Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

Pesquisar na Comunidade

Mostrando resultados para as tags ''los roques''.



Mais opções de pesquisa

  • Pesquisar por Tags

    Digite tags separadas por vírgulas
  • Pesquisar por Autor

Tipo de Conteúdo


Mochileiros.com

  • Perguntas e Respostas
    • Perguntas e Respostas
    • Destinos
  • Companhia para Viajar
    • Companhia para Viajar
  • Relatos de Viagem
    • Relatos de Viagem
  • Equipamentos
    • Equipamentos
  • Trilhas e Travessias
    • Trilhas e Trekking
  • Viajar sem dinheiro
    • Viajar sem dinheiro
  • Viagem de Carro
    • Viagem de carro
  • Viagem de Moto
    • Viagem de moto
  • Cicloturismo
    • Cicloturismo
  • Outros Fóruns
    • Outros Fóruns
  • Promoções
    • Voos Baratos

Categorias

  • América do Norte
  • América do Sul
  • Ásia
  • Brasil
  • Europa
  • Oceania
  • Oriente Médio

Encontrar resultados em...

Encontrar resultados que...


Data de Criação

  • Início

    FIM


Data de Atualização

  • Início

    FIM


Filtrar pelo número de...

Data de Registro

  • Início

    FIM


Grupo


Sobre mim


Lugares que já visitei


Próximo Destino


Tópicos que recomendo


Ocupação

Encontrado 7 registros

  1. jmohor

    Los Roques

    Olá Pessoal, já fiz várias pesquisas no Google sobre Los Roques e li as dicas nas páginas anteriores. Por enquanto achei os preços das pousadas muito altos R$ 320,00 por dia. Será que alguem tem alguma dica de uma pousada boa e barata? Qual a melhor empresa de mergulho? Obrigada!
  2. Saudações Mochileiras! Já inicio me desculpando pela divulgação tardia do relato, já que fui em fevereiro, na época do carnaval. Quero agradecer aos relatos a respeito de Los Roques, a contribuição dos colaboradores foi fundamental para o sucesso da trip! Agradecer também as dicas preciosas dos dois grupos sobre o arquipélago no Facebook e ao grupo do whatzap! Segundo, dizer que Los Roques é tudo e muito mais o que relatam! Só estando lá para sentir a energia maravilhosa daquele lugar, já adianto que estou planejando outra ida pra lá esse ano ainda. O objetivo era conhecer a logística para acampar e assim economizar alguns caraminguás. Há mais de uma maneira de se chegar a Los Roques, tudo vai depender do seu tempo disponível e do seu bolso. Nos últimos tempos, os preços de voos para Caracas (CCS) inflacionaram bastante, a Gol nesse momento já não opera mais com voos diretos, restando a TAM, Avianca e Copa, que também não estão indo direto. A dois passos do paraíso... (ou algumas milhas) A logística para chegar em Los Roques pode tanto ser fácil (pero no mucho), isso tomando um voo até Maiquetía e de lá o voo a Los Roques, quanto casca grossa, que foi no estilo que fui, no pinga-pinga usando taxi e busão até Puerto Ordaz. Na época, os voos para Los Roques estavam saindo somente de Maiquetía, parece que agora já voltaram a operar também a partir do aeroporto Higuerote. As empresas que estão fazendo o trecho Maiquetía – Los Roques, são a Chapi Air (http://www.chapiair.com ), a Albatros (http://www.albatrosair.com.ve) e a Conviasa ([email protected]), com preços variando entre 250 a 300 USD ida e volta (por cabeça). Mas, então, como ir??? A maneira mais óbvia e mais simples, é pegar um voo para Caracas (CCS) e de lá apenas trocar de terminal e tomar seu voo para Los Roques, ou pernoitar em algum hotel em Maiquetía e seguir no primeiro voo do dia (da Chapi, às 7:00 a.m). Como os atrasos e extravios de bagagem são recorrentes em Maiquetía, a dica é pernoitar por lá mesmo, mas já vi relatos que tudo deu certo e pessoas conseguiram seguir para LR no mesmo dia que chegaram. Mas se você tem tempo e quer poupar uma grana, há o modo “hard” também, que é ir até Puerto Ordaz de busão, partindo de Manaus ou Boa Vista. No momento a empresa que opera esses trechos é a Eucatur, com ônibus confortáveis e ar condicionado tinindo! As informações que tenho são somente da ida a partir de Boa Vista, custa R$ 115,50 reais com saídas todas as quartas, sextas e domingo (7:30) e duração entre 15 e 18 horas de estrada, parando somente em Pacaraima, para entrada de passageiros e os trâmites fronteiriços. Do trecho de volta não tenho muitas informações, mas tentem conseguir ligando para a Eucatur de Boa Vista (95) 3623-1318. Agora a maneira “casca grossa” de se chegar ao paraíso é mais barata, mas exige muita paciência e tempo. Além dos trechos terrestres enormes, ainda tem o bônus de ter a revista da policia (alcabalas) a todas as bagagens do busão ou táxi, com o risco de te furtarem algo (por isso não marque bobeira, mantenha seus trocados juntos de você e evite trocar um imenso volume de notas na fronteira). Na ida não tivemos revista e eu dormi feito “porco da mão branca”, como dizemos aqui no Acre. Na volta de Puerto Ordaz a Santa Helena, fui bonificada duas vezes mas não levaram nada, só atrapalharam meu sono mesmo. Essa logística envolveu: Voo Rio Branco – Boa Vista: R$ 921,00 Táxi nos trecho Boa Vista-Pacaraima: R$ 50 (indo buscar no aeroporto), umas três horas. Busão Santa Helena – Puerto Ordaz : Bsf 2.000 (Uns 10 reais, pela Caribe), de 8 a 10 horas em bus noturno. Voo Puerto Ordaz – Caracas: aprox. uns 8 USD, pela empresa Rutaca (pode ser mais barato se você conseguir comprar o bilhete em bolívares). Várias opções de horários no dia. Voo CCS - Los Roques : 250 obamas pela Chapi Air Há também a possibilidade de ir de táxi de Santa Helena a Puerto Ordaz, numa média de uns 80 a 100 reais por pessoa. O táxi é fretado como se estivesse com todos os lugares ocupados, por isso, o ideal é dividir por 4 pessoas. As empresas de ônibus que fazem o trecho Santa Helena – Puerto Ordaz são a Los Llanos, Caribe, Occidental e Turgos, sendo que essa última trabalha com micro ônibus. As aéreas que fazem o trecho Puerto Ordaz-Maiquetía são a Rutaca, Avior, Aeropostal, Aserca e Conviasa. Nesse momento não há voos comerciais operando de Santa Helena a Caracas. O trâmite na PF brasileira é bem demorado, nesse caso, como o feriado de carnaval se aproximava, estava especialmente abarrotado de pessoas! O mesmo não se aplica a imigração venezuelana, que estava praticamente vazia e atendiam em um container... Hospedagem Já havia lido algumas excelentes indicações de pousadas aqui pelo Mochileiros, até que encontrei os dois grupos sobre Los Roques no facebook e um no whatzap, que foram bem úteis com as avaliações. Enviei email a três pousadas (Roquelusa, Casa de Sol e Gremary), sendo que só recebi resposta das duas primeiras. Vale ressaltar que cheguei a essas três opções através do site http://www.tripmaniacos.com criado pelo Tarik, que gentilmente com sua namorada pesquisaram os preços batendo de porta em porta quando estiveram no arquipélago. Fechei com a Roquelusa, estadia para três dias com café e janta incluso com preço da diária a 17.000 bsf (aproximadamente uns 21 USD), já que nos outros dias planejei acampar. Para quem deseja algo mais barato ainda, a mesma pousada oferece também a opção de somente café da manhã ao preço de 12.000 (hoje, aproximadamente uns 13 USD). Vale lembrar que os preços são por cabeça. Venezuelando... Uma dica importante é ter o contato de alguém para te auxiliar em Maiquetía, nesse caso, os mais famosos e bem avaliados são o Oscar Miguel Serrano (whats +58 414 1307231) e o Léo Limoncelli (+58 424 2472962), que fazem o traslado, reserva em hotel se necessário, reserva de voos domésticos, city tour. Mas é possível também fazer tudo por conta, há uma taxista honesta que trabalha naquelas bandas, a Petra (+58 414 2904070) e você mesmo pode fazer a reserva pela do hotel pela internet, comprar as passagens para LR via paypal... Alguns hotéis até disponibilizam o traslado até o aeroporto. Trabalhei com o Miguel, ele reservou os bilhetes (Puerto Ordaz – Caracas – Los Roques) e um hotel para a pernoite em Maiquetía. Tudo custou 350 USD, que paguei em espécie quando cheguei lá. Fiquei no Hotel Miramar Suítes, na região de Cátia La Mar, um hotel bem bacana com piscina e bem limpo, com um restaurante panorâmico maravilhoso com vista para as praias da região. Vale ressaltar que o Miguel foi atencioso e pontual, valeu a pena ter contratado ele. Dia seguinte, umas 5:40 a.m lá estava ele me esperando para me levar ao terminal doméstico do aeroporto, me ajudou no checkin e só saiu de lá quando entrei na fila para o embarque. Na volta os procedimentos foram da mesma maneira, ele só sossegou quando me “despachou” para a sala de embarque. :'> PARA ACAMPAR Em Los Roques eu queria ter a experiência de acampar, porque além de baratear os custos, não é todo dia que você tem uma praia caribenha só para você! Um relato