Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

Pesquisar na Comunidade

Mostrando resultados para as tags ''tokyo''.



Mais opções de pesquisa

  • Pesquisar por Tags

    Digite tags separadas por vírgulas
  • Pesquisar por Autor

Tipo de Conteúdo


Mochileiros.com

  • Perguntas e Respostas
    • Perguntas e Respostas
    • Destinos
  • Companhia para Viajar
    • Companhia para Viajar
  • Relatos de Viagem
  • Equipamentos
  • Trilhas e Travessias
  • Viajar sem dinheiro
  • Viagem de Carro
  • Viagem de Moto
  • Cicloturismo
  • Outros Fóruns

Categorias

  • América do Norte
  • América do Sul
  • Ásia
  • Brasil
  • Europa
  • Oceania
  • Oriente Médio

Encontrar resultados em...

Encontrar resultados que...


Data de Criação

  • Início

    FIM


Data de Atualização

  • Início

    FIM


Filtrar pelo número de...

Data de Registro

  • Início

    FIM


Grupo


Sobre mim


Lugares que já visitei


Próximo Destino


Tópicos que recomendo


Ocupação

Encontrado 4 registros

  1. Antes de ir ao Japão, eu já conhecia a história de Hachiko porque o mais famoso cachorro do Japão já teve sua história contada em 3 filmes. Mas, uma das coisas que eu mais queria visitar em Tokyo, era a estátua em sua homenagem localizada no bairro de Shibuya! Aqui vai o tópico completo sobre o Hachiko no blog de viagens que mantenho, depois de quase 6 meses turistando no Japão! Dizem que traz sorte tocar as patas da estátua de bronze de Hachiko, e elas já até mudaram de cor devido a isso! Quem foi Hachiko? Hachiko nasceu numa fazenda próxima à província de Akita, no Japão em 10 de novembro de 1923. Em 1924, foi enviado a casa de seu futuro proprietário, o Dr. Eisaburo Ueno, um professor do Departamento Agrícola da Universidade de Tóquio. Foi uma espécie de “amor à primeira vista”, pois, se tornariam amigos inseparáveis! O professor Ueno morava em Shibuya, subúrbio de Tóquio, perto da estação de trem. Como fazia do trem seu meio de transporte diário até o trabalho, Hachiko acompanhava seu dono todas as manhãs. Caminhavam juntos da casa até à estação de Shibuya. Hachiko parecia ter um relógio interno, e sempre por volta das 15 horas retornava à estação para encontrar o professor. Dr Ueno desembarcava as 16 horas e juntos voltavam para casa. Hachiko e o Dr. Hidesaburo Ueno Em 21 de Maio de 1925, o professor Ueno sofreu uma espécie de um AVC durante seu trabalho na faculdade e faleceu. Hachiko, que na época tinha pouco menos de 2 anos de idade no horário previsto, esperou seu dono pacientemente na estação. Naquele dia a espera durou até a madrugada… Na noite do velório, Hachiko (que estava no jardim) quebrou as portas de vidro da casa e foi para a sala onde o corpo foi colocado. Passou a noite deitado ao lado de seu mestre, recusando a despedida. Hachiko e sua lealdade Após sua morte, a esposa do professor deu Hachiko para alguns parentes do que moravam em Asakusa, no leste de Tóquio. Mas ele fugiu várias vezes e voltou para sua casa em Shibuya. Um ano se passou e ele ainda não tinha se acostumado à nova casa. Foi então, dado ao ex-jardineiro da família que conhecia Hachi desde que ele era um filhote. Mas Hachiko continuava a fugir, aparecendo frequentemente em sua antiga casa. Depois de certo tempo, aparentemente Hachiko se deu conta de que o professor Ueno não morava mais ali. Todos os dias ia até a estação de Shibuya para esperar seu dono voltar do trabalho, como sempre fazia. Fez isso dia após dia, ano após ano, em meio aos apressados passageiros. Estes começaram então a trazer petiscos e comida para aliviar sua vigília. Em 1929, Hachiko contraiu um caso grave de sarna, que quase o matou. Devido aos anos passados nas ruas, ele estava magro e com feridas das brigas com outros cães. Sua aparência miserável, não parecia mais com a criatura orgulhosa e forte que havia sido uma vez. Um novo suspiro para Hachiko Um dos alunos do professor Ueno viu o cachorro na estação e o seguiu até a residência dos Kobayashi, onde aprendeu a história da vida de Hachiko. Coincidentemente o aluno era um pesquisador da raça Akita, e logo após seu encontro com o cão, publicou um censo de Akitas no Japão. Na época haviam apenas 30 Akitas puro-sangue restantes