Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Leandro Monção

Relato de um mochilão Santiago/Mendoza/Buenos Aires 04/2008

Posts Recomendados

Galera, antes de viajarmos para o Chile e Argentina em abril de 2008 ( Santiago, Mendoza e Buenos Aires ) pegamos muitas dicas boas aqui no site! Portanto, prometi pra mim mesmo que, quando voltasse, compartilharia tudo que passei com vocês! Sendo assim, lá vão as nossas dicas de um mochilão, meio chique, mas muito divertido que fiz com minha amada esposa!!! Se quiserem fotos, é só me escrever!!!

Ah, em Santiago, se precisarem de táxi, liguem pro Andres Leyton que além de ser muuuuuiiiiiito gente boa, é pontual e não cobra, absolutamente nada a mais por isso!!! O tel dele é ( cel: 56-9-08-5095471/ res: 56-9-08-268-0350 ). Ligamos pra ele do Brasil e ele foi nos buscar no aeroporto ( o preço foi o mesmo que os taxistas do aeroporto cobram ).

Os preços descritos estão sempre em moeda local e por pessoa. Quando for em dolar, tem o cifrão correspondente antes US$, ok?!

Espero que aproveitem nossas dicas e boa viagem!!!!

Um grande abraço, Leandro e Diana

 

 

Dia 12/04

05:40h: Saída de casa rumo ao Hotel Bristol em Guarulhos. Deixamos o carro no hotel e seguimos de van até o aeroporto de Guarulhos ( RS 10 a diária com transfer grátis ). Reservamos lugar na van um dia antes. 13:00 Chegada em Santiago. Pegamos um táxi até o Hotel Principado de Asturias. Combinamos com o taxista, por telefone, do Brasil. (Andrez Leyton– telefone: - $ 15.000, os dois).

14:00 Deixamos a mala no quarto e seguimos para o Cerro San Cristóbal à pé (por volta de 10 minutos). É um dos lugares da cidade em que se tem a vista mais privilegiada. Paga-se na entrada. Sobe-se de trenzinho que eles chamam de funicular (opcional a parada no zoológico, mas paga-se por isso). A segunda parada é para ver a estátua da santa. De lá, pegamos o teleférico. A terceira parada é numa piscina pública e parque. A quarta parada é mais um pouco do parque. Todas as paradas possuem restaurantes ou lanchonetes. Voltamos o percuso todo – teleférico – trem. ($ 2.500 cada, incluindo teleférico + trem ida e volta ). 18:00 No caminho de volta do Hotel paramos no Pátio Bella Vista. É um lugar lindo cheio de restaurantes e lojinhas. À noite funciona como baladinha...tem até música ao vivo. Jantamos no BackStage. A comida é muito gostosa. Pedimos um sanduíche, uma massa e uma garrafa de vinho. ($ 13.000) 21:00 De volta ao hotel.

 

Dia 13/04

07:00 Acordamos e tomamos o café da manhã. Saímos à pé para a Plaza de Armas. É possível ir de metrô (basta seguir até a estação Plaza de Armas). O lugar, bem no centro da cidade, reúne quase todos os pontos de visitação turística da capital. Tribunal de Justiça, Catedral, Correios, Museu, Casa Colorada, Congresso...Compramos um cartão telefônico e ligamos para a vinícola Concha y Toro para reservarmos a visita no final da tarde ( é possível fazer pela internet tb!)

11:30 Pegamos o metrô ($ 380 cada ) rumo ao bairro da Providencia ( linha vermelha, sentido escuela militar ) onde ficam bares e restaurantes badalados. Ficamos na Estação Los leones. Percorremos a região à pé e vale muito a pena, pois o bairro é lindo. Ruas arborizadas, casas sem muros, praças, ... .Almoçamos no restaurante Lugano ($ 6.000). Passamos no supermercado para comprar água e chocolate. Tomamos um café no McDonalds ($600).

14:00 Pegamos o metrô na estação Tobalada ( linha 4, azul, sentido Puente alta ) até a estação Las Mercedes ( penúltima ), depois descobrimos que poderíamos ter descido na última mesmo. Saída pela Concha y Toro Ponientes. Pegamos um ônibus sentido Pirque ($ 400 cada). É preciso avisar o motorista que vamos descer na vinícola. A parada é na frente da vinícola!

15:20 Chegamos na Concha y Toro. Logo na entrada informamos o número da reserva (que haviam nos dado por telefone) e pagamos ($ 6.000 cada). Esperamos o nosso horário. O passeio dura cerca de uma hora e meia, com direito a três degustações de vinho, caminhada entre as videiras, visita aos tonéis de carvalho, taça de brinde, lojinha de souvenirs e muuuuitas fotos!

