Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

8 dias alemanha e áustria. Do Natal em Innsbruck a Reveillon


Posts Recomendados

  • Membros

[t1]Como é dirigir nas autobahns alemãs - primavera e inverno[/t1]

 

[t3]Vantagens e Desvantagens de alugar um carro[/t3]

 

P1040484.JPG

WiesKirche, rota romântica de carro

 

Como já falei anteriormente aqui , o sistema ferroviário europeu é exemplar, ainda mais na Alemanha. Na maioria das vezes, o trem ainda é o melhor meio de transporte para se locomover entre as cidades. A vantagem em relação aos ônibus e carros é que são relativamente confortáveis, rápidos, baratos , não tem burocracia de checkin e normalmente levam do centro de uma cidade a outra.

 

Mas há casos em que o aluguel de carros pode compensar e muito. A possibilidade de fazer o seu roteiro personalizado, conhecendo lugares fora do mapa ferroviário e a liberdade de ter seus próprios horários são grandes pontos favoráveis às viagens de carro. A rota romântica, a rota dos castelos, os lagos alpinos, a floresta negra... a Alemanha oferece inúmeras possibilidades de agradáveis passeios de carro. Além disso, há de se considerar também o prazer de dirigir um bom carro, daqueles modelos inacessíveis para nós do Brasil. E a Alemanha é um dos melhores lugares do mundo para se dirigir, graças às autopistas de alta velocidade, chamadas autobahns, incríveis obras de engenharia germânicas.

 

DSC03399-1.jpg

O prazer de se dirigir em estradas bem conservadas

 

Mas como nem tudo são flores, antes de falar mais sobre a experiência de dirigir em uma autobahn, vamos falar sobre as desvantagens de se alugar um veículo. Carros pode ser um grande empecilho se você ficar hospedado no centro histórico das cidades, pois os prédios antigos normalmente não possuem garagem e a circulação e estacionamento de veículos pelas ruas medievais é muito restrita e dispendiosa.

 

Zeichen_291.svg.png

Cartão de Estacionamento

 

Dificilmente você irá escapar do exercício de paciência que é estacionar naquelas pequenas ruas medievais. É preciso , antes de tudo, verificar se a vaga não é reservada a idosos, residentes ou exclusiva para mulheres. Depois procure pela inscrição "Parkscheibe", que significa que o estacionamento é gratuito por um certo período de tempo, basta utilizar o cartão de estacionamento (imagem ao lado) para marcar a hora que você está estacionando.

 

Já se estiver escrito "Parkscheine" ou tiver um parquimetro do lado, significa que o estacionamento é pago. Deposite as moedas necessárias até que o horário desejado seja atingido e deixe o ticket visivel em cima do painel frontal do veículo. Observe sempre se há restrição de duração máxima de estacionamento em ambos os casos.

 

Outra opção são os estacionamentos privados em hotéis ou edifícios garagem, mas prepare-se para desembolsar um bom dinheiro pela vaga. Em Munique, por exemplo, paga-se cerca de 18 euros (cerca de 50 reais) por noite na altstadt. Se for alugar um carro em cidades grandes, dê preferência a hoteis mais afastados do centro, que possuam estacionamento e utilize sempre que possível o transporte público para se locomover dentro da cidade. Nas cidades menores, os hotéis não costumam cobrar estacionamento.

 

DSC01513+(1).JPG

Paisagens deslumbrantes lhe aguardam nas rotas turísticas alemãs

 

 

[t3]Como é dirigir em estradas na Alemanha[/t3]

 

A incrível engenharia alemã foi capaz de construir determinados trechos nas autoestradas considerados seguros o bastante para que o governo não controle a velocidade dos veículos. Porém, se a possibilidade de dirigir sem limite de velocidade é um sonho de liberdade para muitos motoristas, para outros pode representar um grande perigo, o que costuma causar apreensão para quem vai dirigir pela primeira vez na Alemanha.

 

DSCF0278-1-2.jpg

170 km e subindo...

