Ir para conteúdo

Roteiro completo: BUENOS AIRES em seis dias, com Tigre e Colônia de Sacramento(Uruguai) inclusos


Robsonjt

Posts Recomendados

  • Membros

Prezados,

 

diante da grande massa de Brasileiros que vão à Argentina tendo, normalmente, como único destino, Buenos Aires, montei um roteiro bem legal baseado nas duas viagens que fiz à cidade Portenha, incluindo Tigre (pequena cidade ribeirinha e próxima e na região metropolitana de BsAs e Colônia de Sacramento, no Uruguai, que fica a uma hora de navio de Buenos. No roteiro tentei ser sucinto, explico questões de onde se hospedar, o que ver e por onde seguir.

 

Em primeiro lugar, fique tranquilo sobre a educação do povo argentino, já rodei por diversas cidades da Argentina e sempre fui muito bem tratado e atendido, é um povo educado, mas não trate com má educação, como por exemplo chamar um garçom assobiando, por exemplo, em vez de dizer “garçom”, pois será ignorado. Muitos brasileiros podem falar mal do argentino porque na verdade o brasileiro é que foi mal educado primeiro, como em outro exemplo: não dizer bom dia/tarde/noite antes mesmo de perguntar algo ou solicitar ajuda.

 

Primeiro dia chegada ao aeroporto-dinheiro-como chegar no hotel-onde se hospedar: Ao chegar pelo aeroporto Ezeiza ou Aeroparque, ignore as casas de câmbio nos corredor inicial e procure o Banco de La Nación Argentina, ou simplismente Banco La nación, é como se fosse o Banco do Brasil aqui no Brasil, eles tem a melhor taxa de câmbio entre Real e Peso, Dólar e Peso ou Euro e Peso. Não troque real por peso aqui no Brasil vai perder dinheiro e não precisa, pois independente do dia que você chegue e do horário, as agências do La Nación funcionam todos os dias. Lembre-se de procurar o guichê de apoio ao turista e arrume mapas da cidade com pontos de metro nomes das ruas e linhas de ônibus que ajudam muito.

 

Para ir até onde estiver hospedado, muito provavelmente no microcentro de Buenos Aires, procure ônibus, nos dois aeroportos existe a empresa Manoel Tienda león, onde se paga cerca de 80 pesos do Ezeiza para o centro (se fosse de taxi seria 230 pesos). Cuidado com os taxistas, podem te enrolar e devolver nota falsificada, visitei Buenos duas vezes, somando os dias foram 17 dias e só utilizei táxi em uma oportunidade porque o voo de retorno era de madrugada, tirando isso, dá pra rodar bem de ônibus, metrô (subte lá) e vais caminhar bastante.

 

ONDE FICAR: Bom no microcentro estão a maioria dos hóteis. Há hotéis também em Palermo, belo bairro, mas lá com certeza é bem caro, além de eu não achar muito coveninente para quem vai conhecer vários pontos da cidade, por isso prefira hóteis, hostels ou flats que estiverem umbicados (localizados) no microcentro. Eu fiquei nas duas oportunidades no Milhouse, muito legal, fiquei nas duas vezes no milhou-se da av. de mayo, super bem localizado, uma galera de clima super legal, o hostel mais divertido que fiquei até hoje, já foi considerado entre os melhores do mundo, ideal para solteiros pois rola balada dentro dele todos os dias (ou nele ou na filial na hipolito yrigoyen, uma rua bem próxima). Além o Milhouse tem um mapa com as linhas de metrô e ônibus que partem dele que é uma mão na roda.

 

Buenos Aires é uma cidade de bairros bem distintos e o turismo lá é feito passeando pelos melhores bairros e bairros com alguma atração turística, logo este roteiro informa os bairros que devem ser percorridos, divididos ao longo dos seis dias de turismo.

