Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Mahpa

Buenos Aires - 7 dias - Abril/2012

Posts Recomendados

Buenos Aires - 10/04/2012

 

Já faz quase dois anos que não atualizo o blog, mas continuo com ele ativo. Ainda estou devendo as postagens sobre a viagem de final do final do ano passado para João Pessoa, mas essa vai ficar para depois. Vou tentar postar meu dia a dia aqui em BA´s.

 

Na verdade essa viagem de agora nem foi muito planejada. Como sou servidor público, posso parcelar minhas férias anuais em três períodos de 10 dias. Sempre faço isso e acabo emendando com um ou outro feriado prolongado. Minha intenção era viajar no período do Carnaval, mas como não apareceu nada muito bom e nem quis enfrentar a loucura dessa época, acabei ficando em casa para arrumar a bagunça (e que bagunça, rs).

 

Acontece que 20 dias atrás apareceu uma mega promoção da Gol saindo de Londrina para Buenos Aires por 245 reais. Fiz e refiz as contas e achei o preço imperdível. Como já cogitava em fazer esse passeio um dia, resolvi comprar o voo. Com as tarifas (que na Argentina são mais e mais caras) ficou em 800 reais e alguns quebrados ida e volta para mim, minha esposa e minha filha de 1 ano (ela não paga indo no colo). No entanto essa combinação de valor eu consegui somente saindo numa terça e voltando na outra terça (portanto uma semana na cidade). Mesmo assim considerei uma boa ideia, pois meu passeio terá que ser bem tranquilo por conta da minha filha. E por causa disso também, resolvi gastar um pouco mais no hotel, pensando em ficar bem localizado e ter mais conforto pra ela. Se fosse apenas eu e minha esposa encararíamos algo mais em conta. Sei que não é algo muito mochileiro, mas acredito que as informações serão úteis.

 

Depois de muito pesquisar, resolvi fazer uma reserva pelo site Hoteis.com para o Awwa Suites and Spa, que acabou saindo por 1200,00 reais para o período todo (sem café da manhã). Ficou um pouco salgado, mas a vantagem dele é a localização nos Bosque de Palermo (que ao chegar, confirmei ser um local muito bom), além de contar com uma minicozinha americana, o que ajudaria com as refeições da minha filha. E mesmo neste valor, ainda ficou mais barato do que se comprássemos um pacote de 5 dias em agência de turismo. Isso porque ainda tive que pagar 80 reais de IOF por conta da reserva no site Hoteis.com, pois como ele é sediado no exterior o IOF está em 6,38%. Mancada minha não ter atendado para isso. Mas fica a lição.

 

Depois dessa breve (na verdade nem tão breve) introdução, vamos começar com o relato propriamente dito.

 

Saímos de casa às 4 da manhã para o aeroporto, pois nosso voo saía às 6 horas com destino a Curitiba. Tudo certo neste primeiro trecho. Somente cabe registrar que a Gol só forneceu bebida. Não que eu goste das barrinhas ou do amendoim, mas só para registrar a contenção de despesas da companhia. Chegamos em Curitiba às 6:40 e ficaríamos esperando até às 10:55 pelo nosso voo para Buenos Aires. Essa parte da espera é muito cansativa. Tanto foi assim que por volta das 10 horas, minha esposa estava ao telefone com a irmã e fui tirar um cochilinho. Resultado: literalmente "apaguei". E ela, por conta da conversa, esquece de conferir o horário acabamos que tivemos que ir voando para o embarque às 10:40 para não perder o voo. O pior de tudo é que ao chegar na imigração de saída, a atendendo da Gol disse que teria que voltar no check-in para despachar o carrinho de bebê.

 

Nesta parte abro um parênteses para explicar esta confusão, pois vai constar do meu relato de João Pessoa. Naquela viagem, em toda conexão, logo ao embarcar, nós solicitávamos para pegar o carrinho no desembarque e entregávamos novamente na porto do avião quando fazíamos outros embarque. Isso é bem normal em voos domésticos, desde que avisado com antecedência para as aeromoças. O detalhe é que como nosso voo é internacional, não dá pra deixar o carrinho na porta do avião, tendo que despachar novamente, mesmo já estando tudo feito desde o começo. Não sei o motivo disto, mas como não me avisaram antes do embarque tive que voltar correndo para o check-in para não perder o voo.

