Ir para conteúdo

MAR DEL PLATA – LAGUNA e SIERRA DE LOS PADRES - MUNDO MARINO – BALCARCE – MUSEU DO FANGIO


Posts Recomendados

  • Membros

Pré viagem

 

Tudo começou com o fato de que não curto o carnaval do Rio. Mas viajar para onde se nessa época tudo é caro e o país respira carnaval? Como Mar Del Plata era um lugar que gostaria de conhecer e pensei que esses 5 dias estariam de bom tamanho, coloquei esse destino em pauta. Ao pesquisar as passagens, vi que estavam com preços bem altos. Isso era meado de Dezembro. Mas as milhas poderiam ser muito bem utilizadas nesse momento. Assim a ida foi com 100% de milhas e a volta com milhas mais dinheiro. Assim o trecho Rio - BsAs - Rio foi adiquirido.

 

O trecho BsAs - Mar Del Plata – BsAs foi feito de ônibus por opção mesmo. Curto muito viajar de ônibus na Argentina e o trajeto é de 5h, nada tão desgastante assim.

 

Quanto a hospedagem, mesmo em Dezembro, estava difícil achar lugares com vagas, e os que tinham vaga estavam bem caros. O que acabou compensando, dentro do meu orçamento, foi o Hostel Casa Grande.

 

Com as passagens aéreas e terrestres compradas e a reserva no hostel efetuada, era aguardar o dia e nesse período pesquisar o que fazer na cidade.

  • Gostei! 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros

Gastos

 

Passagens Aéreas + Taxas => R$ 503,43

Transfer Ezeiza – Centro => R$ 32,76

Ônibus Cama Ejecutivo => R$ 226,74

Hospedagem Hostel Casa Grande (4 diárias) => R$ 153,70

Gastos com alimentação => R$ 166,45

Passeio Laguna e Sierra de Los Padres => R$ 33,33

Passeio Mundo Marino => R$ 62,00

Ônibus para Balcarce => R$ 26,66

Ônibus Terminal Balcarce – Centro => R$ 2,10

Entrada Museu do Fangio => R$ 16,67

 

Gasto Total => R$ 1.223,84

 

Todos os meus gastos com alimentação foram efetuados com o cartão de crédito, sendo assim, estão embutidos nos gastos os 6,38% de IOF Internacional. As coisas na Argentina estão bem mais caras. Um refrigerante não sai por menos de $12 pesos. E eu comia refeições mais elaboradas. Em média gastava $50 pesos por refeição. Não fui muito econômico na hora de comer.

 

Por ser Carnaval, quando cheguei à cidade estava tudo fechado. Então saquei dinheiro direto em um caixa eletrônico do Banco de La Nacion. Com isso não consegui a melhor opção de câmbio e o Banco de La Nacion me cobrou $19 pesos pelo saque. O Itaú me cobrou mais R$ 9 pelo saque e R$ 0,98 de IOF. Mesmo assim, a cotação saiu para mim por R$ 1,00 valendo $ 2,40 pesos.

 

Foram atitudes que encareceram um pouco a viagem. Mas valeu pela comodidade. No aeroporto vi, nas telas informativas e não em casa de câmbio, a cotação como R$ 1,00 valendo $ 2,50 pesos. Creio que andando pelas casas de câmbio conseguiria uma cotação melhor que essa ainda.

  • Gostei! 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros

Dia 08/02/13 => Rio – BsAs

 

Eis que chega o dia da viagem. Já fui para o trabalho com o mochilão nas costas e contando as horas para ir embora e partir para o aeroporto. O vôo não era direto. Possuía conexão em Guarulhos. Como era Carnaval comprei as passagens de ônibus para Mar Del Plata às 5:30 do dia seguinte. Vai que ocorressem atrasos, cancelamentos e além do mais era minha primeira vez indo por Ezeiza. Sempre fui pelo Aeroparque.

 

Os vôos transcorreram normalmente e às 23:40 no horário local, visto que a Argentina não possui horário de verão, estava em terras hermanas. Após a enorme fila da imigração e uma passada rápida no free shop estava no balcão na Manuel Tienda Leon adquirindo o transfer para o centro. Paguei $75 pesos no ônibus até o Terminal Madero. Seriam $90 pesos até o Terminal Retiro. Mas como já conheço BsAs sei que do Terminal Madero ao Terminal Retiro é super perto. Paguei o transfer no Cartão de Crédito. Enfim, 1:40 estava no Terminal Retiro e teria até às 5:30 para aguardar o ônibus para Mar Del Plata.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros

Dia 09/02/13 => BsAs – Mar Del Plata

 

A Rodoviária estava lotada. Muita gente viajando e, assim como muitos, arrumei um cantinho para me esparramar e cochilar um pouco. Às 5:30 encostou o ônibus, super confortável como são os ônibus Argentinos, e comecei a segunda etapa da viagem. Confesso que queria desfrutar da paisagem mas quase nem vi o ônibus saindo do terminal. Apaguei.

 

Foto0626.jpg.afc2d0830d434a795d6de04024c0434e.jpg

 

Não tenho dificuldade para dormir onde quer que seja. E naquele ônibus cama senti-me em casa. Lá pelas 10h acordei e aí sim desfrutei da paisagem até Mar Del Plata. Recebi um kit com algumas guloseimas que fui saboreando ao longo da viagem.

