Relatos de Viagens por 2 ou mais países da América do Sul
#1003574 por Koslinsky
18 Set 2014, 14:44
33 dias viajando de carro pela Patagônia argentina e chilena
Período de viagem: 01 fevereiro a 05 de março de 2014

Preparação

Roteiro

Há um tempo, meu namorado e eu lemos um relato do Roy Rudnick, autor do livro Mundo Por Terra em conjunto com Michelle Weiss. O relato descrevia a sua viagem de moto em 1999 a Ushuaia (http://www.mundoporterra.com.br/outras-aventuras/1999-2000-ushuaia-a-rota-do-fim-do-mundo-roy-rudnick/). A partir daí começamos a nos imaginar refazendo o percurso ao extremo sul da América.

Já tínhamos ouvido falar sobre as muitas belezas da Patagônia, mas elas até então pareciam bem distantes. E o que mais nos preocupava era como ir, pois não tínhamos um veículo 4x4. Em um bate-papo dos autores do livro Mundo Por Terra numa livraria em Joinville, perguntamos se era possível irmos pra Ushuaia com um carro popular e a resposta foi bem positiva. E para completar, pouco tempo depois vi uma reportagem de uma viagem muito parecida saindo de uma cidade próxima feita de Fusca (http://g1.globo.com/sc/santa-catarina/noticia/2012/09/quatro-amigos-vao-ate-cidade-mais-ao-sul-do-mundo-bordo-de-um-fusca.html).

Depois disso, começamos a estruturar nosso próprio roteiro, pesquisar o que precisaríamos, ler muitos blogs e relatos aqui do Mochileiros.com. E conforme encontramos informações mais dúvidas também surgiam.

Por isso, aqui neste post, seguem informações, planejamento e relato para ajudar quem tem como destino a cidade de Ushuaia ou mesmo a Patagônia.

Nosso objetivo inicial era de Joinville ir para Ushuaia pela Ruta 40, oeste da Argentina, e pela Carretera Austral, no Chile, e retornar pela Ruta 3, litoral argentino. Mas, ficamos com muitas dúvidas a respeito do tempo que levaríamos, pois eu tinha apenas 32 dias de férias. Então decidimos fazer o trajeto contrário, porque pelo litoral a distância até Ushuaia era menor e, por estarmos descansados, conseguiríamos fazer uma maior quilometragem diariamente.

Tínhamos em mente visitar, além de Ushuaia, a Península Valdés, Parque Nacional Torres del Paine, Parque Nacional Los Glaciares em El Calafate e El Chaltén, Cueva de las Manos no Vale do rio Pinturas, Capillas de Mármol, Parque Nacional Queulat, Parque Nacional los Arrayanes e o Museu Municipal Ernesto Bachmann em Villa El Chocón.

Depois de muita pesquisa e análise da quilometragem fizemos um roteiro para 32 dias:


Imagem 001 – Roteiro previamente estabelecido.jpg
Imagem 001 – Roteiro previamente estabelecido.jpg (300.7 KiB) Exibido 8646 vezes


Tínhamos a possibilidade de ficarmos mais dois dias viajando, mas preferimos deixar esse tempo disponível para alguma eventualidade.

Nossa viagem teve o seguinte trajeto:
Fonte: http://www.goprotravelling.com/trip/a4458b0764e4fb27ecf120558edcc5f1


Imagem 002 – Trajeto realizado.jpg
Imagem 002 – Trajeto realizado.jpg (63.42 KiB) Exibido 8646 vezes


Bagagem

Documentos necessários

Além do roteiro tínhamos muito que organizar. Por ser uma viagem internacional precisávamos prestar atenção à documentação. Levamos para a viagem:

    Passaporte: O passaporte não é documento obrigatório em países do MERCOSUL. Somente o RG é suficiente para visitar Uruguai, Argentina e Chile. Mas, o levamos para facilitar os processos de entrada e saída nas aduanas. Para fazer o passaporte existe uma taxa de R$ 156,00 e ele é válido por 5 anos (Mais informações em: http://www.dpf.gov.br/servicos/passaporte/requerer-passaporte/requerer-passaporte)

    CNH – Carteira Nacional de Habilitação: Levamos nossa carteira de motorista nacional apesar de existir uma carteira de habilitação internacional chamada PID (Permissão Internacional para Dirigir). Se diz ser necessária para entrar no Chile, porém este documento não é cobrado. Mais informações sobre o PID em: http://www.denatran.gov.br/informativos/20070611_permissao_internacional.htm.

    CRLV - Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo: A documentação do veículo precisa estar no nome do condutor/motorista principal. Caso não esteja é necessário uma autorização do proprietário do veículo registrada em cartório e com firma reconhecida em cada consulado dos países visitados. Pelo que pesquisamos este processo é bem trabalhoso. Não precisamos dele porque o carro estava no nome do condutor.

