Ir para conteúdo

Buenos Aires - 17/10 a 31/10 - Com fotos!!!


Posts Recomendados

  • Membros

Olá amigos mochileiros!!

 

Sei que já fez 1 mês que viajei, mas não tive tempo de vir aqui postar... minha vida após a viagem se resumiu em hospital, casa e trabalho... no relato explico o porquê.

 

Queria agradecer pirmeiramente a todos do fórum que me ajudaram a realizar essa viagem e uma outra que fiz e não voltei pra relatar (desculpa gente, mas a preguiça impera! ::lol4::::lol4:: )

 

Vamos ao que interessa então!!

Dia 17/10

Acordei (minto, mal durmi direito por conta das notícias que andavam circulando pelo site da globo.com) cedo e fui correndo para o aeroporto com meus pais. O aeroporto de Brasília estava o caos, vários vôos atrasados, alguns cancelados, ninguém sabia informar nada. Tudo bem, encarei uma fila gigantesca de check-in e quando chegou a minha vez o funcionário da Gol disse: "não estou conseguindo confirmar sua passagem, o sistema está travando, só um instante que vou verificar o que está havendo" e saiu, nessa hora eu pensei: Maldito Vulcão!!

O funcionário voltou e disse: "seu vôo foi cancelado por conta das cinzas do vulcão e será remarcado para amanhã e mesmo assim não é certeza que você consiga viajar amanhã". Fiquei trsite e desesperada, porque afinal eu estava perdendo meus preciosos dias de férias. Enfim, me conformei com a realidade e fui começar a minha via crucis no aeroporto. Anda pra um lado pra remarcar a passagem e não é lá, atravessa o aeroporto todo e também não é lá, volto pro balcão do check-in e também não é lá, até que descobri uma salinha mega escondida e sim, era lá! A atendente remarcou minha passagem mas comeu um dia da minha viagem e só fui me tocar disso quando cheguei em casa. Portanto gente: confiram tudo no bendito aeroporto, se não vão fazer como eu: ficar no telefone horas pra depois o cara dizer que só faz isso pela internet e ter que esperar sua vez na fila (tinha umas 200 pessoas na minha frente) pra ser atendida pela net!!!! ::essa::

Consegui resolver o perrengue pela net e consegui aumentar mais um dia da minha viagem!! ::hãã2::

 

Dia 18/10

Acordei sem muitas esperanças, achando que nem ia conseguir voar (no dia anterior vi muita gente pegando o dinheiro de volta ou indo de avião até o Sul e lá pegando um ônibus até Buenos Aires) e já me conformando em pegar meu dinheiro de volta. Quando cheguei no aeroporto a notícia era ótima: Vôos liberados para São Paulo e com previsão de chegarem a Buenos Aires no mesmo dia. Foi emoção, felicidade e empolgação! Eu e meu namorado nos despedimos dos meus pais e embarcamos felizes da vida!

Chegamos em São Paulo às 10:45, estava frio e nublado. O nosso vôo para a capital portenha era somente às 13:00, então resolvemos passear pelo aeroporto de Guarulhos... nunca tinha visto um aeroprto tão grande (o único aeroporto que eu conhecia e achava grande era congonhas ::mmm:)

Rodamos o aeroporto todo e fomos comer no Mcdonalds... aí me deu um estalo, já eram 12:40 e meu vôo era às 13!!! Saímos correndo pelo aeroporto, entramos na sala de embarque e fomos para o portão indicado no cartão de embarque... meu namorado achou estranho e foi perguntar, nosso vôo tinha mudado de portão e estava na última chamada (aquela que seu nome é dito no aeroporto e o pessoal da aeronave te odeio por isso), descemos as escadas correndo e embarcamos!! (Nem vi o free shop de guarulhos ::vapapu:: )

Chegamos em Buenos Aires (Aeroparque) às 15:00 (horário local), e fomos pro cercadinho da alfandega... como tinham 2 vôos na fila demoramos um pouco e começamos a ficar com medo!! Tinha uma senhora argentina no guichê perguntando para o casal de brasileiros por que eles não tinham preenchido a ficha de entrada no pais corretamente (essa ficha é entregue dentro do avião, nós não sabíamos como responder e o comissário de bordo também não ajudou muito, nessa hora deu medo do meu espanhol enferrujado!! ::lol4:: ) E o pior, o casal de senhores não entendiam o que ela falava e cada vez mais ela gritava mais alto, alto e alto!!! Pedi tanto a Deus pra não cair no guichê dela, AFINAL a louca aqui não tinha feito reserva em hotel/hostel nenhum!! Estávamos indo na cara e na coragem e confesso, nunca mais faço isso!!!!

Fomos para o guichê de um rapaz que nos atendeu muito bem e perguntou porque não colocamos o endereço do hotel na ficha, eu disse que não sabia, e ele pediu o nome e o endereço do hotel... meu namorado arregalou o olho e por sorte eu tinha anotado num bloquinho o endereço de um hostel pra porcurar lá na capital e passei o bloquinho pra ele... foi a nossa salvação!! Então gente, não viagem sem ter hotel, pois tudo o que você tiver que fazer na Argentina eles vão perguntar o nome e o endereço do hotel que você está hospedado!!

