Ir para conteúdo

Pesquisar na Comunidade

Mostrando resultados para as tags ''lagos de plitvice''.



Mais opções de pesquisa

  • Pesquisar por Tags

    Digite tags separadas por vírgulas
  • Pesquisar por Autor

Tipo de Conteúdo


Mochileiros.com

  • Relatos de Viagem
    • Relatos de Viagem
  • Perguntas e Respostas
    • Perguntas Rápidas
    • Perguntas e Respostas & Roteiros
  • Companhia para Viajar
  • Trilhas e Travessias
  • Equipamentos
  • Nomadismo e Mochilão roots
  • Volta ao Mundo e RTW
  • Outras Formas de Viajar
  • Outros Fóruns

Encontrar resultados em...

Encontrar resultados que...


Data de Criação

  • Início

    FIM


Data de Atualização

  • Início

    FIM


Filtrar pelo número de...

Data de Registro

  • Início

    FIM


Grupo


Sobre mim


Ocupação


Próximo Destino

Encontrado 2 registros

  1. 📷 Texto original com fotos aqui: http://www.queroirla.com.br/viagem-pela-croacia/ Com paisagens paradisíacas, baladas famosas e cidades históricas a um custo relativamente baixo, a multifacetada Croácia, de onde vieram os dálmatas e as gravatas, vem cada vez mais chamando a atenção do Brasil e do mundo! O país, que faz parte da região dos balcãs, dividia até pouco tempo atrás espaço com Eslovênia, Sérvia, Bósnia e Herzegovina, Macedônia e Montenegro sob o nome de Iugoslávia. A Croácia se tornou independente em 1991, mas as guerras por territórios ainda se estenderam por mais alguns anos, deixando marcas até hoje visíveis nas fachadas das casas de seus habitantes. A Croácia foi incorporada a União Européia em 2013, se tornando o 28º membro do bloco. O país ainda não aderiu ao euro, a moeda oficial continua sendo o Kuna croata e os valores praticados são em geral mais baratos do que outros países da Europa. O idioma oficial é o croata, mas a língua não chega a ser um problema para os turistas. Embora a maioria das palavras seja impronunciável, muitos locais falam inglês, ou se esforçam para serem entendidos de alguma outra maneira, já que são um povo simpático e acolhedor. Gastronomicamente falando, a Croácia é um deleite! Uma cozinha mediterrânea com particularidades em cada região e forte influência italiana, como nas deliciosas pizzas! Pratos com carne de porco são comuns em muitos restaurantes, além é claro de peixes e frutos do mar na região costeira. Para os vegetarianos também não faltam opções, queijo, cogumelos e trufas, por exemplo, são estrelas em algumas receitas! A cerveja e vinho nacional não deixam nada a desejar. Nos dias de calor é prática comum beber vinho branco misturado com água gaseificada naturalmente. Parece estranho, mas é bom! Ao incluir a Croácia no roteiro, muita gente se limita a conhecer Dubrovnik, a chamada Pérola do Adriático, e Split, de onde saem barcos para as paradisíacas ilhas. Mas se o interesse não for apenas as famosas baladas, a Croácia tem muito mais a oferecer! Uma boa maneira de desbravar um pouco mais a fundo esse pedaço tão fantástico do globo é alugando um carro. Pode não ser a opção mais barata, mas além da liberdade, as paisagens nas estradas são motivos bem convincentes para optar por esse meio de transporte entre as cidades. Arquitetura e história na capital Zagreb A capital Zagreb é um pouco contrastante, enquanto na região mais turística segue um padrão bem típico de cidade histórica européia, em suas regiões mais periféricas a arquitetura comunista é bastante presente. Embora não seja muito agradável aos olhos, esses prédios remetem a um período que alguns croatas viam com bons olhos, sendo que o líder da época, Marechal Tito é ainda uma figura bastante popular. A cidade é dividida entre a parte alta e baixa e é perfeitamente possível conhecer a maior parte das atrações a pé. Entre os destaques da chamada Cidade Alta, está a Igreja de São Marcos, famosa por seu telhado de mosaicos, o curioso Museu das relações partidas, com objetos que contam inusitadas histórias o sobre fim de relacionamentos amorosos, e a Torre Lotrščak, construção medieval de onde todos os dias ao meio dia estoura-se um tiro de canhão. Ainda nesse lado da cidade, fica a Catedral da Assunção da Virgem Maria, a Porta de Pedra, passagem medieval que foi transformada em local de orações e agradecimentos e a Tkalčićeva, uma agradável