 

Consegui despachar o carrinho e quando voltava faceiro para a sala de embarque a moça da entrada não quis deixar eu ir para o embarque pois estava faltando um adesivo na minha passagem. Reclamei que novamente ninguém tinha avisado nada, mas não teve jeito. Voltei novamente para o check-in para pegar o adesivo. Nem perguntei para que que servia isso. Fui correndo para a sala de embarque e, ao chegar na imigração, o sistema da Polícia Federal estava com aquela vontade de funcionar, quase parando. Bom, apesar dos pesares conseguimos embarcar mas não escapamos dos olhares fulminantes dos passageiros (a tripulação disfarçou bem, rsrs). Ossos do ofício. E o duro foi que nem daria para inventar uma desculpa de que a nossa conexão havia atrasado, pois a passageira da nossa fileira estava no mesmo voo de Londrina para Curitiba, rs.

 

O trecho até Buenos Aires teve uma escala em Assunção. Tudo bem nos dois trajetos, onde foi servido bebida e um lanche de frios em cada trecho, junto com as famosas rosquinhas de sobremesa. Coisa bem básica em se tratando de Gol.

 

O desembarque em BA´s foi bem simples. Apenas entregamos os documentos e a guia de imigração preenchida. Sem perguntas nem burocracia excessiva. Demos uma passadinho rápida no Duty Free só para ver os preços, mas não tinha nada muito chamativo. Algumas polos Lacoste até compensavam, por preços entre 60 e 70 dólares. Talvez eu compre na volta, se não achar nada melhor na cidade. Fiz o câmbio no La Nacion com a cotação de $ 2,30 e paguei pelo serviço da TaxiEzeiza para vir até o hotel. O preço não estava lá aquelas coisas ($ 195,00), mas a volta ficará por $ 160,00 (agendando um dia antes por telefone) e evito cair em alguma furada com algum taxista mais malandro.

 

O trajeto ia tudo bem, até que em certo trecho da 9 de Julho a avenida estava interditada por conta de uma manifestação (tem tido muitas por lá estes tempos). Foi nesta hora que vi vantagem em ter fechado pacote com o Taxi Ezeiza, pois o motorista teve que dar diversas voltas até conseguir fugir do tumulto, além de ter pego vários congestionamentos que teriam sido evitados pelo caminho normal. Se o preço já não estivesse fechado acredito que aumentaria bem o valor da corrida. Passamos por alguns trechos da cidade que não são as mil maravilhas para os olhos de um turista. Lembrou muito algumas regiões feias de São Paulo (até agora as duas cidades se parecem em muitos aspectos).

 

Depois desta "viagem" dentro da nossa viagem, chegamos ao hotel e gostei muito do que vi. O quarto é amplo, realmente bem localizado, limpo e o pessoal do atendimento é muito educado e atencioso. A internet Wi-Fi grátis funciona e muito bem (resultado é esta minha postagem inicial), o cofre eletrônico também, onde cabe inclusive meu notebook. Tem até uma sacadinha, mas que não te vista para nada (nem para a rua, pois uma árvore tampa quase toda esta vista. Mas não fim pro hotel pra ficar vendo a vista do quarto, rs).

 

Saímos rapidinho para comprar algumas bebidas e comidas e voltamos para descansar, pois estamos muito cansados deste dia de viagem. amanhã começam os passeios e as fotos estarão mais interessantes. Mas já deu pra perceber que é um bairro de alto padrão. O engraçado é ver a quantidade de madame passeando com seus cachorros (infelizmente o produto deles acaba ficando na rua). Vimos também vários café estilo parisiense pelo caminho. Por enquanto apenas algumas amostras e um pouco da visão do quarto (gosto de postar fotos dos quartos onde fico, pois mostram a visão do usuário e não uma fabricação para os sites dos hotéis).

 

IMG_0844.JPG

Esperando o embarque em Curitiba.