Passamos pela alfandega e entramos no maravilhoso mundo do free shop!!! Os olhinhos brilhavam de tanta emoção ::love::

Só comprei um creme, deixei o resto pra comprar na volta, mas pesquisei o preço de várias coisas e acabei esquecendo do tempo... ficamos 2 horas no free shop e não pegamos as malas!! ::hahaha:: Até que chegou uma funcionária da Gol e pediu que fossemos busca-las. Só a gente mesmo!

Trocamos 100,00 reais num banco que tinha lá, cotação péssimaaaaaaaa, 1,00 real valiam 1,87 pesos... mas isso era suficiente para o táxi e comermos algo. Pegamos um mapa no centro de informações ao turista (vai virar um quadro! ::lol3::) e passamos na lan house para avisarmos nossos pais que estávamos vivos e fui checar meu e-mail pra saber se algum hostel tinha confirmado minha reserva, mas nada!!

Pegamos o táxi umas 18:00, horário de pico em qualquer lugar do mundo... antes de você entrar no táxi ficam uns senhores que abrem as portas pra você, detalhe: tem que paga-los!! Como também não sabíamos o próprio taxista pagou e depois acrescentou o valor na corrida. O taxista era um velhinho de aparência simpática, mas falava palavrão a cada 2 segundos, aliás, se eu dirigisse em Buenos Aires eu só falaria palavrão, que trânsito doido!!!!! Logo na saída do aeroporto pegamos um engarrafamento enorrrrmeeee e não tinhamos andando nem 50 metros e o taxímetro já estavam em 40 pesos!! Terror e pânico, pois só tínhamos 187 pesos e não havia mais nenhuma casa de câmbio aberta a essa hora, meu namorado sugeriu que saíssemos do táxi e irmos andando até um outro lugar e pegar outro... nessa hora o tiozinho do táxi desceu do carro e correu até o carro que estava causando todo o engarrafamento e começou a discutir e xingar o cara.... juro que pensei que ele fosse apanhar, se fosse aqui no Brasil ele teria tomado um tiro do outro motorista e fim! Até que ele voltou pro carro e danou a buzinar... affffeeeee!!! Graças a Deus o senhor do outro carro resolveu sair do caminho e conseguimos pegar a via expressa. O taxista nos mostrou a "rocinha" deles, uma favela enorme que fica no caminho do aeroporto. Passamos por um pedágio, ele pagou e também acrescentou o valor na corrida. Confesso que meu desespero aumentava cada vez que eu via o taxímetro andar e quando via um pedágio... ainda bem que só passamos por um mesmo!!

Chegamos no hostel que estava anotado no meu bloquinho, a corrida deu 70 pesos já com os acréscimos, o taxista se despediu dizendo para termos cuidado na cidade! Entrei no hostel e só tinha vaga para quartos e banheiros compartilhados (confesso que ainda não estou pronta pra dividir banheiro com gente estranha), então fomos a outro hostel que eles indicaram... o hostel tava fechado (??)... seguimos descendo pela Hipólito Yrigoen e paramos numa lavanderia pra perguntar e ela disse para irmos para avenida de Mayo. Coisa linda de Deus você arrastando sua mala numa rua de paralelepípedos (sim, fui de mala porque na mochila não ia caber as muambas que eu ia comprar! ::lol4:: ). Chegamos na Av. Mayo e encontramos um hotel que tinha vaga, porém não tinha café-da-manhã e quando você viaja com o orçamento apertado um hotel com café-da-manhã faz toda a diferença e seu bolso agradece! Já estava perdendo as esperanças quando chegamos no Hostel Avenue: http://www.avenuehostel.com/es/index.html e graças a Deus tinha vaga!!!

Tomamos um bom banho (briguei até morrer com o chuveiro pois são duas torneiras e nunca conseguia acerta a agua quente com a fria... ou era um banho muito frio ou muito quente ::putz::) e fomos perguntar na recepção onde poderíamos cambiar nosso dinheiro e comer, ele disse que na Lavalle (fica a cinco quadras da Av. Mayo e uma quadra depois do obelisco) tem uma casa de Cambio que fica aberta até às 21:00, a Metropole e que na mesma rua poderíamos lanchar. Lá fomos nós, chegamos na casa de câmbio e a cotação estava 1,00 real - 1,98 pesos. Achei aquilo a maravilha e trocamos 200 reais e comemos no Mcdonalds... refri com pouco doce e muito gás, (não existe guaraná naquele país e quase tive um treco!!!) e os sanduiches são bem diferentes daqui, com exceção do Big Mac, Quarteirão e Chicken Junior... Barriga cheia, pé na estrada.... voltamos para o hotel e fomos dormir!

 

312079_267505376621204_100000852318388_735163_1722907452_n.jpg

Igreja na Lavalle

 

299245_267505219954553_100000852318388_735159_1933228118_n.jpg

Em breve num Mcdonalds perto de você!

