Ir para conteúdo
Entre para seguir isso  
Augusto

Caminhada ao topo dos Picos do Baepi e do São Sebastião -Ilhabela

Posts Recomendados

598dd34aa94b7_004-JorgeeaMarcia.JPG.f9582bbdc28107451787b9830705f730.JPGOi pessoal.

 

 

Aqui é um relato da subida desses dois picos, localizados em Ilhabela.

Estavam comigo a Márcia, o Jorge Soto e o Eric. Os 2 picos fizemos em 3 dias (01, 02 e 03 de Novembro).

Tivemos sorte porque pegamos dias de muita chuva, mas que só ocorriam durante a noite.

Durante o dia a caminhada era sempre com Sol castigando.

O acesso ao Pico do Baepi é por trilha bem demarcada e sem problemas de navegação.

Já o acesso ao Pico São Sebastião é bem mais difícil.

Em vários trechos a trilha se fechou, por isso não recomendo para qualquer pessoa.

 

Fotos da subida desse dois picos + imagens do Google Earth:

 

Alguns dias antes do feriado de Finados, o Jorge Soto me pediu algumas informações sobre o Pico de São Sebastião, em Ilhabela e como eu já estive lá no início de 2000, disse que não sabia como estava a trilha, mas que era fácil encontrá-la.

Nessa época eu tinha me perdido a cerca de 300 mts antes do topo, mas que tinha encontrado a trilha para subida depois de uma procura incessante.

Passei algumas infos de como chegar no início da trilha desse pico e do Baepi (esse já tinha ido 2x).

Depois disso o Jorge mandou o convite para uma lista de trekking, da qual faço parte e eu disse que até iria, mas que dispunha somente da Quinta, Sexta e Sábado (dias 01, 02 e 03), pois no Domingo eu teria de trabalhar.

 

Ficamos aguardando outras pessoas confirmarem a subida para o dia 02, mas como ninguém quis ir (só o Eric e a Márcia planejamos sair na Quinta pela manhã, subindo o Pico do Baepi no mesmo dia e no dia seguinte fazer o Pico do São Sebastião.

Era meio loucura subir um pico de pouco mais de 1000 metros em cerca de 5 horas direto e no dia seguinte fazer a outra subida do São Sebastião com altitude de + - 1350 mts em apenas 1 dia também.

E isso sem saber como estava a trilha. Eu e o Jorge aguentamos qualquer parada, então topamos na hora.

O desafio maior seria da Márcia, que no final até que se comportou bem e o Eric, que iria nos acompanhar. E lá fomos nós.

No dia 01/11 (Quinta) eu e a Márcia acordamos pouco depois das 04:00 hrs da manhã porque tínhamos passagens marcadas para o horário das 06:00 hrs, chegando em Ilhabela por volta das 09h30min e na Rodoviária do Tietê encontramos o Jorge.

598dd34aa94b7_004-JorgeeaMarcia.JPG.f9582bbdc28107451787b9830705f730.JPG

 

A viagem foi tranquila e com alguns assentos vazios.

Só iríamos encontrar o Eric lá na balsa, em São Sebastião.

O acesso à trilha do Pico do Baepi passa próximo a sede do PE Ilhabela e eu sabia que eles poderiam criar problemas para quem sobe sem acompanhamento guia, mas por relatos recentes de quem foi para lá, isso mudou. Atualmente o Parque está até sinalizando a trilha.

 

598dd34ab5783_006-JorgeeoEric.JPG.6aaec1d28e273401efdf07c8db30ff59.JPG

Ao descermos da balsa, tomamos o ônibus que seguia para o centro de Ilhabela e assim que ele chegou na Praia de Itaguaçu, ao lado da Igreja Assembleia de Deus, descemos.

598dd34aed322_013-Estamosnaaltitudedonveldomar.JPG.c7584e35a1417e141e008ddc89005776.JPG

598dd34acc9c0_012-Aquidescemosdoonibuseiniciamosasubida.JPG.621fba374de98177ef9a24c012badcce.JPG

 

Era pouco depois das 10h40min e aqui tomamos a rua que sai da praia e se inicia ao lado dessa Igreja e sempre subindo, a rua segue morro acima, passando próximo a sede do PE.

A rua que sobe até o início da trilha é a Morro da Cruz e tem um trecho muito íngreme logo depois de passar pela sede do PE e algumas vezes tivemos que parar para recuperar o fôlego, pois todos os 4 estavam com mochilas cargueiras.

598dd34b0323b_015-Subidaingreme.JPG.d2dfe4446e536ee1c6dffda0c2146f95.JPG

598dd34b0d8c7_018-Ruadeparalelepipedos.jpg.925b7ba1d3d12200c27b5224ecf3896b.jpg

 

Passamos ao lado de 2 reservatórios da SABESP e aqui é o único ponto de água de toda a subida (pegue água aqui ou vai ter problemas).

A estrada continua subindo e logo passa a ser de terra e termina em frente a uma área de vegetação baixa.

Aqui existe uma trilha que sobe o barranco da direta (que deve levar a alguma cachoeira) e outra que segue em frente.

Para seguir para o Baepi é só ir em frente, passando ao lado de uma cerca de arame (que marca a altitude de 200 mts e a partir daqui você está entrando na área do PE).

