Ir para conteúdo

Berlin, Dresden, Praga, Cracóvia, Vienna, Salzburg, Budapest e Bratislava - Set/2008


Posts Recomendados

  • Membros de Honra

Fala aí galera

 

Bom, aqui começa o relato da minha última trip pela Europa, baseado principalmente no Leste Europeu.

 

As fotos estão publicadas no http://celsojtsukase.multiply.com/photos

 

Quem me acompanhou neste trip foi o Eugenio, um brother que conheci numa viagem a muitos anos atrás e sempre que possível a gente faz umas viagens por aí.

 

Legendas:

E - Euro

Zl - Zloty ( moeda polonesa - ver a cotação do dia)

CZ - Coroa ou Czacs (moeda Tcheca - ver a cotação do dia)

 

06/09 - o início

 

Pegamos o vôo São Paulo/Paris pela Air France as 16:30 hs (horário de Brasília), chegando em Paris por volta de 06:00 hs (horário europeu) do dia 07/09. Tivemos que correr, pois a conexão Paris/Berlin ia sair as 09:00 hs, e quem conhece o aeroporto Charles de Gaulle, sabe do que estou falando, pois o aeroporto é enoooormeeee, saímos correndo para o portão correto, muita fila, ainda bem que o vôo atrasou. O valor da passagem aérea SãoPaulo/Paris/Berlin e Berlin/Paris/São Paulo custou aproximadamente R$ 2500,00.

 

07/09 - Berlin - a chegada

 

Cheguei em Berlin por volta de 11:00 hs da manhã no aeroporto Tegel. Tem um o ônibus ( E 2,20) que vai diretamente para a AlexanderPlatz no centro da cidade. De lá pegamos o S-bahn para a estação XXXXX onde ficava o albergue SunFlowers que a gente tinha reservado.

 

As redes de tranporte coletivo são todas interligadas em Berlin, então pude usar o ticket do ônibus no S-bahn, não esquecendo de validar o ticket antes de entrar no ônibus/trem. O ticket vale por 2 horas. S-bahn é o trem de superfície e U-bahn é o metrô.

 

Este lance de validar o ticket eu já havia lido bastante, e da primeira vez que estive na Alemanha em 1998 eu já havia observado que não existem catracas nas estações de trens/metro e não tem cobrador nos ônibus, porém todos compram seu ticket e validam direitinho. Você pode comprar o ticket nas máquinas automáticas e raras vezes tem algum guichê que vende. Claro que existem alguns metidos a besta que se vangloriam de ter tomado o trem sem ticket, mas se é pego pelo fiscal está ferrado. É multa na certa e não tem nada de que não entede a língua e tal.

 

Chegamos no albergue SunFlowers, custou E 22,50 por dia, sem café. Custo um pouco mais caro pois pegamos um quarto pra 2 pessoas, sabe como é, estamos ficando velhos e um pouco de sossego faz bem. A internet custava E 0,50 por 10 minutos. Mas pra quem tinha laptop, tinha wi-fi de graça no albergue inteiro.

 

Largamos as coisa no albergue, e saímos pra um rolê. Andamos um quarteirão e que sorte, chegamos sem querer na East Side Gallery, uma galeria a céu aberto onde ainda está a mais bem conservada e maior parte do que restou do muro de Berlin ! Isso a 5 minutos do albergue. Muitas fotos, claro que quebrei um pedaço do muro de Berlin, foi a mais barato e mais preciosa recordação que trouxe de lá ! Só de imaginar o quanto de história tem naquele pedaço de pedra, é de arrepiar...

De lá continuamos andando, beirando o Rio Spree, que corta a cidade inteira e chegamos na AlexanderPlatz.

 

Lá encontrei a salvação para me alimentar, o MacDonald´s !! 1 chesseburguer custa

E 1,00 e 1 big mac custa E 3,90. Peçam sempre refrigerante pequeno, pois o refil é gratis hahahahaha.

 

Na AlexanderPlatz fica a famosa torre de TV da RDA. Lá pertinho também fica a Rathaus, a prefeitura de Berlin. Andando um pouco mais fica a Catedral de Berlin, nossa, uma coisa enorme e bonita. Muitas fotos nestes locais.