no país, incluindo Hachiko da estação de Shibuya. Ele retornava sempre para visitar o cachorro e por anos publicou artigos sobre a lealdade de Hachiko. Sua história foi enviada para o Asahi Shinbun, um dos principais jornais do país, onde foi publicada em setembro de 1932. Quando um grande jornal contou a história de Hachiko, todo o povo japonês soube sobre o cão e ele se tornou uma espécie de celebridade, uma sensação nacional. Sua devoção à memória de seu mestre impressionou o povo japonês e se tornou modelo de dedicação à memória da família. Pais e professores usavam Hachiko como exemplo para educar crianças. Em 21 de Abril de 1934, uma estátua de bronze de Hachiko (ainda em vida), esculpida pelo renomado escultor Teru Ando, foi erguida em frente ao portão de bilheteria da estação de Shibuya, com um poema gravado em um cartaz intitulado “Linhas para um cão leal”. A cerimônia de inauguração contou com a participação do neto do professor Ueno e uma multidão de pessoas. Hachiko esperou seu dono por 9 anos Hachiko envelheceu, tornou-se muito fraco e sofria de problemas no coração. Na madrugada de 8 de março de 1935, com idade de 11 anos e 4 meses, ele deu seu último suspiro no mesmo lugar onde por anos a fio esperou pacientemente por seu dono. A duração total de seu tempo de espera foi de nove anos e dez meses. A morte de Hachiko estampou as primeiras páginas dos principais jornais japoneses e muitas pessoas ficaram inconsoláveis com a notícia. Um dia de luto foi declarado. Seus ossos foram enterrados na sepultura do professor Ueno, no Cemitério Aoyama, Tóquio. Durante a 2ª Guerra Mundial, para aplicar no desenvolvimento de material bélico, todas as estátuas foram confiscadas e derretidas, e, infelizmente, entre elas estava a de Hachiko. Hachiko e sua nova e definitiva estátua Em 1948, formou-se a “The Society For Recreating The Hachiko Statue” entidade organizada em prol da recriação da estátua de Hachiko. Tekeshi Ando, o filho de Teru Ando foi contratado para esculpir uma nova estátua. A réplica foi reintegrada no mesmo lugar da estátua original, em uma cerimônia realizada no dia 15 de agosto. A atual estátua de Hachiko em Shibuya A história de Hachiko atravessa anos, passa de pai para filho, sendo até mesmo ensinada nas escolas japonesas – no início do século para estimular lealdade ao governo, e atualmente, para exemplificar e instilar o respeito e a lealdade aos anciãos. Todos os anos, no dia 8 de março, ocorre uma cerimônia solene na estação de trem de Shibuya, em Tóquio. São centenas de amantes de cães que se reúnem em homenagem à lealdade e devoção de Hachiko. Ao nascimento de uma criança, a família recebe uma estatueta de Akita como desejo de saúde, felicidade e vida longa. O objeto também é considerado um amuleto de boa sorte. Quando há alguém doente, amigos dão ao enfermo esta estatueta, desejando pronta recuperação. Por causa desse zelo, a raça Akita se tornou Patrimônio Nacional do povo japonês, tendo sido proibida sua exportação. Se algum proprietário não tiver condições financeiras de manter seu cão, o governo japonês assume sua guarda. Como chegar à estátua de Hachiko em Shibuya? O que muitos não sabem é que a estátua de Hachiko está imersa dentro de outro cartão postal de Tokyo. Shibuya é conhecida por possuir a maior e mais concorrida travessia de pedestres do mundo, e a pequena praça com a estátua fica bem ao lado desta travessia, veja abaixo: Como chegar à estátua de Hachiko em Shibuya? Se estiver de trem, basta descer na Estação Shibuya. Além disso, você verá um lindo mosaico em homenagem à Hachiko logo na saída da estação: Painel do Hachiko na saída da estação Shibuya Não se assuste com a quantidade de pessoas que você verá na frente do painel. Hoje em dia ele virou um famoso ponto de encontro das pessoas! É isso aí pessoal, deixo aqui a dica pra quem quiser ver mais passeios da região de Tokyo, Kyoto e Osaka! Um grande abraço!