598dd34b193ea_018s-Ilhabelaaofundo.jpg.0d01d1a14dfa2442c9cd1c133d4d465a.jpg

598dd34b2407a_018t-Trilhademarcada.jpg.a32d56038c8461e1f68924f2535e5ac9.jpg

 

A trilha segue pela vegetação baixa e com uma mata do lado direito e olhando para trás já dá para ver Ilhabela e algumas praias lá embaixo (com visual muito bonito por sinal). Por volta das 12h10min passamos ao lado de um banco de madeira (estrategicamente colocado para descanso da longa subida).

 

598dd34b3a3de_021-OBaepidenovoali.JPG.349f5da44a04b526735f9325d97c8e2c.JPG

598dd34b2edb1_020-Paradaparadescanso.JPG.d81ac647d38177acd6d55b34b3e99dd8.JPG

Aqui já dá para ver bem a frente o imponente Pico do Baepi, mas ainda restam uns 700 mts de subida íngreme.

 

598dd34c3eb29_024-Etocaparacima.JPG.2afc27391b97836de68d7874401e790e.JPG

O Eric disparou com sua mochila na frente e eu, a Márcia e o Jorge ficamos para trás. Depois de uns 10 minutos a trilha entra na mata fechada e nós 3 fomos encontrar um lugar onde pudéssemos esconder as mochilas, levando para o topo somente água e alguma coisa para comer.

 

598dd34c516ac_026-Aquientramosnamata.JPG.c111d06d0a2d825091803dabff93badf.JPG

Como o ritmo meu e o da Márcia era menor, o Jorge seguiu em frente, logo atrás do Eric.

A trilha vai ficando íngreme conforme vai subindo, tendo alguns trechos bem difíceis e na subida a Márcia deparou com uma cobra Jararaca e alguns lagartos que apareciam de vez em quando na trilha.

 

598dd34c5f4a3_031-CobraJararacanatrilha.JPG.9e8bf05593dae0cc927ff4284c8f72fa.JPG

Depois de pegar um trecho de bambuzal bem fechado, onde tivemos que nos arrastar, chegamos no topo pouco depois das 15:00 hrs.

 

598dd34c6e2cd_032-TrilhadoBaepi.JPG.ee5b9cec4a6309ef060bbc7c98e25c44.JPG

598dd34c9d3d0_033-Passandonomeiodobambuzal.JPG.f096a835be2a976d63a4a2ee4ac83de2.JPG

O visual daqui é de 360 graus, visualizando a maior parte das praias do centro e algumas ao sul e ao norte de Ilhabela.

 

598dd34caa9b5_040-Otopofinalmente.JPG.9026956cf99b61617d436259077ff6dc.JPG

598dd34cb699f_041z-Altimetro-marcandopoucoabaixode1040mts.JPG.19c048720f88d0bdcdc43912909d0325.JPG

No Baepi existem dois topos (um logo que a trilha termina e outro mais ao norte onde se chega através de uma outra trilha).

 

598dd34ccea55_052-Partenortedailha.JPG.671510e7bbc8bc509eeb1b6fcbdfb143.JPG

598dd34cc2e17_045-Ilhabelaepartesuldailha.JPG.e39632b895cf7c6c4c0f47ffa3016ee7.JPG

Ficamos aqui em cima por quase 1 hora e pouco antes das 16:00 hrs iniciamos a descida porque o Sol castigava muito e não tínhamos muita água.

 

598dd34cda1b4_055-Petroleiros.jpg.eb71d10d28a27657ce1590200ea25eb7.jpg

Depois de pegarmos as mochilas que estavam escondidas, voltamos para a trilha e continuamos a descida onde chegamos no reservatório da SABESP pouco depois da 17h30min.

O Sol já tinha ido embora e ao longe já podíamos ver que a chuva estava chegando e depois de passarmos em frente a sede do PE tivemos que colocar as capas das mochilas porque a chuva veio muito forte.

 

598dd34d03810_060-Semchancesdeentrarnaagua.JPG.9cc64e0f9ed425d475db388d16bb5572.JPG

598dd34ce9cc8_057-ChegandonaPraiadoPerequ.JPG.eb335e231100c7a503cf119e11407c68.JPG

Continuando a descida, logo chegamos ao ponto de ônibus e lá a chuva piorou. Tínhamos a pretensão de chegar naquele mesmo dia até o início da trilha do Pico São Sebastião, com a intenção de não caminharmos tanto no dia seguinte, porque a altitude do São Sebastião era bem maior (por volta de 1350 mts).

No ponto de ônibus, ficamos aguardando pouco tempo e assim que passou o circular Borrifos, embarcamos e que nos deixou na entrada da bifurcação para a Cachoeira 3 Tombos e o Chalé Recanto dos Pássaros.

Essa bifurcação fica pouco depois da Praia do Portinho e pouco antes da entrada da Praia da Feiticeira, tendo um portal de concreto bem no início da estrada.

Chegamos aqui pouco antes das 19:00 hrs e sem chuva, mas só foi iniciar a subida que a chuva voltou novamente.