 

 

Primeiro dia MICROCENTRO: Se você chegar já de noite no primeiro dia da viagem, considere esse como o segundo dia do roteiro e assim por diante. Se você chegar ainda com o dia útil para curtir, faça este trajeto: Ir a Plaza de Mayo, na av. de mayo (super conhecida e no centro) bela praça onde está a Casa Rosada(visitas guiadas de segunda a sexta 11:15-14:15, levar documento de identidade que ficará retido na entrada) Numa entrada lateral está o Museo de la casa rosada, de seg-sex 10h-18h, domingo 14h-18h que tem uma boa visão da história argentina. Cabildo (o único prédio colonial existente- dentro há o museu de artefatos históricos, de ter-sab12:30h-19h, dom 13h-19h, à direita fica a Catedral Metropolitana (seg-sex 8h-17h, Sab 9h-12:30h e 17h-19:30h, dom 9h:14h e 16h-19:30h, dentro da Catedral está o Mausoléu de San Martín, o libertador da Argentina e do Chile). Percorrer a Av de Mayo até a outra extremidade da avenida, lá está a plaza del congreso com visitas guiadas e o Monumento a los dos Congresos. Na av. Currientes deve ser percorrida, é onde encontraremos, no n. 1.500 o Teatro San Martín, na parte de trás do teatro há uma galeria com exposição de fotógrafos locais. No mesmo prédio o Centro Cultural San Martín que no 9 andar possui um museo com arte moderna argentina, lá perto está o Obelisco. Entre as ruas libertad e tacahuano na Plaza lavalle fica o Teatro Colón(visitas guiadas de seg-sex 11h-16h de hora em hora).

 

Caminhando 5 quadras a partir do teatro colón se chega na calle florida, a galerias pacífico(shopping com uma fachada linda) no seu 1 andar oferece o centro cultural Borges (seg-sab 10h-21h e dom 12h-21h), na calla florida tem muitas lojas para comprar aquele casaco para quem como eu nunca leva. Não são os melhores preços da cidade, é meio “pega-turista”, mas não me incomodei pois ir à Buenos Aires está longe de ser turismo de compra. Depois de vasculhar as lojas em busca de algo legal e no preço procure na av de mayo o café tortoni bela cafeteria centenária, onde Vinicius de Moares vivia tomando um café quando era Diplomata no Uruguai tome um café, se for pedir um kit com torrada e outros peça apenas um e divida com outra pessoa porque você vai notar, todos os pratos são muito bem servidos na argentina. Vá até a avenida 9 de julio, a avenida mais larga do planeta com 140 metros de largura, o obelisco (é no encontro desta avenida com a currientes). Tudo isto a pé vc vai andar uns 12 km, mas dá pra fazer caminhando tranquilamente num dia, nós andamos a metade disso em hipermercados, então: faça a pé! volte jante perto do hotel e vá dormir pq já são umas oito da noite. Se não conseguir fazer isso tudo no dia que chegou pare e continue de onde parou no dia seguinte. O centro de Buenos vale muito apena ser bem conhecido, pois se trata de uma arquitera francesa do século XIX, lembra muito alguns pontos do Centro do Rio só que mais conservado.

 

Lembrete: Quando for na calle florida em sua extremidade (sentido contrário a av de mayo) está a Plaza san Martín, é o início do bairro retiro é ponto de chegada dos ônibus que servem o aeroporto, esta plaça além de um belo exemplo de praça arborizado é onde está o Palácio san Martín. A 3 quadras da praça está o museu de arte hispano-americana Isaac Fernandez Blanco (ter-dom 14h-19h).

 

Segundo dia: PALERMO E RECOLETA: vá para o bairro de Palermo. Como: pegue o metro (subte) onde estiver, integre a linha D, na D vá até a estação PLAZA ITALIA. saia da estação olhe ao redor e siga na direção da plaza italia, cortando-a na direção das praças e parques do bairro, que é muito bonito. Lá procure o JARDÍN JAPONÉS, JANDÍN BOTANICO E JARDÍN ZOOLÓGICO. Curta as praças e grandes áreas gramadas do bairro enquanto procura estes 3 pontos, todos eles só abrem às 10 da manhã por isso, só saia do hotel para o metro perto de 9:30.

