Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

eniobeier

LAS VEGAS - YELLOWSTONE - SEATTLE - SAN FRANCISCO DE CARRO NO INVERNO/2012

Posts Recomendados

No mês de janeiro realizamos nossa terceira incursão por terras americanas. Desta vez, começamos nossa jornada por Las Vegas que não era mais novidade para nós, seria nossa terceira passagem por esta cidade incrível. A opção de iniciar por Las Vegas foi porque minha esposa queria assistir ao show da Celine Dion, no Ceasar Palace, e, diga-se de passagem , foi um ótimo show. Além da boa música os efeitos de palco também foram incríveis.

 

Depois de dois dias em Las Vegas pegamos rumo norte. Rodamos cerca de 680 km até a localidade de Park City/Utah, uma bela vila de montanha com muitas pistas de ski. Em nossas viagens de carro costumamos não fazer reservas antecipadamente pois nunca sabemos onde vamos estar ou chegar em determinado dia. Para nosso azar chegamos em Park City numa sexta-feira à tarde, a cidade estava lotada. Rodamos por vários hotéis sem sucesso. Ruas nevadas, frio intenso e como a noite chegava resolvemos seguir adiante mais 50 km e ir a Salt Lake City, que por ser uma cidade maior fica mais fácil achar onde encostar o esqueleto.

 

Salt Lake City, a capital Mórmon, cidade de porte médio com ruas largas e limpas. Talvez por ser inverno vimos pouco movimento pelas ruas. Um fato que nos causou curiosidade foi o policiamento ostensivo na cidade, muitas viaturas circulando pelas ruas além de viaturas paradas nas esquinas das avenidas principais. Por ser uma cidade muito ligada à igreja mórmon isto causa uma certa estranheza.

Não vi grandes atrativos no lugar. Acho que as principais atrações estejam nas montanhas, nos esportes de inverno. Na cidade propriamente talvez uma das principais seja o Templo Mórmon e o seu coral o “Tabernacle Mórmon Choir”, que possui fama internacional além do Capitólio de Utah, que fica numa parte mais elevada da cidade.

 

Capitólio de Utah, em Salt Lake City

20120427222337.JPG

 

Deixamos Salt Lake City e continuamos rumo norte. Tínhamos cerca de 520 km até nosso próximo destino, a cidade de West Yellowstone, no estado de Idaho. Aqui seria nosso ponto de apoio para visitação ao Yellowstone National Park.

À medida que íamos mais ao norte a paisagem foi mudando. Começaram a aparecer os campos nevados. A preciptação de neve também . No caminho passamos por várias cidades pequenas e interessantes como Pocatello e Idaho Falls e quanto mais próximo ficávamos de West Yellowstone maior era a quantidade de neve acumulada à beira da estrada e sobre a pista também...

 

A caminho de West Yellowstone

20120427223230.JPG

 

Casas cobertas de neve à beira da estrada

20120427223524.JPG

 

 

Nesta parte da Targhee Pass Hwy, estrada que leva a West Yellowstone. estava totalmente coberta de gelo, me senti como do filme “Caminhoneiros do Gelo”. Pista muito escorregadia, tínhamos que ter muita atenção na pilotagem e nada de manobras bruscas. Mesmo com a estrada assim em certos momentos consegui desenvolver cerca de 60 milhas/h, mas no geral a velocidade não passava de 40 milhas/h (+/- 65 km/h). O tipo de veículo escolhido também ajudou, tinha tração nas 4 e controle de tração que ajudava a evitar a tração em falso das rodas.

 

Uma breve parada para uma foto na estrada .

20120427224031.JPG

 

Chegamos a West Yellowstone no final do dia, ficamos no Best Western Cross Wind, bem na entrada da cidade. Nevava e fazia muito frio, algo como -10º.

 

Visual da rua principal de West Yellowstone

20120427224521.JPG

 

 

No inverno os únicos veículos que são permitidos trafegar no parque do Yellowstone são os Snowmobile e Snowcoach (veículos que tem suas rodas substituídas por esteiras). Saímos a procura de uma agência para contratar o passeio, optamos pela “Snowcoach Yellowstone” . Existem vários tipos de roteiro, ficamos com o que nos levaria até o gêiser “Old Faithful” ao preço de USD 109,00 por pessoa, mais USD 5,00 pelo aluguel das botas para neve. Eles nos pegaram no hotel às 8:00hs da manhã e o retorno previsto para 15/16:00hs.

