Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Pat Motinha

[Arquivo] Repelentes

Posts Recomendados

Amigos,

Mais uma referência bibliográfica sobre o uso de repelente cutâneo para impregnação de roupas contra o carrapato: Schreck CE, Snoddy EL, Spielman A. Permethrin and deet sprays against ticks. J Med Entomol 1986; 23 : 396-399.

92% de proteção por 24 horas se a concnetração de DEET do repelente for de pelo menos 30%.

Um forte abraço,

Paulo

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Caros amigos,

 

Hoje, 25 de novembro, chega a notícia que o Dr. Drauzio Varela contraiu dengue na Bahia.

 

Estamos às portas do verão e é hora de se proteger.

 

Recebemos recentemente um artigo médico bastante interessante sobre o assunto. É um artigo do Dr. Hélio A. Miot e colegas bastante recente que compara repelentes de inseto disponíveis no Brasil.

 

Vale a pena dar uma olhada.

 

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0036-46652004000500004&lng=en&nrm=iso

 

O abstract em português está reproduzido abaixo.

 

Revista do Instituto de Medicina Tropical de São Paulo

Print ISSN 0036-4665

 

 

 

 

 

How to cite this article

 

 

 

 

Abstract

 

MIOT, Hélio Amante, BATISTELLA, Rafaelle Fernandes, BATISTA, Khristiani de Almeida et al. Comparative study of the topical effectiveness of the andiroba oil (Carapa guianensis) and DEET 50% as repellent for Aedes sp. Rev. Inst. Med. trop. S. Paulo, Sept./Oct. 2004, vol.46, no.5, p.253-256. ISSN 0036-4665.

 

O DEET (N, N-dietil-3-metilbenzamida) é hoje o repelente mais efetivo disponível, porém, seu uso pode apresentar importantes efeitos colaterais tópicos e sistêmicos. Alguns compostos botânicos, como a Andiroba (Carapa guianensis), têm demonstrado propriedades repelentes a um baixo custo e baixa toxicidade. Quatro voluntários hígidos submeteram seus antebraços recobertos com óleo de Andiroba a 100%, DEET 50% (controle positivo), óleo de soja refinado, óleo de Andiroba 15% e na ausência de produtos (controles negativos), diretamente a picadas de fêmeas saudáveis de Aedes sp. Foram aferidos os tempos da primeira e terceira picadas. Os resultados mostraram que a mediana da primeira picada nos antebraços sem produto foi 17.5s e a terceira picada, 40.0s. No óleo de soja, as picadas ocorreram em 60.0s e 101.5s. No óleo de Andiroba 100%, em 56.0s e 142.5s. Com Andiroba 15%, em 63.0s e 97.5s. Usando DEET 50% não houve picadas após 3600s na maioria dos experimentos (p < 0.001 Wilcoxon). O óleo de Andiroba 100% comparado ao óleo de soja, antebraço sem produto e óleo de Andiroba 15%, mostrou discreta superioridade (p < 0.001 Wilcoxon). Concluímos que o óleo puro de Andiroba apresenta efeito repelente discreto contra picada de Aedes sp., sendo significativamente inferior ao DEET 50%.

 

Keywords: Aedes; Insect repellent; DEET; Andiroba.

 

 

Um abraço,

 

Paulo Guerra

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Uma dica minha ke aprendi a alguns anos quando ia acampa na beira do rio Araguaia etc la em Goias!!

La no meu cursim di enf. guando vai treina vacina...treina com uma dose pekena de B12. Esta vitamina e otima para repelir insetos...vc pode compra-la em farmacias msm e tomar 3 ´p/ dia antes 2 dias antes di ir viajar...e pronto esta imuni. Ou intao comer muito alhoo ate ele começara isalar no seu suor...ae vc vai anda com cheiro di alho...e muto bom p/ saude tb e pratico!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Amigos,

Na verdade, o efeito dos repelentes cutâneos de alta-eficácia acontece sobre todos os atrópodes: os mosquitos voadores (aedes, anófeles, borrachudo, pernilongo), carrapatos, o barbeiro, a pulga, o piolho, os ácaros, etc.

Existem variações sim: os barbeiros são os mais difíceis de serem repelidos.

Entretanto, a ação é bastante similar em todos os insetos voadores e nos carrapatos sendo considerada "excelente" num estudo duplo-cego e randomizado publicado por Young D Evans S Prevention of athropod attack. Military Medicine 1998 ; 163 : 324-330.

 

 

Na verdade, o efeito dos repelentes cutâneos de alta-eficácia acontece sobre todos os atrópodes: os mosquitos voadores (aedes, anófeles, borrachudo, pernilongo), carrapatos, o barbeiro, a pulga, o piolho, os ácaros, etc.

Existem variações sim: os barbeiros são os mais difíceis de serem repelidos.

Entretanto, a ação é bastante similar em todos os insetos voadores e nos carrapatos sendo considerada "excelente" num estudo duplo-cego e randomizado publicado por Young D Evans S Prevention of athropod attack. Military Medicine 1998 ; 163 : 324-330.

 

Abraços à todos!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Interessante é apelido...

Principalmente pra mim, que consigo pegar carrapatos onde não se tem notícia há anos, que sou atacado por todos os mosquitos enquanto os outros companheiros estão tranqüilos.

Será q tem a ver com o tipo sangüíneo? O meu é A+, e já ouvi outras pessoas do mesmo tipo contarem os mesmos casos...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

me desculpe mas eu vou defender duas coisas aqui, primeiro é a citronela e segundo é o conhecimento popular!

 

eu usei insenso de citrolena na minha ultima aventura e me dei muito bem, minha barraca ficou com menos insetos e os q ficaram é pq n tinham como sair e mesmo assim n me picaram. o efeito pode até n ser tão duradouro como algum outro produto aí, mas citronela p mim ainda é uma boa saída!

:)

 

o conhecimento popular é muitas vezes desdenhado por eruditos, mas serve de base p muitos estudos e ainda preenchem lacunas q a medicina convencional ainda n conseguiu preencher. essa erança valiosa deixada por nossos antepassados é valiosíssima.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Pessoal,

na minha primeira viagem a um camping, usei o seguinte: calça comprida, com meia e tênis e camiseta. Durante a noite, usei o edredon. Aparentemente funcionou bem. Só tive problemas quando fiquei de chinelo pela manhã.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Amigos,

Sobre a experiência pessoal de cada um com insetos, é evidente que a observação individual é importante. Também é assim que surgiram muitos dos medicamentos que hoje são disponíveis. Neste caso, também é verdade que o comportamento dos insetos é diferente de pessoa pra pessoa. Porém, fazer ciência, pressupõe o uso de métodos. Os métodos consagrados até agora (e os cientistas estão abertos a novos métodos contanto que sejam mais eficazes e seguros) é o teste duplo-cego (com o uso de placebos) e randomizado. É assim para qualquer medicamento ou produto dermo-cosmético. O que os médicos sugerem é que, sobretudo nos assuntos que envolvem riscos, como o de pegar malária, dengue ou febra amarela, sejam escolhidas substâncias seguras (em primeiro lugar, diga-se) e eficazes. É, para os médicos, o que vale é o que a literatura de renome indica e, claro, suas própias experiências com os seus pacientes.

O resumo é sempre o mesmo: consulte sempre um médico e pergunte a ele o que é melhor para se proteger contra os insetos transmissores de doenças ou não.

Um grande abraço,

Paulo Guerra

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Visitante
Este post está impedido de receber novas mensagens



×
×
  • Criar Novo...