 

Depois do jardim japonês procure (numa das ruas que o limita a parada do colectivo (ônibus) de número sesenta e siete na direção do bairro RECOLETA, peça para parar no na parada do MUSEO NACIONAL DE BELLAS ARTES Vá ao museu e curta também as grandes praças como a PRAZA FRANCIA, atravesse a rua e vá ao BUENOS AIRES DESIGN. agora vá ao CEMENTERIO DE LA RECOLETA, um belo cemitério, vá até o tumulo de evita perón e da menina que supostamente foi enterrada viva, dentre outras estórias/histórias macabras deste belo cemitério, procure se juntar ao grupo que estiver com algum guia do cemitério mesmo, há vários, tem um velhinho da boca torna que usa sempre bóina que conta as estórias devagar e com muita entonação, até quem não fala espanhol entende bem e fica admirado com os contos do cemitério, contados com dramaticidade por aquele artista. Saia do cemitério e vá até procura de la parada del colectivo cincuenta y nueve. Desça próximo ao seu hotel que é no microcentro e este ônibus atravessa o microcentro paralelo ao mar e na mediana do bairro procure pontos de referência próximo ao seu hotel/hostel na tes de sair dele.

 

 

Terceiro Dia: Cidade de TIGRE: pegue o metro, linha C na direção de la estación RETIRO, pegue o trem en direción a la ciudad del TIGRE será a última parada do trem, todos os turistas descerão lá também, caminhe bastante nesta cidade que é muito bela, apesar de próxima de Buenos Aires é balneário dos argentinos abastardos, pois praias ficam a 400 km de Buenos Aires, faça o passeio de barco pelo rio o completo, é caro mas vale a pena. tem um centro de frutas e um cassino aberto a visitação, mas se ocupe de caminhar pelas ruas e do passeio no rio, volte pelo TREM DE LA COSTA turístico que faz um passeio por um caminho muito bonito você paga e pode ir descendo em todas as estações, desça na estação SAN ISIDRO e vá ate a igreja de SAN ISIDRO é muito bonita em estilo gótico. Volte para a parada do trem e siga em retorno para Buenos.

 

Quarto dia PUERTO MADERO - LA BOCA E CAMINITO: acorde cedo saia 8 da manhã pegue o metro, para linha B desça na estação L.N. ALEM, caminhe em direção ao BUQUEBUS (pergunte ao passantes, é um terminal de venda de passagens de navio) chegue no buquebus, a partir dele caminhe na direção das pontes, estas em puerto madero lá tem a PUENTE DE LA MUJER e uns cafés e restaurantes pra degustar e conhecer, caminhe por toda a extensão até os CINES PUERTO MADERO, atravesse a última ponte (R. Vera Peñaloza) estas no bairro SAN TELMO, tem uma feira famosa SE PUDER DEIXE ESTE ROTEIRO DO DIA 5 PARA DOMINGO PORQUE A FEIRA ESTÁ COMPLETA, conheça também El DESNÍVEL no bairro. depois de comprar sua lembrança e dos amigos e parentes na feirinha, procure a parada do colectivo sesenta y cuatro em direção ao CAMINITO desça lá conheça as 3 ruas coloridas, não aceite convite para entrar nos bares que são pega turista todos eles (muito caro mesmo), tire uma foto com um dançarino(a) de tango e volte pelo mesmo colectivo até o microcentro você já estará reconhecendo as ruas, desça próximo ao hotel.

 

Quinto dia SAN TELMO E MONTSERRAT: Montserrat: Começar pela calle defensa até a esquina Alsina onde está a Igreja de São Francisco (seg-sex 6:30h-12h e 16:30-19h, Sab 7:30h-11h e 16:30-19h, dom 7:30h-11h), a meio quarteirão fica o museu da cidade, na Alsina 412 (seg-sex 11h-19h, dom 15h-19h). No quarteirão da Alsina, peru, moreno e bolivar, situa-se o complexo Manzana de las luces (visitas guiadas são agendadas na peru 272, diariamente 15h, Sab e dom 15h, 16:30h e 18h, $2) neste complexo a Igreja de Santo Inácio (seg-sex 8h-13:30h e 17h-20:30h, Sab e dom 8h-13:30h) a mais antiga de Buenos Aires, o colégio Nacional e o Museu Etnográfico Juan Bautista Ambrosetti (qua 14:30h-18:30 e Sab e dom 15:30h-17h; $1).

