Ir para conteúdo

Pesquisar na Comunidade

Mostrando resultados para as tags ''voltaaomundo''.



Mais opções de pesquisa

  • Pesquisar por Tags

    Digite tags separadas por vírgulas
  • Pesquisar por Autor

Tipo de Conteúdo


Mochileiros.com

  • Perguntas e Respostas
    • Perguntas e Respostas
    • Destinos: Perguntas e Respostas & Roteiros
  • Relatos de Viagem
    • Relatos de Viagem
  • Companhia para Viajar
  • Equipamentos
  • Trilhas e Travessias
  • Nomadismo e Mochilão roots
  • Outras Formas de Viajar
  • Outros Fóruns

Encontrar resultados em...

Encontrar resultados que...


Data de Criação

  • Início

    FIM


Data de Atualização

  • Início

    FIM


Filtrar pelo número de...

Data de Registro

  • Início

    FIM


Grupo


Sobre mim


Ocupação


Próximo Destino

Encontrado 2 registros

  1. PAI, um vilarejo hippie na Tailândia 🇹🇭. Não sei bem quando foi que descobrimos a existência de Pai, bem ao norte da Tailândia, a caminho de Myanmar. Mas a promessa de uma cidedezinha com uma vibe hippie nas montanhas chamou nossa atenção. Talvez por ter sido um importante polo na rota do ópio no passado, Pai tenha se tornado esse destino alternativo, que atrai os viajantes em busca de algo diferente do turismo de massa tão comum nas ilhas do sul, por exemplo. Apesar de não ser nenhuma reencarnação de Woodstock, ao chegar na cidade de 3 mil habitantes realmente a gente percebe o tal clima hippie: vários mochileiros de dread locks pelas ruas, cafés e restaurantes vegetarianos e veganos, estúdios de ioga, barzinhos de jazz, oficina de circo e uma penca de hostels e guesthouses pra acomodar os turistas, que vão aparecendo cada vez em maior número. Chegamos pra ficar 2 dias e ficamos 6, porque sim, nos contagiamos pela energia do lugar. Além de todo o apelo “paz e amor” da cidade em si, os arredores estão repletos de atividades em meio à natureza, com cachoeiras pra se refrescar do calor (e que calor!), águas termais pra passar uma tarde de puro relaxamento, uma caverna gigantesca com um rio subterrâneo, um cânion que oferece vistas estupendas do vale de montanhas e uma das maiores pontes de bambu do mundo sobre os verdejantes campos de arroz. Mesmo que nossa visita tenha sido numa das piores épocas do ano por causa das queimadas e do calor implacável, passamos dias sem compromisso ou mil atividades, fazendo o que dava na telha no momento. O mercado noturno é um capítulo à parte; são dezenas de banquinhas de artesanato colorido, arte local, roupas e bolsas estilosas e a maior gama de comidas de rua que vimos até então nessa viagem. As opções iam desde os pratos tradicionais como pad thai e arroz “grudento” com manga até outros bem ocidentais como lasanha, brusquetas, tacos e brownies. Há quem critique essa ocidentalização exacerbada, mas eu já acho que existe espaço pra todo mundo e quanto mais, melhor! Você não precisa ter dreads e vestir camiseta do Bob Marley pra aproveitar tudo o que Pai tem a oferecer; pode se aventurar de moto pela belíssima região, fazer trekking na natureza ou uma aula experimental de ioga ou Muay Thai, provar um café orgânico plantado no local ou uma kombucha e ajudar o planeta um pouquinho comendo as delícias veganas dos inúmeros restaurantes. Mas se você for carnívoro de alma, também não tem problema, porque se encontra facilmente ambas as versões, inclusive de frango (um dos nossos restaurantes favoritos fazia um “frango vegano” a base de cogumelos e vegetais que juro que tinha gosto de nuggets!). Aqueles em busca de uma experiência mais intensa, ainda podem tomar o shake de cogumelos que crescem no cocô de elefante que alguns bares alternativos oferecem. Enfim, foi uma semana pra relaxar e recarregar as energias. Pai não vai te decepcionar (geralmente pais nunca decepcionam né??).
  2. Olá a todos, sempre tive vontade de sair mundo afora, mas são tantos os riscos e dificuldades que se for analisar tudo friamente nunca vai acontecer, pensando nisso estou convocando a quem tem esse espirito livre e não quer viver toda sua vida controlado por regras, para se juntar comigo para formar um grupo de discussão a fim de criar regras para a formação de um grupo de viajantes permanentes. A ideia inicial resumidamente seria formar um grupo de ate 50 pessoas com seus meios próprios de locomoção e autossuficientes em ganhar a vida na estrada, ou seja, em cada parada conseguir dinheiro para bancar as despesas e seguir em frente, sem tempo predeterminado de viagem, ou seja se a ideia da auto suficiência der certo esse grupo sera permanente. Então as primeiras 10 pessoas que manifestarem interesse de participar, farão parte de uma especie de conselho permanente, que escolherão as regras de como vai funcionar tudo, fico no aguardo do seu contato, mochileiros, viajantes, aventureiros, andarilhos, enfim qualquer tipo de pessoa será bem vindo.
×
×
  • Criar Novo...