Ir para conteúdo
Julia W

AURORA BOREAL em TROMSO-Noruega 2014

Posts Recomendados

Olá, mochileiros! Meu nome é Julia, tenho 23 anos e vou contar como foi a experiência de CAÇA ÀS LUZES DO NORTE (ou Aurora Boreal) que fiz em setembro/outubro desse ano, sozinha. Mando meu relato com um certo atraso ::dãã2::ãã2::'> , mas espero ajudar quem estiver com planos de ver esse fenômeno.

 

A VIAGEM

Tromso, cidade preferida dos "caçadores", não foi minha primeira parada: passei uns dias em Oslo antes e de lá, peguei um voo da SAS até Tromso no dia 29 de setembro. A companhia é bem simples, não tem nada de especial mas o serviço é bom. A viagem dura umas duas horas e do avião mesmo já dá para ver algumas GELEIRAS. Saindo do aeroporto fui de táxi até meu hotel e não foi caro, mas na saída do aeroporto tem um ponto de ônibus que leva até o centro da cidade por 37 NOK (45 se comprar a passagem no próprio ônibus, dá uns 16 reais). Como eu sabia que precisava contratar uma empresa para fazer a caçada, perguntei no hotel do centro de atendimento ao turista e fui direto para lá, para perguntar pelas empresas que fazem as caçadas e... estava fechado. Eram QUATRO HORAS DA TARDE e o negócio estava FECHADO. Tive mais sorte que juízo e, ao lado do centro de turismo, vi que fica o escritório da Arctic Guide Service, que faz essa e outras expedições de turismo, então fui direto lá e me inscrevi para a caçada daquela noite mesmo, por 800 NOK (ouch!).

 

Mas por que precisa de uma empresa especializada? Explico: o fenômeno da aurora boreal depende de condições climáticas e magnéticas para ficar visível, além de não aparecer em regiões muito iluminadas (como cidades), então um guia profissional leva os grupos para locais com mais probabilidade de incidência das luzes, já que ele sabe "ler" o céu. Tem empresa de tudo quanto é tipo: simples, luxuosa, para famílias... Dá para pesquisar e reservar o passeio no site da cidade ou ir ao centro de turismo quando estiver aberto. No site dá para entender melhor como fazer: http://www.visittromso.no/

Não recomendo ir por conta, já que nunca se sabe onde as luzes vão aparecer, nem quando. É muito comum ir até a Finlândia para ter uma boa vista do fenômeno.

 

A CAÇADA

Ás 20h nos encontramos em frente ao escritório, devidamente equipados: roupas térmicas (estava cerca de 6ºC e caindo), calçados apropriados para andar no mato e tripé. A empresa oferece um lanche com chocolate quente e cookies, então não precisa levar nada para matar a fome, mas é bom se alimentar antes de sair. Embarcamos no ônibus, cerca de quinze pessoas de vários lugares do mundo, e começamos a procurar. E procuramos. Procuramos mais um pouco. De vez em quando saímos do ônibus para observar o céu, mas como estava nublado, só era possível ver uma luminosidade verde no céu. Procuramos até as duas da manhã, quando voltamos para a cidade frustados.

Tentamos outra vez

Como o magnetismo estava forte nessa semana, não me deixei abalar pelas nuvens que permaneciam na cidade e me inscrevi de novo para mais uma caçada, com a mesma empresa. Em vão, porque a história da noite anterior se repetiu: fomos até a fronteira com a Suécia, mas nada de o céu clarear.

 

SOU BRASILEIRA E NÃO DESISTO NUNCA

Com o bolso bem mais leve na minha última noite em Tromso, decidi arriscar e tentar outra vez, ainda com a Arctic Guide Service, encontrar as luzes do norte. Parecia que ia acontecer a mesma coisa, só conseguíamos ver alguns rastros de luz verde, mas nada daquilo que a gente vê nas fotos. Quando eu já tinha abandonado a esperança de ver aurora, paramos na margem de um lago e o guia gritou para descermos correndo. Lá estavam elas: as luzes do norte, dançando no céu, em tons que iam do verde ao roxo. Gente! Que experiência maravilhosa! Valeu cada centavo investido e cada segundo de busca, não tem explicação para a beleza desse acontecimento. Durou só uns cinco minutos, mas foi incrível.