 

De fato, a primeira experiência de dirigir numa autobahn causa muito estranheza a um brasileiro. Mas logo você irá perceber que não há lugar melhor no mundo para se dirigir. As mesmas regras de trânsito que garantem a segurança das autobahns existem no Brasil, a diferença é que, na maioria das vezes, os motoristas daqui costumam ignorá-las. O alemão, pelo contrário, observa com muita rigidez regras de auto estrada como, por exemplo, para mudanças de faixa. É verdade que algumas placas de sinalização são diferentes, mas são um grande problema, pois são bem intuitivas. De modo geral, é só seguir as recomendações que você já aprendeu para tirar sua carteira no Brasil que, com certeza, vai dar tudo certo na sua viagem.

 

Aproveite as condições impecáveis das estradas : absoluta ausência de buracos, sinalização de qualidade e educação no trânsito. Sem falar na qualidade dos carros. As montadoras BMW, Mercedes e Porsche são todas baseadas na Alemanha.

 

DSC01677.JPG

Autobahn - maravilha da engenharia

 

 

[t3]Dicas para economizar na hora de alugar um carro[/t3]

 

A primeira providência que você deve tomar é emitir a permissão internacional para dirigir (PID). É um documento oficial que contém a tradução da sua carteira para diversas linguas e é exigida para se dirigir na Alemanha. O custo e tempo para se emitir a PID varia de Estado para Estado, para maiores informações consulte o Detran da sua cidade. O próximo passo é escolher a locadora de veículos. Existem diversas filias nas principais cidades do país e até em algumas pequenas, tipo Fussen. Entre as principais locadoras estão a Hertz, a Avis e a Sixt.

 

Para economizar na hora do aluguel, procure alugar o carro por períodos equivalentes a uma ou mais semanas, pois a maioria das locadoras tem tarifas promocionais semanais, ou seja, a tarifa é a mesma se você alugar 5 ou 7 dias. Outra boa forma de economizar é consultar o site das locadoras com antecedência para conferir as promoções disponíveis para a localidade que você irá viajar. Dependendo da época do ano, são concedidos descontos de até 30% para pagamento antecipado no Brasil. Vale lembrar que nas companhias que tem representante no Brasil, como a Hertz, a cobrança é feita em reais no seu cartão de crédito, sem pagamento de IOF.

 

Se você participa de programas de relacionamento como o tam fidelidade, o smiles, accor, etc , sempre consulte a seção de parcerias na página da locadora ou do programa de fidelidade. Os descontos variam muito de acordo com a parceria e a época do ano, mas quase sempre é possível encontrar uma promoção especial, basta procurar direitinho.

 

Em relação ao seguro, fique atento aos diferentes tipos de cobertura e franquias, pois a nomenclatura costuma variar de acordo com a locadora. Eu normalmente opto pelo seguro total sem pagamento de franquia em casos de sinistros, chamado de SCDW na Hertz e LDW sem franquia na Sixt. Fique atento que alguns cartões de crédito costumam oferecer o seguro de graça se você utilizá-lo para fazer o pagamento da reserva, consulte sua administradora para saber se você tem direito a este benefício.

 

Por fim, escolha a categoria de modelos de carro que melhor se encaixe em sua viagem. É possível alugar desde mini carrinhos para duas pessoas até trailers ou motorhomes. Todos são carros bem conservados e equipados, que seriam considerados carros de luxo no Brasil, mas que podem ser encontrados a preços semelhantes aos praticados por aqui para carros populares. Aproveite e invista no seu sonho, qual outro lugar do mundo você pode usufruir de todo o conforto e potencial de um Porsche Panamera a 200km na pista?

 

Eu gosto muito do atendimento e da variedade de carro da Sixt, que possui a maior frota de BMWs do país. Caso o carro que você escolheu não estar disponível no dia, normalmente eles costumam oferecer um carro de categoria superior sem qualquer custo adicional. Além disso, se você for dirigir no inverno, a Sixt oferece pneus de inverno (obrigatórios em alguns trechos) sem custo adicional.

 

DSC03229-1.jpg

Mercedes a preço de gol?