 

Veículos utilizados para tours pelo parque no inverno

20120427224816.JPG

 

O parque coberto de neve tem um visual incrível. Apesar do clima extremo dizem ser no inverno que o parque mostra todo seu esplendor.

 

Morning Glory Pool

20120427225113.JPG

 

O inicio do passeio foi com sol, mas não demorou muito e tudo mudou, começou a nevar e o frio a se intensificar. Dentro do parque chegamos a experimentar a temperatura de -15º e devido ao vento a sensação térmica ficou próxima a -20º. A calça jeans que usava simplesmente congelou, parecia que não estava usando nada. Nunca senti um frio tão intenso na vida.

 

Árvore congelada

20120427225446.JPG

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

No nosso tour conseguimos visualizar alguns animais que formam a fauna do parque como patos, águias, bisões, lobos, coiotes, cervos. Vimos também um bisão que tinha sido atacado por lobos e estava muito machucado. Nosso guia falou que provavelmente os lobos voltariam à noite para terminar o serviço. Muito sinistro.

O gêiser Old Faifhful, a principal atração do parque, espirra água a até 50 mts em intervalos regulares. Junto ao gêiser tem o “Visitor Center” com um museu que conta a historia do parque, que na realidade é um grande vulcão. Tem também restaurantes e lojinhas de lembranças.

 

Old Faithful Visitor Center

20120427230024.JPG

 

Cabanas no Yellowstone Park

20120427230216.JPG

 

De volta à cidade de West Yellowstone arrumamos as coisas para seguir a viagem na manhã seguinte para o nosso próximo destino que seria Seattle, 1.220 km depois. No caminho faríamos um pernoite na cidade de Spokane, no estado de Washington. Passaríamos ainda que rapidamente pela bela cidade Leavenworth, que possui um estilo bávaro e Redmond, cidade sede da poderosa Microsoft.

 

Tirando a neve do carro para seguir viagem

20120427230635.JPG

 

Leavenworth, cidade stilo bávaro no caminho à Seattle

20120427230940.JPG

Chegamos a Seattle debaixo de muita chuva, que nos acompanhou pelos dois dias que ficamos na cidade. Eventualmente dava uma trégua. Seattle é uma bela cidade, berço do movimento grunge e de muitas bandas que atingiram sucesso mundial como Nirvana, Pearl Jam, Alice in Chains. Lá também é a sede da Starbucks e Boeing.

A principal atração da cidade é o Space Nedle, torre de 184 mts construída para feira mundial de 1962. O ingresso custa USD 19,00. Do mirante tem-se uma bela visão da cidade e do porto que rende muitas fotos. Do Space Needle sai um trenzinho que vai até o principal shopping de Seattle. Outro lugar bacana é Alki Beach, principalmente ao entardecer. De lá vc tem uma visão frontal do ski-line da cidade. À noite fica lindo de se ver.

Para quem aprecia a aviação o museu aeroespacial, que fica dentro das dependências da Boeing, é uma ótima pedida. Lá encontra a história desta gigante da aviação, vários aviões das mais variadas épocas, uma réplica dos módulo espacial do projeto Apolo e outro da estação espacial. Na parte externa do museu tem algumas relíquias que vc pode visitar. Eu destaco o primeiro Boeing 747, um antigo Air-Force One (Boeing 707) e um Concorde, entre outras aeronaves. Todas abertas para visitação do seu interior.

 

Space Needle

20120427231207.JPG

 

Visual de Seattle do deck de observação

20120427231515.JPG

 

Concorde – Museu da Boeing

20120427231704.JPG

 

 

 

De Seattle começamos a voltar, pegamos agora rumo sul até a cidade de Portland que fica a apenas 280 km dali. Em Portland ficamos pouco tempo, o suficiente para dar uma volta pela city e como não vimos nada muito interessante resolvemos seguir adiante, tínhamos como meta seguinte o Redwood National Park, que ficava a 560 km adiante. Acabamos pernoitando num hotel da rede Best Western que ficava pelo caminho. Aqui aconteceu um fato interessante, quando paramos no acostamento da estrada para consultar o GPS para saber onde ficava o hotel mais próximo, do nada, apareceu uma viatura da Policia Americana (California Highway Patrol) parou atrás do nosso veículo com as luzes ligadas. Dela saiu um policial já com lanterna numa das mãos e a outra sobre a pistola, veio direcionando o facho de luz direto ao meu rosto. Confesso, fiquei assustado. Como viu que estava com esposa e filho e não representávamos um perigo maior (rsrs) abaixou a luz e perguntou qual o problema. Informamos que estávamos apenas consultando o GPS para saber do hotel mais próximo. Quis saber ainda se eu estava cansado de dirigir. Com a negativa perguntou se podia ajudar em mais alguma coisa e como dissemos que não nos desejou boa viagem. Fiquei impressionado com a rapidez da abordagem, até parece que estava atrás de uma árvore esperando alguém parar para abordar. Sinceramente, não vi de onde ele apareceu mas o tratamento sempre foi muito educado. Foi uma nova experiência e uma nova história para contar.

