Ir para conteúdo

Pesquisar na Comunidade

Mostrando resultados para as tags ''termas geométricas''.



Mais opções de pesquisa

  • Pesquisar por Tags

    Digite tags separadas por vírgulas
  • Pesquisar por Autor

Tipo de Conteúdo


Mochileiros.com

  • Perguntas e Respostas
    • Perguntas Rápidas
    • Perguntas e Respostas & Roteiros
  • Relatos de Viagem
    • Relatos de Viagem
  • Companhia para Viajar
  • Equipamentos
  • Trilhas e Travessias
  • Nomadismo e Mochilão roots
  • Outras Formas de Viajar
  • Outros Fóruns

Encontrar resultados em...

Encontrar resultados que...


Data de Criação

  • Início

    FIM


Data de Atualização

  • Início

    FIM


Filtrar pelo número de...

Data de Registro

  • Início

    FIM


Grupo


Sobre mim


Ocupação


Próximo Destino

Encontrado 3 registros

  1. Pucón Me chamo Dominique e queria compartilhar um pouco sobre a cidade de Púcon! Quando falo sobre Pucón para as pessoas, a grande maioria desconhece esse destino! Em um primeiro momento, a cidade pode ser um pouco desvalorizada pelos turistas. Acredito que por não ser tão grande e não ter tanto destaque na internet, ela acaba ficando em segunda opção, mas aqui está a dica de quem já foi duas vezes para lá e pretende voltar em breve: Só vai! Localizada a 780km para baixo de Santiago, Pucón reserva muitos encantos naturais. De um modo, até grosseiro, posso dizer que seria como a Campos de Jordão para São Paulo. Vulcão Villarica A maior referência que posso dar da cidade é que ela fica as margens do Vulcão Villarica. Está situado na cordilheira dos Andes e ainda esta ativo! Sua última erupção foi em 03 de Março de 2015. Erupção: Sempre foi possível realizar um trekking ao topo do vulcão, dependendo das condições climáticas é possível ver a lava!porém desde a última erupção as regras estão mais rígidas e também esta mais caro. Durante o inverno o vulcão se transforma em uma estação de ski, com vários níveis de descida! Tem teleférico e tudo. Vista do Villarica da cidade - Sim, aquilo lá na pontinha é fumaça de lava, não é nuvem (Foto de Maio de 2016) Skiando no Villarica no inverno. Ao menos tentando né meu povo rs (Foto de Julho de 2014) Qual época visitar Púcon? A maioria esmagadora prefere visitar Pucón no verão! Nessa época você poderá curtir as "praias" formadas pelos grandes lagos, cachoeiras, um milhão de opções de trekkings, acampar, rapel, escalada, rafiting e também aproveitar os bares, restaurantes e lojas de sorvete! Ao contrário dessa idéia as duas vezes que fui a Púcon foram em épocas frias. Uma no Outono, outra no inverno e da mesma forma consegui curtir demais! A cidade fica mais tranquila do que no verão, curtimos muitos trekkings (passando um pouco de frio), fizemos ascensão a um dos vulcões, curtimos os lagos da areia mesmo, muito vinho e churrasco. Melhor, parrilla. Nossa próxima ida será no verão para poder fazer as comparações. De qualquer forma, não posso brigar com a maior parte das pessoas e até mesmo os locais que conhecemos, o verão em Pucón é maravilhoso, a temperatura pode chegar na casa dos 35o. C. Top passeios A cidade é lotada de agências de turismo para se fechar os passeios. Não precisa se preocupar em como fazer o passeio x ou y, é muito fácil de se encontrar por lá! 1. Vulcão Villarica Esta aqui um passeio a ser feito. Ir até o vulcão! Se não gostar do trekking, que é puxado até o topo, pelo menos 8 horas andando, vá conhecer a região, curtir o teleférico, a paisagem! Se for no inverno, não deixe de skiar no vulcão! É uma delícia. 2. Termas geométricas Essa é uma das várias termas em Púcon que vale a pena visitar! De todas ela é a mais "chique" e também a mais cara. O lugar é surreal, o local é todo arquiteturado destacando a natureza ao redor. Existem diversas termas, cada uma com uma temperatura diferente, chegando até muitos graus rs. Você também encontra 2 cachoeiras geladíssiiiiimas, para cortar a vibe do calor. No final, coma algumas empanadas e tome uma cerveja no restaurante local! SMLXL 3. Curtir os lagos Como fui em época fria, nem passou pela minha cabeça entrar no lago rs. Os lagos são maravilhosos, vale a pena levar um livro, escutar a natureza, passar um tempo conversando! SMLXL SMLXL SMLXL 4. Termas Los