  2. Pessoal, reparei que esta parte do forum anda um pouco parada, então não sei se o povo já não tem mais nenhuma dúvida sobre roteiros, ou se desistiram.. risos De qualquer maneira, vou compartilhar meu roteiro completo, depois de 7 meses de vivência no Japão. Num período de férias lá, peguei 10 dias pra andar com o trem bala/shinkansen pra cima e pra baixo. Em resumo, 10 dias é pouco para o Japão, sem sombra de dúvidas. Por outro lado, vejam a quantidade de coisas que é possível de se fazer pra quem só tem 10 dias! risos Passei por: - Tokyo - Osaka - Himeji - Nara - Kyoto - Hiroshima Se ajudar alguém: https://www.novocalculodarota.com.br/roteiro-pelo-japao-10-dias/ Abraço! bob.
  3. Viver não é relatável, como já dizia Clarisse Lispector, mas vou tentar contar um pouco do que vivemos! O relato que vem a seguir são as minhas impressões, opiniões. Vc pode concordar comigo e fazer parecido, ou discordar de mim e fazer diferente! Eu escrevo tudo, mas tuuuudo que lembro. Gosto de ler relatos assim, portanto escrevo assim tb. Se vc quiser só ver as dicas, pule a introdução, no fim de cada cidade eu faço um resumo! ESTRELANDO... Eu, marido Gui, filho João (9) e amigo e compadre Lio, padrinho do João. Olha, a gente viaja andando! A gente anda das sete da manhã as sete da noite e mais se precisar. Não temos foco na balada pq viajamos com criança, mas vivemos INTENSAMENTE cada segundo, até mesmo no bar se precisar tb. Doente, com sono, com fome, com jetlag... sempre estaremos na rua. PORQUE EMIRADOS ÁRABES UNIDOS? Não fomos por acaso pros EAU, foi de propósito. Desde que comecei a programar a viagem pro Japão só cotei passagens pela Emirates pq tínhamos decidido visitar o país. Apesar de já ter visitado país islâmico e ter gostado muito, confesso que no começo tinha preconceito da cidade (emirado) de Dubai... muita ostentação, muito urbano, coisas que geralmente não gostamos, mas depois de ler alguns relatos (valeu Tanaguchi!!) e conversar com uma amiga que mora lá decidimos que precisávamos muito conhecer Dubai e Abu Dhabi! E não nos arrependemos! PORQUE JAPÃO? Japão sempre esteve na minha interminável lista de lugares a conhecer. Sempre estive próxima da cultura por meio de amigos, alguns jogos e desenhos! Marido e filho sempre na parceria e o Lio já tinha manifestado interesse em participar tb, então nem precisamos convencer! Ano passado começamos a nos organizar pra desbravar o oriente. Há um ano o desenho da viagem já estava pronto e nós já sabíamos por onde começar... preciso de bastante tempo pra planejar viagens deste porte. #pobre DEFININDO DATA E ROTEIRO No começo eu tinha em mente ficar só uns 3 dias em Dubai e umas 2 semanas e meia no Japão, pra conhecê-lo de Tokyo pra baixo (pois no inverno é complicado ir pro Norte), mas depois fui mudando um pouco de ideia. Primeiro pq achei coisas legais demais pra fazer em só 3 dias em Dubai, queria mais. E segundo pq o deslocamento entre cidades no Japão é MUITO caro. Tipo muito HARD! Os trens são eficientes, mas bem caros... o JR Express que me serviria teria que ser o de 14 dias e meo, caro demais comprar 3 destes! Decidimos então ficar um tempo maior nos EAU e focar no centro do Japão, com cidades base de Tokyo, Kyoto e Osaka. Afinal o mundo sempre estará lá... podemos voltar. As datas tb tiveram que ser alteradas para acomodar as férias dos três adultos, João teve que matar as últimas semanas de aula... quase não gostou, rs. E tb sobre datas, nós gostamos de frio e gostamos de viajar sempre no frio! Os EAU são ótimos de se visitar no inverno tb, onde tpt chega a 32-34ºC e faz friozinho a noite. No verão é loucura, chega a 50ºC e não se anda na rua! Ficou assim: viagem entre 25 de Novembro e 15 de Dezembro na seguinte sequência – Londrina > São Paulo > Dubai (e Abu Dhabi) > Osaka > Kyoto (e Nara) > Tokyo > São Paulo > Londrina. Com isso definido pude começar a cotar passagens. MONITORAMENTO DO CLIMA E PREÇOS DE PASSAGENS Já em dezembro de 2016 eu ficava especulando passagens, rs, ansiosa ou não? Ainda não era possível cotar as minhas datas, então eu ficava fazendo exercícios pra ter ideia de preços. Vc pode ir pro Japão pela Europa (KLM e etc), Ásia (Emirados ou Qatar) ou América do Norte ou Central (México ,EUA e Canadá). Geralmente a rota das américas é mais barata, se vc já tiver visto americano é uma boa, mas pelos motivos que já expliquei, e pelo fato de não ter e não querer por hora o visto americano, foquei na Emirates. Sobre o