 

Minhas experiências rodoviárias anteriores em terras argentinas haviam sido: BsAs – Mendoza, Mendoza – Bariloche e Bariloche – BsAs. Eram paisagens deslumbrantes que foram um adicional a viagem. Porém BsAs – Mar Del Plata era composta de longas retas com paisagens que pareciam ser a mesma durante toda a viagem. É uma área totalmente plana, e a vegetação quase não muda. Deve ser um sonífero para o motorista esse trajeto. Porque para mim foi. E o pior, eu dormia, acordava e parecia estar no mesmo lugar. Porque sempre via uma longa reta a minha frente e ao olhar para os lados via uma superfície plana que se perdia no horizonte.

 

DSCF0151.JPG.8a0c711ef6d5182a5045c805f917c8cc.JPG

 

Com certeza pegamos algum engarrafamento ou um caminho alternativo porque a previsão de chegada era às 11h mas chegamos 12:40. Só que não vi. Deveria estar dormindo, para variar, na hora.

 

A Rodoviária de Mar Del Plata é integrada a estação de trem. Também existe essa opção de viagem para BsAs. Mas não sei informar como e nem quanto é. Já fui logo ao Centro de Informações Turísticas e peguei um mapa da cidade.

 

De posse do meu mapa impresso pelo Google Maps (Sempre que viajo imprimo uns mapas com as rotas que quero fazer, e nesse caso era o trajeto rodoviária – hostel) fui caminhando pela cidade até o Hostel Casa Grande. Mar Del Plata não é uma BsAs mas também não é uma Mendoza. Tem bastante movimento. Mas como toda cidade Argentina que conheci até hoje, possui os quarteirões de igual tamanho, ruas bem estruturadas, parece desenhada a mão.

 

No caminho para o Hostel parei em um Banco de La Nacion e saquei $600 pesos no Caixa Eletrônico. Embora estivesse com alguns pesos que me sobraram de viagens anteriores, sabia que todas as casas de câmbios estavam fechadas. Para não ter problemas e pela comodidade saquei logo o dinheiro.

 

Cheguei ao Hostel por volta das 13:20 após caminhada bem lenta para contemplar a cidade, parada nas praças e já estava super encantado pela cidade. Fiz o check in, organizei-me no quarto (Quarto compartilhado com 6 camas e banheiro externo), mudei de roupa e já saí para desbravar a cidade.

 

O Hostel fica a 3 quadras da praia onde tem a Plaza España. Ótima localização.

 

Caminhei, pelo litoral, da Plaza España até o Mar Del Plata Golf Club. Com paradas estratégicas para fotos e contemplação, lógico.

 

DSCF0168.JPG.63b1b33ad7a2a57e38304eb8abf3c4be.JPG

 

O clima na cidade estava ótimo! Muita gente e um dia lindo. As praias de Mar Del Plata podem não ser muito atraentes para os cariocas visto que possuem águas muito frias e a areia é mais escura. Quem está acostumado com Arraial do Cabo, por exemplo, não verá muita graça. Mas o contexto como um todo, praia, cidade, organização, estrutura fazem a diferença. Achei interessante a estrutura montada nas praias. São locais pagos que possuem, alguns deles, até piscina. Mas caso você não queira pagar por um lugar desses, existem as praias públicas. Que assim como as nossas, você chega com seu kit praia e monta acampamento.

 

DSCF0174.JPG.e31e7ee9d438800b5f604f0a53bd3a2d.JPG

 

E nessa caminhada passei por Punta Iglesia, Playa Punta Iglesia, Playa Popular (As tais praias públicas que você chega e monta seu acampamento), Playa Bristol, Pileta Cubierta, Paseo Hermitage, Torreón Del Monje Punta Piedras, Paseo J de Galindez, Playa Varese, Cabo Corrientes, Playa Chica, Parque San Martin, Parque Gral. Arias e Playa Grande.

 

DSCF0196.JPG.51ed85be8cbc45880059d1322f151e9d.JPG

 

 

Legal, também, que muitas pessoas montam seus kits praias nos parques. Então é comum ver pessoas de roupa de banho sentadas em suas cadeiras tomando sol nos parques e praças.

 

DSCF0180.JPG.9c1de1ece8b3aec1a97c85e8b73e5e5c.JPG

 

Após um bom tempo deitado no gramado, curtindo a atmosfera e energia do lugar fui para a Plaza Del Água. Às 20h começa um show de águas dançantes. Como cheguei muito cedo, fui a Torre da Caixa D´água e ao Mc Donalds próximo comer o Tri Mac, pois na Argentina o Big Mac é Tri Mac e vem com 3 carnes. Porém ao retornar a Plaza Del Água, por conta do aniversário de Mar Del Plata, não teria as águas dançantes mas sim dois espetáculos teatrais circenses. Assisti ao primeiro e retornei ao Hostel. Andei muito nesse dia mas valeu muito a pena.

Editado por Visitante
  • Gostei! 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros

Dia 10/02/13 => Mar Del Plata – Laguna e Sierra de Los Padres

 

Após o café da manhã acessei a internet para dar e receber notícias do Brasil e saí para andar mais pela cidade e procurar alguns passeios. Na Plaza España tem uns quiosques que vendem passeios e lá contratei o passeio para a Laguna e Sierra de Los Padres a tarde e o Mundo Marino para o dia seguinte. Também tinha um passeio para Balcarce com visitação ao Museu e ao Autódromo do Fangio mas não estava ocorrendo naquele período.