    Seguro Carta Verde: seguro obrigatório para entrada no Uruguai e na Argentina. É necessário que o seguro cubra as datas em que o veículo vai ficar em território argentino e uruguaio. Para a nossa carta verde pagamos R$ 270,00 na HDI Seguros para o período de 31/01/2014 a 07/03/2014. Ela cobria também o território chileno, apesar de não ser obrigatório.


Imagem 003 – Seguro carta verde.jpg
Imagem 003 – Seguro carta verde.jpg (341.64 KiB) Exibido 8646 vezes


Além destes documentos, levamos RG, CPF, Comprovante de residência brasileira... que não foram necessários durante a viagem. E por segurança, fizemos cópias dos documentos que tínhamos e salvamos em uma pasta online.

Precisamos apresentar nossos documentos somente nas aduanas (Passaporte, CNH, CRLV e Carta Verde), reserva de hotel (normalmente passaporte) e quando fomos parados pela polícia nas barreiras fitossanitárias. E não tivemos nenhum contratempo.


Itens obrigatórios

Vimos também que alguns itens, além dos que já estamos acostumados a ter, eram obrigatórios no carro:

    Cambão: compramos um cambão pelo Mercado Livre por 100 reais.
    Triângulo adicional: na Argentina são obrigatórios dois triângulos. Conseguimos o segundo triângulo emprestado.
    Cadenas: são as correntes que vão nos pneus, em caso de neve. Como viajamos somente no verão não precisamos delas.

Não é necessário ter lençol branco, kit de primeiros socorros e outros equipamentos que se comenta ser necessário para entrar nesses países. Lemos muitos relatos de tentativas de extorsão pela polícia, principalmente argentina, usando do argumento de que o visitante não continha todos os itens obrigatórios. E através de uma sugestão daqui do Mochileiros.com estudamos bem as obrigações no trânsito.

Felizmente nenhum item nos foi solicitado e não tivemos nenhum problema ou indisposição com a polícia. E de modo geral fomos muito bem tratados durante toda a visita.


Bagagem

Os demais itens que levamos foram basicamente itens pessoais como roupas, materiais para acampamento e comida.

Nem tudo o que levamos, nós usamos. Principalmente roupas, nós conseguimos aproveitar o uso porque conseguíamos lavá-las nos hotéis e hostels que ficamos.

Segue abaixo a lista da nossa bagagem por categoria.

ELETRÔNICO
Importante: Levamos várias baterias extras (porque não sabíamos qual o periodicidade que recarregaríamos as baterias), pendrives e HDs externos (para backups das fotos).

    • Notebook
    • Carregador de notebook
    • Mouse
    • Pilha AA
    • Câmera digital Sony TX20
    • Carregador e cabo da câmera
    • Bateria extra
    • Cartão de memória extra
    • Câmera digital Sony DSC W320
    • Carregador da câmera
    • Cabo USB da câmera
    • Tripé
    • Câmera GoPro
    • Carregador da câmera
    • Bateria extra
    • Adaptador cartão SD
    • Acessórios
    • Tripé grande
    • GPS Garmim
    • Cabo do GPS
    • Pilhas extras GPS normais
    • Pilhas recarregáveis GPS
    • Carregador de pilhas GPS
    • Adaptador veicular USB
    • Celular
    • Carregador de celular
    • Bateria extra do celular e cabo
    • HD externo e cabo USB
    • Pendrive
    • Inversor 12V para 110V
    • Suporte automotivo para GPS/Celular
    • Cabo de rede
VESTUÁRIO
Eu levei muitas roupas de frio, mas não usei todas. Basicamente usei uma segunda pele não tão quente, um fleece grosso e um corta-vento. É importante ter um bom corta-vento, porque o vento patagônico tem uma força surpreendente.

    • Blusa manga curta/camiseta
    • Blusa manga comprida
    • Blusa segunda pele
    • Blusa de lã/fleece
    • Jaqueta impermeável/Corta-vento
    • Casaco sobretudo
    • Cachecol/lenço
    • Calção/Bermuda/Shorts
    • Calça segunda pele
    • Calça legging
    • Calça jeans
    • Calça impermeável
    • Chinelo
    • Tênis
    • Bota de caminhada
    • Bota de montaria
    • Meia grossa e fina
    • Calcinha/Cueca e Sutiã
    • Roupa de banho (biquini/sunga)
    • Pijama
    • Luva (segunda pele e lã)
    • Chapéu/Boné/Touca
    • Óculos de leitura
    • Óculos de sol
    • Relógio
HIGIENE
Como o tempo é muito seco em boa parte da Patagônia argentina usamos muito hidratante e protetor solar.

    • Aparelho de barbear, lâminas e creme
    • Cotonete
    • Creme hidratante corporal e facial
    • Desodorante
    • Escova de cabelo/pente
    • Escova de dente e pasta, fio dental e flúor
    • Espelho
    • Gel fixador
    • Lenço umedecido
    • Papel higiênico
    • Protetor solar corporal, facial e labial
    • Repelente
    • Sabonete
    • Shampoo, Condicionador e Shampoo seco
    • Talco
    • Toalha de banho e rosto
LAVANDERIA
Levamos alguns itens para podermos lavar nossas roupas, o que foi muito útil.