 

[t3]Dirigindo no Inverno e na noite.[/t3]

 

 

Por falar em inverno, eu tinha muitos receios em dirigir nessa época do ano, mas para falar a verdade não senti muita diferença em dirigir lá em Dezembro ou em Maio. Na realidade, a chuva da primavera me atrapalhou mais do que a neve do Inverno. Mas é claro que tudo vai depender das condições meteorológicas de momento, mas o que que quero dizer é :não se desespere em ter que dirigir no inverno. Pode acontecer de você se deparar com uma nevasca? Sim, mas essa não é a regra. Eu, por exemplo, não vi neve em nenhum momento dentro da pista, somente nas margens das rodovias. Mas caso você se depare com uma situação dessas, mantenha a calma. Previna-se, alugue um carro já preparado com pneus de inverno e dirija com cautela se o tempo estiver ruim. Tenha em mente que as estradas principais são impecavelmente mantidas pelo governo alemão, assim como a qualidade e segurança dos carros são realmente bem diferente da situação que temos no Brasil.

 

Uma outra experiência que amedronta muitos motoristas é dirigir à noite em uma autobahn, mas sinceramente também não vi quase nenhuma diferença, apesar de particularmente não gostar de dirigir sem a luz do sol. O caminho à notie entre Speyer e Heidelberg foi tão tranquilo quanto a ida durante o dia, apesar da necessidade de entrar em diversos entroncamentos ao longo das rodovias. É nessas horas que agradecemos dirigir com um bom GPS, acessório muito mais que bem vindo ao alugar carro, diria até que essencial.

 

Por último, mas não menos importante, lembre-se que bebida e direção não combinam, mesmo na Alemanha. As leis são rigorosas e o consumo de álcool no trânsito tem tolerância quase zero. Seguindo essas dicas, dificilmente você terá algum problema em dirigir na Alemanha.

 

 

[t3]Dicas :[/t3]

 

Se encontrar a palavra "Parkscheibe" utilize o cartão de estacionamento fornecido no momento da locação do veículo.

Procure descontos nos sites das grandes locadoras : Avis, Hertz e Sixt. Na Hertz paga-se em real sem IOF, na Sixt pneus de inverno são fornecidos sem custo adicional.

Na Alemanha não há cobrança de pedágio. Mas na Áustria compre o vignette em lojas de conveniência nos postos. Suiça e França tambem tem estradas com pedágio.

Link para o post
Compartilhar em outros sites

  • Membros

[t1]Rheinpfalz : Entre as catedrais e o vinho[/t1]

 

A região hoje dividida entre os estados de Badden-Wuttenberg e da Renânia-Palatinato, outrora formavam um único território conhecido como o Palatinato Renânio, ou Rheinpfalz, uma das mais importantes regiões eleitoras do Sacro Império Romano-Germânico.

 

A região é hoje uma das principais produtoras do consagrado vinho branco alemão, o Riesling. A estrada que liga Schweigen-Rechtenbach a Bockenheim , conhecida como Rota do vinho (Deutsch Weinstrasse) é uma das mais famosas rotas vinícolas da Europa, também presentes na estrada que liga Worms a Mainz, margeando o famoso rio Reno. Além do vinho, a região abriga os mais belos exemplares religiosos de arquitetura românica na Alemanha, as catedrais de Speyer, Worms e Mainz, três das principais cidades da região, que conheceremos a seguir.

 

[t3]Speyer - A catedral e a feira de Natal[/t3]

 

Para quem está hospedado em Heidelberg, Speyer fica a pouco mais de uma hora de distância, perfeita para uma visita do tipo bate-e-volta. Como estava na época natalina, aproveitamos a visita à cidade para conhecer uma autêntica feira de Natal alemã, uma das únicas que permanecem abertas mesmo após o Natal. Chegamos no início da noite e deixamos o carro no imenso estacionamento ao lado da Catedral de Speyer, a primeira grande catedral românica que visitamos na região e também a que se mantem mais fiel ao estilo original.

 

A igreja, cuja data de construção remonta ao ano de 1025, estava lotada para a missa dominical e parece que a população inteira da cidade estava naquele lugar. Por sorte, chegamos no finalzinho da cerimônia e não tivemos problemas para passear tranquilamente pelas suas galerias depois da multidão ir embora. O que mais me surpreendeu foi a fachada da Catedral, totalmente diferente de tudo que já havia visto, uma verdadeira viagem ao tempo da Roma antiga, somente lá pude compreender o que significava a beleza do estilo românico.