do mochileiros deu muitas pistas sobre a experiência, então eu decidi tentar a sorte e levar a barraca e alguns itens. Também levei pouca roupa e acessórios e os itens de camping divididos em duas mochilas, até porque o limite de bagagens para a Chapi Air é de 10 kg, pagando 1 usd por kilo adicional. A mochila de roupas se resumiu a 2 cangas, 3 biquínis, 2 vestidinhos, 1 bermuda, 2 regatas, 1 short, 1 top, 1 toalha de banho ultra absorvente, 1 toalhinha de rosto, 1 lençol fino e uma calça dessas soltinhas, que usei para dormir. A roupa mais pesada fui vestida (camiseta, calça jeans, botas de trekking e casaco). Nessa mochila também foi uma nécessaire de produtos de higiene (shampoo, condicionador, filtro solar, repelente, sabonete, hidratante, pente, lenços umedecidos, lenços de papel, desodorante e absorventes). Na mochila de ataque foi um kit de carregadores (do tablet, da câmera, do celular e um adaptador de tomada), um kit de farmácia básica (analgésicos, antigripais, antialérgicos, soro para sinusite, band aids, dramin, florax, gaze, esparadrapo pequeno e uma atadura), tablete, câmera, kit de higiene dental, lanterna, canivete suíço, squeeze e uma colher. Já a barraca levei uma da marca Challenger, que comporta facilmente 3 pessoas, que consegui emprestada com uma amiga, levei também um colchonete de EVA para servir de isolante térmico. Los Roques, baby! O voo com a Chapi Air foi tranquilo, apesar do medo que as pessoas tem dos bimotores. Chegando no "aeroporto" há muitos carregadores e servidores das pousadas mais caras esperando para levar as bagagens dos seus hóspedes. Como reservei uma pousada mais simples, paguei um carregador para levar minha mochila e a barraca, pois tive receio de esse peso somado a areia das ruas pudesse machucar meu joelho direito, cirurgiado havia dois meses na ocasião da chegada a LR. Paguei a taxa de entrada, que custava 300 bolívares (míseros 1,50 dilmas). Primeiro fui ao INPARQUE para pegar todas as informações necessárias para acampar e lá fui atendida pela Ingrid, que me explicou sobre as regras, me deu um mapinha com as áreas permitidas para acampar (Francisquí, Crasquí, Noronsquí e Madrisquí) e uma autorização. Há um “camping” atrás do INPARQUE, mas não tive uma boa impressão do local, cheio de moscas e cocô de cachorro. Depois fui a Pousada Roquelusa, acertei as minhas diárias e a dona gentilmente me emprestou uma geleira (cava). Fui ao mercadinho que fica ao lado da pousada e comprei biscoitos, chips de banana da terra, atum, patê de presunto, pão, queijo, água e todinho. Gelo e cerveja comprei em uma distribuidora perto do píer. Depois de tudo providenciado, fui ser feliz naquele paraíso! Francisquí, a praia mais "comum" Meu primeiro dia foi em Francisquí que é a praia mais próxima , uns 10 minutos de barco. Nesse dia ela estava bem lotada, famílias inteiras curtindo os bancos de areia. Há uma área bem bacana para snorkeling e um restaurante com valores até 5.000 bsf, com massas, frutos do mar e peixes, onde almocei um delicioso pargo frito. Há também uma escolinha de kitesurf em outro pedaço da ilha e não há moradores, apenas dois cachorros que passaram a ser meus "parças". O restante do dia passei fazendo snorkeling, dei uma volta na ilha (o que não demora muito) , fiquei lagarteando na praia e saboreando a aguada Polar. Um simpático senhor chamado Conejo, que trabalha na praia alugando equipamentos para snorkeling, me ajudou a montar a barraca. Outra coisa legal também foi que os barqueiros que percebiam que eu ia acampar, me ofereciam as garrafas de agua que sobravam das cavas. Quando já estava sozinha na praia, tomei banho e lavei meu biquíni com apenas um litro e meio de água de degelo, com a outra parte cortei uma garrafa descartável no sentido do comprimento e coloquei água pros cachorrinhos da ilha. Na minha primeira noite o céu estava lindo, absolutamente estrelado! Fiquei fora da barraca lendo livros que levei no tablet até aparecer o sono. A noite foi bem agradável, apesar do dia lindo de sol a pino, a noite tem até uns ventos fortes! Dia seguinte levantei bem cedo para dar um mergulhinho e ver o sol nascer! Comi no café da manhã pão com queijo, patê de presunto e bebi o todinho. Desarmei tudo e segui em um barco para Gran Roque, onde comprei mais cervejas, gelo e água para abastecer a cava. Crasquí, minha praia xodó Nesse dia encontrei o famoso Chichi que me deixou em Crasquí e indicou que eu poderia acampar no quintal da família do pescador chamado Félix, que me recebeu muito bem e apresentou sua família e amigos que também estavam acampando por lá. Crasquí é uma das praias mais lindas do arquipélago, habitada por poucas famílias de pescadores e tem um restaurante bem famoso por servir lagostas, chama-se Don Lipe. Tudo bem rústico e acolhedor, como tudo em Los Roques! O dia seguiu bem similar ao anterior, dei aquele rôle na ilha, bem maior que Francisquí, fiz snorkel e fiquei pegando um bronze e bebendo breja. Lá pelas 15 horas fui ao restaurante almoçar, mas não tinha mais lagosta, comi filé de peixe fresquinho com umas arepas deliciosas! No final da tarde montei minha barraca, tomei aquele banho de gato e fiquei de papo com os amigos e família de Félix, enquanto eles preparavam um delicioso ceviche de caracoles, pescados no dia! Depois da entradinha, ainda vieram os peixes fritos, também frutos da pesca do dia! Ficamos papeando e bebendo vinho até tarde, falando sobre a crise nos nossos países.... Nessa noite os ventos estavam fortes que quebraram duas varetas de sustentação da barraca. Coloquei a cava para fazer contrapeso do lado quebrado, para a barraca não ir embora com a ventania! Na manhã seguinte, dividi todas as minhas provisões restantes com a família, dei saquinhos de salgadinho pra criançada e bebi os todinhos restantes, não teria a menor condição de dormir mais uma noite lá (embora eu quisesse muito, tinha programado), minha barraca não aguentaria mais uma noite de vento! Almocei no Don Lipe, mais uma vez não tinha lagosta! Acho que não era mesmo pra eu provar a dita cuja... O resto da tarde... Bem, o resto da tarde seguiu aquela dinâmica roquenha: snorkel, bronze e brejas. No fim da tarde, consegui carona para Gran Roque com um barco que tinham alguns brazucas residentes em Caracas, assim, me despedi de Felix e de sua amada família! Deu até vontade de chorar, fui muito bem acolhida e querida por eles, como lembrança, deixei minha lanterna de presente! Chegando em Gran Roque, fui direto pra Roquelusa e paguei essa pernoite extra! Nessa mesma noite encontrei a Dani, do grupo de whatzap, no Aquarena, um barzinho bem descolado que fica na beira da praia. Nessa noite tava animado e tinha até DJ. A média dos drinks é de 2.000 a 3.500 bsf , também servem jantar mas não provamos. Também estava rolando um carnaval bem bacana na pracinha, eu diria até inocente, com os moradores fantasiados e dançando algo que lembrava as nossas marchinhas de carnaval. Noronsquí e Laguna Rabusquí: a magia das estrelas do mar Nesse dia já fui aos passeios com o Chichí, ele nos levou a Noronsquí, onde ficamos a maior parte do dia e fizemos snorkeling. Final de tarde fomos a laguna de Rabusqui, um lugar perto de um mangue, mas com água cristalina e morada de estrelas do mar! Sebastopol e Cayo Muerto: o que falta em espaço, sobra em beleza! Mais um dia de sol a pino e passeio maneiro! Primeiro Chichi nos levou para ver tubarões e foi muito massa e depois fomos a Sebastopol, uma pequena faixa de areia e pedras, um pouco mais distante e estupidamente linda!! Fizemos um snorkeling maravilhoso lá e ficamos de papo com um casal carioca e outro gaúcho, final da tarde o Chichí nos levou a Cayo Muerto, um banco de areia arrasador, tiramos algumas fotos e seguimos de volta para Los Roques. Nessa noite também eu e Dani fomos tomar um drink no Aquarena pra relaxar. Cayo Cranquí: os segredos da praia proibida Nesse dia, Chichí disse que ia nos levar a uma praia que ele acha das mais lindas, chamada Cranquí... De fato, das mais lindas! Nesse dia ele também preparou um ceviche de polvo, que ele havia pescado no dia anterior, também preparou caipirinha para nosotros! Por último demos uma passada em Madrisquí, outra praia perfeita. Nessa noite eu e Dani fomos conhecer o Galápagos, um bar/restaurante bem bacana, reduto dos kitesurfers gatos que visitam Los Roques. Esse foi meu último dia em LR, dia seguinte de manhã cedo parti de volta para Caracas... La vuelta De volta pra casa, fiz o trajeto Los Roques - Maiquetia - Puerto Ordaz, sendo que meu voo de Caracas a Puerto atrasou, o que quase fez com que eu pernoitasse por lá! Por sorte, consegui vaga no bus