 

De lá voltamos a pé para o albergue, aí fui descobrindo que o albergue fica na parte onde era a parte oriental de Berlin, dá pra perceber na arquitetura dos prédios uma semelhança entre todos.

 

Pra jantar, pizza ! Comprei também umas bolachas no supermercado, pois o café da manhã no albergue custava E 3,00.

 

08/09 - Berlin - rolê pela cidade

 

Nossa, que dificuldade pra levantar. Coloquei o despertador pra me acordar as 09:00 hs (horário europeu), o que equivalia a 04:00 hs no horário de Brasília, esse é o famoso Jet-leg, o corpo fica detonado mesmo, tem que pegar no tranco para conseguir levantar.

 

Pegamos o S-bahn ( E 2,20) até a estação Charlottenburg. De lá tem que fazer uma pequena caminhada até os Palácios de Charlottenburg, bem bacana, vale a visita com mais tempo, pois lá se encontra o Museu Egipcio. Como o tempo estava meio apertado, não deu pra visitar.

 

De lá caminhamos até a Coluna da Vitória, famoso no clip do U2 da música Stay, onde o Bono Vox fica em cima da estátua da coluna. Lá sempre ocorrerem também os shows e os eventos da cidade. Dá pra subir até perto da estátua, tem trocentos degraus, a entrada custa E 3,50. Vale a vista lá de cima.

 

Seguindo a avenida 17 de Junho, passamos pelo Tiergarten, um parque enorme e pelo Zoo de Berlin.

 

Esta avenida termina no famoso Portão de Brandenburgo e ao seu lado fica o Reichtag, o parlamento alemão.

 

Vale muito pegar a fila e visitar o Reichtag, imperdível, lá tem uma vista fantástica da cidade, e sem falar que aquela cúpula de vidro é sensacional. As fotos da guerra que estão expostas lá dentro também valem a pena ver.

 

Do portão de Brandengurgo continua a Under Den Liden, uma das avenidas mais famosas de Berlin, com muitas lojas e movimento. Numa rua paralela, fica o monumento aos judeus, meio esquisito, mas vale a visita.

 

De lá seguimos caminhando até o Topografy des Terror, um museu a céu aberto, junto a outro pedaço do muro de Berlin, onde mostra a história do muro, fotos nazistas, etc. Entrada gratuita.

 

Seguimos caminhando até o Checkpoint Charlie, onde ficava exatamente o posto de controle do que e quem podia sair/entrar na parte oriental da cidade. Ainda existe uma casa simbolizando este posto. Lá também fica o museu Checkpoint Charlie, a entrada custa E 7,50 e é obrigatório deixar suas coisas no locker - E 2,00. Achei bem caro esse museu, e seu acervo é até interessante, mas não vale o valor não.

 

Lá também comi o primeiro de muitos kebaps - aqui no Brasil conhecido como churrasquinho grego, aquela carne que fica girando num espeto o vão cortando os pedaços servindo num pão, pois é, lá tem isso, mas na sua maioria quem faz são os turcos, e lá é um lanche normal, todos comem. Na média em Berlin custa E 2,50. Comi vários, e estou vivo ainda, por isso recomendo.

 

De lá seguimos caminhando de volta ao albergue, com paradas para compra de lembranças e muuuiiitttass fotos.

 

No albergue, claro, cerveja. Na média custa uns E 2,00.

 

09/09 - Berlin - day trip para Potsdam

 

Saímos do albergue para um day-trip, que é simplesmente ir a uma cidade nas redondezas e passar o dia lá.

 

Tomamos o trem ( E 2,80) com destino a Potsdam, fica a aproximadamente 2 horas de trem de Berlin.

 

Potsdam era a cidade onde os reis antigamente passavam as férias, por isso tem tantos palácios e castelos lá.

 

O palácio mais famoso é o Sanssouci, lembra bastante o palácio de Versalhes em Paris, na verdade aquilo hoje é um parque composto de vários palácios todos abertos a visitação.

 

Dá pra fazer tudo a pé, ir da estação de trem até o parque e voltar tranquilamente.

 

Na volta, o menu do jantar foi kebap pra variar.