 

IMG_0845.JPG

Toda feliz ao chegar em Buenos Aires.

 

IMG_0847.JPG

Vista geral do quarto.

 

IMG_0851.JPG

Vista da cozinha do quarto.

 

IMG_0852.JPG

Cama King Size. Veio bem a calhar para as duas que estavam mortas.

 

IMG_0854.JPG

 

IMG_0855.JPG

 

IMG_0856.JPG

Banheiro bem organizado e limpo.

 

P.S.: Tentarei ser mais breve nas próximas postagens, rs.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá! Vocês ainda estão em Buenos Aires? Estou chegando em buenos aires amanhã, seguindo dia 12 para ushuaia, dia 15 para el calafate e dia 18 estou em buenos aires de novo. Sei que está super em cima da hora, mas vcs estarão nessas cidades nesses dias? caso positivo, me escrevam no [email protected]

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá Mahpa,

 

Espero que esteja tudo bem?

Estou lendo o seu relato, e me atentei que vc comenta sobre o VTM, eu utilizei ele qdo fui pra Europa o ano passado, porém, agora ele tem na moeda argentina, neste caso, como foi a utilização, aceitação, rede credenciada em Buenos Aires?

 

Outra dúvida, a economia esta complicada por lá, e informaram que as coisas estao muitoooooooooo caras, e pretendo levar uma media de AR$1500 para 4 dias, será que é um valor viavel pra levar?

 

Desde já agradeço sua ajuda,

 

abs

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá. Ficaremos apenas em BA´s até o dia 17. Amanhã estamos programando ir na região de outlets.

 

Olá! Vocês ainda estão em Buenos Aires? Estou chegando em buenos aires amanhã, seguindo dia 12 para ushuaia, dia 15 para el calafate e dia 18 estou em buenos aires de novo. Sei que está super em cima da hora, mas vcs estarão nessas cidades nesses dias? caso positivo, me escrevam no [email protected]

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá Jana.

 

Usei o VTM na Europa em 2010 e na época não tive problemas. Agora em BA´s, depois de muita pesquisa, resolvi usar a seguinte fórmula:

 

- Trouxe R$ 400,00 e troquei por pesos pela cotação de 2,30, que vou utilizar para despesas mais básicas (táxis, alguns passeios, comidas mais baratas, etc.).

- Para as compras vou utilizar o cartão de crédito mesmo. Apesar do IOF, as taxas cobradas acabam chegando bem perto do valor do VTM, além de obter milhas com estas compras.

- Para emergências, caso seja necessário farei saques em caixas eletrônicos da minha conta corrente (neste caso o IOF é 0,38%, ao contrário do saque no cartão). fazendo um saque em valor mais alto, as tarifas acabam sendo amortizadas.

 

Resolvi fazer assim, pois muita gente disse que teve problemas com o VTM em BA´s.

 

Como ainda estou no meio da minha viagem, não me inteirei por completo dos valores. Como pretendo ir somente amanhã para a região dos outlets, ainda não sei como estão os preços. Mas já adianto o meu relato de hoje, onde fizemos uma comprinha básica no Carrefour, além de uma refeição no Shopping Paseo Alcort. Preço de shopping é igual em qualquer lugar, ainda mais aqui no bairro de Palermo onde estamos, que é uma região mais abastada da cidade.

 

Espero esclarecer em breve suas dúvidas sobre valores.

 

Abraços.

 

Olá Mahpa,

 

Espero que esteja tudo bem?

Estou lendo o seu relato, e me atentei que vc comenta sobre o VTM, eu utilizei ele qdo fui pra Europa o ano passado, porém, agora ele tem na moeda argentina, neste caso, como foi a utilização, aceitação, rede credenciada em Buenos Aires?

 

Outra dúvida, a economia esta complicada por lá, e informaram que as coisas estao muitoooooooooo caras, e pretendo levar uma media de AR$1500 para 4 dias, será que é um valor viavel pra levar?

 

Desde já agradeço sua ajuda,

 

abs

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Palermo - 11/04/2012

 

Como a viagem do dia anterior foi bem cansativa, resolvemos fazer o passeio do dia nas proximidades do hotel. Também já serviu para "matar" essa etapa e não irmos embora com a consciência pesada de que não conhecemos o bairro onde ficamos.