noturno da Los Llanos, tendo que pagar quase 5.000 de propininha básica Mas cheguei sã e salva em Santa Helena, a volta de busão foi tranquila, apesar das duas paradas para revista no caminho. Fiz os trâmites de saída da Venezuela, mas não dei entrada no Brasil, deixei para fazer isso aqui em Rio Branco mesmo, senão ia acabar perdendo meu voo em Boa Vista. Os dias em Los Roques foram maravilhosos e de sol, afirmo sem titubear que esse foi o melhor lugar do Caribe que já conheci e quero voltar logo! Vá de coração aberto e sem preconceitos a Venezuela, apesar de todos os problemas, Los Roques é um mundo a parte no meio do caos! Se você quer um lugar tranquilo, com um povo acolhedor e praias paradisíacas, esse é o lugar! Muitas famílias e casais em lua de mel escolhem Los Roques como destino. Já para os baladeiros de plantão não recomendo, isso é praticamente inexistente por lá! Baladeiro ou quieto, seja qual for a sua tribo, tenho certeza que seu coração não será imune aos encantos de Los Roques, o lugar com a vibe mais apaixonante que conheci! Valores: :'> Todos os passeios que fiz com o Chichi custaram 11.000 bsf, agora está um pouco mais caro, devido a alta no preço do combustível; :'> EM dinheiro, levei 100 reais que troquei em Pacaraima para as despesas na ida + 700 obamas . Desse montante, paguei 350 ao Miguel e levei o restante. Sobrou 140 obamas. O câmbio estava em média 750 bsf para cada dólar; :'> Na pousada, paguei em torno de 22 doláres na diária, com café e janta; :'> As compras de lanches, cerva, gelo e água deu algo em torno de 20.000 bsf; :'> Gastei uma média de 10.000 bsf pra fazer uma refeição no aeroporto de Maiquetía e saborear um frozen médio. Pra fechar, algumas atualizações de acordo com a galera dos grupos: :'> Cotação atual: 1 USD = 1000 bsf / 1 dilma = 270 bsf :'> Os preços médios das pousadas foram mantidos; A taxa de entrada triplicou; Os passeios aumentaram demais, devido a alta do combustível; :'> Não, não vai faltar cerveja em Los Roques; :'> Los Roques, assim como o RJ, continua lindo! ::love::
  3. Colômbia Parte 1 – Bogotá Cheguei em Bogotá as 5 horas da manhã, morta com a longa conexão em São Paulo, muito bem aproveitada com minhas amigas de lá. O problema é que tive um choque climático e a gripe voltou com tudo. Cheguei na imigração, onde a agente perguntou quantos dias ficaria no país e eu disse que ficaria os 90 dias mesmo. E ela: “O quê? Como? Onde?” E eu disse prontamente: “Bogotá, Bucaramanga, Santa Marta, Cartagena, Medellín, Cali e onde mais der”, em seguida perguntou onde me hospedaria e dei o endereço de um hostel, que realmente pretendia me hospedar, porém, ao conseguir uma hospedagem com o couchsurfing cancelei a reserva, pois em uma viagem de 3 meses é preciso economizar cada centavo. O primeiro dia apenas dormi e fui a Candelária tomar água panela (água quente com rapadura e limão), dizem que cura a gripe e logo depois fomos comer um prato do tipo Executivo. Fiquei chocada por ter custado 6.500 cop (+/- R$ 7,00), prato de sopa de legumes, depois outro prato principal com arroz, abacate, patacones, lentilha e carne de porco. Ainda veio uma limonada. Adorei. No segundo dia, já um pouco melhor da gripe tirei o dia para conhecer os Museus Botero, Museu do ouro (vale visitar mais de uma vez) e o cerro Monserrate. Por sorte, o final do dia estava lindo. Comprei o chip para o telefone e fiquei procurando as atrações com o Google maps mesmo. Nada guiado. Tendo conhecido as principais atrações, descansei no final de semana e na segunda fui à cidade de Zipaquirá, de Transmilenio mesmo. Peguei o Transmilenio sentido Portal Norte, é um pouco longe do centro, depois, dentro do terminal peguei um ônibus para Zipaquirá. A passagem do Transmilenio é de 2.000 cop e a do ônibus para Zipaquirá é 6.000 cop. A entrada para Zipaquirá foi de 50.000 pesos para turistas estrangeiros. Mas o valor salgado vale a pena, pois o tour é todo guiado e em pequenos grupos. A estrutura da atração é impecável. Na volta peguei muito trânsito, porém consegui chegar 17 horas e ainda deu tempo de visitar o Museu Nacional. É importante, pois lá conta toda a história da Colômbia, desde o império do Reino de Granada e de ter se tornado Grã Colômbia, após ter sido libertada por Simon Bolívar. Terminada a parte turística, tirei dias com amigos que conheci em Bogotá, eles me levaram para a zona G e zona T, a parte mais nobre da cidade, fomos no Bogotá Brew Company, que tem em toda a cidade, depois ficamos caminhando sempre pela região. Eu gosto muito do cuidado que se tem com os parques, vejo muita semelhança com os parques da Europa. No meu último dia na cidade, me sugeriram conhecer o El Teatron, uma casa noturna GLS, porém muitos héteros vão também porque acham o lugar muito legal e tinham razão. Infelizmente não fui no sábado, mas sim na quinta. No sábado há muitos ambientes em funcionamento, na quinta apenas 2 ambientes estavam funcionando, mas mesmo assim, garanti muita risada ouvindo música ranchera na cantina. Achei o lugar barato também. Não paguei para entrar e a cerveja era 5.000 cop. No dia seguinte já era o dia da minha partida para a cidade Villa de Leyva. Comprei a passagem rodoviária para a cidade por 26.000 cop e levei 4 horas para chegar. Em Bogotá o trânsito é caótico. Perdão por te xingar, Rio de Janeiro! A estimativa era de no máximo 2 horas de viagem, mas levei o dobro. Mas, pelo pouco tempo que fiquei na cidade, valeu a pena sentir a tranquilidade e o ar puro. O valor da hospedagem foi de 50.000 cop e achei muito caro, mas é o lugar onde os bogotanos fogem do caos, por isso o preço justifica. No dia seguinte já era hora de viajar para Bucaramanga, em Santander, uma viagem rodoviária de 8 horas.
  4. Acabei de voltar da Venezuela, para onde fui com a intenção de passar 5 dias em Los Roques e como tive muita dificuldade em encontrar informações nos fóruns de viajantes, escrevo um breve relato. Começando pela situação atual do pais, várias pessoas vieram com comentários bastante pesados em relação a violência, a taxis, andar na rua, etc. Bom, tive que passar 2 dias e meio em Caracas e a minha impressão é de que, como Bogotá, Lima, Cidade do México ou qualquer grande cidade da América do Sul, há obviamente violência, mas é exceção. Peguei vários taxis na rua e caminhei pela região de Altamira e não tive medo hora nenhuma. O que pega de verdade na Venezuela é a questão do dólar. O cambio oficial é de 1usd = 6 BsF, mas na prática você consegue trocar 1 usd por cerca de 250 BsF, tanto em Caracas quanto em Los Roques (maio/2015). Isso se deve às restrições impostas pelo governo. É bem estranho trocar 200usd por 50.000 BsF, até porque a nota de maior valor deles é de 100 bolívares. Em grosso modo, é como receber 600 reais em notas de um real. Você sai litermente com vários maços de cédulas. Na minha opinião o cuidado a se tomar é conferir a contagem, porque teria que ser muito espirito de porco pra falsificar uma nota de tão baixo valor. Mas tudo bem, o que se compra com esse dinheiro? Na minha primeira ida ao mercado, comprei 3 chocolates da Nestlè (Savoy), uma escova de dentes Oral B da mais cara, um Colgate Plax pequeno, 3 chicletes tipo Trident, e um picolé. Tudo isso, pasmem, por menos de 500 BsF (2usd). Fui a duas festas "open bar" pagando os mesmos 500 BsF pela entrada, onde te dao um copo e você bebe o que quiser (obviamente não esperem nada de qualidade muito boa, mas enfim...). Isso tudo na região de Altamira, que é a mais valorizada da cidade. O litro de gasolina custa 0,10 BsF. Isso significa que com R$0,05 se enche o tanque do carro. Uma diária no hotel top de linha em Altamira (The Vip) saiu a 9000 BsF, com café da manhã. No Reinassance (5 estrelas) a diária no fds estava 15.000 BsF. Não tinha água mineral pra comprar em lugar nenhum porque o governo comprou as indústrias que produziam o plástico e não consegue acompanhar a demanda. Há nos mercados e nas farmácias uma lista de vários produtos de alimentação, higiene e limpeza e a quantidade máxima que pode ser comprada por cada cidadão por semana, no dia especificado pelo governo com base no último dígito da carteira de identidade. Sem querer entrar em discussão política, uma coisa me chamou muita atenção. O governo subsidia a compra de 2700usd por ano para todos os cidadãos venezuelanos à taxa de 1usd = 12 BsF (cerca de R$0,10) para viagens internacionais e outros 300usd para compras via internet (eles utilizam em compras pela Amazon, em sua maioria). Basta para isso ter um cartão de crédito e enviar um relatório de gastos depois da viagem. Achei bem interessante esse sistema, pois sempre me perguntava como