Pozones As termas pozones tem uma pegada diferente comparando as geométricas. Elas são mais naturais, as estruturas são mais básicas e ela fica em um caminho um pouco mais chato de se acessar. Acho que vale a pena conhecer por conta da diferença entre ambientes. Parece uma vila Hobbit rs SMLXL SMLXL SMLXL 5. Fazer trilhas - Parque Huerquehue Esse parque é maravilhoso! Não pegamos um dia tão bonito, e para economizar pegamos carona para chegar lá rs, inclusive foram 2 suécos que nos ajudaram, qual a chance? rsrs Mas, tem como agendar um transporte pelas agências e existem 2 onibus que saem em horários marcados para o parque! Lá você pode fazer uma trilha desde 2 horas de duração até 12 horas de sobe e desce! É maravilhoso! SMLXL SMLXL SMLXL SMLXL 6. Vulcão Quetrupillan Vamos lá! A cidade conta com 3 principais vulcões. Um ativo, que é o Villarica e outros dois, o Lanin (3.747m) e o Quetrupillan (2.360m). Eu adoro montanha, inclusive tenho alguns projetos de ascensões. Ao invés de subir o Vilarica, decidimos subir o Quetrupillan. É uma caminhada intensa, saimos as 4 da manhã e voltamos as 17hrs. Valeu cada segundo. Esse vulcão, há milhares de anos teve uma erupção tão forte que o topo dele partiu no meio. Então ele não tem aquele formato típico. O mais interessante é que de á podemos ver perfeitamente o Vilarica soltando fumaça! SMLXL SMLXL Vilarica soltando um fumace SMLXL Vilarica ao fundo SMLXL Lanin ao fundo SMLXL SMLXL SMLXL 7. Visitar os Mapuche Os Mapuche são os índios, os regionais, dessa região da Patagonia! É arrepiante a vibe deles. Todas as histórias por trás da cidade e da Patagonia em si! Fizemos um passeio a cavalo junto aos Mapuche, depois fizemos uma refeição junto a eles, com comidas típicas e caseiras! Foi um dos pontos altos! SMLXL SMLXL 8. Passeios de Água Não tivemos a oportunidade. Na realidade no inverno esses passeios também rolam, mas o frio, é insuportável rs. Mas, você poderá econtrar passeios de Rafiting, Rapel e Cachoeiras locais. 9. Bares e restaurantes Como toda boa cidade, não faltam restaurantes e bares! No verão acontecem muitas festas pela rua principal. Uma infinadade de restaurantes estão sempre à disposição para uma boa refeição. Mas, cuidado, não espere gastar pouco. A maioria esmagadora de bares e restaurantes tem seu luxo e um precinho não tão camarada. SMLXL
  2. Meu nome é Gabriel Takahashi e decidi viajar, pois não estava muito feliz com a vida que eu estava levando. Depois de um tempo relutando com este sentimento de infelicidade, resolvi que era hora de tomar um novo rumo. Decidi fazer Chile e Peru por serem países próximos do Brasil, então custo mais baixo, e ao mesmo tempo muito diferentes. Então precisei largar minha empresa e deixei minha esposa em SP para começar esta pequena aventura. Comprei minha passagem com 3 meses de antecedência e paguei em torno de R$ 1.500,00. Todos os valores que vou descrever no relato são valores aproximados ou bem próximos da realidade. Tenho muita vontade de realizar o trekking Torres del Paine no Sul do Chile, porém não consegui realizar este sonho neste momento, pois para realizar este trekking no inverno é necessário um guia, e como eu estava viajando sozinho eu teria que esperar na cidade até juntar um grupo ou fazer o trekking com um guia privativo. Este trekking privativo iria custar em torno de $ 1.000,00, ou seja, deixa para próxima. Como não foi possível conseguir começar em Puerto Natales, resolvi começar em Puerto Varas. Dia 01 No momento da compra do ticket, eles informam os "Andes", não me lembro o nome, são as plataformas onde o transporte vai estar. Porém eles não informam o local exato e sim um conjunto deles, porém todos ficam bem próximos, então é só ir perguntando e pronto. Ah, antes que eu me esqueça, eu levei dólar e troquei próximo a rodoviária. Não é o melhor lugar mas achei uma cotação boa. Neste dia gastei com alimentação em torno de 35 reais, almoço e janta.