 

Passeios comprados fui à Rodoviária comprar minhas passagens para Balcarce pois o Museu do Fangio era um de meus objetivos. Passagens compradas, fui almoçar, andei mais um pouco pela cidade e fui para a Plaza España aguardar a saída do passeio para a Laguna e Sierra de Los Padres.

 

Pontualmente, às 15:30, saiu nossa van. Que eles chamam de Kombi. Uma coisa interessante nas vans de lá, tanto as do Transfer da Manuel Tienda Leon como dos passeios que fiz, é que a van parece um ônibus. Ela possui aquele bagageiro em cima das nossas cabeças, luz de leitura, saída de ar condicionado, e a disposição das cadeiras também parece um ônibus. Os bancos são confortáveis e reclinam. Nada como aquelas vans que pegamos como transporte alternativo aqui no Rio de Janeiro.

 

Antes passamos na Plaza Cólon para pegarmos mais um pessoal e seguimos. Bom que no trajeto, tanto urbano quanto estrada, o motorista vai contando toda a história da cidade. É uma experiência legal porque você não vai ver um lugar, tirar fotos e voltar. Você vem cheio de conhecimentos da história e cultura do lugar.

 

Esse passeio não é um passeio recreativo. É um passeio bem histórico. Visitamos lugares com bastante história do passado da cidade e até mesmo do país. Não é um passeio só para tirar fotos em lugares bonitos e curtir paisagens. Se esse é o objetivo, não achará graça alguma.

 

A primeira parada é na Laguna de Los Padres. É contada toda uma história dos padres jesuítas, seu contato com o índio local e como foi essa catequização. Nessa Lagoa também foi onde foram realizadas as competições de remo nos Jogos Pan Americanos de 1995. Após a aula de história temos um tempo livre para andarmos, tirarmos fotos, fazer um reconhecimento do lugar, antes de seguir viagem.

 

DSCF0202.JPG.82d0b22ed2704cfec7f0de026c32a49b.JPG

 

Dando prosseguimento a viagem, partimos agora para Sierra de Los Padres. É um bairro muito bonito e charmoso onde existe a Gruta de Los Pañuelos. O Bairro não é um condomínio fechado mas possui apenas uma rua de acesso. Fazendo dele um bairro bem seguro. Nessa única entrada/saída existe um posto da polícia. Não possui aquele formato todo desenhado das cidades/bairros argentinos mas possui lindas casas.

 

A Gruta de Los Pañuelos é local mais religioso. Possui belas formações rochosas mas o foco nesse lugar é uma gruta onde as pessoas vão fazer pedidos ou agradecer por graças obtidas, fazem suas preces e amarram um lenço lá. Como não sou muito um exemplo de religiosidade, gostei mesmo das formações rochosas presentes no lugar.

 

DSCF0215.JPG.922f98157bc619c2952f94659784e52b.JPG

 

DSCF0220.JPG.1fedf1a00243f51a403817f8e98ce814.JPG

 

Saindo Dalí fomos a uma área mais comercial da cidade. Paramos no Restaurante Ciervo Rojo e ali ficamos por um tempo antes de retornar a Mar Del Plata. O Restaurante é simples mas as guloseimas disponíveis são um passeio a parte. Muitas coisas, tanto comidas quanto bebidas, feitas de forma artesanal. Da vontade de trazer um monte delas.

 

Após essa parada retornamos direto para Mar Del Plata. O Passeio tem duração de 4h e saiu por $80 pesos. Achei muito válido e bom custo benefício. Na verdade, em todos os lugares que estive na Argentina até hoje achei os passeios contratados muito vantajosos. Um exemplo claro é o passeio para Balcarce. Sairia, caso estivesse acontecendo, por $90 pesos. Eu gastei só nas passagens e na entrada do museu $109 pesos. Sem contar os deslocamentos dentro da cidade e o passeio tinha mais coisas ainda do que fiz.

 

Assim que retornamos dei mais uma volta pela Orla, fui jantar e voltei ao Hostel. No Hostel, diariamente, tinha sempre alguma coisa. Nem que fosse um pessoal tocando violão e jogando papo fora. Bem animado o lugar. Mas a grande maioria ia mesmo para a night curtir o carnaval. Que lá é muito voltado às baladas.

 

Fotos descarregadas, internet acessada para dar e receber notícias de casa, fui tomar banho e dormir. No dia seguinte teria que acordar cedo, pois às 8h estaríamos partindo para o Mundo Marino.

Editado por Visitante
  • Gostei! 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros

Dia 11/02/13 => Mundo Marino

 

O dia prometia. Não era um simples passeio mas um passeio que me remetia a sonhos de infância. Ver um show de Orcas e Golfinhos. A viagem era longa. 4 horas de viagens. 2 horas para ir e 2 horas para voltar. O Mundo Marino fica em San Clemente de Tuyu. 189Km de Mar Del Plata.

 

Acordei cedo e antes mesmo do café da manhã no hostel já estava na Plaza España aguardando a saída do passeio. A van saiu no horário, mas por conta do feriadão de carnaval pegamos trânsito intenso. O que, mesmo com o motorista andando muito, nos fez chegar 40min após o previsto.