San Telmo: apesar de ir a feira, vale a pena passar pelo bairro sem ela para curtir as ruas e fachadas decoradas de pedras por todo o bairro que é um dos mais antigos da cidade a calle defensa também atravessa o bairro no seu coração em direção ao parque Lezama, no fim da pasaje san Lorenzo uma estreita travessa da defensa, entre a chile e a independencia, estão varias casas de tango, ou tanguerías, na esquina da independência com a balcarce está a mais famosa El viejo Almacén, seguindo pela defensa chega-se a plaza dorrego a principal praça do bairro cercada por casarões e a que recebe a feirinha de san telmo aos domingos, uma feira de artesanías e antiguidades. Partindo da praça dorrego para o sul chega-se à pasaje de La defensa que no n.1.179, há uma residência do sec. 19 reformada, que abriga antiquários e cafés em seu interior. Mais a frente na av. san Juan, n.350 está o Museu de Arte Moderna da cidade (ter-sex 10h:18h e Sab-dom 11h-20h) mais 3 quadras para o sul chega-se ao parque lezama (um dos parques mais belos e valorizados da cidade). Dentro do parque entrando pela defensa n.1.600 está o Museu Histórico Nacional (ter-sex 11h-14h Sab 15h-18h, dom 14h-18h), o ponto alto do museu é a tarja de potosí.

 

Obs. : se quiser ver um grande show de tango procure pelo SEÑOR TANGO que é um senhor tango, custa caro de 300 a 600 pesos contratados pela internet e a própria organização do show passa nos hóteis pegando quem contrata.

 

Sexto dia: Colônia de Sacramento (Uruguai): Indo ao mesmo Buquebus informado no roteiro do quarto dia você compra na hora passagem de navio para ir a Colônia de Sacramento, há outras empresas que fazem o trajeto cobrando menos como a Colônia Express (loja na av. currientes) e Seacat (loja no próprio terminal), pesquise pela internet. As duas últimas são mais baratas e mais rápidas que o buquebus, já buquebus é mais caro mas tem dutyfree dentro do navio pra quem interessar, além da conveniência de vender já no terminal, a diferença de preço pode ser consultada pelos sites dessas empresas na internet. Em Colônia, no próprio terminal procure o guichê de apoio ao turista pegue informações e mapas do sítio histórico que fica do lado do terminal, você vai caminhando, lá caminhe costurando todas as ruas do pequeno sítio histórico que é bonito e bem preservado, depois pegue um transporte ônibus ou taxi e desça até a cidade, conheça a praia e escolha algum restaurante pra comer. Obs.: Quando comprar sua passagem de ida, compra já o retorno para o final do dia (algo entre 17:30 às 20:00) porque em Colônia uma manhã para o sítio histórico e uma tarde para a parte da prainha e restaurantes já basta.

  • Gostei! 1
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • 3 semanas depois...
  • Membros
Prezados,

 

diante da grande massa de Brasileiros que vão à Argentina tendo, normalmente, como único destino, Buenos Aires, montei um roteiro bem legal baseado nas duas viagens que fiz à cidade Portenha, incluindo Tigre (pequena cidade ribeirinha e próxima e na região metropolitana de BsAs e Colônia de Sacramento, no Uruguai, que fica a uma hora de navio de Buenos. No roteiro tentei ser sucinto, explico questões de onde se hospedar, o que ver e por onde seguir.

 

Em primeiro lugar, fique tranquilo sobre a educação do povo argentino, já rodei por diversas cidades da Argentina e sempre fui muito bem tratado e atendido, é um povo educado, mas não trate com má educação, como por exemplo chamar um garçom assobiando, por exemplo, em vez de dizer “garçom”, pois será ignorado. Muitos brasileiros podem falar mal do argentino porque na verdade o brasileiro é que foi mal educado primeiro, como em outro exemplo: não dizer bom dia/tarde/noite antes mesmo de perguntar algo ou solicitar ajuda.