17:30 Saímos da vinícola percorrendo o sentido o contrário. Primeiro ônibus e depois o metrô. Fizemos baldeação na estação tobalada, onde pegamos a linha vermelha ( sentido San Pablo ) e descemos na estação Baquedano, que fica coladinha no hotel.

 

Dia 14/04

6:30h Acordamos cedo hj pra tentar reservar o passeio para o Valle Nevado, que não havíamos conseguido reservar ontem, por ser domingo. Conseguimos através do próprio hotel com a empresa turistour ( $23.000 cada ), contudo a saída foi só às 10:00h. Então aproveitamos pra ir no supermercado Lider que fica aqui próximo do hotel e compramos água ( $390 - 600ml ), refrigerante ( $600 - litro ), salgadinhos e algumas cervejas Escudo ( $380 cada lata ), que segundo o taxista Andrez é a melhor e mais popular daqui. Tentei comprar as grandes ( 1litro ) mas são retornáveis.

10:00 A van chegou no hotel pontualmente. Na van de 12 lugares, haviam australianos e alemães. Éramos os únicos brasileiros! O primeiro pitstop é num posto de gasolina para comprar água e doces ( a guia recomenda devido à altitude). O passeio é lindo! Conhecemos Valle Nevado, Los Farellones e La Parva. Em Valle Nevado, paramos para tomar uma cerveja ($ 2.500 a latinha!!!!) Tiramos fotos e seguimos. Mais um pitstop em Los Farellones para fotos. Seguimos até La Parva....e mais fotos. Na volta, nos levam a uma feirinha para comprar souvenirs.

16:00 A própria van nos deixou no Parque Arauco Mall. É o maior e mais bonito shopping da cidade. Possui uma praça de alimentação ao ar livre que é a coisa mais linda. Aproveitamos para trocar os cheques de viagem e jantar. Sentamos no Restaurante Ventana e pedimos uma massa, batatas fritas e bebidas ($ 7.300). De sobremesa, um maravilhoso sorvete de dulce de leche e chocolate na Gelateria Muinch ($ 1.350). Na volta, já muito cansados, resolvemos pegar um táxi ( $ 5.000 ). O motorista era uma piada! Coincidência ou não, o nome dele era Leandro! Falava pelos cotovelos.

19:00 Chegando ao hotel, ligamos para o Andres (aquele taxista que nos pegou no aeroporto) e marcamos o passeio para Valparaíso e Viña del Mar. Depois ligamos para a rodoviária para pedir informações sobre o ônibus para Mendoza.

598d9e0b7e3cb_PasseiodaCordilheira-2a.parada8.JPG.828a76b0c348fe297231dbeb58ba5bec.JPG

 

Dia 15/04 ( 4o dia )