 

DSC03679.JPG

Fachada românica da KaiserDom de Speyer

 

DSC03676-1.jpg

Presépio de Natal

 

A outra surpresa da noite estava reservada na rua em frente à Igreja. A feiras de Natal são uma tradição na Europa, especialmente na Alemanha, várias barraquinhas ocupam ordenadamente as ruas impecavelmente coloridas pelos enfeites de Natal. Os visitante podem, então, se deliciar com várias comidas e bebidas típicas diferentes, além de muitas lembrancinhas de Natal de qualidade. E vamos combinar que a fumaça das churrasqueiras tem uma atração irresistível para nosso paladar brasileiro. Tem churrasquinho de todo jeito : carne de gado, porco e, claro, salsicha, de todos os tipos. Se essa não for sua praia, não tem problema, existem muitos outros pratos feitos a base de massas e molhos. Bem light, não? Para beber, o mais comum é uma bebida quente feito a base de vinho. Deliciosa por sinal! E para fechar com chave de ouro, nada melhor que um waffer recheado de nutella.

 

DSC03682-1.jpg

Waffer Sobremesa

 

DSC03683.JPG

Feira de Natal de Speyer

 

20121230190616(1)-1.jpg

Quem resiste a bom churrasco?

 

 

Ainda deu tempo de dar uma voltinha pela cidade, um pouco diferente de outras que já conheci. A Maximilianstrasse, é rua principal da cidade, a mesma onde acontece a feira de Natal, é bastante larga e agradável. Mesmo em pouco tempo se sente uma vida cultural bem rica na cidade, com museus e artistas de rua. É um lugar que definitivamente valeria a pena voltar para aproveitar um dia de sol.

 

 

[t3]Worms[/t3]

 

 

Esta é uma das mais antigas cidades da Alemanha, onde ocorreu a célebre dieta de Worms. Mas o que seria essa tal dieta? Foi uma assembléia realizada na cidade em 1520, a pedido do imperador Carlos V, em que Martin Lutero foi intimado a dar explicações sobre os seus livros em que criticava vários dogmas e práticas comum da Igreja Católica na época. Perguntado se confirmava todos os pensamentos contidos nos livros, Lutero reafirmou tudo o que já havia dito e escrito, causando uma verdadeira revolução na sociedade medieval. Esses acontecimentos culminaram com sua excomunhão da Igreja Católica e condenação à morte. Mas Lutero foi protegido pelos príncipes adeptos de suas idéias e acabou liderando o movimento da Reforma da Igreja católica, que deu origem ao protestantismo, uma das religiões mais praticadas do mundo, especialmente na Alemanha.

 

A Catedral de Worms, dedicada a São Pedro, é cerca de cem ano mais nova, e por isso, apresenta mais traços góticos do que as suas irmãs em Speyer e Mainz, mas nem por isso tem sua importância reduzida. Se você tiver tempo, observe os resquícios da antiga muralha e o interessante cemitério judeu nos arredores da cidade.

 

DSCF0418-1.jpg

Catedral de Worms

 

[t3]Oppenheim[/t3]

 

Entre Woms e Mainz, encontra-se uma interessante região para os amantes do vinho. Ao longo da estrada, margeando o Reno, encontram-se imensas vinícolas. Uma das cidades mais belas desse trecho é Oppenheim. Pequena cidade de pouco mais de 7000 mil habitantes, fica às margens do rio Reno e tem relevo acidentado. Entre suas principais atrações estão a igreja de St Catharina, as ruínas do antigo castelo e suas fortificações como a torre do relógio. Infelizmente, devido a sua complexa geografia e pequenas dimensões, a cidade não pareceu oferecer uma boa infra estrutura turística. Para se ter uma idéia, nem o GPS conseguiu localizar as principais atrações nas ladeiras do centro histórico. Com o tempo apertado para chegar em Mainz, não foi possível explorar melhor o que a região tem a oferecer, mas fica a dica de uma cidade como referência próxima à rota do vinho alemã.

 

DSCF0422-1.jpg

Região dos vinhos

 

DSC03693-1.jpg

Torre do Relógio

 

 

[t3]Mainz[/t3]

 

DSC03708-1.jpg

Cripta da KaiserDom

 

Mainz, na confluência dos rios Reno e Main, é a capital da Renânia e o centro econômico da região. A altstadt, bastante danificada na 2ª Grande Guerra, está repleta de construções históricas e também de modernas lojas de departamento.