 

No outro dia saí de Tromso para ir até Bergen, a cidade dos fiordes, então claro que naquela noite as nuvens foram embora e o fenômeno foi fortíssimo. Aí tive que me contentar a ver por foto mesmo, então recomendo que vocês não fiquem só três noites por lá (ou fiquem, mas tenham mais sorte que eu). No todo, foi uma experiência incrível, cara e curtinha, mas recomendo.

 

INFORMAÇÕES PRÁTICAS

NOK: a coroa norueguesa estava valendo trinta centavos quando fui, agora já está valendo 36.

HOTEL: fiquei no ABC Hotel, que achei barato e bem localizado, com opção de café manhã, banheiro compartilhado ou não, e os funcionários são bem atenciosos.

AURORA BOREAL: o melhor período para ver as luzes é de setembro a março, ou seja, entre outono e inverno. A Noruega não é tão fria quanto outros países que conseguem visualizar o fenômeno, por causa da corrente do Golfo, mas não espere calor. As temperaturas nesse período vão de 10ºC a -10ºC, podendo cair mais. Quando eu fui a neve ainda estava rasa, mas quem vai mais perto do inverno encontra a cidade branca mesmo.

COMO FOTOGRAFAR: vai precisar de tripé e uma câmera/lente boa. Nada de modo automático, tem que deixar tudo no manual. Foco infinito, abertura máxima e velocidade entre 15 e 20 segundos.

GASTOS: tudo na Noruega é caro, transporte, hospedagem, compras, alimentação... Recomendo visitar alguns restaurantes típicos para experimentar a culinária local, mas quem não quer gastar muito tem que recorrer a supermercado e fast food. E vai gastar do mesmo jeito. As atrações turísticas não são tão salgadas, então abuse delas.

TROMSO DURANTE O DIA: a cidade não vive só da aurora. Tem vários museus contando a história do Ártico e muitas opções de trilha, escalada e outros esportes ao ar livre. Só fique atento ao horário de funcionamento, que é meio bizarro (muita coisa abre as 10h e fecha às 14h). No mapa da cidade que peguei no hotel tem tudo bem detalhado, imagino que todos os lugares tenham um.

A MINHA VIAGEM: além de Tromso, na Noruega visitei Oslo e Bergen, mas isso é assunto para outro post...

 

FOTOS

Não posso falar da Aurora Boreal sem mostrá-la, o problema é que minhas fotos ficaram abomináveis! :o

Todas as fotos são da Arctic Guide Service, que peguei com a devida autorização deles.

FB_20140930_21_31_44_Saved_Picture.jpg.e4c3255e248c90380f0368e556bbcb08.jpg

FB_20140930_21_31_39_Saved_Picture.jpg.55db1a6ab02686488cf6fa56a4095f84.jpg

FB_20140930_20_52_23_Saved_Picture.jpg.59f234de9ee4ad2361f72d57192224d1.jpg

FB_20140930_20_51_33_Saved_Picture.jpg.387d52e4e8449edbe577ba75598aecc5.jpg

FB_20140930_20_51_20_Saved_Picture.jpg.6ddd37fbbe102d033afd01c5edfac11b.jpg

FB_20140930_20_50_37_Saved_Picture.jpg.68335e8547e5ce5a6154673c820a8319.jpg

 

Dias em que a atividade estava mais forte:

10509767_863119823752608_76158061380230015_n.jpg.c505e82450abe001854397af325836d0.jpg

10392314_857634494301141_812918664403067166_n.jpg.1d52135d27f1f98fd91e0f0cdaca7e8c.jpg

10686947_849497001781557_6149706221009430561_n.jpg.318670050f6b110b891112eda4bf9091.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Fui no mês de janeiro. Estava bem mais frio. Peguei -25 graus C quando fui às montanhas.

Peguei o ônibus do aeroporto à cidade sem problemas.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Fui em Janeiro de 2014, também fiz 3 dias pela Arctic Guide Service (na época, era o menos caro) e também precisei insistir até o terceiro dia pra conseguir ver a Aurora. Planejo outra viagem pra ver a Aurora Boreal, mas em outra região do planeta, é realmente um negócio inexplicável.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora


×