07:30h Acordamos mais tarde pois havíamos marcado com Andres às 09:00h. Tomamos café e fizemos o check out pois iríamos direto para Mendoza. Andres Leyton chegou às 09:20h e se colocou a disposição para passar conosco no centro de Santiago para trocarmos mais Travel checks e ir no Terminal Terrapuerto Los Heroes para comprarmos a passagem para Mendoza. Fizemos câmbio na Exprinter ( bom câmbio comparado com as outras casas de câmbio da rua 1 dolar -> 432 pesos chilenos ) e depois compramos a passagem pela empresa Ahumada/Fênix internacional ( $10.000 pesos ou 23 dólares cada ) para Mendoza. Seguimos viagem rumo a Valparaíso e Viña del Mar. São cerca de 100km até chegarmos em Valparaíso. A estrada é perfeita!!! Tem um túnel com cerca de 3km de extensão! Em Valparaíso passamos pelo atual Congresso do Chile mas não podemos parar pois estava tendo uma manifestação bem na frente. Depois seguimos rumo a Plaza Sotomayor onde tem vários monumentos históricos como: Armada do Chile, Aduana, Corpo de bombeiros, estátua do Arturo Prat, ... Depois seguimos até um dos muitos elevadores que tem na cidade ( ascensores ) para subirmos até uma feirinha de coisas típicas e olharmos o porto de um mirador. O porto de Valparaíso é o mais importante do Chile. De lá fomos até a casa de Pablo Neruda que se chama La Sebastiana. Não entramos no Museo pois não estávamos com paciência! Batemos alguma fotos e fomos rumo a Viña del Mar. A cidade que fica praticamente encostada em Valparaíso é fantástica! Linda, limpa e segura. Andamos pela beira mar onde vimos muitos prédios e casas lindos. Paramos no relógio de flores para batermos fotos e seguimos rumo a praia da Reñaca, que é a mais chique de lá. Paramos para bater foto do mar e tocar na água do pacífico que, por sinal é muito, mas muito gelada!!! Tinha umas loucas pegando sol só de biquini com uma temperatura de cerca de 14 graus e um ventão!!! Depois fomos até a Quinta Vergara que é um parque fantástico. Tem árvores lindas, muitas flores e um anfiteatro muito bonito também. Batemos algumas fotos mais e fomos almoçar no restaurante Los compadres na beira mar. Pedimos duas empanadas de Camaron com queso, uma Reineta à Grille com arroz e ... . Para beber foi uma cerveza Cristal para mim e um Crush para o meu amor e outro para o Andres! O total da conta deu cerca de 14.000 pesos. De lá, voltamos para Santiago. No caminho paramos numa cidadezinha chamada Curacavi para compramos dulces chilenos por cerca de 500 pesos chilenos um pacote com 6 unidades. Chegamos ao Terminal perto de 7:00 da noite e ficamos numa lanchonete que fica no segundo andar pois havia internet lá. A dona, por coincidência já havia morado em Curitiba por 8 anos e quando descobriu que éramos brasileiros fez a maior festa. Foi super simpática e ficou falando português conosco. Não conseguimos conexão então ficamos fazendo hora até 22:30h que era a hora que o ônibus saía! Aproveitamos para passar as fotos e escrever o nosso diário de viagem! Acabava assim a nossa jornada em Santiago!!!

 

Dia 16/04 ( 5o dia )

A viagem foi bem tranquila. Serviram alfajor e café quentinho para amenizar o frio intenso. A própria empresa oferecia cobertores para os passajeiros. A única parada foi na fronteira. Descemos do ônibus para carimbar os passaportes e entregar um documento que recebemos quando da entrada no país. Segundo o motorista do ônibus fazia mais ou menos – 2 graus celsius!! Muito frio!!!!

Chegamos à Rodoviária de Mendoza por volta de 05:30 h da madrugada. O frio estava insuportável e o nosso plano de aguardar até 12:00 h para dar entrada em algum hotel (e assim economizar uma diária) foi por água abaixo! O terminal era todo aberto, o frio estava insuportável e todos as lojinhas e lanchonetes do local estavam fechadas. Só restavam algumas pessoas oferecendo apartamentos para dormir. Aceitamos. Seguimos de carro com uma moça que ofereceu um apartamento no centro da cidade. Ao chegar no local, com nosso senso crítico prejudicado pelo frio e sono aceitamos dormir no local. Entregamos-lhe uma nota de R$ 50,00 pq não tinhamos dinheiro argentino e apenas uma nota de U$ 100. A moça avisou que a calefação estava com problema e que pela manhã sua mãe viria arrumar às 09:00 h da manhã. Assim, dormimos sem calefação e tivemos de esperar para tomar banho. Acordamos às 8:00. Aliás, eu acodei às 8:00 e o Leandro não dormiu. Quando acordei ele já estava pronto para ir atrás de outro lugar para dormimos. Já sem tanto frio e com o senso crítico um pouco melhor, chegamos a conclusão que o lugar era prejudicado. O Leandro saiu para procurar hotel e eu fiquei aguardando a moça. Ela não chegou até às 10:00 h. Então, me arrumei e saímos para fazer o check-in em um hotel que o meu amor encontrou, Apart Hotel San Lorenzo. Chegando lá, tomamos um banho maravilhoso e descobrimos como a calefação faz falta! Saímos para comer, trocar dinheiro e ligar para a senhora para entregar as chaves do apartamento e pagar meia diária. Compramos um cartão telefônico numa banca na Av. San Martin. Depois de várias tentativas frustadas de ligar para a senhora do apartamento, resolvemos abstrair. Lá mesmo trocamos dinheiro e paramos no Café Ouro Preto. Tomamos um café expresso de verdade (o de Santiago era muito fraco) com uma tostadas (torradas) deliciosas, suco de naranja e medialunas (croissant). Tudo mui rico (gostoso)! De lá tentamos novamente falar com a senhora do apartamento e conseguimos. Marcamos então com ela pra nos encontrarmos em cerca de 30 minutos na frente do prédio. Fomos pra lá e pra variar ela se atrasou, então aproveitamos para tomar uma Stella Artois ( $7,00 de 1 litro ) e uma água ( $3,00 ). A senhora chegou e resolvemos o problema. De lá fomos pro hotel descansar um pouco. Acordamos às 16:30h e fomos comprar nossas passagens pra Buenos Aires. Compramos pela Nueva Chevallier pois era a que tinha um horário mais tarde ( 20:45h ). Compramos um semi cama ( $130,00 cada ). De lá fomos pro parque San Martin de taxi. Chegando lá, nos chamou à atenção a imponência e o tamanho do parque. Ele é enorme e muito bonito. É bem cuidado e muito charmoso. Batemos muitas fotos, demos uma voltinha por lá e voltamos a pé pra Calle Sarmiento pois queríamos reservar o passeio Alta Montña pro dia seguinte e jantar. Conseguimos por um bom preço na Fênix turismo numa galeriazinha na própria Calle Sarmiento ( $80,00 cada ). Depois jantamos num restaurante chamado Zeux. Eu pedi um bife de chorizo com papas fritas e meu amor pediu um spaghetti à putanesca. Pra beber pedi uma pepsi e ela tomou comigo ( $52,00 ). Fomos caminhando para o Hotel.