 

10/09 - Saída de Berlin com destino a Dresden

 

Saímos do albergue logo pela manhã, direto para a estação central ( Hauptbahnhop) onde compramos passagem para Dresden ( E 25,00).

 

A viagem demorou aproximadamente 2 horas.

 

Chegamos em Dresden um pouco depois da hora do almoço e fomos direto ao albergue Lollis - E 16,00 por dia, sem café. Porém eles disponibilizam de manhã café, chá, manteiga, geléia, você só tem que simplesmente comprar seu pão que o resto é de graça. Lá tem uma cozinha bem equipada também, tudo a disposição, nem precisa falar que isso me fez economizar bons euros. Mas também cansei de comer macarrão hahahahah. O albergue é bem bacana, o pessoal lá dá bastante dica de passeios e bons descontos em bares e restaurantes

 

O metro de superfície custa E 2,10, dá direito a usar qualquer meio de transporte por 1 hora.

 

Largamos as coisa no albergue e saímos caminhando. Os pontos turísticos ficam na beira do rio Elba, onde tem várias igrejas, museus, palácios, etc. Muito legal, tirei várias fotos da hora lá.

 

De volta ao albergue, botei minhas práticas culinárias pra funcionar e fiz um belo macarrão.

 

Desta vez não conseguimos pegar um quarto só pra nós, dividimos o quarto com mais 4 pessoas, mas os caras eram gente boa, todos alemães que estavam estudando lá, foi legal pra aprender um pouco mais sobre a cultura deles.

 

11/09 - Konigstein e Rathen

 

Vi umas fotos no albergue e fiquei interessado em conhecer Konigstein, uma castelo no alto de uma montanha, muito bem conservado.

 

Pegamos o trem ( E 10,50 - ida e volta) direto para Konigstein, e chegando lá realmente pude comprovar que o que as fotos lá no albergue mostravam.

 

O castelo é simplesmente fantástico, foi um dos pontos altos da viagem, parecia aquelas coisas de filme mesmo, paredões pra todos os lados, portões de ferro, calabouços, sem falar na vista maravilhosa de cima do castelo de toda a região.

 

Pra chegar no castelo, da estação de trem sai um ônibus ( E 5,00 ida/volta) que vai até a porta do castelo. Pra entrar no castelo custa E 4,00. Lá tem um elevador que vai até a parte mais alta, onde tem uma vista 360º da região inteira.

 

Eu tirava fotos de tudo lá, nunca tinha visto nada igual. As casas que haviam dentro da fortaleza hoje viraram museus e restaurantes.

 

Eu ficava andando pra cima e pra baixo vendo tudo o que era possível. Valeu muito a pena ir lá.

 

Saindo de lá, tomamos o ônibus de volta a estação de trem, e pegando o trem de volta pra Dresden, dá pra descer em Rathen e visitar um parque com várias formações rochosas bem interessantes.

 

A entrada neste parque é grátis, vale bastante a pena pois a gente sobe uma escadaria desgraçada, mas a vista de cima dos rochedos compensa bastante, bem bacana lá. Lembra bastante o Grand Canyon. Tem bastante local pra fazer trilha.

 

De volta a Dresden, dá lhe macarronada. Muito bom pra variar, modéstia a parte hehehehe.

 

Conheci 2 brasileiros no albergue neste dia, os caras estavam estudando lá.

 

12/09 - Destino a Praga

 

Pegamos o trem logo pela manhã, de Dresden à Praga dá umas 3 horas de viagem, e a paisagem é fantástica, pois o trilho do trem vai beirando o Rio Elba. Esta passagem custou E 26,30.

 

Chegamos em Praga, nossa, bem louco estar num país onde não se entende nada que está escrito nas ruas e não se entende nada que se fala nas ruas. Alemão ainda vai, pois eu estudei aqui em Sampa, mas Tcheco, putz, sem chance. Isso sem falar que voltou aquela coisa chata de ter que trocar dinheiro, pois a Rep. Tcheca não adotou o euro ainda.

 

Pegamos o metrô (CZ 36,00) com destino ao albergue Travellers Dlowa Hostel. A diária saiu por CZ 490,00, quarto para 3 pessoas, com café da manhã muito bom por sinal.

