Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

Pesquisar na Comunidade

Mostrando resultados para as tags ''baracoa''.



Mais opções de pesquisa

  • Pesquisar por Tags

    Digite tags separadas por vírgulas
  • Pesquisar por Autor

Tipo de Conteúdo


Mochileiros.com

  • Perguntas e Respostas
    • Perguntas e Respostas
    • Destinos
  • Companhia para Viajar
    • Companhia para Viajar
  • Relatos de Viagem
    • Relatos de Viagem
  • Equipamentos
    • Equipamentos
  • Trilhas e Travessias
    • Trilhas e Trekking
  • Viajar sem dinheiro
    • Viajar sem dinheiro
  • Viagem de Carro
    • Viagem de carro
  • Viagem de Moto
    • Viagem de moto
  • Cicloturismo
    • Cicloturismo
  • Outros Fóruns
    • Outros Fóruns
  • Promoções
    • Voos Baratos

Categorias

  • América do Norte
  • América do Sul
  • Ásia
  • Brasil
  • Europa
  • Oceania
  • Oriente Médio

Encontrar resultados em...

Encontrar resultados que...


Data de Criação

  • Início

    FIM


Data de Atualização

  • Início

    FIM


Filtrar pelo número de...

Data de Registro

  • Início

    FIM


Grupo


Sobre mim


Lugares que já visitei


Próximo Destino


Tópicos que recomendo


Ocupação

Encontrado 3 registros

  1. É possível viajar nos caminhões se você for mulher e estiver sozinha! O relato é bem grande porque falo muito sobre os cubanos, então no fim vou colocar umas informações mais práticas, como lugares de interesse e dicas gerais O Relato OBS: 1CUC = 24MN 1CUC=1 dólar Recomendo que levem euro, pois o dólar é taxado em 10% lá. Dia 15 (Havana): Mapa 3CUC Taxi 25 CUC Jantar 8.20 CUC Hospedagem 15CUC No táxi para a casa da Ana, o taxista disse que o povo cubano não vive tão bem, mas que vivem bonito. Cheguei na casa de Ana e seu marido Leo, que foram muito simpáticos e ofereceram café da manhã por 5CUC, aceitei por ser o primeiro dia. Andei até Vedado em busca de comida e bar, acabei comendo em um lugar um tanto caro e mais para turistas, andei um pouco e voltei para a casa. 16: Café da manha 5 CUC Entrada museu CDR 2CUC Wifi por 10 horas 15CUC Daiquiri da Floridita 6CUC (uma facada e na minha opinião não vale a pena) Jantar na Ana 10CUC Hospedagem 15CUC Ana me fez um café da manhã muito gostoso e fez de tudo para que eu me sentisse em casa, ofereceu um jantar com lagosta por 10 CUC, aceitei por ser lagosta, mas achei bem caro. Andando a procura da calle Obispo para comprar o cartão para usar o celular, conversei com Julio, um moço muito simpático que me contou muito sobre Cuba, disse que não existe crianças na rua, mas sim, existem alguns moradores de rua, que são levados pela polícia para outra cidade, onde é oferecido a eles comida, banho e necessidades básicas, disse que não existem favelas em Cuba. Conversamos sobre futebol e drogas, ele disse que em Cuba só tem maconha e que é bem rara, quem usa, usa só em finais de semana, não existe cocaína e heroína na ilha. Ele trabalha em uma empresa de aluguel de carros, trabalha um dia inteiro e descansa dois dias inteiros, gosta de viver em Cuba e diz que existem coisas boas e coisas ruins em viver aqui. Caminhei pela calle Obispo e fui no museu do CDR. Quando fui comprar o cartão para usar a internet, estava uma fila de 3 horas e tem umas pessoas que vendem por 3 CUC, mas na ETECSA (onde vendem oficialmente) é metade do preço. Conheci alguns cubanos simpáticos mas que no fim da conversa queriam que eu pagasse algo para eles. Quando cheguei na casa da Ana 4 estrangeiros estavam jantando, um casal da Nova zelandia e um casal da Austrália, a menina do casal da Austrália especialmente foi muito legal e atenciosa, mas todos foram também, falavam mais devagar para eu poder acompanhar o inglês deles. O jantar estava muito bom, frango frito, arroz, feijão, lagosta, banana, tomates e um vinho muito bom, me deram para provar o Rum Santiago, tomei com coca cola cubana, bem bom 17: pão com presunto 5MN agua 17.5 MN Entrada Museu da Revolução 8CUC Almoço 12CUC Pulseira 1CUC Onibus 1CUC Coco Taxi 5CUC Jantar 2CUC Sorvete ao lado copelia 0.80CUC Sorvete ao lado do copelia 2.50CUC Sorvete Coppelia 1CUC Hospedagem 15CUC Passeio pelo museu da revolução, vi e participei de uma discussão entre uma cubana que apoia a revolução e um jovem que criticava a revolução. Consegui notas de MN (com a figura do Che) em um banco para levar para uns amigos. Andei bastante até o Armacen San Jose e comprei uma pulseira de Cuba, fui até a Plaza de Armas comprar uns livros, mas eram muito caros, 5CUC a maioria dos livros, fui até um ponto de ônibus e conheci uma senhora que trabalha no ministério da educação em Cuba, conversamos por muito tempo, ela disse que sim, há muita diferença social, mas porque tem gente que trabalha mais que outras e me disse que existem empregos para todos, se você quer um emprego, você consegue. Encontramos uma mulher chamada Dalrling no caminho que ia perto da Plaza de la Revolucion (onde eu queria ir) e nós 3 começamos a conversar, elas me disseram que em Cuba a profissão que ganha menos é ser professor, ganham muito mal, mais ou menos 300 pesos (12,5 CUC), mas também disseram que algumas profissões se ganha bastante, ela disse que o governo paga tudo e que as pessoas não passam fome com o que o governo dá, no caso dela, disse que vive muito bem, mas o governo não da muita carne, então ela compra nos mercados. Fiquei com Darling quando a senhora foi embora e contei muito sobre o Brasil e ela me contou muito de Cuba, sobre os avanços da internet, disse que em algumas (poucas) casa já é possível ter wifi e que alguns cubanos fazem "gatos" para pegar a internet, me ajudou com o Espanhol e foi uma das pessoas mais receptivas que conheci, ela me pagou o ônibus (0.40MN, quase 3 centavos de real). Darling trabalha de segunda à sexta das 8:30 até as 16:00. Fui até a praça da revolução tirar umas fotos, mas estava muito cansada então peguei um Coco taxi para Coppelia. Tomei 2 sorvestes de dois lugarres do lado do Coppelia, o primeiro era mais barato, (o de piña naranja era delicioso) o segundo mais caro que do Coppelia, gostei do sorvete do Coppelia também, tomei de goiaba e caramelo (muito muito bons). Passei em uma pizzaria, jantei e voltei para a casa da Ana. PS: Quando fui ao Coppelia pela primeira vez, não sabia que dava para pegar a fila e pagar como cubano, mas aparentemente é possível, das outras vezes, paguei em moeda nacional 18: Praia 5CUC Almoço 3.70CUC Cadeira e guarda sol 4CUC Doce 8,75MN Sorvete 10 MN Pizza 35 MN Taxi 9CUC Refrigerante Hospedagem 15CUC Fui para praia Mi Cayto (pegando o ônibus transtur do parque central), conheci um grupo de adultos espanhóis que me ajudaram a ir e voltar da praia, foram muito legais comigo e fizeram questão de saber se eu já tinha comido ou se eu precisava de algo, a praia é muito bonita, mas nada de muito diferente, só a água que é bem clara, Mi Cayto é um praia gay (só gays homens mesmo porque só tinha eu de mulher) e lá aparentemente existe um tipo de prostituição, ficam uns garotos chamando atenção dos turistas gays mais velhos, puxam assunto, até que saem juntos da praia. Voltei para o parque central e dei uma andada por lá e Obispo, voltando de lá conheci um homem chamado Orlando e na volta conheci dois brasileiros que me deram coca, conversei muito com eles, estava com saudade de falar minha língua e ficamos de marcar de sair, mas não consegui entrar em contato com eles. Voltei para a casa da Ana, tomei banho e saí de novo. Os meninos me disseram de um lugar legal que se chama 1830, andei muito e no meio do caminho não aguentava mais e peguei um táxi (4CUC), chegando lá o lugar estava fechado. Acabei conhecendo um grupo de americanos, mas não falamos sobre coisas tão importantes, fui andando para a Galeria del paseo, onde tinha visto em um site que tinha um lugar de jazz no segundo andar, era 10CUC a consumação, não fui, voltei para a casa de Ana, paguei 5CUC no táxi . Conversei muito com Ana. 19: Hamburguer e suco de goiaba 11MN Livros e jornais 1CUC Chilentillas e suco 105MN Coppelia 5MN Cinema 6MN Jantar 35MN Hospedagem 15CUC Fui para a Universidade de Havana, não me deixaram entrar na parte de psicologia (o que curso no Brasil) e foram muito grossos, conheci um senhor chamado Pedro, ele me deu livros e mostrou a poesia que faz. Almocei e fui para a sorveteria Coppelia, conheci Lazaro, uma pessoa incrível e agora um amigo que tenho para a vida, lá ele me pagou um sorvete. Fomos ao cinema e vimos o filme do Snowden, a qualidade era ótima e o cinema muito bem conservado, paguei a entrada de Lazaro, já que ele havia pagado meu sorvete. Cultura e informação em Cuba são muito baratos, os jornais custam 0,20MN e o cinema de 1 até 3MN e a qualidade é ótima, nada diferente dos cinemas brasileiros (em Camaguey ví um cinema 3D que era 4MN, se não me engano). Fui para a casa da Ana e lá conheci Risse, um australiano, fomos comer pizza e ele me contou muitas coisas sobre seu país. Decidi ir para Santa Clara no dia seguinte e não dois dias depois como eu havia programado. 20 (Cienfuegos): Café da manhã 1CUC Ônibus para La Cubre 0,40MN Onibus para Sancti Spíritus 25CUC Casa 20CUC Janta 50 MN Lanche de porco 10MN Balada 3CUC Bebida 1CUC Acordei cedo, deixei a mala na casa da Ana e fui para um terminal chamado La Cubre buscar por um caminhão, quando cheguei, me disseram que não havia mais caminhões por lá, só trem e que hoje não tinha passagem (era 20CUC). Decidi mudar o trajeto e ir direto para Trinidad e pular Cienfuegos, perguntei para umas pessoas na rua onde podia achar os malditos caminhões, andei muito e cheguei em um terminal. Lá disseram que só havia caminhões para Ciego de Avila (um lugar que estava no fim do meu roteiro), me enrolaram muito e disseram que para Ciego era 25CUC, um absurdo, mas eu estava perdida. Tentei achar um taxi compartilhado para Cienfuegos, mas não tinha. Paguei os 25CUC e entrei em um ônibus nacional muito bom, com ar e etc. Me disseram que parava em Sant Spiritus e de lá eu achava um taxi compartilhado por 2CUC para Trinidad. Acontece que o onibus não para lá, então Jendry, um cubano muito gente boa que me comprou um refrigerante, disse que ele ia pra Cienfuegos, descemos em um lugar deserto, pedimos carona e depois subimos em uma carroça e os cavalos nos levaram para a estrada que leva até Cienfuegos, ficamos pedindo carona até que Jendry parou um táxi e pagou, ele ficou em uma cidade perto de Cienfuegos e pediu para que o motorista me deixasse em Cienfuegos, o carro dele quebrou e tive que esperar 1:30, um amigo do motorista, chamado Noel veio me buscar e me levou para uma casa muito bonita, que recomendo muito, Ana e seus filhos são todos muito educados e fazem de tudo para você se sentir em casa, o quarto é grande, tem tv, ar condicionado, tudo é muito limpo e a casa fica em uma boa localização. De noite saí para tentar achar um lugar de jazz latino, acabei conhecendo 3 cubanos e 3 meninas do Canadá que estavam todos juntos, fomos em um balada que não sei o nome, não era muito boa, mas a companhia era ótima, peguei o contato das meninas, pois elas vêm para o Brasil em breve, aparentemente. Cheguei na casa de Ana 2:30 21: Café da manhã 5MN Taxi coletivo para Trininad 5CUC Almoço 7CUC Estadia 20CUC Sorvete 60 MN Acordei as 9 e fui para Trinidad (no terminal de ônibus de Cienfuegos têm muitos taxis coletivos), como não tinha estadia, fui procurando e encontrei a senhora Juana, ela cobra 25/30CUC mas como eu estava sozinha e não tinha ninguém para dividir o quarto (tem uma