 

 

Dia 17/04 ( 7o dia )

06:30h Acordamos cedo pois o passeio para o Aconcágua começava cedo e tínhamos que fazer o check-out e guardarmos as malas antes de saírmos. Como combinado a Van da empresa de turismo passou às 07:30h. Passamos pra pegar outros turistas e seguimos viagem rumo ao ponto mais alto da Américas. Na van tinha gente de todo o canto: argentinos, noruegueses, americanos e claro, brasileiras. Caltum e Jorgita, eram duas senhoras, filhas de árabes, irmãs, com mais ou menos 80 anos, que moram em Anápolis e muito engraçadas. Elas duas eram as pessoas mais animadas da Van! O passeio é bem longo e cansativo, dura cerca de 12 horas, mas vale muuuuuiiiito a pena!!! Primeiro passamos por uma represa feita no Rio Mendoza que se chama Potrerillos, onde paramos pra bater fotos. Depois passamos pela pré cordilheira e seguimos rumo a própria Cordilheira. Avistamos alguns glaciares como o Tupungato, Tolossa, Cordón del Plata e próprio Aconcágua. No caminho, fizemos algumas paradas. Paramos em Uspallata, onde tomamos um café e um folhado doce muito bom. Lá tem uma feirinha legal também. Batemos algumas fotos e seguimos rumo a Puente del inca. Povoado muito pequeno que no passado tinha um hotel de luxo que foi destruído por uma avalanche. Lá tem uma feirinha legal também, onde compramos uma pedra energizante. Depois continuamos subindo e paramos pra bater foto da montanha Tolossa. Subimos mais um pouco e chegamos a fronteira com o Chile, no povoado de Las Cuevas, numa altitude de 3000 metros. Lá, saímos da estrada principal e pegamos uma estradinha de terra alucinante, na qual subimos mais 1200 metros e chegamos no ponto mais alto que se pode chegar de carro nas Américas ( 4200 metros ). Pronto estávamos no topo do morro Santa Helena, com o Cristo Redentor, neve, muito vento e frio!!! Descemos da Van e batemos muitas fotos e fizemos uma filmagem também! Lá pela primeira vez na vida peguei na neve. Foi incrível!!! Depois descemos para almoçar num restaurante na própria cidade de Las Cuevas. É o único que tem lá. É sistema de buffet mais não tem muita opção. Comemos bife a parmeggiana com purê de batatas e arroz. Tinha também salada com tomates maravilhosos, algumas folhas e beringela. Meu amor pediu uma Coca e eu fui num vinho tinto de 375 ml. Era um Trivento Malbec 2005. Estava tudo muito bom ( $28,00 cada o buffet e $14,00 a garrafinha de vinho ). Depois começamos a volta, que durou cerca de 3 horas. Chegamos no hotel pra pegar a bagagem por volta de 7:15h. Lavamos o rosto e fomos pra rodoviária. Chegando lá esperamos até 20:15, fizemos um lanche rápido e fomos embarcar. Chegava ao fim a etapa de Mendoza!!!