rua de pedestres com bares e restaurantes. Na parte baixa da cidade ficam o Mercado Dolac, colorido conjunto de bancas com alimentos, flores e artesanato e a principal praça de Zagreb. O cemitério de Mirogoj é um pouco mais afastado, mas vale a visita pela arquitetura da entrada. Há poucos quilômetros de carro ainda é possível conhecer fantásticos castelos medievais e pequenas vilas que nos transportam ao passado. Uma das maiores preciosidade da Croácia é o Parque Nacional de Lagos de Plitvice, um surreal conjunto de lagos em tons de azul e verde ligados por cascatas. Há algumas opções de trilhas porém é preciso ter cuidado, as placas não são muito informativas e há uma grande possibilidade de se ver perdido em meio às florestas e passarelas sobre as águas. É Possível se hospedar dentro do parque ou apenas fazer uma day-trip partindo de Zagreb, o impossível é deixar de passar por esse lugar tão fantástico que se tornou inclusive patrimônio da UNESCO! Paisagens paradisíacas pela costa da Croácia Já na costa da Dalmácia, mais ao sul do território croata, fica a pequena Split. A parte turística da cidade concentra-se dentro do Palácio do imperador romano Diocleciano, que é a atração principal junto com a procura pelos passeios às ilhas. Por ter estado sob domínio veneziano durante 377 anos, a arquitetura nessa região é fortemente influenciada pelo estilo italiano. Subir na torre da Catedral de São Domnius para apreciar a vista, passear pelo calçadão e se perder pelas muitas ruelas de pedras brancas são alguns dos meios de conhecer essa charmosa cidade. Assim como Split, Dubrovnik é parada certa de quem vai à Croácia. A cidade, que já foi cenário da série Game of Thrones, sofreu num passado recente com conflitos violentos, mas hoje o que se vê é só beleza e história. A old town é cercada pela muralha conservada do período medieval, de onde se vê o impressionante azul do mar adriático! As ruas dessa pequena cidade são um convite para passar algumas horas agradáveis, parando para uma refeição, um drink ou um sorvete em alguma das muitas vielas com ares italianos. Os passeios de barco até as ilhas são muito procurados. A Ilha de Lokrum é uma das mais próximas e uma ótima opção para passar o dia rodeado por pavões, os simpáticos habitantes locais. O país ainda guarda alguns segredos como as paradisíacas praias de pedra de Brela e Baska Voda, um órgão marítimo que emite sons com o movimento das ondas do mar, pontes para ursos e outras curiosidades interessantes! E com essa diversidade cultural e histórica e exuberantes belezas naturais, a Croácia começa a ser descoberta como um dos países mais incríveis do Leste Europeu! Sugestão de roteiro pela Croácia Nosso roteiro de 7 dias de carro pela Croácia começou por Zagreb e acabou em Dubrovnik. As distâncias são curtas e as estradas são boas, com vistas espetaculares da costa. Para fazer o último trecho é preciso passar pela fronteira com a Bósnia. A carta de motorista brasileira é aceita no país. Se a ideia é contratar uma agência para ajudar na viagem, recomendo muito a Kamauf Tours, da simpática Marilia do blog Uma brasileira na Croácia. Dia 1 – Zagreb Dia 2 – Zagreb Dia 3 – Zagreb (Bate volta ao Parque Nacional dos Lagos de Plitvice) Dia 4 – Split (Parada em Zadar para conhecer o órgão marítimo) Dia 5 – Brela e Baska Voda Sugestão de hospedagem em Baska Voda: House Bilic Dia 6 – Dubrovnik Dia 7 – Dubrovnik (Bate volta a ilha de Lockrum) Sugestão de hospedagem em Dubrovnik: Hotel Vis 📷 Texto original com fotos aqui: http://www.queroirla.com.br/viagem-pela-croacia/
  2. 📷 Clique aqui para ler o texto original com fotos. Sabe aquelas listas de “Lugares para conhecer antes de morrer”? Bom, esse é um deles! Estávamos em Zagreb (capital da Croácia) e o planejado era passar o dia no Parque Nacional dos Lagos de Plitvice. Pesquisei bastante antes de ir, uns diziam que o melhor era ficar hospedado lá por uma noite pra conseguir ver tudo, outros defendiam que um bate-volta era suficiente, ficamos com a segunda opção. Suficiente não foi, pois não chegamos a ver tudo (o lugar é enorme!), mas acho que foi realmente a melhor opção. De carro o trajeto dura aproximadamente 1:30. Acordamos bem cedo, passamos em um café perto do hotel (onde