 

Largamos as coisas no albergue e saímos para caminhar. Pegamos antes um mapa no albergue, todo albergue tem isso.

 

Praga é pra simplesmente caminhar pelas vielas, cruzar a Charles Bridge ( lotaaaaada de turistas) subir as ruas e chegar no castelo de Praga, onde se tem uma vista maravilhosa da cidade. Muitas igrejas e palácios, bem coisa do leste europeu mesmo. Sorte que o tempo estava bom, muito sol. Muitos brasileiros também, vira e mexe ouvia umas palavras conhecidas.

 

A cerveja tcheca também é muito famosa e boa, e comprovei, putz, depois de andar praticamente a cidade inteira caiu muito bem !

 

13/09 - Kutna Hora

 

Saímos logo cedo com destino a Kutna Hora, o trem custou CZ 175 (ida e volta), a viagem dura umas 2 horas.

 

A maior atração de Kutna Hora é o Ossuário, uma igreja toda decorada internamente com ossos humanos, tem ossos de mais de 4000 pessoas lá. É simplesmente sinistro ! Nunca tinha visto nada igual. Esta igreja fica a uns 20 minutos caminhando da estação de trem de Kutna Hora, é só seguir as placas. Pra entrar no Ossuário custa CZ 40,00. O ossuário é pequeno, mas é de outro mundo, vale muito a pena a visita.

 

Na cidade também tem outras igrejas, tem uma no centro enorme, dá pra ir a pé, demora uns 40 minutos.

 

Voltamos para Praga no final do dia, passei no supermercado pra comprar umas tranqueiras pra comer e voltamos pro albergue.

 

14/09 - Rodando em Praga

 

Domingão, resolvi ficar de boa, dormir até mais tarde, caminhar tranquilamente por Praga. Aproveitei pra fazer umas compras, lembrancinhas e tal. Dia de turista normal....

 

15/09 - Karsltejn

 

Último dia em Praga, tinha que enrolar o dia inteiro, pois só ia pegar o trem tarde da noite com destino a Cracóvia.

 

Resolvemos então visitar um castelo próximo a Praga, em uma cidade chamada Karlstejn. O trem pra lá custou CZ 64,00, 1hora de viagem.

 

Estava um frio desgraçado, garoando pra caramba, um tempo horrível, pode ter algo pior ? Sim, pode sim, como era segunda-feira, o maldito castelo estava fechado !! Sim, fechado....que droga, demos de cara na porta...mas deu pra tirar boas fotos, o castelo é muito louco por fora.

 

Voltamos a Praga e tivemos um baita chá de estação de trem, pois o trem para Cracóvia só iria sair as 23:00 hs, O trem custou CZ 725,00. Cansei de comer pão com qualquer coisa, tive que gastar todas as Coroas Tchecas, pois só lá dá pra usar......

 

16/09 - Cracóvia - frio e garoa....

 

Após uma noite muito mal dormida no trem, chegamos em Cracóvia. Chegamos muito cedo, nada estava aberto ainda, tentamos sair andando mas estava garoando e frio, esperamos as lojas abrirem para arrumar um mapa. Porém não adiantou muito, pois saímos na direção errada e demos uma baita volta na chuva até chegar no albergue. Isso sem falar na coisa chata de ter que trocar dinheiro de novo.

 

Ficamos no albergue Premiun Hostel, a diária custou ZL 45,00 sem café. Hostel muito bom, apenas 4 camas no quarto com banheiro dentro, calefação ( aliás, todos os albergues tem), uma ótima cozinha, e 1 computador com internet grátis.

 

Como estava frio, garoando, a cama era muito boa, fiquei o resto do dia dormindo, pois estava muito cansado e não tava afim de encarar o frio. Só saímos pra comer uma pizza, e aproveitei pra passar no mercado e comprar comida pra fazer na janta. Comida entenda-se macarrão com alguma coisa heheheheh. Fiz uma bela macarronada, com direito a queijo ralado que um cara que estava no meu quarto me deu....

 

17/09 - Cracóvia - continua o frio e garoa...