 

319951_267505326621209_100000852318388_735162_1730995838_n.jpg

A cara não é das melhores

 

Dia 19/10

Acordamos, tomamos café (bem simples: pão com manteiga, suco de saquinho de laranja, sucrilhos, café, leite) e saímos atrás de uma agência do Banco do Brasil, porque eu achava que meu cartão estava bloqueado para uso internacional e nunca se sabe quando um imprevisto pode acontecer.

Andamos tanto que eu me sentia uma maratonista!! Pra casa pessoa que eu perguntava na rua, uma direção nova era dada! Até que eu cansei e fui perguntar para os guardinhas que ficam nas ruas e a resposta não foi nada animadora: Está muy lejo! Pegamos o metrô na Lavalle e descemos numa praça que eu não lembro o nome e andamos mais uns 10 minutos até chegar numa agência que tinha a bandeira BANELCO. O senhor a agência foi super atencioso, me explicou tudo: cotação, como usar a máquina, desbloquear o cartão (meu cartão tava desbloqueado desde fevereiro quando fui no paraguai ::putz:: ) e pronto, só precisava saber disso! Pense na raiva que meu namorado ficou, depois que fiz anda-lo meio mundo só pra perguntar, nem sacar dinheiro eu fui. Voltamos andando pela rua principal tirando algumas fotos:

 

296746_267505609954514_100000852318388_735168_621964787_n.jpg

Bar dos Piratas, fica na calle Marcelo T. de Alvear 401 - na mesma rua do BB

 

376200_281076945264047_100000852318388_776956_2126963094_n.jpg

Prédio da IBM

 

392006_281079655263776_100000852318388_776963_564932905_n.jpg

Banco da Nacion

 

Chegamos na casa Rosada e nos informamos sobre a visita guiada (domingos à partir das 11:00), tiramos algumas fotos e fomos na igreja onde estão os restos mortais do General San Martín

 

302518_281079685263773_100000852318388_776964_1801890643_n.jpg

Casa Rosada

 

314556_281080878596987_100000852318388_776966_1856217374_n.jpg

Praça dentro da casa rosada

 

376971_281080931930315_100000852318388_776967_506013625_n.jpg

 

303079_281080981930310_100000852318388_776968_44929603_n.jpg

 

316725_281081878596887_100000852318388_776969_2107917010_n.jpg

Igreja em San Martin

 

310502_281081995263542_100000852318388_776970_1738890905_n.jpg

Restos mortais do Genrela San Martin

 

Depois disso, descobrimos que a Av Mayo fica a 5 quadras da casa Rosada, dava pra ir a pé ao invés de pegar metrô! kkkkkkkkkkk

Almoçamos no Mcdonalds de novo e depois fomos andar na Calle Florida, olhar os preços, as coisas, as lojas e procurar a Sarmiento para cambiar mais dinheiro!!

Dessa vez cambiamos na Puente, a cotação estava ótima 1,00 real - 2,35 pesos... ai trocamos logo 1.000,00 reais pra não ficar todo dia indo na casa de câmbio e chamar a atenção de ladrões. Lembrete: sempre que for na casa de câmbio leve seu passaporte ou identidade e o nome e endereço do seu hotel, se não, nada feito!

Dinheiro trocado, voltamos para a Florida comprei umas besteirinhas até porque eu ainda tinha mais 11 dias de viagem e tinha que manter o controle!! Subimos pela Lavalle, comemos numa lanchonete do lado do Mcdonalds (era mais barato), mas nem matou a fome, fomos no carrefour (1 quadra do nosso hotel) e compramos um refri grande e batatinhas fritas, voltamos pro hotel e dormimos.

 

Dia 20/10

Acordamos, tomamos café e saímos de novo para a Lavalle (olhar todas as galerias, pois no dia anterior algumas já estavam fechadas) e Florida.

Almoçamos no Burger King, esse tem o cardápio mais parecido com o do Brasil

 

310551_267505496621192_100000852318388_735165_1033410670_n.jpg

Delivery lá é de bike!

 

294876_267505693287839_100000852318388_735170_1251777498_n.jpg

Whooper e Whooper duplo

 

314946_267505719954503_100000852318388_735171_439372010_n.jpg

Diferença do Refri "más grande" para o médio... e não, lá não tem refil ::bruuu::

 

316589_267505763287832_100000852318388_735172_735380267_n.jpg

A loja mais linda do Burger King que eu já vi!!

 

Depois fomos andar (meu namorado me odeia por faze-lo andar tanto! ::lol3:: ) e como estávamos muito cansados voltamos pro hotel de metrô (tem uma estação na porta do hotel). Tomamos banho e fomos comer do outro lado da Av. 9 de Julio! Descobrimos o super pancho, uma espécie de cachorro-quente argentino (6 pesos cada)

 

383223_281089858596089_100000852318388_776995_883710549_n.jpg

Super pancho!!! Virou nossa janta todos os dias!!! ::otemo::

 

Voltamos para o hotel e fomos dormir, afinal no próximo dia é de feira!!!

 

Mais tarde volto para terminar o relato! ::cool:::'>

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • 2 semanas depois...

Participe da conversa

Você pode postar agora e se cadastrar mais tarde. Se você tem uma conta, faça o login para postar com sua conta.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

×
×
  • Criar Novo...