cama de casal e uma de solteiro), ela fez por 20. A casa de Juana fica literalmente do lado do havanatour, de onde saem os ônibus para a praia Ancon (5CUC ida e volta). As coisas aqui em Trinidad são MUITO caras. O sorvete aqui é 20 MN uma bola, em Havana é 5MN cinco bolas, para ter noção da diferença. Passei mal o resto do dia por causa da comida de um restaurante chamado "Paladar Dona Clara", só fui comer no dia seguinte 22: Café da manhã 1.65 CUC Onibus para a praia 5CUC Almoço 4CUC Cadeira Praia 2CUC Estadia 20CUC Sorvete 3.20 CUC Jantar 4CUC Entrada la cueva 5CUC Bebidas -perdi a conta, mas acho que foi uns 7CUC Acordei de manhã e fui procurar o lugar de onde saem os caminhões, o lugar, aparentemente, é em um posto de gasolina, não fui até lá para checar porque estava um pouco longe. Peguei o ônibus para a praia Ancón (esse ônibus costumava ser 2CUC, agora é 5CUC e sai às 9, as 11 e as 14, se não me engano e o ultimo horário para voltar é as 18). A praia estava um pouco suja porque havia chovido, mas é muito linda, encontrei com uns brasileiros que tinha conhecido em Havana, me ajudaram bastante, o onibus é 5CUC ida e volta, mas voltei com eles de carro porque tinham alugado. De noite fomos no Club Ayala (as pessoas chamam de la cueva), é uma balada na caverna, então foi muito legal e diferente, é um pouco caro, a entrada foi 5CUC com uma bebida incluso e as bebidas lá são 3CUC, então recomendo que beba antes, indo pra lá, as pessoas vendem na porta da casa bebidas por 1CUC e são muito boas 23: Café da manhã 5CUC Sorvete 10MN Bolacha 11MN Jantar 5CUC Hospedagem 15CUC Peguei uma carona com os brasileiros para Morón (eles iam pra Cayo Coco, então era caminho, serei eternamente agradecida), encontrei o hostel da Isabel e do Oscar (a filha dele esteve no Brasil por 3 anos no programa mais médicos e mora em Camaguey agora) que são pessoas maravilhosas, conversei com Isabel por mais de 4 horas. Fui ao centro tomar sorvete e usar a internet, voltei e Isabel fez um jantar tradicional cubano maravilhoso. Eles são tão incríveis, a comida é tão boa e fizeram um preço melhor pelo quarto e pela comida. 24: Hospedagem 15CUC Café da manhã 3CUC Praia 20CUC Pizza 25MN Acordei e tomei café na Isabel porque o táxi coletivo ia chegar cedo e não iria ter tempo de comer na rua, eu ainda não sabia qual era o preço do táxi, mas como de trinidad até cienfuegos deu 5CUC, imaginei que seria mais ou menos isso e não me preocupei Isabel me disse que era 60CUC e que não sabia se eu ia dividir com uma ou duas pessoas, isso me pegou de surpresa, ainda bem que dividiu em três pessoas. Dividi o taxi (ida e volta) com um casal de suiços muito fofos que me contaram muitas coisas de seu país e perguntaram muito sobre o Brasil, a praia é muito incrível, a água transparente, pena que estava ventando um pouco então tinha muitas ondas, mas fora isso, foi incrível, a praia mais bonita que estive em Cuba. Voltei para Moron, comi uma pizza na rua e decidi mudar meu roteiro e tentar ir para Camaguey. 25: Café da manhã 3CUC Guagua para Ciego 3MN Viazul para Camaguey 6CUC Bicitaxi 30MN Acordei e fui para o terminal de ônibus e pedi ajuda para umas pessoas para ir pra Ciego. O ônibus nacional era muito bom, melhor que muitos da viazul, não sei exatamente como fiz para conseguir entrar em um nacional, acho que porque me misturei com uns cubanos e fiquei perto deles. Quando cheguei em Ciego, não tinha caminhões para Camaguey e não dei sorte com os ônibus nacional (era 21MN), porque dessa vez estavam pedindo o RG cubano, então fiquei entre o ônibus da viazul e o táxi compartilhado, estavam cobrando o mesmo preço (6CUC) então peguei o viazul porque já estava saindo, mas me arrependi porque o ônibus da viazul fez uma parada de 45 min e o trajeto levou 3 horas. Quando cheguei em Camaguey, fui procurar o endereço da filha de Oscar e Isabel, da casa que fiquei em Moron. Não achei o lugar e pedi pra uma pessoa me ajudar, ela ligou para Olisbet (filha do Oscar) que disse para eu encontrá-la numa praça (fui de bici taxi porque era longe). Ela e seu marido Rafael são pessoas incríveis, eu não acho que é possível encontrar pessoas mais incríveis que eles. Me compraram sorvete, me levaram pra conhecer o centro e me levaram pra trabalhar com eles (são médicos), passamos o dia indo nas casas dos pacientes para um programa de prevenção de câncer (esse dia foi o programa de prevenção contra câncer de útero), existe um registro com o nome de todas pessoas, idade e onde moram e precisávamos ir na casa das mulheres avisando que elas tinham horário marcado para uma citologia no posto de saúde, um programa de prevenção maravilhoso. Voltamos para a casa deles e Olisbet fez um jantar muito bom e Rafael me deu um vinho maravilhoso, conversamos muito e agendaram um bicitaxi para me levar ao terminal no dia seguinte, disseram para eu passar a noite na casa deles, não me deixaram pagar nada em nenhum momento, com certeza são minhas pessoas favoritas de Cuba e fazem um trabalho admirável, quero muito que voltem para o Brasil. 26: Bicitaxi 2CUC Caminhão para Santiago 80MN Lanche 10MN Hospedagem 15CUC Comida 1CUC Cheguei na estação de ônibus de Camaguey às 7 da manhã e esperei até as 15 para um caminhão para Santiago porque tinha uns caras que viram que eu era estrangeira e falavam para os motoristas dos caminhões não me deixarem entrar se eu não pagasse 15CUC , por sorte consegui esse das 15:00, pois falei direto com o motorista e conheci um japonês chamado Koju que também ia para lá. Chegamos(viajei por uns dias com Koju, enquanto nosso trajeto era o mesmo) em Santiago as 22:30 e foi muito cansativo, achamos uma mulher que cobrou 15CUC por cada quarto e jantar por 1CUC, ela viu que estávamos realmente desesperados, comemos arroz congris e carne de porco. 27: Santiago-guantanamo 25MN Pizza e suco 7MN Refri 15MN Guantanamo-Baracoa 40MN Jantar 8.50CUC Hospedagem 15CUC Acordei as 8:00 e fomos para o terminal, subimos no caminhão para Guantanamo invés de esperarmos um para Baracoa direto porque achávamos que seria mais rápido Chegamos em Guantanamo meio dia e fomos procurar um caminhão para Baracoa, só conseguimos achar às 16:30 depois de procurar muito. Chegamos em Baracoa às 20:15 e fomos para a casa que Oli e Rafa me recomendaram, a casa era muito boa, Denny (o dono da casa) foi muito legal com a gente e fez por 15CUC. Saímos para jantar, eu estava muito cansada procurando um restaurante (queria um mais em conta, mas bom, porque estava cansada de comer pizza por 10MN ) e quando achei o Koju não quis comer lá, nos separamos. 28: Hospedagem 15CUC Café da manhã 7MN Parque Yunque Infortour 17CUC (no cubatuour é 16, mas o onibus ja tinha saído) Cocada 1CUC Chocolate quente 1CUC Refresco 1CUC Jantar 12 CUC Suco 4MN Fiz o passeio do parque Yunque, tem dois passeios lá, o de 1,5km que vai até uma cachoeira e o de 5km que vai até o topo da montanha. Acabei me confundindo e fui pro da montanha, fiz até a metade do caminho e me dei conta de que estava errado (quando chegar, pergunte sobre o passeio da cascata), desci tudo de novo e procurei a cascata, é bem bonita, mas no caminho tente arrumar um guia para levar suas coisas para o outro lado do rio (tem que atravessar o rio nadando) ou deixe as coisas antes de atravessar. Se for no passeio de subir a montanha, leve roupas de banho porque a água da travessia vai ate o umbigo. Depois da cachoeira fiquei no rio esperando as outras pessoas terminarem o passeio da montanha e perto de onde eu estava havia uma tendinha de uma mulher que vendia cocada e chocolate quente (estava muito calor, mas tomei mesmo assim, porque é feito com cacau ralado), é realmente MUITO gostoso tanto a cocada quanto o chocolate quente. Quando voltei fiquei um pouco na praça e depois fui com o Koju jantar lagosta (o restaurante chama "La patrona" e a lagosta custa 8CUC, a mais barata que achei e é muito boa), andamos um pouco pelo malecon e achamos uma tenda que vende suco de abacaxi, o melhor suco de abacaxi que tomei. 29: Hospedagem 15CUC Passeio Yumuri com Cubatour 20CUC Almoço 8CUC Chocolates 4CUC Me despedi de Koju pela manhã, porque ele tinha que voltar para Havana, depois fui com a cubatour para o rio Yumuri porque é o jeito mais econômico se for sozinha(o), se tiver mais gente, compensa dividir um táxi e achar um guia(mas foi tudo muito bom com a cubatour então recomendo). Eles fazem algumas paradas, primeiro em uma mulher que faz chocolate caseiro (você pode comprar lá, então recomendo que leve dinheiro se quiser comprar algo, foi muito interessante, vão te explicar passo a passo como se faz o chocolate), depois na vila Yumuri para conhecer um tipo de caracol que tem lá, depois o passeio com o bote até o rio (encontrei dois brasileiros e ficamos de tomar cerveja de noite) onde você pode nadar (na ida fui dentro do bote e na volta fui fora nadando e segurando no bote, foi maravilhoso), no final do passeio, tem uma hora e meia em uma praia de areia preta e tem uma casa na frente onde é possível almoçar. Preços da loja de chocolate: 3 Tabletes 1CUC Bola de cacau 1CUC Pacote com 12 tabletes 4CUC Manteiga de cacau 4CUC De noite saí com os meninos (Adler e Felipe) não lembro quanto gastei em bebida, foi muito divertido, mas não faço ideia como cheguei na casa do Denny 30: Café da manhã 16MN Entrada Cueva de água e playa blanca 5CUC Coco choco 1CUC (era horrível, então se ficar em dúvida, não compre) Bote 1CUC Sucos 4MN Refresco 1CUC Hospedagem 15CUC Jantar 10CUC Fui para o parque natural Majayara, é possível ir a pé do centro para lá, como o furacão quebrou a ponte para a entrada, as pessoas vão de bote, lá dentro têm muitos passeios para fazer, eu escolhi Cueva de água e Playa Blanca. Primeiro fui na Cueva de água, tem que andar bastante para chegar lá, foi uma experiência legal, mas não faria de novo. Dica para mulheres: Recomendo que não vá sozinha, mas se não tiver jeito e quiser muito conhecer, cuidado, os homens são bem machistas nessa região, o guia foi muito chato, muito mesmo A playa blanca é muito pequena, como o mar estava muito agitado e não consegui entrar direito, se eu pudesse mudar meu roteiro, iria para a Praia Maguana ou outro passeio com cubatou invés do parque. De noite jantei em um restaurante chamado "El Guajiro" é muito bom, recomendo comer tití (um peixe pequeno que só existe em Baracoa) com leite de coco, é bem diferente. 31: Livros 70MN Chocolate 7,20 CUC Café da manhã 25MN Onibus Santiago 15CUC Onibus Varadero 49CUC 4 Cucurucho 40MN Bolachas 10MN Comprei uns livros (tem uma livraria muito boa em Baracoa que chama Rubert Lopez, se não me engano) e chocolates para dar de presente no Brasil, foi difícil ir embora de Baracoa. Dessa vez me rendi à viazul porque não queria arriscar ficar esperando 8 horas por um caminhão ou passar a noite em um caminhão sozinha. Recomendo que provem o Cucurucho, amei esse doce, as vezes os ônibus que saem de Baracoa param no caminho e da para comprar, levei até para o Brasil. 1: Hotel com café da manhã 39CUC Almoço 60MN Doce 5MN Sorvete 1,50 CUC 2 Refrigerantes 1,20 CUC Conheci duas francesas e um francês no ônibus para Varadeiro, quando chegamos fui com eles tentar arrumar uma casa e estava tudo lotado, vi que os lugares eram mais para 3 pessoas e decidi procurar sozinha, como já era 13hrs e estava perdendo o dia e não achava nada, decidi ficar em um hotel, não recomendo, prefiro muito mais as casas de família, mas estava muito difícil de achar, acho que foi meu maior erro na viagem Pularia Varadeiro para ficar mais um dia em Baracoa. Aproveitei um pouco o dia e de noite andei pela cidade, tudo é muito mais caro e restaurante em moeda nacional é quase impossível, achei um que fica na 41 com 1 avenida, se não me engano, é um quiosque, se não achar, pergunte aos cubanos onde fica o restaurante que vende em moeda nacional. 