    • Balde pequeno
    • Escova
    • Sabão líquido
MATERIAL DE CAMPING

    • Agulha e linha
    • Apito
    • Barraca
    • Bastão de caminhada
    • Binóculo
    • Bússola
    • Camelback e Cantil
    • Canivete multiuso
    • Capa de chuva para a mochila
    • Capa para chuva
    • Clorin
    • Cobertor térmico aluminizado
    • Cobertor
    • Combustível
    • Cordas multiuso
    • Fita adesiva (silvertape)
    • Impermeabilizante de barraca
    • Isolante térmico
    • Lanterna de cabeça
    • Lanterna de mão e pilhas
    • Lona plástica
    • Mochila cargueira e de ataque
    • Pano para limpar a barraca
    • Prendedores de roupa
    • Saco de dormir
    • Sacos plásticos
    • Termômetro
    • Tesoura
COZINHA

    • Abridor de latas e garrafa
    • Caixa térmica
    • Copos ou canecas
    • Detergente e esponja para a louça
    • Faca e afiador
    • Espiriteira
    • Fogareiro e gás
    • Fósforos, isqueiro e pederneira
    • Garrafa térmica
    • Guardanapos
    • Panelas
    • Pote plástico com tampa
    • Pratos
    • Talheres
OUTROS

    • Benjamim (T)
    • Caixas organizadoras (plástico e papelão)
    • Dicionário espanhol
    • Mapas
CARRO
Levamos um galão para gasolina, porque sabíamos que poderíamos sofrer com a falta de postos ou de combustível. Felizmente não tivemos nenhum aperto para usarmos a gasolina do galão.

    • Cabo para chupeta
    • Cambão
    • Ferramentas
    • Galão para gasolina e Mangueira
    • Triângulo extra
MEDICAMENTOS
Levamos alguns medicamentos que consideramos importantes. Usamos bastante analgésico e tomamos vitamina C no início da viagem para manter a imunidade alta.

    • Analgésico e Relaxante Muscular - Dorflex
    • Analgésico Neosaldina e Resfenol
    • Antialérgico
    • Antiespasmódico (para cólica)
    • Bala de gengibre (para enjoos em viagens de carro/cinetose)
    • Band Aid
    • Bepantol
    • Cataflan
    • Colírio
    • Comprimidos para náusea e vômitos - Dramin
    • Descongestionante nasal
    • Hidrafix (desidratação, prevenção de perdas de água e sais minerais)
    • Hipoglós
    • Mertiolate
    • Nexcare Fita Protetora para os pés
    • Sal de frutas
    • Vitamina C – Cebion
ALIMENTOS

É proibido passar pelas aduanas ou pelas barreiras fitossanitárias com comida fresca como frutas, verduras, carnes e laticínios. Mas é possível levar bastante comida, desde que seja industrializada e esteja lacrada.

Levamos comida pré-cozida (Vapza http://www.vapza.com.br/), macarrão, molhos prontos, queijo ralado tipo parmesão, sopas instantâneas, polenta, sucos de caixa, latas de milho, atum e legumes, biscoitos, torradas, farinha láctea, leite em pó, café, chá, sucrilhos, achocolatado... e até erva pro chimarrão.

Como estávamos de carro, conseguimos levar muita coisa, desde travesseiro a refrigerante 2 litros que ganhamos em Pelotas-RS.

Levando bastante comida conseguimos economizar nas refeições, que não eram baratas.


Orçamento

Estimativa da viagem

Tendo em vista que andaríamos mais de 11 mil km com pedágios, visitaríamos parques, dormiríamos vários dias em hotéis e outros em campings, atravessaríamos o Mar De La Plata para Buenos Aires e o Estreito de Magalhães e faríamos algumas refeições em restaurantes, estimamos a viagem dessa forma:

Imagem 004 – Gasto estimado da viagem.jpg
Imagem 004 – Gasto estimado da viagem.jpg (84.41 KiB) Exibido 8646 vezes


Já imaginávamos que a viagem custaria menos que o orçamento inicial. Porém queríamos estar prevenidos.

No fim, gastamos menos que 75% do orçado.

Gasolina estava bastante barata na Argentina, conseguimos não abastecer no Uruguai, em que a gasolina é cara, e abastecemos o mínimo possível no Chile. Além disso, conseguimos ótimos câmbios.

Mesmo fazendo o Big Ice em El Calafate, o valor gasto com passeios foi muito menor do orçado, porque a entrada da maioria dos parques era gratuita ou barata. Praticamente não fizemos passeios com agências, o que barateia bastante a viagem.

O único gasto que tivemos além do imaginado foi com a hospedagem. Gastamos mais de 50% do que havíamos previsto.