598d9e0b8431b_CerroSantaelena4200m-Aconcagua3.JPG.e0088cc3fb0f17778d950275e0852ae4.JPG

 

Dia 18/04 ( 7o dia )

Ainda durante a viagem de ônibus paramos para tomar café da manhã por conta da empresa de ônibus por volta das 7:30h. Depois seguimos rumo à B.A. Chegamos umas 10:00 h. A cidade estava coberta por uma fumaça. Impressionante! Os olhos e a garganta ardiam devido à fumaça. Do terminal pegamos um táxi para o Hotel de Las Luces ($12). Tomamos um banho quente e descansamos um pouco. Na tv só se noticiava sobre a fumaça. O aeroporto e algumas estradas ficaram fechadas devido à queimada em uma área correspondente à quatro vezes à cidade de BA e próximo à região. Acordamos por volta das 15:00 e fomos à pé conhecer o Puerto Madero. É bem bonito, mas não ganha do Estação das Docas em Belém do Pará ( minha cidade Natal, hehehe ), apesar das semelhanças. Sentamos e comemos uma pizza no restaurante Villavicencio ($ 72). Conhecemos o Sérgio, um garçom que deu umas dicas sobre a cidade. No restaurante tocou É o Tchan! De lá passamos na Freddo e provamos o famoso sorvete de dulce de leche ($ 8,50). Realmente é o que falavam...muito bom! De lá passamos na Cafeteria Café Store e meu amor tomou um café expresso ($ 5.50). Pegamos um táxi para o hotel ($ 7). O taxista havia visitado o Brasil oito vezes! Era engraçado, mas todo formal. Já no hotel, tomamos um vinho comprado na Concha y Toro no Chile e fomos dormir.

 

Dia 19/04 (8o. Dia)

07:30 Acordamos, tomamos café da manhã e saímos para conhecer os principais pontos turísticos localizados no centro: Casa Rosada, Cabildo, Catedral Metropolitana, Casa de Cultura, Correio central...Subimos a Av. De Maio, passamos no Café Tortoni e seguimos rumo à Av. Nove de Julho (a mais larga do mundo) onde ficam o Obelisco e o Teatro Colon. A fumaça ainda estava muito intensa e as fotos acabaram prejudicadas. De lá, pegamos um táxi e fomos para La Boca e Caminito. Em La Boca, paramos rapidinho no estádio do Boca Juniors (La Bombonera) e tiramos umas fotos apenas por fora, pois estava fechado devido ao jogo que teria mais tarde (lá é possível fazer visitas guiadas). Seguimos no mesmo táxi ($ 16 o total) para Caminito, um local pequenininho e cheio de casas coloridinhas que eles chamam de Museu ao ar livre, pois é onde os artistas locais expõe seus trabalhos. É bonitinho e bem pequenininho. Se vc resolver andar mais pouco por lá, cai em uma ruas feias e sujas. Pegamos um ônibus para o hotel, onde descansamos um pouco e seguimos para a Galeria Pacífico. Por coincidência, o ônibus passou por dentro do conhecido do bairro de San Telmo e pudemos ver a feirinha de antuguidades que é famosa por aqui.

17: 00 Saímos para conhecer o shopping Galerias Pacífico. O local é lindo! O teto parecido com o de uma igreja é o que mais impressiona. Para fazer compras, contudo, não é recomendável...a menos que vc esteja procurando Armani, Cacharel, Ralph Lauren...Tudo que é comprável (perfumes, relógio, cosméticos..) compensa mais no duty free! Jantamos lá. Pedimos um bife de lomo na Postavecchia ($ 26,50) e uma massa no restaurante Monodo ($ 20), incluindo a bebida. A sobremesa foi um alfajor que compramos na Doceria Abuela Goye, também na praça de alimentação. O shopping fica na Calle Florida, a rua das compras de BA. As lojas ficam abertas até umas 21:00 e a rua está sempre muuito movimentada. Vc vai topar mais em brasileiro do que em argentino! Aproveitamos e viemos caminhando por ela até o hotel. No caminho paramos num barzinho chamado Cabildo de Buenos Aires para provar a Quilmes ($12 o litro).

 

9o. dia (20/04)

Escolhemos o domingo para fazer o passeio do Delta do trigre. Acertamos! As coisas no domingo começam muito tarde por aqui e cidade fica sem graça. Aproveitamos para acordar um pouco mais tarde.

 

08:30 Acordamos e tomamos café. Voltamos para o quarto e dormimos mais um pouco.