clima, adicionei as cidades base no meu aplicativo de previsão do tempo e fiquei me divertindo vendo como seria frio quando eu fosse. Vi que poderia chover e até nevar em Kyoto... não é tão importante ficar fazendo isto, eu faço por diversão. kkkk COMPRA DAS PASSAGENS Através das pesquisas que fiz, achei que em média 4000 reais pra cada um seria o preço médio das passagens que eu queria, multidestinos, e quando chegasse neste valor eu compraria. Percebi tb que as passagens ficam no melhor preço com até 4-5 meses antes, tinha esta data como data limite em mente. Tenho datas bem amarradas, por isso uso esta estratégia e não me dou ao luxo (#inveja) de ficar esperando as mega promo! Mas lembra da ansiedade que não cabe? Não tem cura isso, kkkk... Faltando nove meses pra viagem, no fim de fevereiro, as tarifas bateram 10.500 (pra nós 3 aqui em casa)... abaixo do preço que considerei médio (~12.000 pra nós 3). O dólar tava super baixo e com dólar não se brinca... comprei! Via de regra dá pra esperar mais, eu via que datas mais próximas custavam cerca de 1000 reais a menos, mas todo mundo pirou que tinha que comprar e enfim, compramos, kk. No fim das contas foi uma boa... com a política e seu caos o dólar acabou subindo muito no meio do ano e ainda peguei as franquias de bagagem grátis! Monitorei pelo resto do ano – pq gosto de sofrer – e fiquei feliz em saber que fiz uma boa compra... só subiu. As passagens que compramos eram saindo e chegando de São Paulo, o trecho doméstico foi um caso a parte. Mas se puder, não faça isso, emita as passagens saindo da sua cidade... a franquia de malas é diferente e em caso de atrasos a responsa é da empresa. MOEDA Para os EAU eu levei dólares pra trocar lá por Dirhans. Pro Japão eu já levei Ienes mesmo. Somente hospedagens e trechos aéreos foram adquiridos com antecedência, o resto foi tudo na hora. Cartão de crédito levei para emergência. E quanto levei? Valores abaixo para três pessoas (2 adultos e 1 criança) 1.500 dólares (~5.200 reais) para 5 dias completos: média de 300 dólares por dia (~1.040 reais) – hospedagens e carro não incluso, pagamos antes. SOBROU. 350.000 ienes (~10.850 reais) para 13 dias completos: média de 27.000 ienes por dia (~837 reais) – hospedagem não inclusa, pagamos antes. DEU. Mais detalhes de grana durante o relato. DEFINIÇÃO DOS MEIOS DE TRANSPORTES Nos Emirados alugamos carro antes da viagem pela rentalcars (tipo um decolar de carros) pela empresa Thrifty, que tem guichê no terminal 3, por onde chegamos. Isso é realmente importante, poder pegar o carro no mesmo terminal que se chega, pois o aeroporto de Dubai é imeeeeensoooo. Conto da aventura de dirigir em Dubai no relato específico, mas se vc é afim, providencie a PID (= permissão internacional de direção). Optamos pelo carro pq achei que seria mais funcional. Foi a primeira vez que alugamos carro na gringa!!! Funcionou! O custo de 5 diárias do carro (um versa automático pq não existe nenhum carro manual lá) ficou 215 dólares na hora de locar, mais aquele monte de taxa que eles inventam de última hora. No total acho que deu uns 1000 reais, e mesmo assim achamos uma boa relação custo benefício. Este era o segundo carro mais barato pra alugar, atrás apenas de um pequeno demais! No Japão todos os deslocamentos entre cidades foram feitos de trem. As passagens foram compradas no dia ou no máximo no dia anterior, nas estações de trem mesmo. E dentro das cidades, dá-lhe perna e metrô. RESERVA DE HOSPEDAGENS Depois do roteiro já finamente detalhado, rs, e definidos quantos dias em cada lugar, foi hora de achar tetos para dormir. Pesquisei booking e airbnb pra ter ideia. Sempre dou prioridade pro airbnb, principalmente viajando em quatro pessoas, e no fim pegamos airbnb pra tudo. Então ficou assim: Dubai: https://www.airbnb.com.br/rooms/17551027 6 diárias 4 quatro pessoas: 1600 reais (400 para cada) Osaka: https://www.airbnb.com.br/rooms/7808510 3 diárias para 4 pessoas: 400 reais (100 para cada)* estava com crédito de viagem tive desconto de 500 reais. Kyoto: https://www.airbnb.com.br/rooms/13212939 5 diárias para 4 pessoas: 1200 reais (300 para cada) Tokyo: https://www.airbnb.com.br/rooms/8429102 5 diárias para 4 pessoas: 2000 