 

No centro está também a KaiserDom, dedicada a St Martin e St Stephen, a terceira das catedrais românicas da região, que assim como a de Speyer possui mais de 1000 anos de existência e seis torres que impressionam. Bem próximo à Catedral, encontra-se o Museu de Guttenberg, filho ilustre da cidade, inventor da tipografia moderna. O museu abriga um dos últimos exemplares da Bíblia de Guttenberg de 42 linhas, o primeiro livro impresso do mundo. Um pouco mais afastado do centro está a belíssima Igreja de St Stephan, de 1267, cujos vitrais elaborados pelo artista israelense Chagall são de uma beleza estonteante. Mainz também é um importante porto fluvial, de onde saem vários cruzeiros turísticos pelo rio Reno e Mainz.

 

DSC03695-1.jpg

Detalhe Altar St Martin

 

DSC03697.JPG

Panorâmica da nave interior da Catedral (altar de St Stephen)

 

DSC03718-1.jpg

Igreja de St Stephen e vitrais de Chagall

 

[t3]Avaliação Final[/t3]

 

As três catedrais românicas são por si só um grande atrativo da região, contendo mais de um milênio de história encerradas nas suas torres e paredes, que mais parecem muralhas medievais. A região oferece também agradáveis vistas e passeios para os amantes do vinho e dos castekis ao longo das margens do Reno. Ao Sul de Speyer, encontra-se a famosa Rota dos Vinhos alemã, enquanto ao norte de Mainz, o passeio de barco no rio Reno oferece deslumbrantes vistas de castelos e da exuberante natureza , principalmente no trecho entre Rudeshein. Porém, esses trechos ficarão para outra vez, pois de Mainz seguiremos a Frankfurt, para o tão aguardado Reveillon na Alemanha.

 

[t3]Dicas[/t3]

 

KaiserDom de Speyer

KaiserDom de Worms

KaiserDom de Mainz

Museu de Guttenberg

Karstadt

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

[t1]Como é passar o reveillon na Alemanha - Frankfurt[/t1]

 

Em 2013 finalmente foi possível realizar um antigo sonho de infância : passar um reveillon na Europa. Diferentemente do Brasil, em Frankfurt não há uma festa organizada pelo poder público nas cidades, mas sim pela própria população, distribuída em vários pontos da cidade ao longo do rio Main. Apesar da aparente simplicidade, a festa é super bonita, emoldurada pelos atributos naturais de Frankfurt : o skyline da "Mainhattan" e barcos iluminados no rio Main.

 

[t3]Frankfurt - A cidade[/t3]

 

DSC03739-1.jpg

KaiserDom

 

Frankfurt, assim como Innsbruck, é mais um caso de cidade polêmica. Pouco querida por alguns viajantes, a maioria usa somente o enorme aeroporto da cidade, o terceiro maior da Europa, e já parte rapidinho para outro lugar considerado mais turístico.

 

Isso se deve em grande parte ao perfil da cidade ser diferente do que o turista normalmente procura na Alemanha. Frankfurt pode ser considerada atualmente o coração financeiro da Europa, onde estão localizadas as sedes dos principais bancos nacionais e da famosa bolsa de valores de Frankfurt. A cidade é repleta de enormes torres modernas envidraçadas de grandes companhias financeiras internacionais (daí o apelido de Mainhattan, em alusão ao rio Main e ao distrito financeiro de New York)

 

Mas Frankfurt não é somente isso, quem busca os tradicionais monumentos históricos e museus não deve subestimar essa bonita cidade, que possui uma boa infraestrutura urbana, com excelente hotéis, um extenso sistema de metrô e conexões para diversas outras cidades pela estação de trem principal. Para o turista, a cidade pode ser conhecida em pouco tempo, resumindo-se basicamente a parte comercial ao redor da hauptwache , a romerberg e o bairro boêmio de Sachesenhausen.

 

[t3]Frankfurt - O centro histórico[/t3]

 

Para explorar o centro histórico segui um roteiro de 4,2 km resumido, se você tiver mais tempo não esqueça de incluuir a Goethehaus, museu do filho mais ilustre da cidade.