 

Na entrada do Mundo Marino nos foi apresentado um guia. Ao fim do passeio dávamos a ele o valor que quiséssemos. Na verdade esse guia não era para apresentar o parque, mas sim para nos guiar pelas atrações de forma a não perdermos tempo e assim conciliar todas elas. Pois tudo tem horário definido. É-nos dado um mapa do parque com todos os horários das atrações. Caso queira fazer seu tour sozinho, também é valido. Mas como, no meu caso, estava com o grupo do passeio, fiz junto ao guia.

 

DSCF0225.JPG.24da2ebdae2f68fecdd0a8eff8100a57.JPG

 

Primeiramente fomos levados aquela parte onde tiramos as fotos que o parque vai querer te vender depois. Tiraram nossas fotos e seguimos para o Safari Planeta Tierra. É uma atração legalzinha. Um trator com vários carros acoplados parecendo um trem que percorre um caminho com várias espécies animais. No trajeto é possível ver veados, antílopes, búfalos, alpacas, lhamas, guanacos, emas, capivaras, antas e muitos outros animais. Confesso que foi mais legal do que eu imaginei. Porque de início olhei com certo desdém.

 

DSCF0227.JPG.34d86db2333515a2b0895f6cdb0af24a.JPG

 

DSCF0238.JPG.84c7b30d5204334ccfca00b042d3cf70.JPG

 

Após o Safari fomos para a grande atração do dia. Los Delfines y Orca. Foi realmente incrível ver aqueles golfinhos e a Orca se apresentando. Foi a realização de um sonho de criança. Valeu muito mesmo! Emocionante. E pode-se comprar um DVD com os shows anteriores e o show do seu dia gravado. Saía por $70 pesos.

 

DSCF0256.JPG.ba78c84ee0ca9eed8c433fa44f42cb58.JPG

 

DSCF0258.JPG.26d79fd3c88ee8346c0bc87fc328479d.JPG

 

Após o espetacular show dos golfinhos e da Orca tivemos uma hora para almoçar. Tudo no parque é muito caro. O que tinha de mais barato eram duas opções de sanduíches com fritas e refrigerante que uma saía por $65 e a outra por $70 pesos. Imagina o preço das refeições. No meu grupo ninguém havia levado comida, mas vi pessoas que haviam levado sua própria comida.

 

DSCF0263.JPG.cfa47e76665908ec4d4e47884d43e7bf.JPG

 

DSCF0267.JPG.b5a102240507daec130aa9d17c671eab.JPG

 

Após o lanche e transcorrida à 1h combinada fomos ao show dos leões marinhos. Esse show não é apenas uma apresentação dos bichos. Parece um teatro mesmo. A ilha dos leões marinhos está sendo invadida por especuladores imobiliários e os leões marinhos, com suas travessuras, junto a Robson Crusoé lutam para defender o local. Muito bem bolado e divertido.

 

DSCF0279.JPG.6332837436fac3c888b042f69ad8ad5a.JPG

 

DSCF0286.JPG.b90f0db6c2fe2588b9fa95cfa0c1e2cb.JPG

 

Saindo do show dos leões marinhos fomos a um local onde ficam pingüins resgatados da natureza em situações delicadas. Principalmente ensopados de óleo. Os bichinhos são bem fofos e carismáticos.

 

DSCF0294.JPG.e5f3a16ec51935d8a2344a6e0b3f0aa8.JPG

 

Por fim fomos a última atração guiada. A Arca de Noé. É uma peça teatral muito legal e bem feita. Nunca pensei em ver galinhas adestradas. Muito legal esse show. Novamente os bichos interagem com os atores como uma peça teatral. Dessa vez, como o ser humano está destruindo o planeta, Noé resolve ir aos lugares buscar um casal de cada espécie para garantir sua sobrevivência. Valeu muito a pena.

 

DSCF0304.JPG.2b0133c9ce0db146e7f9b56f43f29be5.JPG

 

Após o show da Arca de Noé temos o tempo livre para andarmos por onde quisermos no parque. No meu caso e de uns amigos que fiz durante ao passeio, fomos a um local onde ficavam uns leões marinhos e focas e depois ao aquário. Muito legal ambas as atrações. O ideal para se visitar o parque são 2 dias. Você comprando o segundo dia sai por $20 pesos e o primeiro dia custa $149 pesos.

 

DSCF0274.JPG.3193ea97c19e9d1960930e2fecc433e6.JPG

 

DSCF0319.JPG.7311f679a1a16ac861adefc4c14d03e2.JPG

 

Às 16:40 estávamos todos na saída do parque para retornarmos a Mar Del Plata. O que atrasou a saída foram as meninas visto que seus banheiros sempre possuem filas quilométricas. A viagem de volta foi tranqüila, mas pela distância foi bem cansativa. Na ida tudo é festa mas na volta...

 

O dia valeu muito a pena. Foi incrível e assim que chegamos em Mar Del Plata despedi-me dos novos amigos, trocamos contatos e fui jantar. No dia seguinte seria mais um dia incrível. Um apaixonado por F1 como eu iria visitar o Museu de Juan Manuel Fangio. 5 vezes campeão mundial.

Editado por Visitante
  • Gostei! 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros

Dia 12/02/13 => Balcarce – Museu Juan Manuel Fangio – Autódromo Juan Manuel Fangio

 

Nesse dia não precisei madrugar pois o ônibus sairia às 10h para Balcarce. Pude descansar um pouco mais e tomar o café da manhã do Hostel. Fui andando calmamente para a Rodoviária fazendo outro caminho para observar as casas, suas arquiteturas, as ruas. Mar Del Plata é uma cidade com muitas praças e também possui ruas bem arborizadas. Tem ruas que as árvores parecem fazer um túnel.