 

 

O Redwood National Park é cortado pela HWY101 a partir de Crescent City onde temos a entrada norte. Este parque é formado pelas sequóias, árvores gigantes que podem atingir mais de 100 metros de altura, seu tronco pode ter algumas dezenas de metros de circunferência e podem viver milhares de anos. Existe um exemplar no Parque das Sequóias/CA, a General Sherman, que estimam ter entre 2.300 e 2.700 anos. Ainda no Redwood Park passamos pela Giants Avenue, que é uma estrada vicinal com aproximadamente de 19km. A atração desta rodovia é que ela foi aberta entre uma floresta de Sequóias, tem um traçado muito sinuoso e de muita beleza. Vale a pena fazer estes quilômetros a mais. Para quem chega pelo norte da HWY 101 a rodovia começa na localidade Myers Flat terminado um pouco ante de Garberville.

 

 

Giants Avenue – Redwood Natl. Park

20120427232800.JPG

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Fomos conhecer também a Chandelier Tree, que fica na localidade Legget. Trata-se de uma sequóia gigante que tem um túnel escavado em seu tronco que dá para passar com o carro. Ao longo da rodovia vc encontra ainda outras curiosidades como uma sequóia que foi transformada em casa e o parque do Paul Banyon e do Touro Babe, personagens que fazem parte do folclore americano.

 

Drive thru Chandelier Tree

20120427233233.JPG

 

 

Nosso objetivo seguinte era rever a cidade de San Francisco, onde estivemos em 2010. Naquela oportunidade chegamos por Oakland alcançando San Francisco pela Bay Bridge. Desta vez chegaríamos por Sausalito, passando pela Golden Gate. Aqui foi o único lugar em toda a nossa de viagem que tivemos que pagar pedágio, se não estou enganado foram USD 6,00.

 

Golden Gate

20120427233503.JPG

 

 

Em San Franciso ficamos hospedados na região do Presídio, bairro bem interessante com muitos bares e gente circulando. Fizemos os passeios tradicionais como Píer 39, Lombard St., passeio de Cable Car, Union Square, Museu da Família Disney, Golden Gate Park, Coit Tower, Álamo Square (onde se localizam aquelas casinhas iguais), Chinatown. Não fomos até a ilha de Alcatraz porque minha esposa não gosta de barcos, enjoa muito fácil. Como estávamos de carro rodei bastante pela cidade, saímos para regiões não muito visitadas por turistas como Point Lobos, China Beach e o bairro Bella Vista, de onde se tem um belo visual de San Franciscco.

 

Painted Ladies – Álamo Square

20120427233911.JPG

 

 

San Francisco foi o ponto final da nossa viagem. Percorremos de carro cerca de 4.500 km em 15 dias. Passamos pelos estados de Nevada, Utah, Wyoming, Montana, Idaho, Washington, Oregon terminando na Califórnia.

 

A exceção de Las Vegas onde ficamos no Hotel Monte Carlo, nas demais localidades optamos pelos motéis da rede Days Inn e Best Western que sempre oferecem uma boa hospedagem por um preço justo e, também, por possuir estacionamento sem custo adicional.

 

Nosso companheiro nesta viagem foi um Hyundai Santa Fé alugado na Álamo (retirado em Las Vegas e entregue em San Francisco), através da Happy Tours, ao custo total de USD 884,00, já incluso impostos, seguros e motorista adicional.

Combustível:

- mais barato 2,889/gl em Salt Lake City/Utah

- mais caro 3,899/gl em Piercy/California

Total gasto em combustíveis foi de USD 550,44. Foram percorridos o total de 2.839 milhas (cerca de 4.540 km). Pedágios: apenas 1 - USD 6,00.