descobri que “jabuka” é maçã em croata rsrsrs) e partimos pra estrada. No caminho é possível ver marcas de balas em muitas das casas que ainda não foram reformadas, os croatas preferem investir primeiro na parte de dentro das casas (especialmente com sistemas de aquecimento), por isso é normal que muitas delas por fora estejam inacabadas mas por dentro sejam maravilhosas. Em uma determinada parte da estrada fica o museu a céu aberto da guerra (independência da Croácia, de 1991 a 1995), uma grande área com casas completamente destruídas, aviões e tanques de guerra. Um lugar tenso, que realmente impressiona, vale a pena parar alguns minutos por lá. Ao chegar na região do parque, há uma enorme placa onde você pode escolher entre algumas opções de trilhas de acordo com o tempo que pretende ficar e a dificuldade da trilha, escolhemos a nossa e depois de alguns minutos de caminhada já estávamos perdidos! A ideia das trilhas é ótima, mas faltam placas e as que tem são um pouco confusas (essa da foto por exemplo), então acabamos indo aleatoriamente, o que não foi nenhum problema, pois conseguimos ver grande parte das coisas. Ah, apesar do croata ser uma língua incompreensível pra nós, lá quase todos falam inglês, eles estão em uma crescente no turismo então donos de lojas, funcionários de museus, parques, restaurantes etc realmente se esforçam para atender bem os turistas. Nosso primeiro contato visual foi nada menos que este ai! Ou seja, já nesse momento deu pra entender o motivo do parque ser patrimônio nacional da UNESCO. E vale avisar que as fotos não conseguem captar nem metade das cores e tons perfeitos deste lugar. Confesso que fiquei meio medrosa andando nas estreitas passarelas, mas ai passavam grupos e mais grupos de velhinhos andando tranquilamente, muito mais rápido que eu… tive que fingir que estava tudo tranquilo né?! Rsrsrs É o tipo de lugar que pede calma e contemplação, cada passo dado é uma nova paisagem, entre águas de um azul indescritível, bosques de árvores multicoloridas, calmas piscinas naturais, cavernas, paredões e pequenas cachoeiras, um dos pontos altos do parque é a grande queda, uma enorme cascata onde se concentram muitas das pessoas espalhadas pelas diferentes trilhas. Tudo estava realmente maravilhoso, mas o tempo começou a virar (fomos em abril, estava um sol delicioso mas, bem frio!), decidimos pegar um dos barquinhos de travessia para conhecer o outro lado, ali as coisas já eram mais “selvagens”, estava muito mais vazio, começava a chover e ficar escuro, estávamos perdidos de novo e começava a bater um leve desespero. Nesse momento eu só pensava no que um croata havia nos dito no dia anterior; se vocês virem um urso, corram para baixo pois eles tem as patas da frente mais curtas e vão rolar caso tentem ir nesta direção. =0 Sim, porque havia a real possibilidade de existirem ursos soltos no local! (Rara, mas havia) Tem um ponto no parque onde se pode observar-los (de longe), mas acabamos não tendo tempo de ir lá. Ah, ainda uma última coisa sobre eles, em croata, a tradução para “Urso” é “Medo”… propício não? Bom, depois de pouco mais de 3 horas chegamos ao fim do passeio, pegamos o barquinho de volta para o local do estacionamento e saímos de lá com a certeza de termos conhecido um dos lugares mais incríveis do planeta Terra! Ainda na Cróacia, estivemos também em Zagreb, Split, Baska Voda e Dubrovnik, é tanta coisa maravilhosa que não dá pra falar tudo de uma vez só, mas quero já neste primeiro relato agradecer a Marília, do blog Uma brasileira na Croácia, nos encontramos com ela e seu marido em Zagreb e posso dizer que sem eles a viagem não teria sido a mesma coisa! Algumas informações úteis: Site do parque: http://www.np-plitvicka-jezera.hr Moeda: Kuna | 1,00 BRL = 2,43 HRK Preços: Variam muito de acordo com a idade e época do ano, mas no site tem tudo detalhado. Horários: O parque abre diariamente das 07:00 às 20:00 (mas os estacionamentos e os transfers de barcos tem outros horários) Leve um lanche e água pois não há muitos pontos de venda por lá, e sinceramente, acho que nem vale a pena perder tempo com isso, levamos um sanduíche que comemos contemplando as águas azuis. 😃 📷 Clique aqui para ler o texto original com fotos.
×
×
  • Criar Novo...