10:10 Acordamos e pegamos um táxi até o terminal do Retiro ($7,00). O taxista, Juan Carlos, era gente boa. Deu uma série de boas dicas. Lá pegamos o trem ($2,20 ida e volta cada) com destino a estação “Tigre”. Na pressa não nos informamos corretamente e pegamos a linha local e não aquela que vai pela costa! (ambas vão para o mesmo lugar, só que a turística é bem melhor!) O correto seria pegarmos a linha Tigre que passa pela estação Maipú. Lá vc desce, e compra a passagem para o Tren de La Costa, trem turístico muito mais confortável e novo que o anterior e permite que os passageiros parem em todas as paradas). Paramos na estação San Isidro. É linda! A cidade é bem mais limpa e bem cuidada que BA. Demos um volta por lá, e só então conseguimos pegar o Tren de La Costa para o Delta. Chegando lá, fizemos o passeio de catamarã! Várias empresas lá fazem o passeio. Escolhemos a “Catamaranes” ($ 15,00 cada). Escolhemos o passeio de 40 minutos, que é bem agradável e percorre alguns dos rios que formam o delta. Depois do passeio, batemos perna pela cidade. Visitamos o Mercado de Frutos, o Estacion Fluvial (um shoppinzinho bonitinho que tem até um McDonald's. Paramos num bar para tomar uma cerveja Quilmes de 1 litro, suco, café e medias lunas ($ 21). Caminhamos mais pouco pela cidadezinha e paramos no Havanna para comer alfajor e tomar água. De lá, pegamos o Tren de La Costa para voltar. Ele pára na estação de Maipú, onde pegamos o trem local para o Terminal do Retiro. Descemos e aproveitamos para tirar foto do Relógio dos Ingleses (um dos poucos monumentos próximo ao centro que faltava tirar foto). Resolvemos voltar caminhando para o hotel. Passamos pela Plaza General San Martin, onde fica o monumento San Martin e voltamos caminhando pela Calle Florida. Aproveitamos para olhar algumas lojas. Chegamos no hotel 19:30 tomamos banho rapidinho e pedimos ao recepcionista do hotel a indicação de algum restaurante que servisse uma autêntica carne argentina. Ele indicou o La Estancia (Calle Lavalle, próximo à av. 9 de julho) e já providenciou a reserva para 20:30. Nos arrumamos rápido e pegamos um táxi até o restaurante. Pedimos um bife de chorizo e um bife de lomo, acompanhado de uma porção de arroz e coca-cola ($ 120). A comida é uma delícia, mas o bife de lomo é o melhor! Se não quizer comer rim ou outras coisas estranhas não peça a parrillada!! Voltamos para hotel caminhando pela Calle Florida que, apesar de já bem tarde, continuava bombante!

 

598d9e0b77cae_Caminito-EueMaradona.JPG.75da5484be724a9a807da25ba81bc158.JPG

10o dia ( 21/04 )

Hoje, com o ânimo renovado após o passeio maravilhoso pelo Delta do Tigre e um excelente jantar, resolvemos acordar e bater perna pelos bairros que nós ainda não conhecíamos, Palermo e Recoleta. Sendo assim, após o desayuno no Hotel, pegamos a linha verde do metrô ( linha D ) rumo a Palermo ( $0,90 pesos cada ticket ). Achamos as estações de metrô ou subtè, como eles chamam, meio sujas e antigas, contudo, os vagões eram modernos e limpos. Quando descemos na estação Palermo, saímos em frente a uma praça e de cara já deu pra notar que o bairro era bem mais bonito, limpo e organizado que o centro. Também não era nada de mais, contudo era bem mais agradável. Passamos pelo parque Madre Teresa de Calcutá, depois pelo zoológico que estava fechado e em seguida fomos para o jardin botânico, onde entramos e batemos algumas fotos. O local era bem bonito e cuidado. Saindo de lá resolvemos andar para dentro do bairro de Palermo e passar por uma Igreja que tinha marcada no mapa. O nome da capela era Divino Espírito Santo, que fica na frente da Plaza Guemes. Batemos algumas fotos e rumamos em direção ao shopping Alto Palermo pois já havíamos caminhado muito e estávamos cansados. Lá, paramos para tomar café na cafeteria Stefano ( $8,00 cada cafe con leche ). Após essa pausa revigorante continuamos nossas andanças, agora em direção ao MALBA e ao Museo de Ciencia e Tecnologia. No caminho passamos por ruas muito agradáveis e arborizadas que nos fizeram lembrar da maravilhosa Santiago. Pegamos a Av. Del Libertador, onde tem uma área só de casas dos consulados, passamos por algumas praças muito bonitas e chegamos no bairro da Recoleta, que sem dúvida é o bairro mais bonito e charmoso de Buenos Aires! Para nos convencer ainda mais disso, nossa primeira atração no bairro foi a famosa Flor Metálica, na praça Grécia, que além de curiosa é linda. Ela se abre de acordo com a hora do dia! É realmente imperdível!!! Logo ao lado está a Escuela de Derecho. Paramos lá, batemos mais fotos e seguimos em direção ao cemitério da Recoleta para visitarmos o túmulo da Evita Peron. Pagamos $4,00 pesos, os dois, para ajudar a manter o cemitério ( não era obrigatório ) e com isso ganhamos um mapa e uma explicação de como chegar ao túmulo. O cemitério estava lotado. Não foi difícil encontrar, mas sempre vale a pena lembrar que devemos procurar pela família Duarte! Na sequência, resolvemos almoçar numa ruazinha que tem atrás do cemitério com vários restaurantes, que é uma graça! Paramos no La Strada. Pedimos uma massa para nós dois e um refrigerante ( $30 pesos ). Estava muito gostoso e foi suficiente para nós dois. Continuamos nossa caminhada, agora em direção à Biblioteca Nacional, que é um lugar bem agradável. Depois, voltamos pra Av. Del Libertador e passamos pela praça San Martin e Museo de Bellas Artes onde batemos mais fotos!!! Fomos caminhando até o o Shopping Bullrich onde entramos, procuramos uma Havana pra tomarmos um café ( $4,00 pesos cada ) e comprar alguns alfajores para darmos de lembrança. Ainda não estava satisfeito, pois não tinha uma foto bonita do Obelisco. Como a tarde estava linda e sem humo, fomos caminhando até o começo da Av 9 de Julho rumo ao Obelisco. R$100,00). Cheguei ao Obelisco, bati minhas fotos, que ficaram fantásticas e fomos pro Hotel. Compramos água e alguns salgadinhos para não termos que sair mais tarde ( $15,00 ). Arrumamos tudo e dormimos pos estávamos muito cansados e tínhamos que ir pro aeroporto bem cedinho pela manhã.