2: Guardar a mala no hotel 1CUC Ônibus Havana 10CUC Sorvete 25MN Lanche 1MN Torrone na estrada 25MN Jantar 48MN Hospedagem 20CUC Tomei café e fui na viazul para ver os horários dos ônibus, como queria tentar ir para Viñales ainda no dia 2, reservei para as 18 e na hora tentei mudar para as 16. Passei um pedaço da tarde na praia, que é incrível, mas já estava cansada de mar. Cheguei em Havana e fui para casa da Ana, ela me arrumou um táxi coletivo para Viñales para o dia seguinte por 20CUC, o que é muito, mas meu tempo estava apertado e não queria arriscar com a viazul, além disso, o terminal que fica a viazul é um pouco longe e eu não ia ter certeza de que teria bilhetes, Havana para mim foi o pior lugar para achar transporte para fora da cidade. Ana me cobrou 20CUC pelo quarto de cima, que é mais caro, porque o que eu pagava 15CUC estava ocupado. 3: Hospedagem 10CUC Taxi coletivo 20CUC Passeio cavalo 20CUC Jantar 9,40CUC Acordei cedo para ir para Viñales, mas o táxi acabou chegando só 11 horas, deveria ter ido com a viazul, cheguei em Viñales só 14 horas. No caminho, o motorista disse que a casa dele tinha quartos para alugar e fez por 10CUC e que o irmão dele tinha cavalos para fazer o passeio. Quando cheguei, fui recebida com um suco de manga bem gelado, muito bom. Disseram que o passeio sairia por 25CUC, chorei e fizeram por 20CUC, outro erro porque no centro fazem por 10CUC, mas eu estava com medo de não conseguir conhecer tudo o que eu queria. O passeio foi muito legal, conheci um grupo de austríacos, a menina do grupo foi muito legal comigo, passamos a tarde juntos no passeio, mas nos separamos e não deu tempo de pegar o contato deles. Como estava sobrando um pouco de dinheiro e eu estava no fim da viagem, decidi comer lagosta de novo, aproveitando que no Brasil é muito caro. Em Viñales não consegui achar restaurantes em moeda nacional, mas têm uns que o almoço sai por 3 ou 4CUC. 4: Charutos 9CUC Bicicleta 3CUC Hospedagem 10CUC Café da manhã 3CUC Bustour 5CUC Sorvete 1,75CUC Almoço 4,95CUC Jantar 3CUC Andei uns 15km de bicicleta de manhã e já tinha acabado de ver o que eu queria (o mural da pre historia, que aliás, é 3CUC para entrar, eu não paguei e olhei de longe) só que a bicicleta era para o dia todo, tentei devolver e pagar mais barato. Fui para o centro pegar o bustour para a cueva del indio, quando cheguei, pedi para a moça que estava cobrando as entradas para fazer por 4CUC, ela perguntou se eu estava sozinha, eu disse que sim e não sei porquê, mas ela me deixou entrar de graça, me salvou uma grana. Estava uma fila gigante para pegar o bote, mas no fim valeu a pena, encontrei os austríacos de novo, mas ele não foram muito legais dessa vez, então fui pro centro almoçar. De noite conheci um cubano chamado Alejandro, que me pagou uma piña colada e me chamou para ir em uma festa chamada "El palanque", acabei não indo porque são 6km de distância da cidade. 5: Taxi coletivo 15CUC Almoço 65MN Coppelia 10MN Boné 3CUC Taxi para o aeroporto 25CUC Jantar 35MN Presentes 44 CUC Fui para Havana de manhã para comprar presentes e me despedir da cidade. Andei muito de dia e de noite fui ao malecon, quando cheguei na casa, conversei muito com Leo, ele disse que aos 10 anos de idade já ajudava os revolucionários levando comida e remédio para eles e que dedicou sua vida para a revolução, foi para a Angola por 2 anos e também foi militar. Como meu voo era às 7:00, saí da casa 4:30 e os preços dos táxis são muito altos nesse horário e não tem ônibus. É isso, espero que tenha ajudado um pouco para quem quer ir para lá, fiz muitos erros, mas acho que faz parte. Dá para economizar muito mais, ainda mais se for em 2 ou 3 pessoas, porque o que mais gastei foi com hospedagem. Dicas gerais: -A maioria dos meus jantares foi pizza, porque são bem baratas, variam de 10 até 60 MN dependendo de onde (2,50 até 9 reais). -Água é um pouco caro, então compre só uma e vá pedindo pra encher nas casas que ficar hospedado. -Muitas casa de família cobram 5CUC pelo café da manhã, eu não acho que compensa, na rua vendem nas janelas das casas pão com presunto e queijo por 5MN e suco por uns 2MN (essas valores são um pouco difíceis de conseguir em Trinidad) -Nas praias existem umas camas de praia, são 2CUC então recomendo que levem toalhas de praia, como eu não levei nenhuma, tive que pagar. -Se você optar por tomar café da manhã nas casas de família, normalmente sobram frutas e pães, então embale e leve se for para a praia ou para uma viagem. -Os bilhetes da viazul em Trinidad, são impossíveis, pois acabam muito rápido (pelo menos em janeiro), então recomendo que se for viajar se viazul, tente comprar no dia que chegar, também tem os táxis compartilhados e os caminhões (cuidado pra não ser enganado com os preços). -Quando for comprar os bilhetes para usar o wifi, compre o de 5 horas, dura bastante e você não precisa ficar indo comprar toda hora, custa 7,5CUC, se não me engano. -Trinidad é um lugar MUITO caro de comer, então dê uma economizada nas outras cidades para gastar mais lá. -Muitas casas de família deixam você deixar sua mala lá e voltar para pegar depois, levei uma mala grande e uma mochila, deixei a mala em Havana, fiz todo o trajeto e quando voltei para Havana, dormi lá mais um dia e peguei de volta. -Quando for procurar caminhões, tente pegar diretos, que não tenha que fazer muitas descidas para procurar outros, porque o que leva mais tempo é essa procura. -Se você for numa cadeca para trocar euro por CUC e depois CUC por moeda nacional, eles na maioria das vezes não deixam, então se você tiver um pouco de CUC, troque primeiro por moeda nacional e depois troque os euros, não faço ideia do porquê isso acontece. -Se ficar entre pegar viazul ou um táxi coletivo, vá pelo mais barato, mas se for o mesmo preço ou só um pouco mais caro, vá de táxi, é MUITO mais rápido, porque os onibus da viazul fazem muitas paradas. -Aproveite os sucos de baracoa, custam 2MN e são bem bons. SE FOR DE CAMINHÃO: CUIDADO ao procurar os caminhões porque muitos homens vão ficar no seu pé para ganharem um tipo de comissão (se eles percebem que você é turista, falam pro motorista cobrar mais, um cara queria me vender a ida pra Santiago num caminhão por 15CUC e não me deixou subir por outro preço porque havia feito um combinado com o motorista), a dica é correr e falar com o motorista direto antes deles. Lugares de interesse: Havana Hospedagem: Calle Escobar 118 bajos e/ Ánimas y Laguna(Procure por Ana) Tel: +5378635000 PS: Eles tem uma conta no airbnb, então da para fazer a reserva por lá. Praia: Mi cayto (se você for homem gay, vale a pena, se não, vá para a praia Santa Maria) Livraria: Alma Mater (San Lázaro esquina Infanta) Cienfuegos Hospedagem: Calle 41 # 3906, Esquina 36 y 41. Tel (0053) (43) 511582 Cel (0053) 52930752 [email protected] A casa é conhecida como "El Pino" Trinidad Hospedagem (procure por uma mulher que chama Juana): -Casa independente (casa para 4 pessoas): Calle Francisco Cadahia (Gracia) n° 204-A [email protected] Essa casa custa de 25/30 CUC -Quarto para 3 pessoas(onde fiquei, é do lado do havanatour, onde pega o onibus para a praia): Calle Lino Pérez (San Procopio) n° 364 Essa custa 25 CUC Balada: Club Ayala (la cueva) Morón: Hostal Isabela Calle Enrique Varona No. 4 e/ 4 y Linea FC Tel: (33)504584 Email: [email protected] Se gostar de política, converse com a Isabel, ela sabe de muita coisa. Santiago: Casa Carmen : Calle General Lacret #256 / Maceo y Habana Ps: não fiquei nessa casa porque não tinha lugar, mas a mulher foi simpática e nos recomendou outro. Baracoa Hospedagem: Casa Denny y Rafaela Calle Rubert Lopez 86. Esquina Limbano Sánchez Email: [email protected] Comida: rafael trejo 14 (la patrona) Comida vegetariana (eu não fui, mas para quem quiser, eles têm cardápios veganos e vegetarianos e os pratos são muito bonitos) : Calle Maceo 90 Email: [email protected] Telefone: 52589319 Ps: A casa do moço foi parcialmente destruída pelo furacão e o restaurante está em um lugar provisório, se não estiver no endereço acima, estará na Calle Maceo 170 É isso! Espero que tenham gostado do relato, qualquer dúvida podem perguntar por whatsapp (11)966755221 ou aqui nas mensagens
  2. Chegou a tão esperada viagem à Cuba. Me baseei em muitos relatos daqui, também do mulambo (cuba-mochilao-mulambo-2015-ponta-ponta-havana-cienfuegos-trinidad-baracoa-santiago-cayo-guilhermo-vinales-t117960.html) que foi bem útil para os preços mínimos das coisas. Hehehe Sou do RJ, mas quando comprei a passagem estava 3500 ida e volta por aqui... De Brasília estava 1900 reais já incluindo a passagem e taxas da tam de ida e volta por lá... Então, mais uma perna e passagem por aeroporto pra economizar essa budega aí. Hehehehe Vôo saindo sexta, após trabalho, 20h35 pra Brasília, de lá pra Havana às 2h25. CUIDADO NA ORA DE COMPRAR trechos na madrugada, quase errei o dia. Hehehe Cotações da viagem: 1 dólar = 3.37 reais 1 euro = 3.79 reais 1 euro = 1.09 CUCs 1 CUC = 24 pesos cubanos Dia 1 - 27/08 - sábado - Habana Chegamos à La Havana e fomos pra casa da Sra. Augustina, muito comentada aqui nos fóruns. Ao tocarmos a campainha, descobrimos que ela tinha falecido dia 11/08 e a casa não mais hospedaria ninguém. Antes que pensássemos em procurar outro lugar, a sra . que nos atendeu informou que seu vizinho debaixo também recepcionava turistas. Felizmente tinha disponibilidade e ficamos lá, pelos 25 CUCs pra 2 pessoas + 5 CUCS por pessoa de café da manhã. Pegamos um bus até Miranmar e Rodamos pelos pontos turísticos lá. O bus é bem barato 1 peso. Demos sorte pra ir, mas não a tivemos para voltar... veio lotado e ficamos distante do centro. Rsrs Jantamos numa pizzaria perto da casa por 5 CUCS/pessoa. Chuva fim de tarde forte e depois parou. Dia 2 - 28/08 - domingo - Havana Fomos conhecer a praça revolucionário de táxi por 6 CUCs. A praça é imensa e por todo canto tem sinais "gloriosos" da revolução. Depois voltamos a pé até o centro e caminhamos até a plaza vieja e agregados que são increíblemente preciosos! Almoçamos no La Narco por 10 CUCs/pessoa com limonada. La é muito bem servido. E voltamos para descansar um pouco. À noite jantamos no Mango por 3 CUC/pessoa que era perto da casa e caminhamos um pouco. Chuva fim de tarde forte e depois parou. À noite choveu direto até de manhã... Dia 3 - 29/08 - segunda - Havana x Varadero Despertamos temprano, desayunamos y fuimos tomar la famosa guagua hasta Varadero. No meio do caminho mudamos de idéia porque chovia e a guagua é meio aberta... Fomos à via azul de táxi por 7 CUCs . De la Fechamos um táxi por 40 CUCs porque o ônibus tinha acabado de sair às 9h. O próximo somente seria às 13h... ai, já era o dia em Varadero. O próprio taxista buscou uma hospedagem para gente em uma casa particular. Tivemos um pouco de dificuldade em encontrá-la. Quando o taxista achou uma, reparamos que Varadero era mais cara que Havana... 