No fim da viagem os gastos foram os seguintes:


Imagem 005 – Gastos da viagem.jpg
Imagem 005 – Gastos da viagem.jpg (82.35 KiB) Exibido 8646 vezes

Azul: Gastamos menos do que planejado
Amarelo: Gastamos praticamente o mesmo valor
Vermelho: Gastamos a mais do que o planejado


Câmbio

Tínhamos pensado inicialmente em levar a maioria do dinheiro em cartões pré-pagos (Visa Travel Money - www.visa.com.br/site/pessoas/cartoes/pre-pago/visa-travel-money), porém um mês antes da viagem o governo brasileiro aumentou a alíquota do IOF dos cartões e cheques pré-pagos de 0,38% para 6,38%, igual a do cartão de crédito.

Então decidimos levar cartões de débito e crédito somente para uma eventualidade, porque não queríamos pagar o IOF.

Como o câmbio influenciaria nos números da viagem e sabíamos que a cotação era muito melhor fora do que nas casas de câmbio do Brasil, deixamos pra trocar a maior parte do valor durante a viagem.

A melhor cotação que encontramos em Joinville – SC foi na MultiMoney (www.lojamultimoney.com.br), em que pagamos:

    • Peso argentino 0,3187 reais
    • Peso chileno 0,0050647 reais
    • Peso uruguaio 0,1287 reais
Trocando dinheiro pela viagem, as médias das cotações conseguimos foram:

    • Peso argentino 0,2563 reais
    • Peso chileno 0,005158 reais
    • Peso uruguaio 0,1190 reais
O peso argentino tinha uma cotação muito boa, principalmente em Buenos Aires.

A troca de peso chileno não foi tão fácil. Trocamos dinheiro em Puerto Natales e em Coyhaique. Em Puerto Natales, por ser turística, foi fácil encontrar um lugar para trocar dinheiro. Mas, em Coyhaique, mesmo sendo uma cidade grande, demoramos a achar um lugar que aceitasse reais.

Apesar de algumas dificuldades que tivemos pra o câmbio, valeu a pena trocarmos o dinheiro pelo caminho. No decorrer do relato, falo um pouco mais a respeito dos câmbios realizados.



A seguir, relato da viagem. Espero que gostem :wink:

#1008525 por Koslinsky
03 Out 2014, 11:37
Dia 01 - 01/02/2014 – Joinville a Chuy

    • Quilometragem do dia: 1.126
    • Quilometragem acumulada da viagem: 1.126
    • Gasto aproximado do dia em reais: R$ 946,80

Com tudo planejado e com a bagagem arrumada no carro, uma Zafira, saímos de Joinville em Santa Catarina às 3h30 da madrugada. A viagem foi tranquila, mas a quilometragem foi longa. Almoçamos em um posto de gasolina e passamos no início da tarde pela Estação Ecológica do Taim no sul do Rio Grande do Sul. Atravessamos a reserva pela BR-471. É uma planície alagada muito bonita.

Imagem 005 Dia 01 – Estrada pela estação ecológica do Taim.JPG
Imagem 005 Dia 01 – Estrada pela estação ecológica do Taim


Antes de entrarmos no Uruguai, enchemos o tanque do carro em um posto de Chui. O litro da gasolina estava por R$ 3,13. Mas era a melhor escolha, pois tinham nos dito que no Uruguai a gasolina estava entre R$ 4,65 a R$ 5,20.

Chegamos ao Uruguai às 16 horas, mas só passamos pela aduana no dia seguinte.


Imagem 006 Dia 01 – Fronteira com Uruguai.JPG
Imagem 006 Dia 01 – Fronteira com Uruguai


Ao chegarmos à cidade de Chuy no Uruguai, cidade vizinha a Chuí do Rio Grande do Sul, procuramos um hotel e fomos às compras.

As cidades de Chuy e Chuí são separadas apenas por uma avenida, que possui diversos Free Shops do lado uruguaio.

Queríamos fazer algumas compras, mas infelizmente o dólar estava alto (cerca de R$ 2,50) e as compras não eram tão vantajosas. Compramos apenas um visor que estávamos procurando para nossa câmera.


Imagem 007 Dia 01 – Avenida que divide os dois países.JPG
Imagem 007 Dia 01 – Avenida que divide os dois países


Jantamos em uma pizzaria da avenida principal e fomos para o hotel que encontramos umas horas antes.

Neste primeiro dia, ficamos hospedados no Hotel Alerces.


Imagem 008 Dia 01 – Cartão do hotel Alerces de Chuy.JPG
Imagem 008 Dia 01 – Cartão do hotel Alerces de Chuy
Imagem 008 Dia 01 – Cartão do hotel Alerces de Chuy.JPG (26.14 KiB) Exibido 8142 vezes


Mais informações

Atrações e pontos interessantes

    • Estação Ecológica do Taim

Hospedagem

Hotel Alerces – Mediano ::cool::
Endereço: Rua Laguna de Castillos 578, Centro, Chuy
Página: https://www.facebook.com/pages/Hotel-Alerces/119013651513682
Preço: R$ 180,00 para quarto de casal com ar condicionado. Café da manhã incluso. Com estacionamento.
O quarto do hotel era bastante simples.