reais (500 para cada) Como dá pra ver, gastamos cerca de 1300 reais por pessoa para passar 3 semanas em destinos carésimos! Todos os locais foram bons e o relato detalhado estará descrito em cada cidade! Mas airbnb é vida, adoro e não troco por nada. Se vc ficou interessado, faça o cadastro no site usando o link abaixo que eu e vc ganhamos crédito de viagem! www.airbnb.com.br/c/jcarneiro3 SEGURO VIAGEM Tivemos que dividir as passagens entre dois cartões e por pressa acabamos perdendo o direito ao seguro viagem do Platinum... Tivemos que contratar. Foi pela Porto Seguro e custou 350,00 para cada um, totalizando 1.050,00 reais. Não precisamos usar! VISTOS Tanto os EAU quanto o Japão exigem vistos de brasileiros. Visto Emiradense O dos EAU tiramos pelo próprio site da Emirates, depois de compradas as passagens. Dá pra tirar este visto de outras formas caso vc não compre as passagens pela Emirates, mas me pareceu meio burocrático. Eles têm alguns tipos de visto, começando pelo de 96 horas, que era o mais barato. Mas para nós não servia, pagamos 95 dólares por pessoa pelo visto de 30 dias. Achei caro. É um pouco chatinho tirar este visto, cheio das regras. Você só pode solicitar este tipo de visto (30 dias) faltando 57 dias da viagem, isso pq ele vale por 60 dias apenas. Apesar do visto ter data certa pra sair, você tem que ter passaporte válido por 6 meses, igual em outros locais. Vai precisar apresentar pelo menos a primeira e a última página do passaporte em formato jpg com no máximo 200k. A foto eles dizem que tem que ser formato passaporte, mas não é. Tem que ter no máximo 40k e no máximo 300x369pixels. Tirei do celular mesmo. Pode-se apresentar outros documentos, eu apresentei só entradas “schengen” anteriores e comprovante de residência. Depois que preenche formulários e faz o upload dos documentos, alguns e-mails vão chegando. Um de admissão do pedido, um de pagamento, um de “estamos processando” e um com o visto, que você deve imprimir e levar. Nem todos os e-mails chegaram, para meu desespero. Cheguei a escrever pro serviço de emissão... mas depois deu tudo certo. Dois dias depois da solicitação chegou o do meu filho e meu, e dias depois (já estava em pânico, kkk) o do marido. Já estava achando o que eu tinha feito de errado no dele... se é pq a foto tava sorrindo, se é pq ele ficou com cara de terrorista, hahahahahauaha, mas deu tudo certo. Do Lio solicitamos depois e chegou super rápido! Visto japonês O do Japão já consegue ser um pouco mais chato ainda pq tem que ir no consulado tirar. Não precisa ir todo mundo, pode ir um só com procuração dos demais caso tenha alguém que não seja da família (pai, mãe, filhos, etc). Eu até verifiquei a possibilidade do meu irmão tirar nossos vistos no Rio de Janeiro, mas como sou do Paraná, obrigatoriamente tinha que tirar por Curitiba. Verifiquei tb se compensava tirar por agência, mas de 97 reais (que era a taxa de visto) iam me cobrar 400 por pessoa, hahahauaha, dava pra eu ir de taxi pra Curitiba com 1600 reais, kkk. Reunida toda a papelada, fui pra Curitiba tirar os nossos vistos em outubro. Os sites dos consulados são bem organizados e os atendentes muito educados, lá tem toda a informação que vc precisa! Então não vou ficar aqui me estendendo e colocando toda a documentação necessária. Mas... nem tudo são flores, vejam o perrengue! #perrengue – depois a gente ri mas na hora... (pule esta parte se não quiser rir, é longa) Eu sou a louca da lista, a louca da planilha, psicoticamente organizada. Eu reuni toda a papelada (pq é muuuita coisa) e conferi mil vezes, afinal, tive que ir pra Curitiba só pra isso! O consulado do Japão, que funciona no prédio do Shopping Itália, no centro de Curitiba, funciona das 9-11h para a solicitação de visto e das 14-17h para a retirada do visto (sempre um dia depois). Eu tenho família em Curitiba e estava na casa de um tio, minha prima me deu carona até o consultado! Cheguei umas 9:15 de uma quinta-feira e só tinha uma pessoa na minha frente, lindo. Logo uma japa mega fofa me chamou e entreguei os kilos de papel. Cerca de 10 minutos ela volta e diz “sra Juliana, não posso aceitar sua solicitação... os formulários de pedido do sr. Guilherme (marido) e sr. João Guilherme (filho) não estão assinados! PÁRA TUDO – MEU MUNDO CAIU. Claro que pra tudo dá-se um jeito mas e o preju de ter ido até lá e não conseguir tirar a porra do visto? Eu não tinha conferido isso! A japa fofa vendo minha cara de pânico me perguntou... vc não é daqui? E eu disse quase chorando, não... sou de 400km daqui, vim só pra isso... e ela disse, péra, vamos ver o que dá pra fazer. Vai lá pra dentro e volta 10 min depois: vc pode pedir pro seu marido e filho assinar as vias e me mandar escaneado por email (e eu, SIM, SIM, agora!!), mas amanhã, na hora de retirar, vc tem que me trazer os originais... dei uma brochada, ela tentou ver se precisava mesmo com os chefões lá dentro e sim, precisava... pensei no sedex 10 e transportes rodoviários, eu ia dar um jeito. Falei com ela que blz, que eu ia ligar pro meu marido e pedir pra enviar os docs... e ela disse... tem que ser até as 11h da manhã pra eu te emitir o protocolo, senão fica pra amanhã! Não podia ficar pra amanhã... eu estava com passagem emitida pra sexta-feira as 17:30, se não desse certo só poderia ir embora na segunda e isso ia ferrar muito minha vida e meu bolso. Fui pegar meu celular pra ligar pro Gui e cade... cade a poooorraaaaa do celular... tava no carro da minha prima, deixei no console do carro! Minha prima trabalha a 1,5km de onde eu estava!! E eu nem podia ligar pra ela, primeiro pq não tinha celular e segundo pq só sei o número do meu marido! Tb não podia pegar um Uber (porque estava sem telefone) e não sabia se ia achar taxi na rua... Pedi o celular de um cara emprestado pra ligar a cobrar pro meu marido ir adiantando as coisas e ele fez cara de cú... sorte que um outro cara que tava na sala (uma hora destas já tinha chegado umas 5 pessoas) me disse que eu podia ligar e que nem precisava ser a cobrar. Fofo! Liguei pro Gui e estava dizendo que ele precisava urgente providenciar isso... ele estava na cidade vizinha da nossa mas disse que ia correr com tudo... e tinha que correr, o limite era as 11h... e antes que eu pudesse dizer pra que email ele tinha que mandar as coisas fui interrompida por um funcionário que me disse que era proibido (óbvio, tinha várias placas) falar no celular lá dentro... Morri de vergonha, pedi desculpas e devolvi o celular pro moço que me ajudou. Eu definitivamente PRECISAVA do meu, precisava falar pro Gui onde estavam os documentos, pra que email mandar, enfim! Decidi ir até o trabalho na minha prima a pé, afinal 1,5km não é nada de outro mundo. Com pressa e desesperada saí pelas calçadas de paralelepípedo da Rua João Negrão e depois de alguns tropeços é claro que eu levei maior tombo e arrebentei minha sandália! Meeeeooooo, que faaaase! Com as mãos doendo e com as canelas com câimbra, levantei cheia de orgulho, sem olhar pros lados, e segui minha jornada... acho que em 10 min cheguei na minha prima! Contei em 5 segundos meu drama, e ela disse que o carro dela estava estacionado há duas quadras dali (Puuutz) e que eu devia ir lá buscar meu celular... tb me disse que era pra eu voltar pro shopping/consulado com o carro dela... só que deixa eu contar: eu tenho um UNO... UNOOOO, e normalmente tb dirijo um Mobi e um Onix no trabalho... e ela tem um SUV Mitsubishi automático. Eu nunca dirigi carro automático, nunca dirigi carro grande e não sei andar em Curitiba! Estava decidida a ir no estacionamento e seguir a pé, mas chegando lá já era 10:30... não ia dar tempo! Liguei pro Gui, passei a senha do drive pra ele imprimir as coisas (pq chega mensagem no celular pra eu acessar). Nisto ele já tinha ligado pra minha mãe, que estava com meu filho, e pedido pra ela levar o baby pro trabalho dele pra dar tempo dele mandar até as 11... João tb tinha que assinar o papel! Olhei praquele carrão e pensei, vou ter que encarar ‘saporra! A voz da minha prima dizendo “relaxa que se bater o seguro paga” ecoavam na minha cabeça. Subi no carro, perguntei pro moço como ligava e como saía e lá fui eu dirigir um SUV automático no centro de uma cidade grande que não conheço. Tirando uma freada brusca deu tudo certo. Tb tive que ligar pra prima pra perguntar como dava ré pra estacionar o monstrão numa vaga de shopping e sem