30 CUCs o quarto sem café da manhã. Ficamos em um espaço legal, mas a senhora não é muito cordial, então não recomendamos. O dia estava fechado e foi abrindo, mostrando a beleza da praia caribenha. Almoçamos "risoto" em um restaurante que tem cardápio em russo na calle 62 e não gostamos, porque parecia um miojo de arozz, pelo menos foi 5 CUCS/pessoa. Depois fomos à praia e ficamos até umas 19h, pois escurece umas 20h. Tem uns passeios saindo de Varadero, mas são bem caros, então não pegamos informações adicionais. Por ser mais estruturado, é mais fácil encontrar informações na internet. Decidimos ir para Trinidad no dia seguinte. Jantamos no restaurante Victoria perto da calle 36 que tem um bife duro de comer por 3 CUCs/pessoa. Rsrsrs Dia 4 - 30/8 - terça - Varadero x Trinidad Chegamos à Via Azul às 6h50 para pegar o bus às 7h30, pois segundo o atendente, já não tinha passagens disponíveis para comprar no dia anterior. Pagamos 20 CUCs/pessoa e deixamos uma chuva leve em Varadero. Ao chegarmos a Trindad, umas 14h20, encontramos o céu caindo e mini rios pela rua... Doideira total hehehehe fomos almoçar e depois pra hospedagem. Ficamos numa casa das diversas que nos ofereceriam na própria rodoviária, custou 10 CUCs/pessoa com café da manhã amigável. Endereço na rua Antonio Maceo, 652. A habitação é pequena e humilde, diferente das outras que ficamos, mas, pelo preço, tá excelente! Não fizemos nada além de rodar na cidade e tomar a primeira facada pra usar a internet no cel por 3 CUCs/hora. A noite rodamos pela cidade na chuva mesmo. Pelo menos, estava mais fraca e dando sinais de melhora. Dia 5 - 31/08 - quarta - Trinidad Sol!! Acordamos com o tempo abrindo e fechamos um táxi por 8 CUCs pra ir até a playa ancon, porque perdemos o (ou o último) ônibus que saia às (ou até) às 9h30. Achei a praia sem graça, quando comparada com Varadero, ainda mais porque tem umas plantas aquáticas na areia que ficam passando no pé. Talvez com a chuva dos dias anteriores alterou a agua, porque não estava tão clara também como vimos em fotos... Ficamos numa espreguiçadeira lá por 2 CUCs cada. Ofereciam coisas na praia, mas não comemos e o biscoito Bono chocolate serviu para enganar a fome. Hahaha Na volta, umas 16h, esperamos mais 2 pessoas para dividir o táxi 8 CUCs e fugimos da chuvarada que começou a cair enquanto entrávamos no carro. Segundo o taxista falou, tem uma piscina natural que é possível fazer snorkeling um pouco antes de chegar à entrada da praia de Ancon. Pra quem der sorte de não pegar chuva. Em Trinidad também é base de um passeio a cachoeiras Praticamente, levamos sol à região. Hehehehe Há também a possibilidade de fazer mergulho de cilindro em Trinidad na praia Ancon (algum ponto de mergulho) e também em Cayó Blanco. O mergulho seria 35 CUCs e o passeio não pegamos informações. Íamos descer pra Morron, mas a Via Azul estava fechada quando chegamos umas 17h30. Ela vai até cierro de Ávila e depois pegaríamos outro transporte. Almoço/jantar no restaurante Bella Trinidad, pizza (cansamos de comida com tempero mais ou menos hahahaha), que tem música ao vivo e um ambiente bem maneiro por 5 CUCS. A pizza não estava boa. Rsrs Disco Ayala é a discoteca que fica numa caverna, que parece maneira, mas não abriu porque tinha chovido muito e estava com água. Rsrs o pessoal fica na praça perto da plaza mayor, onde tem garçons servindo bebida (3 CUCs) ou outros lugares vendendo a 1.50 CUCs (de qualidade inferior, mas com uma relação custo x benefício melhor hehehe). Fica ao pé da casa de la música que é em céu aberto. Dia 6 - 1/09 - quinta - Trinidad Resolvemos fazer o passeio de cavalo com o Pollo (Tel 52901549) que é um cara bem tranquilo e divertido. Esse passeio custou 10 CUCs que achei bem razoável A cachoeira tem uma boa queda e um poço de 6m de profundidade que da pra dar uns saltos. ela me lembrou a cachoeira de Santa Bárbara, na chapada dos veadeiros, porém com um tom de azul menos aflorado, mesmo no sol. A entrada no "parque" é meio salgada 9 CUCs, mas valeu a pena. O passeio dura o dia todo, saímos umas 9h40 e retornamos umas 16h. Vale a pena sair mais cedo para fugir do sol. Até tentamos, mas uns franceses que iam no passeio atrasaram porque o cara da casa de onde eles ficaram queriam dar uma volta neles, alegando que nosso guia era ilegal. A propósito, eles tem que ter uma permissão para serem guias, como em todo lugar, mas nem ligamos pra isso. Hahaha Como vivemos no Brasil, país do jeitinho, acho que temos um "felling" de quando as pessoas querem dar uma volta... hehehehe Foi tudo tranquilo e recomendo o Pollo (apelido do cara na cidade). Almoçamos massa num "mexicano" que estava comível. Rsrs a noite, fomos para para a plaza mayor de novo e depois pra discoteca Ayala. As músicas lá são variadas. Detalhe: a discoteca tem umas goteiras mesmo. Então, cuidado na hora de andar porque vi geral caindo. ?? 5 CUCs pra entrar e ganha 1 mojito. Dia 7 - 2/09 - sexta - Trindad x Morrón Decidimos partir de Trindad para Cayó Guilhermo inicialmente, mas ouvimos histórias que lá só tinha resort, hospedagem que ultrapassaria nosso orçamento. No meio do caminho, decidimos ficar em Morrón mesmo, cidade mais próximas do Cayó Coco e Cayó Guilhermo. Fechamos um táxi mesmo de Trindad a Morrón por 25 CUCs/pessoa de porta a porta. O taxista era irmão do Pollo e em tese o carro era bom e tinha ar condicionado, porém, no meio do caminho o carro (Peugeot 405 de uns 20 anos) esquentava e tinha q botar água. Paramos umas 5 vezes na estrada pra isso... Mesmo assim, chegamos em 3h, saindo de Trindad por volta das 9h40. Quando saímos, ele queria nos cobrar 30 CUCs/pessoa, mas como já tínhamos fechado com o Pollo pelos 25 CUCs, permaneceu este valor após insistência e pedido pra ele ligar para o Pollo. Apesar de não ser tão barato, a idéia era ganhar tempo e rodar o menos possível de mochila na cidade (tava um sol digno de verão carioca). Como não tínhamos reserva, o taxista iria nos levar a uma casa. Ele descobriu uma que achamos SENSACIONAL, tanto pela receptividade da Dona Aleida, quanto pela estrutura, que era excelente, com banheiro no quarto, geladeira e TV (impressionante!!), fora ar condicionado, ventilador, serviço de lanche e água, suco e cerveja na geladeira a preços justos. Ah, a cama era extremamente confortável, era um colchão!! (Ficamos surpresos, porque só tínhamos encontrado camas que afundavam até então, fora que TV no quarto é item de MUITO luxo, pelo que vimos também). Ela queria 30 CUCs, mas negociamos por 25 CUCs/dia o quarto e o café da manhã era 5 CUCs/pessoa para ser completo. Contato: Dra Aleida Castillo - Calle Salomé Machado, #187 - A , Morrón / Tel fixo: 502-473 / celular : 5294-1219 / email: [email protected] / [email protected] Depois, almoçamos na Calle Martí num restaurante do governo por 4 CUCs/pessoa e tomamos o famoso sorvete cubano Coppelia. O sorvete é bom e o preço é ainda melhor. Pagamos em moeda nacional que seria 26 pesos!! Surreal!! Foram 3 sorvetes, 2 latas de refrigerante cubano de limão, fora a água que já dão. Para ter uma idéia, cada lata dessa no mercado custa 0,50 CUCs (24 pesos cubanos) no mercado. Rsrs A Dona Aleida fez nosso jantar com entrada, prato principal (forte), e sobremesa (arroz doce com salada de fruta) por 8 CUCs (frango) e 10 CUCs (peixe). Pode parecer caro, mas não reclamamos, porque o tempero estava bem saboroso. Fomos à Havana Club daqui e parecia uma festa estranha com gente esquisita. Rsrs resolvemos dormir. Dia 8 - 03/09 - sábado – Morrón - cayó Guilhermo - playa pilar Playa Pilar é a praia mais popular e famosa de Cuba. Fechamos o táxi por 55 CUCs para nos buscar às 8h30, levando 1h15 para chegar e retornar de lá. Como não encontramos outros turistas, não conseguimos reduzir o custo. Realmente, praticamente não vimos turistas nas ruas de Morrón, o que dificultou lotar o táxi. Rsrs A volta era até às 18h, mas saímos umas 16h porque o sol estava castigando. Hehehe A praia é bonita, mas não achei nada de mais mesmo. O mar é verde e não azul como em outras partes do Caribe. Temperatura excelente. Alugamos a espreguiçadeira por 2 CUCs/pessoa. Na volta, almoçamos no mesmo restaurante do dia anterior, La Fuente. Sobremesa na Coppelia de novo. Yessss! O snorkeling é feito numa ilha em frente da praia por 25 CUCs/pessoa e dura 1h30. Ficamos só na praia mesmo. Rsrsrs Dia 9 - 04/09 - domingo - Morrón x Santa Clara x Viñales Nossa idéia era chegar agora em Viñales no menor tempo possível de Morrón. Cómo pra pegar o via azul teria que sair de cierro de Ávila e assim ir pra outro canto, preferimos ir pra Santa Clara porque, pelo que ouvimos, teriam mais opções para ir pra Havana/Viñales. Fechamos com o taxista que nos levou ao Cayó por 80 CUCs. Apesar de alto, fica ainda mais barato que no Brasil. Rsrsrs Saimos de Morrón umas 8h40 e chegamos à Santa clara umas 11h40. Lá já tinham uns caras oferecendo transporte até Havana por 20 CUCs/pessoa. A via azul era 18 CUCs/pessoa e somente sairia às 17h. Não tivemos dúvida e partimos até Havana. Almoçamos na parada no posto de gasolina por 2 CUCs/pessoa (pizza e refrigerante) e o taxista nos deixou em um ponto lá onde tem outros taxistas coletivos por volta das 15h. Lá já tinha um casal esperando gente pra fechar um grupo pra Pinar del Río. Com isso, chegamos e já trocamos de táxi. O transporte custou 15 CUCs/pessoa até Viñales e ele já nos deixou na pousada por volta das 17h30. Negociamos por 25 CUCs/dia com café da manhã. Dia 10 - 05/09 - segunda - Viñales Resolvemos fazer o passeio a cavalo. Negociamos na pousada mesmo que ficamos. Descobrimos que "tínhamos que pegar um táxi até o início do passeio" quando a senhora da casa disse que o carro (?!?!) tinha chegado. Pra ir até o início da fazenda, gastamos 3 CUCs. O passeio consistia em passar pelas plantações da região, ir na gruta que tem a piscina e finalizar na fábrica de tabaco. Saímos da pousada umas 8h40 e o passeio durou umas 2h30. O preço meio tabelado era de 3 CUCs/hora/pessoa, então gastamos 7,50 CUCs para o passeio. O visual é muito bonito e vale a pena, ainda mais que pegamos uns cavalos meio malucos que corriam do nada. Hahaha Dia 11 - 06/09 - terça - Maria la Gorda De Viñales e Pinar del Río tem saídas com frequencia para Maria la Gorda. La é um centro internacional de mergulho, muito conhecido pela visibilidade e pela parede imensa que tem. Foi a 1ª vez que vimos água azul na viagem, apesar de que uns espanhóis deram sorte de ter visto algo assim em Playa Pilar. As agências de Viñales vendem o transporte de ida e volta pra La Gorda. Quando se chega a Maria la gorda, lá tem uns horários de mergulho já pré-definidos. A empresa que opera lá é a Transgaviota e também oferece serviço de hospedagem, refeições e etc, tudo bem caro. Vou colar as fotos que tirei para se programarem. O grande "bizu" que posso dar de lá é, pra quem quer mergulhar mais vezes e também ir lá pela noite é ficar na vila chamada La Bajada porque ali tem hospedagens a preços excelentes (10 CUCs/pessoa) e fica a uns 15km da base, que o pessoal costuma ir e voltar de carona dessa vila. O mergulho foi sensacional! Não imaginava que seria tão impressionante. Visibilidade excelente também. Valeu a pena. Gastos deste dia: Taxi ida e volta Maria la Gorda - 35 CUCs/pessoa Mergulho: 35 CUCs/pessoa com certificação open water + 14 CUCs aluguel dos equipamentos Entrada de 5 CUCs/pessoa no "complexo" dos quais 3,50 CUCs são revertidos em consumação. Neste valor já está incluída a "entrada", acesso a banheiros (sem chuveiros) e espreguiçadeira na praia com eventual sombra. Rsrsrs Na volta, jantamos na despedida de Viñales num "ristorante italliano" de um cubano que morou na Itália por 11 anos. Jantar meio caro para o padrão