Gastos do dia

Imagem 009 Dia 01 – Tabela de gastos do dia 01.JPG
Imagem 009 Dia 01 – Tabela de gastos do dia 01
Imagem 009 Dia 01 – Tabela de gastos do dia 01.JPG (35.06 KiB) Exibido 8142 vezes
#1009443 por Koslinsky
06 Out 2014, 20:48
Dia 02 - 02/02/2014 – Chuy a Colonia Del Sacramento, passando por Punta Del Este e Montevideo

    • Quilometragem do dia: 550
    • Quilometragem acumulada da viagem: 1.676
    • Gasto aproximado do dia em reais: R$ 806,08

No segundo dia, saímos por volta das 7h20 da manhã do Hotel Alerces em direção a Montevideo.

No fim da cidade de Chuy, pela ruta 9, obrigatoriamente se passa pela aduana uruguaia. Depois de carimbarmos o passaporte e mostrarmos os documentos necessários, foi feita uma breve revista no carro. Já neste momento não podíamos passar com alimentos frescos.

O processo é bastante simples e como não havia filas, apenas mais um casal na aduana, o trâmite não levou mais que 20 minutos.

Seguimos pela ruta 9 em direção a Montevideo. Neste dia a previsão era de tempestades fortes com temperatura máxima de 28 graus centigrados. Felizmente pegamos apenas chuva fraca desde que saímos do hotel.


Imagem 010 Dia 02 – Ruta 9.JPG
Imagem 010 Dia 02 – Ruta 9


Imagem 011 Dia 02 – Igreja pelo caminho.JPG
Imagem 011 Dia 02 – Igreja pelo caminho


Por volta das 10 horas da manhã passamos por um placa apontando Punta del Este e resolvemos entrar para conhecer a cidade. Pela ruta 39 que leva até Punta del Este, passamos uma pequena cidade no caminho chamada San Carlos. Neste trecho precisamos ir um pouco mais devagar por causa do tráfego de carros, mas nada que pudéssemos chamar de trânsito. Cidade bem bonitinha.

Imagem 012 Dia 02 – Cidade de San Carlos.JPG
Imagem 012 Dia 02 – Cidade de San Carlos


Já em Punta del Este visitamos o Monumento ao Afogado (Monumento al Ahogado) e contornamos a cidade avistando as praias.

Imagem 013 Dia 02 – Monumento ao Afogado em Punta del Este.JPG
Imagem 013 Dia 02 – Monumento ao Afogado em Punta del Este


Imagem 014 Dia 02 – Famoso hotel e cassino Conrad de Punta del Este.JPG
Imagem 014 Dia 02 – Famoso hotel e cassino Conrad de Punta del Este


Como havia uma chuva fraca, as ruas estavam bem vazias e o mar bastante cinza.

Imagem 015 Dia 02 – Céu e mar cinza em Punta del Este.JPG
Imagem 015 Dia 02 – Céu e mar cinza em Punta del Este


Retornamos para a estrada e seguimos para Montevideo.

Imagem 016 Dia 02 – Estrada para Montevideo.JPG
Imagem 016 Dia 02 – Estrada para Montevideo


Nosso objetivo ao chegar a Montevideo era comprar a travessia do Mar de la Plata de Colonia del Sacramento para Buenos Aires para o dia seguinte.

Nós tentamos diversas vezes comprar a passagem pelo site da Seacat (www.seacatcolonia.com.ar), mas todas as tentativas falharam. O site não conseguia completar a compra. Então, resolvermos passar pelo ponto de venda em Montevideo (Calle Río Negro, 1400 esq. Colonia. Aberto de segunda a sexta das 9h às 19h, e aos sábados das 9h às 12h) e comprar pessoalmente os tickets.

Ao chegarmos em Montevideo, próximo do meio-dia, fomos comprar nossa passagem para Buenos Aires. Os valores da passagem pela empresa Seacat, que opera com o barco da Buquebus para transporte de carros (creio que sejam a mesma empresa ou tenham alguma parceria) foram de: 4.086 pesos uruguaios ($ 2.430 para o transporte do carro + $ 828 para cada passageiro).


Imagem 017 Dia 02 – Passagens para Buenos Aires.jpg
Imagem 017 Dia 02 – Passagens para Buenos Aires


Imagem 018 Dia 02 – Ticket do Buquebus.JPG
Imagem 018 Dia 02 – Ticket do Buquebus


Não tínhamos pesos uruguaios suficientes então pedimos para pagar em peso argentino. Infelizmente a empresa não faz a conversão da moeda e se quiséssemos pagar em peso argentino teríamos o mesmo valor de 4.086 em pesos argentinos. O que sairia muito mais caro.