 

Como já tinha pegado as manhas de usar as cozinhas dos albergues, este era a mesma coisa, tinha água quente, café e chá de graça aos hóspedes, eu só tinha que comprar o pão e alguma coisa, eu tinha comprado um requeijão, mas não resisti e acabei "pegando emprestado" a Nutella de alguém que tinha guardado na geladeira... crianças não façam isso....

 

Como estava um tempo horrível ainda, resolvemos ir a Wieliczka, onde se localiza a famosa Mina de Sal.

 

Pra ir lá tem que pegar um ônibus de linha que sai da frente do shopping, é onde se localiza a estação de trem e de ônibus, não tem como errar. O ônibus custou ZL 5,00. Até então, só tinha pego trem e metrô, onde é mais fácil se localizar e comprar o ticket, mas no ônibus não tem cobrador que nem aqui, só uma máquina onde você coloca as moedas, até aí beleza, mas e pra entender o que está escrito em polonês ? cassilda, ainda bem que uma mulher viu nossa cara de perdido e nos ajudou a comprar o ticket. É uma sensação estranha estar em um lugar e não entender nada que está escrito na rua nem nada que o pessoal fala....

 

A viagem até a mina demora uns 40 minutos, o ônibus te deixa quase na entrada.

 

A entrada custou ZL 58,00, na verdade custava ZL 48,00, mas tinha que pagar mais ZL 10,00 para poder tirar fotos.... e pegamos o guia polonês, era mais barato, o guia que falava inglês custava uns ZL 10,00 a mais....vai entender....putz, mas aguentar o guia falando polonês também foi punk, boiei o tempo todo, e não dá pra fazer a visita sem guia..... então, resumindo tudo, na boa, não curti muito não, a gente desce um escadão e chega nas minas, e lá embaixo tem muitas estátuas feitas de sal e um enorme salão, onde tem uma igreja, tudo feito de sal. É bem bacana, impressionante, mas é bem aqueles passeios "pega-turista" .....mas fazer o que né, ir até lá e não ir na mina, não dá né....

 

Voltamos no final do dia, o frio e a garoa continuava, cheguei no albergue, e botei minhas práticas culinárias pra funcionar, fiz um belo macarrão, desta vez incrementado com salsicha !!

 

18/09 - Cracóvia - adivinha ! frio e garoa....

 

Este era uns dos dias que eu mais esperava, pois era o dia reservado para Auschwitz.....pra quem não sabe, Auschwitz foi o maior campo de concentração nazista que existiu, e hoje é um museu onde conta a história de muitas pessoas que morreram lá e que sirva de lição pra nunca mais acontecer algo parecido no mundo.

 

Pra ir até Auschwitz tem um ônibus que sai da estação de ônibus no shopping, vai direto pra lá e custou ZL 16,00.

 

Pra entrar no museu Auschwitz é de graça, e você pode pegar uma visita guiada. Mas não é tão necessário um guia, pois em todos os prédio, que agora viraram museus, tem placas explicando a história de cada prédio, o que eram, como funcionavam....para respeitar as vítimas, não era permitido fotos dentro dos prédio...a câmara de gás e os fornos são horripilantes.

 

Auschwitz era um dos campos, existia outro chamado Auschwitz 2, também conhecido como Bikernau. De Auschwitz tem um ônibus ( de graça) que vai até o Bikernau de hora em hora.

 

Eu gostei muito mais do Bikernau que Auschwitz, porque Bikernau está mais natural, lá é possível visitar onde as vítimas dormiam, como era quando eles chegavam, isso sem falar no que foi destruído com o final da guerra.

 

O clima lá realmente é muito pesado, o tempo todo eu pensava como foi possível alguém fazer aquilo ? Tá louco viu....

 

Valeu muito a visita, gostei muito, recomendo.

 

Voltamos a Cracóvia, tem um ônibus que sai de dentro de Auschwitz, custou ZL 10,00.

Chegando no albergue, adivinha o que foi a janta ? ahhh claro, macarrão com salsicha !!

 

19/09 - Cracóvia - claro né, frio e garoa....

 

Último dia em Cracóvia, então tinha que fazer turismo na cidade, pois até então só tinha ido a lugares fora da cidade.