 

DSCF0183.JPG.862869ce482892ebd8a9a3e5e9b9d42b.JPG

 

A rodoviária estava lotada. Muitas pessoas já estavam voltando para suas casas. Às 10h, pontualmente, saiu o ônibus para Balcarce. É uma viagem de 1h. Foi bem tranqüila e o ônibus era velho mas bem confortável.

 

Às 11h desembarquei no Terminal de Balcarce e esse terminal fica na rodovia e não dentro da cidade. Aí temos a opção de taxis, remises ou um ônibus urbano que passa de 30 em 30min. Eu sinceramente acho que da para ir andando. Não ficamos 10min no ônibus. Mas mesmo assim optei pelo ônibus que custa $2,50 pesos. O motorista me indicou onde descer para ir ao Museu do Fangio.

 

Balcarce é uma cidade interessante porque seu eixo principal parece uma cruz. Tem a praça principal com 4 grandes praças ao redor e as ruas perpendiculares a praça principal são grandes avenidas com pistas duplas. E desse eixo principal desenvolveu-se a cidade. Naqueles moldes argentinos. Quadras de mesmo tamanho e numerações fixas. Muito bonita e aconchegante a cidade.

 

Fui ao centro de informações turísticas e peguei todos os mapas, panfleos e dicas do que fazer na cidade naquele dia. Depois parti logo para o Museu de Juan Manuel Fangio que fica bem na lateral de uma das grandes praças. $40 pesos a entrada e da direito a visitar seu anexo que fica a uma quadra e meia dali. O Sport Fangio Café.

 

Aficcionado que sou por F1, nem preciso dizer que foi incrível estar tão perto daquelas máquinas espetaculares e de tanta história do automobilismo. Conversei muito com os funcionários do museu e eles têm um carinho muito grande pelos brasileiros por conta da amizade do Fangio com nosso Ayrton Senna.

 

DSCF0339.JPG.2bafbcbd67db8bd7a03a9a91e0310bbb.JPG

 

DSCF0361.JPG.3d7bbd1bf51b1c889d2266f7944cce4c.JPG

 

DSCF0368.JPG.0d7db93bc3ced5318bd84e0c5f338992.JPG

 

O museu é incrível. São 5 andares onde você vai andando em espiral e é super bem montado e cuidado. Vale muito a pena ir visitar. Vale mesmo para quem não é tão fã do esporte assim.

 

DSCF0376.JPG.ec524de0cea9472fb6f38bdbeb2d433e.JPG

 

DSCF0397.JPG.161b0803508889c0b2aea98bab56a723.JPG

 

DSCF0411.JPG.a8f4d1cfb06985e19d2f1ed9db207396.JPG

 

Ao sair do museu principal fui ao anexo. O Fangio Café. E uma dica, almoçando lá ganhamos 10% de desconto mostrando o ticket da entrada no museu principal. Nesse anexo também existem muitos carros legais. São mais 50 peças. Mas depois de vermos McLaren do Senna, troféus do Fangio, Carros da F Indy, Ferraris históricas, realmente os demais ficam um pouco apagados.

 

DSCF0473.JPG.066ca2879d97a0380ffd45aa0df55b5d.JPG

 

DSCF0474.JPG.741c3254e3a61b8f1d4b5268b9d1c74a.JPG

 

Os museus valem muito a pena. É uma atração imperdível da cidade. Após visitá-los e almoçar parti para conhecer mais a cidade e ir ao tal mirante e ao Autódromo do Fangio. Eu fiz tudo andando porque curto muito andar pelas cidades. Mas foi desgastante em virtude das distâncias e do sol quente. Balcarce fazia uns 36º naquele dia. A sorte era que de vez em quando ventava um bocado e ajudava.

 

Após uma longa caminhada e subir um morro cheguei ao tal mirante. Tem uma vista legal mas nada de muito espetacular. Mas valeu a pena.

 

DSCF0487.JPG.23b9ff8b7d801a8b846ec0a1ff54f57d.JPG

 

Os morros de Balcarce possuem umas rochas parecidas com as rochas de Sierra de Los Padres. As construções de Mar Del Plata que têm suas fachadas revestidas de pedras têm como origem dessas pedras Balcarce. De lá que são extraídas as rochas para fazerem essas pedras das fachadas das casas.

 

DSCF0493.JPG.b8376edfff90f048595333f68ba43c44.JPG

 

Descansei um pouco. O sol estava cozinhando os miolos mas não desisti do Autódromo e com meu mapa marcado pela moça do posto de informações turísticas segui para o autódromo. Balcarce não tem tantas árvores como Mar Del Plata ou Mendoza. Então sombra no caminho era algo raro. Senti-me caminhando no Saara, mas cheguei a meu objetivo. O autódromo é incrível. Ainda mais emoldurado por aquela bela paisagem. Valeu todo cansaço. Fiquei quase uma hora lá admirando aquela pista. Algumas pessoas vão com seus carros andar nele e havia uns 4 carros e um ciclista lá.