 

598dd34d132b7_061-EntradaparaatrilhadoPicodeSS.jpg.7e75826ec49e9e718dc43c98b609538f.jpg

O caminho é sempre subindo e desprezando as bifurcações e a indicação de uma placa marcada “CACHOEIRA” à direita (essa é uma cachoeira menor e fica bem mais abaixo).

A chuva forte ia e voltava e já anoitecendo ainda estávamos na estrada asfaltada, mas decididos a acampar próximo da cachoeira, por isso seguimos em frente mesmo no escuro.

Chegamos em um ponto da estrada onde a mata tomava conta e aí não teve jeito, tivemos que usar as lanternas.

Ainda caminhamos uns 15 minutos pela estrada tomada pelo mato e chegamos ao local onde íamos acampar.

Era pouco depois das 20:00 hrs e na altitude de + - 200 mts montamos nossas barracas na estrada próximas da Cachoeira.

 

598dd34d21bac_062-Galeraacordando.JPG.c4147bed602ede2c96ba6072fff23839.JPG

Eu, o Jorge e o Eric ainda fomos tomar banho na cachoeira e pegamos água para o jantar e por ter sido um dia muito puxado, todos caíram no sono logo e ajudou também a chuva forte que caiu a noite toda em cima das barracas.

Por volta das 07:00 hrs de Sexta-feira todos já estavam de pé e se preparando para a grande caminhada do dia: chegar ao topo do São Sebastião antes do anoitecer mesmo sabendo que as dificuldades seriam muito maiores do que as do Baepi.

Pelo menos o tempo ajudava, pois não havia qualquer indício de chuva e o Sol já estava bem forte.

Por volta das 08:00 hrs iniciamos a subida, mas logo já tomamos um pequeno susto: uma cobra cega estava atravessada na trilha e provavelmente tinha se escondido embaixo da minha barraca.

 

598dd34d609df_064x-Outracobranatrilha.JPG.cba49fc0ff6b7762cc7b590c9b1dc1a6.JPG

Iniciando a subida da trilha, em + - 3 minutos chegamos na base da Cachoeira 3 Tombos onde tiramos algumas fotos.

598dd34d700fb_067-Chegandonacachoeira.JPG.e6ca0e286b6683b57eaf9c32a4721d2f.JPG

598dd34d7e6f6_070-EricMarciaJorgeeeu.JPG.84f429dc663cd13282276fcda28fa8bc.JPG

598dd34d8c6d3_072-Cachoeira3Tombos.JPG.91535397f50215080e93472a287dc919.JPG

598dd34d9c26d_075-Maiscachoeira.JPG.c5de5007d02d259ad528dc393b21ebc2.JPG

Voltamos para trilha e seguimos para o topo da cachoeira, onde sai uma trilha à esquerda do rio e que segue rente a ele, sempre subindo e em poucos minutos a trilha entra na mata, chegando em uma árvore onde existe uma enorme raiz.

 

598dd34dae2a7_078-Topodacachoeira.JPG.cf67fb1662b0249f3e269354f9429ec7.JPG

598dd34dbcc2e_084-Serradomaraofundo.jpg.1280f00ca52917f723869a32daf1823b.jpg

598dd34dcdba7_089-Marcaesinteis.jpg.65418371d8953062dc06b3ef070f98d6.jpg

Aqui tem uma indicação marcada com tinta vermelha de F4 P2 com a seta para a direita (não siga por aqui, provavelmente leva a algumas cachoeiras e poções).

 

598dd34ddacaa_090-Noseiparaqueservem.jpg.6266f3507560d27da5820af35b539c83.jpg

Volte uns 5 mts da árvore e bem do lado esquerdo existe um vestígio de trilha que sobe uma encosta e tomando o cuidado de não escorregar lá fomos nós.

A trilha possui um aclive muito forte e lá no topo é só seguir para direita e daqui para frente é só seguir por ela.

Aqui um alerta: em vários pontos a trilha possui pequenas bifurcações que podem confundir, mas tendo experiência e faro de trilha não terá problemas.

Nesse início da trilha o Eric resolveu esconder a mochila e subir sem nada (não deveria ter feito isso) e dessa forma estávamos só eu, a Márcia e o Jorge.

A subida da trilha não dá trégua e é sempre em aclive acentuado e em vários trechos, tivemos que passar se arrastando por debaixo de bambuzal, e isso sem contar os espinhos.

 

598dd34de76dc_096-Marcaes.JPG.853719b73e97ce8cbced58578fdc566b.JPG

Por volta das 11:00 hrs encontramos o Eric que estava retornando dizendo que tinha chegado em um trecho da trilha onde não encontrava a continuação dela.

Dizia que o local de vegetação baixa e para que não ficasse perdido sozinho na mata, resolveu retornar.

Era a primeira baixa do dia e eu, a Márcia e o Jorge resolvemos seguir em frente e pouco antes do meio dia chegamos na altitude de + - 800 mts onde encontramos água à esquerda da trilha, embaixo de algumas pedras e a uns 50 mts da trilha, mas em pouca quantidade.

Aqui paramos para fazer um lanche e descansar.