 

11o dia ( 22/04)

Marcamos o taxi para às 07:30h, portanto, acordamos cedo, tomamos café da manhã, fizemos check-out e na hora certa o taxi chegou! Nos cobrou $80,00 pesos. Achei salgado, mas aceitei. Levamos menos de meia hora para chegar no aeroporto de Ezeiza, apesar dele ser bem distante da cidade. Só que o nosso motora era meio afoito, acho que ele era descendente do Juan Manoel Fangio, pois chegou a pegar 140km/h dentro da cidade, hehehe! Já em Ezeiza fomos fazer o nosso check-in na Lan Chile, que demorou um pouco, pois estava lotado. Depois fomos pagar uma taxa de uso do aeroporto ( US$ 18,00 cada, pagos no VISA ) e fomos receber o imposto, das compras que fizemos, de volta ( $18,00 pesos creditados no VISA ). O vôo foi super tranquilo, assistimos um filmezinho no avião chamado prova de vida, mas não conseguimos ver o fim pois o vôo acabou antes. Passamos pela alfândega sem probelmas e fomos pegar a Van pro Hotel Bristol, onde o carro estava estacionado. Paguei R$ 90,00 por dez dias de estacionamento. Pronto, chegou ao fim a nossa aventura pelo Chile e Argentina.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Oi Leandro!!!

 

Adorei seu relato!Vou aproveitar varias dicas.

Mas estou com algumas duvidas:

a) Quais dos programas nao poderei fazer em julho?

vai estar bem mais frio que em abril...

b) Ja escutei bem e mal do passeio do delta...se for para cortar passeios quais vc cortaria???

eu pretendo encaixar 3 dias em bariloche, (so vou passar 3 dias no chile, 2 mendoza, 4 ou 5 buenos aires. ...

To contando os dias para tirar essas ferias....

Morri de ansiedade qd li seu relato...

Obrigada!!!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Oi Rafaela!

Bem, todos os passeios que fizemos foram fantásticos. Na verdade não cortaria nenhum, hehehe! Contudo, fizemos dois passeios pra montanha, sendo um pelo lado chileno ( Valle Nevado ) e um pelo lado argentino, de Mendoza ( Alto da Montaña ). Ambos são muito bons, só que gostamos mais do feito pela Argentina pois dura mais e sobe mais alto na montanha.

Acho que em Santiago vc deve conhecer uma vinícola e ir para Viña del Mar e Valparaiso, pelo menos.

Em Buenos Aires, faria sim o passeio do Tigre, pois gostamos muito dele. Só que vc vai no inverno e talvez não seja tão bom de fazê-lo no frio.

Espero tê-la ajudado,

Leandro

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Oi Leandro!!!