 

[googlemap]https://maps.google.com.br/maps?saddr=Alte+Oper+Frankfurt,+Francoforte+sobre+o+Meno,+Rep%C3%BAblica+Federal+da+Alemanha&daddr=Fre%C3%9Fgass+to:Hauptwache,+Francoforte+sobre+o+Meno,+Rep%C3%BAblica+Federal+da+Alemanha+to:Paulskirche,+Paulsplatz,+Francoforte+sobre+o+Meno,+Rep%C3%BAblica+Federal+da+Alemanha+to:Alte+Nikolaikirche,+Francoforte+sobre+o+Meno,+Rep%C3%BAblica+Federal+da+Alemanha+to:Dom%2FR%C3%B6mer,+to:Gro%C3%9Fe+Rittergasse,+Francoforte+sobre+o+Meno,+Rep%C3%BAblica+Federal+da+Alemanha+to:Atschel,+Wallstra%C3%9Fe,+Francoforte+sobre+o+Meno,+Rep%C3%BAblica+Federal+da+Alemanha+to:50.1060982,8.6907594+to:Dom%2FR%C3%B6mer,&hl=pt-BR&ie=UTF8&sll=50.106481,8.690958&sspn=0.00481,0.011362&geocode=FUC0_AIdKVKEACEovcFtbq_NvimRu1UOrQ69RzEovcFtbq_Nvg%3BFVKx_AId_1mEACH2VqtDLStNOikd7f61rQ69RzH2VqtDLStNOg%3BFUat_AIdlGmEACHRrAdUYXFxgylBHyAn_xW5RzHRrAdUYXFxgw%3BFZei_AIdi3WEACHU1ETsCMoOqCm5ilMbpg69RzHU1ETsCMoOqA%3BFRWe_AIdW3uEACEWj7blWtZOTClfKIZApg69RzEWj7blWtZOTA%3BFamg_AIdmH-EACk_NCxlpg69RzE30f3AZyqGUg%3BFXCO_AIdkp-EACn5PtQRoA69RzGsrZPa91VyiA%3BFRiK_AIdFJWEACHBHfn9ad4kdym1DNnMHwy9RzHBHfn9ad4kdw%3BFfKO_AIdR5yEACmnaMNvoA69RzF92xJepZPMAw%3BFamg_AIdmH-EACk_NCxlpg69RzE30f3AZyqGUg&oq=atschel&t=h&dirflg=w&mra=dpe&mrsp=8&sz=17&via=8&z=20[/googlemap]

 

Na altstadt o destaque fica por conta da praça romana, a Rommerberg, uma das mais agradáveis que conheci em toda a Alemanha repleta de casarios em estilo enxaimel reconstruídos após a segunda grande guerra. Não perca a Romer, parte da antiga prefeitura da cidade, as construções conhecidas como Ostzeile , na porção leste da praça e a Nikolaikirche, igreja do século XI.

 

DSC03740-1.jpg

a Romer

 

DSC03742-1.jpg

A ostzeille

 

Um pouco adiante encontra-se a KaiserDom, ou Catedral de São Bartolomeu, local de coroação de reis e imperadores do Sacro Império Romano a partir de 1562. A estilosa igreja possui uma inestimável quantidade de obras de arte, entre elas a Maria-Schlaf-Altar , uma interessante representação de um funeral de Maria, mãe de Jesus, datada do século XV. A Catedral possui um acervo muito rico de obras de arte e recomendo muito a visita.

 

20121231170437(1)-1.jpg

Maria-Schlaf-Altar

 

DSC03726-1.jpg

Interior da KaiserDom

 

DSCF0453-1.jpg

Obras de Arte na Kaiserdom

 

DSC03734-1.jpg

Kaiserdom

 

Além da parte mais antiga, existe a parte mais comercial do centro, que abriga diversas lojas de departamento famosas misturados a outros prédios turísticos. A região ao redor da Hauptwache é bastante movimentada e abriga diversas lojas de departamento e bons restaurantes, mas também monumentos históricos como a Katharinenkirche.

 

DSC03745-1.jpg

Edificio perto da Hauptwache - Katharinenkirche

 

[t3]Frankfurt - O bairro boêmio e as tavernas de apfelwein[/t3]

 

Um dos recantos mais interessantes da cidade fica na outra margem do rio Main, no bairro conhecido como Sachesenhausen. A parte antiga do bairro, abriga diversas tradicionais tavernas da bebida oficial de Frankfurt : o apfelwein, um vinho de gosto singular feito de maçã. As tavernas ficam em diversos pontos, entre eles na Rittergasse e Wallstrasse.