 

A manhã estava bem fresca, propícia para uma boa caminhada. Seguimos então para os "Bosques de Palermo", onde passamos pelo parque 3 de Febrero, que contém ciclovias e pistas para caminhadas. Naquele horário, por volta das 10 da manhã, o que mais vimos no local eram cuidadores de cachorros (lembra o que eu falei das madames caminhando com eles à noite?). Cada um cuidava de mais ou menos 10 cães, dos tipos mais variados, iguais aqueles que sempre aparecem em filmes. Não sei como não saia confusão entre eles.

 

Depois entramos no Jardim Japonês, com entrada a $ 16,00. é um local muito bonito e tranquilo, bem no meio de avenidas movimentadas. Vale a pena conhecer, principalmente para quem gosta de fotografar.

 

IMG_0867.JPG

 

IMG_0882.JPG

 

IMG_0887.JPG

 

IMG_0888.JPG

 

IMG_0897.JPG

 

IMG_0907.JPG

 

IMG_0908.JPG

 

IMG_0909.JPG

 

IMG_0920.JPG

 

IMG_0936.JPG

 

Como a fome já estava apertando e ainda tínhamos que comprar algumas coisas para deixar no hotel, fomos até o Shopping Paseo Alcorta, onde havia um Carrefour e que fica a poucas quadras dali, logo depois da sede da Polícia Federal Argentina. No caminho passamos por alguns condomínios muito chiques, bem de acordo com o padrão do bairro.

 

No shopping não tinha nada de diferente, afinal shopping é igual em todo lugar, inclusive nos preços. Almoçamos uma comida chinesa com refrigerante por $ 74,00, que nem chega perto de um Jin Jin. Aproveitei e já tive meu primeiro contato com a sorveteria Volta (voltarei com certeza, rs) onde pedi um de Dulce de Leche com Coco por $ 16,00. Simplesmente fantástico. Depois fizemos umas compras básicas no Carrefour (preços iguais aos do Brasil), onde não pude deixar de comprar uma caixa de Alfajor Havana. Muito bom, recomendo.

 

Pegamos um táxi até o hotel por $ 15,00 (também era pertinho) para deixar as compras e continuamos nossa caminhada, agora com destino ao Zoo de Buenos Aires, que fica em Palermo, a uma quadra do hotel. Como chegamos lá às 16 horas e o Zoo fechava às 18, solicitei ao bilheteiro que me vendesse o tíquete de $ 25,00 sem os opcionais (aquário, reptilário e passeio de barco). Não entendi o motivo, mas ele disse que só havia o completo, por $ 40,00. Como eu queria aproveitar a pernada, acabei pagando e tentei acelerar para ver tudo. Se alguém for e tiver esta opção, compre o mais barato pois tanto o aquário quanto o reptilário são fraquíssimos, com poucos exemplares (ainda mais para quem já foi ao Oceanário de Lisboa) e o passeio de barco, que não deu tempo de fazer, é num lago minúsculo e não te dá visão privilegiada de nada, exceto de uns poucos lêmures que você vê igualmente do passeio normal.

 

Tirando esse fato, o Zoo é bem legal e com vários animais interessantes. Mas o melhor é a possibilidade de poder comprar comidas especiais para oferecer para uma boa parte deles. Quando nós, que não compramos as comidinhas, chegávamos perto de algumas jaulas eles já vinham correndo para comer. Como não tínhamos nada eles logo saíam de perto. Mas ainda assim era interessante. Não sei se é hábito do pessoal, mas mesmo tendo avisos proibindo e os fiscais do parque sempre alertando, muita gente pulava algumas pequenas grades de contenção e chegava perto dos animais, como as girafas. Por todo o zoo há vários patos soltos e uns bichinhos meio estranhos, como uma mistura de canguru pequeno com cutia. Apesar de ser bem corrido, o passeio valeu muito a pena e minha filha gostou muito dos bichos.