de Cuba e massa boa. Fomos à casa da música de novo por não ter o que fazer mesmo, mas lá é meio bizarro... cantores lá com qualidade estilo "karaoke". Hehehehe Dia 12 - 07/09 - quarta - Viñales x Havana x Cancun Um pessoal que encontramos no mergulho falou que tinha uns preços bons pra ir de Havana pra Cancun pela aeromexico direto e, pensei... por que não? Então, com a informação, dei uma pesquisada na cara internet e consegui comprar pro mesmo dia a passagem aérea ida e volta Havana x Cancun x Havana por 120 euros. O táxi de Viñales ao aeroporto foi 15 CUCs/pessoa e me deixou lá. Uma coisa excelente em Cuba são esses táxis coletivos. Hehehe Ao chegar à Cancun, não tinha hospedagem e não indiquei nenhum lugar pra ficar... Se não fosse o carimbo dos EUA no meu passaporte, acho que pensaram que eu ia ficar lá e não voltar mais hahahaha após isso, foi a vez dos charutos... Comprei 50 charutos (máximo pra sair de cuba) e os trouxe pro México. Mas, querendo dar uma entubada nos desavisados, o limite pra entrar no país é 25. Como não li o formulário de imigração direito, tive que pagar o excesso de charutos. O ônibus do aeroporto a playa del carmen custou 168 pesos mexicanos. Cotações 1 euro = 20,25 pesos mexicanos 1 CUC = 14,40 pesos mexicanos 1 dólar = 17,35 pesos mexicanos Chegando ao terminal de playa del carmen, fui procurar hospedagem e achei uma de argentinos (!?!?!). Paguei 12 dólares/dia pra dividir o quarto, no hostal Buena Vibra. O pessoal lá é legal, mas a limpeza não é tanta assim... Comi uns tacos numa praça ali perto por 15 pesos cada um. Dia 13 - 08/09 - quinta - Cozumel Fechei um snorkeling em Cozumel por 30 dóóares no dia anterior. Foi o menor preço que encontrei em Playa del carmen. Os mergulhos estavam variando entre 75 e 120 dólares (???). JAMAIS FAÇA SNORKELING PAGO EM COZUMEL! Eu me senti enganado. Eles te levam pra ver uns "corais artificiais" com umas cabeças de pedra e falam que cada um desses pontos são "diferentes". Na hora de vender o passeio, dizem que são 3 CAÍDAS na água... enfim. Além disso, em Playaéé mais caro que fechar em cozumel... paguei 5 dólares a mais... Sobre o snorkeling, o guia era engraçado e fazia umas graças na água, mas não vale em hipótese alguma os 30 dólares que cobram. Almocei por volta das 17h na indicação dos guias por 170 pesos (peixe, taco, mini arroz e mini feijão + 1 margarita incluída do passeio). Razoável. O transfer pra Cozumel de Playa del Carmen custa 135 pesos cada trecho. Paguei 270 ida e volta. O grande lance de ter ido a Cozumel foi achar uma empresa que fazia mergulho lá por 59 dólares! Pelo que vi, foi o melhor preço da ilha!! Então, com preço assim, tive que voltar no dia seguinte. Hehehehe Dia 14 - 09/09 - sexta - Cozumel Paguei o mesmo transfer ida e volta de 270 pesos mexicanos. E sai 8h. Quando cheguei na empresa, uma das saídas já tinha ido, para o principal ponto da ilha (Palancar e Colômbia). Como ficava muito longe pra ir sozinho, mergulhei em outros pontos que também eram bem interessantes e cheios de caverna (1o ponto) e vida marinha (2o ponto). Valeu a pena! Depois, descobri um restaurante por 70 pesos com entrada na rua a..... EXCELENTE custo x benefício! Além disso, o hostel hostelito tem preços bons também! Vale a indicação pra dormir na ilha e se planejar melhor. Se eu tivesse me planejado, teria economizado 270 de transferir adicional... rsrsrs A noite comi uns tacos na praça com suquinho por 50 pesos. Dia 15 - 10/09 - sábado - Cenote 2 ojos A atendente do hostel 3B falou muito bem desse local. Custou 500 pesos e inclui serviços no cenote. Cenote é uma espécie de poço formado por estalactites e estalagmites com água. É impressionante porque não parece que tem água efetivamente do "outro lado". No Brasil, tem vários lugares assim que não são a fortuna que é aqui na região... rsrs Mas, queria saber sobre o que falam tão bem aqui... Então, consiste num snorkeling dentro de uma "gruta" ou um mergulho com cilindro (95 dólares o mais barato que vi com 1 cilindro). O local é bonito e pra quem nunca foi ao abismo de anhumas, ou chapada Diamantina, vai gostar bastante (o que não é o meu caso) Rsrsrs Almocei no restaurante que tem logo na entrada. Burrito de carne de porco 75 pesos com um refrigerante de 15 pesos. Muito bem feito. Hehehe À noite, lanche na praça e arrumar malas pra viajar dia seguinte e voltar pra Cuba. Bati perna pela calle 12 e realmente ali é o point pra sair à noite. Dia 16 - 11/09 - domingo - Playa del Carmen x Havana Peguei o bus de Playa até o aeroporto às 7h30 por 168 pesos mexicanos. Esqueci que tinha que pagar de novo a entrada em Cuba... arghhh 20 dolares novamente (tenho que sentar e planejar uma viagem direito... rsrsrs). Ao chegar à Havana, parece que vários voos (uns 4 ou 5) chegaram ao mesmo tempo. Moral da história: 2 horas para pegar a bagagem e sair do aeroporto depois do avião pousar... Minha idéia era ir pro oriente e conhecer mais lugares em Cuba. Peguei um táxi que me levou por 15 CUCs (após negociação) até a Via Azul. Lá, como já não dava para pegar o bus das 15h pra Santiago (pousei 12h27, horário de Havana e fui sair do saguão do aeroporto 14h20, fora uma chuva surreal intensa no aeroporto), comprei o bus das 00h30 que chegou lá 16h. Bom que não precisei pagar uma diária de hospedagem. Detalhe do dia: o carro que me pegou, deixou que eu guardasse a mala na casa dele, que fica do lado do centro de Havana. Perfeito! Não ia ter condição de rodar de mochilão pela cidade... Julio Cel +53 5481-5348 Depois de deixar as coisas lá, parti pro farol e depois Coppelia a pé mesmo. 2h de fila e sorvete comido. Dia 17 - 12/09 - segunda - Santiago de Cuba Peguei o bus da via azul saindo de Havana às 00h30 por 51 CUCs. O bus chegou às 16h30. O bus faz um roteiro padrão e passa em várias cidades... numa delas "tomei café" às 12h e comi pizza com caldo de cana (garapa) por 1.60 CUCs. No terminal, fechei com um taxista pra ir ao castelo castillo e depois ao cetro (cespede) por 10 CUCs (antes era 20 CUCs). O castelo tem um visual legal, mas não a ponto de valer entrar por 4 CUCs pra mim. Hehehe o taxista foi ex-combatente na Revolução e tecia ótimos comentários, apesar de os jovens já verem diferente as coisas. Fiquei rodando pelas praças e comi onde parecia um preço bom (até 4 CUCs). Hehehe Fiz hora numa casa simples que ia tocar música variada (campesina, bolero e salsa). Acho que foi mais na sorte, porque a casa é simples também. Pra finalizar antes de ir pra Baracoa, mais uma pizza perto da praça cespede. O táxi desta praça até o terminal foi 5 CUCs. Dia 18 - 13/09 - terça - Santiago x Baracoa O bus saiu de Santiago às 1h50 por 15 CUCs. Lado bom, não gastei com hospedagem. Lado ruim, cheguei destruído. ?? Não tinha hospedagem, mas isso não é um problema... sempre tem gente oferendo lá na hora. Boa chance de fazer um bom negócio. Rsrs eu fechei com Sr. Arturo y Yamira. O quarto é bom e o café da manhã também, mas ficava a uns 8 quarteirões da praça principal que se chama Parque Central. Depois do banho, fui de táxi coletivo 15 MN até o rio Yamuri, onde tem um pessoal te oferecendo lá Trekking e almoço. Como já estava meio tarde, não pesquisei muito e fechei a trilha por 8 CUCs e o almoço com suco e sobremesa (doce que não comi) por 5 CUCS. Hehehe o Trekking foi bem interessante, não pelo visual em si, mas pelas frutas de diversos pés que íamos comendo pelo caminho (maracujá doce, conde, coco, mamilo, etc) e também pela aproximação que ele proporcionou com a vida de um autêntico campesino cubano e a casa onde moram também. Achei que valeu a pena. Fiz o passeio com Justo Manuel (algo parecido com isso) e ele foi contando histórias das dificuldades que passam, não de comida, mas de bermudas e calçados. Negociei com ele de me fazer o passeio a 4 CUCs e ele ficar com minha máscara de mergulho. Ele ficou contente porque poderia pescar e poder melhorar sua condição. Pra ele foi um ótimo negócio, tá? A máscara custa mais de 100 reais. Hehehehe Na volta, peguei pela primeira vez uma guagua. Na moral, não sei como o mulambo se empolgou tanto com essa guagua. O percurso de 22km que fiz indo com o carro coletivo foi de 30min. Com a guagua foi de 1h porque ela vai parando direto e ao longo da rodovia, fora o banco que, da guagua que andei, achei melhor ir em pé, porque já tava maltratando minha coluna. ?????? A guagua custou 2 MN, ou seja, ridículo de barato. Hehehe decidi preservar minha coluna pro resto da viagem e tentar não andar mais de guagua. O valor atrai mesmo, mas não tenho o fortalecimento natural dos cubanos e nem mais vinte e pouco anos de idade pra isso. Hahahaha Dica de refeição barata em Baracoa é o restaurante 1511. Não comi, mas acho que custa 1 CUC... com esse preço.... parece uma delícia já. ?? Dia 19 - 14/09 - quarta - Baracoa x Holguin x Camaguey Acordei cedo pra fazer o passeio ao Parque Nacional Alexandro Humboldt, mas ao chegar na agência (Cubatur), eles ligaram para o parque e informaram que estava chovendo... ai, pensei: ir a praia aqui ou ir a qualquer praia (já que praticamente todas são belíssimas) em uma cidade mais próxima de Havana? Rsrsrs Arranjei um táxi coletivo a Holguin por 20 CUCs e parti pra Holguin. Na hospedagem em Baracoa gastei 10 CUCs na diária e tomei 2 cafés da manhã a 3 CUCs/dia, que era muito bom por sinal. Fechei um transfer pra Holguin que pensei que era um táxi, mas era uma guagua (carro) por 20 CUCs. A estrada de Baracoa a Holguin tem um início horrível e foi sofrido. Rsrsrs Depois de Moa fica menos pior ir nesse carro na parte de trás. Saímos perto das 11h e chegamos a Holguin por volta das 16h. Que dureza ir de guagua. Hahahaha agora entendi porque a via azul não vai de Holguin pra Baracoa... a via azul passa por Santiago pra ir pra lá porque a estrada é menos horrível. Chegando a Holguin, tive que pegar um táxi por 3 CUCs até o terminal de ônibus, que ficava do outro lado de onde cheguei. No terminal, falei com o "líder dos gestores de passagem" que me mandou pra Camaguey (porque inicialmente eu iria pra Playa Santa Lucia), sob o pretexto de que era mais fácil de Camaguey que de Las Tunas. Ele "arrumou um carro" por 20 CUCs que, a principio, eu iria sozinho, mas depois surgiram outros 2. Moral da história: paguei mais caro (seria entre 12 e 15 CUCs normalmente) para chegar antes e já numa casa, porque pela a via azul só sairia 21h15 de Holguin. Em Camaguey fiquei numa casa que o pessoal do carro indicou que são bem receptivos por 18 CUCs/dia com café da manhã. Dia 20 - 15/09 - quinta - Playa Santa Lucía (Camaguey) Fui a playa santa lucía atrás do mergulho com os tubarões touro. Aqui eles alimentam os tubarões e você mergulha próximo a eles. Seria perfeito, se não tivesse pão-durado no carro. Rsrs a Sra da casa onde fiquei disse que os camiones (guagua) demoravam cerca de 2h para chegar, porém demora quase 3h. Além disso, o Sr. que ela me indicou não estava na praia, pois a mãe dele passou mal e ele teve que ir a Camaguey... Moral da história: nao mergulhei com os tubarões. Rsrsrs Minha rotina em vão foi: acordei 5h30, cheguei ao "terminal de camiones" às 6h, ela saiu às 7h (normalmente sai às 6h), cheguei às 10h, consegui contato com o Sr. Gemso às 10h20, peguei um "taxi" que na verdade era uma carrossa puxada a cavalo às 10h35, encontrei o "pescador-instrutor" às 10h50 e começamos o mergulho umas 11h15. Água mexida e visibilidade fora do padrão Cuba (no Brasil seria algo muito bom hahaha). Apesar dos pesares, o Gemso foi extremamente