Logo nos primeiros dias da viagem, em Salt Lake City, compramos na loja da Walmart um conjunto de correntes para os pneus da Santa Fé, que acabamos não usando. No nosso penultimo dia fomos a uma loja da Walmart, em Oakland, e pergutamos se poderiamos devolver no que fomos prontamente atendidos. Ainda poderíamos escolher se queriamos a devolução em espécie, crédito no cartão ou em mercadorias. A atendente nos informou ainda que poderíamos fazer esta troca em qualquer loja da rede nos Estados Unidos desde que o produto não tivesse sido usado e estivéssemos com a nota de compra, que foi o caso. O interessante é que na devolução recebi mais dinheiro do que o gasto na compra. Paguei por elas algo em torno de USD 69,00 e recebi retorno de pouca mais de USD 73,00. Não entendi. Será que algo a ver com o imposto??

 

Na parte internacional a companhia aérea que usamos foi a American Airlines, no inicio fiquei receoso pois foi logo após a decretaçãoda concordata dela mas correu tudo bem, voos tranquilos, horários cumpridos à risca e atendimento a bordo dentro dos padrões sem frescuras, apenas correto. É isto, agora é esperar por fevereiro de 2013 quando faremos nova viagem aos Estados Unidos. Desta vez iremos para o leste. O roteiro já está em estudo mas basicamente será New York, Philadelphia, Washington, Niagara Falls, Boston, New York.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá Beier! Estou indo para Califórnia em 05-02-13 e vou fazer uma viagem parecida com uma das tuas: vou chegar em São Francisco, ficar uns 3 dias, depois ir rapidamente ao Napa Valley, uma noite, e seguir rumo ao sul dando uma passada tbém rápida no Vale do Silício (San Jose). A partir daí meu destino é Los Angeles, de onde sai meu voo de volta a Porto Alegre, e queria uma sugestão tua. Qual a melhor forma de conciliar a viagem se quero rodar o melhor da HW-1 e visitar pelo menos um parque onde eu possa ver as sequoias gigantes. Vi no mapa que os parques (Yosemite, Kings Canyon) ficam a cerca de 200 milhas da costa. Que parte da HW 1 posso deixar de fora para ir até um deles e qual deles se encaixa melhor neste plano? Ou o melhor é entrar no continente e voltar no mesmo ponto? Ou ir até eles a partir de San Jose e depois voltar para pegar a HW no início? Já vi que você não tem medo de grandes distancias, mas eu não queria ziguezaguear demais, pois tenho 2 guris e eles começam a incomodar depois de muito tempo de estrada, sabe como é. Também vi que voce pegou neve. Eu até estava pensando em alugar uma van pois os 2 guris são compridos e seria melhor para eles se espicharem, mas em função da tua dica vou de SUV. Como é fevereiro? Em qual dos parques corro menos risco de pegar nevasca e assim conseguir ver uma Giant Redwood?

Obrigado pela ajuda

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Jahcao

 

Uma possibilidade seria seguir pela HWY-1 de San Francisco até a localidade de Cambria, desta forma vc pegaria a parte mais legal da HWY-1. De Cambria deixe a 1 e pegue sentido norte em direçao ao Sequoia National Park passando por Paso Robles e Visalia. No parque das Sequoias vc verá as maiores árvores do mundo como a General Shermann e a General Grant.

Em fevereiro vc pegará um pouco de neve dentro deste parque mas nada que impeça um belo passeio.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Beier,

E se eu fizer esta saida da HW-1 a partir de Cambria, vale a pena voltar à costa para continuar indo a Los Angeles? Se as paisagens deste segundo trecho forem legais eu prefiro fazer uma rota maior com visual legal do que pegar uma autoestrada rápida. Depois do parque ainda terei uns 3 dias até chegar a Los Angeles, onde pretendo ficar só um dia.

Outra alternativa que andei vendo seria ir de San Francisco a Yosemite passando por Vacaville para fazer compras, depois retornando ao começo da HW-, passando por San Jose para conhecer o Vale do Silicio e Stanford. Sei que dá uma volta grande, mas saio de San Francisco segunda e só vou pegar o voo de volta no domingo em Los Angeles. Neste caso, se tiver que escolher entre Yosemite e o Parque das Sequoias, qual tu acha mais interessante? Uma última pergunta: suponho que nesta época seja preciso botas de neve para caminhar nos parques. Voce levou junto contigo ou é possivel alugar perto do parque?

 

Um abraço

 

Jahcao

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Jahcao

 

Depois de Cambria ainda tem alguns atrativos junto a HWY-1 como as localidades de Solvang e Santa Bárbara e as famosas praias de Malibu e Santa Mônica.