eles viajavam sendo que o salário mensal lá de um engenheiro, por exemplo, não é muito maior que 400usd. Enfim, acho interessante passar uns 2 dias em Caracas, tem bons restaurantes, gente bonita, vida noturna e alguns lugares legais. Curti muito um bairro que chama Hatillo. Dizem que tem uma loja de produtos típicos muito legal lá que chama Hansl, mas quando fui estava fechada. Feito esse breve resumo sobre a situação atual do país, vamos agora à parte mais importante. Algumas pessoas no fórum recomendaram o contato de um tal de Moisés (+58 4241352954) para facilitar a compra de passagens. NÃO FAÇAM QUALQUER TIPO DE NEGÓCIO COM ESSE FDP TRAMBIQUEIRO. A questão das passagens pra Los Roques de fato é um problema. A idéia era chegar em Caracas na quinta, fechar os vôos na quinta mesmo com o Moisés e partir para Los Roques no sábado de manhã. Eu e meu amigo passamos as duas semanas antes da viagem conversando com ele por whatsapp e ele não fazia nenhum sentido. Disse inicialmente que tinha um amigo na Aerotuy e que por 100usd nos conseguiria passagens de ida e volta a Los Roques. Depois passou pra 120, 150, 200, 285 até que no dia ferrou com a gente, disse para irmos ao aeroporto de Maiquetia às 5 da manhã do dia que viajaríamos e que era certeza que nos colocaria no vôo das 6:30. Foi um fdp, chegou no aeroporto no horário combinado, bêbado, exalando álcool e não conseguiu porra nenhuma. Repito, NÃO FAÇAM NEGÓCIO COM ESSE CARA. Fomos ao aeroporto de Maiquetia encontrar o fdp do Moisés às 5 da manhã de um sábado normal, e disseram na Aerotuy que só tinha vaga no vôo das 4 da tarde. Não recomendo ir pro aeroporto ficar em lista de espera, os funcionários da Aerotuy são extremamente mal educados e não há um mínimo de informação. A única coisa que falam é que os vôos estavam cheios e que tinha que esperar. Isso eram 6 da manhã e teria que esperar as 10h pra eles me venderem o bilhete das 16h. Perderia o dia inteiro no aeroporto, que fica a 1h de Altamira (1500 BsF o taxi). Nessa confusão toda meu amigo desistiu de ir pra Los Roques, pois teria que ir no domingo e voltar na segunda, não compensava e ele foi pra Morrocoy. Depois um taxista chegou a falar pra gente que se a gente tivesse oferecido dinheiro pros funcionários da Aerotuy eles teriam colocado a gente no vôo. Na verdade isso até faz sentido, porque além de mim e do meu amigo estavam lá mais 3 brasileiros (um casal e um cara sozinho), todos nós sendo ignorados pelos funcionários da Aerotuy como se fôssemos invisíveis. Não havia sequer uma ordem de chegada entre nós 5. E se tivesse vagado um lugar no vôo? Íamos nos resolver na porrada? Enfim, acho que poderia ter rolado se algum de nós tivesse oferecido um "por fora" mas isso provavelmente implicaria em pessoas que não tem nada a ver com a história perderem seus lugares no avião, ou seja, não seria nada legal. Sobre a ATUAL situaçao dos vôos pra Los Roques: há vôos de Maiquetia (Aerotuy) e de Higuerote (ChapiAir - teco teco para 12 pessoas). - A Aerotuy desde abril/2015 soltou uma resolução nova e vende ida e volta a estrangeiros por 297usd, pagos em efectivo EM DOLARES direto nas oficinas deles, portanto so quando se chega na Venezuela. Para os venezuelanos o preço é o equivalente a 100usd em bolívares. - Os tickets da Chapi custam 150-190usd ida e volta. Acabei optando por voar no dia seguinte com a Chapi. O transfer de Altamira para Higuerote custou 5000 BsF e demorou 1:30h (5am sem trânsito). Na volta, cheguei a Higuerote às 16:30 e também não tinha trânsito pra Caracas, demorei 1:30h tb. Ou seja, todos os sites desencorajam pegar os voos da Chapi pela distância de Higuerote, que na minha opinião não foi nada demais. Para combinar transfers em Caracas, recomendo o Ignácio (+58 416-6111990 - muito gente boa e tem whatsapp). Enfim, sugiro realmente que se reserve os vôos antes para não correr risco de ficar sem. Antes da viagem troquei emails com várias agências e se fosse voltar hoje pra lá reservaria com Los Roques Airlines ([email protected]). Eles cobram 210usd pelos voos da Chapi e 300-360 pelos da Aerotuy. Ficamos nessa de achar que poderíamos comprar de última hora em Caracas e deu no que deu, meu amigo ficou sem ir pra Los Roques e eu perdi um dia lá. Procurei em sites, agências, revirei a internet e posso garantir que NÃO EXISTE NADA MAIS BARATO QUE ISSO - portanto esqueçam esses relatos antigos de pessoas que compraram na hora por 100usd e RESERVEM COM ANTECEDÊNCIA! Nas agências de turismo do Marriot Caracas e também em outra de um shopping em Altamira, os pacotes com vôo e hotel saiam a 600 usd por pessoa (3 noites) ou 800usd (4 noites). Não compensa! Fiquei na Pousada Galápagos e paguei 7000 BsF por um quarto com ar condicionado e banheiro privado. Super tranquilo. Lá tem pousadas para todos os gostos e bolsos, só pesquisar. Fui num fds comum e fechei a pousada lá na hora, mas passei antes em outras 4 antes e não tinha vaga. Outra opção seria reservar através das posadas de Los Roques. A La Cigala me respondeu ao email. Eles compram os voos para os hóspedes e cobram uma taxa de serviço de 10%, o que é bem melhor que correr o risco de não conseguir os vôos ([email protected]). Outro cara de uma agência também disse que comprava os vôos da Aerotuy por 330usd ([email protected]). E finalmente cheguei ao paraíso, que é de fato tudo aquilo que falam! Em Los Roques, os passeios mais comuns saem por volta de 9:30/10:00 e voltam por volta de 16:00/17:00. Se seu vôo de ida chega depois disso ou o de volta sai antes disso, as únicas opções são ir pras praias mais próximas (Madrisqui e Francisqui??) (há lanchas com frequência) ou alugar um barco privado. Quando cheguei o venfo estava muito forte e não estavam saindo barcos para Cayo de Água nos últimos 3 dias. No meu último dia em Los Roques, o vento mudou e os barcos voltaram a sair pra lá. Só que como tinha um vôo as 16h e os tours com mais gente voltavam pra Gran Roque depois das 5, a única maneira que me restou pra chegar lá foi fretar um "charter" como eles dizem. O preço tabelado no pier é de 250.0000 BsF (100usd) e eles te levam onde você quiser. Acabei conseguindo fechar por 200.000 BsF um passeio das 9:00 as 14:30 com o William "Vellaco" da lancha "Furioso" - recomendo, contato 04147990686, sem whatsapp tem que ligar). Eles levam guarda sol, cadeira e tem até um sonzinho na lancha. Tive a chance de aproveitar Cayo de Água só pra mim por quase 2 horas, até que começaram a chegar os barcos dos tours. Sensação simplesmente indescritível, parecia um sonho mesmo, valeu cada centavo - Los Roques não teria sido a mesma se não tivesse ido lá. Ah, não deixem de provar as Arepas e Cachapas da Dona Júlia (um quiosco perto do aeroporto) são incríveis! Curti também o restaurante Aquarena, eles tem sucos naturais de várias frutas e alguns pratos com pescados frescos. É isso, espero ter contrubuído para que os próximos viajantes não passem tanto perrengue, e principalmente pra nenhum usuário do Mochileiros cair na lábia do fdp do Moisés. Boa viagem! Leonardo
  5. Venezuela, Janeiro de 2014 Voo São Pualo – Boa Vista Boa Vista - se informar com seguranças do aeroporto sobre terminal Carabá local onde pegar taxi ‘lotação’ para Santa Elena do Uiaren e ir de taxi ate esse local (30 reais) - taxi ‘lotação’ leva 4 pessoas e cobra 35 reais de cada. Faz parada na aduaneira para que peguem autorização de entrada (não é necessário passaporte, so RG) Santa Elena de Uiaren - Pousada 3 Naciones (melhor custo beneficio) -dono da pousada é brasileiro e troca reais por bolivares no cambio negro! Confiável! (estava 1 real = 23 bolivares e no final da viagem estava 1 = 27 bolivares) - comprar passagem para Ciudade Bolivar com 1 dia de antecedência (agências de turismo reservam para turistas e deixar pra comprar na hora de sair é arriscado) - deixamos parte da bagagem na pousada para subir o monte Roraima apenas com o necessário para 6 dias la **todos os onibus que viajamos no país colocam ar condicionado no mais frio, sempre viaje com casaco, meias e saco de dormir - na fila (enorme) de carros para abastecer conseguimos o telefone do jipeiro Franklin Sierra telefone 04265673074 que conseguiu contato de Alejandro (Alex) 04266102578 para nos levar a entrada do monte Roraima – o dono da pousada deixa fazer essas ligações Monte Roraima - Taxi com Alex ate aldeia Indigena (cobrou 3 mil bolivares para levar na comunidade e ate a entrada do parque do monte roraima e combinamos dia e horário pra ele buscar – mais 3 mil para a volta – total 6 mil = 260 reais) - indígena Jeremias Williams (Rapemon – ele eh rapper! Tenho no facebook) cobrou mil por dia de trek mais 