Achamos uma casa se câmbio no mesmo prédio e compramos 5.000 pesos uruguaios para o pagamento da balsa. Pagamos R$ 0,1190 por peso.

Depois os tickets comprados, andamos um pouco por Montevideo e paramos para almoçar no Mercado del Puerto.


Imagem 019 Dia 02 – Obelisco.JPG
Imagem 019 Dia 02 – Obelisco


Imagem 020 Dia 02 – Parlamento.JPG
Imagem 020 Dia 02 – Parlamento


Imagem 021 Dia 02 - Costa de Montevideo.JPG
Imagem 021 Dia 02 - Costa de Montevideo


O Mercado del Puerto (Pérez Castellano, esquina com Rambla 25 de agosto de 1825) é um dos pontos turísticos de Montevideo e possui diversos restaurantes que aceitam reais. Quase só ouvíamos português no lugar.

Almoçamos um delicioso bife de chorizo (545 pesos uruguaios para duas pessoas).


Imagem 022 Dia 02 - Bife de chorizo no Mercado del Puerto.JPG
Imagem 022 Dia 02 - Bife de chorizo no Mercado del Puerto


Imagem 023 Dia 02 - Interior do Mercado del Puerto.JPG
Imagem 023 Dia 02 - Interior do Mercado del Puerto


Depois do almoço, próximo das 15h30, compramos um suvenir e saímos em direção a Colonia del Sacramento. Chegamos lá por volta das 17 horas.

Imagem 024 Dia 02 - Estrada para Colonia del Sacramento.JPG
Imagem 024 Dia 02 - Estrada para Colonia del Sacramento


Desde Chuy até Colonia foram 4 pedágios de 55 pesos uruguaios cada. Com o peso a R$ 0,12, pagamos em torno de R$ 6,60 cada pedágio. É importante lembrar que nos pedágios apenas se aceita a moeda local.

Em Colonia del Sacramento encontramos um ótimo hostel chamado El Español. Após fazermos o check-in no hostel saímos para caminhar pela cidade. Deste hostel até o bairro histórico são aproximadamente 600 metros.


Imagem 025 Dia 02 - Rua do hostel em que ficamos.JPG
Imagem 025 Dia 02 - Rua do hostel em que ficamos


O bairro histórico de Colonia mistura a colonização portuguesa com espanhola. Em várias ruas é não permitida a entrada de veículos, o que deixa o bairro mais tranquilo.

Imagem 026 Dia 02 - Portão do bairro histórico.JPG
Imagem 026 Dia 02 - Portão do bairro histórico


Imagem 027 Dia 02 - Mapa do bairro protegido pela fortaleza.JPG
Imagem 027 Dia 02 - Mapa do bairro protegido pela fortaleza


Imagem 028 Dia 02 - Canhão na fortaleza.JPG
Imagem 028 Dia 02 - Canhão na fortaleza


Imagem 029 Dia 02 - Rio de la Plata.JPG
Imagem 029 Dia 02 - Rio de la Plata


Imagem 030 Dia 02 - Azulejo portugues.JPG
Imagem 030 Dia 02 - Azulejo português


Uma rua, Calle de los Suspiros, é muito famosa, porém todas que a cercam também são muito charmosas.

Imagem 031 Dia 02 - Calle de los Suspiros.JPG
Imagem 031 Dia 02 - Calle de los Suspiros


No centro do bairro histórico encontra-se um farol em meio a ruínas. Para visitar o farol e avistar o bairro do alto é preciso pagar um ingresso de 20 pesos uruguaios (aproximadamente 2 reais).

Imagem 032 Dia 02 - Farol de Colonia del Sacramento.JPG
Imagem 032 Dia 02 - Farol de Colonia del Sacramento


Imagem 033 Dia 02 - Ingresso para visita ao farol.JPG
Imagem 033 Dia 02 - Ingresso para visita ao farol


Imagem 034 Dia 02 - Farol de Colonia del Sacramento.JPG
Imagem 034 Dia 02 - Farol de Colonia del Sacramento


Imagem 035 Dia 02 - Vista do Farol de Colonia del Sacramento.JPG
Imagem 035 Dia 02 - Vista do Farol de Colonia del Sacramento


Alguns carros antigos e carroças são usados para decoração nas ruas. Vimos até um carro antigo sendo usado como uma pequena sala para um jantar romântico.

Imagem 036 Dia 02 - Ruas de Colonia del Sacramento.JPG
Imagem 036 Dia 02 - Ruas de Colonia del Sacramento


Imagem 037 Dia 02 - Ruas de Colonia del Sacramento.JPG
Imagem 037 Dia 02 - Ruas de Colonia del Sacramento


Visitamos a pequena Basílica do Santíssimo Sacramento e Muelle Viejo.