 

Visitamos a praça central, onde tem uma igreja enorme. Lá também tem uma feirinha onde dá pra comprar lembranças.

 

Como toda cidade do leste europeu, tem um rio e do lado do rio tem um castelo. O castelo é bem bonito, mas naquele frio e garoa ficava horrível hahahahaha....lá também tem uma caverna onde dizem que habitava um dragão, por isso o mascote da cidade é um dragão....coisa pra pegar turista.

 

Como não aguentava mais o frio e a garoa, voltamos ao albergue e ficamos enrolando, pois à noite iríamos pegar o trem com destino a Vienna. O bom de ficar enrolando no albergue é que lá era quentinho, e tinha café, chá e internet grátis, quer coisa melhor ?

 

Pegamos o trem para Vienna, que custou ZL 214,83 no final da noite.

 

20/09 - Vienna - adivinha, frio e garoa....

 

Chegamos em Vienna logo cedo, por volta de 07:00 hs, pegamos o trem-cama,mas é impossível dormir naquele barulho e movimento.

 

Ah, aqui voltou o euro, então facilitou bastante, pegamos o S-bahn que custou E 2,20, pra melhorar a máquina que vende bilhete tinha explicação em inglês, show de bola !

 

Chegamos no albergue Jugendgastehaus, custou E 21,00 a diária, com café da manhã, muito bom por sinal. Infelizmente não tinha cozinha, não pude fazer macarrão desta vez.

 

Neste albergue tinha aquela coisa chata de horário de check-in, que era a partir das 13:00 hs, então largamos as coisas lá e saímos andando. Lá fora frio, pelo menos tinha parado a garoa.

 

Com um mapa é fácil andar em Vienna, mas o albergue é meio longe de tudo, andamos bastante pra chegar no centro.

 

No centro é aquela coisa, palácios e mais palácios, museus e mais museus. Tava ficando de saco cheio já. A única coisa de diferente foi a ópera.

 

Pra comer, pra variar, McDonalds, inacreditável, E 1,00 um chesse-burguer ! Isso sem falar no refil de refrigerante livre !

 

Voltamos no final da tarde, e como tava frio pra caramba, comi um lanche num posto de conveniência lá perto e capotei na cama.

 

21/09 - Bratislava

 

Domingão, pelo menos não estava garoando, resolvemos fazer um day-trip para Bratislava, capital da Eslováquia.

 

De Vienna é só pegar um ônibus, custou E 22,00 ida/volta, ele sai ao lado de uma estação de metrô. Tem ônibus a cada 2 horas aproximadamente.

 

São apenas 2 horas até lá, o ônibus te deixa bem ao lado do Castelo e bem na entrada da cidade velha.

 

Chegando lá, subimos direto ao castelo, estava todo em reforma, mas lá de cima tem um vista maravilhosa do rio e da cidade. De lá dá pra ver bem a arquitetura comunista, com prédios quadradões, um bem ao lado do outro.

 

Saindo do castelo andamos pelo centro antigo e pra nossa surpresa estava havendo um desfile militar na cidade, com demonstração de tanques, carros e aviões, bem legal. E no centro da cidade havia apresentações de danças típicas.

 

Gostei muito de Bratislava, um cidade pequena, comparando com Vienna, neste ano ainda não estão aceitando euros, mas pelo que parece ano que vem vão começar a aceitar. Aí sim o turismo vai explodir neste país, que ainda tem muito a ser descoberto. Valeu pelo aperitivo de conhecer esta capital.

 

Voltamos de lá no final da tarde, desta vez o jantar foi num shopping, tinha muita opção de comida lá, ou era burger king, pizza, comida chinesa e mais comida chinesa....acabei comendo comida chinesa mesmo.

 

22/09 - Budapest

 

Saímos do albergue bem cedo, íamos fazer um day-trip para Budapest, capital da Hungria. De Vienna, são 3 horas de ida. O primeiro ônibus sai as 07:15 hs de Vienna. O próximo é somente as 11:00 hs. O ônibus custou E 30,00

 

Chegamos em Budapest, nem troquei dinheiro, é, infelizmente lá também ainda não aceitam euros.

 

Arrumamos um mapa e saímos caminhando em direção ao rio.