 

598dd34e00a5d_099-Areadebivaque.JPG.2c1e628ed3aab3eeba6789ac07a4fcca.JPG

598dd34e0f4ad_097-Paradaparadescanso.JPG.89ada776eeb4931d556851c179ea92ed.JPG

A trilha do pico é toda em mata fechada e foram poucas as vezes em que pudemos ver o litoral mas o que compensa é a temperatura amena, apesar do forte calor, e a exuberância da mata atlântica.

Depois de um belo lanche voltamos para a trilha e só foi a gente caminhar uns 50 mts chegamos no que parece ser o ponto onde o Eric não encontrou mais a continuação da trilha.

A vegetação aqui é um pouco mais baixa, batendo na altura da cintura, o que dificulta encontrar a continuação da trilha.

Com poucas árvores pelo local, ficava difícil encontrar fitas antigas presas e por isso perdemos um certo tempo aqui.

Procura dali, procura daqui até que achamos uma fita amarela bem antiga amarrada em uma árvore, um pouco à esquerda. Era a continuação da trilha e daqui para frente ainda encontramos outras fitas, o que nos ajudou bastante.

Fomos subindo pela trilha sem maiores problemas e pouco antes das 14:00 hrs e na altitude de 1040 mts, chegamos em uma enorme pedra que pode ser usada como abrigo e aqui resolvemos montar as barracas e só eu e o Jorge resolvemos continuar até o topo do São Sebastião (a Márcia que estava exausta resolver ficar na barraca).

 

598dd34e1d093_107-Localprotegido.JPG.2352560c11e3472a4d1931af4d3bfee8.JPG

598dd34e2a7af_110-Vaiserporaquimesmo.JPG.24ddad9ce22a416a7f043f908592d59c.JPG

Água aqui não tem, por isso resolvi levar algumas garrafas vazias para pegar água próximo do topo.

Quando fiz essa caminhada no início do ano de 2000, eu e um colega meu tivemos certa dificuldade nesse trecho da trilha para encontrar a continuação dela e por isso resolvemos acampar por aqui para no dia seguinte subir até o topo.

Daqui para frente é um trecho de muito bambuzal e bem íngreme, seguindo pela mata fechada.

 

598dd34e39e5c_113-Subidacansativa.JPG.17ac809d35c7e44160745aacff277eb7.JPG

598dd34e4ab14_114-Algumasfitasparaorientar.JPG.ff3cc8eaacee4a4874b341e48c264599.JPG

A trilha que segue para o topo sai à direita da pedra como se estivesse contornando ela e aqui existem algumas fitas amarradas nas árvores para orientar a subida.

Quando estiver vindo pela trilha, ao chegar na pedra, vá contornando ela pela direita, até chegar a um vale do outro lado.

 

598dd34e5b2ab_115-Trechofinalbemingreme.JPG.2dde9662eed5bfa40d663c9bb51d76d5.JPG

Ali é só ir seguindo na direção sudeste e em frente, procurando fitas em algumas arvores. Com aclive bem forte, fomos subindo a trilha, passando ao lado de enormes pedras e uma grande quantidade de bambus.

Além da cobra encontrada no início da trilha passamos ao lado de um mutum (ave totalmente negra e muito grande) e em vários momentos tivemos que nos arrastar por entre o bambuzal e só fomos chegar ao topo às 15h20min com Sol muito forte.

Aqui o altímetro marcou por volta de 1350 mts, mas segundo a carta topográfica do IBGE a altitude aqui é de 1375 mts.

 

598dd34e6812c_118-TopodoPicoSoSebastio.jpg.b697a6f70ab906e1a6520f4ddce5059b.jpg

598dd34e77d08_119-Altitudede1350mts.JPG.5124d82cbbdf2baf5a981575e757d11f.JPG

Na última vez que cheguei no topo, eram raros os lugares planos para acampar e atualmente abriram um descampado onde cabe mais de uma barraca e a água se consegue descendo na direção sudeste por uns 150 mts, como se estivesse indo em linha reta para a Praia do Bonete, vista daqui bem ao longe.

 

598dd34e8272c_130-Caraguaaofundo.JPG.119d542761c85ae42bd8cfd959600361.JPG

598dd34e8e12f_129X-PraiadoBoneteaofundo.JPG.db16e03ed057eed6bb475258d960c851.JPG

Para se chegar a esse ponto onde tem água deve-se descer na direção sudeste até algumas enormes pedras, onde era possível bivacar (talvez hoje em dia não mais, já que o mato tomou conta de tudo) e dali continuar descendo até chegar ao ponto de água, que é uma nascente.

Nesse trecho a mata tomou conta e é até difícil seguir até lá, mas é a única opção de conseguir água.

 

Mas pode ir tranquilo, não tem erro;

É só ir quase que em linha reta e a nascente está em um enorme buraco no meio de algumas rochas (no álbum de fotos fiz um croqui com imagens do Google Earth para chegar nesse ponto de água).

Depois de pegar a água voltei ao topo e fui apreciar o visual que compensa qualquer esforço. Daqui se consegue ver até a Serra da Mantiqueira bem ao longe.

As 16h30min eu e o Jorge iniciamos a descida, chegando nas barracas pouco depois das 17h30min, mas só foi chegar lá e o tempo fechou completamente, com a chuva retornando assim que começou a escurecer.