espelho, pq eu não sabia como arrumar os espelhos... ESTACIONEI! Kkkkk Subi correndo e suando no consulado e avisei que meu marido estava por mandar os docs... o que ocorreu uns 5 minutos depois. A japa fofa veio, me confirmou o recebimento e me deu o protocolo, reiterando a necessidade de apresentar os originais no outro dia (o Gui despachou por sedex 10). Voltei pro estacionamento que a minha prima deixa o carro e felizmente não bati o carro dela, kkkk... enquanto isso minha mãe contava que saiu dirigindo as pressas pra levar João no trampo do meu marido e que deu uma fechada numa moça, que a xingou de tudo que é nome! Kkkkkkkk No dia seguinte os docs chegaram pontualmente às 10 da manhã, e a tarde fui buscar os vistos... quando a japa veio sorrindo e disse vistos concedidos... aaaaffffeeee, que alívio, kk! Minha família inteira mais meio estado do Paraná ficou sabendo desta minha aventura e fui muito zuada! Mas continuemos com os preparos! POCKET WIFI Nos EAU alugamos um pocket, que é um modem portátil que vc carrega pra onde vai alimentando os celulares com internet, ainda no aeroporto, não lembro ao certo o valor mas não era baratinho não. Pegamos um pacote de 5MG e usamos tudo, foi importante pq não tínhamos GPS, então usávamos outros navegadores. Usei bastante tb pra me encontrar com a minha amiga de lá. No Japão, em Tokyo e Osaka as hospedagens disponibilizaram pocket wifi. Achei FUNDAMENTAL ter isso pra se virar, pois o japanenglish dos japa é tenso, hahauahauaha... se sua hospedagem não disponibilizar o pocket wifi tem várias formas de alugar! Em Kyoto a gente se virou com redes abertas de wifi, tem bastante. ARRUMANDO MALAS Em 2015 tínhamos viajado por um mês no inverno e levamos bastante coisa. Desta vez coloquei em prática o que aprendi na viagem à Europa e levei pouquíssima coisa, pois com 3 semanas teria que lavar roupa pelo caminho mesmo (airbnb com máquina de lavar). Viajamos de calça e levamos mais uma só. Um casaco mais forte, um calçado de inverno, um chinelo. Malhas, calcinha, cueca e meia levamos um pouco mais, umas 7-9 pra cada. Um gorro, luva e alguns lenços e cachecóis pra mudar a cor da foto, kkkkk, e pronto. Tb levei umas roupinhas mais leves pros Emirados, pq lá é sempre 40 graus! Nós aqui de casa viajamos com 2 malas de 23 kilos, mas um pouco vazias, e levei uma mala dentro da outra, então no total eu tinha 3 malas. Nossa franquia era de 2 malas pra cada um, então estávamos tranquilos. E na bagagem de mão uma mochila cada com uma troca de roupa, documentos e estas coisas. CHEGOU A HORA Ansiedade batendo a mil, no sábado, dia 25 de novembro de 2017, partimos de Londrina com direção a São Paulo, mas chegamos em Congonhas (cerca de 10 da manhã, passagem emitida com milhas) e fomos encontrar uma amiga pq nosso voo era só na madruga! Ficamos o dia todo zanzando com ela, tomamos um banho e da casa da Ari fomos pra GRU. Pontualmente à 01:25 do dia 26 de novembro, decolamos de A380 pra Dubai... No próximo post: Emirados Árabes Unidos! Chegada, aluguel do carro e a inacreditável terra dos Khalifas!
  4. Galera, abaixo meu relato da visita ao Zoo de Ueno em Tóquio (Tokyo). Foi fantástico conhecer a família de Pandas, mas também descobri 2 histórias tristes que assolam este zoo por causa do período da segunda guerra mundial. O post do blog onde vou atualizando sempre as informações está aqui: https://www.novocalculodarota.com.br/panda-zoo-ueno-tokyo/ O panda gigante de Tokyo ou melhor, a família de ursos panda gigantes que vivem no zoológico de Ueno são a principal atração deste zoo! Sou contra a exploração de qualquer tipo de animal, mas aqui a história é outra. O urso panda gigante esteve na lista de animais em risco de extinção por várias décadas e finalmente em 2016, graças a um grande esforço da China, o panda diminuiu seu real risco de extinção. Foi com o apoio dos chineses e as tentativas de procriação de pandas em cativeiro, que em 1972 os primeiros pandas gigantes vieram da China para o Ueno Zoo. O projeto é uma cooperação que envolve também o San Diego Zoo (Estados Unidos) e o Beijing Zoo (China – Pequim). Por um período, um único panda gigante habitava o Zoo de Ueno, Ling Ling viveu até seus 22 anos