atencioso e esforçado em "me ajudar" diante do cenário adverso. Hehehe apesar de ele não ter certificado de mergulho, tenho certeza que tem mais experiência de mar e de possíveis problemas que um mergulhador certificado. Então, fui tranquilo. Seu equipamento era bom, melhor que em muitas agências que fui. O melhor de tudo foi a amizade que fizemos e o almoço de robalo fresco que me ofereceu e eu, gentilmente, paguei 7 CUCs. Deixo o contato para quem se interessar em mergulhar com ele. O mergulho em si, foi até mais divertido que se fosse com a empresa, pois ele "brincava" com os peixes. Hehehe Fiz contato inicial com Sr. Macau - que mora na Playa La Boca casa 20 A - Mobil - 5274-1173. Ele me repassou para o Gemso Mobil 53711704 - la chusmita. O contato precisa ser feito por telefone mesmo. Os preços deles (30 CUCs sem tubarões e 50 com tubarões) são mais econômicos que a agência daqui também (40 CUCs sem tubarões e 69 CUCs com). RECOMENDO pagar mais caro pra chegar a tempo de mergulhar com os tubarões e água limpa, porque mais tarde ela fica mexida com a movimentação marinha no canal que ocorrem os mergulhos. A volta foi melhor que a ida, pois utilizei o mesmo ônibus dos trabalhadores que vão e voltam todos os dias da playa a Camaguey, pelo menos foi a história que ouvi. Hehehe Esse bus custa 12 MN, mas, como estava num dia de mão aberta, paguei os mesmos 20 MN da ida na volta. Hehehehe Dia 21 - 16/09 - sexta - Camaguey x La Havana A Sra da casa onde fiquei arranjou um transporte pra Havana por 40 CUCs. O preço da via azul era de 33 CUCS, mas até o terminal, contando que o custo de deslocamento em Camaguey e Havana dos terminais seria maior, escolhi o táxi mesmo. A viagem é longa e chata. Rsrsrs Saimos às 9h40 e chegamos a Havana 16h 20. Fiquei hospedado no mesmo local de quando chegamos a Havana, no Fran(k) por 20 CUCs sem café da manhã e almocei no Lo Narco por 6 CUCs porque precisava comer bem e lá é muito bem servido. ?? Bati perna pra cansar e esperar o dia de retornar. Hehehe Dia 22 - 17/09 - sábado - Havana x Rio de Janeiro Chegou o dia de retornar e voltar a comer bem. Hehehe Meu retorno foi alterado direto pro Rio, porque o vôo para Brasília foi modificado. Bom que não precisei ficar em Brasília, ruim que não deu tempo de passar no freeshop porque só tinha 1h de conexão entre as aeronaves. Depois uber do galeão pra casa. OBSERVAÇÕES: 1. Demos sorte porque somos morenos e passávamos por Cubanos. Hehehe mas, o pessoal fica empurrando serviços diversos quando percebiam que éramos estrangeiros. 2. A internet custa 3 CUCs/hora (ou 2 CUCs se conseguir comprar diretamente na loja) e não é lá grandes coisas. Você não consegue fazer chamada pelo whatsup e o Apple store não funcionam. Não testei o play store. Instale todos os programas necessários antes de chegar aqui. Recomendo MUITO o "Map of Cuba offline" que você consegue usar em todo país com localização e também o "Cuba" que mostra os principais pontos turísticos de cada cidade. Com eles, já dá pra montar uma boa programação. Parece que o Viber não é bloqueado para conversar com vídeo. 3. Em Havana, recomendo usar o ônibus pra turista do City tour, pois ele roda bem a cidade. Como andamos pra cacete, fizemos quase tudo que ele faz. Com o bus ganharíamos tempo, fora que o transporte em Havana é bem ruim. Poucos ônibus e os táxis não circulam pela cidade... ficam só na área turística. Para sair de Miramar foi um sufoco e demoramos umas 2h pra chegar ao centro onde ficamos. 4. Demos azar, porque, como somos morenos, acho que a polícia não tem tanta certeza se éramos Cubanos ou não. Em Trinidad e em toda Cuba, o nativo não é bem visto quando está abordando um turista (basicamente europeus). Fomos abordados pela polícia em Trinidad, nos perguntando se éramos cubanos num tom suspeito, digamos assim. Caso se enquadrem na descrição, fica a dica. Hehehe 5. Não pensava que os cubanos fossem tão viciados em novelas brasileiras. Hahaha Como não as acompanho, não sabia falar sobre nada delas. Rsrsrs além disso, vale trazer umas revistas sobre isso e uns doces e chicles pras crianças... ai, elas ficam mais amigáveis e sempre rolam uns descontos. 6. A via azul tem um serviço de venda horroroso! Se tiver como, use o táxi coletivo. Não são tão confortáveis como o ônibus, mas chegam mais rápido e os "gestores de passagem" são mais atenciosos e esforçados que a via azul. Hehehe fora que o preço.... Praticamente iguais a via azul. Rsrsrs 7. O snorkeling em Cozumel é fraco demais e caríssimo pelo serviço que oferecem!! Detalhe, eles tem o hábito de pedir "propina" (gorjeta) pra tudo! 8. Cancun tem vários atrativos interessantes, porém caríssimos. Vale ter facilidade de deslocamento ou tempo pra isso pra procurar fechar passeio no local. Sempre será mais barato que por agência. Fica a dica pro snorkeling ou mergulho com o tubarão baleia, que não tive a chance de ir porque saia de umas ilhas (holbox ou isla mujeres) que não consegui uma boa logística pra ir... 9. Se pensa em mergulhar com os tubarões na Playa Santa Lucía em Camaguey, va de máquina (táxi antigo) ou outro meio de transporte mais ágil. Perdi essa chance porque os tubarões já tinham ido do ponto onde "esperam" os mergulhadores darem comida. Vou ter que mergulhar com eles em outra viagem. Hehehe 10. Se for alugar um carro, muita atenção na estrada. Toda hora tem carrossa, alguém andando de bicicleta, pessoas atravessando a estrada... Confesso se tivesse alugado um, teria sofrido. Hehehehe
  3. Olá! Esse é o relato da viagem que eu e mais duas amigas fizemos em Agosto e Setembro de 2013 para Cuba. Como nossa viagem começou aqui no mochileiros, nada mais justo que termine aqui mesmo. Qualquer ajuda, podem falar comigo! Botei o relato aqui em .doc com algumas imagens, etc, mas vou colocar aqui o texto corrido também. Alguns posts à frente aqui no tópico, tem fotos de Baracoa. Revisado em 25/11/2016. 25 DIAS EM CUBA: DE PONTA À PONTA Havana – Matanzas – Cienfuegos – Trinidad – Santa Clara – Baracoa – Santiago - Viñales PRÉ VIAGEM Passagens Comprei pela Copa Airlines com 3 meses de antecedência em promoção! Rio – Havana, com escala em Panamá, ida e volta, saiu a R$1486,00 por pessoa. Pelo que vi, o preço normal varia de R$2000 a R$2200(melhor ter esse preço em mente ao fazer o orçamento). O serviço foi bem satisfatório! Na ida, houve atraso no embarque, mas o piloto compensou no trajeto e conseguimos pegar a conexão no Panamá. Seguro de saúde Obrigatório para entrada em Cuba desde 2010. Fiz pelo Sul-América(serviço da Mondial Assistance) e custou R$180,00 um plano simples(América Latina Compacto) com validade de 25 dias. Pesquisei bastante antes de comprar e, dos mais conhecidos, foi o mais barato que consegui. Na imigração, não pediram esse documento! Mas vou dar a primeira dica: comida em Cuba é um pouco complicado e a chance de você passar mal em algum momento da viagem é grande. Eu fui atendida em uma clínica internacional em Trinidad(tem em outras cidades também), e o atendimento foi excelente. Visto Apesar de já ter lido na internet sobre visto para Cuba, pode acreditar que não precisa! No próprio balcão da companhia aérea, já na hora do check-in, você compra a tarjeta de turista(válida por 45 dias, prorrogáveis por mais 45) por 20 dólares. Você mesmo preenche e apresenta na imigração. Eles carimbam(a tarjeta, não o passaporte) e, pronto, bem-vindo à Cuba! Câmbio LEVAR EUROS! A cada transação de câmbio com dólar, é cobrada uma taxa adicional de 10%. A taxa de conversão para CUCs foi de aproximadamente 1,30 enquanto estive lá, com pequenas variações de um dia para o outro. Aliás, essa é uma vantagem da economia socialista. Os preços são estáveis e, via de regra, tabelados! Eu levei 800 euros para tudo e voltei com 100. Hospedagem Cara, um conselho: não fique em hotéis. Em Cuba tem uma grande oferta de casas particulares, que são baratas, confortáveis e a melhor forma de entrar em contato com a cultura local. Minha dica é: reserve apenas a primeira estadia. A partir daí, os donos das casas particulares indicam e até fazem a reserva por telefone para você para as próximas casas. Nas rodoviárias é muito comum, e irritante, terem muitas pessoas esperando a saída dos ônibus cheios de turistas com ofertas de casas. Mas eu acho melhor ter sempre alguma indicação. Transporte Entre as cidades, fomos de ônibus (Viazul o nome da empresa). Eles não tem um sistema de venda de passagens e, como os ônibus normalmente fazem grandes trajetos e você compra apenas um pedaço dele, fica tudo meio caótico. Eles costumam ter um pequeno número de passagens que eles podem vender antecipado e o restante apenas quando o ônibus chega, para ver quantos lugares vazios ainda tem. Teve um dia que eu consegui comprar o meu, mas as meninas já não conseguiram. Falei com a mulher que de nada adiantava comprar só o meu, porque estávamos juntas. Depois de pentelhá-la um pouco, ela acabou cedendo. Então, a dica é: seja um pouco chato! Outra coisa importante é que não faz muita diferença chegar 3h antes ou 1h antes, porque não tem uma fila direito e eles só começam a vender 1h antes. Se não conseguir e não quiser comprometer seu roteiro, tente negociar um táxi dividindo com outros viajantes. Eles sempre estão de prontidão nas rodoviárias. Já para fazer os programas, combinávamos táxis não por frescura, mas porque na maioria das vezes é a “única”* forma de chegar nesses locais, já que o transporte público em Cuba é um grande problema. E o bom dos táxis é que eles ficam o dia inteiro à sua disposição, então dá pra combinar mais de um programa no mesmo dia e economizar tempo e dinheiro. Além disso, eles são como guias também, porque conhecem tudo e acabaram virando nossos amigos! OBS: por táxi, entenda qualquer carro particular que vira táxi pra eles ganharem um dinheirinho extra. Os cubanos são muito visionários, já faziam Airbnb e Uber MUITO antes do resto do mundo, hahaha. *Entre aspas porque já li alguns relatos de mochileiros que pegaram carona e outros meios mais alternativos pra chegar nos lugares, mas curiosamente eram todos de homens. Cuba é um país muito seguro, mas mal ou bem somos 3 meninas e não quisemos “arriscar”. VIAGEM Chegamos à parte boa! Farei o relato por cidade e não por dias, para ficar menos maçante. Caso falte alguma informação ou queira perguntar qualquer coisa, sinta-se à vontade. Até Santa Clara, fizemos a viagem em 3, então os preços citados normalmente são pra 3, e a partir dali fomos só 2. Vale lembrar também que gosto é uma coisa muito particular e várias circunstâncias fazem a diferença numa viagem, mas apenas para situar... Somos 3 meninas de 19 anos que fomos pra lá sozinhas e não queríamos conhecer apenas a parte óbvia de Cuba e passamos longe de resorts. Nos hospedamos apenas em casas particulares, usávamos o critério preço para muitas coisas e esse é o nosso estilo de viagem, espero que combine com o seu! HAVANA Chegamos em Havana de dia, perto da hora do almoço, e tinha um táxi nos aguardando. Reservamos com a dona da casa particular por e-mail, para nos dar uma segurança extra no momento da chegada. O táxi nos custou 25 CUC para nós 3 e o preço não varia muito, especialmente para a chegada. Trocamos algum dinheiro na casa de câmbio no aeroporto, mas apenas o suficiente para o táxi e os gastos do primeiro dia, pois a cotação não estava boa! No táxi, já deu para sentir o clima da capital cubana! Abrimos a janela (muito muito calor) e nos divertimos ao som da salsa que vinha das