 

A cidade é padrão do Leste Europeu, um rio, um castelo, uma cidade antiga, bom, mas cada uma tem uma particularidade... Budapest tem o Parlamento bem ao lado do rio, bem bonito, e o castelo é super bem conservado. Vários palácios ao lado do castelo viraram museus, se tiver bastante tempo vale a pena visitar.

 

Andamos bastante pela cidade antiga, passamos pelo mercadão, como não tinha trocado dinheiro nem comprei nada.

 

Voltamos a rodoviaria e pegamos o ônibus de volta a Vienna no final do dia.

 

23/09 - Salzburg

 

Saímos de Vienna de manhã, agora com destino a Salzburg. De Vienna dá umas 3 horas de trem, custou E 80 ida/volta.

 

A viagem foi tranquila, a paisagem é muito bonita. Salzburg fica quase na divisa com a Alemanha, tanto que pelos costumes já dá pra pegar um pouco da cultura alemã.

 

Chegamos em Salzburg umas 13:00 hs, fomos direto ao albergue YOHO, fica a apenas 2 quarteirões da estação de trem, a diária custou E 17,00 sem café da manhã nem cozinha pra cozinhar, que droga.

 

Largamos as coisas no albergue e saímos pra caminhar, pra variar tem um rio, e um castelo bem no alto do morro.

 

Subimos no castelo, claro que tem que pagar, a entrada custou E 7,00, a vista lá de cima é fantástica, uma visão 360º da cidade. Vale a pena pagar.

 

Pra nossa sorte, estava rolando uma festa da igreja na cidade, uma mini-oktoberfest, com apresentações de danças típicas, bandas de música, comidas típicas, com preços bem mais baixos, ainda bem hehehehe.

 

Voltamos pro albergue, estava tão cansado que nem jantei, cama direto.

 

24/09 - Werfen

 

Este foi um dos dias mais legais da viagem, pegamos o trem ( E 6,00) para uma cidade chamada Werfen, fica a apenas 1:30 hs de Salzburg, onde é possível visitar as famosas Cavernas de Gelo.

 

Chegando em Werfen, outra surpresa, bem ao lado da estação, tem um castelo muito bem conservado, imponente em cima de um morro. Decidimos visitá-lo depois das cavernas.

 

Da estação de trem pega-se um ônibus ( E 4,80 ida/volta) que sobe o morro até onde sai o teleférico.

 

O teleférico mais a entrada das cavernas custou E 17,00.

 

Do teleférico tem que andar mais uns 5 minutos por umas trilhas bem no alto da montanha e chegamos na boca da caverna. A vista daí já é maravilhosa, os alpes bem na nossa frente e uma caverna bem no meio da montanha. Fantástico.

 

Na entrada da caverna é obrigado a pegar um guia, ele vai dando explicações e a história da caverna.

Na entrada diz que é proibido tirar fotos, mas lá dentro tava todo mundo tirando, então resolvi tirar também.

 

Meu, lá dentro é frio pra kcete, parece que estamos dentro de um geladeira literalmente, mas as esculturas naturais de gelo são indescritíveis. O guia vai iluminando as esculturas, uma mais louca que a outra. Tudo natural.

 

A visita demora umas 2 horas, vale muito a pena mesmo.

 

Descendo da caverna fomos visitar o castelo, tem que pagar E 7,50 pra entrar, sinceramente, não valeu muito não, pois a parte liberada para visita é muito pequena.

 

Voltamos para Salzburg bem tarde, jantei no Mac Donalds pra variar e capotei na cama.

 

25/09 - Finish....

 

Bom, último dia, fizemos uma via sacra de trens e aviões.

 

Saímos de Salzburg umas 12:00 hs, chegamos em Vienna umas 15:00 hs. De Vienna pegamos o trem para o aeroporto ( E 9,00). Chegamos lá umas 17:00, chá de cadeira até as 21:00 hs quando pegamos o vôo para Berlin. Chegamos em Berlin umas 23:00 hs, aí chá de cadeira de novo até as 07:00 hs, quando pegamos o vôo pra Paris e de lá o vôo pra São Paulo....ah, tomei banho sim, meia boca mas tomei...