2 mil para comida (total 8 mil = 348 reais) - 6 dias de caminhada, tomando banho no rio, cozinhando a própria comida (fizemos compras no brasil: miojo, sopão, sardinha,..) e levando as próprias mochilas. O guia so indicava o caminho. - total gastamos 14 mil bolivares (3500 cada um = 152 reais) sendo que as agencias cobram cerca de 10 mil por pessoa (435 reais). **muito frio a noite e muito calor de dia com chuva, perigo das roupas da mochila molharem e passar frio a noite **levar comprimidos que purificam agua Ciudad Bolivar -viagem de ônibus por 11h entre Sta Elena e CBolivar - chegando em CBolivar já compramos passagem de ônibus direto para Caracas e descemos na Plaza Venezuela (8h de viagem) Caracas - Hotel La Floresta ou Altamira ambos no bairro Altamira – mesmo preço (325Bol por pessoa no quarto duplo ou quadruplo = 14 reais) mas La floresta é mil vezes melhor - conhecer bairro Boulevard (3ª estação de metro dps da estação Altamira) - taxi ate aeroporto para comprar passagem à Los Roques (compramos ida e volta por 7240 Bol para o dia seguinte – 315 Reais) Los Roques – 5 dias/Empresa Aerotuy -pagar taxa ao chegar na ilha (214Bol – 9 Reais) -Autorização do Inparques para acampar (guardar este documento) e barcos-taxi para qualquer ilha combinando data para buscarem você la - 2 noites em Francisqui de ariba (ilha deserta apenas com a casa abandonada em que o pescador Willy tinha concessão de uso) -Ilha principal Gran Roque (única ilha com pousadas e comercio) com área de camping péssima, muitas moscas e sem banheiro, sem chuveiro Caracas - Tour com amigo venezuelano que conhecemos no topo do monte roraima - Centro Historico da cidade e Subir montanha Ávila - rodoviária para CBolivar fica no bairro Altamira Ciudad Bolivar - empresa Eco Adventures com um agente que nos abordou na rodoviária de Ciudad Bolivar (escritório na própria rodoviária sala n. 33 – site: http://www.adventurevenezuela.com email: [email protected]) - chorar muito o preço que eles reduzem – 8.500 Bol para 3 dias com 3 refeicoes diárias inclusas com uma noite extra sem alimentação (315 Reais) Canaima - pousada simples, local próximo a cachoeiras - Um dia para conhecer as cachoeiras mais próximas de canoa -um dia com saída pela manha para Salto Angel e dormir em galpão aberto em redes, sem energia elétrica Jantar e café da manhã servidos pelo guia. Ciudad Bolivar - muito perigosa sem atrações a não ser o delta do orinoco, rio que aparecem botos Sta Elena - freeshop com poucas coisas mas preço muito bom (perfumes, bebidas e eletrônicos) - taxi ‘lotação’ ate Boa Vista
  6. Se existe uma palavra que define essa viagem para a Venezuela é EXTREMO. A praia mais bonita do mundo, a cachoeira mais alta do mundo, a montanha plana mais alta do mundo. A Venezuela é o extremo da beleza natural, o extremo da aventura selvagem, o extremo do cansaço físico e, infelizmente, o extremo da violência e da corrupção. A viagem no total deu 23 dias e como há muito a ser dito, o relato será dividido em tópicos. Resumo do roteiro: 20/12 – 21/12: Voo CFN – Caracas, pernoite em Maiquetia, translado Higuerote, voo LR 21/12 a 28/12: Los Roques 28/12: Retorno Los Roques, translado Higuerote 29/12: Voo Maiquetia-Puerto Ordaz, Voo Puerto Ordaz-Canaima, Passeios lagoa e cachoeiras no parque, pernoite no alojamento 30/12: Salto Angel e pernoite no redário 31/12: Voo Canaima-Puerto Ordaz, pernoite em Puerto Ordaz 01/01: Transporte Puerto Ordaz – Santa Elena de Uairén, pernoite em Santa Elena 02/01 a 07/01: Monte Roraima 08/01: Travessia fronteira e transporte até Boa Vista 08/01 a 10/01: Boa Vista 11/01: Voo Boa Vista - CFN Meu namorado (Felipe) e eu, embarcamos em CFN dia 20/12 às 13:30h rumo a Caracas. Como fomos pela Copa airlines, fizemos conexão no Panamá, onde chegamos às 17:30h (hora local). No free shop do aeroporto do Panamá há basicamente eletrônicos, perfumes, óculos e roupas. Calçados só encontramos uma loja muito pequena e que com a conversão do dólar, não valia a pena comprar. Mas o que achei mais sensacional do free shop do Panamá foi a loja da National Geographic! É de pirar lá dentro!! Saimos do Panamá às 21:46h e chegamos em Caracas às 00:40h – horário local (em relação à Brasília e ao horário de verão, Caracas é menos 2:30h). Por causa do horário, o desembarque em Caracas já estava bem vazio. O Miguel Serrano já estava nos esperando na porta do desembarque com sua esposa e assim não fomos abordados por ninguém. O MIGUEL SERRANO: O Miguel é um venezuelano que trabalha como agente de turismo. Quando começamos a planejar a viagem (quase 6 meses antes), o nome do Miguel aparecia na maioria dos relatos e indicações no fórum dos Mochileiros e em um grupo do facebook sobre Los Roques (https://www.facebook.com/groups/losroques/). Começamos a trocar e-mails e whats com ele sobre passagens aéreas para Los Roques, transporte entre aeroportos, hotéis para pernoite em Caracas... Já adiantando, todas as indicações e recomendações do cara são MUITO VÁLIDAS. Sério. O cara é um excelente profissional, muito confiável ( e pessoa mais desconfiada que eu tá pra nascer) e não te deixa na mão em nenhum momento. E se não fosse ele, nem metade das coisas que fizemos teriam dado certo. Por mais que tentarei explicar, só vivenciando a situação política e econômica do país para entender a profundidade do que vou falar. Talvez a melhor forma de expressar a situação geral da Venezuela é: TÁ TUDO MUITO FUDIDO por lá (existe um tópico específico para isso mais embaixo). Apesar de, obviamente, o Miguel incluir o valor dos serviços dele, valeu cada centavo que gastamos com ele. Primeiro por causa do dinheiro mesmo. O Bolívar forte (Bsf. - moeda da Venezuela) no câmbio oficial do governo é muito desvalorizado quando comparado com o câmbio negro. Existe um app pro celular (ou pode consultar no site tbm) chamado Dólar Today que é a base do valor do dólar no câmbio negro. Durante a viagem, em média, 1 dólar equivalia a aproximadamente 180Bsf no câmbio negro, enquanto no câmbio oficial 1 Usd valia cerca de 5 a 6 Bsf. Desde que comecei a acompanhar o valor do Bsf há cerca de 6 meses, a inflação do bolívar no câmbio negro aumentou mais de 100%. Então esse é um app importante de se ter para a viagem. Claro que vc nunca vai conseguir trocar exatamente o valor do dia que o Dólar Today dá, mas ele é uma boa maneira de se manter informado e não ser passado para trás. Em Los Roques conseguimos o melhor câmbio (1Usd para 145Bsf) na farmácia da ilha. Em Santa Elena de Uairén, quando fomos para o Monte Roraima, estávamos conseguindo cerca de 1Usd para 120Bsf para notas grandes (por exemplo, se quiséssemos trocar 100 dólares, eles faziam o câmbio a 120Bsf. Mas se fosse pouco dinheiro, tipo 20Usd, eles faziam o câmbio a 70Bsf). Na fila da imigração na fronteira Brasil-Venezuela, ficamos sabendo que algumas pessoas conseguiram câmbio de até 195Bsf na Isla Margarita). Resumindo: com essa discrepância entre o valor do Bsf no câmbio oficial e no câmbio negro, não valia a pena pagar nada com cartão de crédito, pois seria debitado o câmbio oficial. Tudo só valeria a pena se pagássemos com dinheiro vivo e convertendo pelo câmbio negro. Esse foi o primeiro grande motivo de termos fechado com o Miguel. Ele comprou nossas passagens aéreas para Los Roques, fechou nossa estadia em Los Roques, fez o transporte até o aeroporto de Higuerote e a garantiu a pernoite em Caracas. Pagamos ele somente quando chegamos lá. Isto é, tudo na base da confiança. Se não viajássemos, ele teria feito isso tudo e não veria o dinheiro. Também trocamos 100Usd com ele (com câmbio de 100Bsf) para termos dinheiro pra entrar na ilha (que só aceita Bsf para a entrada). E pagamos tudo para ele,inclusive a Pousada em LR. Quando chegamos na pousada, o pessoal já estava a nossa espera. Outro motivo de ter fechado com o Miguel foi para termos o apoio de uma pessoa local. A Venezuela não está fácil e a segurança tem que ser prioridade absoluta. Quando chegamos no aeroporto de Caracas, ele e a esposa estavam nos esperando com uma plaquinha com o nome do Felipe bem no desembarque. Os dois super simpáticos, com o carro próprio, nos levaram para dormir em um Hotel (que não lembro o nome!), mas era ótimo, quase a beira mar. Nos buscaram na manhã seguinte, nos levaram até o aeroporto de Higuerote e praticamente só foram embora quando estávamos entrando no avião. Quando voltamos, a mesma coisa. Quando descemos do avião chegando de Los Roques, o Miguel já estava nos esperando. A mala para Los Roques pode ser no máximo de 10Kg. Alguns quilinhos a mais até podem ir, mas vc paga o excesso de bagagem (que tem que ser paga em Bsf). Muitos