 

IMG_0950.JPG

 

IMG_0969.JPG

 

IMG_0976.JPG

 

IMG_1000.JPG

 

SAM_0007.JPG

 

SAM_0017.JPG

 

Em seguida voltamos caminhando até o hotel para descansar e jantar. Com criança não dá pra ficar até muito tarde na rua. Passamos por belas ruas e de onde era possível avistar o Monumento a las Cuatro Regiones Argentinas bem no meio de um mar de carros.

 

SAM_0045.JPG

 

SAM_0046.JPG

 

Amanhã se tudo der certo o planejamento é fazer umas compras nos outlets.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Oi, Mahpa. Estamos eu e minha esposa aqui em Buenos Aires, Palermo também, acompanhando o relato. Qualquer dica que você tiver da região, agradeço. Cheguei ontem e o que tiver de interessante pra te dizer, vou passar também.

 

Abraços.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá. Obrigado pelo apoio. Estou tentando atualizar diariamente o relato. Pode deixar que manterei informado. Bom passeio.

 

Oi, Mahpa. Estamos eu e minha esposa aqui em Buenos Aires, Palermo também, acompanhando o relato. Qualquer dica que você tiver da região, agradeço. Cheguei ontem e o que tiver de interessante pra te dizer, vou passar também.

 

Abraços.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Outlets e Shopping Abasto - 12/04/2012

 

Como planejado, hoje foi o dia de ir até os outlets. Saímos do hotel por volta de 9 horas e caminhamos algumas quadras até a parada da linha 110, com destino à Calle Aguirre com Gurrochaga, região dos outlets. Pouco antes de chegarmos na parada passou um ônibus. Já pensamos que ficaríamos um bom tempo aguardando outro. Felizmente passou um logo em seguida (depois verificamos que passam rapidamente um atrás do outro, pelo menos naquele horário). Ao entrar no ônibus (colectivo, para os portenhos), você informa ao motorista o destino e ele libera a maquininha onde se inserem as moedas (somente moedas), sendo emitido um bilhete que deve ficar com você até o final da viagem. Como o serviço é subsidiado pelo governo, a passagem custou $ 1,20.

 

Chegamos às 10:15 na Calle Aguirre e muitas lojas ainda estavam fechadas. Fomos andando e olhando as que estavam abertas. Não havia quase ninguém nas lojas. O motivo: os preços não estavam nada convidativos. É certo que eram mais baratos do que os dos shoppings (na Argentina) mas estavam com preços muito parecidos com os brasileiros. Andamos muito e não encontramos quase nada com bons preços, e quando achávamos ou não tinha o número ou não era algo que usaria normalmente. A exceção que faço é para alguns modelos de tênis que estavam com preços baixos, mas não era o que eu estava procurando. Na Lacoste, por exemplo, as polos estavam com preços mais altos do que os que vi no Free Shop do Aeroporto de Ezeiza. Seguimos caminhando até a Avenida Córdoba, com esperança de acharmos algo mais convidativo, mas não teve jeito. Infelizmente foi um roteiro perdido na viagem. Ainda tenho esperança de achar algo melhor na Calle Flórida, mas os outlets não estão compensando se este for um dos motivos da viagem (felizmente não foi um dos principais no meu caso, mas queria ter comprado algo bom e razoavelmente barato). E olha que sou bem consumista. Mas aproveitando este trecho do relato, vou fazer um adendo a uma informação que li no blog Viaje na Viagem. O Ricardo disse, em postagem de janeiro de 2012, que em BA´s não tem Abercrombie & Fitch. Realmente não tem uma loja própria, mas os produtos são vendidos nas lojas Diesel. Estava planejando seguir até Palermo Soho, mas se os outlets me desanimaram, imagine as lojas de grife de lá. Nas liquidações aqui no Brasil conseguimos preços melhores em produtos mais atuais. Mas tem a parte de couros que não fui atrás, então não posso falar sobre isso.

 

Como havia desistido de continuar no roteiro "compras", resolvi ir até o Shopping Abasto para conferir o tal Museo de los Niños, que diziam ser muito bom para as crianças. Pedimos informações em um posto de combustível sobre como chegar lá e aproveitei para trocar alguns pesos por moedas, para pagar a tarifa. Por sorte o ônibus 168 parava em frente ao posto e logo passaram três, um atrás do outro (perdi os dois primeiros enquanto ia para o ponto). Deste local até o shopping pagamos $ 1,10 cada.