caixas de som do simpático taxista. Chegamos à Casa de Ania(Calle 27 de noviembre, 160, aptos 8 e 9), um dos únicos hostels de Cuba(10 CUC por cama), ótimo lugar pra conhecer outros viajantes! Fomos muito bem recebidas. A Ania nos informou que houve um problema com a reserva e que para a primeira noite só havia 2 camas disponíveis e não 3. Uma das camas era bem grande e decidimos dividir, e acabamos fazendo isso nas outras noites também, nos garantindo uma economia de 10 CUC por noite. Já na chegada fizemos dois amigos que já estavam viajando por Cuba há um tempo e nos deram dicas valiosas, inclusive de hospedagem em outras cidades! De noite, saímos todos para beber em um lugar frequentado por cubanos chamado Casa Balear e que se pagava tudo em moedas nacionais(!), ou seja, quase de graça. Ótimo para uma pré-night! O mojito era 10 pesos, que equivalia mais ou menos a 0,50 CUC, enquanto em qualquer lugar turístico um mojito custa 3. Endereço: Calle 23 esquina com Calle G(uma casa branca grande). Ali perto tem também um restaurante mexicano que vendia em MN(!), o El Burrito(Calle 23, 504). É bom para variar o cardápio e além disso é muito barato, tipo 40 ou no máximo 50 MN, que equivale a 2 CUC. O atendimento é bem simpático também. O hostel - Feira de artesanato na Calle 23: várias peças interessantes! Porém, não é tão barato assim. Como a moeda do turista é muito valorizada e há muitos vendedores vendendo quase a mesma coisa, a melhor dica é: BARGANHE! Nunca aceite o primeiro preço e se não conseguir um valor satisfatório, diga que não quer. - Sorveteria Coppelia: clássica rede de sorveterias de Cuba, a de Havana é a filial mais badalada! Era bem perto do nosso hostel. O sorvete em si é gostoso, mas nada demais, o interessante é observar por exemplo que há filas gigantescas para os cubanos, que pagam em moeda nacional, ou seja, 25 vezes menos, e NENHUMA fila para os turistas. Tem um policial que fica ali à paisana pronto para retirar turistas que tentem comprar em MN. - Museu da Revolução: em nossa opinião, bem frustrante! Os murais parecem trabalho de escola tipo Paint, hahaha, há várias salas interditadas quebrando a cronologia dos eventos e só alguns escritos foram traduzidos para inglês. MAAS... é o museu da Revolução e é uma boa maneira de iniciar a viagem adquirindo mais conhecimento sobre um tema que será tão recorrente na viagem. O prédio é bem bonito também! A entrada é 6 CUC e tem uma taxa para entrar com câmera(acho que 1 CUC). - Almoço no Paladar La Familia: terraço agradável e música ao vivo! Fomos parar lá depois de nos deixarmos cair no papo de um casal de cubanos, sempre muito simpáticos, que dizem que vão nos levar para o melhor restaurante da área, blá blá. Vão nos acompanhando e acabam sentando na mesa com você e esperando que você pague coisas para eles. Pagamos um mojito para cada, mas não gostamos da sensação de termos sido enganados, pois era um restaurante bem caro(entre 15 e 20 CUC). Ou seja, se não quer ter esse tipo de aborrecimento, corte o papo e nem responda à pergunta ''where are you from”. Por outro lado, sabendo disso e e mesmo assim querendo ter um papo com um cubano, não se reprima! Eles não irão te assaltar, pode ter certeza. - Show do Amaranto do Buena Vista Social Club de graça num bar em Havana! Esse tipo de acaso acontece muito em Havana e é uma sensação deliciosa. Tomamos uns bons drink e nos refrescamos do calor brutal. - Daiquiri no Floridita: Eu já li alguns livros do Hemingway e fiz questão de ir em um de seus bares preferidos (acabei não conseguindo ir no Bodeguita del Médio). Tem uma estátua dele e o ambiente remonta os cabarés dos anos 50, com decoração e música de bom gosto. Daiquiri custava 6 CUC, caro para os padrões cubanos, mas delicioso! - Capitólio e Gran Teatro La Habana: dois prédios lindos. - Noite no La Cuerva y lo Zorro Jazz: bem perto do hostel também. A entrada era 10 CUC com 2 drinks de brinde, mas conseguimos negociar(hahaha) e pagamos 5 CUC com 1 drink. Eu recomendo MUITO, o ambiente é muito agradável e a música de altíssimo nível. - Havana Bus Tour: 5 CUC pelo dia inteiro, quantas vezes quiser. Normalmente, eu odeio essas coisas mas em Havana vale a pena. O ônibus tem uma rota com pontos determinados e a ideia é que você salte e fique o tempo que quiser em cada atração, esperando o próximo, e não um tour que você vê cada coisa em 2 minutos só para tirar foto. Vale a pena, pois acabamos não precisando de táxi para ir pra Havana Velha e acabamos economizando dinheiro. - Plaza Vieja: parte de Havana que foi completamente reformada. É toda lindinha, de cima parece até uma maquete! Vários restaurantes e barzinhos agradáveis, ruas estreitas e prédios históricos. Bem gostoso de passear, mas é muito turístico e por isso era tudo caro! Pedimos informação na rua de onde comer barato e acabamos parando dentro da casa de uma pessoa, que nos serviu comida caseira a um preço bem honesto! - Câmara Oscura: um artefato ótico que permite ver em zoom Havana Velha em tempo real. O guia da atividade era uma simpatia, falava inglês e português fluentemente. Lá de cima, antes da atividade, pode-se apreciar a vista do alto da Plaza Vieja. - Calle Mercaderes e Calle Obispo: ruas para passear sem rumo, cheias de lojinhas de artesanato legais! - Plaza de Armas: um grande sebo a céu aberto! Imperdível. - Plaza de La Revolución: vários prédios oficiais que não se podia nem chegar na porta. Tava um calor absurdo e não tinha uma sombra pra se refrescar! Todas as sombras eram nas áreas oficiais e os guardinhas ficavam brigando com a gente, hahaha. Tiramos foto com os prédios com o rosto do Che e do Camilo, mas acabamos não entrando no Memorial a José Martí por causa do sol escaldante e de um vento esquisito. Estávamos exaustas e pegamos o ônibus no sentido errado, mas foi bom que deu pra dormir! - Internet no prédio Fucsa(o maior de Havana). Custou 4,50 CUC a hora (promocional, porque é 6 CUC) e, apesar das filas desorganizadas, não é lento como eu imaginava, quase uma velocidade normal! Edit: como fui em 2013, internet só assim... Mas hoje em dia a oferta de wi-fi é bem mais comum, só fica uma dica: aproveite para desconectar e viver uma viagem no tempo pros anos 50! - Almoço no restaurante estatal, chamado La Roca. Comemos um “combo”, que era prato principal + refrigerante + sorvete por só 3 CUCs: muito barato e muito bom. Não anotei o endereço! - US Interests Section: um prédio enorme dos EUA em pleno Malecón. No Lonely Planet, dizia que em torno do prédio havia um muro de grafites de provocação aos EUA, mas não vimos nada, apenas um grande “PÁTRIA O MUERTE” que parecia ter sido escrito pelo próprio governo. Nessa área não se pode andar na calçada deles e por isso não conseguimos pedir informações aos guardas. MATANZAS/VARADERO - Fomos de táxi(6 CUC) para a rodoviária, pois é longe para ir a pé! Foi nossa primeira experiência com a Viazul e vou dedicar algumas linhas para explicar pra vocês, já que não tem como fugir dela... Eles não tem um sistema de venda de passagens e, como os ônibus normalmente fazem grandes trajetos e você compra apenas um pedaço dele, fica tudo meio caótico. Eles costumam ter um pequeno número de passagens que eles podem vender antecipado e o restante apenas quando o ônibus chega, para ver quantos lugares vazios ainda tem. Nesse dia, eu consegui comprar o meu, mas as meninas já não conseguiram. Falei com a mulher que de nada adiantava comprar só o meu, porque estávamos juntas. Depois de pentelhá-la um pouco, ela acabou cedendo. Então, a dica é: seja um pouco chato! Outra coisa é que não faz muita diferença chegar 3h antes ou 1h antes, porque não tem uma fila direito e eles só começam a vender 1h antes. Se não conseguir e não quiser comprometer seu roteiro, tente negociar um táxi. Eles sempre estão de prontidão nas rodoviárias e dá pra compartilhar com outros viajantes. - Hospedagem em Matanzas: Hostal Alma – junto com o hostal Azul, é um dos mais recomendados pelo LP, ficam na mesma rua. Fomos no Azul mas tava muito caro e aí fomos pro Alma (25 CUC para três, o mais caro da viagem). A dona, Mayra, é uma grossa! Ela separa o espaço da casa dela e do quarto dos hóspedes, aí de noite ela fecha a porta que une os dois e você fica sem acesso à cozinha e à sala. Ela também não te dá uma chave da casa, tem que ficar tocando interfone e ela ainda pergunta a que horas você vai sair ou vai chegar. Muito desconfortável! Teve um dia que saímos 7h pra ir fazer um passeio de barco e a porta tava fechada. Ficamos batendo desesperadamente para ela abrir por uns 10 minutos até que ela acorda, super mal-humorada, falando que deveríamos ter dito para ela no dia anterior que sairíamos cedo. Quase perdemos o passeio e ainda ouvimos bronca! - Playa Coral de táxi(15 CUC o dia inteiro). A praia é lindaaa, tem aluguel de snorkel(não usamos) e dá para curtir bastante o mar caribenho. Porém, dou duas dicas: levar fone de ouvido, pois o restaurante usa uma caixa de som alta que irrita bastante e levar um lanche de casa, pois esse restaurante (só tem um) serve uma comida ruim e cara. - Passeio para as Cuevas de Bellamar: fomos de ônibus local(1 MN = nada), por indicação da Mayra. Menos 1 ponto para ela, porque foi mó programa de índio. Só tinha famílias com crianças, a entrada para as cavernas era dentro de um museu(?) e tinha até escadas e lâmpadas no caminho. Zero aventura e também nem era bonito! O preço de entrada era 5 CUC por pessoa. - Passeio para Cayo Blanco, com parada para nado com golfinhos. Compramos na Cubatur por 100 CUC por pessoa(aceita cartão de crédito), com translado de Varadero (tivemos que pegar um táxi pra lá), barco open-bar(!!!), 40 minutos de interação com os golfinhos, dia na praia e almoço incluído com bebidas. Como era o sonho meu e da Giulia, aceitamos a facada e fomos! Foi incrível, mas admito que é triste ver os golfinhos treinados. Eu me recusei a ir num delfinário perto de Cienfuegos por causa disso e fui pra Matanzas só para poder fazer esse passeio, acreditando que era uma parada para nadar com golfinhos livres. Talvez eu tenha sido bem ingênua, mas fica o registro... Fora esse passeio, Matanzas não tem nada de especial! Achamos a cidade meio feia e com uma vibe meio pesada, sei lá. CIENFUEGOS - A cidade: bem limpa, organizada e tranquila! Depois da efervescência de Havana e o clima meio down de Matanzas, Cienfuegos foi um poço de tranquilidade. - Hospedagem na casa de Arelys e Jesús: Calle 41, #5418, entre Calles 54 y 56. (20 CUC para 3) Opinião: os dois são muito simpáticos, o quarto e o banheiro são bons, tem frigobar para guardar as suas coisas e o café da manhã foi o melhor da viagem(3 CUC)! Eles são muito prestativos para dar dicas de turismo na região e agendar táxis. - Parque El Nicho (entrada 9 CUC e táxi 40 CUC). Apesar de termos gastado bastante, foi um dos melhores dias da viagem para mim! O parque é lindíssimo e tem 3 cachoeiras, sendo que uma delas é simplesmente incrível! Para chegar nas 3, tem que pegar uma trilha tranquila e bem rápida. TRINIDAD - Chegamos e já levamos um susto com a abordagem das pessoas na rodoviária. É difícil até ouvir os próprios pensamentos, com tanta gente oferecendo suas casas quase que aos berros! Mesmo com ofertas mais baratas, preferimos ir na indicação da Ania, o “La Juliana”. Fomos indo a pé, mas descobrimos que era muito longe e acabamos conseguindo uma carona de charrete, hahaha. - Opinião sobre a casa: a Marylin e a sua mãe, já bem velhinha, são duas pessoas