 

Bom, aqui encerra a trip, valeu muito a pena, pois sempre quis conhecer o Leste Europeu, tirando o frio e garoa que atrapalharam bastante, de resto foi tudo ok.

 

Quem quiser mais dicas é só postar aqui. Tenho mapas e guias que peguei lá, além de preços de outras coisas.

 

Abraços

Celso

Editado por Visitante
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Respostas 64
  • Criado
  • Última resposta

Mais Ativos no Tópico

  • Membros de Honra
hehehehe

Tu deve ser daqueles que canta: sou brasileiro com muito orgulho!!!!

Quebrar um pedaço do monumento em Berlim, e roubar Nutella na geladeira do albergue... :oops:

 

caramba, quanta besteira eu tenho que ler, não sei se o cidadão que escreveu isso sabe, mas o Muro de Berlin está em destruição, quebrado em várias partes, portanto não quebrei nada, e sobre a Nutella, não sei se vc já esteve em algum albergue, mas tem um local onde os viajantes que vão embora deixam a comida para quem quiser comer, não tem nada de mais comer o que está disponível.

 

Vê se tenta se informar mais antes de escrever essas asneiras.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • 3 semanas depois...
  • 3 meses depois...
  • Membros

Oi Celso, adorei a sua trip.

 

Achei muito legal o castelo de Konigstein. Estou programando uma viagem para o final do ano (é inverno, mas não conseguirei sair de férias antes)

Bem estou programando ficar tres dias em Berlin e depois ir direto para Munique. Qual o jeito mais fácil de visitar Konigstein sem desviar muito o roteiro. Como faço para ir? Tenho que ficar em Dresden? Gostaria que você me enviasse algumas dicas, para eu encaixar a visita no meu roteiro.

 

A principio o meu roteiro é o seguinte:

Londres - 4 dias

Amsterda - 2 dias

Berlim - 3 dias

Munique - 1 dia (como já conheço Berlin, pretendo ir só ao Newchwanstein)

Veneza - 2 dias

Roma - 4 dias

 

Obrigada,

 

Simone

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros de Honra

oi Simone

 

Não entendi bem sua dúvida, mas se vc está saindo de Berlin e indo pra Munique e quer visitar Koningtein, vai desviar beeem do seu caminho, pois Dresden (onde se localiza Koningstein) é bem para o Leste, quase na divisa com a Rep. Tcheca.

 

De Berlin para Dresden são quase 3 horas de trem, de Dresden até Koningstein demora quase 1 hora. Recomendo vc ir e ficar em Dresden, pois a cidade é bem legal. Pra visitar o castelo vai demorar meio dia no mínimo, pois lá é show.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros

Celso

 

Tava afim de fazer em maio um roteiro muito parecido com esse seu, será : Berlin-dresden-praga-munique-salzburg-viena-budapeste. Tenho muita vontade de pegar Cracóvia,mas pelo q vejo é muito longe e as viagens são longas.

 

Queria saber se ficou cansativo no seu roteiro os trens de ida e volta pra cracóvia , pois desde berlin para budapeste , se vc analisar tem um caminho q as viagens nao demoram mais de 4 hrs

 

 

(outra dúvida, cada viagem de trem q vc fez , vc pagou a taxa de reserva ?)

 

vlw

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros de Honra

Fala aí Câmara

 

Cara, de Praga pra Cracóvia demora umas 8 horas, dá pra pegar o trem a noite, dormir e chegar de manhã cedinho em Cracóvia. De Cracóvia pra Vienna foi mais umas 8 horas, e fui de noite também. Eu achei um pouco cansativo, é que acho que tô ficando velho e só quero dormir em camas mesmo :mrgreen:

 

Cara, em Salzburg não deixe de ir pra Werfen, pra visitar as cavernas de gelo, é imperdível !!!

 

"(outra dúvida, cada viagem de trem q vc fez , vc pagou a taxa de reserva ?)"

 

cara, não precisei não, chegava na hora e comprava.

 

falow

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • 3 semanas depois...

Participe da conversa

Você pode postar agora e se cadastrar mais tarde. Se você tem uma conta, faça o login para postar com sua conta.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.


×
×
  • Criar Novo...