 

Logo ao chegar ao shopping você já fica impressionado com a fachada. Muito grande e com uma bela arquitetura. Por dentro ele trambém é bem grande, com três pisos de lojas e mais dois de diversão e alimentação. O Museo de los Niños fica no último andar, junto com a praça de alimentação. Na verdade não é um museu, mas uma cidade em miniatura com várias edificações e brinquedos simulando diversos veículos e situações para crianças de várias idades. O valor é de $ 50,00 para crianças acima de 2 anos e $ 20,00 para adultos (acima de 18 anos). Como a Mariana não pagava a entrada, resolvemos comprar ingresso para mim e para minha esposa, assim todos curtiam juntos e aproveitávamos para tirar fotos. Relamente é um empreendimento fantásticos para quem quer passar horas entretendo uma criança. A Mariana que ainda não entende muita coisa e não aproveitou tudo o que o Museo oferecia se esbaldou de brincar. Eu recomendo muito para quem for com crianças para Buenos Aires. Se estiverem em idade escolar (primeiros anos) eles ficarão muito agradecidos por reservarem um momento da viagem só para eles. Já passava das três da tarde quando tivemos que interromper o passeio dela (bem a contragosto) pois precisávamos almoçar.

 

Novamente comemos um chinês (ah dona patroa que não vive sem arroz, assim como na Europa, rsrsrs). Ficou em $ 83,00 dois pratos com bebidas e sobremesa. Depois fomos ao parque Neverland que fica dentro do Shopping também, em frente à praça de alimentação. É um daqueles parques comuns em shoppings, mas este tem uma roda gigante bem grande e que combina com a arquitetura, além de alguns brinquedos mais elaborados, como um trezinho elevado que dá algumas voltas no parque. Bem interessante também para entreter a garotada. Em seguida resolvemos voltar para a casa, pois o dia foi bem cansativo (e improdutivo), com as longas pernadas pelas ruas dos outlets. Aproveitamos que a há uma estação de metrô (subte) no próprio shopping e resolvemos voltar para o hotel assim. A tarifa estava em $ 2,50, um valor que achei muito barato. E o transporte é bom, assim como dos ônibus que havíamos pego. A localização das linhas e estações também é bem simples. Quem já teve contato com metrô em outras cidades não encontrará dificuldades em se localizar. Rapidamente chegamos à Plaza Itália, bem em frente ao Zoo de Palermo.

 

Aproveitando que ainda eram cinco da tarde, resolvemos dar uma passada breve pelo Jardim Botânico, que fica ao lado do Zoo, só para não dizer que não visitamos. Foi uma passada bem rapidinha mesmo, uma vez que ele fecha às cinco e meia. Bom, ele é um jardim bem... botânico, rsrsrs. Muitas árvores, algumas flores e algumas esculturas. Ah, e gatos, muitos gatos. É um local que deve interessar mais a estudantes do que a turistas propriamente ditos (diferente do de Curitiba, por exemplo), além dos namorados que se espalhavam pelos bancos. É um passeio que só vale mesmo para quem estiver por ali, como nós e com tempo sobrando.

 

No caminho de volta para o hotel (algumas quadras) nos deparamos com um problema que eu já havia comentado antes: os cachorros. Na verdade não é bem eles, mas sim os "produtos" deixados pelo caminho. Como falei, os portenhos são apaixonados por cães (deve perder apenas para Tango e futebol), mas não fazem a menor questão de limpar seus dejetos. Já havíamos notado isso na região dos outlets, que não é tão abastada como Palermo. Portanto não é uma questão de ordem social, mas sim cultural mesmo.

 

Antes de nos recolhermos para nosso descanso, demos uma passadinha rápida na sorveteria Un Altra Volta, que fica logo virando a esquina, onde compramos uma casquinha (cono) de chocolate ao run por $ 6,00 e um pote de 250gr de Dulce de Leche por $ 12,00. Ambos fantásticos. Perdição para a minha dieta.