 

Primeiro dia chegada ao aeroporto-dinheiro-como chegar no hotel-onde se hospedar: Ao chegar pelo aeroporto Ezeiza ou Aeroparque, ignore as casas de câmbio nos corredor inicial e procure o Banco de La Nación Argentina, ou simplismente Banco La nación, é como se fosse o Banco do Brasil aqui no Brasil, eles tem a melhor taxa de câmbio entre Real e Peso, Dólar e Peso ou Euro e Peso. Não troque real por peso aqui no Brasil vai perder dinheiro e não precisa, pois independente do dia que você chegue e do horário, as agências do La Nación funcionam todos os dias. Lembre-se de procurar o guichê de apoio ao turista e arrume mapas da cidade com pontos de metro nomes das ruas e linhas de ônibus que ajudam muito.

 

Para ir até onde estiver hospedado, muito provavelmente no microcentro de Buenos Aires, procure ônibus, nos dois aeroportos existe a empresa Manoel Tienda león, onde se paga cerca de 80 pesos do Ezeiza para o centro (se fosse de taxi seria 230 pesos). Cuidado com os taxistas, podem te enrolar e devolver nota falsificada, visitei Buenos duas vezes, somando os dias foram 17 dias e só utilizei táxi em uma oportunidade porque o voo de retorno era de madrugada, tirando isso, dá pra rodar bem de ônibus, metrô (subte lá) e vais caminhar bastante.

 

ONDE FICAR: Bom no microcentro estão a maioria dos hóteis. Há hotéis também em Palermo, belo bairro, mas lá com certeza é bem caro, além de eu não achar muito coveninente para quem vai conhecer vários pontos da cidade, por isso prefira hóteis, hostels ou flats que estiverem umbicados (localizados) no microcentro. Eu fiquei nas duas oportunidades no Milhouse, muito legal, fiquei nas duas vezes no milhou-se da av. de mayo, super bem localizado, uma galera de clima super legal, o hostel mais divertido que fiquei até hoje, já foi considerado entre os melhores do mundo, ideal para solteiros pois rola balada dentro dele todos os dias (ou nele ou na filial na hipolito yrigoyen, uma rua bem próxima). Além o Milhouse tem um mapa com as linhas de metrô e ônibus que partem dele que é uma mão na roda.

 

Buenos Aires é uma cidade de bairros bem distintos e o turismo lá é feito passeando pelos melhores bairros e bairros com alguma atração turística, logo este roteiro informa os bairros que devem ser percorridos, divididos ao longo dos seis dias de turismo.

 

 

Primeiro dia MICROCENTRO: Se você chegar já de noite no primeiro dia da viagem, considere esse como o segundo dia do roteiro e assim por diante. Se você chegar ainda com o dia útil para curtir, faça este trajeto: Ir a Plaza de Mayo, na av. de mayo (super conhecida e no centro) bela praça onde está a Casa Rosada(visitas guiadas de segunda a sexta 11:15-14:15, levar documento de identidade que ficará retido na entrada) Numa entrada lateral está o Museo de la casa rosada, de seg-sex 10h-18h, domingo 14h-18h que tem uma boa visão da história argentina. Cabildo (o único prédio colonial existente- dentro há o museu de artefatos históricos, de ter-sab12:30h-19h, dom 13h-19h, à direita fica a Catedral Metropolitana (seg-sex 8h-17h, Sab 9h-12:30h e 17h-19:30h, dom 9h:14h e 16h-19:30h, dentro da Catedral está o Mausoléu de San Martín, o libertador da Argentina e do Chile). Percorrer a Av de Mayo até a outra extremidade da avenida, lá está a plaza del congreso com visitas guiadas e o Monumento a los dos Congresos. Na av. Currientes deve ser percorrida, é onde encontraremos, no n. 1.500 o Teatro San Martín, na parte de trás do teatro há uma galeria com exposição de fotógrafos locais. No mesmo prédio o Centro Cultural San Martín que no 9 andar possui um museo com arte moderna argentina, lá perto está o Obelisco. Entre as ruas libertad e tacahuano na Plaza lavalle fica o Teatro Colón(visitas guiadas de seg-sex 11h-16h de hora em hora).