 

598dd34ea5dd7_148-Amanhecendocomchuva.JPG.89451d31d704b509d9f205da07f54989.JPG

598dd34e99e94_149-Todosselevantando.JPG.7f69c345c2fb9bf173b0d5541d231c06.JPG

Esse foi o dia mais exaustivo para todos e por isso, depois do jantar de macarrão com salame fomos dormir marcando para acordar por volta das 07:00 hrs da manhã.

No dia seguinte ainda chovia um pouco e por isso ficamos esperando um certo tempo até a chuva diminuir e as 08h15min iniciamos a descida, chegando na Cachoeira 3 Tombos por volta da 11h30min.

 

598dd34ec2025_165-Esecandoalgumascoisas.JPG.8a53c35b0ef1361cf00f8243b97bc812.JPG

598dd34eb3f4c_153-Trechocommuitobambuzal.jpg.3b9354c92696d0720211aa9dbf7cac63.jpg

O Jorge resolveu ficar em um poção um pouco antes da cachoeira e eu e a Márcia ficamos tomando Sol um pouco mais abaixo.

 

Logo depois chegou um grupo de turistas e aí resolvemos iniciar a descida até a avenida da orla saindo da cachoeira por volta de 13:00 hrs e chegando lá embaixo pouco antes das 14:00 hrs.

 

598dd34ed5148_172-Chegandonaestradadeasfalto.JPG.1b1aaa53f1e9f11daff4bac92d623cbc.JPG

598dd34ee4629_175-Esperandooonibusparabalsa.JPG.e3ff2ae1ed44aec2a230ebc3cfaf19ba.JPG

Ficamos aguardando o circular para a balsa que passou cerca de 20 minutos depois. Próximo da balsa existe uma agência da empresa Litorânea onde compramos a passagem das 16h30min para São Paulo e depois pegamos a balsa e em São Sebastião procuramos algum lugar onde pudéssemos comer.

Depois disso pegamos o ônibus que nos deixou no Terminal Tietê por volta das 20:00 hrs do Sábado.

 

Em Fevereiro de 2000 subi pela primeira vez o Pico do São Sebastião e consegui chegar no topo depois de ter problemas para achar a continuação da trilha junto a enorme rocha.

Se quiser dar uma olhada nas fotos dessa primeira subida ao SS:

 

 

 

Abcs

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Aí vão algumas dicas e infos que vão ajudar quem quiser fazer essa trilha.

 

 

# Criei também um tracklog para o Pico do Baepi. Está no wikiloc.

http://pt.wikiloc.com/wikiloc/view.do?id=912172

 

# No topo do Pico do Baepi lugares planos não existem. Se quiser acampar terá de ser um pouco mais abaixo em um pequeno descampado, junto da trilha. O problema é que lá no topo não existe água.

 

# A subida do Pico do Baepi leva em média 4 horas com algumas paradas, porém a trilha é extremamente íngreme no trecho final. Lembra muito a do Pico do Corcovado de Ubatuba, pela declividade, porém com a mata bem mais fechada.

 

# Uma pessoa que subiu o Pico São Sebastião me passou o tracklog para GPS, criado por ele. Se alguém quiser é só dar um toque.

 

# A trilha do Pico SS é extremamente difícil, pois em vários trechos o mato tomou conta e é preciso ter faro de trilha, além do problema dela ser totalmente em mata fechada.

 

# A falta de água também pode ser um empecilho, por isso só é recomendável fazer essa caminhada em grupo ou quem tem boas noções de navegação e experiencia de trilha em mata fechada.

 

# Os melhores lugares para acampar na trilha do São Sebastião são: no inicio, pouco antes de chegar na cachoeira; na altitude de + - 1050 mts, embaixo de uma enorme pedra e no topo do Pico e áreas próximas, onde existem alguns descampados abertos pela galera.

 

# No topo do São Sebastião existe uma clareira que suporta umas 3 ou 4 barracas. Poucos mts antes dá para acampar em outros pontos planos também.

 

# Os melhores lugares para acampar na trilha do São Sebastião são: no inicio, pouco antes de chegar na cachoeira; na altitude de + - 1050 mts, embaixo de uma enorme pedra e no topo do Pico e áreas próximas, onde existem alguns descampados abertos pela galera.

 

# Junto ao topo da Cachoeira 3 Tombos é complicado acampar, já que não existe lugares planos. O ideal é ficar no final da antiga estrada, junto ao início da trilha.

 

# Água pode ser encontrada em 3 pontos na trilha do Pico SS: na Cachoeira 3 Tombos; outro ponto na altitude de + - 800 mts à esquerda da trilha em pouca quantidade (muito cuidado porque algumas pessoas tentaram chegar nesse ponto e não conseguiram) e o último ponto descendo do topo rumo sudeste por uns 10 minutos e passando por algumas pedras que servem de bivaque. No álbum de fotos tem um croqui de como chegar nesse ponto de água.

 

# Até dá para fazer a subida da trilha do São Sebastião em um único dia (creio em + - 8 hrs), mas subindo e descendo no mesmo dia é muito puxado, por isso não recomendo.

 

# Existe também um pequeno problema na trilha do São Sebastião de só haver fitas amarradas nas árvores no trecho final. No início da trilha essas fitas são raras.