e foi também o mais velho panda gigante do Japão. Com sua morte em 2008, um casal de pandas passou a viver em Ueno. Ri Ri e Shin Shin chegaram ao zoológico em 2011 e são o grande charme desde então. Primeiro filhote de Panda a nascer no Zoológico de Ueno Em 12 de Junho de 2017, a população japonesa teve uma incrível notícia! O primeiro filhote de panda havia nascido e vingado no zoológico! Era uma linda filhote panda de panda que estava crescendo saudavelmente! Minha visita ao zoo foi em Agosto de 2017, então, o bebê panda ainda estava na “maternidade” numa área restrita junto com sua mãe Shin Shin. Apenas o Ri Ri, o pai orgulhoso estava na área aberta ao público: Ri Ri – O panda gigante de Ueno em Tokyo Um grande telão exibia videos e imagens da filhote para o público. Esta foi a foto que divulgaram para a imprensa da mais nova moradora: Foto da panda gigante Xiang Xiang ainda com 10 dias de vida em 2017 Shin Shin, a panda mãe, agora com 11 anos, perdeu em 2012 um filhote com apenas seis dias de vida. Foi tanta comoção com a nova filhote, que Zoo bateu recorde de visitação das últimas décadas. Houve até uma votação pública para decidir o nome da filhotinha. A bebê panda recebeu o nome de Xiang Xiang e em 2018 fará sua primeira aparição para o público. Mais sobre o Zoo de Ueno Inaugurado em 1882 é o mais antigo zoológico do Japão. Abriga hoje 3000 animais de 400 espécies diferentes. Visitei também a área dos pássaros, que é enorme e tenta recriar um espaço mais parecido possível com a natureza Pássaro azul no Zoo de Ueno Pássaro no Zoo de Ueno O panda Ri Ri é realmente um charme. Mas é um panda dos mais preguiçosos. Prepare-se para ficar horas ali torcendo para ele aparecer. Eu tirei quase 300 fotos antes de conseguir acertar esta fotografia abaixo. O panda gigante Ri Ri no Zoo de Ueno A impressão que dá é que ele fica entediado de ver tanta gente ali na frente do seu espaço. Até quando vai comer bambu o panda virava as costas pros visitantes (que nem foram convidados por ele). Será que estes bichinhos são felizes? Tenho sentimentos mistos quanto a isso. Os animais tem acompanhamento veterinário, ótimos cuidados, boa alimentação e limpeza excepcional. As jaulas ao longo do tempo foram substituídas por ambientes que tentam recriar seu habitat natural. Há muito estudo e profissionais envolvidos para cuidar do bem estar dos animais. Porém, eles não deixam de estarem presos e isso me incomoda. Não no caso do urso panda, que é criado em cativeiro na tentativa de preservação e a entidade tem um trabalho sério quanto a isso e a soltura de animais na natureza (na China). Por outro lado, se pensarmos, nós humanos também vivemos em escritórios fechados e comendo comida enlatada.. Temos nossa liberdade subtraída tendo que fugir dos bandidos que assolam as grandes metrópoles.. Não vi nenhum animal sofrendo maus tratos, como por exemplo, o absurdo do zoológico na Argentina que seda os tigres e leões para os turistas tirarem fotos. Um lugar destes eu tenho certeza que nunca visitaria – ou visitaria com o intuito de realizar um protesto. As vezes eu olhava para algum animal na sua jaula e tinha a impressão de que eram eles que tentavam observar o comportamento maluco dos humanos.. risos Ueno Zoo – De que lado da jaula estão os animais? O causo da Segunda Guerra com o Zoo de Ueno O lindo lugar que hoje abriga o panda, passou pela segunda guerra mundial e pelo menos 2 episódios tristes. Na época, por precaução os animais mais perigosos foram mortos para evitar que fugissem pelas ruas e causassem pânico na população. Mas, a tristeza não acaba aí. Como a imbecilidade humana não tem limites, em 1945 logo após o bombardeio em Tóquio, o soldado americano Ray “Hap” Halloran foi capturado e exposto nu na jaula do tigre no Zoo de Ueno. Assim, a população podia passar pela frente da jaula e ver o prisioneiro do avião B-29 utilizado nos bombardeios. Este episódio já foi superado e serviu inclusive de incentivo para a “reconciliação” entre as nações envolvidas. Ray foi devolvido para as tropas americanas e décadas depois inclusive visitou o Japão e reencontrou seus captores. Em 2011 ele faleceu aos 89 anos em sua terra natal.
×
×
  • Criar Novo...