Me diz uma coisa...

Vou passar apenas 2 dias em Mendoza...

O que eu priorizo?

Vinicolas e qual passeio???

O da montanha dá em 1 dia???

abraço!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Oi Rafaela!

Nós também passamos dois dias em Mendoza, sendo apenas uma noite. Acho que é tempo suficiente pra conhecer a cidade! Não conhecemos nenhuma vinícola pois já tínhamos conhecido uma em Santiago. Me parece que lá tem passeios pra vinícolas que começam só depois do almoço, mas não tenho certeza. Como sugestão lhe diria pra passear pela cidade pela manhã, conhecer o parque San Martin e pela tarde fazer o passeio das vinícolas.

No outro dia fazer o tour para o Alto da Montaña, que dura um dia inteiro e é bem cansativo.

Um abraço e boa viagem

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

OLá a todos,

Já revirei e li todos os topicos sobre MENDOZA, fiz um apanhado e resolvi montar meu roteiro baseado nesse forum. Só queria tirar algumas duvidas:

 

Vou ficar em Mendoza 4 dias e 3 noites. Queria dicas e sugestoes sobre meu roteiro. Comigo vai apenas um amigo.

 

 

Vou ir e voltar de buenos aires pela ANDESMAR. Ficar no Campo Base, porem nao sei a diferença do 1 para o 2 e para todas as franquias da rede, nao sei a diferença... e achei 40 pesos caro. oq vcs acham disso? to na duvida tb sobre o casapueblo, o q acham dele?????

 

DIA 1: Chegar às 10h. Ir para o albergue via transfer free. Procurar agencias e comprar passeios.

Fazer um tour pela cidade.

 

**PRINCIPAIS PONTOS TURISTICOS???

 

ALUGAR BIKE??? ou COMPRAR CITY TOUR???

 

me fale sobre isso!!

 

 

 

DIA2: ALTA MONTANA ***PASSANDO OU NAO POR VILLAVICENCIO?????

Uspallata, Puente Del Inca, Los Penitentes, Cristo Redentor e o próprio Parque Aconcágua

 

 

Dia 3: SAN RAFAEL Y CAÑON DEL ATUEL

 

 

 

 

DIA4: BODEGAS ***DIA INTEIRO OU MEIO DIA, qual é melhor???? ***QUAIS AS MELHORES BODEGAS??? ***

 

 

 

Bom, qual é a melhor agencia para comprar os passeios? sobre casas de cambio? supermercaod? restaurantes? sobre como rodar pela cidade?

 

 

 

existem outros passeios que me interessei na internet, como treking, cavalgada, asa delta, rafting, vcs acham legal, bom custo beneficio, vale a pena??

 

QUERO OUVIR TODO TIPO D OPINIAO SOBRE MEU ROTEIRO!!

 

obrigada

 

raquel

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Leando e Diana, parabéns pelo maravilhoso relato. Vale a pena tb, colocar os nomes e endereço dos hoteis que ficaram.

Pra quem vai para Mendoza, vale conhecer as vinícolas e tb não deixar de passar pela Calle Las Heras, é linda, arborizada e cheia de lojinhas. Isso sem dizer que na esquina dela tem o Carrefour.

O grande barato nessas viagens é mesmo caminhar pelas "calles" e em Buenos Aires mais ainda. Tem muita coisa bacana para ver e conhecer.

Saudações

Robson

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Leandro (e Diana), parabéns pelo relato! Achei ótimo, muito bem detalhado! Me ajudou muito no planejamento de minha futura passagem por Santiago, em setembro.

 

Valeu mesmo!

 

Abraço,

Leonardo

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Boa noite Robson e Leonardo,

obrigado pelas menções. A intenção de fazer os relatos detalhados era essa mesmo, ajudar e ao mesmo tempo tentar estimular as pessoas a viajar dessa forma, que, no nosso entendimento, é sem sombra de dúvidas a melhor.

Estamos agora nos programando para a próxima e a fase de coleta de informações para a montagem do roteiro já começou! Pra variar a nossa principal fonte de informações é este site, hehehe!

Sobre Mendoza, concordo totalmente com o que foi dito pelo Robson. Vou fazer uma atualização depois com os nomes dos respectivos hóteis!

Um abraço aos dois e vamos continuar divulgando nossas experiências...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Leandro

Vou viajar para Santiago em setembro e gostaria de alugar um carro para ir até Buenos Aires.Apesar de vocês terem ido de ônibus seria viável ir de carro :?:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.




×
×
  • Criar Novo...