 

Visitamos uma pequena taverna de uma simpática senhora que mal falava inglês, o Barbarossa Schanke. O ambiente era parecido com o de um pub, mas infelizmente o odor de cigarro tornava a permanência para uma refeição impraticável. Acabamos comendo uma massa no Pizza Pasta Factory, restaurante simples, mas com excelente atendimento e boas massas, que podem se acompanhadas por uma deliciosa taça de advinhem? Apfelwein, claro. Foi aí que descobrimos que existe uma versão menos estranha da bebida, mais doce e mais saborosa que a tradicional versão azeda.

 

20121231185737(4)-1.jpg

Taverna de Apfelwein

 

A parte nova do bairro abriga uma boa quantidade de museus localizados à beira do rio. O melhor deles é o Stadelsches Kunstinstitut, que começou com a coleção particular de um banqueiro e hoje abriga uma das maiores coleções de obra de arte de toda a Alemanha.

 

[t3]Froehliche Weihnachten - Reveillon Alemão[/t3]

 

Como já comentei, a tradição em Frankfurt é os próprios moradores levarem seus fogos de artifício, livremente vendidos até em supermercados para a festa da noite de reveillon. A festa, aliás, começa cedo, pois durante a volta pela cidade, já começamos a ouvir o barulho de fogos de artifício por volta das 18h. A movimentação nas ruas próximas ao rio Main cresce a medida que o tempo avança. É bastante divertido observar os grupos de alemães e turistas soltando os fogos no meio da rua , numa brincadeira que muitos podem considerar perigosa.

 

Para quem deseja algo mais sofisticado, vários cruzeiros promovem festas particulares em barcos que navegam pelo rio Main na noite de Ano Novo. Existem desde jantares de gala até festas "rave" em diferentes tipos de embarcação.

 

DSC03753.JPG

Skyline da Mainhattan

 

20130101004314(1).jpg

Cruzeiros no rio Main

 

Perto da meia-noite, a quantidade de fogos que não paravam desde o anoitecer toma uma intensidade assustadora Não há uma contagem regressiva oficial, nem aglomerações de pessoas, ficando cada um livre para curtir o brilho da noite e fazer sua própria festa, de preferência regada a muito apfelwein. Como dizem os alemães : Froehliche Weihnachten!!!!!!!!!

 

DSC03770-1.jpg

Reveillon na Mainhattan

 

[t3]Avaliação Final[/t3]

 

Talvez por esperar tão pouco de Frankfurt, tenha me surpreendido tanto com a cidade, que impressiona pela organização, limpeza e monumentos históricos. O reveillon fechou com chave de ouro a magnífica experiência de passar as festas de fim de ano na Europa para uma família brasileira.

 

Foram 8 noites muito bem aproveitadas, desde os Alpes Austríacos até o rio Main, passando por uma dezena de castelos, museus e magníficas igrejas luteranas e católicas, tudo isso acompanhado de iguarias deliciosas, do ombro de porco a cerveja defumada de Bamberg.

 

Sobre minhas impressões pessoais da viagem, posso afirmar que dificilmente possa encontrar uma sociedade tão organizada no mundo atual quanto a da Alemanha. Talvez se possa creditar essa qualidade às duras lições aprendidas com um insano ditador que quase levou o país à ruína, ou talvez seja o próprio caráter de sua população, trabalhadora e perfeccionista.

 

O certo é que, no fim da viagem, somos invadidos pela sensação de admiração por este país que soube dar a volta por cima e proporcionar, tanto aos seus habitantes quanto aos visitantes, um incrível bem estar de vivenciar no presente uma experiência cultural de respeito ao próximo, sem esquecer o passado e tradições que formam esta formidável nação.

 

[t3]Dicas :[/t3]

Hotel Ibis HBF. Na beira do rio, próximo a estacao de trem principal, possui boa estrutura e garagem própria.

Pizza Pasta Factory. Boas massas a preços baixos. Paradiesgasse 67

Barbarossa Schanke. Típica taverna de apfelwein de Frankfurt. Se você não suporta cigarro, fuja! Paradiesgasse 67

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 3 semanas depois...

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora
×
×
  • Criar Novo...