  3. Roteiro Olá pessoal! Nesse tópico vou falar especificamente de Pucón e Puerto Varas, mas meu roteiro completo foi esse: 29.03: Voo de São Paulo para Santiago (chegada no dia 30) 30.03: Santiago 31.03: Voo de Santiago para Calama, e de lá, ônibus para São Pedro do Atacama 01.04: São Pedro do Atacama 02.04: São Pedro do Atacama 03.04: São Pedro do Atacama 04.04: São Pedro do Atacama 05.04: Voo de Calama para Santiago, à noite ônibus para Pucon 06.04: Pucón 07.04: Pucón 08.04: Pucón 09.04: Ônibus de Pucón para Puerto Varas 10.04: Puerto Varas 11.04: Puerto Varas 12.04: Puerto Varas 13.04: Puerto Varas, à noite ônibus para Santiago 14.04: Santiago 15.04: Voo de Santiago para São Paulo Companhias aéreas: - LATAM para para o trecho Sp Santiago (R$950 por pessoa) Seguro Viagem: Mondial Assistance (R$ 188 por pessoa) R$273 foi a média diária de gastos por pessoa (tirando passagens aéreas e seguro viagem) Sobre o roteiro: postei as informações sobre o Deserto do Atacama em outro tópico http://www.mochileiros.com/deserto-do-atacama-abril-2017-t143110.html Pucón Como chegar Fomos de Santiago a Pucón de ônibus, pela empresa Pullman. Não consegui comprar as passagens pelo site antes, então quando chegamos em Santiago tivemos que ir até a rodoviária (fica na estação de metrô Universidade de Santiago). Custou 16.000 pesos por pessoa (aproximadamente R$80,00), leito (o mais confortável, a outra opção era semi-leito). Compramos com uma semana de antecedência. A viagem em si foi ótima, o ônibus era muito confortável, a poltrona deita mesmo, tem cobertor, deram lanchinho, nada a reclamar. Saímos às 21h45 e chegamos de manhã em Pucón, umas 8h. O mais difícil, sem dúvida, foi conseguir entrar no ônibus. Basicamente, a rodoviária de Santiago é uma loucura. E eu achava que já tinha visto a loucura total na Bolívia, que nada. Para começar, ela é enorme, aliás, tem ótima estrutura, muitos restaurantes, lojas, banheiros (pagos), parece um shopping. Mas tem muuuitas plataformas (que chamam andens) e eles não dizem que qual anden o seu ônibus vai estar, dão um intervalo, tipo “seu anden será entre o 10 e o 48”....kkk. Só que é insano, porque os ônibus chegam rápido, as pessoas entram rápido, e eles saem rápido, você tem que ficar MUITO esperto, perder é bem fácil. Ficamos andando feito loucos entre todos os andens que podiam ser, e olhávamos em uma tela tipo de aeroporto que mostra todos os andens e ônibus correspondentes. Só que o nosso atrasou um pouco, e aí ficamos que nem doidos, foi bem estressante. A dica é, fique muito ligado, porque qualquer distração e o ônibus se vai... A cidade A cidade é linda! Organizada, arquitetura alemã, com muito verde e do centro dá para ver o vulcão Villarrica. É bem turística. A avenida principal é a Bernardo O´Higgins. Curti bastante andar pela cidade, é legal andar na beira do lago, tem várias “praias” bonitas, ótimas para relaxar, pois fomos no outono e já estava friozinho. É fácil de andar à pé, bem tranquilo, e tem alguns trekkings que dá para fazer indo à pé do centro da cidade (não fizemos nenhum). No dia em que chegamos estava chovendo bastante, então não deu para fazer praticamente nada. Hospedagem Hostal Chilli Kiwi: esse hostel é o melhor! Muito bom! Para começar, é lindo, tem muito verde, a cozinha externa é o máximo. No primeiro dia ficamos no quarto de Hobbit, para casal. Esse foi nosso preferido! Muito acolhedor, é pequeno mas tem prateleiras, dá para colocar as coisas. A cama era muito confortável e tinha aquecedor. Depois dormirmos no quarto da cada da árvore, também incrível, o único porém é que ainda menor que o Hobbit, então as mochilas ficaram bem apertadas, era difícil de pegar as coisas, e para ir no banheiro tinha que descer a escada, mas fora isso, recomendo a experiência. Depois dormimos em um quarto coletivo de 6 pessoas, também foi bom, camas muito confortáveis. Os funcionários são ultra simpáticos, e falam inglês, e não espanhol. Aliás, esse hostel acolhe pessoas que falam inglês, não encontramos nenhum chileno lá. Às 10h30 todos os dias tem uma reunião em que eles explicam tudo o que tem para fazer na cidade. Escolhemos dois passeios que fizemos pelo Hostel mesmo, e não pelas agências do centro. O hostel tem duas cozinhas, então é tranquilo de cozinhar, algumas vezes fizemos janta lá para economizar, mas eles também oferecem janta por 5.000 pesos. Não tem café da manhã, mas é bem fácil ir no mercado e comprar as coisas. Nos mercados não dão sacolas plásticas, é necessário levar algumas.
×
×
  • Criar Novo...