 

Entre Yosemite e o Parque das Sequoias a minha opção seria por Yosemite que é muito bonito mas se sua intenção é ver as gigantes Redwoods o melhor é o parque das Sequoias. Mas aqui cabe uma pergunta, voce já pensou na possibilidade de visitar os dois parques que ficam relativamente perto um do outro? A não ser que você tenha algum motivo especial para visitar o vale do Silício e Napa Valley eu os deixaria de fora e incluiria os parques no roteiro. Isto implicaria num roteiro mais complexo mas com paisagens bem impressionantes. Pense nisto!

 

Não levamos calçados especiais ou botas, usamos tênis comuns mesmo mas se for caminhar fora das trilhas onde a neve está mais fofa tenha a certeza que irá ficar com os pés molhados e frios :lol:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Beier, a idéia de passar por Napa Valley é porque é perto de SF e aproveito e emendo ela com Sausalito. Vi fotos e achei muito bonito, só não sei se no inverno fica muito seco. San Jose eu gostaria de visitar para mostrar aos meus guris a garagem onde o Steve Jobs começou a Apple, a sede do Google e a casa onde começou a HP. E também estaria no caminho do meu retorno ao inicio da HW-1, depois de ter ido aos parques. Mas ainda estou costurando o roteiro. Por enquanto tenho as passagens de ida (via Smiles até San Francisco) e a volta ainda não comprei, mas deverá ser a partir de LA, via Copa. Já mudei 2 vezes a data da volta, em função do roteiro estar encorpando. Hoje trabalho com a data de 18-02, o que me dá 12 dias livres na California. Está mais ou menos assim:

 

06-02 chegada em SF as 10.30

07-02 SF

08-02 SF

09-02 sabado: a tarde ida a Sausalito e Napa Valley, dormindo em Napa

10-02 domingo: de Napa a Mariposa, parando em Vacaville

11-02 Yosemite (um dia aqui é suficiente?)

12-02 (Sequoia ou um dia a mais em Yosemite)

13-02 (dia extra, para ajustar o roteiro, esticando a ponta de cima ou o meio)

14-02 ida a San Jose, Palo alto e Half Moon Bay

15-02 HW 1 Monterey e Carmel

16-02 HW 1 Santa Barbara

17-02 LA

18-02 voo de volta saida as 10.30

 

Outra opção que pensei seria ir só a Yosemite e depois, quando chegar em San Jose, ir aos parques ali próximo, como o Big Basin Redwood, onde parece que tbem há sequoias gigantes. Esta seria uma opção caso o Parque das Sequoias seja só de Sequoias mesmo. E também tenho o recurso de usar LA só como aeroporto, já que quase todos falam que LA não vale muito a pena. Isto me daria praticamente mais um dia para os outros lugares

Tou te alugando bastante mas pesquisei bastante aqui no Mochileiros e tu é talvez o único que fez estes trajetos na mesma época que eu, no inverno deles. Obrigado pela ajuda!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Jahcao

 

O Yosemite pede pelo menos um dia inteiro. Quando fui pernoitei em Mariposa, dediquei o dia seguinte inteiro ao parque. Já o parque das sequoias, como o nome já diz, a atração principal são as árvores gigantes mesmo.

LA vc pode conhecer as atrações principais em 2 dias sendo o primeiro para região de Hollywood (calçada da fama, teatro Chines, etc), Beverly Hills, Rodeo Drive. No segundo dia vale uma escapada até Santa Mônica para perder algum tempo no tradicional Pier onde finda a Route 66 e depois dar uma caminhada pela Third St. Promenade.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Ok Beier,

Já está dando para visualizar o roteiro. Mas vou deixar ele meio flexivel e aguardar para ver como vai estar o tempo por lá nessa época.

Uma dúvida que tenho é que vi que há várias opções de acesso ao Yosemite, uma delas que é muito recomendada é a Bishop se não me engano. Existe algum risco do GPS me mandar para um caminho que esteja bloqueado pela neve ou há uma sinalização no início de um caminho que esteja nestas condições?

Outra dúvida: pelo Google maps a distancia entre Yosemite e Sequoia é 227 km via Fresno, só que percebo que é um caminho por montanha e bem sinuoso. Qual o tempo que devo reservar para este percurso caso a estrada esteja com neve?

Abç

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.




×
×
  • Criar Novo...