 

# Um par de luvas é essencial, já que nos trechos de bambuzais existem inúmeros espinhos que podem machucar.

 

# Na Cachoeira 3 Tombos existem alguns grampos fixados na rocha. Regularmente algumas agências fazem rapel no local. Para quem gosta é uma boa opção.

 

# Ilhabela é um lugar que possui uma quantidade maior de animais peçonhentos em comparação com outros lugares de mata atlântica.

Talvez por ser uma ilha, esses animais tenham se reproduzido mais facilmente.

Por isso muito cuidado.

 

# Uma praga que está na Ilha aos milhões são os borrachudos.

Repelente é um item obrigatório.

 

 

 

Abcs

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Valeu pelo relato........... ajudou bastante, vou tentar subir o pico baepi esse fds.............

 

 

abraços

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Blz Marcio.

Normalmente em fds, vc encontra alguns guias levando e trazendo turistas pela trilha.

Como estamos no inverno, talvez a procura p/ subir o pico seja menor.

 

No mais, é só tomar cuidado onde pisa e onde segura.

Ilhabela tem muita cobra. ::otemo::::otemo::::otemo::::otemo::::otemo::

 

Não pensa em subir o São Sebastião?

 

 

Abcs

 

 

 

 

Valeu pelo relato........... ajudou bastante, vou tentar subir o pico baepi esse fds.............

 

 

abraços

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Me interessei tambem

pelo que vi, dá pra fazer o baepi num bate e volta mesmo...

 

será que o povo do PE Ilhabela não está encrencando com a subida? Ainda funciona ligar lá ou será so com guia mesmo?

(ia usar a desculpa de ir a ilhabela pra fazer uma das trilhas do livreto "Trilhas de São Paulo" tambem)

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Fala Cris Sem Limites kkkk

 

então lembra que em junho eu estava querendo ir fazer o pico do Baepi em Ilha Bela mas choveu eu cancelei e depois da balada eu acordei em São Thomé? kkk

 

Eu liguei na sede do Parque para agendar a subida ao Baepi segundo informações da pessoa que me atendeu você só poderia subir com o guia deles ou com guia contratado. Mas sabemos que eles soltam essa conversinha para ajudar os guias locais e evitar que turistas, e não montanhistas, se machuquem. Bom penso que seja isso ou que o nosso Ilustre Governado, através da secretaria responsável pelo parque, tenha determinado assim hehehe.

 

Mas o Augusto pode dar uma dica para nós de com ele conseguiu ir sem guia, já que em breve os Sem Limites irão até lá hehehe

 

bjus

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Fala Cris Sem Limites kkkk

 

então lembra que em junho eu estava querendo ir fazer o pico do Baepi em Ilha Bela mas choveu eu cancelei e depois da balada eu acordei em São Thomé? kkk

 

Eu liguei na sede do Parque para agendar a subida ao Baepi segundo informações da pessoa que me atendeu você só poderia subir com o guia deles ou com guia contratado. Mas sabemos que eles soltam essa conversinha para ajudar os guias locais e evitar que turistas, e não montanhistas, se machuquem. Bom penso que seja isso ou que o nosso Ilustre Governado, através da secretaria responsável pelo parque, tenha determinado assim hehehe.

 

Mas o Augusto pode dar uma dica para nós de com ele conseguiu ir sem guia, já que em breve os Sem Limites irão até lá hehehe

 

bjus

 

Meu deus do ceu... to vendo que vamos virar estatistica hehehehehe

Pelo que entendi, o Augusto se apresentou como guia do grupo (afinal de contas, ou entendi mal, ou ele ja tinha ido ao Baepi)

Será que nao cola usar o mesmo procedimento (se apresentar como guia ao ligar pro parque? Afinal de contas, nao podem me obrigar a contratar um guia de lá... ou será que podem? hehehe)

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Cris e Fábio.

 

Obrigar a contratar um guia do parque ou indicado por eles, não podem fazer.

Vc liga ou manda e-mail para dizer que tá subindo com um grupo e que se responsabiliza pela trip. Apenas isso.

Se acontecer algum problema, pelo menos o PE tá sabendo que vcs estão subindo.

 

E fiquem tranquilos, a trilha não é dificil. Só no final que ele é bem ingreme.

No segundo topo ao norte, tem de tomar muito cuidado porque existem uns abismos de dar medo.

 

Fazer na surdina até dá, pois é só não passar próximo à sede e evitar ser abordado por alguém do parque.

 

 

Abcs

 

 

 

Meu deus do ceu... to vendo que vamos virar estatistica hehehehehe

Pelo que entendi, o Augusto se apresentou como guia do grupo (afinal de contas, ou entendi mal, ou ele ja tinha ido ao Baepi)

Será que nao cola usar o mesmo procedimento (se apresentar como guia ao ligar pro parque? Afinal de contas, nao podem me obrigar a contratar um guia de lá... ou será que podem? hehehe)

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Grande Augusto!

 

 

Seu relato está bem preciso e foi muito útil para planejar minha pequena trip. Show de bola! Obrigado!