 

DSCF0499.JPG.05a51a06e714f31fe443da2071406a15.JPG

 

DSCF0509.JPG.7a7b24b6dc816ae7d17b961e9f02c4f0.JPG

 

Após o objetivo cumprido era hora de retornar. Meu ônibus sairia às 20h para Mar Del Plata. Nem pude conhecer o Parque Municipal Cerro El Triunfo. Parece ser bem legal mas o tempo estava curto e só pude vê-lo muito pouco. Mas é um lugar que merece um bom tempo para conhecer.

 

Fiquei contemplando a praça principal de Balcarce enquanto esperava o ônibus para o terminal. Realmente é um lugar encantador. Fiquei apaixonado por essa cidade. O dia valeu muito a pena.

Editado por Visitante
  • Gostei! 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros

Dia 13/02/13 => Mar Del Plata – BsAs – São Paulo

 

O dia de retornar para casa é um dia que já começa meio triste. Ainda mais que na noite anterior passei muito mal. Acho que por conta da quantidade de sol que peguei. Acordei, arrumei a mochila e nem quis tomar café. Meu estômago só aceitava água e a muito contra gosto. Fiz o check out, deixei a mochila em um quarto próprio para isso e fui observar a praia pela última vez. Fiquei 1h, mais ou menos, observando o movimento do lugar e voltei ao Hostel para pegar a mochila e rumar para a Rodoviária. Fui andando muito lentamente curtindo os últimos minutos na cidade, observando e curtindo cada detalhe. Os dias passaram muito rápido.

 

Cheguei ao Terminal e uma multidão estava lá retornando a seus lares. Pela manhã vi na TV e nos jornais que estavam até montando esquema especial de trânsito nas rodovias. E eu só bebendo água. O ônibus saiu no horário e eu dormi a viagem quase toda. Só acordava para beber água e dormir de novo.

 

Chegamos ao Terminal Retiro no horário previsto. Como o vôo sairia às 22:40 para Guarulhos e eram 18h pude dar uma volta pela Calle Florida, Plaza San Martin, Galeria Pacifico (Que gosto muito e onde enfim consegui comer alguma coisa). Peguei o ônibus 45 na Calle Esmeralda para o Aeroparque.

 

No Aeroparque cheguei umas 8:20 mas a fila para o Check in da GOL estava enorme. Fiquei mais de 1:30min na fila. O Vôo saiu no horário e dormi a viagem toda.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros

Dia 14/02/13 => São Paulo – Rio de Janeiro

 

Chegamos a Guarulhos perto das 2h, horário local. Consegui comer mais alguma coisa e fui dormi nas cadeiras da área de embarque. Ainda bem que cheguei cedo pois as mesmas estavam disputadas e quem chegou depois foi dormir no chão mesmo.

 

O Vôo saiu no horário e assim que cheguei ao Rio de Janeiro fui direto para o trabalho.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa

Você pode postar agora e se cadastrar mais tarde. Se você tem uma conta, faça o login para postar com sua conta.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

  • Conteúdo Similar

    • Por anaflaviaos
      Hola, como estão?
      Sou nova aqui no grupo, e vendo as postagens fiquei muito animada e resolvi compartilhar um pouco das minhas experiências !!! Primeiramente vou me apresentar, me chamo Ana Flavia, tenho 21 anos e a cerca de 1 ano tenho me aventurado viajando pelo Brasil e meu primeiro país fora no qual sou apaixonada pelas suas belezas e cultura, Argentina ! Em Agosto de 2016 comecei essa grande aventura, não me lembro exatamente dos valores, me perdoem, porém sempre busquei gastar o menos possível, ficando na casa de amigos que conheci pela internet, viajando pedido carona ... sim, nem eu imaginava que chegaria a ter essa experiência, porém como conheci vários amigos que faziam resolvi experimentar e gente, foi a melhor coisa,  baixo custo e novas amizades.
      Bem, dando inicio a essa história eu tive a oportunidade de fazer um intercâmbio para a Argentina de 6 meses em Mar del Plata para estudar na Universidad Nacional de Mar del Plata, como eu queria aproveitar ao máximo o país, fui 20 dias antes de ter inicio as aulas para me adaptar a língua (sabia nada) e também para conhecer a cidade e tal. Esse relato vai ser das minhas viagens nos meus primeiros 10 dias na Argentina, em que conheci as cidades ao redor da onde viveria, então vamos ....
      Lembrando, esse é um relato dos meus primeiros 10 dias na Argentina. 
      No dia 04 de agosto de 2016 sai de São Paulo Guarulhos com um vôo destino Buenos Aires, chegando troquei cerca de 1000 reais para pesos argentinos, e peguei um ônibus do Aeroporto, empresa Tienda Leon, com direção a Mar del Plata, o preço foi cerca de 700 pesos. Como foi uma viagem durante a madrugada, dormi bastante no ônibus, chegando em MdP, peguei um remis (Taxis da Argentina) com direção a Rodoviária. Na Rodoviária de MdP peguei outro ônibus com direção a Balcarce, cidade que viveria durante os próximos 6 meses. Eu já estava conversando com pessoas que estudavam na universidade que iria estudar a cerca de 1 mês, e ficaria os primeiros dias na casa de um amigo que chama Fran, argentino genuíno, que foi um grande amigo durante minha estadia. Chegando na casa do Fran, ele não estava em casa, e sim uma amiga que vivia com ele que me recebeu super bem, oferecendo o famoso Mate e algumas facturas ( uma das grandes maravilhas que me apaixonei na Argentina ). Depois de umas duas horas o Fran chegou em casa, e super agitado, me chamou para ir visitar a casa dele em uma cidade próxima, chamada Tandil, como eu estava super feliz de ter chegado, aceitei na hora. Arrumei minha mochila, e como não era acostumada a viajar nem nada, vocês vão ver o look que fiz minha primeira experiência como viajante  O que eu não imaginava é que a gente iria pedindo carona, só vi ele pegando uma plaquinha, e a gente indo para a estrada, só fui entender depois que chegamos realmente na rodovia e começamos a pedir carona hahahaha foi simplesmente incrível, e ali o Fran já começou a me ensinar algumas dicas, como por exemplo, não pegar carona com caminhoneiros. Essa viagem fiz em companhia do Fran. 
      Olha eu super noob pedindo carona, e isso já foi no dia 05 de agosto de 2016 hahahaha 
      Primeiro destino: Balcarce - Tandil (Locomoção: Carona) - 100 km - 06 DE AGOSTO DE 2016
      Nessa foto eu estava em Balcarce pedindo carona para ir para Tandil.

