria do país. Tanto Urupema quanto Urubici já foram distritos de São Joaquim antes de se emanciparem o que em boa parte explica essa confusão.

 

Outras cidades poderiam figurar entre as mais frias do país. Seriam elas: Palmas no PR, Campos do Jordão em SP, Vacaria e São José dos Ausentes no RS. Contudo, nenhuma dessas cidades, em condições iguais, faria mais frio do que São Joaquim. Deve-se a isso a sua latitude e relevo, pois São Joaquim é a cidade mais alta e mais ao Sul em relação aos seus concorrentes e é a que sofre com mais intensidade a entrada de uma massa de ar polar. Só para dar um exemplo: Campos do Jordão está a 1628m de altura, sendo o mais alto município brasileiro. Como sabemos, a altitude é um dos principais fatores que influencia no clima. Entretanto Campos do Jordão está a uma latitude de 22º enquanto outras cidades como São Joaquim, Urubici, Urupema e São José dos Ausentes estão a uma latitude de 28º aproximadamente, e como também sabemos, a latitude é outro fator determinante, o que explica nesse caso o porquê de Campos do Jordão não poder ser a região mais fria do país. Mesmo que haja uma relação altitude/latitude, especificamente no caso de Campos do Jordão sua altitude não compensa a latitude. Tomemos como exemplo o Canadá e o Equador. Os dois países registram neve mas por motivos opostos. Enquanto o Canadá dispensa montanhas por estar numa latitude muito alta, próximo ao pólo norte, no Equador que está em laitude zero, a neve só acontece por que lá há montanhas com mais de 5 mil metros de altura.

 

São Joaquim pode ser considerada a cidade mais fria do Brasil!

 

Veja o recorde histórico de temperaturas mínimas registradas em algumas cidades de Santa Catarina

 

Caçador: -14,1ºC em junho de 1952

Videira: -9,3ºC em 21 de julho de 1975

São Joaquim: -8,2ºC em 6 de agosto de 1963

Matos Costa: -8ºC em 15 de agosto de 1999

*Urupema: -7,8ºC em 14 de julho de 2010

Lages: -7,4ºC em julho de 1926

Major Vieira: -7ºC em 3 de agosto de 1991

Ponte Serrada: -6,2ºC em 25 de julho de 2009

Rio Negrinho: -6ºC em 3 de agosto de 1991

Campos Novos: -5,6ºC em 14 de julho de 2000

Rio do Campo: -5,4ºC em 14 de julho de 2000

Campo Erê: -5ºC em 13 de julho de 2000

Ituporanga: -4,6ºC em 3 de agosto de 1991

Urussanga: -4,6ºC em 1º de agosto de 1955

Chapecó: -4,5ºC em 14 de julho de 2000

Itapiranga: -3,4ºC em 12 de julho de 1988

São Miguel do Oeste: -3ºC em 14 de julho de 2000

Indaial: -0,2ºC em 14 de julho de 2000

Itajaí: -0,5ºC em 3 de agosto de 1991

Florianópolis: 0ºC em 14 de julho de 2000

Blumenau: 0,6ºC em 14 de julho de 2000

Joinvile: 0,6ºC em 6 de setembro de 2006

São José: 1,3ºC em 26 de agosto de 1984

 

 

 

Contribuições

Koroly

Link para o comentário
  • 6 meses depois...
  • Admin

Colocou a Eisenbahn na lista aí?

 

Informações do site da cervejaria:

Pessoas interessadas poderão conhecer a história da Eisenbahn, o processo de fabricação, os tipos de cervejas e ainda degustar um chopp de 300 ml tirado diretamente de um dos tanques de fabricação.

Tudo isso para que você aumente seu conhecimento sobre o envolvente e delicioso Mundo da Cerveja.

 

Dias e horários para visitação:

De segunda a sábado, das 14:00 às 19:30, com intervalo das 16:00 às 17:00 horas.

As visitas são realizadas de 30 em 30 minutos.

 

Bar EISENBAHN – fechado em 10/04

Dia 11/04 – aberto das 10:00 às 18:00

Crianças até 14 anos infelizmente não poderão acompanhar a visita dentro da fábrica por motivos de segurança, mas serão bem vindas com suas famílias ao nosso bar.

Preço: R$ 5,00 com degustação de um chopp de 300 ml retirado direto do tanque de fabricação.

 

http://www.eisenbahn.com.br

Link para o comentário
  • Silnei unpinned this tópico

Arquivado

Este tópico foi arquivado e está fechado para novas respostas.

Visitante
Este tópico está impedido de receber novos posts.
×
×
  • Criar Novo...