 

Caminhando 5 quadras a partir do teatro colón se chega na calle florida, a galerias pacífico(shopping com uma fachada linda) no seu 1 andar oferece o centro cultural Borges (seg-sab 10h-21h e dom 12h-21h), na calla florida tem muitas lojas para comprar aquele casaco para quem como eu nunca leva. Não são os melhores preços da cidade, é meio “pega-turista”, mas não me incomodei pois ir à Buenos Aires está longe de ser turismo de compra. Depois de vasculhar as lojas em busca de algo legal e no preço procure na av de mayo o café tortoni bela cafeteria centenária, onde Vinicius de Moares vivia tomando um café quando era Diplomata no Uruguai tome um café, se for pedir um kit com torrada e outros peça apenas um e divida com outra pessoa porque você vai notar, todos os pratos são muito bem servidos na argentina. Vá até a avenida 9 de julio, a avenida mais larga do planeta com 140 metros de largura, o obelisco (é no encontro desta avenida com a currientes). Tudo isto a pé vc vai andar uns 12 km, mas dá pra fazer caminhando tranquilamente num dia, nós andamos a metade disso em hipermercados, então: faça a pé! volte jante perto do hotel e vá dormir pq já são umas oito da noite. Se não conseguir fazer isso tudo no dia que chegou pare e continue de onde parou no dia seguinte. O centro de Buenos vale muito apena ser bem conhecido, pois se trata de uma arquitera francesa do século XIX, lembra muito alguns pontos do Centro do Rio só que mais conservado.

 

Lembrete: Quando for na calle florida em sua extremidade (sentido contrário a av de mayo) está a Plaza san Martín, é o início do bairro retiro é ponto de chegada dos ônibus que servem o aeroporto, esta plaça além de um belo exemplo de praça arborizado é onde está o Palácio san Martín. A 3 quadras da praça está o museu de arte hispano-americana Isaac Fernandez Blanco (ter-dom 14h-19h).

 

Segundo dia: PALERMO E RECOLETA: vá para o bairro de Palermo. Como: pegue o metro (subte) onde estiver, integre a linha D, na D vá até a estação PLAZA ITALIA. saia da estação olhe ao redor e siga na direção da plaza italia, cortando-a na direção das praças e parques do bairro, que é muito bonito. Lá procure o JARDÍN JAPONÉS, JANDÍN BOTANICO E JARDÍN ZOOLÓGICO. Curta as praças e grandes áreas gramadas do bairro enquanto procura estes 3 pontos, todos eles só abrem às 10 da manhã por isso, só saia do hotel para o metro perto de 9:30.

 

Depois do jardim japonês procure (numa das ruas que o limita a parada do colectivo (ônibus) de número sesenta e siete na direção do bairro RECOLETA, peça para parar no na parada do MUSEO NACIONAL DE BELLAS ARTES Vá ao museu e curta também as grandes praças como a PRAZA FRANCIA, atravesse a rua e vá ao BUENOS AIRES DESIGN. agora vá ao CEMENTERIO DE LA RECOLETA, um belo cemitério, vá até o tumulo de evita perón e da menina que supostamente foi enterrada viva, dentre outras estórias/histórias macabras deste belo cemitério, procure se juntar ao grupo que estiver com algum guia do cemitério mesmo, há vários, tem um velhinho da boca torna que usa sempre bóina que conta as estórias devagar e com muita entonação, até quem não fala espanhol entende bem e fica admirado com os contos do cemitério, contados com dramaticidade por aquele artista. Saia do cemitério e vá até procura de la parada del colectivo cincuenta y nueve. Desça próximo ao seu hotel que é no microcentro e este ônibus atravessa o microcentro paralelo ao mar e na mediana do bairro procure pontos de referência próximo ao seu hotel/hostel na tes de sair dele.

 

 

Terceiro Dia: Cidade de TIGRE: pegue o metro, linha C na direção de la estación RETIRO, pegue o trem en direción a la ciudad del TIGRE será a última parada do trem, todos os turistas descerão lá também, caminhe bastante nesta cidade que é muito bela, apesar de próxima de Buenos Aires é balneário dos argentinos abastardos, pois praias ficam a 400 km de Buenos Aires, faça o passeio de barco pelo rio o completo, é caro mas vale a pena. tem um centro de frutas e um cassino aberto a visitação, mas se ocupe de caminhar pelas ruas e do passeio no rio, volte pelo TREM DE LA COSTA turístico que faz um passeio por um caminho muito bonito você paga e pode ir descendo em todas as estações, desça na estação SAN ISIDRO e vá ate a igreja de SAN ISIDRO é muito bonita em estilo gótico. Volte para a parada do trem e siga em retorno para Buenos.