 

 

Nesta última quarta-feira (18/04), em férias e passando por Ilhabela, com um pequeno alvará da patroa, que passaria o dia descansando na piscina da pousada com a filhota, fiz em solo a trilha de subida ao Monte Baepi. Uma vontade antiga, aliás como a de subir também ao cume do São Sebastião, ainda mais alto (e que continua na vontade). Show de bola! Visual muito bacana. Peguei um dia de tempo excepcionalmente bom e fui brindado com quase 360º de vista lá do alto, com as belezas que só Ilhabela é capaz de proporcionar. A trilha está bem aberta e batida, uma verdadeira avenida, à exceção do trechinho final onde estão os taquarais, obrigando a rastejar um pouco. A trilhinha até o cume norte (verdadeiro) também estava bem fechada, parece que o pessoal tem ido só no primeiro cume, logo atrás da placa... Tem até uma clareira com sinais de acampamento ali (não recomendado e não permitido pelo Parque Estadual). Concluí a subida em 3h45min parando bastante (bastante mesmo) para fotos, água e fôlego (dia bem quente e eu meio resfriado - consumi cerca de 2,5L do precioso líquido que levei num streamer de 3L!). Como comecei tarde a subida, peguei sol a pino na cara no primeiro trecho, descampado e terminei a descida já no escuro (com lanterna), mesmo assim concluindo a descida em cerca de 2h. Não topei com cobras, lagartos ou aranhas, mas muitos pássaros, inclusive um pica-pau.

 

A trilha não apresenta dificuldades técnicas, está bem aberta e sinalizada (placas, marcas de facão nas árvores), com exceção do seu final - em especial nos trechos de taquaral e no pequeno trecho entre os 2 cumes, que exige atenção para vencer o desnível nas pedras com a corda. Diversos pontos possuem degraus de contenção (contra erosão) e há várias árvores caídas na trilha, o que é normal em áreas de mata atlântica, além de fornecer bons pontos de descanso (="bancos"). :mrgreen:

 

Quanto ao pessoal do Parque Estadual de Ilhabela, mesmo tendo subido de jipe até o estacionamento antes do início da trilha, não tive problemas e só tomei conhecimento de que havia alguém trabalhando ali quando no retorno, já escuro, dei de cara com uma senhora sentada ao lado do jipe me esperando, dizendo que era funcionária do PE e que precisava responder um questionário, o que fiz prontamente para cumprir com a tarefa dela. A ela também entreguei um punhado de lixo que recolhi durante a trilha (infelizmente encontrei alguns pacotes de bolacha, plásticos diversos e 1 garrafa pet no percurso).

 

Nem só de praia vive Ilhabela! Recomendo!

 

Abraços!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Fala Getúlio, blz?

 

Parabéns.

Tava dificil achar alguém que estivesse feito esse pico recentemente p/ saber como tá a trilha. Se estão melhorando ou a trilha tá se fechando.

Por ter placas de sinalização e marcações isso é muito bom. Quer dizer que o Parque tá ajudando a melhorar as trilhas.

E por não te encherem o saco já que vc não estava com guia, isso é melhor ainda.

 

Espero que façam isso com a do São Sebastião também.

Não dá p/ fazer em apenas 1 dia, mas se o Parque dar uma melhorada na trilha, ela pode sim ser outra boa opção de caminhada na ilha.

E se quiser fazê-la algum dia eu tenho toda a trilha em arquivo kmz.

 

 

 

Abcs

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Grande Augusto!

 

Obrigado pelos comentários. Eu quase fui pros lados do São Sebastião, mas como estava com pouco tempo pro "meu" programa de trekking na ilha e sabia de antemão (pelo seu relato) das dificuldades de fazer em 1 dia e não queria deixar as meninas preocupadas comigo dois dias no mato, acabei indo pro Baepi mesmo.

 

Numa próxima quero fazer o S. Sebastião, daí pego as infos contigo.

 

Abraço!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Fala Augusto e Getúlio, tudo beleza?

 

Fiz a trilha do Baepi em 2008 com guia, e como volta e meia estou em Ilhabela fiquei com vontade de fazer novamente mas, desta vez, solo.

 

Uma parte da trilha que me preocupa em ir sozinho é no final, para se achar o pico verdadeiro. O início da trilha para lá está escondido ou é bem óbvio? Da vez que fui com guia lembro que não era muito óbvio, mas para falar a verdade minha memória não é lá essas coisas então posso estar falando besteira.

 

Mudando um pouco de assunto, parece que o PE está mesmo investindo na infraestrutura. Fiz a trilha do bonete a uns meses e melhoraram bem o trecho até a primeira cachoeira, inclusive instalaram uma pontezinha para se cruzar o rio lá. Sem contar que tinha uma pessoa do PE no início da trilha para orientar e responder dúvidas.

 

Abs!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá Thsadocco!

 

 

Então, a trilha pro "verdadeiro" cume do Baepi está bem escondida (fechada de mato), tem que fuçar um pouco, mas dá para achar. Pelo que vi o pessoal tem ido apenas no "falso" cume. O verdadeiro fica mais ao norte do que o primeiro, à esquerda de quem chega pela trilha e dá de cara com a placa antes dos cumes. Saia pela esquerda da placa e procure, encontrará uma descida abrupta com cordas. É preciso descer para depois voltar a subir.