Antes de terminar este relato, gostaria de registrar algo que reparei em nosso hotel. Por conta do meu trabalho acabo viajando bastante e já tive que ficar em cada muquifo com cheiro de mofo, entre outras coisas. No hotel em que estamos, cada dia tem um fragrância diferente no ar. Hoje era algo meio parecido com chocolate ou madeira (sou ruim para decifrar isso). Outro dia era alguma erva (sei que alguns hostel também cheiram a erva, mas não é dessa que estou falando, kkkkk) e por aí vai. Pode parecer meio frescura isso, mas é muito bom chegar no hotel sem ter cheiro de hotel.

 

Amanhã, se tudo der certo, vamos continuar a adaptação da Mariana com o animais indo para o Zoo de Lujan. Espero que o tempo ajude (ao menos a previsão diz que sim).

 

IMG_1008+(800x600).jpg

 

IMG_1042+(800x600).jpg

 

IMG_1048+(600x800).jpg

 

IMG_1072+(800x600).jpg

 

IMG_1073+(800x600).jpg

 

IMG_1133+(800x600).jpg

 

IMG_1140+(800x600).jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá Mahpa, tudo bem?

 

Agora que percebi que vc ESTÁ em Buenos Aires...rs doida eu...

 

Hummm bom neste caso, acredito que seja melhor eu levar valor em espécie, tentar trocar algumas notas por moedas, pq li no seu relato que nos onibus, se utiliza somente elas. E os demais levo mesmo em especie. Sobre os valores,estou acompanhando o relato, mas pela economia que esta ai, imagino que não esteja tao barato como ja foi, porém não tao caro em outros paises, então ficarei acompanhando pra ter um parametro. O ruim é que não tenho cartao de credito (que eu como mulher, acho até melhor rsrs), mas vou calcular e levar mesmo uma qtde aonde de pra supri todas as minhas necessidades....

 

Vou acompanhando e boa viagem pra ti e sua familia...

 

Olá Jana.

 

Usei o VTM na Europa em 2010 e na época não tive problemas. Agora em BA´s, depois de muita pesquisa, resolvi usar a seguinte fórmula:

 

- Trouxe R$ 400,00 e troquei por pesos pela cotação de 2,30, que vou utilizar para despesas mais básicas (táxis, alguns passeios, comidas mais baratas, etc.).

- Para as compras vou utilizar o cartão de crédito mesmo. Apesar do IOF, as taxas cobradas acabam chegando bem perto do valor do VTM, além de obter milhas com estas compras.

- Para emergências, caso seja necessário farei saques em caixas eletrônicos da minha conta corrente (neste caso o IOF é 0,38%, ao contrário do saque no cartão). fazendo um saque em valor mais alto, as tarifas acabam sendo amortizadas.

 

Resolvi fazer assim, pois muita gente disse que teve problemas com o VTM em BA´s.

 

Como ainda estou no meio da minha viagem, não me inteirei por completo dos valores. Como pretendo ir somente amanhã para a região dos outlets, ainda não sei como estão os preços. Mas já adianto o meu relato de hoje, onde fizemos uma comprinha básica no Carrefour, além de uma refeição no Shopping Paseo Alcort. Preço de shopping é igual em qualquer lugar, ainda mais aqui no bairro de Palermo onde estamos, que é uma região mais abastada da cidade.

 

Espero esclarecer em breve suas dúvidas sobre valores.

 

Abraços.

 

Olá Mahpa,

 

Espero que esteja tudo bem?

Estou lendo o seu relato, e me atentei que vc comenta sobre o VTM, eu utilizei ele qdo fui pra Europa o ano passado, porém, agora ele tem na moeda argentina, neste caso, como foi a utilização, aceitação, rede credenciada em Buenos Aires?

 

Outra dúvida, a economia esta complicada por lá, e informaram que as coisas estao muitoooooooooo caras, e pretendo levar uma media de AR$1500 para 4 dias, será que é um valor viavel pra levar?

 

Desde já agradeço sua ajuda,

 

abs

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.




×
×
  • Criar Novo...