quilos a mais não vão. Pq? O avião é um teco-teco de 8 ou até 20 lugares e que não aguenta carregar muito peso. Nossa bagagem excedeu uns 3Kg e não lembro exatamente quanto pagamos de excesso de bagagem, mas deu menos ao equivalente de 20 reais. Mais uma vez graças ao Miguel! Como estávamos com muito peso pro Monte Roraima (barraca, sacos de dormir, roupas de frio...), ele ofereceu de deixarmos a parte da bagagem que não usaríamos em Los Roques na casa dele. Quando ele fosse nos buscar do regresso da ilha, passaríamos na casa dele para buscar nossas coisas antes de partir para outro destino. O Miguel também oferece serviços turísticos para Canaima/Salto Angel. Após Los Roques e algumas mudanças de planos em nosso roteiro de viagem, fechamos com ele o passeio para Canaima/Salto Angel. Existe um esquema de corrupção monstruoso nos aeroportos e não estávamos conseguindo adiantar nosso voo para Puerto Ordaz e tbm não achamos passagens rodoviárias (em 3 ou 4 rodoviárias diferentes). Só conseguimos ir para Puerto Ordaz na data que gostaríamos por causa do Miguel. Ele e a esposa ficaram rodando conosco até de madrugada tentando trocar ou comprar passagens para Puerto Ordaz, arranjaram hotel de última hora... Outra vantagem de ter fechado tudo antes com ele foi a garantia do nosso passeio. Nas altas temporadas, os voos lotam, as passagens esgotam. Da mesma forma, as pousadas na ilha. Então se o tempo está curto e vc não tem disponibilidade para ficar na cidade, caso não consiga passagens/hospedagem, não vale a pena arriscar. É melhor garantir no mínimo a passagem aérea para Los Roques com o Miguel. Em baixas temporadas eu até arriscaria tentar arranjar uma pousada na hora na ilha. Sai bem mais barato. Mas somente em baixíssimas temporadas. Do contrário, tbm não vale arriscar. Existem várias pessoas que são agentes de turismo como o Miguel. Quando estávamos pesquisando e entrando em contato com várias pessoas, algumas delas, inclusive outros agentes de turismo venezuelanos, nos indicaram o seu contato. Assim, da minha parte e do Felipe, o Miguel tem a nossa total recomendação. Se voltarmos à Venezuela, especialmente Los Roques e Canaima, certamente entraremos em contato com ele novamente. O e-mail dele é [email protected] Whatsapp: +584141307231 Ele fala espanhol, mas entende bem português também. LOS ROQUES – O paraíso Não conheço outras praias no Caribe, mas pelas minhas pesquisas e todos os relatos que já li e ouvi, é unanimidade: Los Roques é o paraíso! Certamente voltarei naquele lugar! Praias paradisíacas, com tons de azul que confundem com o céu, areia branca e fina e VAZIAS. Com exceção de um bar e a praça na Gran Roque (que é a ilha onde tem as as pousadas e o aeroporto), não há badalação. A maior parte dos turistas são casais ou famílias. Muitos, muitos estrangeiros. Apenas duas empresas aéreas fazem o trecho para Los Roques: A Aerotuy e a Chapi Air. Os voos da Aerotuy partem de Maiquetia (que é uma cidade metropolitana de Caracas e onde fica o aeroporto. É como se fosse o aeroporto de Confins em relação à BH). Essa empresa vende passagens pela internet, mas tem um histórico grande de atrasos. Quando estávamos fechando as passagens para Los Roques, a venda de passagens pela Aerotuy estava suspensa pelo governo exatamente pelo excesso de atrasos e cancelamentos. O voo é mais caro. Cerca de 160 dolares, mais imposto. O avião é um pouco maior (acho que deve ser pra uns 50 passageiros ou um pouco mais). Os voos da Chapi Air partem de Higuerote, que é uma cidade que fica cerca de 2:30h de carro de Caracas com o trânsito livre. É bem longe, mas é mais garantido (desde que vc já tenha a garantia de passagem, como quando o Miguel comprou pra gente. Dependendo da época do ano, não há passagens, pois os voos lotam e esgotam). A empresa não vende passagens pela internet e custa cerca de 120 dolares, mais imposto (só pode ser pago em Bsf). O avião é um teco-teco de 8 a 20 lugares. Fechamos com o Miguel a passagem para Los Roques com a Chapi Air (170Usd cada), a pernoite no Hotel em Maiquetia (Bsf 2.300 o casal), o translado ida e volta Caracas-Higuerote (90Usd cada), a Pousada Gremary em Los Roques com pensão média (35Usd cada a diária). Pegamos 7 diárias em LR. Trocamos ainda 100 dólares com o Miguel com o câmbio para 100, dando 10.000Bsf. O volume de dinheiro é muito grande, então não adianta trocar muito dinheiro. Além de não saber onde por, o risco é maior de ser roubado. Além do mais, o limite de trânsito de dinheiro não declarado é o equivalente a 10.000Usd. Se a polícia te pegar com o dinheiro, além do crime de trocar dinheiro no câmbio negro, dependendo da quantidade de bolívar que trocar pode ultrapassar os 10 mil dólares (já que câmbio oficial é MUITO menor do que o câmbio negro). Ou ser roubado pela própria polícia, pois mais corruptos do que eles não há. Los Roques é um conjunto de ilhas e quando o teco-teco começa a chegar perto, a imagem é absurdamente espetacular. Indescritível. A Pousada Gremary (que fica bem na praça) é simples, mas tem uma boa infraestrutura. Os funcionários são muito simpáticos e a comida é muito boa. Parece que nenhuma pousada tem chuveiro quente (por mais luxuosa que seja, pois a ilha é movida a geradores. A energia cai toda hora e creio que se tivesse chuveiro elétrico, seria muito pior). A água também é escassa. A única coisa que é importante ter na sua pousada é: café da manhã e janta, wifi, uma cama confortável e, especialmente, ar condicionado no quarto. De resto, vc ficará na praia em outras ilhas o dia inteiro. Nas ilhas não tem nada pra comprar, salvo raras exceções em algumas ilhas. Então o lance é levar caixas térmicas (Cavas) com gelo e sua comida. As pousadas que oferecem pensão completa incluem esse serviço. Eles preparam a cava pra vc. Nós optamos por pensão média, que incluía apenas o café da manhã e a janta. A cava nós mesmos montávamos. O Gregório (dono ou filho do dono da Pousada) nos emprestava uma cava. Nela levávamos água 2L, suco 1L, cerveja 6 latas, sanduíches da padaria, além do gelo e um biscoito doce na mochila. Pra gente era mais do que suficiente para um dia inteiro de praia. Essa nossa compra pra cava ficava em média uns 300 a 500Bsf por dia (que no câmbio a 145, dá cerca de 2 a 4usd). Financeiramente vale muito mais a pena comprar e montar sua própria cava. Se a pousada montar a cava pra vc no esquema de pensão completa, vc terá ainda mais conforto pela facilidade e praticidade, e maior variedade de comidas (macarrão, outros sanduíches, mini-saladas...), mas tbm pagará por isso. Padaria, loja de gelo, cerveja e padaria são bem pertos uns dos outros. Pousada vc encontra de tudo que é jeito. Tem umas muito luxuosas de até 185usd a diária por pessoa. A maioria gira em torno de 85usd/pessoa/diária. Mas existem algumas mais simples, como a que ficamos ou outras mais simples ainda. Pagamos o valor de 35Usd a diária por pessoa pq fechamos com o Miguel e na alta temporada. Se conseguissemos fechar lá sairia bem mais barato, mas arriscaríamos não conseguir vagas. Na baixa temporada, ouvi falar de pousadas de até 10Usd a diária. Não sei quais são elas. E creio que a baixa temporada seja igual no Brasil: longe de feriados e férias escolares. O que fazer em Los Roques? Cada dia ir em uma Ilha diferente. Cada uma tem suas características. Unanimidade é que a Cayo de água é a mais bonita. De fato. Fomos nela 2 vezes: no primeiro e no último dia. Uma semana é tempo mais do que suficiente para conhecer as principais ilhas, onde existem barcos que vão para elas todos os dias (ou seja, as mais comerciais). Mas existem muitas outras ilhas não tão comerciais, mas que valem a pena demais serem visitadas. Mas conseguir barcos pra elas não é tão fácil. Os barcos geralmente são acertados pelas próprias pousadas. No nosso caso, conversávamos com o Gregório sobre qual passeio estava disponível para o dia ou falávamos qual ilha gostaríamos de ir. Ele por telefone logo arranjava o barco. O barqueiro nos buscava na pousada ou, geralmente, íamos até o píer e procurávamos algum responsável que já estava nos aguardando. Tem 2 empresas de mergulho com cilindro. Se tem interesse em fazer, já procure elas logo quando chegar para ver a disponibilidade de passeios e fazer sua reserva. Não conseguimos e não tenho os nomes/contatos. Fomos às ilhas Cayo de agua, Augustin, Carenero, Sarqui, Madresqui, Francisqui, Crasqui, Noronsqui, Espenqui, além da base Gran Roque. Dentre elas, Augustin é a única não comercial que conseguimos (ela é vazia. Só tinha eu e o Felipe e mais um casal da Aústria). Dizem que Boca de Sebastopol é incrível pra mergulho e snorkel, mas é menos comercial ainda, então não conseguimos. As que eu mais gostei foram Cayo de agua, Carenero e Augustin. Levem máscara e snorkel. O aluguel é até barato, mas é muito mais prático e higiênico ter seu próprio equipamento. Vc os usará todos os dias. Na farmácia havia acabado o repelente e havia pouco protetor solar. Há muitos pernilongos em Gran Roque. Então não se esqueça! É prudente levar remédios tbm. Não esqueça também os adaptadores para tomadas. Se vc for na data de alguma festa grande, como no nosso caso o Natal, deixe para ir nas ilhas mais próximas no dia seguinte. Os barqueiros saem mais tarde pq enchem a cara com vontade. Mas foi bem interessante passar o Natal na ilha! Parece que a população é muito católica. Eles entupiram a igreja e todo mundo começou a cantar músicas ao redor do presépio bem ao estilo caribenho! Todo mundo empolgado, batendo palma, celebrando! Depois eles ligaram algumas caixas de som na praça e todos começaram a dançar músicas que fazem sucesso por lá. Até Show da Xuxa em espanhol rolou! Foi uma interação bonita de se ver! Pessoas de todas as partes do mundo dançando, sorrindo e divertindo juntas!