      Depois de esperar cerca de meia hora, conseguimos carona com uma mulher e sua filha que moravam em Tandil. Elas estavam de viagem de Mar del Plata para Tandil, e nos aceitaram super bem e nos levaram super curiosas fazendo várias perguntas. Tandil fica a cerca de 100 km de Balcarce, e a mulher que nos deu Carona, nos deixou na porta da casa dos familiares do Fran, onde a gente dormiria aquela noite. Os familiares do Fran foram super receptivos, fizeram uma janta especial, Pastel de papas  e tomamos algumas cervejas quilmes. No dia seguinte, o Fran me levou para conhecer a cidade, recomendo visitarem um dia. Vou deixar algumas fotos para vocês verem a cidade, que é onde o famoso tenista Del Potro e o atual presidente da Argentina Macri nasceram. 
       
      Dia 06 de agosto de 2016.

      A cidade é cheia dessas laranjas, porém elas são muitos azedas, claro várias vezes peguei delas 




      Finalizando Tandil com uma foto com Fran e seus familiares. 
      Segundo Destino: Tandil - Mar del Plata (Locomoção: Carona - 200 km) - 06 DE AGOSTO DE 2016
      No mesmo dia 06 de agosto, umas 17:00 horas, eu e Fran saímos correndo para a Rodovia, para ver se a gente conseguia alguma carona antes de anoitecer para Mar del Plata. Depois de uns 40 minutos conseguimos carona em um carro que vinham 2 mecânicos, e estavam indo para Mar del Plata. Com muita sorte conseguimos chegar a Mar del Plata, porém não ficamos no nosso local de destino e um pouco longe. Os mecânicos nos deixaram na entrada da cidade, e de lá eu e Fran seguimos a pé por uns 5 km até chegar ao nosso destino ( Nesse momento comecei a sentir no pé o sapato que estava usando hahahahahaha), a gente ficaria pelos 2 dias seguintes na casa de verão de um amigo do Fran em Mar del Plata, a uma quadra do mar. Em MdP, pela noite fomos conhecer o mar, mesmo que eu já estivesse passado por MdP, ainda não tinha conhecido realmente. Foram dois dias incríveis na cidade, onde comemos empanadas, caminhamos pelo Mar, muitas novidades para alguém que nunca tinha viajado sozinha. Eu ainda voltei a cidade várias vezes, caso queiram posso fazer alguma publicação falando mais da cidade. 
      Mar del Plata dia 06 de agosto de 2016.

      Dia 07 de agosto de 2016, estava cerca de 12 graus em MdP. 

      Dia 08 de agosto de 2016

      Terceiro destino: Mar del Plata - Balcarce ( Locomoção: Carona) - 70 km - 08 DE AGOSTO DE 2016
      No dia 08 de agosto de 2016 pegamos uma carona para Balcarce, tivemos sorte pois pegamos a Carona e já era de noite, cerca de 20:00 horas. Pegamos carona com uma família que estava voltando de um final de semana em Mar del Plata, e que viviam em Balcarce. Chegamos em Balcarce, nos deixaram em uma praça próxima a casa de Fran, e fomos para a casa de Fran onde jantamos hamburguesas com purê de batata, e depois de conversar bastante, ele me contar as experiências dele como mochileiro, fomos dormir. 
      Os próximos dias em Balcarce foram super agitados, onde conheci várias pessoas e que me levaram para conhecer a cidade do famoso Juan Manuel Fangio, e me apresentaram muito da cultura local. Balcarce é uma cidade pequena, com cerca de 40 mil habitantes, dá para caminhar por praticamente toda a cidade a pé, e caso seja um pouco mais longe, tem linhas de ônibus que custam 10 pesos por viagem. Comecei a ter aulas de dança que é tipico da região, Musica Folclórica, e fiz vários passeios para conhecer os pontos turísticos da região e comi bastante também, empanadas, tartas, alfajores ... não é atoa que ganhei alguns quilinhos  Logo consegui uma casa para alugar ( pagava 2000 pesos, com energia, internet, água e gás incluso) , e também conheci a Toti, que me convidou para conhecer a sua cidade Necochea, e que fui conhecer me aventurando pedindo carona mais uma vez.  Antes de falar sobre Necochea, algumas fotos sobre os meus primeiros dias em Balcarce. 
      Esse era o edifício que eu morava com outra Argentina, morávamos no ultimo andar. 