muito gentis! Foi lá que eu passei muito mal e precisei ser atendida na clínica. Fiquei um dia de repouso enquanto as meninas foram à praia e a Marylin ficou sempre verificando se eu precisava de alguma coisa! O quarto ficava no terraço, em um andar superior, o que nos garantiu bastante privacidade. O preço foi o mesmo que vínhamos pagando, 20 CUC para as três, e o café da manhã 3 CUC. O café era bom também! O único lado negativo é que é relativamente longe do burburinho da cidade, que é o centro histórico. Endereço: Frank País, #41, entre Manuel Fajardo y Eliope Paz. - Playa Ancón: essa eu não fui, mas as meninas disseram que é linda! Dá pra ir de ônibus (1 CUC) ou alugar uma bicicleta (3 CUC pelo dia, na Cubatur) e ir pelo caminho de aproximadamente 15 km, com outras praias no caminho. Elas foram de bicicleta e acabaram levando bastante tempo por causa das paradas e do cansaço com um sol escaldante na cabeça, mas elas disseram que vale a pena. - Parque El Cubano: fechamos um táxi(sempre peça ajuda para a dona da casa), não anotei quanto foi, mas diria que foi uns 20 CUC. A entrada no parque custa 9 CUC e após uma trilha de 45 min a 1 hora, você chega a uma cachoeira! Ela é bem grande e forte, difícil de chegar na queda, mas com um bom poço para mergulhar. - Centro Histórico: as ruas são todas de pedra, com um ar colonial. As cores das casas são lindas e a temperatura mais agradável que no resto de Cuba. Tem a Plaza Mayor como ponto de referência. Não tem muito o que ver, mas simplesmente caminhar pelas ruas de Trinidad é um bom passeio! O problema é que é uma cidade muito turística e com poucas alternativas aos restaurantes para “gringo” e por isso são caros! Gastamos por refeição lá uma média de 8 a 10 CUC(caro para o que vínhamos pagando). - Casa de La Musica: restaurante no meio de uma escadaria com música ao vivo! O ambiente é uma delícia, mas é caro e as por Bem turistão mesmo. O atendimento foi ruim também... Mas, depois de um almo-janta, tomamos drinks e ficamos lá até o início da noite, quando eles começam a cobrar 1 CUC para entrada no show. A minha dica é ir lá para o show ou então para um drink depois de almoçar em outro lugar, pois o ambiente vale a pena, mas não a comida. SANTA CLARA - O horário do ônibus de Trinidad para Santa Clara era diferente do que anotamos para o planejamento dos dias. Era pra ter um pela manhã, mas quando fomos só tinha uma saída diária, sempre às 15h. Chegamos por volta de 18h30 embaixo de chuva e perdemos o último dia da Giulia com a gente na viagem por culpa da Viazul. - Hospedagem na casa da Soledad (Calle Alemán, 83). Opinião sobre a casa: ela e o filho são duas pessoas muito simpáticas e que estão sempre dispostos a ajudar com indicação de restaurantes e o que fazer na cidade. Ele, cavalheiro que era, inclusive nos acompanhou à noite até o restaurante, o La Casona Guevara(http://www.tripadvisor.com.br/Restaurant_Review-g671534-d2232473-Reviews-La_Casona_Guevara-Santa_Clara_Villa_Clara_Province_Cuba.html). A comida é ótima, conseguimos desconto e dividimos 2 pratos por 3, então saiu super em conta. O destaque, porém, é a música ao vivo e a banda que era super interativa. No final do jantar, ganhamos aula de salsa de graça com os músicos da banda. Teoricamente iríamos ensiná-los a dançar samba também, mas não deu muito certo, hahaha! - A casa fica pertinho do centro e a noite em Santa Clara é animada, pois é conhecida por ser uma cidade universitária e tem realmente muitos jovens na cidade. De noite, eles se reúnem na praça central da cidade para beber e conversar. Ao redor da praça tem bares e “boates”, mas tudo fecha mais ou menos cedo, mesmo aos sábados. De qualquer maneira, o clima é bem tranquilo, nós gostamos! Foi a última noite de nós 3 juntas :'( - O Mausoléu do Che é a grande atração da cidade. Se o tempo estiver curto e você fizer questão de conhecer, deixe apenas um dia para Santa Clara sem peso na consciência. Fomos a pé da casa e aproveitamos para conhecer a cidade, mas era um pouco longe(obs: é perto da rodoviária, então tem gente que deixa as coisas no guarda-malas do terminal, vai no memorial, volta e já parte para outra cidade!). Lá tem a estátua do Che, com vários escritos bonitos e o memorial para os outros combatentes resgatados na Bolívia em 1967. Mas o que eu mais gostei foi um pequeno museu que conta a história do Che. Além do ar-condicionado(<3), tinha um acervo bem interessante de fotos e artigos pessoais. - Como nosso ônibus para Baracoa só saía de noite e não compramos assim que chegamos(dica: compre), além desse dia ainda tivemos outro inteiro e realmente não tem muito o que fazer lá. Fomos na estátua Che y Niño e no Monumento do trem descarrilado, mas estava fechado.. BARACOA (fotos de Baracoa alguns posts abaixo) - Antes de tudo, quero dizer que esse lugar está em pouquíssimos roteiros de viagem para Cuba. Sim, é longe. Sim, é meio fora de mão. Mas é um lugar MÁGICO! Para chegar, pegamos um ônibus de Santa Clara até Santiago(33 CUC) e depois de Santiago para Baracoa(10 CUCs, 5 horas). Já adianto que todas as horas de viagem mal-dormidas e os CUCs gastos valeram MUITO a pena, pois esse foi o nosso lugar preferido da viagem(sorry, Giulia!). - Hospedagem: Edda & Alexis. Endereço: Flor Crombet, 115, entre Frank País e Maravi. Opinião sobre a casa: o quarto é em cima e tem bastante privacidade, um terraço agradável, frigobar, cama de casal e de solteiro, banheiro, ar, etc... O café da manhã era bom e as refeições também(negociamos preço e ainda dividimos prato). O dono da casa nos ajudou bastante a organizar nossos dias em Baracoa e a casa era perto de tudo. Tudo bem que a cidade é muito pequenininha, então realmente é difícil ficar numa casa mal-localizada. - Playa Caribe: é a praia principal, que pega quase a cidade inteira. Tem uma parte que a areia é bem suja, mas fomos andando até mais ou menos a altura do estádio. Sim, tem um estádio de futebol meio abandonado no meio da praia, hahaha, coisas de Cuba. - Parque Natural Majayara: mais ou menos na altura do estádio, começa o caminho para chegar no Parque. Eu não sei explicar muito bem como chegar, porque contamos com a ajuda do Josué, um vendedor de artesanato que trabalha no parque e também tava indo pra lá, mas tem as explicações no guia do Lonely Planet. Lá dentro, tem a Playa Blanca, pequenininha e deserta, ótima pra nadar e boiar tranquilamente. Na entrada, pergunte sobre o tour pelo Balcão Arqueológico e Cuevas de Agua. Você vai passar por plantações de cacau, um balcão arqueológico que tem uma vista absurda e parar pra se refrescar com um banho num lago subterrâneo de águas cristalinas! -Playa Maguana: mais uma praia caribenha de areias brancas. Fomos de táxi (25 CUC o dia todo) e passamos um dia de mordomia. A praia é bem tranquila, almoçamos lá mesmo. Não tem nada de especial nessa praia, mas na região de Baracoa é uma das que mais nos recomendaram. - Parque El Yunque: fechamos um táxi de novo(20 CUC pelo dia) e mais 8 CUC pela entrada com guia. Enfim, lá no Yunque tem duas trilhas, a mais pesada, que dura mais de 5h até o topo da montanha e uma mais leve, que deve ter 1h, até os rios e cachoeiras. Escolhemos a segunda porque já estávamos mortas de cansaço e queríamos relaxar. Lá é muito lindo, ficamos um bom tempo nadando e relaxando nas pedras. - Passeio de bote no Rio Tôa: aproveitamos o táxi e paramos no Tôa, que é tipo um rancho. Tem plantações e eu vi também uns quartos que eles alugam para turistas(para quem gosta de hospedagem em lugares inusitados, acho válida uma pesquisa). O passeio de bote custa 3 CUC por pessoa ao longo de todo o rio. Não estávamos levando muita fé no passeio, mas acabou sendo um dos melhores da viagem. Marina que o diga, que dispensou o bote e fez quase todo o caminho nadando, hahaha. - Centro de Cultura Yorubá: fica bem no centrinho e é um centro todo mantido pelo Estado, ou seja, é de graça. Como Baracoa está no extremo oriente de Cuba, acaba recebendo maiores influências do Haiti e da Jamaica, então a cultura negra lá é bem forte. Assistimos uma apresentação a convite do nosso amigo que fez um dread na Marina, hahaha. Não tem relação com religião, é música e dança. Eu achei a apresentação muito bonita e emocionante, vale a pena. - Mirante do Hotel El Castillo: dá pra ver a cidade inteira. Lindo! SANTIAGO - Voltamos de Baracoa e passamos 1 dia e meio em Santiago, até para descansar da viagem. Nada do que lemos nos deixou muito animada, mas era a rota. Não achei o endereço da casa que a gente ficou, mas era bem ruim de qualquer jeito, haha. Santiago é outra grande cidade, como Havana, mas não tem o mesmo clima pitoresco. Nós nos sentimos um pouco inseguras lá, até porque a iluminação é ruim e tem um clima de gangue hahaha. Mas logo vimos que não tinha motivo pra preocupação, aliás, em lugar nenhum de Cuba. - Restaurante La Juliana, endereço: calle Padre Pico, 359, entre São Basílio e Santa Lucia. A comida tava uma delícia e, novidade, negociamos o preço! Dois meninos nos levaram lá e eles ganham comissão por isso. Isso é comum e normalmente são honestos e falam como é o esquema, então se você quiser comer no restaurante indicado, ótimo, se não eles podem te levar em outro que te agrade e também vão ganhar algo por isso. Não vemos nada de ruim nisso, pelo contrário. - Livraria La Escalera: Calle Heredia, 265. A pérola de Santiago! Entramos despretensiosamente nesse pequeno sebo e só saímos de lá quase 3 horas depois, com muitas histórias do senhor Conrado, que viveu antes da revolução e é extremamente culto e politizado, além de muito simpático. No alto da escada, músicos se reúnem à noite e as pessoas se amontoam na escada para ouvi-los. Infelizmente não tivemos a oportunidade de assistir uma apresentação, mas o sebo é imperdível pelo acervo mas principalmente pelo sr Conrado. - Museu Quartel Moncada(2 CUC) O alvo do primeiro ataque da Revolução Cubana é hoje um museu que conta a história da primeira fase da Revolução e ainda conserva os buracos das balas na entrada(Batista cobriu e o Fidel mandou tirar a cobertura depois que assumiu o poder). Nós gostamos! É mais organizado que o museu da Revolução de Havana, haha. VIÑALES Voltamos de Santiago para Havana no ônibus noturno(51 CUC, facada!) e da rodoviária mesmo fomos pra Viñales, a outra ponta, por mais 12 CUC. Ficamos hospedadas na casa da Tita, endereço: Calle Salvador Cisnero Interior, 9. Desde que ficamos em 2, estávamos pagando 15 CUC pelo quarto, mas em Viñales conseguimos por 10 CUC. A casa é boa e todos são simpáticos. O quarto é enorme! Só tínhamos um dia e escolhemos ir numa cachoeira, mas demos azar e como tinha chovido nos últimos dias tava tudo marrom. Já estávamos bem cansadas da viagem e a Marina tava passando mal, então Viñales acabou sendo um pouco dispensável pra gente. A paisagem da cidade é linda e todo mundo fala bem, mas realmente não tivemos sorte. A VOLTA Voltamos para Havana e passamos mais uma noite na Casa da Ania. Conhecemos pessoas que estavam começando a viagem e passamos todas essas dicas para eles, assim como nos foram passadas muitas. Esse é o espírito, e por isso fiz questão de escrever esse relato, já que foram os relatos daqui que nos inspiraram e ajudaram a tornar tudo isso realidade. <3 Qualquer dúvida adicional, pode falar comigo por e-mail [email protected] (mais rápido) ou comentando aqui no post. Também vou adorar saber como foi a sua viagem e se o meu relato foi útil pra você de alguma forma! Meu relato Cuba.doc
×