  7. Fomos em setembro de 2014, as fotos (sâo muitas e lindas) estão no meu blog, nessa pagina: https://aminaviaja.wordpress.com/2015/05/23/lua-de-mel-em-los-roques/ Passamos 2 semanas em Lua de mel, maravilhosas. Pontos que considerei importante ao escolher Los Roques: É O PARAÍSO: Mar azul turquesa, sol e calor o ano inteiro, chuvas raras, mar calminho sem ondas, natureza quase intacta: muitos peixinhos, corais, passarinhos que comem na sua mão e pôr do sol lindo. Lá é o lugar mais lindo que já fui e será dificil sair da primeira colocação É ROMÂNTICO: Além do clima tropical, a ilha principal onde ficam as pousadas é bem rústica, bem pé na areia, não existem hotéis ou grandes franquias, ou grandes restaurantes, resumindo, não tem nada grande, tudo é muito caseiro e rústico, o que pra mim é romântico pois existe um limite um tanto estrito de pessoas que podem estar na ilha ao mesmo tempo. Pro Markus é muito romântico porque como ele não ta acostumado com isso, cidades rústicas e pé na areia é bem exótico pra ele. A nossa pousada foi a Guaripete e a Va Pensiero, e eu recomendo muito a Guaripete pois o quarto é bem bonitinho, tem água quente, o serviço é muito bom (no último dia eles decoraram a mesa do jantar com flores pra gente) e a comida é muito gostosa e fresca. Mas a melhor parte da pousada é com certeza o capitão do barco que nos leva as ilhas, o Chi Chi! Ele nos leva aos lugares mais isolados, faz snorkel com a gente como guia, ele vai no fundo do mar e pega peixe e polvo e te da pra segurar (depois ele solta) e um momento inesquecivel foi quando ele pegou uma TARTARUGA ENORME e colocou no barco pra gente ver e fazer carinho, e depois soltou a tartaruga liiinda, foi emocionante! Nos primeiros 3 dias como eu não sabia sobre o Chi Chi eu fui com outro barqueiro, um idiota impessoal que só te leva na ilha, não te mostra nada e nem olha na sua cara. Ainda bem que encontrei o Chi Chi, se voce ler isso, nós te amamos Chi Chi hhahaha. Para ir a Los Roques a alguns pontos a considerar antes: ACESSO Para chegar lá não é tão fácil, por que essa ilha caribenha faz parte de um país chamado Venezuela, e como não existe vôo direto para Los Roques, é necessário passar uma noite na capital, em Caracas, que é um horror! É feia, só tem gente mal educada querendo te dar golpe e tentando te vender até a própria mãe. Por isso que antes de tudo nós contratamos um “faz tudo” famoso da ilha ( Jesus Contreras) para nos ajudar com as passagens de Caracas para Los Roques e com um transporte do aeroporto de Caracas para o hotel próximo do aeroporto que sai o aviãozinho pra ilha. Ou faz isso ou vai por agência, pagando o dobro rsrs. Contratei ajudantes porque li alguns relatos de taxistas que dão golpe, roubam ou assaltam os passageiros, e ainda bem que fizemos isso porque bem na hora que cheguei tinha um casal reclamando de mais um golpe . A gente viu o nosso taxista segurando uma plaquinha com o nosso nome e tivemos um grande alívio. O cara foi muito gente boa e nos ajudou muito com dicas pra viagem. Após 3 horas no tráfego (Caracas é um inferno) nós chegamos ao nosso hotel, que fica em Maiquetia, pertinho do aeroporto de onde sai o “avião” ( um teco teco) para Los Roques. Passamos a noite em um hotel barato e tranquilo, mas que tinha piscina e ar condicionado, e até um barzinho. Curtimos um pouco e pedimos na recepcão por um táxi até o aeroporto de manhã e então fomos dormir porque acordaríamos cedo. As 7 da manhã nós acordamos e logo depois o “táxi” chegou para nos pegar. ~ TAXI ~ Não sei se posso chamar aquilo de taxi… Meu senhor, o carro tava caindo aos pedaços! Realmente as condiçöes na Venezuela tá triste… Hhahaha mas chegamos em 15 minutos no aerporto. Chegando lá, minha reserva estava confirmada pelo Jesus Contreras, portanto só esperamos dar 9 horas pra o momento tenso: embarcar no pequeníssimo avião (também conhecido como Kombi voadora) de 9 lugares. É bem barulhento e eu fiquei com medo, é uma aventura…mas o Markus adorou! A viagem durou uns 35 minutos e aí o avião começou a sobrevoar Los Roques… …minha gente! A vista é maravilhosa, de tirar o fôlego mesmo! Não da nem pra acreditar, de tão lindo, é surreal, a partir daí, todo sufoco vale a pena. Sim, foi cansativo chegar em Los Roques! O resumo do trajeto : Sao Paulo- conexão em Lima- Caracas- Maiquetia- Los Roques. UFFAA. Vale lembrar que Los Roques é completamente seguro,diferente de Caracas. Chegamos a ilha principal (GranRoque) e outro ajudante foi pegar as nossas malas e nos levar a pousada, o Eduardo, que acabou virando um amiguinho nosso na ilha. Deixamos as malas no hotel, nos trocamos e já fomos para o porto pegar um barco e comecar nossa lua de mel, afinal ainda era 11 da manhã e não víamos a hora de relaxar na praia! ** ILHAS QUE VISITEI Ilha Madrisky Linda, com um numero médio de pessoas, água calminha e morninha, perfeito pra relaxar! Mas não tem um local para snorkeling muito boa, essa ilha é mais pra relaxar na areinha branca e quente. Tem acho que 2 restaurantes lá, recomendo os dois (sim, comi nos dois uééé) Depois de um dia inteiro relaxando e nadando e comendo, voltamos pra Ilha principal. A noite visitamos a farmacia minuscula de Gran Roque, para comprar um pós sol pro Markus. Lá é tao quente que eu fui de bege a negra em uma tarde. O Markus foi de rosa á vermelho escarlate (nenhuma queimadura no entanto, lógico que após 2 litros de protetor a cada 20 minutos + blusa de surf com manga comprida + chapéu, nem um albino iria se queimar) Fizemos um tour na qual o barco nos leva a essas 3 ilhas em um dia, todas lindas e bem diferentes umas das outras. Recomendo total o tour, é lindo e eficiente. Noronsky Tem muita pedra entäo nao pude nadar muito porque esqueci meu Crocs no hotel. Então lá vai a dica! Isso é muito importante, levem um Crocs ou uma sapatilha de neoprene para Los Roques, porque vira e mexe tem coral que voce nao ve no mar e podem machucar seu pézinho lindo de cinderela, e isso vale pros homens também! Krasky É onde fica um cemitério de Conchas enormes, e lá é incrível, uma das melhores praias pois: tem uma área verde grande e cheio de animaizinhos locais e tem um local para snorkeling EXCELENTE, cheio de peixões gordos e coloridos e peixinhos fofos, ouriços do mar e polvo! Tem muitos corais enormes e coloridos, fora que encontramos um carangueijinho que o Markus quis levar pra casa hahhaha E o mais lindo de tudo, são as gigantes estrelas do mar, gigantes mesmo, e pesadas e vermelhas, lindas! Infelizmente as fotos debaixo dagua estão no meu computador do Brasil, então nao vou poder mostrar agora aaaahh mate-me. É onde fica o instituto das tartaruginhas. Nada especial, mas é bonitinho as tartaruguinhas e se voce pedir fazer carinho nelas. Fora que é bom contribuir com esse projeto lindo! Francisqui Linda demais, é grande então dá pra explorar bastante, cheia de gente na parte principal, mas vazia na parte detrás. Tem um restaurante lá, camarão fritinho com cerveja maravilhoso! A praia é muito rasa, tem que andar uns 20 metros pra água chegar na barriga, parece uma piscininha. A parte detras tem um lago rosa (!) e um local para Snorkeling muito bom também. O preferido do Markus. Levei a minha bóia e deitei lá naquele mar piscina por….5 minutos! ( O sol nao deixa). Carenero Ilha perfeita, onde as tartaurgas gostam de ficar e os polvos tambem! Tem local para Snorkeling excelente, e de um azul que eu nunca vi antes … masssss eu detestei porque machuquei meu pé já que tinha que usar nadadeira em vez