      PS: Eu e minha companheira de apartamento sempre faziamos janta em casa, e era muito tarde, os Argentinos tem o costume de comerem depois das 23:00 horas, demorei a me adaptar porém valia a pena, pois eram super gostosas. A alimentação não saia muito caro, como dividiamos entre a gente, e sempre chamava alguns amigos, por refeição ficava cerca de 20-30 pesos argentinos.

      PS: Essa é uma comida tipica Argentina, o guiso. O fran que cozinhou, é bem pesado porém gostoso. É feito com fava, batatas, cenoura, abóbora entre outros codimentos, é muy rico !!!


      PS: Esses são dois grandes amigos que fiz, o Francisco e a Mili, que me levaram para conhecer as Serras de Balcarce, que recomendo, para ver o Autódromo atualmente desativado de Manuel Fangio, é uma vista incrível. 

      PS: A maioria dos Argentinos que conheci gostam muito de cozinhar, e sempre fazem muito bem ! Nessa foto está o francisco fazendo um pastel de papas. 

      PS: Festa em que tive o primeiro contato com as músicas Folcloricas, as famosas festas Peña. Os jovens de Balcarce estão muito ligados a cultura local, e tinham muitas festas com a temática de Peña.

      PS: Outra comida muito tipica que tive contato, o Pollo al disco, que é frango ao molho feito em um disco com batatas fritas.
      Quarto destino: BALCARCE - NECOCHEA E QUEQUÉN (Locomoção: Carona) - 153 KM - 12 DE AGOSTO DE 2016
      A convite de uma amiga que estudava na mesma faculdade, Toti, fui para a sua Cidade Necochea para ficar em sua casa e de sua familia. Mais uma vez viajei pedindo carona, e consegui uma carona que me deixou no destino final com Toti. Pedir carona era algo muito comum na região, sendo que os motoristas tem o prazer de ajudar esses jovens aventureiros 
      Fui bem recebida por toda a sua familia, e nos dois próximos dias conheci toda a cidade, e os principais pontos turisticos. Por ser uma cidade que atrai muita gente por conta das suas praias, em Agosto a cidade estava deserta por conta do frio, porém voltei outra vez no fim do ano para conhecer outra Necochea, caso queiram também posso fazer outra publicação falando sobre a cidade. 
      Os pais de Toti me levaram de carro para conhecer a cidade, e também uma cidade vizinha Quequén para me mostrar os lobos marinhos que ficam na praia. São cidades muito próximas, com apenas uma ponte dividindo as duas. Também conheci a vida noturna, fomos em uma boate em Necochea, onde dançamos bastante Cumbia e Reggaeton. Os argentinos são bem mais timidos que os Brasileiros para dançar, porém foi uma ótima experiência. Para economizar, tomamos bastante vinho em casa antes de ir para a balada, e como começa somente 03:00 hrs da manhã as boates da Argentina, deu para ficar bem borrachas hahaha

      PS: Rio que separa Necochea e Quequén.

      PS: As empanadas fizeram parte da minha dieta, por serem baratas e muito deliciosas.

      Ps: Os vinhos na Argentina são bem mais em conta que no Brasil, e são uma ótima opção para quem gosta. 

      PS: Pai da Toti fazendo o famoso  assado. 

      PS: Praias de Necochea.

      ps: Em quequén.

      Escultura em Quequén !
      Depois de 2 dias nessas incriveis cidades voltei para Balcarce de ônibus mesmo, e assim encerrou o meu ciclo de viagens antes do inicio das aulas, durante o meu período na Argentina também fiz outras viagens, porém fica para outro post !!!!
      Hasta luego amigos viajeros !!!
       
       
    • Por Adriano Klein
      [info]O objetivo deste tópico é trocar informações e reunir depoimentos e dicas sobre as cidades de Mar del Plata, San Clemente del Tuyu, La Plata e San Antonio Areco, na província de Buenos Aires. Hospedagem, alimentação, agitos e locomoção. Se você já conhece alguma das cidades conte para nós como foi sua experiência, seja ela negativa ou positiva. Para isso basta clicar no Botão Responder![/info]
       
       
      [linkbox]Guia de Buenos Aires por Mochileiros.com
      Escreva seu Relato sobre Mar del Plata e La Plata
      Procurando companhia para viajar para Mar del Plata e La Plata? Crie seu Tópico aqui!
      Mar del Plata e La Plata - Tópico de Perguntas e Respostas[/linkbox]
       
       
      Mar del Plata é uma bela cidade, mas é um balneário... No inverno fica sem muito agito. Estivemos lá em maio de 2008 e janeiro de 2009. faz muuuito frio! Na beira da praia sempre tem um vento de lascar!
       
      Como disse é uma bela cidade, fica bem vazia no inverno, mas como é bem grande, tem vida própria. É tipo um Guarujá da Argentina. Tem um Grande cassino, uma reserva de 800 lobos marinhos no porto e um aquário com apresentação de lobos e golfinhos. Além disso lá fica a fábrica de alfajores Havanna (os melhores hehehe). Os hotéis são bem baratos e as roupas também.
       
      Entre Mar del Plata e Buenos Aires, fica San Clemente del Tuyu, onde está o Mundo Marino, maior oceanário da América Latina. Este sim um show que vale a pena!
       
      Dê uma olhada nas atrações em http://www.welcomeargentina.com.ar.
       
      Abraço!
×
×
  • Criar Novo...