 

Quanto à infraestrutura do PE, na trilha do Baepi são visíveis várias intervenções positivas, como contenções de erosão, degraus e marcações na trilha, pelo menos dos primeiros 2/3 da subida. Encontrar funcionários para algum esclarecimento ou orientação creio que só no verão mesmo, época em que há maior demanda.

 

Um detalhe que não comentei no meu outro post: quando estive lá eu me embrenhei um pouco na mata, saindo do banco de madeira, à direita, logo na descida do morrote descampado em direção ao Baepi (seguindo um carreiro secundário) e escutei barulho de água no fundo do valezinho, creio que numa distância de 50-70m. Como estava com pouco tempo e a matinha começou a ficar bem fechada, não quis investigar, mas me pareceu que por ali há água e, dadas as condições locais, provavelmente seria potável. Alguém mais que anda por ali/conhece - confirma?

 

Abraço!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

 

Olá mochileiros!

 

Subi ao cume do Monte Baepi junto com minha esposa Bruna e meu sogrão Wilson no dia 15/02/2013.

Transportando apenas 1 mochila com água e barras de cereal para os 3, atingimos o cume em aproximadamente 2 horas e meia, sem muitas dificuldades , pois a trilha está muito boa. O pessoal do PE tem feito manutenção na trilha, moldando no solo escadas contra erosão e fixando até escadas do tipo que são usadas por pintores, feitas com as próprias arvores que caem na mata ( notei 2 dessas escadas com no máximo 4 ou 5 degraus) na parte mais íngreme. A área em que era necessário rastejar (por baixo do bambuzal) também foi aberta e já é possível fazer toda a subida de pé. Só achei os degraus moldados no solo um pouco altos demais em alguns pontos, forçando um pouco a musculatura das pernas. Na descida, minhas pernas tremiam tanto que tive que soltá-las. Desci correndo e finalizei o retorno em apenas 30 min (até o sapezal). Minha mulher me acompanhou e meu sogro chegou alguns minutos depois.

Encontramos pelo caminho 1 lagarto de pequeno porte (fotografado) tomando sol no fino tronco de uma pequena arvore e 2 cobras, sendo que uma delas já na trilha entre as pedras norte e sul, que prontamente saíram da trilha ao ouvir os passos, não sendo possível fotografá-las.

Resumindo, a trilha é considerada difícil somente por ser muito íngreme da metade em diante, mas está totalmente auto-guiada. Não há necessidade de guia e a senhora Marissol, muito simpática por sinal, que é moradora de uma das casas próximas ao início da trilha, faz um trabalho voluntário de controle e monitoração, solicitando o preenchimento do formulário com dados pessoais e algumas questões sobre a trilha somente quando retornamos do cume.

 

Nossa próxima aventura será alcançar o cume do monte São Sebastião, sem data definida ainda e em seguida, fazer a travessia Bonete-Castelhanos.

 

Alguém topa ?

 

Abraço à todos!

 

Nildo Gramolelli

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Boa notícia Nildo.

 

Eu já contava que o pessoal do PE colocasse impecilhos p/ quem fosse subir o Baepi sem guia. É comum exigir um guia p/ trilhas em PEs.

Que bom que essa mentalidade do Parque mudou.

 

As jararacas da Ilha são muito famosas. Nas trilhas que já fiz na Ilha, sempre encontrei com alguma. Talvez por ser um lugar muito preservado e separado do continente, essas cobras se reproduziram mais facilmente e sem predadores.

 

Qto a trilha do SS, só espero que façam o mesmo nessa trilha, já que relatos recentes de quem tentou ir lá, só encontrou trilha fechada e nenhuma marcação.

É uma pena, porque é um lugar com visual mais lindo ainda.

 

 

Abcs

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

O pico do São Sebastião dá para fazer em um bate e volta. Chegamos às 07:00h no final da estrada asfaltada, iniciamos a trilha e voltamos ao local de partida às 17:30h . Tenho um mapa com as bifurcações, o tempo percorrido para chegar a cada uma delas e a direção certa a tomar. Verei se acho onde coloquei (faz tempo que fizemos), digitalizo e posto aqui.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Conseguiu chegar lá no alto do SS só com o relato?

Ano passado tive vários retornos de pessoas que tentaram subir e pegaram mata fechada em vários trechos.

Alguns chegaram até o segundo ponto de água. Outros até aquela enorme rocha.

Um dos subiram até o topo nao conseguiu encontrar água. Teve algum problema com isso também?

 

Qdo puder escreva um outro relato com o mapa p/ incentivar outros a fazerem essa caminhada, apesar de que o SS não é o topo de Ilhabela.

 

 

Abcs

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Faz uns 15 anos que fizemos esta trilha. Faltando 1 hora pra chegar no topo ela desaparecia, mas, procurando com calma achávamos a continuação. Naquela época já tinham algumas fitas pela caminho. Água somente à esquerda da pedra grande (tinha até um acampamento de caçadores abandonado) e no topo (descendo uns 100 metros). Lembro que subimos sem peso e foram 5 horas com apenas 2 paradas de 5 minutos de descanso. Estou procurando o mapa para postar. Devo ter fotos, mas, daquelas máquinas de filme...nem sei onde estão. Agora, relato vc já está pedindo demais :lol:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora

Entre para seguir isso  

×