de crocs (pois é muito fundo) E é realmente muito fundo então fiquei com medo! hahaha tive uma crise de panico no meio do oceano, foi dureza. O markus no entanto se divertiu, ele viu até um daqueles peixe que incham! E vimos uma raia gente…lindo! Cayo De agua Essa é a preferida da maioria, porque além de ter uma cor muito azul linda, ela tem um banco de areia que divide o mar em dois lados…simplesmente lindo. O problema é que no dia que fui a maré tava cheia então não deu pra ver muito, fora que é 1 hora de lancha até lá, e com o vento, haja bunda pra pular do banco e costas pra aguentar os tranco. Cheguei em casa moída.Snorkeling fraquinho tambem, o que compensa lá é a vista. Essa foi muito especial porque ficamos sozinhos na ilha. Sim, uma ilha para chamar de nossa! Muito topless e relaxamento TOTAL! Perfeito! Boca De Cote Esse é um recife de corais gigante, para mergulho com ou sem cilindro, com visibilidade de snorkel até uns 10 metros. Eu estava meio com medo porque é em alto mar mas quando pulei do barco tudo valeu a pena! Meu deus que lugar impressionante, é tipo uma floresta no meio do oceano haha, vimos muitos e muitos peixes, corais e tiramos varias fotos (que estao no meu pc no Brasil) dentro dágua porque cada lugar era um encanto ali, vimos um peixe grandão, do nosso tamanho! Eu amei, um dia quero mergulhar com cilindro lá. Existem muitas outras ilhas mas essas foram as que escolhemos, e da próxima vez eu quero ir na Boca de Sebastopol, que também é um lugar de mergulho, ao sul. QUANDO IR? Uma grande vantagem de Los Roques é que é quente o ano inteiro, sem muitas chuvas, de todos os dias que estivemos lá, só garoou uma vez, por 10 minutos hahaha A alta temporada (as pousadas ficam mais caras) sao os meses de dezembro, junho, julho e agosto, e entre dezembro e abril é a temporada de lagostas, LAGOSTAS ENORMES, a preço de linguiça, então muita gente vai la nesse período para poder comer muita lagosta, pois depois disso é proibido a pesca de lagosta. Nós fomos em setembro e foi excelente. Ainda sobre o clima, que, apesar de ser excelente já que é praia, o sol é muito forte. E pro meu marido que é muito branco, tem que ter muito cuidado, nós cuidamos muito e por isso ele não teve nenhuma queimadura nem ficou bronzeado, só rosinha hahaha mas se não tivéssemos cuidado ele estaria sem pele hoje em dia (sim, é quente desse jeito). QUANTO CUSTA IR A LOS ROQUES Bom eu não achei barato mas também não é tão caro assim levando em conta que passamos quase duas semanas lá. Com passagens, ajudante, passeios, taxa de entrada na ilha, hospedagem e alimentação, gastamos mais ou menos uns R$ 8.000,00, incluindo lembrancinhas e muito chocolate no Duty free. Nós levamos dólares e fizemos um pouquinho do cambio com o ajudante que contratamos em Caracas e o resto na farmácia de Los Roques. É importante ressaltar que o cambio do dólar é geralmente feito no mercado negro, porque sai muito mais caro no oficial, não vale a pena meeesmo. Nós conseguimos cambiar por um preco excelente, 1 dólar = 75 bolivares, um pouquinho em Caracas e o resto em Los Roques. É preciso tomar cuidado em Caracas ao fazer o cambio porque existem esquemas onde os caras que oferecem cambio no aeroporto te enganam com nota falsa. Por isso ressalto a importância de contatar um ajudante ou agência antes, mesmo que pra isso você gaste um pouco mais. O sistema na ilha é bem rotineiro, pois Los Roques é um destino de puro relaxamento e romantismo. Se você quer farra, festas e bebedeira é melhor escolher outro lugar no caribe para ir, como Cancun ou Bahamas. A pousada provê o café da manhã, a cava (um cooler com comida, frutas, cerveja, refrigerante e agua) O jantar é na pousada e são muito bem feitos, tudo parece prato de restaurante chique haha. Nós comemos na pousada alguns dias e em outros nós comemos em bares e restaurantes na ilha. Teve um dia que jantamos cachorro quente da barraquinha. O nosso quarto era pequeno mas muito limpo e bonitinho, bem decorado, a água do banho não tem sistema de aquecimento, mas já vem morna pois lá é muito quente. Tínhamos ar condicionado no quarto, e isso é totalmente necessário pra não cozinhar enquanto dorme. A rotina é a seguinte: O dia começa cedo, por volta das 8:30 da manhã a gente acordava e ia tomar café, organizávamos a bolsa, pediamos toalhas na recepção e íamos para o pier onde sai todos os barcos, umas 9:30 da manhã. Geralmente o passeio era decidido no dia anterior, no jantar. Pegávamos o barco e iamos a ilha, o barqueiro coloca os guarda-sol, cadeiras e a cava na areia e só voltavamos pra pousada ás 17:00 hr. Nas ilhas fazíamos muito Snorkel, mergulho, relaxar na praia, ficava deitava na bóia e por incrível que pareca o tempo passava rapidinho. Se você quiser fazer mais coisas, lá tem mergulho de cilindro, kitsurf, pesca e stand up paddle também. De volta para a pousada sempre tinha um lanchinho nos esperando com café e chá. Tomávamos um banho e iamos pro lounge deitar no sofá e usar o Wi-fi ou tirar uma soneca porque, de um modo estranho e gostoso, praia cansa! Depois nós íamos dar uma volta na ilha, brincar com cachorros da ilha, etc. Lá tem uma montanha com uma vista linda de morrer da ilha inteira, cansa um pouquinho pra subir mas vale muito a pena! O por-do-sol é um dos mais lindos que eu já vi e tem um farol no topo da montanha também. Conversamos com várias pessoas, a maioria vinha de outros países da América do Sul mesmo, mas conhecemos um casal da Inglaterra e um da Itália. Ah, e claro, um casal de brasileiros, também em Lua de mel, mas eu ouvi muuuito português por la, os brasileiros fazem a festa lá! A vida noturna vou explicar em outro tópico mais embaixo. ALIMENTACÃO A comida lá é sempre farta, deliciosa, fresca e barata! Não preciso dizer que engordei alguns kg nessa viagem rsrs, ooops eu disse. ( Isso que na época eu tava bem mais gordinha que agora) O principal lá são frutos do mar obviamente, muito peixe, lula, camarão e lagosta todo dia! O café da manhã tinha frutas, pães, frios, café, leite, bolos e um prato comum por lá: as arepas, que são tipo umas panquecas de milho, nossa como é bom! O almoço era a comida que vinha no cooler, geralmente era uma salada de macarrão com arroz ou salada de maionese e sanduíches, alguns biscoitos e frutas. E bebidas. Mas nas ilhas Francisqui e Madriski tem resurantes bem pé na areia, comemos um ceviche de peixe com limão delicioso, e um outro dia uma porção enorme de camarão ao alho e óleo muuuuito bom. Na volta tinha um lanchinho nos esperando na pousada geralmente pão ou pastelzinho e bolo. E o jantar na pousada era sempre um espetáculo, com entrada, prato principal e sobremesa. Na ilha tem uns 2 restaurantes que vendem pizza, hamburger e prato com arroz e peixe. Tem 2 bares que vendem todo tipo de drink muito barato comparado ao Brasil. Gente, da comida não tem o que reclamar lá! VIDA NOTURNA A noite lá é muito simples mas bastante animada. Na praça sempre tinha música, bandas, DJ, gente dancando, crianças brincando, todo mundo se divertindo, os caras jogando baralho e bebendo cerveja, as mulheres conversando na calçada de casa, tudo bem interior, uma delícia. Nós pegamos um dia de festa lá, no qual teve várias bandas, a praça ficou lotada e rolou até fogos de artifício- imagina o romantismo! DICAS – Leve protetor solar acima de 40 FPS. O sol não é brincadeira por lá! – Leve óculos de sol, mesmo motivo acima. – Leve um CROCS (genérico mesmo haha) ou uma sapatilha de neoprene, o mar tem pedrinhas ou restos de corais que podem machucar seu pé. – Leve um livro, pra relaxar na praia ou mesmo antes de dormir, já que o Wi-fi é geralmente só no lobbie. – Nós levamos blusa de surfista com manga longa pra proteger as costas quando eu estava mergulhando e quando estavamos no barco, achei muito importante pra evitar uma queimadura nessa região que fica muito exposta. – Leve seu kit de Snorkel com nadadeiras, isso é primordial. Mas você pode alugar um kit lá também. – Vá para os passeios com o barqueiro Chi Chi. – Leve uma câmera a prova dágua, o mundo lá embaixo é lindo e merece ser fotografado. Além disso, no barco, ás vezes uns jatos de agua vem e te molha inteira. – Leve talco se você tem pernas gordinhas. -Leve ou compre pós- sol e hidratante. Cuidar da pele na praia é trabalho dobrado. ( Dá pra comprar na farmácia de lá) -Compre as cervejas na lojinha de bebidas que tem lá, sai por 1 real a lata haha – Vá com o amor da sua vida! Recomendo a todos, mas ir a uma ilha paradisíaca com a pessoa que você ama é uma experiência fantástica!!!!! Voltamos pra casa já com vontade de voltar. É um lugar único, simplesmente o mais lindo que já fui!
×