 

Quarto dia PUERTO MADERO - LA BOCA E CAMINITO: acorde cedo saia 8 da manhã pegue o metro, para linha B desça na estação L.N. ALEM, caminhe em direção ao BUQUEBUS (pergunte ao passantes, é um terminal de venda de passagens de navio) chegue no buquebus, a partir dele caminhe na direção das pontes, estas em puerto madero lá tem a PUENTE DE LA MUJER e uns cafés e restaurantes pra degustar e conhecer, caminhe por toda a extensão até os CINES PUERTO MADERO, atravesse a última ponte (R. Vera Peñaloza) estas no bairro SAN TELMO, tem uma feira famosa SE PUDER DEIXE ESTE ROTEIRO DO DIA 5 PARA DOMINGO PORQUE A FEIRA ESTÁ COMPLETA, conheça também El DESNÍVEL no bairro. depois de comprar sua lembrança e dos amigos e parentes na feirinha, procure a parada do colectivo sesenta y cuatro em direção ao CAMINITO desça lá conheça as 3 ruas coloridas, não aceite convite para entrar nos bares que são pega turista todos eles (muito caro mesmo), tire uma foto com um dançarino(a) de tango e volte pelo mesmo colectivo até o microcentro você já estará reconhecendo as ruas, desça próximo ao hotel.

 

Quinto dia SAN TELMO E MONTSERRAT: Montserrat: Começar pela calle defensa até a esquina Alsina onde está a Igreja de São Francisco (seg-sex 6:30h-12h e 16:30-19h, Sab 7:30h-11h e 16:30-19h, dom 7:30h-11h), a meio quarteirão fica o museu da cidade, na Alsina 412 (seg-sex 11h-19h, dom 15h-19h). No quarteirão da Alsina, peru, moreno e bolivar, situa-se o complexo Manzana de las luces (visitas guiadas são agendadas na peru 272, diariamente 15h, Sab e dom 15h, 16:30h e 18h, $2) neste complexo a Igreja de Santo Inácio (seg-sex 8h-13:30h e 17h-20:30h, Sab e dom 8h-13:30h) a mais antiga de Buenos Aires, o colégio Nacional e o Museu Etnográfico Juan Bautista Ambrosetti (qua 14:30h-18:30 e Sab e dom 15:30h-17h; $1).

San Telmo: apesar de ir a feira, vale a pena passar pelo bairro sem ela para curtir as ruas e fachadas decoradas de pedras por todo o bairro que é um dos mais antigos da cidade a calle defensa também atravessa o bairro no seu coração em direção ao parque Lezama, no fim da pasaje san Lorenzo uma estreita travessa da defensa, entre a chile e a independencia, estão varias casas de tango, ou tanguerías, na esquina da independência com a balcarce está a mais famosa El viejo Almacén, seguindo pela defensa chega-se a plaza dorrego a principal praça do bairro cercada por casarões e a que recebe a feirinha de san telmo aos domingos, uma feira de artesanías e antiguidades. Partindo da praça dorrego para o sul chega-se à pasaje de La defensa que no n.1.179, há uma residência do sec. 19 reformada, que abriga antiquários e cafés em seu interior. Mais a frente na av. san Juan, n.350 está o Museu de Arte Moderna da cidade (ter-sex 10h:18h e Sab-dom 11h-20h) mais 3 quadras para o sul chega-se ao parque lezama (um dos parques mais belos e valorizados da cidade). Dentro do parque entrando pela defensa n.1.600 está o Museu Histórico Nacional (ter-sex 11h-14h Sab 15h-18h, dom 14h-18h), o ponto alto do museu é a tarja de potosí.

 

Obs. : se quiser ver um grande show de tango procure pelo SEÑOR TANGO que é um senhor tango, custa caro de 300 a 600 pesos contratados pela internet e a própria organização do show passa nos hóteis pegando quem contrata.