Imagem 038 Dia 02 - Basílica do Santíssimo Sacramento.JPG
Imagem 038 Dia 02 - Basílica do Santíssimo Sacramento


Imagem 039 Dia 02 - Muelle Viejo.JPG
Imagem 039 Dia 02 - Muelle Viejo


Tomamos uma cerveja acompanhando o por do sol e voltamos para hostel onde preparamos o jantar.

Imagem 040 Dia 02 - Por do Sol.JPG
Imagem 040 Dia 02 - Pôr do Sol


Imagem 041 Dia 02 - Colonia del Sacramento a noite.JPG
Imagem 041 Dia 02 - Colonia del Sacramento à noite


Mais informações

Atrações e pontos interessantes

    • Monumento al Ahogado: monumento de 1982 presente na Praia Brava em Punta del Este.
    • Obelisco a los Constituyentes de 1830
    • Parlamento
    • Mercado del Puerto
    • Bairro histórico de Colonia del Sacramento (Portão da Fortaleza, Canhões, Farol, Basílica do Santíssimo Sacramento, Muelle Viejo...)


Hospedagem

Hotel El Español – Bom ::cool:: ::cool::
Endereço: Manuel de Lobos 377, Colonia del Sacramento, Montevideo
Página: http://www.hostelelespaniol.com
Preço: 1.000,00 pesos uruguaios, aproximadamente 120,00 reais para quarto de casal com banheiro privativo. Café da manhã incluso. Sem estacionamento.
O hostel possui uma cozinha bem ampla para uso dos hóspedes. Ótima localização, a 10 minutos a pé do farol no bairro histórico.


Gastos do dia

Imagem 042 Dia 02 – Tabela de gastos do dia 02.jpg
Imagem 042 Dia 02 – Tabela de gastos do dia 02
Imagem 042 Dia 02 – Tabela de gastos do dia 02.jpg (41.63 KiB) Exibido 8072 vezes
#1009456 por Koslinsky
06 Out 2014, 21:21
Dia 03 - 03/02/2014 – De Colonia del Sacramento a Bahia Blanca, passando por Buenos Aires

    • Quilometragem do dia: 711
    • Quilometragem acumulada da viagem: 2.387
    • Gasto aproximado do dia em reais: R$ 407,40


Na segunda-feira, dia 03 de fevereiro, não acordamos tão cedo porque nossa passagem para Buenos Aires estava marcada para as 11h45 e nosso hostel ficava perto do porto.

Chegamos um pouco depois das 10 horas no porto e fizemos os procedimentos de check-in. O primeiro passo é estacionar o carro e ir até a sala de imigração, onde os documentos são verificados e passaportes carimbados. Depois é necessário aguardar em uma sala de espera até que seja anunciada a sua travessia.

Perto das 11 horas, anunciaram a nossa saída. Eu, como acompanhante, fiquei esperando em uma fila, enquanto o Gian, motorista, foi até o estacionamento para levar o carro ao porão da embarcação. E eu segui uma fila até a entrada na sala dos assentos no barco.

Depois de estacionar os veículos, os motoristas vão para o mesmo ambiente onde estão as demais pessoas.


Imagem 042 Dia 03 - Interior do Buquebus.JPG
Imagem 042 Dia 03 - Interior do Buquebus


Imagem 043 Dia 03 - Primeira vista de Buenos Aires pelo Buquebus.JPG
Imagem 043 Dia 03 - Primeira vista de Buenos Aires pelo Buquebus


Em uma hora chegamos a Buenos Aires, às 12h45. Na saída os passageiros podem sair junto com o motorista de carro.

Imagem 044 Dia 03 - Embarcação em que atravessamos o Rio de la Plata.JPG
Imagem 044 Dia 03 - Embarcação em que atravessamos o Rio de la Plata


Neste momento tivemos que atrasar nosso relógio em uma hora.

Enquanto saíamos do porto, fomos parados por uma policial que apenas olhou pelo vidro nossas bagagens e perguntou o destino. Ela foi muito simpática e disse que conhecia Santa Catarina, mas não conhecia Ushuaia.

Como já conhecíamos Buenos Aires (relato aqui), nosso objetivo era apenas abastecer e trocar dinheiro.

O trânsito do meio-dia na cidade estava muito intenso e não foi muito fácil encontrar um posto de gasolina (nafta para os argentinos).

Tínhamos rodado todo o trecho do dia anterior com somente um tanque e felizmente não precisamos abastecer no Uruguai.

Em Buenos Aires abastecemos por 10,48 pesos argentinos o litro. Pelo nosso câmbio do Brasil, o litro saiu por R$ 3,34.


Imagem 045 Dia 03 - Casa Rosada em Buenos Aires.JPG
Imagem 045 Dia 03 - Casa Rosada em Buenos Aires


Imagem 046 Dia 03 - Av Corrientes e no fim dela o Obelisco em Buenos Aires.JPG
Imagem 046 Dia 03 - Av Corrientes e no fim dela o Obelisco em Buenos Aires


Em seguida estacionamos o carro, com bastante dificuldade porque o centro estava lotado, e fomos em direção a Calle Florida. Esta é uma importante rua turística da cidade. Lá a cada 2 metros tem alguém dizendo “cambio reales”.

Imagem 047 Dia 03 - Muita gente da calle Florida em Buenos Aires.JPG
Imagem 047 Dia 03 - Muita gente da calle Florida em Buenos Aires


Por indicação fomos a uma casa de câmbio não oficial, que fica em uma galeria na Calle Florida, nº 142. Assim que descer as escadas da entrada da galeria virar à direita.

Lá conseguimos o melhor câmbio da viagem: 4,30 pesos por real.

Almoçamos na mesma rua em um restaurante chamado American Deli, com péssimo atendimento.

É importante saber que na Argentina toda entrada é cobrada, pode ser qualquer pãozinho ou medialuna (tipo um croissant). O garçom simplesmente te serve e não fala sobre o preço.

Saímos de Buenos Aires às 14h20 e seguimos em direção à Bahia Blanca.


Imagem 048 Dia 03 - Trajeto do dia.jpg
Imagem 048 Dia 03 - Trajeto do dia
Imagem 048 Dia 03 - Trajeto do dia.jpg (143.19 KiB) Exibido 7983 vezes


Imagem 049 Dia 03 - Panorâmica da Ruta 3 em direção a Bahia Blanca.JPG
Imagem 049 Dia 03 - Panorâmica da Ruta 3 em direção a Bahia Blanca


Imagem 050 Dia 03 - Primeira placa apontando Ushuaia.JPG
Imagem 050 Dia 03 - Primeira placa apontando Ushuaia


Este trecho foi extremamente cansativo. Boa parte não é duplicado e perto de Bahia Blanca pegamos congestionamento na rodovia.

Imagem 051 Dia 03 - Retas sem fim na Ruta 3.JPG
Imagem 051 Dia 03 - Retas sem fim na Ruta 3


Apesar de ter sido provavelmente o dia mais cansativo da viagem inteira, fomos privilegiados com paisagens magnificas.

Imagem 052 Dia 03 - Sol e chuva na Ruta 3.JPG
Imagem 052 Dia 03 - Sol e chuva na Ruta 3


Imagem 053 Dia 03 - Arco-íris na Ruta 3.JPG
Imagem 053 Dia 03 - Arco-íris na Ruta 3


Imagem 054 Dia 03 - Por do sol.JPG
Imagem 054 Dia 03 - Pôr do sol


Imagem 055 Dia 03 - Por do sol.JPG
Imagem 055 Dia 03 - Pôr do sol


Imagem 056 Dia 03 - Por do sol.JPG
Imagem 056 Dia 03 - Pôr do sol


Neste dia passamos por 6 pedágios, no total de 43 pesos (~R$ 13,41). E reabastecemos na cidade de Las Flores (4,89 pesos por litro).

Chegamos em Bahia Blanca perto das 22 horas. Procuramos um camping que havíamos pesquisado, mas não o encontramos.

Nesta noite ficamos hospedados no hotel Brisas, que encontramos pelo GPS. Fizemos nosso jantar no próprio quarto da pousada e apagamos.


Imagem 057 Dia 03 - Lua em Bahia Blanca.JPG
Imagem 057 Dia 03 - Lua em Bahia Blanca


Mais informações

Hospedagem

Hotel Brisas – Bom ::cool:: ::cool::
Endereço: Gorriti 445 Bahia Blanca
Página: https://plus.google.com/113761214850514937358/about?gl=br&hl=pt-BR
Preço: 325 pesos argentinos, aproximadamente 75,00 reais para quarto de casal com banheiro privativo. Café da manhã incluso. Com estacionamento.
O hostel possui uma cozinha bem ampla para uso dos hóspedes. Ótima localização, a 10 minutos a pé do farol no bairro histórico.

Gastos do dia

Imagem 058 Dia 03 - Tabela de gastos do dia 03.JPG
Imagem 058 Dia 03 - Tabela de gastos do dia 03
Imagem 058 Dia 03 - Tabela de gastos do dia 03.JPG (37.12 KiB) Exibido 7983 vezes
#1009489 por GuiVianBR
06 Out 2014, 22:41
Koslinsky, por acaso a policia rodoviária da argentina não parou o carro de vocês e pediu propina?

Na minha viagem para Bariloche ano passado fomos parados 2 vezes. Uma na ida e outra na volta. Passamos por uma experiência ruim lá, mas eu gostaria muito voltar de carro novamente para Bariloche.
#1011793 por rogerzurc
15 Out 2014, 11:09
Parabéns pelo relato!!! ::otemo::
Show as fotos!!!
Acompanhando...

Uma dúvida... como foi a variação climática... do tipo, no mesmo trecho uma parte muito quente e outra muito frio?
Com relação as chuvas... pegaram muita no caminho?
Pergunto isso pois pretendo fazer o mesmo roteiro... mas de moto! ::hahaha::

Obrigado!

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 2 visitantes