 

Sexto dia: Colônia de Sacramento (Uruguai): Indo ao mesmo Buquebus informado no roteiro do quarto dia você compra na hora passagem de navio para ir a Colônia de Sacramento, há outras empresas que fazem o trajeto cobrando menos como a Colônia Express (loja na av. currientes) e Seacat (loja no próprio terminal), pesquise pela internet. As duas últimas são mais baratas e mais rápidas que o buquebus, já buquebus é mais caro mas tem dutyfree dentro do navio pra quem interessar, além da conveniência de vender já no terminal, a diferença de preço pode ser consultada pelos sites dessas empresas na internet. Em Colônia, no próprio terminal procure o guichê de apoio ao turista pegue informações e mapas do sítio histórico que fica do lado do terminal, você vai caminhando, lá caminhe costurando todas as ruas do pequeno sítio histórico que é bonito e bem preservado, depois pegue um transporte ônibus ou taxi e desça até a cidade, conheça a praia e escolha algum restaurante pra comer. Obs.: Quando comprar sua passagem de ida, compra já o retorno para o final do dia (algo entre 17:30 às 20:00) porque em Colônia uma manhã para o sítio histórico e uma tarde para a parte da prainha e restaurantes já basta.

 

Excelente seu roteiro, cara. Vai me ajudar mto, pois estou indo pra cidade em 10 dias.

 

Agora, você acha que dá pra ir do Aeroparque à Recoleta, de ônibus? Chegarei e estava pensando em pegar um taxi desse Manoel Tiend León, 96 pesos... mas, se puder economizar, é sempre bom né.

 

Qual estava a cotaçaõ do dólar no Banco de La Nación? Li um pessoal que conseguiu até incríveis 6,20 pesos por dólar! Meu receio são as malditas notas falsas por lá.

 

E vc acha que, com 1.200 dólares, dá pra um casal passar 7 dias na cidade? O preço da hospedagem já está pago por fora.

 

Abs!

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros

DonGiglio,

 

primeiramente obrigado pelo elogio. Não esqueça de me avaliar :P

 

Seguem as respostas:

 

Agora, você acha que dá pra ir do Aeroparque à Recoleta, de ônibus? Chegarei e estava pensando em pegar um taxi desse Manoel Tiend León, 96 pesos... mas, se puder economizar, é sempre bom né.

 

Qual estava a cotaçaõ do dólar no Banco de La Nación? Li um pessoal que conseguiu até incríveis 6,20 pesos por dólar! Meu receio são as malditas notas falsas por lá.

 

Resposta: levei reais, em abril 2011 cada real valia 2,49 em agosto 2012 valia 2,07. Troque no la Nación (no banco não há a menor possibilidade de te darem nota falsa (só quem pode te dar nota falsa lá é taxista - prefira os taxistas que trabalham na radio-taxi) e o este banco é com certeza a melhor cotação para qualquer moeda, se encontrar cotação melhorem outro lugar pode desconfiar das notas.

 

E vc acha que, com 1.200 dólares, dá pra um casal passar 7 dias na cidade? O preço da hospedagem já está pago por fora.

 

Se o casal não for gastador está ok, e se de repente, precisar mais dinheiro, você consegue sacar nos caixas eletrônicos de quase todos os bancos da rede banelco(cartões do banco do brasil por exemplo sacam normal neles, banelco não é o nome de um banco, mas como se fosse uma marca de ATMs de lá , na taxa de cãmbio excelente (foi até um pouco melhor que o la nacion, por causa da variação do dia), me lembro que saquei normal no banco galícia e não sacada com meus cartóes no banco provincia. Mas se paga uma taxa fixa (17 pesos na época, o caixa eletronico avisa antes o valor da taxa). Aproveite e trafegue de ônibus e subte(metrô) evite táxi.

 

Sugiro quando chegar ao Aeroparque, procurar o auxílio de turista no aeroporto e questionar se há ônibus para a recoleta (acredito que não há).

 

Espero ter ajudado, qualquer dúvida poste aqui

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • 8 meses depois...

Participe da conversa

Você pode postar agora e se cadastrar mais tarde. Se você tem uma conta, faça o login para postar com sua conta.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

×
×
  • Criar Novo...